Dá um Gosto ao ADN

PSP procura carro que atropelou jovem no Seixal

Jovem morre após atropelamento com fuga no Fogueteiro

Continua por encontrar a viatura azul escura que, no passado sábado, atropelou e matou o jovem João Gomes, de 22 anos, na Estrada Nacional 378, no Fogueteiro, concelho do Seixal. O atropelamento com fuga, por parte de uma viatura azul escura, ocorreu perto das 7h40, entre o Rio Sul Shopping e a MaxMat. O jovem, que circulava na berma da estrada, na direção do Shopping, para mais um dia de trabalho, ficou politraumatizado mas acabou por morrer ao final do dia no Hospital de São José, em Lisboa, para onde foi levado pelos Bombeiros poucos minutos após o trágico acidente. A PSP da Torre da Marinha está a tentar apurar as circunstâncias em que ocorreu o acidente. A família de João Gomes, que vivia em Sesimbra,  apela a quem presenciou o acidente e que tenha informações sobre a viatura envolvida para contatar as autoridades.
Jovem de Sesimbra foi atropelado junto ao Rio Sul 


A busca centra-se num carro azul-escuro que foi visto por uma testemunha a fugir a alta velocidade do local onde foi atropelado mortalmente João Gomes, de 22 anos, na Estrada Nacional 378, em direção ao Fogueteiro. O acidente brutal ocorreu ao início da manhã de sábado e ontem ao final da tarde o condutor em fuga ainda não estava identificado. 
"Apelamos a quem tenha visto algo ou tenha quaisquer informações que nos ajude e contacte a PSP, que está a investigar a morte do meu irmão. Qualquer informação pode vir a auxiliar muito para que se descubra esse condutor que atropelou e fugiu de imediato sem ajudar o João", pediu Susana Gomes, irmã da vítima mortal.
João, residente em Sesimbra, deslocava-se para o trabalho – numa pastelaria do centro comercial Rio Sul, no Fogueteiro – quando foi atropelado mortalmente numa berma. O jovem terá saído às 7h40 do autocarro, numa paragem considerada "perigosa". Foi colhido poucos metros à frente, junto ao acesso para a EN378 para quem sai da A2 no sentido Sul-Norte. O jovem foi projetado "duas dezenas de metros" para um terreno baldio. O estrondo foi de tal forma intenso que alertou um homem que estava próximo. E foi essa testemunha que viu o carro azul-escuro a fugir. João Gomes ainda foi assistido no local pelas equipas de socorro mas acabou por falecer poucas horas depois no Hospital de São José, em Lisboa.
A investigação deste caso ficou a cargo da PSP do Seixal. Segundo fonte policial, ouvida pelo jornal Correio da Manhã, ontem ao final da tarde ainda não tinha sido possível identificar o condutor em fuga. O corpo de João Gomes já foi autopsiado no Instituto Nacional de Medicina Legal. O funeral do jovem realizou-se no cemitério de Aiana depois de uma missa na a igreja da Corredoura, em Sesimbra.

Agência de Notícias
[ + ]

TST reduz tarifas de bordo no distrito de Setúbal

TST estende campanha de descontos nas tarifas de bordo até 28 de Fevereiro

A TST – Transportes Sul do Tejo, empresa do grupo Arriva, vai prolongar a campanha de promoção dos bilhetes de tarifas de bordo até ao dia 28 de Fevereiro de 2015. Os descontos que abrange todas as carreiras no distrito de Setúbal, incluindo os trajetos para Lisboa. "São mais de 90 carreiras abrangidas", diz a empresa. A iniciativa teve início em Outubro passado e prolonga-se agora até final do segundo mês do ano. "Os passageiros vão poder usufruir de preços mais baixos nas tarifas de bordo. Os descontos variam entre os 0,65 e os 1,40 euros", refere a empresa em comunicado.
Tarifas de bordo vão continuar com descontos até 28 de Fevereiro 

A continuação da campanha deve-se, segundo a transportadora, “ao enorme sucesso desta iniciativa, com a adesão de mais de 160 mil pessoas”. Desde o início da campanha já foram vendidos mais 45 por cento destes títulos do que em igual período do ano anterior.
A segunda edição desta campanha teve início em Outubro de 2014 (a primeira ocorreu no princípio de 2014) e apresenta uma redução de preços nas tarifas de bordo que abrange todas as carreiras com este tipo de solução de pagamento, incluindo os trajetos para Lisboa, em mais de 90 carreiras. Agora, até 28 de Fevereiro de 2015, os passageiros vão poder continuar a usufruir de preços mais baixos nas tarifas de bordo. Os descontos variam entre  65 cêntimos  e  1,40 euros.
A renovação desta campanha acontece devido ao sucesso da iniciativa implementada de Janeiro a Abril deste ano, à qual aderiram cerca de 145 mil pessoas, refletindo-se no aumento de 35 por cento da venda deste tipo de títulos, em relação a período homólogo. A campanha mantém o seu objetivo inicial de “incentivo à utilização do transporte público nas deslocações ocasionais, e de angariação de novos clientes, fomentando as opções de mobilidade nas áreas onde a TST atua”, explica a empresa.
A TST desenvolve a sua atividade na Península de Setúbal, abrangendo os concelhos de Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal, e efectuando serviços de transporte de passageiros, através de carreiras urbanas, suburbanas e rápidas com ligação à capital portuguesa desde várias localidades do distrito de Setúbal.

Os descontos nas tarifas de bordo, consoante as distâncias dos percursos, são:
TB1: de € 2,25 para € 1,50 (desconto de € 0,75)
TB2: de € 3,25 para € 2,60 (desconto de € 0,65)
TB3: de € 4,10 para € 3,20 (desconto de € 0,90)
TB4: de € 4,30 para € 3,20 (desconto de € 1,10)
TB5: de € 4,60 para 3,20 (desconto de € 1,40)

Agência de Notícias
[ + ]

Garcia de Orta, em Almada, recebe aumento de capital

Hospital acrescenta 28,5 milhões ao capital social 

O Hospital Garcia de Orta, em Almada, viu aumentado o seu capital social em 28,5 milhões de euros, o que permitirá iniciar o ano de 2015 com fundos próprios tendencialmente nulos ou mesmo positivos, em função do resultado final a apurar no fim do exercício de 2014. Este aumento de capital  irá permitir o aumento dos fundos próprios, a redução do passivo, e o pagamento de dívidas vencidas e contraídas até 30 de Setembro deste ano. A administração espera "alcançar, ainda, uma maior capacidade de negociação junto dos fornecedores e o reforço das medidas que impeçam a acumulação de novos pagamentos em atraso" e reforçar "os atuais níveis de acesso e eficiência" no atendimento às populações.  
Aumento de capital permite pagar dívidas vencidas em Setembro 

No ano de 2014 concretizam-se, assim, explica a direcção do hospital, dois aumentos de capital: "numa primeira fase de 43,9 milhões de euros, para regularização de passivos para com o FASP (Fundo de Apoio ao Sistema de Pagamentos do SNS), sendo também perdoados os juros vencidos e não pagos relativos aos empréstimos concedidos pelo FASP ao Hospital; e o que se concretiza agora, em numerário, perfazendo um total de 72,4 milhões de euros".
Apesar das medidas levadas a cabo pela administração no sentido de melhorar a acessibilidade, aumentar a eficiência e a sustentabilidade, dos esforços para a redução dos custos operacionais e aumentar as taxas de cobrança, em particular, nos últimos quatro anos, e ainda do PERD, levado a cabo pelo Estado, que disponibilizou verbas para pagamento de dívidas a fornecedores do SNS, os "sucessivos resultados líquidos negativos nos últimos oito anos não permitiram alcançar a necessária sustentabilidade financeira e sair da falência técnica em que o hospital se encontrava", diz a administração.
Este aumento de capital do Hospital Garcia de Orta irá permitir o aumento dos fundos próprios, a redução do passivo, e o pagamento de dívidas vencidas e contraídas até 30 de Setembro de 2014.
"Esperamos alcançar, ainda, uma maior capacidade de negociação junto dos fornecedores e o reforço das medidas que impeçam a acumulação de novos pagamentos em atraso, bem como, com os recursos disponíveis, sem perda de qualidade, salvaguardando os atuais níveis de acesso e eficiência, continuar a responder às necessidades de saúde das populações, ao nível da prestação de cuidados", conclui a administração da unidade hospital de Almada.

Agência de Notícias



[ + ]

Sesimbra prepara-se para a festa de fim do ano

Passagem de ano subaquática com direito a fogo de artifício

Nos últimos anos, o Réveillon de Sesimbra transformou-se num dos principais atrativos do concelho, com a vila a receber milhares de visitantes que já não prescindem de entrar no novo ano a assistir ao fogo de artifício sobre a Baía. A animação musical acontece na Fortaleza de Santiago, monumento do século XVII recentemente restaurado, com a banda cubana Unión Salsera que atua nas últimas horas de 2014 e nas primeiras de 2015. Depois disso a animação continuará nos restaurantes e bares que estarão abertos até de madrugada. Mantendo viva uma tradição que surgiu em 2006, cerca de vinte mergulhadores vão repetir a experiência de entrar no novo ano no fundo do mar. 
Fim do Ano em Sesimbra é um dos mais procurados no distrito 

Desta vez, o espetáculo piromusical, que tem como tema o mar, a partir do poema sinfónico Scheherazade, de Rimsky-Korsakov Música de Rimsky-Korsakov, Fauré, Tchaikovsky e Rossini, acontece em dois pontos, um na Praia da Califórnia e outro na Praia do Ouro.
Já a animação musical centra-se na Fortaleza de Santiago, monumento do século XVII recentemente restaurado, com a banda cubana Unión Salsera que atua nas últimas horas de 2014 e nas primeiras de 2015. Depois disso a animação continuará nos restaurantes e bares que estarão abertos até de madrugada.
Mantendo viva uma tradição que surgiu em 2006, cerca de vinte mergulhadores vão repetir a experiência de entrar no novo ano no fundo do mar. Promovido pela Câmara Municipal de Sesimbra e Turifórum, grupo de empresários locais, o Réveillon de Sesimbra é "um importante dinamizador da economia local, sobretudo nas áreas da restauração e hotelaria", disse fonte da Câmara de Sesimbra.
A dois dias da passagem de ano, 18 mergulhadores já confirmaram presença no Réveillon Subaquático de Sesimbra, uma das mais originais passagens de ano do país.
O Réveillon Sub de Sesimbra surgiu em 2006, quando um grupo de mergulhadores decidiu passar a meia noite de dia 31 debaixo de água. A iniciativa foi um sucesso e teve direito a notícia num canal de televisão, o que fez com que no ano seguinte se juntassem mais de uma centena de participantes em Sesimbra para, às 12 badaladas, desenharem, com luz, o número 2008 no fundo do mar. Nos anos seguintes a iniciativa repetiu-se, mas devido à condições meteorológicas adversas, tem perdido preponderância.
Este ano, espera-se que o tempo ajude os mergulhadores, e que a originalidade desta ação, aliada ao convívio entre um conjunto de pessoas que têm em comum a paixão pelo mergulho, possam resultar novamente numa grande festa.
Os participantes vão embarcar na zona do Porto de Abrigo e deslocar-se até à Praia da Califórnia, onde entrarão na água com luzes para fazerem a habitual coreografia à meia-noite, ao mesmo tempo, fogo de artifício encherá de cor o céu de Sesimbra.
A Baía de Sesimbra vai voltar a ser palco de uma das passagens de ano mais originais do país.

Programa do Réveillon de Sesimbra
dia 31 | quarta-feira das 22 às 2h
Concerto com a Banda Cubana Unión Salsera
Entrada: 4 € (oferta de gola multiusos)
Fortaleza de Santiago, Sesimbra

às 24 horas
Fogo de artifício
Espetáculo piromusical O Mar, a partir do poema sinfónico Scheherazade, de Rimsky-Korsakov.
Música de Rimsky-Korsakov, Fauré, Tchaikovsky e Rossini.
Baía de Sesimbra
Org.: CM Sesimbra e Turifórum.

Agência de Notícias
[ + ]

Setúbal e Tróia esperam 30 mil pessoas no fim do ano

Fim do Ano Azul junta margens do Sado 

Mais de 30 mil pessoas são esperadas na festa de fim de ano que une Setúbal e Tróia, um programa repartido entre as duas margens do Sado, com música e um espetáculo de fogo de artifício. Com o Estuário do Sado como pano de fundo, a Câmara de Setúbal e o troiaresort organizam pelo quarto ano consecutivo o programa de réveillon “Venha Passar um Fim de Ano Azul Numa das Mais Belas Baías do Mundo”, com atividades centradas na noite de dia 31. “Na noite de fim de ano vamos, uma vez mais, unir as duas margens do Sado para reeditar a grande festa que realizamos em Setúbal e em Troia”, afirmou a presidente da Câmara, Maria das Dores Meira, na apresentação do evento na sala multiusos do Fórum Municipal Luída Todi. A responsável pela pasta da Cultura em Grândola, “a promoção e o reforço da notoriedade da região” . Esta é uma iniciativa, diz Carina Batista, "que celebra o caminho do progresso e do futuro, uma comemoração inesquecível que traz às pessoas uma energia renovada para o novo ano”.



Programa do Fim do Ano Azul foi apresentado em Setúbal 

O programa, com um orçamento global previsto de 70 mil euros, é uma das grandes apostas feitas pelo Município “para a promoção turística do concelho, conferindo-lhe grande visibilidade na que é já uma das maiores festas de fim de ano da Península de Setúbal”, salientou a autarca.
O começo de um novo ano é saudado nas duas margens do Sado com “a participação de milhares de pessoas e o envolvimento da restauração, que aqui tem nova oportunidade para mostrar as capacidades turísticas de uma região que se afirma com grande intensidade”, reforçou Maria das Dores Meira.
A presidente da Câmara Municipal de Setúbal frisou que “a festa de fim de ano configura-se, desde há três anos, como um produto turístico estruturado” e que tem como objetivo “assegurar a promoção do destino turístico de Setúbal e de Troia, mais concretamente, a Baía de Setúbal”.
Em Setúbal, o programa “Azul” tem epicentro na frente ribeirinha, na zona da Doca dos Pescadores, com atividades a partir das 22h30, com animação musical garantida pelo Daniela4teto. Depois do fogo de artifício sobre o plano de água do rio Sado, à meia-noite, as primeiras horas da noite são animadas pelo DJ Monchique.
Na outra margem do rio, na Marina de Tróia, a diversão de fim de ano começa às 23 horas, com música e a projeção dos melhores momentos da agenda de eventos ON Troia 2014. Depois das 12 badaladas, a animação musical continua pela noite dentro no Casino de Tróia.
As atividades do programa para 2014 “apostam, em especial, na noite de passagem de ano com um fogo de artifício sobre o Estuário do Sado com a duração prevista de 12 a 15 minutos e que será, novamente, o momento mais relevante da noite”, reforçou Maria das Dores Meira.
A presidente da Câmara Municipal de Setúbal destacou o envolvimento das estruturas hoteleiras, dos estabelecimentos de restauração e dos bares da cidade, que “asseguram alegria adicional” para todos os setubalenses e visitantes que escolhem Setúbal para a última noite de 2014.
“Será uma noite de grande festa”, assegurou, ao enunciar os números que atestam o êxito da iniciativa. “Em 2013, na última noite do ano, registou-se uma taxa de ocupação média da ordem dos 90 por cento em 13 hotéis do concelho aderentes ao programa”.
Já as três dezenas de restaurantes abertos na noite de réveillon alcançaram “taxas de ocupação, para menus temáticos, da ordem dos 100 por cento”, enquanto os 40 bares abertos na área de influência da zona ribeirinha “funcionaram até às seis horas da manhã com lotação completa”, vincou a autarca.

Aproximação de Setúbal e Grândola
Depois das 25 mil pessoas registadas na anterior edição do evento, o programa “Azul”, organizado em parceria com a Câmara de Grândola, Infratroia, Águas do Sado, Atlantic Ferries, Casino de Troia e Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, espera este ano mais de 30 mil participantes e o envolvimento de 40 restaurantes e 30 bares.
A vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Grândola, Carina Batista, realçou que o programa de passagem de ano afirma “a excelência daquela que é uma das mais belas baías do mundo”, que tem na “Península de Troia um ponto geográfico de aproximação de Setúbal e Grândola”.
Carina Batista assinalou ainda “a promoção e o reforço da notoriedade da região” com a dinamização do “Venha Passar um Fim de Ano Azul Numa das Mais Belas Baías do Mundo”, programa que partilha “objetivos comuns” entre as duas autarquias, nomeadamente a atratividade turística e o estímulo da economia.
“Esta é uma iniciativa que celebra o caminho do progresso e do futuro, uma comemoração inesquecível que traz às pessoas uma energia renovada para o novo ano”, vincou a vereadora da Cultura do Município de Grândola no encontro realizado ao final da manhã.
Já Pedro Bruno, administrador da Sonae Turismo, destacou “a união de esforços” das várias instituições envolvidas na organização do programa que contribui para o posicionamento turístico da região e para a dinamização de “uma noite grandiosa que traz cor, luz e brilho às duas margens do rio”.
A programação completa do programa de réveillon “Venha Passar um Fim de Ano Azul Numa das Mais Belas Baías do Mundo” está brevemente disponível na página oficial do evento em www.fimdeanoazul.com.

[ + ]

Piloto do Montijo ataca pódio no Africa Eco Race

Elisabete Jacinto parte para África com objectivo de estar no pódio

A piloto do Montijo, Elisabete Jacinto, e os restantes membros da equipa Oleoban já estão na estrada em direção a Motril, no sul de Espanha , onde vão realizaram esta segunda-feira as verificações administrativas e técnicas para o Africa Eco Race 2015. Como é habitual os participantes portugueses e espanhóis cumprem esta etapa imediatamente antes do embarque para Marrocos, uma excepção que a organização do rali concede aos pilotos ibéricos para que estes possam festejar o Natal em família. “Parto com a vontade de conseguir um lugar no pódio, embora reconheça que não vai ser tarefa fácil atendendo ao nível de preparação dos camiões presentes. Ganhar a categoria de camião seria a realização de um velho sonho”, admite Elisabete Jacinto.
Elisabete Jacinto quer conduzir o seu camião ao pódio 

Enquanto os portugueses ainda estão na estrada, os restantes participantes do Africa Race já deram início às formalidades do rali uma vez que se realizam ontem, em Saint Cyprien, as verificações administrativas e técnicas desta prova. Esta bela cidade costeira do Sul de França, localizada junto ao Mar Mediterrâneo, vai acolher mais uma vez a partida daquela que é a maior maratona africana de todo-o-terreno da atualidade e que este ano conta com cerca de 70 participantes. Nesta edição serão cerca de 30 os pilotos que vão cumprir na prova em moto, 30 equipas em automóvel e 10 em camião.
Para Elisabete Jacinto, o momento da partida para esta corrida é sempre envolto em grandes expectativas. O objetivo principal da equipa consiste em alcançar um lugar de pódio contudo, devido ao enorme nível de competitividade das formações que participam em camião, a piloto sabe que terá pela frente um rali difícil:  “Como é costume, o meu entusiasmo é proporcional ao nível de competitividade das equipas presentes. Embora saiba que as probabilidades de ter bons resultados são menores não há dúvida que o prazer é muito maior. Vou para competir. É isso que me anima!”, revelou a piloto do Montijo. A piloto vai ainda mais longe ao reconhecer que "ganhar a categoria Camião seria a realização de um velho sonho".
A noite de ontem foi passada no barco pois toda a comitiva atravessará o mediterrânico em direcção a Nador, já em Marrocos, onde o Africa Eco Race cumprirá a sua primeira etapa a qual decorrerá entre esta cidade e Errachidia.
No rali em que a piloto portuguesa vai participar mais uma vez aos comandos do MAN TGS com as cores da Oleoban – juntamente com o seu navegador José Marques e o mecânico Marco Cochinho. Numa equipa da qual fazem também parte o coordenador Jorge Gil, o condutor do MAN KAT de assistência e o mecânico Hélder Anjos, o moral é alto para o começo da aventura africana. 
Para além da África Eco Race, a piloto do Montijo terá ainda garantida a presença no Rali de Marrocos, o Aicha des Gazelles e, a grande novidade, que poderá constituir o regresso do Rali da Tunísia, sobre o
qual se aguardam notícias em início de Fevereiro. Esta prova foi suspensa em 2012 devido à grande instabilidade política verificada neste país.
As expectativas para o novo ano, segundo Elisabete Jacinto, estão ao "mais alto nível", levando na bagagem a ambição de "estar sempre entre os primeiros" nas provas em que vai estar presente.
"São provas bastante duras mas que gostamos imenso de participar. Temos as nossas ambições, que, naturalmente, passam sempre por ficar nos primeiros lugares. Vamos dar o nosso melhor. E é para isso que trabalhamos o ano inteiro. Esperemos que consigamos alcançar os nossos objetivos", finalizou a piloto portuguesa.

Agência de Notícias
[ + ]

Reforço de meios melhora Sapadores de Setúbal

Bombeiros mostraram novos equipamentos de socorro 

A Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal apresentou ontem, dia 29, no Largo José Afonso, novos veículos e contentores que conferem uma resposta mais ampla e de melhor qualidade na proteção e socorro da população. A Companhia  fez uma pequena demonstração pública da capacidade de intervenção de três viaturas adquiridas ao longo do segundo semestre, nomeadamente dos respetivos canhões de água e da grua que oferece maior manobrabilidade em situações, por exemplo, de movimentações de veículos sinistrados. “Do ponto de vista tecnológico é um avanço muito significativo, inclusivamente ao nível do próprio país”, disse a presidente da autarquia, Maria das Dores Meira, sobre os meios que apetrecham agora os bombeiros profissionais de Setúbal.  
Sapadores mostraram novos equipamentos à população 

Os veículos e os contentores foram adquiridos no âmbito de uma candidatura comunitária liderada pela Câmara Municipal de Setúbal e que se traduziu num investimento global de  dois milhões, 662 mil e 457,78 euros. Essa candidatura foi promovida através do QREN – Quadro de Referência Estratégico Nacional e enquadrada no Regulamento de Prevenção e Gestão de Riscos do Programa Operacional Temático Valorização do Território.
“Do ponto de vista tecnológico é um avanço muito significativo, inclusivamente ao nível do próprio País”, sublinhou a presidente da autarquia, Maria das Dores Meira, sobre os meios que apetrecham agora a Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal.
O investimento, que para a autarca constitui “mais uma afirmação de Setúbal como capital de distrito”, inclui, numa perspetiva mais impressionante, a aquisição de um veículo plataforma, habitualmente conhecido por autoescada, dotado de um braço extensível até 45 metros e de cesto com capacidade até cinco pessoas. Esta viatura, entre várias outras valências, está equipada com um canhão de água com capacidade de débito até 6 mil litros por minuto.
Na lista de novos veículos da Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal encontra-se também um especial de combate a incêndios, que se destaca pelos tanques de água, com capacidade de nove mil litros, e de espumífero, com um volume de mil litros.
A terceira viatura destina-se ao socorro e à assistência especial e foi desenhada a pensar especialmente para atuar em cenários de acidentes de viação, pelo que dispõe de todo o equipamento fundamental para a extração de vítimas encarceradas em viaturas ligeiras e pesadas.
Em qualquer um dos três veículos é possível manobrar alguns dos equipamentos disponíveis tanto no interior como no exterior ou ainda a partir de controlo remoto.

Sapadores vão admitir novos recrutas no final de 2015 
Novos equipamentos custaram mais de 2,6 milhões de euros 
A Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal, no âmbito do investimento feito através a candidatura designada por “Resiliência Setúbal +”, reequipou um contentor de intervenção química que é o único com capacidade de intervenção em acidentes com matérias químicas na área territorial entre as regiões do Centro/Sul e do Algarve.
Uma nova aquisição foi um contentor de busca e resgate em espaços colapsados, equipamento que, sublinhou o comandante, Paulo Lamego, pode servir tanto no espaço nacional, como no estrangeiro.
Paulo Lamego anunciou, ainda, que o esforço desenvolvido pela Câmara de Setúbal no apetrechamento tecnológico dos Sapadores fica concluído “dentro de um ou dois meses, altura em que será apresentado um veículo de combate a incêndios florestais”.
O comandante assegurou, igualmente, que o pessoal dos Sapadores de Setúbal tem recebido formação contínua no âmbito dos equipamentos adquiridos, embora seja necessário preceder ao reforço do contingente dos sapadores sadinos.
Questão que também está assinalada pela Autarquia. Maria das Dores Meira adiantou que “está a ser preparada, para o final de 2015, princípio de 2016, uma nova recruta de bombeiros”. A autarca salientou que a Câmara Municipal está quase a reunir as condições financeiras necessárias, “logo que fiquem liquidados vários investimentos realizados no âmbito do QREN, o que está para breve”.
Maria das Dores Meira garante que o que está em causa é apenas um reforço, em número, do corpo de sapadores e não da qualidade do atual contingente.
“Os nossos meios humanos são altamente qualificados e temos conseguido otimizar os recursos disponíveis através, por exemplo, do destacamento criado em Azeitão e do trabalho em conjunto desenvolvido com os Voluntários, que, embora não sejam profissionais, também têm um enorme valor”, conclui a chefe do executivo municipal.
Na apresentação dos equipamentos realizada esta segunda-feira marcaram presença, também, os vereadores André Martins e Carla Guerreiro, representantes de diferentes forças de segurança e vários populares.

Agência de Notícias
[ + ]

Grândola exige a reparação urgente da Estrada Nacional

Requalificação de estrada é fundamental para a autarquia 

O executivo municipal de Grândola aprovou uma moção a “exigir a reparação urgente do troço da Estrada Nacional 120, entre Alcácer do Sal e o município de Grândola, tendo em conta a “segurança rodoviária” e o “desenvolvimento regional”. O documento reafirma a preocupação da câmara municipal com o elevado estado de degradação em que se encontra aquele troço da Estrada Nacional 120, que “se agrava de dia para dia, afectando milhares de utentes” e “expondo-os ao perigo constante de acidente”. O executivo municipal adianta que continua “a aguardar o agendamento de uma reunião com o presidente do conselho de administração das Estradas de Portugal, solicitada em Fevereiro do presente ano”.
Estado da Estrada Nacional 120 preocupa autarcas de Grândola 

A Câmara de Grândola exige a requalificação urgente do troço entre a “vila morena” e Alcácer do Sal da Estrada Nacional 120.  A reivindicação surge numa moção aprovada recentemente por unanimidade pelo executivo da autarquia grandolense. No documento, a que o ADN teve acesso, o executivo liderado por António Figueira Mendes lembra que a situação já foi denunciada às autoridades competentes “por diversas vezes”, continuando ainda “sem resposta”. 
Igualmente sem retorno continua o pedido feito pela autarquia a 4 de Fevereiro deste ano para reunir com o presidente do conselho de administração da Estradas de Portugal (EP).
“Apesar de todas as tentativas e acções levadas a cabo pelas autarquias locais, Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral e comissões de utentes, o secretário de Estado das Infra-estruturas, Transportes e Comunicações e a Estradas de Portugal continuam a ignorar esta situação e os diversos apelos feitos, não assumindo as suas responsabilidades”, acrescenta a moção da Câmara de Grândola.
O estado da EN 120 entre Grândola e Alcácer do Sal há muito que preocupa autarcas e populações, que já se manifestaram por diversas vezes a exigir a requalificação da estrada.
De acordo com a Câmara de Grândola, a degradação da via é cada vez pior, “afectando milhares de utentes e expondo-os ao perigo constante de acidente”, além de colocar em causa “o desenvolvimento regional”.

Agência de Notícias

[ + ]

Barcos do Barreiro vão parar no dia 31 de Dezembro

Trabalhadores da Soflusa rejeitam alterações de horários

Os trabalhadores da Soflusa, empresa que faz a ligação fluvial entre o Barreiro e Lisboa, decidiram rejeitar as alterações de horários dos auxiliares de terra e ponderam avançar com uma paralisação laboral. Os funcionários realizaram, na tarde da passada sexta-feira, um plenário na estação fluvial do Barreiro e exigem, entre outros aspetos, que seja reposto o contingente adequado de mão-de-obra. Foi marcado um novo plenário para o dia 31 deste mês. "Vamos realizar um novo plenário, com paralisação de atividade, para analisar a resposta da empresa. Vamos também avançar já com um pré-aviso de greve para os auxiliares de terra, que será utilizado caso a situação não seja resolvida", anunciou a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações. 
Trabalhadores da Soflusa ameaçam fazer greve 

Os trabalhadores da Soflusa, empresa que faz a ligação fluvial entre o Barreiro e Lisboa, decidiram hoje rejeitar as alterações de horários dos auxiliares de terra e ponderam avançar para uma greve.
"Os trabalhadores rejeitaram no plenário de hoje as alterações de horários dos auxiliares de terra. Exigem que seja reposto o contingente adequado de trabalhadores, pois faltam três, e que [estes] sejam admitidos no quadro. Os trabalhadores exigem ainda que se mantenha a rotação de serviços no Barreiro e Lisboa", disse à agência Lusa Frederico Pereira, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans).
Os trabalhadores na tarde de sexta-feira um plenário na estação fluvial do Barreiro que levou à paralisação das ligações fluviais entre o Barreiro e Lisboa durante algumas horas. O dirigente sindical explicou que os trabalhadores vão dar conta das suas intenções à empresa e que marcaram um novo plenário para o último dia do ano. "Vamos realizar um novo plenário, com paralisação de atividade, para analisar a resposta da empresa. Vamos também avançar já com um pré-aviso de greve para os auxiliares de terra, que será utilizado caso a situação não seja resolvida", explicou.
Em declarações à Renascença, o coordenador nacional da Federação de Sindicatos dos Transportes, José Manuel Oliveira, critica o facto de a Soflusa estar a recorrer a empresas de trabalho temporário.
“A Soflusa prepara-se para um conjunto de medidas que visa continuar a entregar parte do trabalho a empresas de trabalho temporário. Nesse sentido, apresentou uma escala que os trabalhadores contestam. Aquilo que reivindicam é a manutenção da actual escala de serviço e que o serviço prestado pela Soflusa seja feito por efectivos da própria empresa”, disse José Manuel Oliveira.
De acordo com o responsável da Fectrans, “com esta administração tem havido, às vezes, capacidade de ultrapassar os problemas. Agora, sabemos que a própria administração está num quadro de alguma indefinição e não sabemos se isso vai ser uma limitação à sua acção nos próximos dias. Esperamos que não, esperamos que haja entendimento”, conclui José Manuel Oliveira.
A Soflusa é uma empresa do grupo Transtejo, que faz a ligação entre o Barreiro e Lisboa. A Transtejo é responsável pelas restantes ligações entre as duas margens do rio Tejo.

Agência de Notícias


[ + ]

Grândola vai esterilizar gatos vadios de Tróia

Objectivo é manter o número de animais controlado

A Câmara de Grândola vai avançar, no início de 2015, com um programa de esterilização de gatos e gatas vadios, na península de Tróia, para manter o número de animais controlado e reduzir as pragas de pulgas no Verão, afirmou na sexta-feira o veterinário municipal. A população de gatos “assilvestrados” naquela zona do concelho não está quantificada. No entanto, disse à agência Lusa o veterinário municipal, Pedro Sobral, responsável pela intervenção prevista, a situação “não é problemática”.O programa vai decorrer em articulação com um grupo de cidadãos interessado pela situação dos animais, cuja iniciativa levou à intervenção da autarquia. Na zona do Tróia Resort deverá haver actualmente, segundo a estimativa dos voluntários que os alimentam, entre 30 e 40 animais. 
Esterilizações avançam já em Janeiro promovidas pela autarquia

O município pretende, através do programa de esterilização, fazer o “controlo reprodutivo” dos animais e esta é a “altura ideal para fazer as cirurgias”, devido à redução da temperatura do ar, explicou o veterinário. Pedro Sobral sublinhou que os gatos não representam um “perigo”, mas que existem vantagens nesta intervenção, como a redução de pragas de pulgas e de carraças no Verão.
A iniciativa envolve a captura dos gatos com recurso a armadilhas - que consistem em caixas com comida no interior e se fecham com o animal no seu interior - e uma intervenção cirúrgica nos animais recolhidos, que são depois libertados à zona onde se encontravam. O veterinário municipal não indicou uma data para a conclusão do programa, mas disse que poderão ser realizadas “quatro ou cinco esterilizações por semana”.
O programa vai decorrer em articulação com um grupo de cidadãos interessado pela situação dos animais, cuja iniciativa levou à intervenção da autarquia, referiu Pedro Sobral. Para José Fidalgo, um dos elementos desse grupo, “a única forma de controlar a população de gatos é através de um programa de captura, esterilização e devolução, em que todas as partes” colaborem. Por isso, “lamenta” que o Troia Resort, empreendimento turístico instalado em Tróia, demonstre “indiferença” relativamente à situação.
José Fidalgo e a mulher deslocam-se há alguns anos, “todos os fins-de- semana”, do Pinhal Novo a Tróia, cerca de 100 kms para cada lado, para alimentar os gatos. Trata-se de uma “obrigação de qualquer cidadão”, afirmam. Em conjunto com outras pessoas, promoveram já a esterilização “de mais de uma dúzia de gatas” e facultaram tratamento a animais doentes.
Segundo este casal de Pinhal Novo, “sempre existiram gatos em Tróia” e houve uma altura em que a população esteve “completamente descontrolada”. Contudo, a acção dos voluntários e a mortalidade de um grande número de animais, devido a vários fcatores, levaram à diminuição das colónias.

Questão de "saúde pública" 
Na zona do Tróia Resort deverá haver actualmente, segundo a estimativa dos voluntários que os alimentam, entre 30 e 40 animais. José Fidalgo diz que, estando alimentados, os animais “não chateiam ninguém” e mantêm-se “mais afastados” do empreendimento turístico. Por esse motivo “espera” que os responsáveis do Tróia Resort “reconsiderem” e “se juntem” ao programa.
Contactado pela Lusa, o diretor-geral do Tróia Resort, João Madeira, classificou a colónia de gatos como “uma questão de saúde pública que preocupa” a empresa. “Estamos a acompanhar de perto [a questão] devido aos seus efeitos na qualidade de vida em Tróia, quer para os seus visitantes, quer para os seus moradores”, afirmou, felicitando a Câmara de Grândola “pelas medidas previstas”.
João Madeira considerou também “de extrema relevância” o contributo do grupo de cidadãos que tratam os gatos e as gatas de Tróia.

Agência de Notícias
[ + ]

Tarifário da água actualizado em 2015 em Alcochete

Autarquia aprova aumento da água para o próximo ano

Reunido em Sessão de Câmara descentralizada na  vila de Samouco, o executivo municipal de Alcochete aprovou, por unanimidade, a actualização de tarifários do serviço de água e saneamento para 2015. O tarifário que entra em vigor a partir desta quinta-feira está de acordo com a recomendação da ERSAR – Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos e com a legislação em vigor, visando, explica a autarquia de Alcochete, "atingir o equilíbrio financeiro e a recuperação dos investimentos da prestação dos serviços públicos de abastecimento de água, de drenagem de águas residuais e de gestão do serviço de recolha dos resíduos sólidos urbanos". 
Água vai ser mais cara em Alcochete em 2015 

O vereador com o pelouro da Água e Saneamento da Câmara de Alcochete salientou que a actualização das taxas é efectuada ao abrigo da lei mas que em “2015 existe uma panóplia de serviços auxiliares que vão deixar de ter qualquer custo para os utentes, nomeadamente, a ligação de novos contadores, ou seja, novos contratos, a mudança de titularidade, a execução de ramais de água e de esgoto, portanto são valores que vão deixar de ser cobrados para o ano” e acrescentou que a autarquia manteve as tarifas sociais e as tarifas para as famílias numerosas.
“Quando falamos em actualização de tarifas pensamos só na água, mas quando avaliamos uma factura verificamos que o peso das tarifas fixas à Simarsul e à Amarsul é superior do em relação à despesa com a água”, explicou o Vereador Jorge Giro.
“Neste plano tarifário e no que diz respeito à água per si tem 42 por cento de peso. No que diz respeito aos dois sistemas em conjunto tem um peso de 56 por cento ou seja, de facto os estudos de viabilidade económico-financeira tanto na Amarsul como na Simarsul têm de facto de ser revistos”, concluiu o vereador.
Recorde-se que a lei n.º 73/2013 de 3 de Setembro, estabelece que os preços a fixar pelos municípios relativos aos serviços prestados e aos bens fornecidos em gestão directa não devem ser inferiores aos custos directa e indirectamente, suportados com a prestação desses serviços e com o fornecimento desses bens.
Consulte aqui o Tarifário 2015 da água e saneamento da Câmara de Alcochete.

Agência de Notícias

[ + ]

Alcácer do Sal reduz despesa em 1,7 milhões de euros

Câmara reduz despesa com "redução muito significativa na receita"

A Câmara de Alcácer do Sal anunciou que, durante um ano, reduziu a despesa em cerca de 1,7 milhões de euros, o que foi acompanhado de diminuição de receita e dos pagamentos em atraso. Também face a igual período do ano de 2013, a autarquia reduziu os pagamentos em atraso no valor de 10,8 milhões de euros no capítulo de “dívidas a mais de 360 dias”. No que respeita às despesas, a “corrente” a 31 de Outubro de 2014 baixou 404,8 mil euros, constatando-se igualmente que, em igual período, os impostos diretos diminuíram 705 mil 205 euros. O presidente da autarquia refere que, no primeiro ano de mandato, a câmara passou a "evidenciar toda a despesa do município" e lamentou que, por parte da administração central, não esteja a haver o mesmo esforço de "redução dos encargos e da dívida" realizado pelos municípios.

Município reduz despesa pública em quase dois milhões  

Os dados referem-se ao período entre a entrada em funções do novo executivo municipal, liderado pela CDU, no final de Outubro de 2013, e o dia 31 de Outubro deste ano, durante o qual a despesa paga diminuiu em um milhão 748 mil 535 euros, divulgou o município do distrito de Setúbal em comunicado enviado ao ADN.  A despesa corrente, que inclui salários e benefícios dos funcionários e a aquisição de bens e serviços, entre outros gastos, baixou quase 405 mil euros, indicou a autarquia.
O presidente da Câmara de Alcácer do Sal, Vítor Proença, esclareceu à Lusa que a situação está relacionada com "uma redução muito significativa na receita", num montante "equivalente" ao da diminuição da despesa paga.
Devido ao "contexto económico e financeiro que o país atravessa e que toca todos os municípios", os impostos locais "baixaram consideravelmente", sustentou o autarca, dando o exemplo do Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT), cujo encaixe para o município diminuiu em cerca de um milhão de euros no período indicado.
Segundo o presidente da câmara do litoral alentejano, tal "obrigou a medidas de contenção", nomeadamente através da "renovação de todos os contratos" com fornecedores, em particular os "informáticos, de ´software` e das redes telefónicas".
A situação é justificada ainda com o encerramento do ciclo de fundos comunitários 2007-2013 e com "um esforço de redução dos pagamentos em atraso", referiu o autarca.
De acordo com informação do município, até 31 de Outubro, o novo executivo reduziu as "dívidas a mais de 360 dias" em cerca de 11 mil euros, enquanto, no capítulo das "dívidas a mais de 90 dias e até 360 dias", não havia valores a regularizar.
Vítor Proença indicou também que, no primeiro ano de mandato, a câmara passou a "evidenciar toda a despesa do município" e lamentou que, por parte da administração central, não esteja a haver o mesmo esforço de "redução dos encargos e da dívida" realizado pelos municípios.

Agência de Notícias
[ + ]

Sapadores de Setúbal têm novos equipamentos

Bombeiros apresentam novos equipamentos à população 

Novos veículos e equipamentos de proteção e socorro da Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal, adquiridos no âmbito de uma candidatura comunitária superior a 2,5 milhões de euros, são apresentados esta segunda-feira, às 11 horas, no Largo José Afonso. Uma viatura plataforma multiusos, com um alcance máximo, em altura, de 43 metros, é um dos veículos adquiridos através da candidatura “Resiliência Setúbal +” que é dado a conhecer à população, numa iniciativa na qual participa a presidente da Câmara de Setúbal, Maria das Dores Meira.
Sapadores de Setúbal com novos equipamentos de socorro 

Em demonstração durante a manhã de dia 29 estão outros dois novos veículos que reforçam a operacionalidade dos Sapadores setubalenses. Um é vocacionado para o ataque a incêndios industriais, enquanto o outro alarga a intervenção em teatros de operações rodoviários.
Três novos contentores logísticos, um dos quais com um conjunto de materiais modernos para salvamento e resgate, a par de um quarto contentor químico reativado e reequipado, figuram igualmente no leque de novos equipamentos ao dispor dos Sapadores para a proteção da população do concelho de Setúbal.
O recheio do modernizado Centro Municipal de Operações de Socorro, assim como 65 equipamentos de comunicação SIRESP – Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal, alguns em exposição nesta iniciativa, são outros equipamentos adquiridos no âmbito do “Resiliência Setúbal +”.
A candidatura comunitária liderada pela Autarquia de Setúbal, um investimento global de 2 milhões, 662 mil e 457 euros, que inclui outros meios, foi promovida no âmbito do QREN – Quadro de Referência Estratégico Nacional e enquadrada no Regulamento de Prevenção e Gestão de Riscos do Programa Operacional Temático Valorização do Território.

Agência de Notícias
[ + ]

Pescadores de Setúbal querem manter quota da sardinha

Pescadores do distrito de Setúbal querem mais sardinha e menos carapau 

A Cooperativa de Pesca de Setúbal, Sesimbra e Sines (SESIBAL), defendeu ontem que o país não precisava do aumento da quota de pesca do carapau, anunciado pela ministra da Agricultura e Pescas, mas de manter as capturas de sardinha. "A quota de captura do carapau que temos é mais do que suficiente, o problema é o escoamento do pescado", disse à Lusa Ricardo Santos, da SESIBAL, que considerou desnecessário o aumento da quota anunciado na semana passada por Assunção Cristas, em Bruxelas. A eventual redução da quota de pesca da sardinha poderá ter como resultado o "despedimento de muitos trabalhadores e o encerramento de diversas empresas de pesca", alerta o responsável da SESIBAL. 

Pescadores defendem a manutenção da cota de sardinha 

Por outro lado, dizem os pescadores do distrito, "não conseguimos compreender como é que Portugal está a importar 16 milhões de euros de carapau, como também disse a senhora ministra, quando nós [SESIBAL] há muito tempo que estamos a dar toneladas de carapau fresco a diversas instituições de solidariedade social, como a Casa do Gaiato e o Banco Alimentar, por ausência de compradores", acrescentou Ricardo Santos.
O dirigente da SESIBAL disse ainda que "uma política de pescas que tivesse incentivos adequados permitiria que o país fosse exportador [em vez de importador] de pescado fresco".
No passado dia 16 de Dezembro, após a reunião do Conselho de Pescas, em que a União Europeia fechou o acordo sobre as capturas para 2015 e repartição de quotas pelos Estados-membros, a ministra Assunção Cristas afirmou-se e satisfeita com o desfecho das negociações sobre as possibilidades de pesca para 2015, afirmando que o aumento de 18 por cento das quotas representava "o melhor resultado de sempre" para Portugal.
Na ocasião, a ministra salientou também o "aumento relevante do carapau", de 67 por cento, que, segundo disse, permitirá que o país deixe de importar cerca de 16 milhões de euros daquele tipo de pescado.
Mas se para a SESIBAL o referido aumento da quota de carapau era desnecessário, já a manutenção da quota de pesca da sardinha (20 mil toneladas) é fundamental para o setor, sob pena de encerramento de muitas empresas, que "não vão conseguir manter-se em atividade".
De acordo com Ricardo Santos, "temos indicações de que as negociações sobre a quota de sardinha - que ainda não estarão fechadas - se encaminham para uma redução da quota portuguesa para 14 mil toneladas, mas precisamos no mínimo das 20 mil toneladas para a safra de 2015", disse o dirigente da Cooperativa de Pesca de Setúbal, Sesimbra e Sines.
"Há cinco anos Portugal pescava 40 mil toneladas de sardinha. Já não temos mais nada para ceder", disse Ricardo Santos, acrescentando que a eventual redução da quota de pesca da sardinha poderá ter como resultado o "despedimento de muitos trabalhadores e o encerramento de diversas empresas de pesca".


[ + ]

Septuagenários casam-se em Santiago do Cacém

A história de um amor sem idade em S. Domingos 

Esta é a história de dois amantes que resolveram casar, pela igreja, em Dezembro deste ano. Seria uma história normal se os agora "marido e mulher" não tivessem mais de 70 anos. Conheceram-se nos "bailaricos" de Santiago do Cacém e foi logo "amor à primeira vista" e ao "primeiro pézinho de dança". Namoraram e, relata o noivo de 79 anos, que a sua "amada" não queria casar. Ele ficou triste, quase desistiu de recomeçar uma nova vida a dois mas... um dia a sua amada, de 73 anos, disse o tão "esperado sim". Ele e ela felizes, casaram logo pelo registo civil em Santiago do Cacém, em 2012. Mas faltava cumprir o matrimónio "aos olhos de Deus". O sonho realizou-se uma semana antes do Natal e o casal promete "cuidar um do outro na alegria e na tristeza" para sempre. E adoram "viver juntos". O amor, afinal, não tem idade. 
Casal casou-se no passado dia 18 de Dezembro em S. Domingos

Norberto Zorrinho, de 79 anos, e Laura Andrade, de 73, concretizaram um sonho de realizar o seu casamento religioso, que aconteceu no dia 18 de Dezembro no Centro de Dia de S. Domingos. Recorde-se que este casal casou em 2012 na Conservatória do Registo Civil de Santiago do Cacém, e agora conseguiram concretizar o casamento religioso.
Porque o amor não tem idade, este casal não desistiu e fortaleceu os laços matrimoniais com esta cerimónia.
Conheceram-se nos “bailaricos” e segundo o noivo “foi amor à primeira vista, mas convencê-la a casar é que não foi muito fácil, porque ela não queria e eu já estava desanimado”. A noiva, que casou pela primeira vez aos 19 anos, teve uma vida muito difícil, mas hoje sente-se “muito feliz”. 
Os noivos [agora marido e mulher] reconhecem que “viver bem acompanhado é muito bom”.

[ + ]

Academias Seniores festejam Natal no Montijo

Natal festejado em grande nas universidades seniores do concelho 

No dia 18 de Dezembro, no salão da Sociedade Recreativa de São João das Craveiras em Pegões, realizou-se a Festa de Natal da Academia Sénior de Pegões e Canha no âmbito do Projeto Junto de Si. No dia seguinte, na sede do Águias Negras Futebol Clube foi a vez da Academia Sénior da Atalaia e do Alto Estanqueiro Jardia do Projeto Junto de Si, realizar a sua Festa de Natal. O chefe do executivo montijense deixou o desejo que o próximo ano traga “mais oportunidades a todos, uma sociedade mais solidária, que garanta os direitos e as liberdades fundamentais e a cidadania plena para todos”, disse Nuno Canta. 
Alunos das universidades seniores do Montijo estiveram em festa 

Ambas as iniciativas contaram com a presença do presidente da Câmara do Montijo, Nuno Canta e a vereadora Maria Clara Silva.
Nas festividades, o presidente enalteceu o trabalho dos alunos das Academias e demonstrou orgulho no trabalho voluntário levado a cabo pelos professores.
Nuno Canta recordou, ainda, que nesta época natalícia “é tempo de reforçar o valor da liberdade, da igualdade, da fraternidade, que todos nós herdámos da revolução francesa, e que constitui hoje a matriz de uma sociedade mais justa e mais tolerante”.
O chefe do executivo montijense deixou o desejo que o próximo ano traga “mais oportunidades a todos, uma sociedade mais solidária, que garanta os direitos e as liberdades fundamentais e a cidadania plena para todos”.
O programa da Academia Sénior de Pegões e Canha teve início com uma mensagem de Natal, que contou com a participação dos alunos do Atelier de Língua Portuguesa. A tarde foi preenchida com grande diversidade musical, que incluiu as atuações de Inês Gois (que participou no The Voice Portugal), da Tuna Académica da Universidade Sénior de Montemor-o-Novo, de João Merino (cantor lírico), da Tuna Académica da Universidade Sénior do Montijo, do Coro da Academia Sénior de Pegões, de Marina Pereira e da cantora Marisa Mota.
Na festa de Natal da Academia Sénior do Alto Estanqueiro Jardia do Projeto Junto de Si, a música e a dança estiveram em destaque com as actuações do grupo de estudantes de Acordeão “Foles e Harmonia”, sob a orientação do professor Sérgio Pastor, do grupo Dance 4 You - Zumba Kids orientados por Ana Simões e do Grupo Moove it Crew de Hip Hop, orientado pela professora Carolina Petronilho.
Houve ainda espaço para leituras de poemas de Natal por alunos da Academia. A grande surpresa da noite estava reservado para o final com a atuação do coro da Academia Sénior, que embora recém formado, mostrou grande qualidade.

Agência de Notícias
[ + ]

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010