Dá um Gosto ao ADN

Pai mata filho na Baixa da Banheira

Homem mata filho e suicida-se de seguida

Um homem, de 59 anos, matou este domingo de manhã, o filho, de 33 anos, depois de o ferir gravemente na cabeça com um objeto contundente. Mais tarde, o indivíduo acabou por pôr fim à vida através de enforcamento, numa garagem próxima da casa onde ocorreu o crime, em Baixa da Banheira, na Moita. Segundo  fonte do Comando Distrital de Setúbal da PSP, o crime deverá ter como motivação a toxicodependência do filho, sendo que eram conhecidas várias discussões entre ambos. O homem terá aproveitado a ausência da esposa, que tinha ido para uma excursão em Fátima, para matar o filho e suicidar-se.
Crime ocorreu este domingo de manhã na Baixa da Banheira


Um homem matou este domingo o filho, de 33 anos, com recurso a um objeto contundente, na Baixa da Banheira, concelho da Moita, e suicidou-se de seguida, disse à Lusa fonte da Polícia de Segurança Pública (PSP) de Setúbal.
"Recebemos o alerta para a ocorrência cerca das 10h15. O pai, de 59 anos, matou o filho, de 33 anos, com recurso a golpes com um objeto contundente na cabeça", disse à Lusa fonte da PSP.
Segundo a mesma fonte, o caso ocorreu na rua do Clube União Banheirense o Chinquilho, no centro da Baixa da Banheira, com o alegado homicida a ser encontrado sem vida numa garagem próximo do local.
"O pai deslocou-se para uma garagem, na rua Francisco de Assis, e acabou por se enforcar. A sua mulher estava ausente, por estar numa excursão a Fátima", acrescentou.
O Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal confirmou também à Lusa a ocorrência, referindo que os bombeiros foram chamados ao local pela PSP para abrir um portão de uma garagem, confirmando a existência de duas vítimas mortais.
Fonte do Comando Distrital de Setúbal da PSP adiantou que dias antes terá havido uma discussão entre os dois homens devido à toxicodependência do filho.
No local estiveram os bombeiros da Moita, com duas viaturas e sete operacionais, a PSP, com três veículos e cinco homens e a Polícia Judiciária de Setúbal  a quem foi entregue o caso.

[ + ]

Desporto dá ritmo à Feira de Sant'Iago em Setúbal

Cidade está em festa até 7 de Agosto nas Manteigadas 

Setúbal Cidade Europeia do Desporto 2016 dá ritmo à edição deste ano da Feira de Sant’Iago, certame a realizar a partir desta noite. A feira prolonga-se até 7 de Agosto, no Parque Sant’Iago, nas Manteigadas, e no qual são esperados mais de 300 mil visitantes. “Em 2016 somos Cidade Europeia do Desporto e, claro, o tema da feira teria de ser o desporto e tudo o que tem sido a organização desta fantástica jornada desportiva na nossa cidade”, destacou a presidente da Câmara de Setúbal, Maria das Dores Meira, na apresentação do certame. O cartaz musical também promete atrair milhares à festa principal da cidade. Tiago Bettencourt, Marco Paulo, Deolinda, Mestiço, Miguel Guerreiro, António Zambujo, Carolina Deslandes, Carlão, Cais do Sodré Funk Connection e Cuca Roseta são alguns dos nomes com presença garantida no cartaz. 
Feira de Sant'Iago regressa a Setúbal a 29 de Julho 


A Feira de Sant’Iago, com mais de quatro séculos de história e que reúne no Parque de Sant’Iago feirantes, tendas de artesanato, pavilhões institucionais e dezenas de diversões, dedica o pavilhão da autarquia ao ano desportivo sem precedentes que o concelho está a viver até Dezembro.
O Pavilhão do Município, espaço com 250 metros quadrados “esteticamente muito forte”, revelou Sérgio Mateus, coordenador do Serviço Municipal de Comunicação e Imagem, partilha a atividade desportiva já realizada no âmbito do programa municipal em curso e dá a conhecer a panóplia de eventos ainda em agenda.
Outro motivo de interesse é uma mostra dedicada ao fotógrafo setubalense Américo Ribeiro, “uma exposição que foge ao tradicional”, sublinhou Sérgio Mateus, realizada no âmbito do 110.º aniversário do nascimento da personalidade sadina, instalada numa zona central do certame organizado pela Câmara de Setúbal.
O Ambiente e o Turismo também estão em destaque, ambos em quiosques dedicados. O primeiro dá enfase ao Pacto de Autarcas, compromisso para redução da emissão de gases com efeito de estufa, enquanto o segundo mostra, num stand que já percorreu várias feiras europeias, a oferta turística do concelho e da região.

Forte programação musical 
“O cartaz musical continua a ser, a par da própria feira e de tudo o que ela tradicionalmente tem, um forte motivo de atração”, com um programa eclético“construído a pensar em todos os públicos”, salientou Maria das Dores Meira. O evento mantém o mesmo orçamento de edições anteriores, ou seja, 400 mil euros.
O Palco Setúbal volta a ser o epicentro do programa cultural do certame e recebe alguns dos artistas mais conhecidos do grande público. Entre os espetáculos agendados, sobressai o concerto de Tiago Bettencourt, logo no dia inaugural, a 29 de Julho, e de Marco Paulo, no encerramento, a 7 de Agosto, ambos com início às 23 horas.
O cartaz da Feira de Sant’Iago para o mês de Julho reserva ainda o regresso dos Deolinda à cidade sadina, no dia 30, às 23h30. O dia seguinte, 31 de Julho, é dedicado às famílias, com o espetáculo Vila dos Heróis, às 18 horas. À noite, a partir das 21h15, o palco é de dois grupos típicos setubalenses, “Os Massacotes” e “Os Alcorrazes”.
O programa de espetáculos de Agosto começa, no dia 1, com concertos de Mestiço, com Luís Represas e Paulo Flores, às 21 horas, e de Carolina Deslandes, às 23 horas. No dia seguinte, a 2, o palco é de Miguel Guerreiro e de António Zambujo, espetáculos agendados, respetivamente, para as 21h30 e para as 23 horas.
Átoa, às 21h30, e Carlão, às 23 horas, são destaque no dia 3 no Palco Setúbal, espaço que recebe, a 4, Supernova, às 21h45, e Cais do Sodré Funk Connection, às 23 horas. Já no dia 5, o cartaz musical reserva concertos com o Quarteto de Fado Deolinda de Jesus, às 21h45, e com Cuca Roseta, às 23 horas.
No penúltimo dia do certame, a 6, atuam Branco, às 21h45, e Dengaz, às 23 horas. Já no dia 7, além do concerto de encerramento com Marco Paulo, às 23 horas, há novamente um espetáculo dedicado às famílias, às 18 horas, com “O Mundo Fabuloso de Bocage”, do Grupo de Animação e Teatro Espelho Mágico.
Pelo Palco Setúbal, ao longo dos dez dias do certame, passam ainda vários artistas locais, como o Joaquim Gouveia Urban Trio e a Grande Filarmónica de Setúbal, a par de fadistas e de formações e concorrentes premiados nos concursos de Bandas de Garagem de Setúbal e de Fado de Setúbal.
“Este ano o Palco Setúbal acolhe todos os artistas, locais e nacionais, enquanto a Praça do Mundo é dedicada às atividades desportivas”, adiantou Ana José Carvalho, chefe da Divisão de Cultura. Acrescentou que o cartaz musical aposta num “programa diversificado, com música para todos os gostos e públicos”.
A Feira de Sant’Iago 2016 volta também a apostar no Palco Bares, um espaço cultural localizado na zona das tasquinhas, com espetáculos por artistas locais, sempre das 20 horas às 21h30. “É um mini palco. A experiência do ano passado correu bem e este ano repetimos”, afirmou aquela responsável.

 “O desporto tem um peso maior na oferta da Feira de Sant’Iago”
Organização espera mais de 300 mil pessoas na maior festa da cidade 
O programa cultural da Feira de Sant’Iago 2016, dinamizado ao longo dos dez dias do evento, inclui igualmente muita animação de rua pelo recinto, com companhias de teatro sadinas a partilharem com o público várias performances cénicas, em particular inspiradas no desporto.
A presidente da autarquia, Maria das Dores Meira, destacou que “além do cartaz musical e das atividades culturais, o programa da feira tem, este ano, uma forte componente desportiva, com iniciativas para todos os gostos e que conferem à festa maior da cidade uma vivacidade suplementar”.
A mesma ideia foi partilhada por Nuno Marques, assessor municipal da área das atividades económicas. “O desporto tem um peso maior na oferta da Feira de Sant’Iago”, vincou, para depois destacar as galas de boxe de kickboxing como alguns dos eventos em destaque no Espaço Desporto.
Esta área, localizada na Praça do Mundo, recebe ainda atividades pontuais, como ioga, chi kung, taekwondo e dança desportiva, a par de eventos regulares, como um circuito 4x4, jogos tradicionais e matraquilhos humanos, a par de um circuito de prevenção rodoviária e um campo de boccia.
Tal como noutros anos, nesta edição voltou-se a fazer pequenas intervenções de melhoramento das infraestruturas do recinto, salientou Nuno Marques, conta receber este ano um número semelhante de visitantes na Feira de Sant’Iago em relação à edição do ano passado, ou seja, 300 mil pessoas.
O programa completo da Feira de Sant’Iago de 2016 pode ser consultado na íntegra em www.facebook.com/feiradesantiagooficial.

[ + ]

Festas de São Simão começam hoje em Azeitão

Vendas de Azeitão em festa até domingo 

As tradicionais Festas de São Simão começam esta sexta-feira, em Vendas de Azeitão, com um programa de três dias repleto de atuações musicais variadas, muita animação, gastronomia e venda de artesanato da região. O certame, a funcionar num recinto instalado no Parque da Cooperativa em Vendas de Azeitão, de entrada gratuita, além da presença dos stands gastronómicos e de artesanato e de diversões para os mais novos, proporciona aos visitantes a possibilidade de assistir a diversos espetáculos musicais.
Festas de São Simão atraem milhares a Vendas de Azeitão 

A abertura oficial das Festas de São Simão 2016 começam esta noite às 20h30, com um pequeno desfile promovido pela banda da Sociedade Filarmónica Providência, que sobe depois ao palco para um espetáculo às 21h30.
A animação musical continua na primeira noite de festa, com uma atuação, às 22h30, de Ivone Dias, Madrinha das Madrinhas das marchas, que interpreta o tema “Isto é Setúbal” e a Grande Marcha de Setúbal 2016, “Bocage Somos Nós”.
Mais tarde, à meia-noite, há baile dinamizado pela Banda Cool e André Patrão.
No dia 30, o Centro Cultural e Desportivo de Brejos de Azeitão apresenta, às 20h30, um espetáculo de danças de salão, seguido de um tributo aos anos 80 com a atuação da banda Oitentamente, às 21h30.
No encerramento do segundo dia das Festas de São Simão, iniciativa da Junta de Freguesia de Azeitão com o apoio da Câmara Municipal de Setúbal, está agendado um baile conduzido por António Lázaro Band.
O cartaz do último dia das festas, a 31, começa ao fim da tarde, às 19 horas, com uma missa campal, no Parque da Cooperativa de Vendas de Azeitão. O grupo Oh My Dog atua mais tarde, às 21h30.
A encerrar a edição de 2016, a organização reservou para as 23h30 um baile conduzido por João Tendeiro.

[ + ]

Setúbal aprova estudo urbanístico para a Várzea

Estudo reorganiza Parque Urbano da Várzea

A Câmara de Setúbal aprovou, em reunião pública, um estudo urbanístico para a zona envolvente do futuro Parque Urbano da Várzea, instrumento que aponta formas e condições para a ocupação daquela área da cidade. Trata-se de um espaço de recreio e de lazer para a população no qual são integradas bacias de retenção de águas pluviais que permitem a regularização do regime de escoamento da Ribeira do Livramento e o controlo das cheias nas áreas urbanas da cidade localizadas a jusante. O estudo, que concentra um conjunto de objetivos de desenvolvimento urbanístico, realça que a relação estabelecida entre o Parque Urbano da Várzea e a área urbanizável “proporciona uma nova frente edificada muito qualificada e valorizada na área central da cidade”, diz a autarquia. 
Câmara de Setúbal quer reorganizar a zona da Várzea  

O Estudo Urbanístico da Envolvente do Parque Urbano da Várzea, elaborado pelo gabinete Bruno Soares Arquitetos, abrange uma área de intervenção com 204 mil 739 metros quadrados balizada entre a Ribeira do Livramento, a poente, a Avenida dos Ciprestes, a nascente, a Avenida da Europa, a sul, e uma propriedade privada, a norte.
A área de intervenção, composta por 17 parcelas privadas, engloba as quintas da Boa Esperança, da Azedinha, da Saudade, da Inveja, da Azeda, da Restaurada, de Prostes e da Mouca, bem como o loteamento situado entre a Quinta da Saudade e Avenida dos Ciprestes e um edifício de habitação entre a Avenida dos Ciprestes e Quinta da Mouca.
O Estudo Urbanístico da Envolvente do Parque Urbano da Várzea, preparado entre 2012 e 2014, enquadra-se, de acordo com o Plano Diretor Municipal, em Espaços Urbanizáveis – Área Habitacional de Alta Densidade e Área Verde de Recreio e Lazer, a integrar no futuro Parque Urbano da Várzea.
No que respeita à construção e integração urbanística do Parque Urbano da Várzea e bacias de retenção e regularização de cheias, foram concertados os limites do parque e da área urbanizável, os perfis e as cotas dos arruamentos envolventes, a modelação do terreno, assim como os acessos ao parque.
A estruturação da rede viária é outra das metas propostas no estudo. Neste caso, o instrumento procura dar resposta às funções viárias de ligação entre aquela zona e a zona central da cidade, bem como de ligação entre as zonas urbanas a nascente e a poente do futuro Parque Urbano da Várzea.
O estudo propõe, entre outros, um conceito de circulação “em anel” e o estabelecimento de uma nova ligação transversal através do prolongamento da Avenida de Moçambique até à Avenida dos Ciprestes. Propõe, ainda, o abandono do prolongamento da Avenida Antero de Quental, em viaduto, sobre a área destinada ao Parque Urbano da Várzea.
O Estudo Urbanístico da Zona Envolvente ao Parque Urbano da Várzea aponta também ao desenvolvimento de uma nova centralidade da cidade, estruturada pela avenidas Antero de Quental e dos Ciprestes e através da concentração de serviços, comércio, equipamentos coletivos e atividades relacionadas com o turismo.
Relativamente à organização da edificação e qualificação urbanística da zona envolvente do futuro Parque Urbano da Várzea foram estudadas soluções alternativas de ocupação, concretamente programas funcionais, com menor e maior presença do setor terciário, a par de diferentes hipóteses de edificação.

[ + ]

Montijo distingue personalidades com ouro

Amândio de Carvalho, Cédric Soares e Luís Rouxinol recebem medalha de ouro

A Câmara do Montijo anunciou esta quinta-feira que foi aprovada, por unanimidade, a atribuição da Medalha de Ouro do concelho a Cédric Soares, futebolista português que se sagrou campeão europeu em França. A Amândio de Carvalho, ex dirigente da Federação Portuguesa de Futebol e ao cavaleiro tauromáquico Luís Rouxinol. A decisão foi tomada na reunião extraordinária de 27 de Julho do executivo municipal. A cerimónia de entrega das medalhas terá lugar no próximo dia 14 de Agosto, dia da Cidade de Montijo, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, a partir das 21h30.
Um dos campeões da Europa recebe medalha de ouro da cidade 


"Cédric Soares nasceu na Alemanha, mas desde os três anos que fez do Montijo a sua terra, quando os pais retornaram ao país após duas décadas emigrados. A sua primeira internacionalização pela Seleção A de futebol aconteceu no dia 11 de outubro de 2013, tendo logo evidenciado as suas potencialidades, sobressaindo pela disponibilidade física e sentido tático", refere a autarquia em comunicado.
O documento acrescenta que durante o Europeu de futebol o lateral direito demonstrou as suas qualidades, com "prestações de enorme mérito que contribuíram para um feito inigualável na história do futebol português".
A autarquia, liderada por Nuno Canta, aprovou também a atribuição da Medalha de Ouro a Amândio de Carvalho, que foi vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).
"Amândio de Carvalho nasceu no Montijo, em 1937. Dedicou toda a sua vida ao futebol, tendo ocupado cargos de grande prestígio a nível nacional, nomeadamente na vice-presidência da Federação Portuguesa de Futebol. A sua intensa atividade dedicada ao movimento associativo do concelho foi desde sempre um dos seus principais méritos", salienta.
A autarquia refere que é atualmente presidente da Mesa da Assembleia Geral da Sociedade Filarmónica 1.º de Dezembro e da Mesa da Assembleia Geral da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Montijo.
Também o cavaleiro tauromáquico Luís Rouxinol vai ser galardoado com a Medalha de Ouro.
"Luís Rouxinol nasceu no Montijo, em 1968. Desde o início na tauromaquia até hoje, construiu uma brilhante carreira marcada pelo sucesso, reconhecido quer pela crítica quer pelo público, levando por todo o país e pelo estrangeiro o nome do Montijo", frisa o executivo.
A Medalha de Ouro do concelho é a mais alta distinção que o município pode conceder e é atribuída a pessoas ou instituições que, tendo prestado ao concelho ou ao país serviços relevantes, gozem de prestígio social pelos pelo seu percurso de vida e pelos feitos alcançados.
A cerimónia de entrega das medalhas terá lugar no dia 14 de Agosto, dia em que o Montijo celebra o 31º aniversário de elevação a cidade. A 13 de Agosto,  na Praça da República, há um concerto, gratuito,  com a fadista Cuca Roseta, às 22 horas.




[ + ]

Casa Abrigo para mulheres em risco em Pinhal Novo

Um milhão de euros em respostas para vítimas de violência doméstica

A Fundação COI assinou ontem um protocolo de cooperação com o Instituto de Segurança Social do Centro Distrital de Setúbal, que lhe irá permitir abrir aquela que será a primeira casa abrigo para mulheres no concelho de Palmela. A cerimónia protocolar contou com as presenças da secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Catarina Marcelino, e da Directora de Segurança Social do Centro Distrital de Setúbal, Natividade Coelho. A “Casa Abrigo Dolores”, no Pinhal Novo, é um equipamento que visa proporcionar as condições básicas de sobrevivência das “mulheres grávidas e mães em situação de desprotecção social” e dar-lhes apoio psicológico e social. O objectivo, disse, é acolher estas mulheres e dar-lhes condições para desenvolverem capacidades e potencialidades com vista à sua “progressiva reinserção social e a um equilíbrio familiar nos casos em que for possível”, diz a Fundação COI. Na inauguração, a Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade pretende criar mais de 100 respostas de atendimento a vítimas em todo o país, até 2020.
Governo garante mais apoios para travar a violência doméstica 


A secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Catarina Marcelino, anunciou esta quarta-feira um investimento de um milhão de euros no atendimento de vítimas de violência doméstica, durante a inauguração de uma casa-abrigo para mulheres, no Pinhal Novo. 
"A nossa estratégia é criar mais respostas ao nível do atendimento. Já existem respostas de emergência, mas estamos a alargar a rede. Com o dinheiro do Portugal 2020, vamos alavancar esta rede. Pensamos que até 2020 poderemos ter mais de 100 respostas em todo o país", disse a governante.
"Tínhamos de começar onde há menos respostas", acrescentou Catarina Marcelino, esclarecendo que o Governo pretende privilegiar o interior, ressalvando, no entanto, que se trata de uma estratégia que deverá ser alargada a todo o território nacional.
A secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade falava na cerimónia de assinatura de um protocolo de cooperação com o Instituto de Segurança Social para abertura da primeira casa-abrigo para mulheres em risco do concelho de Palmela, um investimento do Centro de Ocupação Infantil (COI), instituição particular de solidariedade social do concelho de Palmela com múltiplas respostas na área social.
"Estive ao lado da Fundação COI na luta para que esta casa abrisse. Estive cá na inauguração, a 8 de Março de 2013. Foram três anos em que a Segurança Social não inscreveu o financiamento desta casa em orçamento de programa", disse Catarina Marcelino.
"Quando assumi a pasta, uma das minhas prioridades foi garantir que esta e outras duas casas que estavam em condições semelhantes iam abrir e iam ter financiamento", acrescentou, lamentando que a nova infra-estrutura, concluída há três anos, só agora esteja em condições de iniciar a actividade.
Durante a cerimónia, a secretária de Estado anunciou, também, a intenção do Governo em apostar em novas respostas contra a violência doméstica, "numa lógica de inovação social, de experimentação e de entrar em novos campos que podem ser necessários, mas que nunca foram experimentados".

Casa Abrigo Dolores em Pinhal Novo 
A “Casa Abrigo Dolores”, no Pinhal Novo, é um equipamento social que, sublinha a Fundação COI, visa “acolher e proporcionar condições básicas de sobrevivência, prestar apoio psicológico e social, e promover o desenvolvimento das capacidades de mulheres em risco, com ou sem filhos menores, que não dispõem de outros recursos para além da institucionalização, com vista à sua progressiva inserção social e equilíbrio familiar”.
Esta resposta social, adianta a mesma entidade, “vem complementar a alargada oferta de serviços e estruturas de apoio social ao cidadão, durante todo o seu ciclo de vida, disponibilizada pela Fundação COI, nomeadamente, nas áreas de infância e juventude, acolhimento, idosos, apoio à deficiência, e inserção social”.
A Fundação COI é uma instituição privada de solidariedade social, fundada em 1980, vocacionada para a promoção da solidariedade e para o desenvolvimento social e cultural, em especial, da comunidade em que está inserida, com vasto envolvimento na área da intervenção social no concelho de Palmela e, mais especificamente, na freguesia de Pinhal Novo.

Casa abrigo também para homens 
Casa abrigo de Pinhal Novo é a primeira do concelho de Palmela
Uma dessas respostas, com um projecto-piloto que deverá arrancar já no próximo mês de Setembro, no Algarve, é a criação de casas-abrigo para homens.
"No Algarve, com uma IPSS que tinha um apartamento disponível, onde já tinha funcionado uma casa-abrigo - e isto significa que não é preciso criar a estrutura, o que baixa os custos -, vamos, durante um ano, testar uma resposta para homens. É uma casa com capacidade para receber dez homens e crianças -, as regras são as mesmas. Ao fim de um ano avaliamos. Se fizer sentido, pensaremos em manter e alargar essa resposta", esclareceu.
Catarina Marcelino referiu, também, uma terceira área de intervenção, que passa pela criação de uma resposta para mulheres portadoras de deficiência intelectual, uma área para a qual disse não haver ainda uma resposta especializada.
"Muitas vezes surgem mulheres que são vítimas de violência doméstica e que têm deficiência intelectual, para as quais as casas-abrigo, como esta que hoje inauguramos, não têm as condições adequadas para as receber e que ficam sem respostas", disse, adiantando que já está a preparar uma nova resposta para este tipo de situações.
A secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade destacou, ainda, um projecto de educação para a cidadania para todas as escolas públicas a nível nacional, com um trabalho continuado do 1.º ciclo ao 12.º ano, "na área dos direitos humanos, da cidadania, da não-violência e da igualdade de género".
Segundo Catarina Marcelino, o objectivo do projecto, que já está a ser trabalhado com o Ministério da Educação, é "contribuir para que os cidadãos portugueses não sejam tão violentos e para que a violência doméstica comece a desaparecer da sociedade portuguesa".

[ + ]

Mensagens pedem praias limpas em Setúbal

“O lixo vem sempre à superfície. Não o esconda debaixo da areia!” 

A limpeza das praias de Setúbal está em foco numa nova campanha ambiental, lançada em meados de Julho, com um conjunto de mensagens afixadas em placas instaladas na estrada que atravessa a Arrábida para sensibilizar a população para uma “Praia mais Limpa”. A iniciativa, impulsionada pela Câmara de Setúbal e enquadrada na campanha de sensibilização e educação ambiental “Setúbal em Bom Ambiente”, incluiu a colocação de um conjunto de placas em ambos os sentidos de circulação na estrada que dá acesso às várias zonas balneares da Arrábida.
Câmara de Setúbal quer  banhistas a cuidarem das praias 

O azul, o verde e o amarelo saltam à vista nas placas instaladas nas imediações das praias de Albarquel, da Figueirinha, de Galapos e dos Coelhos, a par do Creiro e do Portinho da Arrábida, com frases de sensibilização e decoradas com golfinhos, peixes e outros elementos relacionados com a natureza e a atividade balnear.
“Estenda a toalha numa areia limpa. Não deixe o lixo ocupar o lugar!”, “Obrigado por deixar a praia limpa. Por si e pela sua família”, “Não deixe que a maré varra o seu lixo. Mantenha a praia limpa!” e “O lixo vem sempre à superfície. Não o esconda debaixo da areia!” são alguns dos reptos lançados a munícipes e visitantes nesta campanha.
A Praia da Figueirinha ostenta, pelo oitavo ano consecutivo, a Bandeira Azul, distinção que atesta a qualidade de excelência desta zona balnear da orla marítima de Setúbal, a que se junta a Bandeira da Qualidade de Ouro, galardão que também está presente em Galapos, no Portinho da Arrábida e, este ano, na Praia de Albarquel.
Esta nova iniciativa dá continuidade à "estratégia municipal de melhoria da qualidade ambiental no concelho, materializada na campanha 'Setúbal em Bom Ambiente', com um conjunto de ações direcionadas para a população em geral e, em particular, para a comunidade escolar", diz a autarquia sadina em comunicado.



[ + ]

Praça Central da Torre da Marinha em debate

A nova praça Central é discutida a 5 de Agosto 

O projecto da Praça Central da Torre da Marinha vai ser apresentado no próximo dia 5 de Agosto, no decorrer de mais uma edição do “Fórum Seixal – Mais Participação, Melhor Futuro”. A apresentação do projecto terá lugar pelas 18 horas no Pavilhão Municipal da Torre. A proposta de intervenção, adianta o município, “ocupa uma área de cerca de 6 140 metros quadrados e vai abranger as ruas Sá de Miranda e Gil Vicente”. O valor de adjudicação da obra é de 280 mil e 523 euros.
Autarquia quer renovar praça central da Torre da Marinha 

“Trata-se de um projecto da Câmara do Seixal para o espaço onde funcionava a Piscina Municipal da Torre da Marinha, agora desactivada, que vai ser reconvertido e transformado numa praça acolhedora para toda a população, com espaços verdes que permitirão o convívio e o lazer”, revela a autarquia.
O Fórum Seixal, recorde-se, é um espaço de debate realizado pela Câmara local desde 2004. A iniciativa, sublinha a autarquia, “tem permitido que todos – munícipes, instituições, movimento associativo, comunidade escolar, agentes económicos – possam dar a sua opinião sobre temas da vida municipal”. Durante o ano de 2014, aponta a autarquia como exemplo, “foram realizados vários encontros sobre importantes questões estratégicas para o município do Seixal, tais como a discussão pública sobre a revisão do Plano Director Municipal e a necessidade de construção do hospital no concelho”.
Já em 2015, o Fórum Seixal regressou com um novo ciclo de encontros com a população. Com o lema “Mais Participação, Melhor Futuro”, os objetivos de aproximar a autarquia da população e aumentar a sua participação nos temas do município mantiveram-se. “Também com esse propósito continua a descentralização dos locais dos encontros por todas as freguesias do concelho e a realização em horário pós-laboral. 
Durante esse ano foram abordadas áreas como a educação, o desporto, a acção social, o urbanismo e os transportes”, realça o município, destacando que durante este ano a iniciativa tem incidido particularmente sobre a temática da “Municipalização da Educação”. 
Os Impactos Ambientais do Complexo da Siderurgia Nacional” e a apresentação do Projeto da Escola Básica de Santa Marta do Pinhal e da Carta Ambiental do município do Seixal foram dos temas debatidos com a população durante este ano, sempre com grande adesão dos munícipes do concelho.

[ + ]

Festas de Alhos Vedros arrancam esta noite

A festa mais antiga do concelho da Moita continua cheia de vida

A vila de Alhos Vedros vai estar em festa entre hoje e o último dia de Julho. Belito Campos, Xana Carvalho e Maxi são os nomes que prometem animar o palco da Festa em Honra de Nossa Senhora dos Anjos, a mais antiga das festividades do concelho da Moita que se acredita ter sido também uma das mais importantes romarias no século XVI.  Ao passar por esta vila, nesta altura, não deixe de visitar o Cais do Descarregador e apreciar os barcos típicos do Tejo engalanados que participam na tradicional  Regata em honra da santa padroeira e também no concurso de barcos engalanados. Do programa, destacam-se ainda os espetáculos musicais diários, no palco do Parque das Salinas, as tasquinhas de comes e bebes, a procissão, o desfile do Carnaval de verão e o fogo-de-artifício, a fechar as festividades, no domingo. 
Os barcos engalanados são já uma tradição de Alhos Vedros  

A partir desta noite e até 31 de Julho visite as Festas em Honra de Nossa Senhora dos Anjos, em Alhos Vedros, e divirta-se entre as tasquinhas de comes e bebes e os espetáculos musicais. É a mais antiga das festividades do concelho da Moita que se acredita ter sido uma das mais importantes romarias no século XVI.
Hoje já não tem a "importância" de outros séculos mas continuam a atrair milhares de pessoas no final de Julho à vila ribeirinha de Alhos Vedros. Uma festa baseada, diz a história, numa lenda que percorreu os tempos desde 1148, um anos após a conquista de Lisboa pelo nosso primeiro rei. Os mouros que ficaram nas vilas de Palmela e Sesimbra... tentaram expulsar os cristãos de Alhos Vedros. Não conseguiram. Os cristãos invocado Maria Santíssima, Rainha dos Anjos, acabaram por mandar os mouros de volta às fortalezas de onde vieram. Foi uma festa. A mesma que hoje continua em nome da Rainha dos Anjos.
Os novos tempos [leia-se tempos de crise] obrigam a maiores cuidados na organização, mas ainda assim a romaria de Nossa Senhora dos Anjos "apresenta sempre uma variedade de ritmos, sabores e fé". E novidades. O desporto mistura-se com a zumba e os pilates, as regatas de barcos típicos unem-se a cicloturismo noturno. Há capoeira, karaté, atletismo e jogo da malha. Há cantigas de rua, revista à portuguesa, fados vadios, animações nas tasquinhas, desfile do Carnaval de Verão com as passistas e a procissão em honra da santa da casa, que atrai milhares às ruas de Alhos Vedros, na tarde de domingo.
A nível musical, Belito Campos abre esta noite o palco principal.
A organização considera que a originalidade das Festas em Honra de Nossa Senhora dos Anjos está na “diversidade de feirantes”, que se reflete nos “produtos que vão estar expostos”, desde “gastronomia, artesanato a exposições de automóveis”.
A Câmara da Moita também está representada nestas festas populares com um stand institucional, junto ao Lar da Santa Casa da Misericórdia de Alhos Vedros (Lar Pedro Rodrigues da Costa). Passe por lá e fique a par de toda a atividade municipal. Na sexta há Gabriel com Banda, no sábado chega Xana Carvalho e Maxi, encerra as noites musicais das festas, no domingo às 22h30.
Alhos Vedros espera receber durante os cinco dias de festa, “cerca de dez mil pessoas”, por estes dias de festa grande na freguesia. As Festas em Honra de Nossa Senhora dos Anjos tem como objetivo “reativar a confiança dos feirantes, ganhar mais visibilidade” e “projetar a imagem de Alhos Vedros, enquanto vila histórica que é”, lembra a organização.
Consulte aqui o programa completo das Festas em Honra de Nossa Senhora dos Anjos

[ + ]

Sesimbra assegura a limpeza do areal do Ribeiro de Cavalo

Falta de civismo continua a inundar uma das mais belas praias da região 

A Câmara de Sesimbra está a assegurar a limpeza do areal na praia do Ribeiro de Cavalo durante o verão, e a proceder à recolha de lixo por via marítima, como forma de contribuir para o equilíbrio ambiental de uma das mais belas e sensíveis zonas da costa de Sesimbra e da região da Arrábida. O processo, diz a autarquia, "é feito duas vezes por semana, à segunda e à sexta, por uma empresa externa e pelos serviços municipais. A opção pela via marítima "deve-se ao facto de o acesso terrestre ser sinuoso, o que tornava o transporte muito difícil", explica a Câmara de Sesimbra. Esta medida só é "necessária visto que muitos dos frequentadores da praia continuam a abandonar o lixo no areal, apesar das placas informativas que apelam ao civismo e às boas práticas ambientais", sublinha a autarquia. 
Pessoas continuam a deixar lixo numa das mais bonitas praias do país 


Note-se que o Ribeiro de Cavalo não é uma zona balnear, nem está sob responsabilidade da Câmara Municipal (A Praia do Ribeiro de Cavalo integra o Parque Natural da Arrábida e é gerida pelo Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, em termos ambientais e pela Agência Portuguesa de Ambiente no que respeita ao domínio marítimo). De qualquer forma, "a autarquia decidiu avançar para esta ação para preservar um dos ex-libris do concelho", esclarece o comunicado da autarquia.
Esta não é a primeira medida que a autarquia toma para a preservação do Ribeiro de Cavalo. Recorde-se que em 2015, a Câmara de Sesimbra já tinha colocado no local placas informativas a alertar para questões relativas à segurança da praia e a apelar ao civismo de quem visita aquele espaço.
A autarquia tem também apoiado a Agência Portuguesa de Ambiente na identificação de arribas instáveis e na colocação de placas que informam sobre risco dessas mesmas arribas. Para além disso, a Câmara de Sesimbra colabora frequentemente com várias campanhas de recolha de limpeza desta praia, organizadas pela Liga Para a Proteção da Natureza e associações locais.

Agência de Notícias
Leia outras notícias do dia em 

[ + ]

PSD questiona Governo sobre poluição em Paio Pires

Deputados social-democratas atentos à poluição da Siderurgia Nacional

Os deputados do PSD do distrito de Setúbal querem saber se está a ser cumprida toda a legislação ambiental aplicável por parte da Siderurgia Nacional, em  Paio Pires, tendo em conta as constantes queixas dos moradores das habitações que se localizam junto ao espaço onde a empresa exerce a sua atividade. Nos últimos anos, alguns moradores das urbanizações junto à Siderurgia têm apresentado queixas relativamente às emanações de gases, poeiras e outras partículas da mais variada natureza, para além do ruído produzido pelos diferentes atos inerentes ao processo de produção e, ainda, dos efluentes líquidos decorrentes desse mesmo processo.
Poluição provocada por Siderurgia preocupa deputados  

A Siderurgia Nacional, hoje propriedade do grupo Megasa, localizada na Aldeia de Paio Pires, concelho do Seixal, é uma empresa referência do setor a nível nacional, empregando centenas de trabalhadores.
Bruno Vitorino alerta para a “necessidade de se poder compatibilizar o bem-estar das populações com o funcionamento de uma empresa cuja importância é fundamental para o concelho, para a região e para o país”.
Nesse sentido, o deputado do PSD considera “importante” que a qualidade ambiental seja salvaguardada e monitorizada regularmente, através da medição da qualidade do ar, do ruído e de outros parâmetros definidos por lei.
“Para averiguar todas estas questões, colocámos um conjunto de questões tanto ao ministro do Ambiente, como à Câmara Municipal do Seixal, esperando que as mesmas tragam uma resposta concreta relativamente a esta situação”, sublinha Bruno Vitorino.

Agência de Notícias
Leia outras notícias do dia em 
[ + ]

Secundária da Baixa da Banheira certifica formanda

Qualificação de adultos permite cumprir objetivo de inclusão na comunidade

A Escola Secundária da Baixa da Banheira certificou esta semana uma utente do Protocolo do Rendimento Social de Inserção da NÓS – Associação de Pais e Técnicos para a Integração do Deficiente, sendo atualmente uma formanda certificada com equivalência ao 12º ano. Para a NÓS, este é um exemplo do cumprimento de um dos objetivos estratégicos da intervenção do seu Protocolo do RSI: “contribuir para a promoção do aumento dos níveis de qualificação e apoiar na definição e desenvolvimento de percursos de (re)inserção no mercado de trabalho”, realça a Associação de Pais e Técnicos para a Integração do Deficiente em comunicado, onde lamenta a ausência de Centro para a Qualificação no Barreiro. 
A formanda no momento da entrega do seu Certificado pelo diretor

“Agora sim, sinto que estou à altura de 'competir' com qualquer outra pessoa na procura de emprego”. Esta é a forma como ‘Maria’ [nome fictício com vista a preservar a identidade da entrevistada] encara a certificação recebida por parte da escola em parceria com a Associação NÓS.
Encaminhada pela Escola Secundária da Baixa da Banheira para um curso de Educação e Formação de Adultos. ‘Maria’ inscreveu-se em Abril de 2016 nesta escola enquanto polo do Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional do Arco Ribeirinho do Tejo que se encontra sedeado na Escola Técnico Profissional da Moita. O certificado recebido esta semana ao nível do 12º ano foi recebido como “uma mais-valia” que a fazem acreditar que “agora se vão abrir algumas portas”.“Esta certificação é muito importante para mim porque há algum tempo que esperava por isto. Cada vez mais na procura de emprego exigem o 12º ano; embora tenha experiência, sem o 12º ano não se consegue nada”, considera a atual formanda certificada.
‘Maria’ é apenas uma entre as cerca de 30 a 40 adultos que a NÓS e a Escola Secundária da Baixa da Banheira encaminharam, no último ano letivo, para respostas de qualificação de adultos, nomeadamente Cursos de Educação e Formação de Adultos, Formação Profissional Qualificante e do Sistema de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências. “Foi muito bom para ela a vários níveis, não só em termos escolares mas também a nível pessoal e social, estando agora encaminhada para uma oferta profissional que lhe surgiu”, enquadra Dália Sousa, coordenadora do ensino noturno na Escola Secundária da Baixa da Banheira e formadora de ‘Maria’.
Para a técnica de orientação do Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional do Arco Ribeirinho do Tejo, com este exemplo se demonstra que estes centros são “uma aposta na qualificação que abrange pessoas a partir dos 15 anos, que podem até fazer o prosseguimento para estudos superiores”.
Na opinião de Paula Encarnação, coordenadora do Protocolo do RSI da NÓS, a certificação obtida por ‘Maria’ concretiza um dos objetivos estratégicos da intervenção desta resposta social: “contribuir para a promoção do aumento dos níveis de qualificação e apoiar na definição e desenvolvimento de percursos de (re)inserção no mercado de trabalho, e que facilitem a autonomização dos indivíduos e famílias e uma progressiva inserção social e profissional”.
Ainda assim, visto que a parceria entre a Escola Secundária da Baixa da Banheira e a NÓS se estende a várias respostas sociais desta instituição, desde o Protocolo do RSI às Residências Autónomas, tal potencia a inclusão social seja de pessoas em situação de desvantagem social como de pessoas com deficiência. “Considera-se de extrema importância a aposta na qualificação, que, por sua vez, permite o aumento das habilitações e favorece positivamente a integração no mercado de trabalho. A aprendizagem ao longo da vida é cada vez mais importante e é de enaltecer o esforço dos adultos na procura de uma maior qualificação. Que esta certificação de 12º ano sirva de exemplo e estímulo para que outros se desafiem e apostem na sua educação e no seu processo de qualificação”, deseja Paula Encarnação.

Ausência de Centro para a Qualificação no Barreiro considerada “lacuna”
A coordenadora do Protocolo do RSI da NÓS agradece e elogia o esforço dos formandos bem como a parceria mantida com o Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional  do Arco Ribeirinho do Tejo, através da Escola da Baixa da Banheira - e da colaboração, cooperação, disponibilidade e estímulo de toda a equipa formativa -, sublinhando que todos “têm contribuído para que este processo aconteça no Barreiro”. “Nos últimos meses tem sido possível através do processo de itinerância por parte do Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional  da Escola Secundária da Baixa da Banheira, no concelho da Moita, envolver adultos residentes no Barreiro, acompanhados pela NÓS, em sessões de informação realizadas no concelho. 
Embora alguns módulos tenham de decorrer na Baixa da Banheira, por incompatibilidade de horário por parte da equipa formativa, o processo decorre no Barreiro, em locais da comunidade, disponibilizados pela Associação NÓS, onde a equipa formativa se desloca e trabalha com os formandos”, esclarece.
O Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional é, atualmente, “uma resposta inexistente no concelho do Barreiro desde a extinção dos Centros de Novas Oportunidades, em 2013”, algo que Paula Encarnação lamenta visto tratar-se de “uma resposta extremamente necessária no concelho, de forma a facilitar a adesão dos indivíduos em processos de qualificação, na proximidade das suas residências”. 
O apoio a todo o concelho do Barreiro e, essencialmente, às freguesias da Baixa da Banheira e do Vale da Amoreira do concelho da Moita é da responsabilidade do Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional  do Arco Ribeirinho do Tejo, através da Escola da Baixa da Banheira.
“Tentámos, dentro das nossas possibilidades, abranger todos os que nos solicitaram algum apoio para que houvesse informação do que são estes centros, o qual prevê não só o reconhecimento de competências, como também o diagnóstico e o encaminhamento dos seus candidatos que poderão ir para todas as ofertas formativas de várias escolas de todo o país. Cada pessoa chega ao centro e passa por várias fases: é acolhida, diagnosticada e encaminhada para um percurso escolar - que vai decorrer em qualquer escola do país - ou mesmo para o IEFP, de acordo com a sua zona de residência”, explica Dália Sousa.

Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências são “grande preocupação” 
Novas regras preocupam o desenvolvimento do ensino para adultos
Para a técnica de orientação do Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional  do Arco Ribeirinho do Tejo, o trabalho deste Centro em conjunto com diferentes instituições “tem sido muito positivo para as duas comunidades, Moita e Barreiro”. A indicação da tutela no sentido de todos os Centros cessarem atividade no final do corrente mês de Julho, por extinção do atual Governo, constitui, contudo, “uma preocupação” para todos os envolvidos.
“Vai ser criada uma nova resposta que vem substituir os Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional, razão pela qual temos indicações para não continuarmos até novas diretrizes. Mas, se nos recordarmos da janela temporal que houve entre a extinção dos CNO e o surgimento destes novos centros para a qualificação, sabemos que passou ano e meio; se agora passar o mesmo período de tempo para aparecerem os novos ‘Centros Qualifica’, é certo que é muito tempo e as pessoas desmotivam-se e os formadores não sabem inclusive como vão trabalhar”, contesta Dália Sousa.
Na nova mudança que se espera no âmbito da qualificação de adultos, a coordenadora do ensino noturno na  Escola Secundária da Baixa da Banheira  espera que a tutela tenha em linha de conta a necessidade de o processo de certificação de competências não se centrar na história de vida das pessoas para, no final, se virar para um processo escolar que culmina numa prova de exame. 
“É um exame muito longo, com vertente escrita e oral; é uma lacuna grave do processo pois é um pouco o oposto do que se procura fomentar desde o início do processo que é 'reconhecer as minhas competências' e 'o que aprendi ao longo da minha vida'. Se melhorarmos nesse aspeto penso que ganhamos todos”, esclarece a responsável.

Agência de Notícias
Leia outras notícias do dia em 
[ + ]

Obra da Ligação Intermodal Pinhal Novo Sul já começou

Novo parque de estacionamento vai ter 74 lugares a sul da estação

A empreitada “Ligação Intermodal Pinhal Novo Sul” teve início esta segunda-feira, pelo que o estacionamento na zona de intervenção estará interdito. "A intervenção vai contribuir para o ordenamento e qualificação do espaço público e da entrada sul da estação, bem como para imprimir uma nova dinâmica e centralidade à zona sul de Pinhal Novo", explica a autarquia de Palmela. 
Obras vão reordenar trânsito a sul de Pinhal Novo 

Adjudicada pelo valor de 165 mil 949 euros, a obra tem prazo de execução de 90 dias e abrange uma área de 5.300 metros quadrados. "Promover a mobilidade suave e sustentável, nomeadamente, o uso do transporte público, em detrimento do transporte em veículo automóvel individual, bem como a deslocação a pé e de bicicleta, são mais alguns dos objetivos da empreitada", diz a Câmara de Palmela.
O projeto prevê a criação de 74 lugares de estacionamento automóvel comum, quatro lugares de estacionamento para pessoas com mobilidade condicionada e dois lugares para estacionamento de táxis. Será criada uma “avenida pedonal” com árvores, que irá fazer a ligação da Rua Infante D. Henrique à entrada da estação ferroviária, bem como ao estacionamento, a poente, com rampas e escadas, e uma via para ciclistas e peões, que ligará a entrada sul da estação da REFER ao caminho pedonal a nascente do estacionamento, entre os limites do caminho férreo e a escola de 2.º e 3.º ciclos José Maria dos Santos.


[ + ]

Bocage volta ao centro histórico de Setúbal

Poemas dão origem a esculturas espalhadas pela cidade do poeta 

Uma nova série de quatro estruturas artísticas, com intervenções plásticas e poemas inscritos, foram inauguradas no centro histórico de Setúbal, dando continuidade ao projeto “Bocage na Rua – 30 Poemas”. A iniciativa, promovida pelo Teatro Estúdio Fontenova e a Câmara de Setúbal, no âmbito das Comemorações dos 250 Anos do Nascimento de Bocage, está a definir, faseadamente e por diferentes ruas da Baixa da cidade, um itinerário para passeio pedestre em que o público pode admirar intervenções de artistas plásticos em estruturas que remetem para curiosidades literárias ou biográficas de Bocage no período em que o poeta viveu em Setúbal, onde nasceu em 1765.
Monumentos de Bocage estão espalhados pela Baixa de Setúbal 

A originalidade do projeto, que pretende devolver às ruas da cidade memórias de Bocage, inclui, ainda, a apresentação em vídeo da interpretação dos poemas divulgados em cada estrutura instalada na via pública, com o público a poder aceder aos conteúdos no YouTube e através de códigos QR, legíveis através de smartphones ou outros aparelhos eletrónicos com acesso à Internet e câmara de vídeo.
As inaugurações deste sábado, que voltaram a contar com as participações do vereador com o pelouro da Cultura, Pedro Pina, e do diretor do Teatro Estúdio Fontenova, José Maria Dias, começaram com a estrutura número cinco, localizada na Avenida Luísa Todi, defronte à Galeria Municipal do Banco de Portugal, e onde, na época bocagiana, era ocupada pelo rio Sado, fonte de inspiração do poeta.
A intervenção plástica é da autoria de Wagner Borges e os poemas, sempre dois em cada estrutura, são interpretados por Rafaela Bidarra e Matilde Javier Ciria e Tânia Cardoso e Rodrigo Crespo (Canto Ondo).
A estrutura número seis, concebida por André Mares, encontra-se também na Avenida Luísa Todi, mas em frente à Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal, antigo Quartel do Regimento de Infantaria 11, onde Bocage assentou praça voluntariamente em 1781. Os sonetos são interpretados por José Lobo e Odete Santos.
Ainda na mesma avenida, junto de uma outra fachada do antigo quartel, onde se localizava o Postigo do Cais, ponto de referência na Setúbal de antigamente, está a sétima estrutura, intervencionada igualmente por André Mares.
Um Corpo Estranho e José Nobre são os artistas que protagonizam a interpretação dos poemas divulgados neste local.
A terminar esta série de inaugurações, a oitava estrutura foi apresentada ao público no Largo Defensores da República, ao lado do Museu do Trabalho Michel Giacometti, junto da Porta de São Sebastião, também importante via de acesso e saída de Setúbal durante vários séculos.
Prahlad Fernando Aranda é o autor da estrutura, que divulga poemas de Bocage através das interpretações de Moniztico e de Maria Clementina.
Todas as inaugurações foram pontuadas com performances artísticas de Eduardo Dias e Bruno Moraes.
Quando estiver concluído, o projeto “Bocage na Rua – 30 Poemas” vai ser constituído por um itinerário de 15 estruturas dispersas pelo centro histórico de Setúbal.
As restantes inaugurações estão agendadas para 21 de Agosto e 14 de Setembro, esta última data véspera de mais um aniversário do nascimento de Bocage e feriado municipal no concelho de Setúbal.
As primeiras quatro estruturas foram inauguradas a 25 de Junho e, desde então, o conjunto de vídeos com interpretações dos sonetos bocagianos disponibilizados no YouTube totaliza mais de 1300 visualizações.

Agência de Notícias
Leia outras notícias do dia em 

[ + ]

Hospital de Almada com Serviço de teledermatologia

Utentes de Almada e Seixal irão ter rastreio dermatológico

O Hospital Garcia de Orta, em Almada, já tem em funcionamento, em fase experimental, um serviço inovador de rastreio de dermatologia à distância - Teledermatologia, que permite uma rápida assistência dermatológica à população. A Teledermatologia no Hospital Garcia de Orta encontra-se em funcionamento desde o início do corrente mês e conta já com mais de 30 pareceres dermatológicos realizados através deste sistema.
Garcia de Orta com serviço de teledermatologia 

Para a implementação deste serviço foram adquiridas quatro máquinas fotográficas digitais que foram distribuídas por quatro Unidades de Saúde do ACES Almada Seixal, que vão possibilitar o rastreio dermatológico à população, de lesões malignas da pele.
Desta forma, o médico de Medicina Geral e Familiar, ao detetar no utente uma situação suspeita, tira algumas fotografias que envia pelo sistema eletrónico de marcação de consultas – Consulta a Tempo e Horas, para o Serviço de Dermatologia do Hospital Garcia de Orta. Após análise dermatológica serão transmitidas indicações de diagnóstico e tratamento ao médico da Unidade de Saúde ou o utente será encaminhado para consulta de dermatologia no Garcia de Orta
Segundo Elvira Bártolo, Diretora do Serviço de Dermatologia do Hospital de Almada, “a implementação da Teledermatologia no Hospital Garcia de Orta poderá representar uma diminuição efetiva do tempo de resposta ao utente bem como uma triagem mais eficaz dos doentes, estabelecendo prioridades de forma mais correta. Por outro lado, poderá ainda ser evitada a deslocação de doentes sem indicação para a consulta de dermatologia e permitir que algumas situações simples sejam resolvidas nas Unidades de Saúde do ACES Almada Seixal, através da indicação do diagnóstico e tratamento ao médico de Medicina Geral e Familiar”, explica a médica.

Sobre a Teledermatologia
Teledermatologia representa o envio de informação médica dermatológica entre dois ou mais pontos separados fisicamente, utilizando tecnologia de telecomunicação e informática, visando à promoção de saúde e educação de doentes, médicos e outros profissionais de saúde.
A dermatologia lida com o diagnóstico de mais de duas mil condições que afetam a pele e colabora com as demais especialidades por meio do reconhecimento das manifestações cutâneas das doenças sistémicas. Sendo o dermatologista o profissional médico mais qualificado no reconhecimento dessas afeções, o manejo de dermatoses por médicos não especialistas pode representar atraso diagnóstico, uso de terapêuticas inadequadas, desenvolvimento de sequelas e aumento do custo de saúde.

Agência de Notícias
Leia outras notícias do dia em 

[ + ]

Reserva natural do estuário do Tejo celebra 40 anos

"Vivemos cada vez mais uma ligação com a natureza e temos que saber respeitá-la" 

A reserva natural do Estuário do Tejo comemorou o seu 40.º aniversário com um dia aberto em Alcochete que, organizado pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, contou com a presença da secretária de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Célia Ramos. No dia em que se comemorou um mês da sua viagem inaugural, o bote Leão foi mais uma vez o “anfitrião” de uma tarde de festa dando início ao programa de aniversário com um passeio no rio Tejo ao longo da extensa reserva natural, desta vez acompanhado pelo Amoroso, uma das embarcações tradicionais do município do Seixal.
Bote Leão levou personalidades à Reserva natural do Estuário do Tejo

A acompanhar a secretária de Estado, estiveram a bordo a vereadora do município de Alcochete, Raquel Prazeres, a vogal do conselho diretivo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), Sofia Castel-Branco da Silveira, o representante da Entidade Regional de Turismo de Lisboa, Jorge Humberto, o presidente da Fundação das Salinas do Samouco, Firmino Sá, autarcas do município de Benavente, vários técnicos e dirigentes do ICNF e outros profissionais relacionados com áreas protegidas e biodiversidade.
Apesar do ambiente descontraído, o percurso com uma duração aproximada a três horas, foi aproveitado pelos técnicos do ICNF, Ricardo Espírito Santo e Vítor Encarnação, para apresentar algumas caraterísticas da reserva natural do Estuário do Tejo, a sua diversidade, riqueza e importância para a avifauna aquática que, em épocas de passagem migratória, chega a registar a presença de cerca de 120 mil aves.
“Festejar um aniversário é sempre um momento para refletir sobre o que foi o passado, mas, é também um momento para pensarmos na visão do que poderá, e deverá ser o futuro e, portanto, nós estamos muito apostados em afirmar aquilo que é a rede nacional de áreas protegidas”, começou por referir a secretária de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza na inauguração da exposição comemorativa dos 40 anos, no edifício sede da reserva natural do Estuário do Tejo.
Célia Ramos referiu que as múltiplas dimensões relacionadas com o Estuário do Tejo, como a biodiversidade (com a quantidade de comunidades existentes e as suas variabilidades), a proximidade com uma área metropolitana e litoral e o processo de alterações climáticas, "são questões de natureza transversal, que devem ser vistas de uma forma integrada e holística, e que não podem deixar de ser cruzadas com o ordenamento do território".
Apelando a "uma gestão e política de proximidade, quer nacional como local", a secretária de estado salientou o esforço que tem sido desenvolvido na área da promoção, dando como exemplo, a marca Natural.PT. “É uma marca que queremos que seja aglutinadora daquilo que existe nas nossas áreas protegidas e este é o objetivo central da nossa ação” referiu.

O que mudou em 40 anos  
Por sua vez, a vereadora da câmara de Alcochete, Raquel Prazeres, e no contexto das preocupações e alterações climáticas, relembrou que “há 40 anos não havia o alerta para as questões da natureza e da sua proteção, como há hoje em dia, o que, no fundo, também leva a uma mudança de mentalidades que, de facto, tem que continuar a existir”.
“Vivemos cada vez mais uma ligação com a natureza e temos que saber respeitá-la. Temos, de facto, de dar os parabéns à  reserva da reserva natural do Estuário do Tejo,  porque tiveram a sua influência positiva e o trabalho está à vista”, acrescentou ainda Raquel Prazeres que frisou a grande área de reserva que existe no território concelhio.
Da mesma opinião partilhou Sofia Castel-Branco da Silveira que destacou que “estes 40 anos marcam bem aquilo que tem vindo a ser o trabalho deste serviço”. “O ano de 1976 foi, de facto, um ano histórico para o nosso país. Temos um conjunto de áreas protegidas, das quais esta, hoje, celebra o seu 40.º aniversário, com uma dimensão impecável e que marca a diferença do que foi, e do que é, o nosso território”, reforçou a representante da Entidade Regional de Turismo de Lisboa.
Na sede da reserva natural do Estuário do Tejo  poderá visitar a exposição comemorativa dos 40 anos com pequenos núcleos diferenciadores e que espelham várias dimensões da reserva natural, seja através das ilustrações com espécies de aves e mamíferos, das aguarelas da autoria de Alfredo Conceição, do documentário “Estuário – As margens selvagens do Tejo” da PL&C ou da mostra de barcos que integram o fundo de reserva da reserva natural do Estuário do Tejo.

Agência de Notícias
Leia outras notícias do dia em 
[ + ]

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010