Dá um Gosto ao ADN

Nossa Senhora da Oliveira leva festa a Canha até domingo

Vila mais antiga do concelho do Montijo está em festa

A tradicional festa da mais antiga localidade do concelho do Montijo, em Honra de Nossa Senhora da Oliveira, está de regresso à vila de Canha entre os dias 31 de Agosto e 2 de Setembro. O programa é diversificado e abarca bailes, tasquinhas, concertos, charanga, largadas de toiros e momentos religiosos, sendo que o destaque vai para a atuação de Sons do Minho, Ricardo e Henrique e Toy [esta sexta, sábado e domingo respectivamente]. Na vertente religiosa, destaque para a missa e a procissão em Honra de Nossa Senhora da Oliveira que terão lugar no dia 2 de Setembro, a partir das 18 horas.
Canha está em festa a partir de sexta-feira 

A partir do último dio de Agosto, Canha, no concelho do Montijo, está em festa por honra de Nossa Senhora da Oliveira. Entre outros eventos, bailes, largadas, charanga, espetáculos musicais e a tradicional procissão em honra de Nossa Senhora da Oliveira compõe o programa das festas.
No dia 31 de Agosto, as Festas em honra de Nossa Senhora da Oliveira vão contar com a presença dos Sons do Minho, às 22h30, no palco principal. No dia seguinte, 1 de Setembro, à mesma hora, será a vez da dupla romântica Ricardo e Henrique. No final do concerto, existirá ainda um bailarico, uma atuação da Charanga "O Cavalinho", uma noite de sardinhada com pão e vinho da região que promete prolongar-se até ao nascer do dia.
Para finalizar, no dia 2 de Setembro, às 18 horas realiza-se a procissão em honra de Nossa Senhora da Oliveira, pelas ruas da vila, sendo acompanhada pela Banda da Sociedade Filarmónica 1.º de Dezembro do Montijo.
Ás oito da noite, no palco das tasquinhas, há Anau Arrufar Montijo. Às 20h30 há um festival de folclore e às 22 horas, Toy, no palco principal, encerra os apontamentos musicais da festa, seguindo-se o fogo de artifício, à meia noite.
O presidente da Câmara Municipal do Montijo, Nuno Canta, realça o esforço e a dedicação da Comissão de Festas e de todos os envolvidos na organização. “É nestes tempos que nos temos que unir para defender a cultura, as tradições e a memória das nossas gentes. Cuidar da cultura é respeitar e valorizar a memória coletiva, o que faz parte dos nossos deveres para com o futuro da comunidade de Canha”, sublinha o autarca.
"Aproveite esta oportunidade para conhecer e visitar a mais antiga localidade do concelho do Montijo e divirta-se nas Festas de Canha", sublinha a autarquia do Montijo.
Consulte aqui o programa completo das Festas de Canha.

Agência de Notícias 

[ + ]

Obras consolidam encosta do Forte de Setúbal

Autarquia garante segurança no Forte de São Filipe 

As obras de consolidação estrutural da encosta do Forte de São Filipe, lideradas pela Câmara de Setúbal, ficam concluídas no primeiro trimestre de 2019.  A empreitada em curso contempla trabalhos de grande complexidade, com intervenções em zonas de difícil acesso, que visam estabilizar a encosta do forte e evitar derrocadas.O objetivo primordial é "garantir a segurança de pessoas e bens, tanto na utilização daquele património como nos espaços e equipamentos envolventes, nomeadamente o Parque Urbano de Albarquel e a estrada de acesso às praias da Arrábida", diz a autarquia sadina. 
Obras concluídas no inicio de 2019 

No último trimestre de 2011, o LNEC – Laboratório Nacional de Engenharia Civil identificou um cenário de elevado risco de derrocada da encosta, em especial na ocorrência de fenómenos naturais, como sismos ou chuvas torrenciais.
Esta situação levou a Enatur, empresa responsável pela gestão da pousada do Forte de São Filipe, a determinar, em 2014, o encerramento temporário daquela unidade hoteleira até à realização de obras de estabilização da encosta.
Através de um protocolo de cooperação técnica e financeira assinado em 2016 com as direções-gerais do Tesouro e Finanças e do Património Cultural, bem como com a Enatur e o LNEC, a Câmara de Setúbal assumiu a liderança do projeto de consolidação, substituindo-se ao Estado, responsável pelo monumento nacional.
A autarquia, que realizou ações pontuais para reverter a tendência de instabilidade da encosta, solicitou intervenção do LNEC para encontrar uma solução técnica que, após vários estudos, verificações e ensaios, culminou num projeto de execução.
A empreitada “Intervenção de natureza estrutural para evitar derrocadas na encosta do Forte de São Filipe”, liderada pela autarquia, materializa um investimento de um milhão 156 mil euros acrescido de IVA, comparticipado em 85 por cento por fundos comunitários, canalizados através do PO SEUR – Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, no âmbito do Portugal 2020.
A autarquia suporta, no imediato, os restantes 15 por cento, mas será depois ressarcida pelo Estado.
"As obras de contenção entretanto realizadas no âmbito da empreitada de consolidação da encosta em curso permitiram que, graças a um contrato de comodato celebrado com o Grupo Pestana Pousadas em Janeiro de 2017, a autarquia reativasse o bar e a esplanada do Forte de São Filipe, assim como a área de receção e sanitários da pousada, devolvendo assim o usufruto do monumento à utilização pública, de forma condicionada", sublinha a Câmara de Setúbal.
Os espaços agora geridos pela Câmara Municipal, para atividades de apoio e de acolhimento a turistas, "encontram-se afastados dos locais alvo de trabalhos de consolidação estrutural, o que viabiliza uma utilização em segurança", realça a autarquia.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 
[ + ]

Barreiro lança concurso para instalar iluminação LED

Município vai poupar 50 mil euros por ano na iluminação pública 

O município do Barreiro vai lançar um concurso público para a substituição de 10.865 lâmpadas de mercúrio por iluminação LED, o que vai permitir uma poupança energética anual de cerca de 50 mil euros, informa a autarquia. "Com a instalação de iluminação LED a Câmara do Barreiro poupará meio milhão de euros em 12 anos. Anda à volta de uma poupança de 50 mil euros por ano, face àquilo que é o consumo médio do município nos últimos dois anos", disse o vereador do Planeamento, Gestão Territorial e Equipamento, Rui Braga. 

Barreiro substitui iluminação pública 

Segundo o autarca, será lançado em breve o concurso público de investimento privado para Empresas de Serviços de Energia, com "um valor estimado de 3,5 milhões de euros".
O município fará um contrato com a empresa de energia vencedora do concurso que "pode variar entre os seis e os 12 anos".
A instalação de iluminação LED "garante à partida 60 por cento de poupança face aos consumos atuais" e, desse valor, o município pagará 90 por cento à emprega de energia, o que representa "uma poupança de 10 por cento para a autarquia" nos custos com a iluminação pública, explicou Rui Braga.
Para o vereador, além da poupança de energia e das razões ambientais, esta iniciativa vai "dar um sentimento de qualidade de vida aos barreirenses e também de mais segurança", até porque o concelho ainda tinha "lâmpadas de mercúrio que a lei já nem permite instalar".
Será instalado um sistema de telegestão que permite "um controlo mais eficiente das falhas de energia no espaço público".
A conclusão do concurso público está prevista para o final do ano, assim como a fase inicial de instalação das luzes LED.
"Nós gostávamos muito de dar uma prenda de Natal aos barreirenses. Se o concurso correr bem, é possível que em novembro ou dezembro estejamos a instalar parte da iluminação LED e é para isso que estamos a correr, mas o prazo de instalação é de 12 meses depois de concessionarmos a obra", sublinhou o vereador do Planeamento, Gestão Territorial e Equipamento.

Agência de Notícias com Lusa
[ + ]

Festa das Vindimas celebra tradição vitivinícola de Palmela

Cultura da vinha e do vinho em celebração cultural

A Câmara de Palmela espera “muitos milhares de visitantes” na 56ª edição da Festa das Vindimas, que vai realizar-se entre os dias 30 de Agosto e 4 de Setembro. Maria Leal, Sara Tavares, Tiago Nacarato, The Black Mamba, Os Azeitonas, Blaya, Slow J e Toy são alguns dos nomes que compõem o cartaz musical do certame. O evento vai contar com momentos tão marcantes e tradicionais como a eleição da Rainha das Vindimas, [já esta noite] o Cortejo dos Camponeses, a Pisa da Uva e a Bênção do 1.º Mosto e os Cortejos alegóricos diurno e nocturno. A Festa das Vindimas aposta ainda na gastronomia e nos produtos locais, bem como no desporto, na cultura e na animação. A festa é organizado pela Associação de Festas de Palmela – Festa das Vindimas, com o apoio da Câmara de Palmela.
Festa das Vindimas começa  com eleição da Rainha

Para muitos a última quarta-feira do mês de Agosto representa o início da Festa da Vindimas. Em nome da vinha, do vinho, da uva e, sobretudo, em nome, de uma Palmela com tradição e dos homens e das mulheres que fazem a vindimas por essas vinhas a perderem de vista.
Hoje em dia, as Festas das Vindimas, são um evento que leva até à vila peregrinações de gente de todos os lados do País.
Este ano, a 56.ª edição está marcada entre 30 de Agosto e 4 de Setembro. Antes disso é eleita a rainha das Vindimas. Em nome deste emaranhado de coisas e sentimentos, a eleição da Rainha das Vindimas é, desde os primeiros tempos das festas imaginadas por Álvaro Cardoso e Jacinto Pereira, o momento mais alto da “cultura palmelense”. Maria Angelina Rodrigues abriu a galeria mágica das rainhas em 1963. Depois dela a galeria foi crescendo e as meninas de Palmela e tudo há volta trazem nos sonhos e nos olhos a “secreta esperança” de serem, por um ano, a Rainha das Vindimas.
A partir daí, são seis dias de festa, 24 horas por dia. A organização espera este ano muitos milhares de visitantes, que, todos os anos animam “esta celebração da cultura da vinha e do vinho, fortemente enraizada nesta região”.
Quem visita a Festa das Vindimas, em Palmela, sabe que um dos momentos altos que antecede o evento nas ruas é a Gala de Eleição da Rainha das Vindimas 2018. O concurso decorre já esta noite, 29 de Agosto, no Cineteatro S. João, dando o arranque para seis dias de festa. Uma gala que contará com um espetáculo com Celina da Piedade, autora da Marcha das Vindimas 2018.
Do programa, entre 30 de Agosto e 4 de Setembro, destacam-se as tradicionais celebrações da pisa da uva e bênção do primeiro mosto, cortejo dos camponeses e cortejo das vindimas, da autoria de José Condeça, nesta edição alusivo ao Ano Europeu do Património Cultural. O cortejo vai contar com a participação de 13 carros temáticos e seis grupos em desfile com 125 figurantes a pé.
Os espetáculos musicais são também um dos atrativos da festa. Este ano, pelo palco principal vão nomes da música portuguesa, de diversos estilos, como Maria Leal, a quem cabe abrir a primeira noite de festa, Sara Tavares, Tiago Nacarato, The Black Mamba, Os Azeitonas, Blaya, Slow J e Toy.
No espaço Adegas Wine Lounge, no Largo de S. João, todos os visitantes têm a oportunidade de provar e adquirir os melhores vinhos produzidos pelas várias adegas da região. A gastronomia e os produtos locais, o desporto, a cultura, o movimento associativo, a feira e a animação infantil são outros atrativos do evento.

Programa
Quarta-feira, 29 de agosto


21h30 – Gala de Eleição da Rainha das Vindimas 2018
Espetáculo com Celina da Piedade
Marcha das Vindimas 2018
Letra e música: Celina da Piedade
Cineteatro S. João
Quinta-feira, 30 de agosto
19h30 – Receção às entidades oficiais
Paços do Concelho, Largo do Município
20h00 – Inauguração oficial
Funparra
Paços do Concelho, Largo do Município
21h00 – Diana Cravo
Palco Adegas Wine Lounge
22h00 – Baile da Uva “Mijona”
Maria Leal
Trio Saudade
Polidesportivo da Terra do Pão
22h30 – Sara Tavares
Palco Principal
00h00 – Miguel Azevedo
Palco Adegas Wine Lounge
00h00 – Largada de touros
Av. Rainha D.ª Leonor

Sexta-feira, 31 de agosto
09h00 – Arruada
Gaiteiros do Círio dos Olhos d’Água
19h30 – Pôr-do-sol n’Adega
Iniciação à análise sensorial, com 5 vinhos à prova
Enóloga Filipa Silva
Espaço Adegas Wine Lounge
Coorg.: Viniemotion Tours
Sujeito a inscrição prévia paraviniemotiontours@gmail.com
19h00 – Flashdance by Inspira#Atitude
Largo de S. João
20h30 – Desfile de moda e apresentação dos novos equipamentos Palmelense FC época 2018/2019
Coorg.: PFC e Laraly Consultadoria e Imagem
Largo de S. João (junto ao Fontanário)
21h00 – Espetáculo equestre
Centro Hípico Crinus
Av. Rainha D.ª Leonor
21h00 – Concerto pela Banda de Música da Sociedade Filarmónica Humanitária
Direção musical: Maestro João Paulo Quítalo
Cineteatro S. João
22h00 – The Jukeboxers
Palco Adegas Wine Lounge
22h00 – Baile da Uva “Mijona”
Eurico André
Polidesportivo da Terra do Pão
23h00 – Tiago Nacarato
Palco Principal
01h00 – Big Up
Palco Principal
01h00 – Largada de touros
Av. Rainha D.ª Leonor
01h30 – Animação com o DJ Rui Amorim
Palco Adegas Wine Lounge
Sábado, 1 de setembro
09h00 – Arruada
Gaiteiros do Círio dos Olhos d’Água
09h00 – Colheita de sangue (até às 20h00)
Org.: Núcleo de Dadores de Sangue dos Bombeiros de Palmela
Centro Paroquial de Palmela, Igreja de S. Pedro
09h30 – Passeio a cavaloVisitas à Casa Agrícola Horácio Simões e Adega Camolas
Saída dos Armazéns Gerais da CMP
10h00 – Largada de touros
Av. Rainha D.ª Leonor
12h00 – Churrascão Palmelão
Animação com Telmo Falcão
Av. Rainha D.ª Leonor
14h30 – “Quem sabe mais sobre a Vinha e o Vinho da Península de Setúbal”
Concurso/jogo (sistema ‘Quiz’)
Produtora Rumo de Sabores
Biblioteca Municipal de Palmela
15h00 – II Torneio de Xadrez
Coorg.: Palmela Desporto
Largo de S. João (junto à Biblioteca)
Sujeito a inscrição prévia para geral@palmeladesporto.pt
16h00 – 3.ª Rampa das Vindimas
Coorg.: Ciclomania
Rua dos Aviadores Gago Coutinho e Sacadura Cabral (sentido ascendente)
Sujeito a inscrição prévia para ciclomaniapalmela@gmail.com
17h00 – Pequeno é Bonito (até às 21h00)
Autora Fátima Madruga
Exposição ambulante de pintura, com destaque para o tema da vinha e do vinho
Biblioteca Municipal de Palmela
17h00 – Vacada
Av. Rainha D.ª Leonor
17h30 – 13.º Troféu de Orientação das Vindimas
Participação gratuita
Coorg.: ES Palmela e ES Pinhal Novo
Centro Histórico de Palmela
19h00 – Entrega de diplomas “La Selezione del Sindaco” aos produtores de Palmela vencedores no concurso internacional de vinhos 2018
Espaço Adegas Wine Lounge
21h00 – Flashmob by Inspira#Atitude
Largo de S. João
21h00 – Sociedade Filarmónica Palmelense Loureiros
Banda de Música e Grupo Coral
Direção musical: Maestro Pedro Ferreira e Maestrina Filipa Palhares
Cineteatro S. João
22h00 – Pringá
Palco Adegas Wine Lounge
22h00 – Baile da Uva “Mijona”
Telmo Falcão
Polidesportivo da Terra do Pão
23h00 – The Black Mamba
Palco Principal
01h00 – Sérgio Mota
Palco Principal
01h00 – Largada de touros
Av. Rainha D.ª Leonor
01h00 – Animação com o DJ Pedro Ramalho
Palco Adegas Wine Lounge

Domingo, 2 de setembro10h00 – Cortejo dos Camponeses
Rancho Folclórico de Rio Frio
Cavalinho da Sociedade Filarmónica Humanitária
Partida do Largo do Chafariz D. Maria I
10h00 – 19.º Passeio Motard das Vindimas pelo Concelho de Palmela e visita à Bacalhôa Vinhos, com almoço na sede do Moto Clube
Coorg.: Moto Clube de Palmela
Partida do Largo de S. João
11h00 – Pisa da Uva e Benção do 1.º Mosto
Participação da Confraria do Moscatel de Setúbal
Igreja Matriz de S. Pedro
12h00 – Missa de Ação de Graças
Igreja Matriz de S. Pedro
16h00 – Entrega de prémios do concurso “A Melhor Vinha”
Coorg.: Avipe e CVR Península de Setúbal, com o apoio da Sapec e Syngenta
Espaço Adegas Wine Lounge
17h00 – Cortejo das Vindimas 2018
Saída do Miradouro do Castelo de Palmela
Tema: Ano Europeu do Património Cultural
Autoria: José Condeça
18h00 – Batismos equestres
Centro Hípico Crinus
Av. Rainha D.ª Leonor
19h00 – Pôr-do-sol n’Adega
Tema: Moscatel Tasting Experience das Vinhas para o Mundo, com o enólogo Virgílio Loureiro
Coorg.: Nature-Affairs.com
Sujeito a inscrição prévia em info@nature-affairs.com
21h00 – Demonstração equestre
Centro Hípico Crinus
Av. Rainha D.ª Leonor
21h00 – Exibição do filme “Setembro a Vida Inteira”
Realizadora Ana Sofia Fonseca
Entrada livre
Cineteatro S. João
22h00 – Os Azeitonas
Palco Principal
22h00 – Baile da Uva “Mijona”
Flávio Oliveira
Polidesportivo da Terra do Pão
23h00 – Bossa & Morna
Palco Adegas Wine Lounge
00h00 – Blaya
Palco Principal
00h00 – Largada de touros
Av. Rainha D.ª Leonor
00h00 – Leonel Nunes – O Homem do Garrafão
Palco Adegas Wine Lounge

Segunda-feira, 3 de setembro
09h00 – Arruada
Gaiteiros do Círio dos Olhos d’Água
17h00 – Largada de touros
Av. Rainha D.ª Leonor
19h30 – Pôr-do-sol n’Adega
Tema: A influência da Casta Castelão na Península de Setúbal, com António Saramago, o enólogo mais antigo da região
Espaço Adegas Wine Lounge
19h00 – Flashdance by Inspira#Atitude
Largo de S. João
21h00 – Demonstração equestre
Centro Hípico Crinus
Av. Rainha D.ª Leonor
21h00 – Samba sem Fronteiras
Palco Adegas Wine Lounge
21h00 – Clarabóia
Palco Principal
21h30 – Exibição do Filme “Setembro a Vida Inteira”
Realizadora Ana Sofia Fonseca
Entrada Livre
Cineteatro S. João
22h00 – Baile da Uva “Mijona”
Jorge Nice
Polidesportivo da Terra do Pão
22h30 – Slow J
Palco Principal
00h00 – Trio Triskle
Palco Adegas Wine Lounge
00h00 – Largada de touros
Av. Rainha D.ª Leonor

Terça-feira, 4 de setembro
09h00 – Arruada
Gaiteiros do Círio dos Olhos d’Água
10h00 – Manhã infantil
Coorg.: Centro Social de Palmela
Polidesportivo da Terra do Pão
18h00 – Largada de touros
Av. Rainha D.ª Leonor
21h30 – Os Meus Meninos
Palco Adegas Wine Lounge
23h00 – Cortejo Noturno das Vindimas 2018
Saída do Miradouro do Castelo de Palmela
Tema: Ano Europeu do Património Cultural
Autoria: José Condeça
01h00 – Simulacro de incêndio do Castelo de Palmela
01h15 – Toy
Palco Principal
01h15 – Animação com o DJ Pedro Monchique
Palco Adegas Wine Lounge
01h15 – Baile da Uva “Mijona”
Trio Saudade
Polidesportivo da Terra do Pão
[ + ]

Feira do Monte em Santiago do Cacém mostra tradições

A feira mais antiga do concelho está de volta no último dia de Agosto

A Feira do Monte, uma das mais antigas do litoral alentejano, vai decorrer em Santiago do Cacém, a partir de sexta-feira e até Domingo, para dar a conhecer as tradições e o artesanato da região. Segundo a câmara municipal, entidade promotora do certame, a iniciativa remonta ao século XVI, quando se realizava em torno da antiga igreja de Nossa Senhora do Monte. A edição de 2018 do evento vai ter lugar no Parque de Feiras e Exposições local. O evento, além de incluir uma feira franca, constitui “uma montra para os artesãos e produtores” do concelho e da região do Alentejo e, como novidade, inclui este ano um espaço de trabalho ao vivo. Jogos tradicionais, garraiadas, recriação do mastro, diversões, tasquinhas, ‘showcooking’, doçaria e espetáculos musicais, com David Antunes, Messias Maricoa, Valas e José Cid, assim como grupos corais e DJ, são outras das apostas do programa.
Feira do Monte leva milhares a Santiago do Cacém 

Santiago do Cacém prepara-se para celebrar uma tradição com cerca de meia-dúzia de séculos de existência. A partir do próximo dia 31 de Agosto a 2 de Setembro, no Parque de Feiras e Exposições, realiza-se a Feira do Monte, uma das mais antigas do Alentejo Litoral, destaca a Câmara de Santiago do Cacém.
Segundo a autarquia, a festividade remonta ao Século XVI. “Realizava-se em torno da antiga Igreja de Nossa Senhora do Monte no dia das festividades em Honra da padroeira”, explica a autarquia, sublinhando que actualmente “a Feira do Monte ganha cada vez mais destaque, sendo uma montra para os artesãos e produtores do concelho, mas também da região alentejana”.
A edição deste ano apresenta uma novidade: “o espaço oficina ‘Artesanato Passo a Passo’, onde os visitantes podem assistir ao vivo ao trabalho dos artesãos e aprender a sua arte”.
O Parque de Feiras e Exposições de Santiago do Cacém não acolherá apenas a feira franca, conforme faz notar a edilidade. “Os visitantes podem escolher entre um passeio de Tuk-Tuk ou testar a sua perícia nos jogos tradicionais, para os mais afoitos há as garraiadas onde podem mostrar o que valem. Sendo este um certame que preserva tradições, a recriação do Mastro é outro dos pontos de interesse. A feira tem ainda as habituais diversões cheias de luz, som e movimento”.
Além destes atractivos, a autarquia lembra ainda os tradicionais petiscos e menus de degustação, destacando as sessões de Showcooking dedicadas aos pratos de enguia, tomate e de caça. Doçaria e boa pinga também constam das propostas gastronómicas.
“Durante a Feira do Monte será apresentada e degustada a Melosa e o Medronho da destilaria Black Pig. Os mais gulosos podem provar os produtos de doçaria da pastelaria Baú Doce do Cercal do Alentejo e os biscoitos do mastro da D. Maria Antónia Raposo”, realça ainda a Câmara Municipal.
No que toca a espectáculos musicais, vão subir ao palco nomes como David Antunes, na sexta-feira (31 de Agosto), Messias Maricoa e Valas, no sábado (1 de Setembro) e José Cid, no domingo (2 de Setembro). Haverá ainda actuação dos Grupos Corais da Casa do Povo do Cercal do Alentejo e Vozes Além’Tejo, momentos de fado ao despique e noites longas animadas por Dj’s.
[ + ]

Animal contra "Corrida aos Patos" em Porto Covo

Organização nega violência para com os patos 

A associação Animal exigiu o cancelamento da “Corrida aos Patos” prevista para esta quarta-feira em Porto Covo, no concelho de Sines, mas a organização nega qualquer ato de violência e pretende manter o evento. O presidente da Junta de Freguesia, Cláudio Rosa, responde e acusa a Animal de “bullying psicológico”. Além da “Corrida aos Patos”, as festas desta aldeia turística do concelho de Sines, que terminam nesta quinta-feira, incluem iniciativas como uma procissão das velas, um concerto com João Pedro Pais e fogo-de-artifício.
Corrida aos patos é tradição em Porto Covo 

Em comunicado, referindo ter relatos de pessoas conhecedoras desta tradição - que se repete todos os anos por altura das Festas de Porto Covo, em honra da padroeira da aldeia -, a associação frisou que se trata de “um evento cruel e absolutamente desnecessário”.
“Largam-se patos na baía, cortam-lhes parte das penas das asas para ser mais difícil a movimentação e as pessoas andam a nadar atrás deles”, disse.
A Animal manifestou-se também empenhada em “impedir a realização da ‘Corrida aos Patos’”, tal como “já aconteceu com tantos outros eventos em que o mote é o abuso dos animais”. Para tal, a associação apelou ao envio de e-mails com o intuito de cancelar a iniciativa: “Iniciámos há três dias um apelo aos nossos apoiantes para um envio massivo de e-mails para o presidente da Câmara de Sines e para o presidente da Junta de Freguesia de Porto Covo”.
“Embora tenham seguido já centenas de mails, a verdade é que ainda não recebemos resposta”, adiantou a associação de defesa dos animais.
A presidente da Animal, Rita Silva, reiterou ontem ainda, em declarações à agência Lusa, que “a atitude correcta é parar” com o evento, agendado para as 15 horas desta quarta-feira, na baía de Porto Covo.
“Há uns meses impedimos duas apanhas do porco e vamos sempre apelar para que as pessoas escrevam às entidades responsáveis com a intenção de que estas substituam esta parte da diversão por uma coisa que não seja cruel”, afirmou, considerando “estranha e desrespeitosa” a falta de respostas da organização.
A dirigente argumentou também que, “em 2018, a tradição não pode ser justificação para tudo e não faz sentido andar a correr atrás do animal”. “Neste caso, as pessoas podem levá-lo para casa e não deve ser para fazer festas”, acrescentou.

Junta critica atuação da associação Animal
Contatado pela Lusa, o presidente da Junta de Freguesia de Porto Covo, Cláudio Rosa, acusou a Animal de “bullying psicológico” e de agir de forma incorrecta.
“Antes de fazerem queixas vinham ver se a organização põe em causa a integridade física dos animais e, depois, podiam agir judicialmente ou fazer o que entendessem”, afirmou o autarca, que remeteu para mais tarde outras declarações sobre o assunto, durante a largada dos patos.
Por sua vez, Andreia Lobato Ferreira, tesoureira da Junta de Freguesia, confirmou a recepção dos e-mails e afirmou que a organização não vai cancelar o evento.
“A ‘Corrida aos Patos’ não vai ser cancelada, até porque não é verdade o que dizem. Não cortamos as asas e as patas aos animais” e a prova disso é que “alguns voam e já não voltam”, disse a responsável, que negou existir qualquer tipo de violência contra os patos. Os animais, frisou, “são lançados à água, num barco de apoio e depois as pessoas nadam até junto deles para os apanhar”.
“O pato fica com a pessoa que o apanha, sem violência, e até há pessoas que ficam com o pato como animal de estimação”, explicou.
Além da “Corrida aos Patos”, as festas desta aldeia turística do concelho de Sines, que terminam nesta quinta-feira, incluem iniciativas como uma procissão das velas, um concerto com João Pedro Pais e fogo-de-artifício.

Agência de Notícias com Lusa
[ + ]

Setúbal ganha nova unidade de internamento

Novo serviço terá 33 novas camas para internamento de curta duração 

O Centro Hospitalar de Setúbal vai ter uma nova unidade de internamento de curta duração com capacidade para 33 camas, num investimento superior a 920 mil euros, adiantou esta terça-feira a unidade de saúde. Este investimento, autorizado pela secretária de Estado da Saúde, vai melhorar a resposta do Hospital de São Bernardo ao criar mais espaço para os utentes e para os profissionais.
Hospital de Setúbal com mais camas 

O investimento, autorizado pela secretária de Estado da Saúde, Rosa Valente de Matos, vai melhorar a resposta do Hospital de São Bernardo, ao criar mais espaço para os utentes e para os profissionais com mais área para camas, gabinetes médicos e de triagem. A nova unidade faz parte do plano de investimentos do Centro Hospitalar de Setúbal para 2018.
Segundo o comunicado do Centro Hospitalar de Setúbal, com esta nova unidade “será possível reforçar a vigilância e o acompanhamento clínico permanente aos utentes provenientes dos outros serviços que necessitem de estabilização”.
Além disso, será também possível “internalizar um conjunto de camas alugadas em instituições privadas e de caráter social e minimizar, até à construção do novo edifício, as dificuldades com que o Centro Hospitalar
de Setúbal se tem debatido em situações de atendimento urgente e emergente”, explicou.
O Centro Hospitalar de Setúbal é composto pelo hospital de São Bernardo, em Setúbal e o hospital Ortopédico Sant'Iago do Outão. Abrange ainda a população dos concelhos de Setúbal, Palmela e Sesimbra.

Agência de Notícias com Lusa
[ + ]

Projeto “Por este Rio Acima” visita Alcochete

Vila tem uma ligação estreita com o rio Tejo

Na passada semana, técnicos da câmara de Alcochete, receberam Rui Silva Pires, o proponente e promotor do projeto 343 “Por este Rio Acima” no âmbito do Orçamento Participativo Portugal, para uma visita técnica no concelho de Alcochete. A dinamizar um projeto relacionado com Tejo e seus afluentes, Rui Silva Pires visitou Alcochete, visto se tratar de um concelho que apresenta uma ligação estreita com o rio Tejo, sendo esta associação muito vidente quer no património natural concelhio, quer na história e cultura local.
Autor do projeto visitou Alcochete 

Uma visita à Fundação das Salinas do Samouco, um passeio a bordo do Bote Leão com passagem pela Reserva Natural do Estuário do Tejo e uma visita pela frente ribeirinha foram as atividades planeadas pela autarquia no sentido de dar a conhecer a ligação que Alcochete mantem com o rio.
De acordo com Rui Silva Pires, com a apresentação do projeto 343 – “Por este rio acima” o autor pretende dar o seu contributo “para minimizar problemas, propondo uma identificação do estado das nascentes dos afluentes do rio Tejo e de aldeias próximas que tenham sofrido considerável despovoamento desde o final do século passado. E, despois, promover a (re)visitação e animação trazendo artes e cultura da foz e do estuário do rio Tejo, preferencialmente de pessoas com raízes nesses territórios”.
Até 30 de Setembro, os cidadãos interessados podem votar nos num projeto nacional e/ou num projeto regional no âmbito do Orçamento Participativo Portugal.
Saiba mais sobre o projeto “Por este Rio Acima”:
https://www.facebook.com/RioTejoAcima/
https://opp.gov.pt/proj/343

Agência de Notícias com Câmara de Alcochete 

[ + ]

Despiste no Montijo causa morte a pai e filho bebé

Acidente desfaz família de Benavente. Um bebé de 11 meses é uma das vítimas 

O despiste automóvel ocorrido esta segunda-feira na Estrada Nacional (EN) 4, no Montijo, causou dois mortos, um homem e um bebé de 11 meses, informou fonte dos bombeiros. “Infelizmente uma das vítimas era um bebé de 11 meses e a outra era o pai, de 34 anos. A terceira era a mãe, mas foi uma vítima ligeira”, disse à Lusa o comandante dos Bombeiros Voluntários de Canha, Urbano Emídio. A informação inicial prestada pela Proteção Civil dava conta da existência de três feridos graves neste acidente.
Uma mulher foi transportada ao hospital 

Segundo o responsável, a viatura “saiu da sua faixa de rodagem e foi embater numa árvore no lado oposto, tendo sido projetada depois para o eixo da via”.
No veículo ligeiro estava ainda a mãe da criança, que sofreu escoriações e foi transportada para o Hospital do Barreiro na companhia de um psicólogo do INEM.
A família, oriunda de Benavente, distrito de Santarém, seguia no sentido Pegões-Montijo. O acidente não envolveu outros veículos.
O despiste ocorreu na freguesia de Faias e levou a que a EN4 fosse cortada, mas desde as 17h57 voltou a estar aberta ao trânsito, informou à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal.
O alerta para o acidente foi dado às 14h30 e pelas 16 horas o socorro mobilizava 27 bombeiros, 10 veículos e um helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).
Via alvo de reabilitação recente
Este foi o primeiro acidente mortal neste troço da Estrada Nacional 4 desde que o piso foi completamente substituído há cerca de um mês.
A reabilitação, realizada num troço de 25,5 quilómetros compreendido entre Montijo e Pegões, teve um custo total de 3,6 milhões. A inauguração do novo piso data de 16 de Julho.
Foi realizada a fresagem e repavimentação de todo o troço, a substituição e readequação da sinalização vertical de código e de orientação e a remarcação da sinalização horizontal, a colocação de novos equipamentos de segurança da estrada como as Guardas de Segurança, onde se incluem os Dispositivos de Proteção para Motociclistas, e a requalificação dos sistemas de drenagem. Ainda assim, de acordo com fonte dos bombeiros, "os sobreiros continuam a estar bastante perto da estrada, aumentando a probabilidade de acidente grave em caso de despiste".

Agência de Notícias com Lusa 
[ + ]

Festas Populares de Corroios até 2 de Setembro

Um cartaz de grande qualidade numa das maiores festas do distrito 

Matias Damásio, Mariza, Xutos & Pontapés, RAMP, João Pedro Pais e Resistência  são alguns dos artistas que irão passar pelos três palcos das Festas Populares de Corroios, que têm lugar de 24 de Agosto e 2 de Setembro, na Quinta da Marialva. Além dos concertos, destaque ainda para o 34º Festival de Folclore de Corroios e para a participação das bandas vencedoras do Festival de Música Moderna. Danças, grupos corais ou sevilhanas são mais algumas das atrações destas festas, as maiores do concelho do Seixal.
Festas de Corroios arrancam esta sexta-feira 

"Nesta 43. edição das Festas da Vila de Corroios continuamos a apostar em grandes espetáculos no Palco Carlos Paredes e a dar destaque ao Palco Liberdade, um espaço das nossas coletividades, que tanto trabalho desenvolvem durante todo o ano. Esta grande visibilidade é um sinal do nosso reconhecimento pelo esforço e dedicação das nossas instituições", sublinha Eduardo Rosa, presidente da junta de freguesia de Corroios.
De 24 de Agosto a 2 de Setembro, a Quinta da Marialva acolhe as Festas Populares de Corroios que apresentam um cartaz cheio de nomes grandes, como Matias Damásio, Mariza ou Xutos & Pontapés.
Do som mais pesado ao fado, não faltam propostas na edição deste ano do evento que encerra o circuito das festas populares no concelho do Seixal.
Até ao dia 2 de Setembro, passam pelas festas de Corroios: RAMP (24 de Agosto), Tiago Bettencourt (27 de Agosto), Peña Kalimotxo (28 de Agosto), Xutos & Pontapés (29 de Agosto), Matias Damásio (30 de Agosto), João Pedro Pais (31 de Agosto), Mariza (1 de Setembro) e Resistência (2 de Setembro).
Ao longo dos 10 dias de festa há ainda espaço para folclore, animação, bailes populares e demonstrações desportivas e de dança. No sábado, dia 25, o palco principal recebe o Festival de Folclore de Corroios e no domingo, 26, é a vez de ABBA Mia - Tributo a ABBA.
As entradas para os concertos dos Xutos & Pontapés e Mariza, já se encontram à venda em vários espaços da freguesia. Os títulos de solidariedade para com o Parque Urbano da Quinta da Marialva, têm o custo de cinco euros. "O dinheiro recolhido reverte para obras de melhoria do Parque, equipamento público ao serviço da população", diz Eduardo Rosa.
"Foi com a dedicação e empenho de sempre que planeámos, programámos e construímos, mais uma edição das Festas da Vila de Corroios, de forma a proporcionar à população de Corroios e a todos os que nos visitam a fruição de dez dias de diversão, de grande festividade e animação, cumprindo a tradição destes festejos. Trabalhámos, mais uma vez, no sentido de construir um programa diversificado e de elevada qualidade artística, distribuído por três palcos, em dez dias de Festa, que esperamos vá ao encontro das expectativas e seja do agrado de todos e de todas", explica a comissão de festas. 
As Festas da Vila de Corroios "continuam a ser um evento cultural e de animação de elevada qualidade, consideradas uma das maiores e mais prestigiadas realizações populares do concelho e do distrito de Setúbal", refere a comissão. 
Nesta 43. edição das Festas da Vila de Corroios continuamos a apostar em grandes espetáculos no Palco Carlos Paredes e a dar destaque ao Palco Liberdade, um espaço das nossas coletividades, que tanto trabalho desenvolvem durante todo o ano. Esta grande visibilidade é um sinal do nosso reconhecimento pelo esforço e dedicação das nossas instituições.
Joaquim Santos, presidente da Câmara do Seixal, e Eduardo Rosa, presidente da Junta de Freguesia de Corroios, na apresentação das festas, realçaram a aposta realizada quer pelo município quer pelas associações na promoção da cultura. A recente distinção atribuída pela Sociedade Portuguesa de Autores ao município do Seixal, com o prémio de “Melhor Programação Cultural Autárquica”, foi um exemplo salientado pelos autarcas.
No que toca à próxima edição das Festas de Corroios, Joaquim Santos não poupou elogios ao executivo da junta de freguesia bem como a todos os que contribuem para que as referidas festividades sejam hoje “um dos maiores eventos culturais a sul do país”.
Consulte o programa completo das Festas Populares de Corroios.

Agência de Notícias

[ + ]

Festa da Atalaia começa esta sexta-feira

Romaria a nossa Senhora leva cinco círios e milhares de seguidores à Atalaia 

De 24 a 27 de Agosto, as Festas em Honra de Nossa Senhora da Atalaia voltam a marcar a agenda cultural no concelho do Montijo. Festividade de raízes profundas e de tradições seculares, durante quatro dias, os diversos círios e as centenas de romeiros regressam para prestar devoção à Nossa Senhora da Atalaia. O momento maior das festas é, como sempre, a procissão em honra de Nossa Senhora da Atalaia que terá lugar no domingo (26 de Agosto), pelas 18h30. Para além dos momentos religiosos, as Festas em Honra de Nossa Senhora da Atalaia prometem, como sempre, muita animação com concertos, bailaricos, largadas, a feira e outros eventos. Xana Carvalho e Micaela  são os destaques musicais deste ano. 
Festas da Atalaia remontam a 1507 

As tradicionais festas em honra de Nossa Senhora da Atalaia começam esta sexta-feira, 24 de Agosto, e prolongam-se até à última segunda-feira de Agosto, com um programa bastante diversificado e “muita variedade”, como ranchos folclóricos e música popular, esperam atrair “multidões”, sendo o ponto alto a procissão, no domingo. “A população vive muito a festa, que se realiza na capela, com mais de quinhentos anos” e que leva à Atalaia círios da Carregueira e Olhos de Água [Pinhal Novo], tal como os círios da Quinta do Anjo, (Palmela), Azóia (Sesimbra) e Novo (Jardia, Montijo). Todos eles com animação cultural e muitas tradições e "promessas" distintas.
Nem a atual conjuntura económica assusta os responsáveis da Festa Grande. "Esperamos, como sempre, milhares de pessoas nestes quatro dias", disse fonte da organização.
Para o presidente da Câmara do Montijo, Nuno Canta, a Festa de Nossa Senhora da Atalaia é “uma festa do povo que honra o passado religioso desta terra, que honra as gentes da Atalaia e do Montijo e que reflete o esforço da comissão de festas, dos círios, das coletividades, da paróquia, da câmara, da junta e de outras entidades e pessoas”.
Para além dos momentos religiosos e de devoção, a Festa de Nossa Senhora da Atalaia é, também, devidamente reconhecida pela diversão dos bailes nos diversos círios e outros eventos.
As Festas em Honra de N.ª Sr.ª da Atalaia têm abertura oficial marcada para o dia 24 de Agosto, sexta-feira, às 19 horas. Nesse dia, o destaque é o concerto de Xana Carvalho, às 22h30, no palco principal.
A noite de sábado, dia 25 de Agosto, é dedicada às tradições, com o Festival de Folclore, às 22 horas, no palco principal. No domingo, dia 26 de Agosto, às 23 horas, no palco principal atua o grupo Leo e Leandro.
O concerto da artista Micaela finaliza as festividades, no dia 27 de Agosto, segunda-feira, às 22h30, no palco principal, seguindo-se o fogo de artifício.
As tradições taurinas, também, marcam presença com diversas largadas, em todos os dias da festa, no antigo campo de futebol.

Círios chegam de sexta a domingo 
Cinco círios, da Quinta do Anjo, que chega no primeiro dia da festa em procissão, no sábado entra na aldeia o círio da Azoia em romaria e no domingo ao almoço chegam os círios Novo, Olhos de Água o Círio da Carregueira, que honram nossa senhora da Atalaia durante os quatro dias de festa, que termina com a procissão colectiva no domingo.
O cartaz das festas da Atalaia será composto por música, chegada dos círios, eucaristia no santuário, sábado, reza do terço, desfile dos ranchos que participaram no Festival de Folclore. A lavagem do rosto na Fonte da Senhora, no domingo e segunda-feira, é outra das principais tradições desta festa tal como os bailaricos populares que acontecem nas sedes dos cinco círios presentes. Esta é uma festa que “reúne população do concelhos de Palmela, Montijo e Sesimbra” e que se espera “atrair  milhares de pessoas destes concelhos”, explica a organização.
Na segunda-feira, todos vão "lavar a cara" à Fonte da Senhora. E, depois de almoço, cada círio regressa em romaria às suas romarias. Cada um cumprindo a sua melhor tradição.

Tradição remonta a 1507
A Festa em Honra de Nossa Senhora da Atalaia é uma romaria popular que remonta a 1507, aquando da promessa então feita pelos funcionários da Alfândega de Lisboa, que devido à peste constituíram um círio, tornando-se pioneiros desta peregrinação, generalizando o culto à Nossa Senhora de Atalaia.
Pode aproveitar as Festas de Nossa Senhora da Atalaia e visitar o Museu Agrícola que estará a funcionar num horário alargado, para que tenha a oportunidade de conhecer este valioso património municipal, testemunho do passado agrícola do Montijo. A entrada é livre.

Agência de Notícias 

[ + ]

Alcácer do Sal critica atraso obras no IC1

"Não nos vamos calar até que estas obras sejam uma realidade" 

O presidente da Câmara de Alcácer do Sal afirmou-se preocupado com o atraso no arranque das obras no Itinerário Complementar (IC) 1, entre Alcácer do Sal e Grândola, previsto para o início deste ano. "Continua a haver este atraso, que é incompreensível, apesar de autarcas, população e comissão de utentes estarem empenhados para que as tão ansiadas obras se iniciem", disse à agência Lusa Vítor Proença, presidente do município de Alcácer do Sal, no distrito de Setúbal. Em Janeiro deste ano, a empresa Infraestruturas de Portugal anunciou a adjudicação da empreitada, num total de 15,7 quilómetros, com um investimento mais reduzido, de 4,6 milhões de euros, do inicialmente previsto (6,4 milhões de euros) e um prazo de execução de nove meses.
IC1 continua sem obras de fundo 


"Os estaleiros estão montados em Alcácer do Sal e é visível o número de maquinaria colocada no local, mas não sabemos mais nada sobre o arranque da obra, porque não nos é transmitida qualquer informação. Apenas que há claramente uma intenção de retardar as obras", frisou o autarca alentejano.
As obras de requalificação do troço do IC 1 entre Alcácer do Sal a Grândola foram anunciadas, em Abril de 2017, pelo ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, que apontou o primeiro trimestre de 2018 para o arranque, tendo sido feitas, no ano passado, apenas pequenas reparações na via.
"Já estamos a meio de Agosto e não há obras à vista numa estrada que é extremamente perigosa e onde há muitos acidentes devido aos buracos, fissuras, raízes e buracos que persistem", afirmou o presidente da Câmara de Alcácer do Sal, lamentando "não existir diálogo com este ministério".
"Não nos vamos calar e vamos continuar a empenhar-nos para que estas obras sejam uma realidade e para que seja colocado um ponto final no capítulo negro desta via, que infelizmente é conhecida como 'estrada da morte'", salientou o autarca.
De acordo com um comunicado da Câmara de Alcácer do Sal, divulgado hoje, o IC1, principal via nacional de acesso ao sul do país, recebe cerca nove mil veículos por dia, mas durante o verão o número de viaturas que circulam na estrada "dispara" com os "milhares de turistas que rumam ao Algarve.
A empreitada prevista pelo Governo inclui a reabilitação estrutural do pavimento, a renovação, readaptação e complemento da sinalização e dos equipamentos de segurança e a instalação de sistemas semafóricos, a requalificação dos sistemas de drenagem, que inclui a execução de passagens hidráulicas e limpeza, e reparação das valetas e intervenções de integração paisagística.
A obra de requalificação do troço do IC1 tem vindo a ser reivindicada pela comissão de utentes e pelos municípios de Alcácer do Sal e de Grândola nos últimos anos, com vários protestos, marchas lentas e encontros com grupos parlamentares e governantes.

Agência de Notícias com Lusa 

[ + ]

Adega de Pegões recebe Medalha de Ouro

Montijo festejou 33 anos de elevação a cidade  

A 14 de Agosto de 1985, a vila do Montijo era elevada a cidade. Em 2018, as comemorações do 33.º aniversário deste momento histórico ficaram marcadas pela entrega da Medalha de Ouro do Concelho à Cooperativa Agrícola de Sto. Isidro de Pegões, numa cerimónia que decorreu no auditório da Galeria Municipal do Montijo.  Mário Figueiredo, presidente da administração da Cooperativa, recebeu a Medalha de Ouro das mãos do presidente da Câmara do Montijo, Nuno Canta, agradeceu a distinção e assinalou o percurso da empresa até aos dias de hoje.
Camené atuou no dia da cidade do Montijo 

“Agradeço a todos os colegas da direção, equipa técnica e todos os trabalhadores, não esquecendo aqueles que há 30 anos comigo foram capazes de escrever nas costas de uma letra para arranjar dinheiro para pagar as uvas aos associados. Nesta altura, felizmente, a Cooperativa não necessita disso. Com a colaboração de todos, passámos dos dois milhões de litros de produção anual, para 12 milhões. Esperamos continuar a crescer”, disse.
O presidente da Câmara do Montijo evidenciou que “no dia da cidade, em que reafirmamos o compromisso de continuar o Montijo e a identidade dos montijenses, quisemos afirmar que a cidade é construída por todos. Para sublinhar o contributo de todos, associámos a estas comemorações a entrega da Medalha de Ouro à Cooperativa Agrícola de Sto. Isidro de Pegões, que é hoje um exemplo na vitivinicultura nacional e leva o nome do Montijo e de Pegões aos quatro cantos do mundo”.
“Esta é também uma homenagem a todos aqueles - diretores, técnicos, enólogo, trabalhadores, associados - que, diariamente, desempenham o seu papel para o engrandecimento da Cooperativa”, acrescentou o autarca.
Nuno Canta salientou, ainda, que a dispersão territorial do concelho não impediu a existência de unidade entre os montijenses, sublinhado a importância das políticas públicas na criação de infraestruturas que potenciam a integração, a coesão territorial e a qualidade de vida dos cidadãos.
A Medalha de Ouro do Concelho é a mais alta distinção que o município pode conceder. A assinalar 60 anos de atividade, a Cooperativa Agrícola de Sto. Isidro de Pegões tem um lugar de destaque no tecido empresarial local, sendo uma instituição de enorme prestígio que projeta o nome do Montijo em Portugal e no estrangeiro.
Para além da entrega da Medalha de Ouro do Concelho, as comemorações do 33.º aniversário da cidade contaram, ainda, com a inauguração da exposição “Arqueologia: desenho científico e outras histórias” de Guida Casella e finalizaram com um magnífico concerto de Camané.

Agência de Notícias com Câmara do Montijo

[ + ]

Mourisca recebe festa da gastronomia do Sado

Há festa no Moinho de Maré da Mourisca este fim de semana

A Festa do Moinho de Maré da Mourisca, no Faralhão, em Setúbal, regressa nos dias 24, 25 e 26 de Agosto, com um programa que inclui gastronomia, artesanato, música, dança e atividades desportivas. Ostras, mariscos, choco frito, feijoada de choco, arroz de lingueirão, pipis e pica-pau, entre outros petiscos, são servidos com vista para o rio Sado nas tasquinhas de gastronomia, um dos principais pontos de interesses do certame, realizado na Herdade da Mourisca.  Outro momento alto da 19.ª edição da Festa do Moinho de Maré da Mourisca é o 18.º Concurso Gastronómico, em que as diversas tasquinhas dinamizadas pelo movimento associativo das freguesias do Sado e de Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra concorrem pela eleição do melhor prato. Adelaide Ferreira é a atração musical do último dia de festa.  

Mourisca em festa no fim de semana 

Já os melhores doces e licores apresentados nos stands de produtos regionais concorrem ao 13.º Concurso de Doçaria e ao 13.º Concurso de Licores. Os premiados dos três concursos são anunciados no último dia das festividades, pelas 22 horas.
O certame, organizado pela Comissão de Festas do Moinho de Maré da Mourisca e pelas juntas de freguesia do Sado e de Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra, com diversos apoios, incluindo a Câmara de Setúbal, conta com um leque diversificado de atividades.
A abertura da festa, que anualmente é visitada por cerca de 30 mil pessoas, está marcada para dia 24, às 19 horas, a que se segue, às 20h00, a inauguração oficial com uma atuação da fanfarra dos Escuteiros do Agrupamento 64 de São José.
O programa prossegue, às 21 horas, com uma atuação da cantora Flávia Francisco e, meia hora depois, há um espetáculo com o Grupo de Concertinas da Sertã. O primeiro dia de festas termina com a atuação do cantor Luís Portela, com início às 22 horas a que se segue um baile conduzido por Nicole Viviane, a partir das 23 horas
No dia 25, às 13 horas, são avaliados todos os concorrentes aos concursos de gastronomia, doces e licores, e, a partir das 16 horas, jogos de malha corrida e um torneio de chinquilho animam o certame. Segue-se, às 19 horas, uma aula de zumba.
A animação musical tem início às 21 horas com uma atuação de Carina Martins, a que se segue, uma hora depois, o conjunto típico Os Massacotes e, às 23 horas, Amaro Máscaras. A fechar a noite, a partir das 00h30, há baile com os Irmãos Cabanas.
O último dia das festas, a 26, tem atividades logo às nove horas, com um passeio pedestre, a partir da sede da Junta de Freguesia do Sado, e um passeio de BTT, com saída do recinto da festa. Às 11 horas, é celebrada uma missa campal.
Na parte da tarde, a dança anima o recinto a partir das 19 horas com a dança clássica do grupo As Pandoras e as sevilhanas da União Desportiva e Recreativa das Pontes. A partir das 21 horas, o recinto recebe o grupo de música popular Os Tibornas.
A cerimónia oficial de encerramento da 19.ª Festa do Moinho de Maré da Mourisca decorre às 22 horas, com a entrega dos prémios aos vencedores dos concursos de gastronomia, doçaria e licores.
A cantora Adelaide Ferreira atua a partir das 22h30 e ainda há tempo para um baile, com início às 23h30, conduzido pelo duo Ricardo e Jorge.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 
[ + ]

Queixa à Comissão Europeia sobre o aeroporto no Montijo

Ambientalistas avançam com queixa contra Portugal sobre aeroporto

A associação ambientalista Zero enviou, esta terça-feira, à Comissão Europeia uma queixa contra o Estado Português por causa da construção do novo aeroporto no Montijo. Segundo a nota, "desde o início do ano passado" que a associação tem vindo a alertar as autoridades competentes para a necessidade de se proceder a uma Avaliação Ambiental Estratégica, em vez de uma Avaliação de Impacte Ambiental, que considera "muito mais limitada". Para a Zero, a localização do novo aeroporto deve ser avaliada tendo em conta "outras alternativas", justificando o "prosseguimento ou não de outras possibilidades viáveis", assim como equacionados todos os "cenários prospetivos possíveis". A associação defende, assim, que a Avaliação de Impacte Ambiental não responde estas questões.
Zero quer avaliação ambiental estratégica 


"Apenas uma Avaliação Ambiental Estratégica pode realizar a avaliação exaustiva e rigorosa que um projeto com impacte para os próximos 40 anos impõe", explicou.
A Zero avançou também que "até hoje nenhuma resposta foi dada" por parte do Governo e criticou o facto de o ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, ter dito que espera que as obras comecem no próximo ano.
"Este facto aparenta configurar uma situação de facto consumado, em que a decisão já está tomada, mesmo sem os estudos estarem terminados, o que transforma todo este processo muito pouco transparente numa subversão clara e descarada do princípio subjacente de que os procedimentos de Avaliação Ambiental são um instrumento de apoio à decisão", frisou.
A associação indicou ainda que a tipologia deste projeto tem características que obrigam a uma Avaliação Ambiental Estratégica, de acordo com a legislação nacional e europeia.
Uma delas é a dimensão do aeroporto, que faz com que o projeto seja classificado como "grande empreendimento público com incidência territorial" e, por isso, segundo a lei portuguesa, "está abrangido por uma Avaliação Ambiental Estratégica", explicou a Zero.
Outro dos motivos é a localização do aeroporto na Zona de Proteção Especial do Estuário do Tejo.
"Face aos efeitos inevitáveis para as aves de uma infraestrutura como um aeroporto, contígua a uma zona de proteção especial, a legislação nacional e europeia torna inequívoca a necessidade de uma Avaliação Ambiental Estratégica", justificou.
Além disso, segundo a Zero, todos os planos e programas que sejam classificados como "suscetíveis de ter efeitos significativos no ambiente" também estão sujeitos a este tipo de avaliação.
Apesar da queixa efetuada, a associação espera que o Governo "reconsidere, suspenda a Avaliação de Impacte Ambiental e inicie um procedimento de Avaliação Ambiental Estratégica que sirva verdadeiramente de suporte à decisão".
A Zero avançou ainda que "não descarta a possibilidade de recorrer aos tribunais nacionais", encontrando-se já a "estudar a instauração de uma ação judicial".

Agência de Notícias com Lusa
[ + ]

Teatro traz festa a Setúbal a partir de quinta-feira

Festa do Teatro leva 31 espetáculos a toda a cidade 

Trinta e um espectáculos, 15 dos quais na secção oficial, e 16 na secção "Mais Festa", constam da XX Festa do Teatro de Setúbal, a decorrer na cidade de Setúbal de 23 de Agosto a 2 de Setembro. Esta edição do festival privilegia os temas ligados à mulher e ao feminino "num ano marcado por movimentos activistas na defesa da equidade de género", diz a organização do festival. No certame, que decorre em vários equipamentos e espaços públicos da cidade, apresentam-se 15 espetáculos na Secção Oficial, 16 na Secção Mais Festa, sendo que oito são a concurso e oito extraconcurso, dois concertos, uma mostra de curtas-metragens, conversas de teatro, duas exposições e um workshop. Além de companhias nacionais, marcam presença oito estrangeiras, entre as quais quatro de Espanha, três do Brasil e uma de Itália.
Rosa Choque será apresentado em Setúbal 

"Uma edição do Festival Internacional de Teatro de Setúbal que conta com mais companhias estrangeiras, sobretudo brasileiras e espanholas, e com mais espectáculos do que a edição de 2017, uma vez que este ano conseguimos apoio da Direcção-Geral das Artes (DGArtes)", acrescentou à agência Lusa o director do Teatro Estúdio Fonte Nova, companhia anfitriã do certame.
70 mil euros para "cachets e custos efectivos do festival" - 30 mil  euros provenientes da autarquia de Setúbal, co-organizadora da iniciativa, e 40 mil provenientes do Programa de Apoio Sustentado da DGArtes - o orçamento da XX Festa do Teatro de Setúbal, disse ainda à Lusa José Maria Dias, à margem da apresentação do certame.
Àquele montante acresce ainda o valor dos vencimentos a pagar a cinco pessoas contratadas a tempo inteiro desde o início de Maio e a sete pessoas contratadas também a tempo inteiro desde o início de Agosto e até ao final do festival, referiu.No ano do 20.º aniversário do festival, a companhia anfitriã volta a apresentar duas estreias - Ah, minha Dinamene!, no dia 23 (com duas récitas nos dois dias seguintes), e Lugar de Túbal, no dia 31, ambas na secção oficial - em contraste com uma reposição apresentada na edição de 2017.
"Não é inédito termos duas peças em estreia, mas este ano volta a ser possível uma vez que voltámos a ter subsídio da DGArtes e isso faz toda a diferença", frisou José Maria Dias.
O director do Teatro Estúdio Fontenova sublinhou ainda o facto de esta edição do festival privilegiar a presença forte de temas ligados à mulher e ao feminino "num ano marcado por movimentos activistas na defesa da equidade de género".
Há ainda uma novidade, um passe para todos os espetáculos, com o valor de 30 euros, à venda desde 16 de Agosto na Casa da Cultura, medida que pretende contribuir para “criar novos públicos e fidelizar os já existentes”.
Já a vereadora Carla Guerreiro, da Câmara de Setúbal, lembra que a Festa do Teatro “tem vindo a afirmar-se cada vez mais a nível nacional”, facto que “a cidade só tem a agradecer”pelo dinamismo que proporciona.
“Durante os dias em que se realiza o festival, recebemos muitas pessoas de fora e os munícipes têm uma oportunidade muito interessante de desfrutar de um evento com características diferentes”.

Destaques do programa
Das 15 peças da secção oficial, 12 são de companhias portuguesas e três de estrangeiras - La Compañia Albadulake e Vaivén Circo (Espanha), com Las expertas e Do not disturb, respectivamente, e Palavra Z -- Produções Culturais (Brasil), com Contos partidos de amor.
A Tempestade, pela Companhia João Garcia Miguel, Romance, pela Casa Agradável, Corpo futuro, uma estreia da companhia 33 Ânimos, Seattle, pelo Lama Teatro, Passa-Porte, pela Hotel Europa, O teatro da amante inglesa, pelos Artistas Unidos, AAC - Associação Amizade no Casamento, pela Escola de Mulheres, a estreia de Rimance de Mateus e da baleia, pela Cães do mar, De cá para lá, pelo Teatri Plage, e Há Beira na Revolta, pela Estação Teatral da Beira Interior (ESTE), completam a programação da secção oficial.
Das 16 peças da secção "Mais Festa", metade pertence à rubrica a concurso e outras tantas à extra-concurso.
Hoje durmo em Berlim, uma estreia da White Noise Teatro, Sobre lendas e mulheres, pela companhia brasileira Girolê, Safety Bag, pela Orla Companhia de Teatro, Rancho, pelo Faísca Teatro, Paradjanov - A celebração da vida, pela Asta - Teatro e outras artes, e Epopeia e Rosa Choque, pela companhia brasileira Os conectores, completam o programa da secção "Mais festa" a concurso.
Da secção "Mais Festa" extra-concurso, constam os espectáculos We do not know how to dance, dos Yellow collective (Espanha, Bélgica e Portugal), La fabrica dele bole, pelos italianos Clown Idà, Bird swarm, pelos Casa mãe, Bodas de sangue, pelos espanhóis do Abrego Teatro, O pranto de Maria Parda, por Eunice Correia,A chegada de Lampião ao inferno, pelo teatro Artimanha, um espectáculo de música com João da Ilha, e La mar de lejos, pelos espanhóis Tras el trapo teatro.
Ateliês de teatro, conversas sobre teatro, uma oficina sobre dança Butoh e uma mostra de curtas-metragens constam também da programação.
"Devir", uma exposição de Wanderson Alves, e uma colectiva a partir do conto do escritor e diplomata António Patrício (1878-1930) Diálogo com uma águia constam também da programação.
Pedro Espanhol, Ana Isa Féria, João Bordeira, Paula Moita, Pedro Vilela, Margarida Mata e Inês Pucarinho são os artistas plásticos setubalenses que integram a colectiva intitulada "Ser(ão) inquieto".
Casa da Cultura de Setúbal, Escola Secundária Sebastião da Gama, Forte de S. Filipe, Fórum Municipal Luísa Todi, Largo do Sapalinho, Parque do Bonfim, Praça do Bocage e Parque Urbano da Albarquel são os locais onde decorre a XX Festa do Teatro, que abre com um apontamento musical de Teresa Gabriel, no dia 23, no Forte de S. Filipe, e encerra com uma festa com música, pelos Alta Cena, a 2 de Setembro, frente à Casa da Cultura de Setúbal.
Mais informações podem ser consultadas no website do Teatro Estúdio Fontenova, acessível em www.teatroestudiofontenova.com e no blogue teatrofontenova.blogspot.com.
As reservas para as apresentações no Fórum Municipal Luísa Todi são efetuadas na bilheteira do fórum e para os restantes espetáculos através dos contactos telefónicos 265 233 299 e 927 718 386.
[ + ]

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010