Dá um Gosto ao ADN

Barreiro madrugou para ver McNamara surfar no Tejo

Garrett McNamara "dominou" onda com mais de 100 metros de comprimento 

Eram apenas sete horas da manhã e já uma pequena multidão se concentrava na praia do Bico do Mexilhoeiro, no Barreiro, - a maioria de máquina fotográfica em riste - atraída pela popularidade do surfista norte-americano Garrett McNamara. O surfista gostou, divertiu-se e teve dificuldades em surfar "as bravas ondas do Barreiro". O video documental vai correr mundo e... o Barreiro - e Portugal - espera potencializar "as suas ondas". 

McNamara divertiu-se nas ondas do Barreiro 

O mesmo que é conhecido no mundo por surfar ondas gigantes, mas que ontem foi experimentar as ondas artificiais do Tejo, formadas à "boleia" da passagem dos catamarãs que ligam o Barreiro ao Terreiro do Paço, em Lisboa.
"Diverti-me nestas ondas que podem ser aproveitadas para que muitos miúdos aprendam a fazer surf", sublinhou McNamara, após cerca de duas horas dentro de água, onde apanhou "meia dúzia" de ondas, às quais foi dado o nome de "Gasoline" pelos jovens que há uns anos descobriram o potencial proporcionado pelos barcos.
O surfista veterano, detentor do recorde de ter surfado a maior onda do mundo, de 30 metros, na Nazaré, explicou que a Gasoline é muito diferente, pois, apesar de ser notoriamente “mais pequena”, é “muito longa”, sendo este um dos grandes trunfos da onda do Barreiro, capaz de rolar ao longo de 150 metros em potencial máximo.
Garrett McNamara, depois de várias tentativas, nem sempre bem-sucedidas, para surfar a vaga do Tejo, realçou que apanhar ondas na Praia do Bico do Mexilhoeiro não é fácil e que se não tivesse o presidente da Associação Gasoline, Ricardo Carrajola, a dar-lhe “dicas de como se posicionar” teria “sérias dificuldades”.
Esta experiência permitiu a McNamara concretizar um sonho antigo – surfar uma onda que quebrasse no rio – e prometeu voltar ao Barreiro um dia destes.

Surf é “uma aposta para continuar”

A iniciativa faz parte do projecto McNamara Surf Trip, apresentado nesta terça-feira no Barreiro, desenvolvido em parceria com o Turismo de Portugal e que vai levar o surfista havaiano a 21 praias portuguesas para produzir um documentário, dividido em 14 vídeos de três minutos, no qual o surfista divulga os seus spots favoritos de surf em Portugal. O público-alvo desta acção promocional do país serão os adeptos estrangeiros desta prática. O documentário, que obrigou a um investimento de 200 mil euros, será lançado no WCT PRO Portugal, que ocorrerá em Peniche entre 8 e 19 de Outubro.
Para João Cotrim de Figueiredo, presidente do Turismo de Portugal, o surf é “uma aposta para continuar”, uma vez que Portugal “começa a ser conhecido como um dos destinos mais importantes do surf mundial”.
“O surf vai ser para Portugal uma âncora de comunicação e o número de pessoas que se juntaram aqui às 7h da manhã para assistir à iniciativa demonstra o interesse que a modalidade já desperta”, destacou o líder do Turismo de Portugal.

Uma onda rara e com segredos 
Aposta no surf em Portugal começa a ser cartaz turístico 
Ricardo Carrajola, presidente da Associação Gasoline, admitiu que descobrir que era possível surfar no Tejo foi fruto de “um trabalho de persistência” feito ao longo de dez anos, durante os quais estudou “as marés e as ondas”. De acordo com o surfista barreirense, a onda perfeita gera-se quando está “maré vazia”, é “hora de ponta” dos catamarãs e existe “pouco vento”. Para Carrajola, o principal objectivo da divulgação da Gasoline é “partilhar com toda gente o segredo do Tejo”. “Existem coisas que só fazem sentido quando são partilhadas”, salientou.
A prestação de Garrett McNamara foi, para o presidente da Associação Gasoline, “excelente”, sobretudo porque “foi a sua primeira experiência” no Tejo e o posicionamento indicado para surfar a onda gerada pelos barcos que fazem a travessia do rio é “bastante diferente do mar”.
Ricardo Carrajola espera que a visita de Garrett McNamara ao Barreiro traga uma “maior visibilidade” à sua associação e à escola de surf, inaugurada em 2013, que lhes permita encontrar “investidores para o projecto”, criado com fins sociais, para permitir às crianças e jovens mais desfavorecidas do concelho iniciar-se na modalidade.

Potencializar o Barreiro 
Barreiro espera que as suas "ondas" sejam conhecidas no mundo 

Carlos Humberto, presidente da Câmara do Barreiro, enalteceu a iniciativa de divulgar um dos “segredos mais bem guardados da cidade”, que irá possibilitar “um aumento do número de praticantes de surf no Tejo”, bem como “trazer mais pessoas e projectar o nome da cidade” a nível nacional e internacional.
Carlos Humberto sublinhou, ainda, a “criatividade” dos jovens do Barreiro em "descobrirem as ondas Gasoline dos catamarãs", que ligam a cidade à capital portuguesa.
Jorge Balau, proprietário de uma escola de kitesurf na Costa da Caparica, partilhou as ondas do Barreiro com McNamara. No final, admitiu que surfar no Barreiro com um dos maiores nomes do surf mundial o deixou “ansioso”, mas também lhe possibilitou uma “experiência inesquecível”, “uma história para guardar e, mais tarde, partilhar com os filhos, ainda pequenos, e os netos que um dia virão”.
Para além dos jornalistas, foram mais de cinco dezenas os populares, de idades diversas, que não quiseram deixar de assistir, apesar da hora, 7 horas, à iniciativa, que levou o surfista mais conhecido do mundo ao Barreiro.



[ + ]

Greve na Amarsul condiciona recolha de lixo no distrito

Paralisação de dois dias na recolha de lixo na Península de Setúbal  

Os trabalhadores da Amarsul, empresa responsável pelo tratamento e valorização dos resíduos dos nove municípios da península de Setúbal, estão em greve nesta quarta-feira e na sexta-feira. As autarquias abrangidas admitem que a recolha do lixo pode ficar condicionada e pedem aos munícipes que evitem depositar resíduos na via pública. O assunto será debatido, por iniciativa do grupo parlamentar Os Verdes, na próxima sexta-feira na Assembleia da República. 


Península de Setúbal sem recolha de lixo até domingo 

O protesto, convocado pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local e Regional, dura entre a meia-noite e as 24 horas nesta quarta e na sexta-feira, uma vez que na quinta-feira é feriado e não há habitualmente recolha. Os trabalhadores manifestam-se em defesa dos postos de trabalho e contra a privatização da Empresa Geral do Fomento (EGF), sub-holding do grupo estatal Águas de Portugal para o sector dos resíduos. A EGF é accionista maioritária das empresas responsáveis pelos 11 sistemas multimunicipais de gestão de lixos urbanos, entre as quais está a Amarsul.
Em comunicado, o STAL diz que o objectivo da greve é “travar a privatização da EGF, processo já iniciado pelo Governo, à revelia dos trabalhadores e dos municípios, que detêm 49 por cento do capital da Amarsul”. Os trabalhadores protestam também contra os cortes nos salários e na remuneração das horas extraordinárias, pelo direito ao descanso compensatório e pelo cumprimento do acordo de empresa.
A paralisação deverá afectar a recolha de lixo nos municípios servidos pela Amarsul – Seixal, Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Sesimbra e Setúbal. A empresa assegura a recolha selectiva e valorização dos materiais recicláveis naqueles concelhos e é também responsável pela gestão dos aterros sanitários para onde são enviados os resíduos sólidos urbanos produzidos naquela zona.

Municípios querem travar privatização 
Para Álvaro Amaro, presidente da Câmara de Palmela, "esta intenção subverte e contraria as condições que levaram os Municípios da Península de Setúbal a participar no capital social 100 por cento público da Amarsul, e transforma o serviço público de gestão e tratamento de resíduos urbanos num negócio que apenas visa o lucro, com inevitáveis aumentos de tarifas e graves prejuízos para os trabalhadores da própria empresa, para as populações, para a região e para o país", refere um comunicado daquela autarquia. 
Para o Município da Moita - outra das autarquias sócias da Amarsul - a privatização da EGF “representará uma perda ainda maior da capacidade de intervenção e decisão dos Municípios num setor fundamental para os interesses das populações. É uma ameaça à autonomia dos Municípios no que se refere à fixação das tarifas pelo serviço prestado às populações, que passa a ter que obedecer às orientações fixadas pela Entidade Reguladora neste domínio, sobrepondo-se, de forma ilegal e antidemocrática, às competências e responsabilidades próprias definidas na Lei para os Municípios".
De acordo com a Câmara da Moita, "as populações, os munícipes e os utentes dos sistemas de recolha de resíduos sólidos serão os mais prejudicados com este processo, com um eventual, e mais do que certo, aumento de tarifas e, consequentemente como em qualquer privatização, com a paralela diminuição da qualidade do serviço prestado para fazer baixar todos os custos”. 
A Moita - tal como as restantes nove câmaras - exige que o Governo se "disponibilize para aprofundar o diálogo com os Municípios da Península de Setúbal, no sentido de encontrar uma solução adequada ao futuro da Amarsul".  
A Câmara do Seixal faz o mesmo apelo. “O município está solidário com a luta dos trabalhadores desta empresa pública, que perante o cenário de privatização da empresa e entrega do património público aos grandes grupos económicos e financeiros, foram obrigados a convocar esta greve”, escreve a autarquia em comunicado.

Câmaras apelam à compreensão da população 
Câmaras querem evitar acumulação de lixo nos caixotes 
Em comunicado, a Câmara do Barreiro diz que irá reforçar a recolha de lixo antes e depois da greve. “Tendo em conta que, durante o período da greve, poderá não ser possível depositar os resíduos recolhidos no Ecoparque [de Palmela], a autarquia apela à compreensão e colaboração de todos, uma vez que esta situação poderá provocar dificuldades na recolha” de lixo. A autarquia salienta que “apoia as reivindicações dos trabalhadores da Amarsul e tem também manifestado, através de diversas formas, a sua oposição relativamente à privatização do sistema de recolha de resíduos”.Também a Câmara de Almada emitiu um comunicado no qual alerta para os efeitos da paralisação. “A recolha da reciclagem nos ecopontos também poderá ser afectada entre os dias 30 de Abril [quarta-feira] e 4 de Maio [domingo], uma vez que a Amarsul é responsável pela recolha selectiva de papel, vidro e embalagens”, lê-se na nota. A autarquia, que também se tem oposto à privatização da EGF, apela à compreensão da população e pede que não sejam depositados resíduos na via pública.
O gabinete de imprensa da Câmara de Palmela diz que a autarquia "reforçará a recolha nos dias que antecedem e que se seguem à greve. No entanto, para prevenir acumulação de resíduos junto aos contentores nas datas do protesto, apela-se aos Munícipes que evitem, tanto quanto possível, depositar lixo nesse período e, em caso de necessidade, procedam à deposição responsável, em sacos bem fechados". 
A autarquia sublinha ainda que "Palmela e demais municípios acionistas da Amarsul manifestaram, já, a sua posição contra a privatização dos serviços públicos de resíduos e, em particular, contra a privatização da EGF, solidarizando-se com a luta dos trabalhadores da Amarsul". 
Na Moita, Montijo, Alcochete, Sesimbra e Setúbal também é pedido à população que "não coloque o lixo nos contentores até a recolha estar normalizada". O que só deverá de acontecer na madrugada da próxima segunda-feira.

Os Verdes levam assunto a debate no Parlamento a 2 de Maio 
Na Assembleia da República o assunto também não é esquecido. O grupo parlamentar de “Os Verdes” entregou no parlamento um projeto de lei para revogar o processo de privatização da Empresa Geral do Fomento, que em conjunto com os municípios é responsável pela recolha, tratamento e valorização dos resíduos.
“O setor dos resíduos foi alvo de grandes investimentos públicos que o Governo se prepara para oferecer aos privados. O Governo preparou, ainda, uma política tarifária onde a ERSAR (Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos) fixa os preços e as autarquias são obrigadas a cobrá-los, mesmo discordando deles e mesmo que prejudiquem as populações”, refere o texto do projeto de lei hoje divulgado. O projeto de lei será discutido na Assembleia da República na próxima sexta-feira, dia 2 de Maio.
“A evidência do prejuízo que resultaria da privatização da EGF é de tal ordem que o Governo está isolado nessa intenção, tendo os autarcas, ambientalistas e trabalhadores contra a sua decisão”, acrescenta o partido.

[ + ]

Academia Sénior de Pegões completou 2 anos

"Projecto importante no combate à exclusão social das freguesias rurais”


Foi em clima de festa que a Academia Sénior do Projeto Junto de Si comemorou, dia 28 de Abril, dois anos de existência, no auditório da União de Freguesias de Pegões, no concelho do Montijo. A Academia conta com 143 alunos dos 50 aos 86 anos. 

Nuno Canta distinguiu a aluna mais velha da Academia. Tem 86 anos

Nuno Canta, presidente da Câmara do Montijo, enalteceu o projeto “particularmente importante no combate à exclusão social das freguesias rurais”.
Para o chefe do executivo, “as políticas da autarquia direcionadas para o envelhecimento ativo, como a universidade sénior, as academias seniores, o projeto Junto de Si, enquadram-se numa visão de desenvolvimento, que não esquece a dimensão cultural e do conhecimento ao longo da vida das pessoas, com vista a uma vida com qualidade e dignidade”, disse Nuno Canta.
“É a cultura, o conhecimento, a criação e a arte, que nos junta a todos, para transformar Montijo num lugar de vida e de vida com futuro”, sublinhou o presidente.
Durante a tarde, marcada por uma animação contagiante, decorreram várias iniciativas. Joaquim Leandro e Odete Ângelo, apresentaram um apontamento sentido sobre a maneira como vêem a Academia e a importância que esta representa nas suas vidas.
Depois da apresentação de um vídeo dedicado aos dois anos de existência da Academia foi distinguida a aluna Alice Matos, de 86 anos, pela sua participação na academia, bem como os seis formadores, voluntários, que dão vida aos ateliers existentes.
Foi, ainda, inaugurada a exposição “Experiências vividas com o olhar no futuro” com os trabalhos dos artesãos José Almeida (aluno da academia) e José Gabriel (formador da academiados ateliers de inglês e informática. A mostra, patente até 9 de Maio, resulta de uma parceria entre a academia e a União de Freguesias de Pegões.
Recorde-se, que a Academia Sénior com sede na União de Freguesias de Pegões conta com 143 inscritos, entre os 50 e os 86 anos, nos seguinte atelieres: animação desportiva e cognitiva, informática, língua portuguesa, atelier de leitura em voz alta, bordados, artes decorativas, inglês, teatro e música.

[ + ]

Centro sociocultural inaugurado em Setúbal

 “Um importante contributo para a coesão social”

O Centro Sociocultural Elmano Sadino foi inaugurado no sábado à tarde, na freguesia de S. Sebastião, em Setúbal, após obras no valor de 200 mil euros. O novo espaço recebe a Cruz Vermelha,  Espaço Integrar, Núcleo de Poesia de Setúbal, Teatro do Elefante e terá ainda um serviço de apoio domiciliário, uma enfermaria e um refeitório social. 

Setúbal inaugurou Centro Sociocultural Elmano Sadino

“Este é mais uma obra do poder local democrático, o grande autor das transformações ocorridas por todo o país nestes 40 anos de Abril”, sublinhou a presidente da Câmara de Setúbal, Maria das Dores Meira, na abertura do centro, instalado no imóvel do antigo Centro de Saúde da Terroa.
“De um espaço abandonado pelo Estado, a Câmara Municipal de Setúbal e a Junta de Freguesia de S. Sebastião fizeram um centro cultural destinado primordialmente a servir as populações que aqui vivem”, enalteceu a autarca, ao destacar a importância do trabalho do poder local.
O espaço, composto por 16 salas, um auditório e uma sala de reuniões, aposta na dinamização de projetos e atividades comuns desenvolvidas para a comunidade pela Cruz Vermelha Portuguesa [delegação de Setúbal], Espaço Integrar, Núcleo de Poesia de Setúbal e Teatro do Elefante, entidades residentes no centro.
O presidente da Junta de Freguesia de S. Sebastião, Nuno Costa, ao afirmar que o centro materializa “um importante contributo para a coesão social”, destacou a abrangência do projeto. “É uma resposta integrada que aposta num espírito de proximidade com a comunidade local”.
Para o Centro Sociocultural Elmano Sadino, que pode “servir as populações de outras áreas do concelho”, explicou o autarca, está a ser estudada a criação de um conjunto de valências de índole social e da área da saúde, nomeadamente um “serviço de apoio domiciliário, uma enfermaria e um refeitório social”.
A cerimónia de inauguração do centro, no âmbito das comemorações locais dos 40 anos do 25 de Abril, incluiu o apontamento cénico “Abril Cravos Mil”, pelo Teatro do Elefante, produção com a participação de estagiárias da Escola Técnica da Moita.

[ + ]

Alcochete reforça transporte nas áreas rurais

Câmara adquire mini autocarro para reforçar transporte nas áreas rurais

A Câmara de Alcochete aumentou a sua capacidade de resposta e de apoio social no território rural com a aquisição de um mini autocarro, com capacidade para 16 lugares. O novo autocarro vai, em parte, ajudar a atenuar o isolamento e os problemas dos cidadãos que residem em áreas rurais do concelho. Ainda em Alcochete, o executivo aprovou recentemente, por unanimidade, o projecto de Regulamento Municipal do Regime de Ocupação do Espaço Público e de Afixação e Inscrição de Publicidade.

Habitantes das zonas rurais vão ter ajuda no transporte 

O transporte de crianças e jovens em idade de escolaridade obrigatória, a promoção regular de actividades de animação sociocultural e de projectos como o “Vem à Vila” e o “Serviço de Proximidade” são algumas das acções que a Autarquia poderá reforçar nas áreas rurais com este transporte. 
Passil, Monte Laranjo, Cilha Queimada, Rilvas, Fonte da Senhora, Pinhal do Concelho e Barroca d’Alva são as principais zonas rurais que vão beneficiar com o mini autocarro, um investimento resultante de uma candidatura apresentada pela Câmara Municipal ao abrigo do Programa de Desenvolvimento Rural (PRODER) que representou um custo total de 36 mil 321 euros, dos quais 14 mil 174 euros são suportados pela Autarquia e os restantes 22 mil 147 euros são comparticipados no âmbito do PRODER.
"A escassez de transportes públicos, a precariedade dos caminhos rurais, o isolamento, a insuficiência ou a dificuldade de acesso a serviços tão essenciais como centros de saúde, CTT’s, escolas ou farmácias são problemas transversais aos cidadãos que residem em áreas rurais e que a Autarquia pretende atenuar através de uma intervenção articulada e dirigida principalmente às crianças, jovens e idosos", disse a autarquia de Alcochete em comunicado.

Câmara implementa regras de ocupação de espaço público 
Ocupação de espaços públicos com novas regras em Alcochete 
A Câmara  de Alcochete aprovou, por unanimidade, na Reunião de Câmara, o projecto de Regulamento Municipal do Regime de Ocupação do Espaço Público e de Afixação e Inscrição de Publicidade. 
O presidente da Câmara explicou que este projecto de regulamento tem como objectivo “adequar a nossa estrutura regulamentar ao diploma legal que instituiu o “Licenciamento zero”, e que foi sujeito a um processo de consulta pública, no âmbito do qual resultaram alguns contributos e que foram acolhidos e integrados neste projecto de regulamento”, diz Luís Miguel Franco.
A iniciativa “Licenciamento Zero” materializada no decreto-lei n.º 48/2011, 1 de Abril, pretende simplificar do regime de exercício de diversas actividades económicas e reduzir os encargos administrativos sobre os cidadãos e empresas.
Neste contexto foi identificada a necessidade de se definirem procedimentos e critérios que visem assegurar a conveniente utilização do espaço público pelos cidadãos e empresas, no âmbito da sua actividade comercial ou de prestação de serviços.
A Câmara Municipal tem tentado “sensibilizar os proprietários de estabelecimentos de restauração e bebida no sentido de harmonizarem as suas cadeiras, mesas e toldos com o Plano de Sinalética e de Mobiliário Urbano”, referiu Luís Miguel Franco.
“Quando a Câmara está a investir na qualificação do espaço público, que é factor de dinamização do comércio e da economia, devemos também exigir, a quem é beneficiário dessa valorização, que também de alguma forma invista na qualificação dos materiais que coloca à disposição dos seus clientes e que se encontram no espaço público”, acrescentou o Autarca.
Este regulamento reúne num único instrumento as regras aplicáveis à inscrição e afixação de publicidade, assim como as que se referem à ocupação do espaço público no Município de Alcochete, tendo em conta factores importantes como a estética, o enquadramento urbanístico e ambiental, bem como a segurança.
O projecto de Regulamento Municipal do Regime de Ocupação do Espaço público e de Afixação e Inscrição de Publicidade vai ser enviado para a Assembleia Municipal para deliberação.


[ + ]

Palmela homenageia corporações de bombeiros

Palmela testa meios de emergência em mês dedicado ao Bombeiro

A Câmara de Palmela e as Associações de Bombeiros Voluntários do Concelho (Palmela, Pinhal Novo e Águas de Moura) assinalam o Dia Municipal do Bombeiro ao longo de todo o mês de Maio, com um programa que sublinha o trabalho desenvolvido pelos soldados da paz em prol da comunidade e promove a cultura de segurança, diz o gabinete de imprensa da autarquia. 

Bombeiros do concelho de Palmela realizam 8 simulacros em Maio

A organização - este ano, a cargo da corporação de Palmela, por rotatividade - continua a apostar na segurança nas escolas e espaços públicos, com a realização de sete simulacros de incêndio em estabelecimentos de ensino do 1º ciclo do ensino básico e de um simulacro na principal sala de espetáculos do concelho, o Cineteatro S. João, em Palmela.
À semelhança dos anos anteriores, o programa integra, também, iniciativas que promovem o convívio e a troca de experiências entre as corporações, nomeadamente, o Torneio de Futsal Ricardo Gomes, um passeio de cicloturismo pela secção desportiva dos Bombeiros de Palmela, um jogo de futebol entre os veteranos do Palmelense Futebol Clube e uma Seleção de Bombeiros do Concelho, as Jornadas Tecnológicas “Novas Tecnologias de Reanimação” e exercícios de atuação conjunta, envolvendo todos os agentes de Proteção Civil do concelho.
O encerramento das comemorações decorre no dia 31 de Maio, no Largo de S. João, em Palmela, com uma exposição de viaturas de socorro e de combate a incêndios, a receção às entidades oficiais, o desfile apeado e motorizado, a sessão solene de homenagem aos bombeiros do concelho, no Cineteatro S. João, e um almoço convívio, que reúne direções, comando e corpos ativos das Associações de Bombeiros.
"Na sessão solene, será apresentada publicamente a Academia da Proteção Civil e o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido para concretizar este projeto estratégico do atual mandato, em matéria de Proteção Civil", conclui o comunicado da Câmara de Palmela.

Programa do Dia Municipal do Bombeiro

01 de maio | Pinhal Novo

10h30Comemorações do 63º Aniversário dos Bombeiros de Pinhal Novo

02 de maio  | Quinta do Anjo

11h00Simulacro de incêndio na Escola Básica António de Matos Fortuna – envolvendo todos os agentes de Proteção Civil

04 de maio | Pinhal Novo

08h00
Torneio de Futsal Ricardo Gomes (Interbombeiros)
Local: Pavilhão Municipal de Pinhal Novo

5 de maio | Pinhal Novo

11h00Simulacro de incêndio na Escola Básica de João Eduardo Xavier – envolvendo todos os agentes de Proteção Civil

06 de maio | Cajados

11h00Simulacro de incêndio na Escola Básica de Cajados – envolvendo todos os agentes de Proteção Civil 

08 de maio  | Palhota

11h00Simulacro de incêndio na Escola Básica de Palhota – envolvendo todos os agentes de Proteção Civil

10 de maio | Palmela

09h00

Passeio de Cicloturismo pela secção desportiva dos Bombeiros de Palmela
Local de encontro: Quartel dos Bombeiros de Palmela

11 de maio | Palmela

09h00Demonstração da Escola de Infantes, Cadetes e Estagiários
Promoções  - Bombeiros de Palmela 
Local: Largo de S. João

13 de maio | Brejos do Assa

11h00Simulacro de incêndio no Escola Básica de Brejos do Assa 1 – envolvendo todos os agentes de Proteção Civil

15 de maio | Palmela

19h00
Jogo de futebol entre os veteranos do Palmelense Futebol Clube e uma Seleção de Bombeiros do Concelho
Local: Campo de Jogos de Palmela

17 de maio | Palmela

09h00Jornadas tecnológicas “Novas Tecnologias de Reanimação”
Local: Auditório da Biblioteca de Palmela
(Ver programa próprio)
18h00Exercício de atuação conjunto envolvendo as três Corporações de Bombeiros do Concelho

18 de maio | Pinhal Novo

13h00Almoço convívio dos antigos bombeiros de Pinhal Novo

21 de maio | Palmela

10h30Simulacro Cineteatro São João – envolvendo todos os agentes de Proteção Civil

27 de maio | Pinhal Novo

11h00Simulacro de incêndio no Escola Básica Zeca Afonso – envolvendo todos os agentes de Proteção Civil

29 de maio | Poceirão

11h00Simulacro de incêndio no Escola Básica José Saramago – envolvendo todos os agentes de Proteção Civil

31 de maio | Palmela

08h00Hastear de bandeiras com toque de sirene nos quartéis dos Bombeiros de Palmela, Pinhal Novo e Águas de Moura

09h30Exposição de viaturas de socorro e de combate a incêndios
Local: Largo de S. João, Palmela
10h30Receção às entidades oficiais
Local: Largo de S. João, Palmela
11h00Desfile apeado e motorizado
Local: Largo de S. João, Palmela
12h00Sessão solene de homenagem aos Bombeiros do Concelho
Local: Cineteatro S. João 
13h00Almoço convívio entre a Câmara Municipal, Juntas de Freguesia, Direções, Comando e Corpos Ativos das Associações de Bombeiros do Concelho

[ + ]

McNamara vai surfar as ondas do Barreiro

Há ondas no Tejo e McNamara quer surfá-las

A convite da Gasoline – Associação Cultural e Desportiva do Barreiro e do Turismo de Portugal, o surfista norte-americano Garrett McNamara, que pôs Nazaré nas bocas do mundo do surf, virá perseguir a onda provocada pelos catamarans do grupo Transtejo. Mc Namara estará esta manhã, a partir das 7 horas, na praia do Bico do Mexilhoeiro, no Barreiro. 

Mc Namara vem hoje ao Barreiro surfar nas ondas do Tejo 

Garrett McNamara, conhecido por surfar ondas gigantes, terá, esta terça-feira, um desafio bem diferente: uma onda pequena, mas comprida, e que é formada no rio e não no mar. Trata-se da onda do rio Tejo que é gerada pelos catamarans que ligam Lisboa e o Barreiro e que pode atingir 150 metros de comprimento. Chama-se "Gasoline" e forma-se na praia do Bico do Mexilhoeiro, no Barreiro.
O evento realiza-se esta manhã, a partir das 7 da manhã, e faz parte de uma iniciativa do Turismo de Portugal chamada “McNamara Surf Trip”, e pretende dar a conhecer as ondas do país a que o surfista do Hawai insiste sempre em regressar. Até 30 de Abril, serão feitas filmagens de um documentário sobre o surfista e a sua relação com o mar português.
McNamara viajará a bordo dos catamarans da frota Soflusa, a partir do Terminal Fluvial do Terreiro do Paço, em direcção à praia do Bico do Mexilhoeiro no Barreiro, onde se junta a Ricardo Carrajola, presidente da associação Gasoline, para surfar uma das raras ondas do rio Tejo.
A onda tem o nome da associação. “Gasoline remete para o rasto deixado pelo barco e é também o que dizemos quando a onda está no máximo potencial”, conta o presidente da associação de promoção dos desportos de acção (surf e skateboard), formada em 2013, que trabalha com jovens de várias instituições do concelho do Barreiro. A onda, segundo Ricardo Carrajola, só se forma “quando a maré está vazia, é hora de ponta e o barco está cheio”, e só em seis dias por mês, o que a torna numa oportunidade rara para os adeptos desta modalidade.
O surf no rio Tejo começou há cerca de dez anos entre um grupo de amigos, no qual se inclui Ricardo Carrajola, quando os cacilheiros que faziam a ligação entre Lisboa e o Barreiro foram substituídos por catamarans, tipo de barco mais rápido e potente cuja passagem cria ondas ribeirinhas capazes de rivalizar com as oceânicas.
Inicialmente, estava previsto o surfista ter ido surfar esta segunda-feira aquela onda, mas a iniciativa foi cancelada e adiada para esta terça-feira.
O projecto vai ser apresentado pelo presidente do Turismo de Portugal, João Cotrim de Figueiredo, que vai estar na praia do Bico do Mexilhoeiro.

[ + ]

Segurança e Educação Rodoviária em Setúbal

Mil alunos assistiram aos exercícios da equipa cinotécnica da PSP

Cerca de mil alunos do Agrupamento de Escolas Luísa Todi assistiram, esta segunda-feira, aos exercícios da equipa cinotécnica da PSP, demonstração que abriu a 10.ª edição da Semana da Segurança e Educação Rodoviária, em Setúbal.


Equipa cinotéctica da PSP faz demonstração para crianças de Setúbal  

Na abertura da iniciativa a decorrer até sexta-feira, na EB 2,3 Luísa Todi, a atividade com os cães polícia atraiu as atenções dos vários alunos dos pré-escolares e das escolas do 1.º ciclo do agrupamento.
Dos exercícios simples com cinco cães-polícia, como sentar, deitar e rebolar, aos de deteção de armas, drogas ou explosivos, o ponto alto esteve nos saltos com arcos em chamas.
Quito e Hero foram os cães destemidos, que, mesmo com a euforia desmedida das crianças ao verem as chamas, saltaram sem dificuldade.
“Para os cães acaba por ser uma brincadeira, para nós é serviço”, referiu o chefe Lourenço, da PSP, explicando que o cão sabe que se fizer um movimento bem feito tem sempre uma recompensa.
“Chama-se a isto trabalhar com motivação”, salientou o elemento policial, à medida que explicava que os cães são treinados “para ajudar” e “não para morder” em situações como um jogo de futebol com uma multidão.
“O cão só morde à ordem ou para defender o dono”, assegurou o chefe da equipa cinotécnica da PSP, uma das várias entidades participantes na Semana da Segurança e Educação Rodoviária, iniciativa organizada pelo município de Setúbal.
O vereador com o pelouro da Educação, Pedro Pina, falou aos alunos presentes sobre a importância desta atividade, a qual pretende “transmitir a noção de segurança”, além de “desenvolver e dinamizar a cultura de cidadania”.

“Os polícias servem para vos proteger”
GNR sensibiliza crianças para a segurança e cidadania  
A 10.ª edição da Semana da Segurança e Educação Rodoviária conta com a parceria de várias forças de segurança e de proteção e socorro, como forma de sensibilizar para o trabalho destas instituições, além de formar e educar as crianças para atitudes individuais de responsabilidade e cidadania.
Durante a manhã do primeiro dia desta ação, os alunos puderam perceber alguma da logística que envolve estes meios de segurança e socorro, além de ouvirem as explicações, por exemplo, sobre o equipamento de um elemento da GNR.
A utilização de artigos policiais como as algemas, o colete à prova de balas e o aríete, cilindro utilizado para arrombar portas, foi exemplificada.
“Os polícias servem para vos proteger”, salientou um dos elementos da GNR, que convidou as crianças a experimentarem alguns dos apetrechos de uma carrinha policial. Entusiasmadas, fizeram soar a sirene e manejaram os rádios que comunicam quer para o exterior quer entre patrulhas.
Além da PSP e da GNR, participam na Semana da Segurança e Educação Rodoviária a Polícia Marítima, a Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal, o Serviço Municipal de Proteção Civil e Bombeiros, a Cruz Vermelha Portuguesa, o Automóvel Club de Portugal, a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Setúbal e o Lions Clube de Setúbal.
Esta terça, 29 de Abril, entre as 10 e as 18 horas, o Automóvel Club de Portugal promove circuitos rodoviários para os alunos.

Programa da Semana da Segurança e Educação Rodoviária
Bombeiros marcam presença durante a semana com várias acções

“Projeto de Formação – Perigos e Riscos Naturais e Tecnológicos – O Serviço Municipal de Proteção Civil e Bombeiros – Vão e Recebem a Escola” é o título de uma ação formativa para crianças, desenvolvida pelo dois corpos de bombeiros da cidade (Sapadores e Voluntários), a realizar no quartel da companhia de sapadores da capital de distrito.
A Semana da Segurança e Educação Rodoviária inclui ainda uma palestra sobre voluntariado na proteção civil, conduzida pelas duas corporações de bombeiros de Setúbal e um circuito de prevenção rodoviária, com carros elétricos, direcionado para o pré-escolar e 1.º ciclo, numa organização do ACP, da Estradas de Portugal e da Liberty.
A GNR dinamiza uma iniciativa de sensibilização sobre “Bullying”, enquanto a PSP promove uma ação sobre prevenção rodoviária e uma operação STOP com alunos do Agrupamento de Escolas Luísa Todi.
A semana inclui igualmente uma sessão de cinema promovida pela Câmara de Setúbal, com a exibição da curta-metragem “Segura-te!”, dedicada à problemática da prevenção rodoviária e realizada por alunos da Escola Secundária D. João II.
O programa reserva para o decurso da semana atividades como “Segurança na Internet”, organizada pela Câmara de Setúbal, “Brincar ao CSI”, da PSP, “Percurso Casa-Escola”, da GNR, “Formação em Primeiros Socorros”, da Cruz Vermelha, e “O que é ser um bombeiro”, da Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal.

[ + ]

Governo dá 5,1 milhões para praias da Costa de Caparica

Almada quer obra concluída até ao início do verão

O ministro do Ambiente e Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, ficou com a competência para autorização para a realização da despesa de cerca de cinco milhões de euros, correspondentes à alimentação artificial das praias da Costa de Caparica, em Almada. No entanto, o executivo da Câmara de Almada está preocupada com o prazo da obra. A época balnear começa já em Junho e ainda ninguém sabe quando arranca a empreitada.  

Inverno deixou praias da Costa de Caparica sem areia 

A Câmara de Almada exigiu hoje que o enchimento artificial de areia nas praias da Caparica seja concluído de forma a garantir o normal funcionamento das atividades da próxima época balnear.
A tomada de posição da autarquia surge na sequência do despacho do primeiro-ministro que delega competência no ministro do Ambiente, Jorge Moreira da Silva, para autorizar a realização da despesa necessária, no valor máximo de 5,1 milhões de euros.
Em comunicado, a Câmara de Almada recorda que, no passado dia 26 de Fevereiro, durante uma visita à Costa de Caparica, o ministro do Ambiente afirmou que a alimentação artificial das praias da Costa da Caparica e de São João, com um milhão de metros cúbicos de areia, teria de ser concretizada "a tempo do verão".
A autarquia salienta ainda que a publicação do despacho do primeiro-ministro 60 dias depois do compromisso assumido pelo ministro poderá causar "prejuízos muito elevados para muitos milhares de cidadãos, pelos impactos na atividade económica que o arrastamento da situação necessariamente implica".
A delegação ao ministro Jorge Moreira da Silva consta de um despacho do gabinete do primeiro-ministro publicado em Diário da República de 24 de Abril e que indica o montante máximo de cinco milhões e cem mil euros, sem IVA incluído, para a empreitada de alimentação artificial das praias da Caparica de São João da Caparica.
A 20 de Março, numa reunião do Conselho Metropolitano de Lisboa, o presidente de Câmara de Almada, Joaquim Judas, tinha lembrado a indicação do Governo de as obras na frente atlântica estarem terminadas a tempo da época balnear e questionou a falta de agendamento dos trabalhos da Agência Portuguesa do Ambiente (APA).
O autarca explicou que à autarquia cabe concorrer a verbas para a "consolidação do sistema do mar", enquanto à APA compete o reforço da duna.
O Governo destinou 17 milhões de euros adicionais, financiados no quadro comunitário, para intervenções prioritárias na orla costeira, na sequência de estragos provocados pelo mau tempo.


[ + ]

Montijo homenageou antigos presidentes no 25 de Abril

"Vozes marcantes, firmes e insubmissas na luta pela democracia, autonomia e afirmação do Montijo" 

A sessão solene “40 anos de liberdade” decorreu no Cinema Teatro Joaquim d’ Almeida, no Montijo, no dia 25 de Abril, e contou com a homenagem aos antigos presidente de câmara. Foi um dia de celebração e de emoção partilhada entre autarcas do concelho e população, num momento simbólico que pretendeu dignificar a democracia, a política e todos aqueles que, ao longo destes anos, serviram o município e o concelho do Montijo.


Maria Amélia Antunes geriu a Câmara de Montijo ate 2013 

A primeira parte da cerimónia contou com as intervenções políticas da presidente da Assembleia Municipal, Maria Amélia Antunes, e dos representantes dos partidos com assento neste órgão autárquico: nomeadamente Ricardo Bernardes (PS), Carlos Jorge de Almeida (CDU), Paulo Gomes da Silva (PSD) e Avelino Carrasqueira (BE).
De seguida, foram homenageados os antigos presidente da câmara que marcaram a história do poder local democrático (1973-2014), nomeadamente: Joaquim Tapadinhas (presidente da 1.ª Comissão Administrativa), Joaquim Primo Jaleco, Acácio Dores (a título póstumo, representado pela filha, Maria Margarida Dores), Sérgio Pinto (a título póstumo, representado pela filha Marina Pinto), José Caria, Jacinta Ricardo e Maria Amélia Antunes.
Os antigos presidentes de câmara receberam das mãos do atual presidente, Nuno Canta, um moinho de maré, uma peça em cristal que representa simbolicamente a antiga Aldeia Galega e o Montijo de agora.

“Devemos usar a democracia como causa para nos unirmos" 
No seu discurso, o presidente Nuno Canta salientou a importância de celebrar Abril homenageado os protagonistas do poder local democrático no Montijo: “os presidentes hoje homenageados foram vozes marcantes, firmes e insubmissas na luta pela democracia, autonomia e afirmação do Montijo”, disse o atual presidente de Câmara.
“O Montijo, justamente, agradece a vossa dedicação, contributo e espírito que foram fundamentais para a transformação do Montijo na terra que é hoje: uma terra acolhedora, moderna, progressista, de liberdade e com grandes potencialidades futuras”, acrescentou o presidente.
O autarca deixou ainda expressa a sua convicção que, sobretudo nos momentos de crise, “devemos usar a democracia como causa para nos unirmos e mobilizamos coletivamente”, afirmando também que é necessário reforçar a autonomia e a descentralização administrativa e financeira das autarquias que são instituições fundamentais para o desenvolvimento da sociedade.
No final, os versos de “Grândola Vila Morena” foram tocados pelos professores do Conservatório Regional de Artes do Montijo e cantados por toda a plateia de pé, fechando com chave de ouro a sessão solene comemorativa dos 40 anos do 25 de Abril de 1974.


[ + ]

Câmara de Almada contra o fim do ferry em Cacilhas

“Não existem demasiados recursos para o transporte de atravessamento do rio Tejo" 

A Câmara de Almada apelou à empresa Transtejo, responsável pelas ligações fluviais no Tejo, para que reavalie o fim do transporte de veículos na ligação entre Cacilhas e Lisboa, referindo que existem poucos recursos para atravessar o rio. O serviço de transporte de veículos da ligação de Cacilhas com o Cais do Sodré da Transtejo, responsável pelas ligações fluviais no rio Tejo, passou a ser efetuado entre Trafaria, Porto Brandão e Belém.

Câmara de Almada defende continuidade de ferry a partir de Cacilhas

“A Câmara de Almada apela no sentido de que a decisão de eliminação do transporte de veículos automóveis a partir de Cacilhas seja devidamente reavaliada à luz das reais necessidades dos utentes”, refere a autarquia em comunicado.
O serviço de transporte de veículos da ligação de Cacilhas com o Cais do Sodré da empresa Transtejo passou, desde o dia 26 de Abril, a ser efetuado entre Trafaria, Porto Brandão e Belém.
A autarquia, liderada por Joaquim Judas, elogia a decisão da empresa de abrir o serviço de transporte de veículos entre a Trafaria e Lisboa, mas não concorda que tenha sido feito com o fim do serviço em Cacilhas.
“Não existem demasiados recursos para o transporte de atravessamento do rio Tejo nas suas ligações entre Almada e os concelhos da Margem Sul do Tejo e Lisboa. São conhecidas as limitações e dificuldades de circulação registadas na Ponte 25 de Abril”, acrescenta o gabinete de imprensa da autarquia de Almada.

Transtejo quer atrair novos clientes 
A empresa entende a posição da autarquia mas reforça as mais valias que o novo serviço trás a quem não mora no centro de Almada. "De acordo com o estudo efetuado, e tal como naturalmente esperado, existem utilizadores do serviço da atual ligação que não acompanharão a transferência do serviço para a Trafaria, pela deslocalização que tal lhes trará, em especial, aqueles que habitam em Almada centro", disse à agência Lusa fonte do Grupo Transtejo.
Segundo a mesma fonte, a nova oferta pode tornar-se uma mais-valia para todos os que habitam fora do centro de Almada, tendo em conta os bons acessos rodoviários criados.
"A nova oferta aumenta o universo de potenciais clientes, uma vez que as zonas abrangidas - Trafaria, Costa de Caparica, Monte de Caparica, Sobreda e Charneca - apresentam um mercado potencial de 6500 veículos. Deste universo potencial, acreditamos poder vir a captar, ao dia útil, entre 0,5 e 2,5 por cento desses veículos", salienta.
Com a transferência do serviço de ferry para a ligação entre Trafaria, Porto Brandão e Belém, a empresa oferece o desconto de 10 por cento na aquisição do novo 'pack' de 10 bilhetes. Para além disso, o valor dos bilhetes simples para motos e triciclos vai ser reduzido de 1.80 para 1.60 euros.

[ + ]

'Ouvir a População' de regresso a Setúbal

Autarcas de Setúbal na freguesia de S. Sebastião para ouvirem a população 

O “Ouvir a População, Construir o Futuro”, projeto da Câmara de Setúbal que envolve e aproxima os munícipes da gestão autárquica, regressa numa segunda edição, com início já no final deste mês, na freguesia de S. Sebastião, diz o gabinete de imprensa da Câmara. 

Autarcas visitam  maior freguesia de Setúbal 

Executivo, corpo técnico da edilidade e população local juntam-se num novo périplo pelo concelho, para visitas, reuniões de trabalho e atendimentos personalizados, num ciclo a decorrer entre 28 de Abril e 13 de Junho, na freguesia de S. Sebastião, a mais populosa do território.
No terreno, em visitas a arruamentos e urbanizações, a equipa camarária observa e analisa, minuciosamente, "situações que carecem de resolução, nomeadamente em questões relacionadas com a rede viária, estacionamento, trânsito, bem como saneamento, áreas verdes e espaços públicos", diz a autarquia em comunicado.
A iniciativa inclui ainda deslocações e reuniões de trabalho "em estabelecimentos de ensino, coletividades, empresas e instituições de diversas áreas, com o objetivo de recolher contributos e de fazer um ponto de situação sobre projetos em curso e necessidades para a sua concretização", realça a autarquia da capital do distrito.
Um conjunto de ações de atendimento público à população, em sessões personalizadas dirigidas pela presidente da Câmara  de Setúbal, Maria das Dores Meira, na sede da Junta de Freguesia de S. Sebastião, decorrem também no âmbito do “Ouvir a População, construir o Futuro”.

Autarcas vão ouvir munícipes 
Estão agendadas uma dezena de ações de atendimento público, sempre a partir das 18h30. Em Maio, há sessões nos dias 16, 19, 20, 22, 23, 26 e 27, enquanto em Junho realizam-se nos dias 3, 5 e 9. Para participar, os munícipes devem inscrever-se na junta de freguesia, presencialmente, ou pelo telefone 265 719 520.
Ouvir as populações, partilhar dificuldades e encontrar soluções é o lema do projeto, cuja primeira edição foi iniciada em 2010, que procura ouvir, minuciosamente, os anseios de cidadãos, autarcas locais, comerciantes, dirigentes associativos e escolares e responsáveis de instituições.
A metodologia, "adotada no âmbito da filosofia de Município Participado, transversal a todo o trabalho desenvolvido pela Autarquia, apura com precisão o que pode ser feito em prol do aumento da qualidade de vida. O levantamento dos problemas detetados é apresentado, posteriormente, em encontros públicos em cada uma das freguesias", conclui a nota da Câmara de Setúbal.


[ + ]

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010