Dá um Gosto ao ADN

Parque de São Torpes, em Sines, vai ser remodelado

Parque de campismo vai aumentar capacidade de 250 para 750 pessoas

O Parque de Campismo de São Torpes, localizado no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e da Costa Vicentina, em Sines, vai ser remodelado, num investimento de "700 a 800 mil euros" para melhorar serviços e aumentar capacidade. O projecto prevê o aumento de capacidade "de 250 para 750 pessoas" e a melhoria e aumento de serviços, disse à agência Lusa Carlos Rodrigues, um dos administradores da Escape, empresa proprietária do parque de campismo, instalado desde 1992 a cerca de 350 metros da praia de Morgavel, entre a cidade de Sines e a aldeia de Porto Covo, no distrito de Setúbal.
Campismo de São Torpes vai  aumentar capacidade 

Segundo Carlos Rodrigues, a principal intervenção consiste na "reconversão do edifício principal da recepção", onde está previsto adicionar um minimercado, um bar e restaurante "perfeitamente estruturados e enquadrados com a paisagem", com um edifício em "traça típica alentejana".
O projecto inclui também a construção de um campo de futebol e de um campo de ténis, bem como o reforço da capacidade de produção eléctrica (painéis solares).
A remodelação prevê ainda o ordenamento do espaço destinado a campistas, vias de circulação interna e estacionamento exterior, infra-estruturas de eletricidade, gás, água e esgotos, instalação de zona de lavagens e de deposição de resíduos, de um parque infantil e ainda de uma Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR).
A empresa aguarda actualmente o resultado do período de consulta pública do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) do projecto, a decorrer até ao dia 21 de Novembro. "Mal tenhamos autorização vamos avançar imediatamente com o projetco", anunciou Carlos Rodrigues.
Com uma lotação média nos meses de época alta de "70 a 80 por cento", chegando a "100 por cento" no "pico do Verão", o parque de campismo tem recebido campistas ao longo de todo o ano, indicou o administrador da empresa, apontando uma taxa de ocupação média nos meses mais frescos de "30 a 40 por cento".
"Hoje em dia há muita gente, muitos estrangeiros e portugueses, a fazer toda a parte do sudoeste alentejano a pé, de bicicleta, de carro e esse turismo tem crescido", disse, considerando que a região "tem bastante procura", mas não tem "tanta oferta como deveria", diz o administrador.
Há "quase 18 anos" que a empresa, proprietária do parque desde 1998, pretende investir num "projecto de reconversão", algo que não tem sido possível por questões de foro "burocrático", relacionadas com o Plano Director Municipal (PDM), mas que Carlos Rodrigues diz acreditar estarem agora "ultrapassadas".

Agência de Notícias com Lusa
[ + ]

Setúbal aposta no sucesso educativo neste ano letivo

Concelho recebeu comunidade educativa sob o lema “Setúbal, Cidade Educadora”

A criação de condições de reforço do sucesso educativo, através de um conjunto de investimentos e medidas, foi destacada pela presidente da Câmara de Setúbal na cerimónia de Receção à Comunidade Educativa 2017. No discurso de boas-vindas à comunidade escolar setubalense, no cais 3 do porto de Setúbal, sob o lema “Setúbal, Cidade Educadora”, Maria das Dores Meira lembrou que a autarquia aliou-se “ao desígnio nacional de promoção do sucesso escolar”, traduzido no Plano Nacional de Promoção do Sucesso Escolar. Nesse sentido, a Câmara Municipal complementou a oferta de manuais escolares feita pelo governo, com a oferta a todos os alunos do 1º ciclo do ensino básico dos livros de atividades correspondentes aos referidos manuais.


Comunidade educativa conheceu prioridades educativas de Setúbal 

Importante para o reforço do sucesso escolar foi também, sublinhou a edil, as intervenções de fundo que a autarquia realizou em diversos equipamentos municipais, como no Museu do Trabalho Michel Giacometti, na Casa Bocage, na Biblioteca Municipal, no Convento de Jesus e no Museu Sebastião da Gama.
O objetivo é tornar estes espaços “mais funcionais e apelativos, para que se constituam como autênticos laboratórios de aprendizagem”, através da ação dos seus serviços educativos.
Maria das Dores Meira garante que naqueles e noutros equipamentos municipais os professores “podem encontrar mais uma ferramenta de apoio ao sucesso escolar” e lançou-lhes esse desafio.
“Caros professores e caras professoras, já alguma vez pensaram em dar uma aula de Matemática, de Estudo do Meio ou de Físico-Química no Mercado do Livramento? E que tal uma aula de Biologia ou de qualquer outra disciplina no rio Sado, a bordo de uma embarcação?”
A embarcação a que a autarca se referiu é a “Maravilha do Sado”, reabilitada pelo município para ser posta ao serviço das escolas, através do projeto “Educar no Mar”, com um programa educativo para professores e alunos dinamizado em parceria com a associação Ocean Alive.
A educação pela arte, em projetos municipais como o Festival de Música de Setúbal, a Festa da Ilustração e o Teatro na Escola, é outra forma, segundo a edil, de “dar sentido às aprendizagens e motivar os alunos para o saber”.
Maria das Dores Meira destacou igualmente, ao nível do desporto escolar, o“excelente trabalho” desenvolvido pelo Centro de Formação Desportiva de Atividades Náuticas de Setúbal e pelos clubes parceiros para potenciar o rio Sado como fator de desenvolvimento local, bem como a aprendizagem da natação para os alunos do 3.º ano das freguesias de Azeitão, Sado e Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra.

Requalificação de 15 estabelecimentos de ensino ate 2020
A autarca, que fez um balanço do programa de requalificação e apetrechamento do parque escolar concelhio, através da construção, ampliação e reabilitação de escolas, assegurou, igualmente, que a autarquia vai continuar a apostar na qualificação do ensino.
Revelou que as candidaturas apresentadas pela autarquia e já aprovadas a financiamentos comunitários, ao abrigo do programa Portugal 2020, permitem a requalificação e o apetrechamento de 15 estabelecimentos de ensino, bem como a implementação de projetos de inovação pedagógica.
“É grande a oferta municipal, como podem constatar. Como cidade educadora que somos, e de que muito nos orgulhamos, é nossa preocupação criar condições de sucesso, de aprendizagem para todos. É com todos que queremos trabalhar, é com todos que contamos para construir o futuro.”
A cerimónia de receção à comunidade educativa, momento de lazer e divulgação de recursos educacionais que fomenta a integração da comunidade educativa no concelho e promove o património natural e cultural, contou ainda com música ambiente a cargo do DJ Pedro Monchike.
Ao longo deste momento de convívio entre a comunidade educativa, organizado anualmente pelo município de Setúbal e no qual marcaram presença membros do Executivo municipal, presidentes de juntas de freguesia e diretores de agrupamentos, o Teatro Animação de Setúbal dinamizou momentos de animação.
Os atores do TAS vestiram a pele de algumas das 12 personagens da exposição “Grandes Vidas Portuguesas”, patente na Casa da Cultura, numa coleção que nasce da parceria entre o Pato Lógico e a Imprensa Nacional – Casa da Moeda.
Além da cerimónia e da exposição, que pode ser visitada até 15 de Dezembro, o programa de Receção à Comunidade Educativa inclui diversas atividades a decorrer até dezembro, entre as quais a semana das comemorações do Dia Internacional das Cidades Educadores, de 27 a 30 de Novembro.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 

[ + ]

PJ de Setúbal detém suspeitos dos disparos em bar da cidade

Tiros em bar de Setúbal fazem três feridos

Um tiroteio num bar de Setúbal, na madrugada de domingo, fez três feridos, um dos quais ainda se encontra hospitalizado, "com ferimentos nos membros superiores e inferiores". Após o incidente, dois homens foram detidos pela Polícia Judiciária de Setúbal por fortes indícios da prática do crime de homicídio qualificado na forma tentada e de detenção ilegal de arma. Na madrugada de domingo, os dois homens, com 31 e 44 anos, terão sido expulsos de um bar da cidade. Os suspeitos regressaram depois ao local com armas de fogo e "efetuaram vários disparos, com o propósito de atingir um frequentador habitual que colaborara com o segurança do estabelecimento, aquando das suas expulsões".
PJ deteve dois dos três suspeitos dos disparos  num bar em Setúbal 

A Polícia Judiciária de Setúbal deteve dois homens suspeitos de efetuarem vários disparos contra um outro que pouco antes tinha ajudado o segurança de um bar a expulsá-los do local, por terem provocado distúrbios, foi anunciado. 
Segundo um comunicado da PJ, os dois homens expulsos, de 31 e 44 anos, regressaram pouco depois, munidos de armas de fogo, com o objetivo de atingirem a vítima, um frequentador habitual do estabelecimento que tinha ajudado o segurança a retirá-los do local.
De acordo com a PJ, a vítima sofreu ferimentos nas pernas e nos braços, mas, durante o incidente, também atingiu um dos detidos numa perna, com uma arma de fogo devidamente legalizada.
Além da detenção dos dois homens, que são suspeitos da prática de um crime de homicídio qualificado na forma tentada e detenção ilegal de arma, a PJ identificou outros dois, de 39 e 40 anos.
A PJ refere ainda que três pessoas envolvidas no incidente tiveram de receber tratamento hospitalar, sendo que a vítima permanece internada.
Os detidos vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para eventual aplicação de medidas de coação.


[ + ]

Executivo Municipal do Montijo reuniu pela 1ª vez

"O Montijo teria muito mais a ganhar com uma oposição construtiva"

A primeira reunião ordinária do executivo da Câmara do Montijo ficou marcada pelas declarações políticas sobre os resultados das eleições autárquicas. O presidente da autarquia,  Nuno Canta, expressou a sua honra e orgulho por “ter voltado a ser escolhido, de forma tão expressiva, pelos montijenses para presidir aos destinos da minha terra. Esta vitória enche-nos de orgulho, mas também de enorme responsabilidade, pois queremos cumprir a confiança que em nós depositaram os cidadãos”. As reuniões de câmara passam a acontecer quinzenalmente, às quartas-feiras,  com início às 15 horas. O público pode questionar o executivo a partir das 18 horas.  
Novo executivo municipal já trabalha em pleno  

Nuno Canta afirmou que “o último mandato autárquico foi fértil em tomadas de posição e decisões das oposições, quase sempre incoerentes e muitas vezes contraditórias e irresponsáveis. Assistimos recorrentemente à ausência de bom senso político, que analisou a realidade a partir de esquemas, coletivos ou individuais, construídos quase sempre sem qualquer nexo com o real. Estou consciente que o Montijo teria muito mais a ganhar com uma oposição construtiva, com uma oposição com projetos e ideias, do que com uma oposição que atua entre a defesa dos seus interesses partidários e o bloqueio das propostas estruturantes para o Montijo”, realçou o candidato.
“Como presidente da Câmara do Montijo sempre procurei o diálogo, a concertação, a proximidade com os cidadãos assente na verdade, na palavra dada e na defesa do interesse público. Os montijenses sabem que temos uma ideia mobilizadora para o Montijo, com os desafios e as oportunidades a criar pelo novo Aeroporto do Montijo. Os montijenses sabem que temos uma equipa credível e experiente e que vamos ter um mandato alinhado com os grandes eixos estratégicos definidos no nosso programa eleitoral”, acrescentou o autarca.

Nomeações e horário das reuniões de câmara
Nesta primeira reunião, o presidente da câmara revelou que nomeou para vice-presidente da câmara a vereadora Maria Clara Silva. Foi, igualmente, aprovada uma proposta de nomeação do Conselho de Administração dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento do Montijo que ficará constituído por Nuno Canta (presidente), Ricardo Bernardes e Sara Ferreira (vogais). A proposta foi aprovada com quatro votos a favor do PS e duas abstenções (CDU e PSD).
Uma última nota para a aprovação, com quatro votos a favor do PS e dois votos contra do PSD e da CDU, do horário das reuniões de câmara, que continuam a ser realizadas quinzenalmente, às quartas-feiras, mas no horário das 15 horas, com o período de intervenção do público agendado para as 18 horas.

Agência de Notícias com Câmara do Montijo


[ + ]

Aluno de 10 anos morre em escola da Quinta do Conde

Menino morreu na Escola EB1 da Quinta do Conde

Um rapaz de 10 anos morreu esta segunda-feira, no Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde, em Sesimbra,anunciou a TVI24. As causas do óbito são ainda desconhecidas. O alerta foi dado às 9h20. Foi acionada para o local a VMER de Setúbal e a ambulância dos bombeiros voluntários de Sesimbra. Alegadamente o aluno que frequentava o 5º ano sofria de problemas cardíacos.
Quando o socorro chegou à escola o menino já teria morrido 

Um menino de 10 anos morreu esta segunda-feira, no Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde, em Sesimbra, avançou a TVI24 esta manhã. A tragédia aconteceu na Escola EBI da Quinta do Conde, quando o menino, aluno do 5.º ano, estava em plena sala de aula.
 O INEM foi o primeiro a acudir e, quando a GNR chegou, a criança já tinha morrido. A TVI refere que o menor sofria de problemas cardíacos, mas a informação não está confirmada – a mesma fonte da GNR assegura que “a causa da morte é desconhecida”.
As aulas do 5.º ao 9.º ano foram canceladas esta segunda-feira e deverão ser retomadas amanhã, terça-feira, disse fonte do Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde, que confirma a morte de um aluno e endereça “à família sentidas condolências”, segundo um comunicado divulgado na página do agrupamento.
A ocorrência deixou a comunidade escolar em estado de choque, sucedendo-se centenas de mensagens nas redes sociais a manifestar pesar pela tragédia que vitimou a criança e de solidariedade aos pais.
Fonte do INEM, esclareu à TVI, que ao chegar ao local a equipa médica deparou-se com um menor de 10 anos em paragem cardio-respiratória e verificou o óbito. A criança foi transportada para o Hospital São Bernado, em Setúbal.
Para o local foi ainda enviada uma Unidade Móvel de Internamento Psicológico de Emergência.

Agência de Notícias 
[ + ]

Inês de Medeiros já tomou posse na Câmara de Almada

Nova presidente promete uma “nova atitude política” na gestão da autarquia

Inês de Medeiros tomou posse como presidente da Câmara de Almada, numa cerimónia realizada, este sábado, no Teatro Municipal Joaquim Benite, em Almada. A autarca do PS que nas últimas eleições de 1 de Outubro ganhou uma autarquia governada, desde sempre, pelos comunistas. Inês de Medeiros torna-se assim na quarta presidente da Câmara de Almada em funções desde as primeiras eleições autárquicas, em 1976. A nova presidente promete uma “nova atitude política” na gestão da autarquia e uma presidência de proximidade, com “presidenciais abertas”, inspiradas em Mário Soares, todos os meses, pelas diversas freguesias do concelho. Inês de Medeiros, eleita pelo PS, apresentou, como “prioridades estratégicas”, as áreas da reabilitação, mobilidade, turismo e higiene e limpeza. Sem maioria na autarquia para governar, e sem o apoio da CDU, o PS vai "coligar-se" com o PSD para conseguir gerir uma das maiores câmaras do Distrito de Setúbal. 
Nova presidente quer estar próxima da população 

Não há como disfarçar: a perda de Almada foi o maior rombo da noite eleitoral da CDU. Nunca uma pequena diferença de 313 votos foi tão grande no saldo final das contas. O PS conquistou a autarquia que, desde o 25 de Abril nunca tinha conhecido outra cor política, mas também levou a mais rica câmara comunista. Com um orçamento de 103 milhões de euros anuais, o PCP sai de cena, deixando pronto a executar um megaprojeto com que os comunistas sonham pelo menos há oito anos: a reabilitação urbana dos 53 hectares de terreno da antiga Lisnave. O projeto está avaliado em 1,5 mil milhões de euros.
O PS tentou, em Almada, uma grande gerigonça, entregando pelouros aos vereadores de todas as forças políticas, mas à última hora esse entendimento falhou. Na véspera da tomada de posse de Inês de Medeiros, que ocorreu no sábado, o PCP fez mais exigências que os socialistas recusaram, escreve o Diário de Notícias. Sem acordo, o PSD foi o único partido a aceitar pelouros.
Os socialistas estavam dispostos a entregar a gestão da Casa da Cerca, Espaços Verdes, Mercados e SMAS (serviços municipalizados de água e saneamento) aos comunistas - que perderam para o PS as eleições autárquicas de dia 1 deste mês por 313 votos. As negociações que estariam bem encaminhadas mas caíram no fim: o PCP, escreve o DN, terá pedido "pelouros impossíveis", como definiu fonte conhecedora do processo, incluindo a Cultura, que o PS já tinha indicado que fica nas mãos da nova presidente da câmara.
Socialistas e comunistas elegeram quatro vereadores cada, os sociais-democratas dois e os bloquistas uma. Como o BE não faz a diferença, perante o não acordo com o PCP, Joana Mortágua (a quem o PS poderia entregar a Habitação Social) preferiu ficar de fora da equação.
Já os vereadores do PSD (Nuno Matias e Miguel Salvado, ficarão com a rede viária e a iluminação pública e poderão ainda receber outros, depois de comunistas e bloquistas não terem funções executivas.

As prioridades da nova presidente 
Inês de Medeiros quer, “liderar a reabilitação” do Cais do Ginjal e da Margueira, estender essa “dinâmica de reabilitação” à Almada velha, Trafaria, Romeira, Cova do Vapor e Costa da Caparica. Para fazer da costa um “polo turístico da Região de Turismo de Lisboa” vai lançar o programa ‘Costa todo o ano’, disse a autarca na tomada de posse. No domínio da mobilidade, pretende aproveitar a oportunidade de novos concursos, no final dos actuais da Fertagus e Transportes Sul do Tejo (TST) em 2019, para introduzir um novo sistema tarifário que integre comboio e autocarro, a extensão da linha do norte a Roma/Areeiro até ao Oriente e ligar a linha do sul à linha do Sado.
Quanto a higiene urbana, a nova presidente diz que Almada pode e deve garantir uma “maior qualidade” dos serviços municipais. Um compromisso que reafirmou “como presidente da Câmara Municipal”.
Inês Medeiros afirma querer uma "presidência de proximidade, às pessoas e aos seus problemas, e fazer uma cidade mais solidária, inclusiva e acessível".
A autarca quer ainda a criação dos programas de arrendamento inter-geracional “a baixo custo”, para estudantes universitários e idosos, e ‘cuidar de quem precisa’, para apoio domiciliário e às famílias. Promete ainda uma rede de “flexibus” para transporte dos mais isolados entre as freguesias, e “trazer à discussão pública” medidas de combate ao abandono escolar como a promoção do estudo acompanhado, troca gratuita de manuais e criação de um sistema de incentivos e bolsas de estudo para jovens de famílias de baixos rendimentos.
Na relação com o movimento associativo, a nova maioria vai elaborar um regulamento municipal de apoio, com “critérios de avaliação” e “métricas de execução” que “valorizem a actividade regular das associações”, para “maior eficácia e transparência”.
A presidente socialista promete ainda promover um “verdadeiro orçamento participativo”, dotado de uma “verba anual relevante” e criar uma agência para o desenvolvimento.
Para primeira medida, Inês Medeiros, revelou pretender assinar “ainda hoje” o despacho para a construção de uma rampa de acesso a pessoas com mobilidade reduzida que prometeu, durante a campanha, no espaço jovem do Bairro Amarelo.

Os reparos à CDU
Autarca deixou criticas à CDU
Nas referências que fez aos 41 anos de poder comunista em Almada, Inês Medeiros agradeceu e criticou a gestão comunista que dominava a autarquia desde 1976. “Temos consciência dos progressos conseguidos nestes mais de 40 anos de democracia, e não esquecemos a quem devemos esses progressos, ao PCP. E por isso com a mesma frontalidade, sem qualquer dogmatismo, também somos forçados a reconhecer que o modo de governar, que tão importante foi nos anos 80 e 90, nos momentos mais duros do nosso concelho, é hoje um modelo esgotado", sublinhou a autarca.
Na Assembleia Municipal, as contas serão igualmente complicadas: há 11 deputados para PS e PCP, cinco do PSD, quatro do BE e um do PAN e outro do CDS-PP. Logo após a tomada de posse, realizou-se a primeira reunião da Assembleia Municipal, que elegeu os três membros do órgão para o novo mandato. O socialista José Joaquim Leitão foi eleito presidente, substituindo o comunista José Manuel Maia no cargo. Para secretários foram eleitos Paulo Viegas (PS) e Ana Paula Silva (PS). Esta lista obteve 23 votos. Uma segunda lista, apresentada pela CDU, teve 14 votos. Houve um voto em branco.

Agência de Notícias 
[ + ]

Maus cheiros incomodam populações de Azeitão

Quercus exige “inspecção urgente” a empresa de tratamento de resíduos perigosos

A Quercus exigiu ao Ministério do Ambiente uma “inspecção urgente” ao complexo industrial da empresa de tratamento de resíduos perigosos Carmona SA, devido aos odores e mau cheiro provenientes das instalações de Brejos de Azeitão, em Setúbal. A actividade da empresa de tratamento de resíduos perigosos, nas instalações de Brejos de Azeitão, tem gerado, nos últimos meses, cada vez mais reclamações das pessoas relativamente aos maus cheiros. Contactada pela agência Lusa, a Agência Portuguesa do Ambiente não esclareceu se a empresa está a cumprir as regras ambientais ou se tinha sido objecto de alguma acção de fiscalização recente por parte do Ministério do Ambiente, face às reclamações da população local, mas revelou que o licenciamento das novas instalações deverá estar concluído em Janeiro do próximo ano de 2018.
População queixa-se dos maus cheiros de empresa de resíduos 

“Nos últimos meses tem havido cada vez mais reclamações das pessoas relativamente aos maus cheiros, aos odores, à incomodidade, pelo que decidimos exigir às entidades que têm responsabilidade nesta matéria, nomeadamente à Agência Portuguesa do Ambiente e Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, que façam uma inspecção às instalações, ao funcionamento e àquilo que são os procedimentos para o cumprimento da lei, para verificar se a empresa está a funcionar de acordo com as regras, o que, aparentemente, não está a acontecer”, disse à agência Lusa Paulo do Carmo, da Quercus.
De acordo com o dirigente da Quercus, a empresa Carmona já há alguns anos manifestou a intenção de transferir as instalações de Azeitão para a zona industrial da Mitrena, em Setúbal, mas os responsáveis da empresa alegam que o “processo de licenciamento está parado há cerca de dois anos na Agência Portuguesa do Ambiente”.
A Quercus considera que “o problema da emissão de odores não deve ser colocado apenas ao nível das fontes fixas de emissões atmosféricas pontuais ou esporádicas, mas também ao nível das fontes difusas, mais concretamente as deficientes condições de armazenamento (sem qualquer tipo de protecção/contenção), condições essas que não passam do simples empilhamento de recipientes plásticos cheios de resíduos em pleno céu-aberto, sob uma superfície consolidada”. Segundo esta associação ambientalista “é facilmente perceptível que as melhores técnicas disponíveis não são uma realidade nas instalações industriais da Carmona SA”. 
A Quercus considera, assim, que a continuação da actividade nas actuais instalações constitui “uma séria ameaça para o ambiente e para as populações mais directamente expostas”.

Empresa e Agência Portuguesa do Ambiente sem respostas 
Contactada pela agência Lusa, a Agência Portuguesa do Ambiente não esclareceu se a empresa está a cumprir as regras ambientais ou se tinha sido objecto de alguma acção de fiscalização recente por parte do Ministério do Ambiente, face às reclamações da população local, mas revelou que o licenciamento das novas instalações deverá estar concluído em Janeiro do próximo ano de 2018.
“O projecto `Novas Instalações da Carmona´, relativo à deslocalização da Carmona para o Parque Industrial da SAPEC BAY, foi objecto de procedimento de Avaliação de Impacto Ambiental, tendo sido emitida Declaração de Impacte Ambiental favorável condicionada em 2014 (…), que previa um conjunto de elementos a apresentar previamente ao licenciamento ou autorização do projecto por parte da empresa”, esclareceu a Agência Portuguesa do Ambiente (APA).
“Sucede que a informação remetida pela empresa não dava inicialmente resposta às obrigações da DIA”, acrescenta a resposta escrita da Agência Portuguesa do Ambiente à agência Lusa, adiantando que, “em resultado de conversações entre a APA e a empresa, esta apresentou recentemente elementos que permitem dar cumprimento à Declaração de Impacte Ambiental” e que perspectiva a conclusão do processo de licenciamento ambiental para “Janeiro de 2018”.
A agência Lusa questionou também a APA sobre a possibilidade de renovação da actual licença ambiental da Carmona – que termina no primeiro semestre de 2018 – para continuar a laborar em Azeitão, caso não se verifique, entretanto, a deslocalização para a Mitrena, mas não obteve resposta.
A agência Lusa tentou também contactar o administrador da Carmona, Aquiles Rodrigo, mas, apesar de várias tentativas, o responsável da empresa nunca esteve disponível para prestar declarações.
Certo é que, em Novembro de 2011, Aquiles Rodrigo já previa a inauguração das novas instalações na zona Mitrena no prazo de dois anos, em 2013, mas a deslocalização da empresa não se concretizou, pelo que a Carmona SA continua ainda hoje a laborar em Azeitão, numa zona próxima de dezenas de habitações e de uma escola.
Fonte da Câmara Municipal de Setúbal garantiu que a autarquia sempre procurou ajudar a empresa no processo de deslocalização, mas lembrou que a fiscalização da actividade e o licenciamento daquela empresa de tratamento de resíduos é da responsabilidade do Ministério do Ambiente.

Agência de Notícias com Lusa


[ + ]

Setúbal recolhe testemunhos sobre a Festas de Tróia

Autarquia quer aumentar o reconhecimento da manifestação religiosa

A Câmara de Setúbal, através do Museu do Trabalho Michel Giacometti, está a promover uma recolha de materiais e informações para inscrever as Festas de Nossa Senhora do Rosário de Tróia no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial. "O objetivo é obter fotografias, documentos, cartazes, artigos de jornais e testemunhos de pessoas sobre os festejos tradicionais em honra dos marítimos de forma a constarem do processo de solicitação de inclusão do evento na lista patrimonial portuguesa", dia a Câmara de Setúbal.
Festa de Tróia é uma das mais antigas da cidade de Setúbal 

A iniciativa promovida pela autarquia, que conta com o apoio da Comissão de Festas de Nossa Senhora do Rosário de Tróia e do Instituto Politécnico de Setúbal, pretende aumentar o reconhecimento de uma manifestação religiosa cujos primeiros registos de sacralidade do local, a Caldeira de Tróia, datam de há cerca de quinhentos anos e que assume cariz sistemático centenário.
A adoração a Nossa Senhora do Rosário de Tróia resultará de um incidente com pescadores em aflição que conseguiram abrigo na Caldeira. Descobriram uma imagem de madeira de Nossa Senhora nas margens, alegadamente proveniente de uma embarcação estrangeira, o que os fez acreditar que foram salvos por ela. O episódio reforçou a componente sagrada do sítio e relançou o culto pela população.
Hoje, milhares de pessoas participam nas festividades em honra da padroeira dos pescadores setubalenses, que se realizam em agosto. Entre outras atividades, incluem três dias de acampamento na Caldeira de Tróia, em que as famílias dos marítimos convivem num programa com celebrações religiosas e animações.
No final, o regresso a Setúbal da imagem em círio fluvial, com embarcações engalanadas de pesca e de recreio a colorirem o rio Sado, junta largas centenas de devotos ao longo da zona ribeirinha da cidade.
A Câmara  de Setúbal pretende agora que quem possuir materiais ou quiser contar o seu testemunho sobre memórias e vivências nesta festividade ao longo dos anos se dirija ao Museu do Trabalho Michel Giacometti, localizado no Largo Defensores da República. As fotografias e os documentos serão fotocopiados e os originais devolvidos de imediato aos proprietários.
"Todo o material reunido será tratado e arquivado por técnicos daquele museu municipal com o objetivo de integrar um dossier a submeter ao Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial", diz a autarquia.
Mais informações sobre o projeto podem ser obtidas através do contacto telefónico 265 537 880 ou do endereço museu.trabalho@mun-setubal.pt.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 




[ + ]

Seixal-Cais do Sodré deverá sofrer perturbações

Atenção às perturbações na travessia do Tejo nesta segunda 

Esta segunda-feira, a travessia do Tejo por barco vai estar dificultada. Em causa está uma “avaria imprevista num dos navios afetos à ligação Seixal – Cais do Sodré”, anunciou este domingo a Transtejo. A situação “vai implicar a supressão de carreiras e a irregularidade de horários, em alguns períodos”. Para mitigar os efeitos, “os títulos de transporte válidos serão aceites nas ligações de Cacilhas, do Barreiro e do Montijo”, refere a Transtejo, detalhando que “lamenta os incómodos causados e agradece a compreensão de todos os passageiros”.
Transtejo anuncia supressão de carreiras esta segunda-feira

As ligações fluviais Seixal-Cais do Sodré, em Lisboa, poderão sofrer perturbações na segunda-feira, devido a uma "avaria imprevista" de um dos navios afetos àquele trajeto, informou a transportadora Transtejo/Soflusa.
Em comunicado, a empresa refere que "a situação vai implicar a supressão de carreiras e a irregularidade de horários, em alguns períodos" na segunda-feira.
"Durante tais períodos, a título excecional, os títulos de transporte válidos serão aceites nas ligações de Cacilhas, do Barreiro e do Montijo", adianta a nota.
A empresa diz lamentar os incómodos causados e agradece a compreensão de todos os passageiros, assegurando que está a desenvolver todos os esforços para restabelecer, com a brevidade possível, a normalidade do serviço de transporte fluvial.

Agência de Notícias com Lusa
[ + ]

Câmaras do Litoral Alentejano "quase paradas"

Greve paralisa serviços municipais de Alcácer do Sal, Santiago do Cacém, Grândola e Sines  quase a cem por cento

Os serviços municipais de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém e Sines, no litoral alentejano, estiveram, esta sexta-feira , “quase paralisados”, com 88 a 94 por cento dos trabalhadores em greve, segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local. “Em Alcácer do Sal, 93 por cento dos trabalhadores fizeram greve, em Grândola, 88 por cento, em Sines 94 por cento e em Santiago do Cacém, 94 por cento”, disse à agência Lusa o delegado sindical do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local  no litoral alentejano, Ricardo Balona, indicando ainda haver sectores com 100 por cento de paralisação, como é o caso dos Resíduos Sólidos Urbanos.  No litoral alentejano, apenas a Junta de Freguesia de Melides (Grândola) e a União de Freguesias de São Domingos e Vale de Água (Santiago do Cacém) abriram as portas.
88% dos trabalhadores da Câmara de Grândola fizeram greve

Os edifícios dos Paços do Concelho de Alcácer do Sal e de Grândola estão encerrados, mas em Santiago do Cacém e em Sines, alguns trabalhadores ocuparam os postos de trabalho, após as portas terem sido abertas por vereadores.
Embora a porta principal dos Paços do Concelho de Santiago do Cacém esteja encerrada, há trabalhadores em funções no edifício, que, pelas 09h00, aguardavam a possibilidade de entrar para ocupar os postos de trabalho, o que só foi possível meia hora depois, quando um membro do executivo municipal (CDU) abriu a porta.
Contactado pela agência Lusa, o presidente da Câmara de Santiago do Cacém, Álvaro Beijinha, lembrou que “a greve é um direito constitucional”, mas que “naturalmente o direito ao trabalho também o é”.
“A entidade patronal não pode fazer ‘lock out’”, argumentou, manifestando-se “solidário” com o protesto dos trabalhadores e fazendo questão de dizer que os próprios vereadores, por solicitação própria, “não recebem vencimento neste dia”.
Para Ricardo Balona, o facto de um vereador ter aberto a porta do edifício dos Paços do Concelho, o que aconteceu não só em Santiago do Cacém, constitui uma “substituição” do trabalhador que tinha essa função e que “fez greve”.
Com as portas dos edifícios municipais junto aos Paços do Concelho de Santiago do Cacém encerradas, poucos munícipes se deslocaram aos serviços.
Susana Simões queria resolver na sexta-feira uma situação relacionada com a “ocupação de via pública”. Viu as portas encerradas, deu meia volta e voltou para trás.
“Sabia que havia greve, vi pela televisão, pelos meios de comunicação, mas tinha expectativa de conseguir tratar hoje”, disse em declarações à agência Lusa, conformada, indicando que volta “outro dia”.

Munícipes às “escuras”
Nas ruas próximas da Câmara Municipal alguns munícipes abordados pela agência Lusa não chegaram a aperceber-se de que havia hoje greve, outros tinham conhecimento do protesto convocado pela Frente Comum de Sindicatos da Função Pública, mas disseram não sentir reflexos directos.
É o caso de Fernanda Martins, advogada, que não procurou no dia da greve quaisquer serviços municipais, mas que, não notou “qualquer diferença” noutros serviços públicos, como “o tribunal, a conservatória e as finanças”, que conseguiu frequentar “normalmente”.
A adesão à greve no segundo turno dos hospitais e nas escolas estava, às 10 horas da última sexta-feira e, próxima dos 100 por cento segundo a coordenadora da Frente Comum de sindicatos da Função Pública, Ana Avoila.
Os professores também estão a cumprir uma greve, convocada pela Federação Nacional dos Professores (Fenprof) em defesa dos direitos, das carreiras, da estabilidade e dos salários.
Em causa na greve nacional está a falta de respostas às reivindicações da Frente Comum, como o aumento dos salários na função pública, o descongelamento “imediato” das progressões na carreira e as 35 horas semanais para todos os trabalhadores.
Esta é a terceira greve nacional dos trabalhadores da Administração Pública com o atual Governo e a primeira convocada pela Frente Comum de Sindicatos, segundo a listagem cedida pela estrutura sindical.
A primeira greve com o executivo de António Costa ocorreu em 29 de Janeiro de 2016 e foi convocada pela Federação Nacional dos Sindicatos da Administração Pública, assim como a de 26 de Maio deste ano, que teve como objectivo reivindicar aumentos salariais, o descongelamento das carreiras, o pagamento de horas extraordinárias e a redução do horário de trabalho para 35 horas em todos os serviços do Estado.

Agência de Notícias com Lusa

[ + ]

Quinta do Anjo festeja Todos os Santos até 1 de Novembro

Festa com mais de 260 anos é a mais antiga do concelho de Palmela 

Tradições religiosas, cavalhadas à antiga portuguesa, animações musicais e gastronomia, bem como um espetáculo de fogo-de-artíficio são os atrativos da 261.ª edição das Festas de Todos os Santos, em Quinta do Anjo, no concelho de Palmela, a decorrer entre os dias 27 de Outubro e 1 de Novembro. A Festa de Todos os Santos é um momento alto de celebração da identidade da freguesia de Quinta do Anjo. “Esta é uma das mais antigas festividades do concelho, em resultado de um forte e continuado envolvimento da comunidade, festividade que tem mantido viva a memória da promessa realizada para protecção da aldeia face ao terramoto de 1755”, sublinha a autarquia de Palmela. Paco Bandeira, Herman José, Jorge Nice e Edu Miranda Trio são os artistas em destaque.

Quinta do Anjo em festa a partir desta tarde 

O certame, promovido pela Associação de Festas de Quinta do Anjo, em parceria com a Câmara de Palmela, e com o forte envolvimento da população e das associações locais, proporciona seis dias de animação naquela que é uma das festividades mais antigas e tradicionais do concelho de Palmela
Paco Bandeira, Herman José, Jorge Nice, Edu Miranda Trio e o European Woodwind Classical Ensemble são alguns dos artistas convidados da 261.ª edição da Festa de Todos os Santos, que conta ainda com atuações musicais a cargo de Desenfado, Box Band & The Funk Project, Dixie Gang, Ma Belle, Mama Mia (tributo aos ABBA) e do projeto Não Há 2 Sem 3.
A inauguração oficial da festa que evoca a promessa feita em virtude da proteção da aldeia de Quinta do Anjo, na sequência do terramoto de 1755, tem início agendado para as 20h30 desta sexta-feira seguida de atuação pela banda da Sociedade de Instrução Musical. Mais tarde, às 22h15, é a vez da Orquestra Ligeira subir ao palco daquela sociedade. A partir das 00h15, o palco da Sociedade de Instrução Musical recebe uma noite dos anos 80, 90 e ano 2000, a cargo do dj Tó Patronilho.
De salientar, ainda, que a 261.ª edição das Festas de Todos os Santos, em Quinta do Anjo, inclui vários bares e tasquinhas, em que não faltam petiscos e bebidas. As honras de encerramento do certame, no dia 1 de Novembro, cabem ao cantor Paco Bandeira, a que se segue um espetáculo de fogo de artifício.
A Câmara de Palmela "assume-se, uma vez mais, como parceira na concretização desta iniciativa, com a atribuição de um apoio financeiro no valor de 3.500 euros. A este apoio financeiro, somam-se apoios logísticos, técnicos e de comunicação", explica a autarquia em nota enviada à ADN-Agência de Notícias.
A Festa de Todos os Santos da Quinta do Anjo tem registado dimensão e ambição crescentes, procurando afirmar a cultura, os valores e os saberes daquela freguesia.

Programa da Festa de Todos os Santos 2017 – Quinta do Anjo

Dia 27 de outubro
Sociedade de Instrução Musical (SIM)
20h00 Receção das entidades oficiais e convidadas/os | Salão Nobre da SIM
20h30 Inauguração oficial da festa, seguida de atuação pela banda da Sociedade de Instrução Musical | Salão Nobre da SIM
22h15 Concerto com a Orquestra Ligeira da Sociedade de Instrução Musical | Palco da SIM
00h15 Noite dos anos 80, 90 e ano 2000, a cargo do dj Tó Patronilho | Palco da SIM

Dia 28 de outubro
09h00 Arruada na aldeia pela Banda da Sociedade Instrução Musical
09h30 Passeio a cavalo
14h30 Cavalhadas à antiga portuguesa
21h00 Concerto pelo Ensemble de Saxofones do Conservatório Regional de Palmela e pela Sociedade Filarmónica Humanitária | Palco da SIM
22h15 Atuação pelo grupo de jazz Dixie Gang | Palco da SIM
00h00 Atuação da banda coimbrense Não Há 2 Sem 3 | Palco da SIM

Dia 29 de outubro

18h00 Procissão das velas
21h30 Festival das tunas académicas “In Spiritus Tuna” e “Grupo de Serenatas Neptunos” | Palco da SIM
23h30 Atuação da banda Box Band & The Funk Project | Palco da SIM

Dia 30 de outubro

21h15 Atuação do projeto musical Desenfado | Palco da SIM
00h00 Animação com a banda Ma Belle | Palco da SIM

Dia 31 de outubro
Palco da SIM
21h00 Concerto pela Orquestra de Câmara da Sociedade Filarmónica Palmelense “Loureiros” | Palco da SIM
22h00 Atuação do grupo Mama Mia, num tributo aos ABBA | Palco da SIM
00h15 Espetáculo com Herman José | Palco da SIM

Dia 1 de novembro
15h30 Procissão em honra da Nossa Senhora da Redenção
17h30 Animação com Jorge Nice | Palco da SIM
20h15 Concerto pela European Woodwind Classical Ensemble | Palco da SIM
21h15 Atuação pelo grupo Edu Miranda Trio | Palco da SIM
23h00 Espetáculo com Paco Bandeira | Palco da SIM
00h45 Espetáculo pirotécnico

Agência de Notícias com Câmara de Palmela
[ + ]

Museu Sebastião da Gama, em Azeitão, beneficiado

Câmara de Setúbal investe 120 mil euros na recuperação do equipamento cultural  

O Museu Sebastião da Gama está a ser beneficiado numa intervenção da Câmara de Setúbal para aumento da atratividade e funcionalidade deste equipamento cultural instalado em Vila Nogueira de Azeitão. A empreitada, orçada em 120 mil 335 euros, dá "continuidade à estratégia municipal de reabilitação de equipamentos públicos culturais, desportivos e turísticos, dotando-os de condições de utilização mais condignas para o usufruto da população e para a dinamização dos mais variados eventos", explica a Câmara de Setúbal em comunicado. 
Museu Sebastião da Gama deve reabrir  no final do ano 

A operação no edifício que acolhe, desde 1999, o Museu Sebastião da Gama torna este equipamento mais funcional e com novas valências para os utilizadores, incluindo a melhoria das condições gerais de conforto térmico e acústico.
Os trabalhos, com conclusão na segunda quinzena de Novembro, envolvem a criação de acessibilidades para pessoas com mobilidade reduzida, nomeadamente através da eliminação de barreiras arquitetónicas e da instalação de uma plataforma elevatória, a par da adoção de soluções que visam o aproveitamento da luminosidade natural.
"A requalificação de vários materiais interiores, como rodapés e portas em madeira, tratados e pintados, está englobada na empreitada, assim como, entre outros trabalhos, a beneficiação de pavimentos e a reformulação de instalações elétricas, de telecomunicações e de segurança", diz a autarquia.
No espaço interior é ainda instalado novo mobiliário e iluminação mais eficiente, concretamente projetores LED. Já no exterior, a empreitada tem consignada a pintura integral das fachadas do museu, equipamento que recebe um novo letring iluminado.
A beneficiação do Museu Sebastião da Gama surge no seguimento de "operações idênticas já executadas noutros equipamentos municipais de cariz cultural, de que são exemplos recentes a Biblioteca Pública, a Casa Bocage e o Museu do Trabalho Michel Giacometti", conclui a autarquia sadina.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 
[ + ]

Exportações de vinhos da Península de Setúbal sobem 45%

Angola, Brasil, China e Canadá aumentam exportações dos nossos vinhos 

Até Setembro deste ano, a região da Península de Setúbal exportou três milhões 729 mil litros de vinho para países terceiros, o que representa um aumento de mais de um milhão de litros face ao mesmo período do ano passado. O aumento homólogo de 45 por cento deve-se à recuperação das exportações em mercados como Angola e à manutenção da tendência de crescimento em mercados como o Brasil, China e Canadá. Depois de uma descida acentuada nas exportações para Angola, nos últimos três anos, os vinhos da Península de Setúbal têm procurado reorientar a sua exportação para outros mercados, de forma a crescer em mercados, onde a sua quota já era relevante.
Vinhos de Setúbal já chegam a todo o mundo 

A região vitivinícola da Península de Setúbal exportou, até Setembro deste ano, três milhões e 729 mil litros de vinho para países terceiros, um aumento de mais de um milhão de litros face ao mesmo período em 2016.
Segundo um comunicado da Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal da Península de Setúbal, “o aumento homólogo de 45 por cento deve-se à recuperação das exportações em mercados como Angola e à manutenção da tendência de crescimento em mercados como o Brasil, China e Canadá”.
“Depois de uma descida acentuada nas exportações para Angola, nos últimos três anos, os vinhos da Península de Setúbal têm vindo a procurar reorientar a sua exportação para outros mercados e a procurar crescer em mercados onde a sua quota já era relevante”, acrescenta o referido comunicado.
Nos primeiros nove meses deste ano, registou-se um aumento de 371,4 por cento das exportações para Angola face ao período homólogo.
No mercado brasileiro, a tendência de aumento volta a repetir-se este ano, com mais 20,5 por cento de volume exportado
O mesmo acontece na China, com mais 25,2 por cento de exportações que no período homólogo de 2016.
No topo dos países terceiros que mais importam vinhos da Península de Setúbal estão Angola, Brasil, Canadá, China, Estados Unidos, Noruega, México e Japão, que representam 98 por cento do volume total de vinho exportado para fora da União Europeia.
Para Henrique Soares, presidente da Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal, “este bom resultado é fruto do investimento das empresas nos principais países de destino nos últimos anos, suplementado pelos investimentos da Região e da Viniportugal”.
Diante deste crescimento, a Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal pretende seguir com o investimento nos mercados brasileiro e chinês.
“Se este volume de exportações for mantido, os vinhos da Península de Setúbal poderão inclusive fechar o ano de 2017 com um recorde de vendas no mercado brasileiro”, adianta o comunicado.
“Será fantástico, uma confirmação da importância do Brasil para a nossa região. Os nossos planos de promoção são anuais e dependem também do financiamento da União Europeia. Mesmo assim, o Brasil continuará a ser, cada vez mais, uma das prioridades para obter um crescimento sustentável para as empresas da Península de Setúbal que apostam neste mercado”, diz Henrique Soares.

Agência de Notícias
[ + ]

Setúbal repara arruamentos na Quinta da Amizade

Garantias bancárias permitem obras de infraestruturas urbanas 

Vários arruamentos da urbanização da Quinta da Amizade, em Setúbal, são beneficiados numa operação em curso liderada pela Câmara Municipal, que acionou a garantia bancária do loteamento para reparar infraestruturas urbanas. "A intervenção, correspondente à primeira fase de uma intervenção que a autarquia tem programada para beneficiar toda a urbanização, destina-se à reparação da rede viária, mal executada pelo loteador em virtude de não terem sido cumpridas as condições aprovadas em projeto", diz a Câmara de Setúbal em comunicado. 
Obras estão finalizadas no final de Novembro 

O pavimento existente nos arruamentos em causa encontra-se, na generalidade, "muito degradado" e necessita de "permanentes intervenções de conservação de modo a manter uma qualidade de circulação mínima, situação que justifica uma intervenção mais profunda", realça a Câmara de Setúbal.
A necessidade de realização desta obra, identificada no último ciclo do programa municipal “Ouvir a População, Construir o Futuro”, levou a Câmara Municipal a "acionar a garantia bancária do loteamento da Quinta da Amizade para executar a operação de asfaltamento, empreitada orçada em 138 mil 770 euros", realça o comunicado da autarquia.
Os trabalhos de beneficiação da rede viária da urbanização, com ações de fresagem e de reforço do pavimento, incluem o asfaltamento da camada de desgaste existente de modo a garantir condições adequadas e condignas de circulação naquela área habitacional.
Além desta obra, com conclusão prevista para o final de Novembro, a Câmara de Setúbal executou, "igualmente com recurso à medida legal de acionamento da garantia bancária do loteamento, a sinalização vertical e horizontal em diversos arruamentos da Quinta da Amizade".

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 

[ + ]

Escola Básica Vale da Amoreira vence projecto EDP

 ‘Dar asas ao conhecimento: fazer acontecer’  convenceu júri 

A Escola Básica Vale da Amoreira, na Moita, foi uma das três vencedoras, a nível nacional, do segundo desafio do projecto EDP ‘Tagga o teu futuro’. A iniciativa envolveu milhares de alunos, dos 12 aos 18 anos,  e centenas de escolas de todo o país, que visa promover a mudança na sociedade para uma maior diversidade e inclusão. ‘Dar asas ao conhecimento: fazer acontecer’ foi o projecto apresentado pela escola do Vale da Amoreira, considerado um dos de maior impacto com soluções mais criativas
Alunos do Vale da Amoreira com projeto inovador 

Na iniciativa que envolveu milhares de alunos de centenas de escolas de todo o país, o estabelecimento de ensino do Vale da Amoreira destacou-se, conseguindo vencer com o projecto ‘Dar asas ao conhecimento: fazer acontecer’ e vai agora convidar profissionais das áreas de interesse dos alunos para sessões práticas e troca de experiências.
Os dois outros projectos vencedores, apurados no final do ano lectivo, foram os do Centro de Educação Integral, em São João da Madeira, e do Externato Cooperativo da Benedita em Alcobaça. Os vencedores vão receber o apoio da EDP e da Inspiring Future, além da mentoria do músico Jimmy P, na implementação dos respectivos projectos.
Na sexta-feira, 20, realizou-se o encontro das escolas vencedoras do segundo desafio do projecto na sede da EDP, que contou com a presença de cerca de 150 alunos e professores das escolas premiadas, Margarida Pinto Correia da Fundação EDP e Jimmy P, embaixador do projecto.
Recorde-se que, na primeira fase do projecto, os jovens foram convidados a assinalar no site [taggaoteufuturo.edp.pt] qual a sua profissão de sonho sem barreiras nem preconceitos, sendo que as escolas com mais ‘tags’ receberam um concerto do Jimmy P.
“Desde o arranque deste projecto tem sido visível o entusiasmo dos jovens – as gerações de futuro – em torno de causas que lhe são próximas. Na EDP queremos espoletar uma cidadania activa, despertar consciências para a necessidade de uma mobilização efectiva para que todos, independentemente da sua origem, condição social e género, possam ter oportunidades iguais”, explicou João Tavares, diretor Adjunto de Recursos Humanos da EDP, responsável pela área de Diversidade e Inclusão.
“Foi esse o nosso objectivo desde a primeira hora: desafiar os jovens a terem um papel positivo para a mudança de mentalidades, desta forma dando o seu contributo para uma sociedade mais inclusiva”, concluiu o responsável.
O projecto EDP ‘Tagga o Teu Futuro’, lançado em Março com o músico Jimmy P como mentor, envolveu milhares de alunos de centenas de escolas de todo o País. Na segunda fase do desafio, em parceria com a Associação Inspiring Future, uma equipa da EDP deslocou-se ao terreno para mobilizar os alunos a debater em contexto de aula as limitações das suas inspirações profissionais e a reflectir sobre possíveis soluções, identificando os recursos necessários para o efeito. 

Agência de Notícias 
[ + ]

PCP travou gerigonça de esquerda com BE no Seixal

BE lamenta que PCP rejeite “plataforma de entendimento” para governar a autarquia 

O Bloco de Esquerda  do concelho do Seixal  disponibilizou-se a “dar corpo a uma plataforma de entendimento que permitisse uma governação autárquica à esquerda para os próximos quatro anos”, porém “o PCP rejeitou liminarmente a possibilidade de se concretizar o acordo escrito”.  Recorde-se que a CDU, liderada  por Joaquim Santos, venceu as eleições no Seixal, porém sem maioria absoluta. Além do presidente, a CDU elegeu quatro vereadores. Tantos como o Partido Socialista.. PSD e BE elegeram um vereador cada. O Bloco de Esquerda tentou "negociar" uma coligação governativa com os comunistas mas o acordo foi recusado pela CDU.
Luís Cordeiro foi eleito para a autarquia pelo Bloco de Esquerda 

Em comunicado, subscrito pelo Plenário Concelhio do Seixal, o Bloco de Esquerda informa que “na sequência de contactos informais” com eleitos da CDU, “a coordenadora concelhia do Seixal do Bloco de Esquerda disponibilizou-se para reunir com a concelhia do PCP no sentido de dar corpo a uma plataforma de entendimento que permitisse uma governação autárquica à esquerda para os próximos quatro anos”.
Para os bloquistas, uma tal plataforma deveria “ter por base um conjunto de questões programáticas essenciais”; “ser firmado por escrito” e abranger “os diferentes órgãos autárquicos concelhios”, diz o Bloco de Esquerda.
“O PCP rejeitou liminarmente a possibilidade de se concretizar o acordo escrito, manifestando interesse apenas relativamente à Câmara e Assembleia Municipais”, refere o documento do Bloco, realçando que o partido “não passa cheques em branco, não vende o seu voto a troco de um qualquer lugar e não quer ser flor de lapela de quem quer que seja”, sublinha o Bloco.
“O PCP fez as escolhas que entendeu fazer”, diz o comunicado, apontando que o Bloco de Esquerda “continuará a lutar pela concretização de medidas que possibilitem Mais Democracia e Mais Participação e uma maior qualidade de vida do/as munícipes do Seixal, seja no que diz respeito à Mobilidade ou ao Desenvolvimento Económico Sustentável, à Educação ou à Saúde, ao Social ou à Cultura”, no concelho do Seixal.
O BE não esconde que o modelo de governação que existe no país pode ser um exemplo benéfico a seguir a nível local. Quando anunciou a candidatura de Luís Cordeiro, a concelhia do BE no Seixal também insistia na necessidade de o BE ter “mais eleitos e assim influenciar decisivamente a governação local a todos os níveis. Mais eleitos do BE serão factor de mudança no concelho, como já são no país”. Porém. mesmo sem maioria, a CDU, liderada por Joaquim Santos, trovou a gerigonça seixalense.

Agência de Notícias 
[ + ]

PSD quer que Soflusa devolva dinheiro dos passes

"Todos os pedidos serão devidamente analisados" diz a empresa  que faz a ligação Barreiro Lisboa 

Os deputados do PSD de Setúbal defenderam que a Soflusa devia devolver as verbas pagas pelos utentes no período em que não puderam utilizar o transporte fluvial entre o Barreiro e Lisboa.  Num pedido de esclarecimento enviado à Soflusa, a que a Agência de Notícias teve acesso, o deputado Bruno Vitorino considera que o serviço “foi pago, mas não foi prestado” pela empresa. A Soflusa refere que recebeu perto de 170 reclamações relativas às perturbações de serviço ocorridas. "Todos os pedidos serão devidamente analisados, durante os próximos dias, pelos órgãos da empresa competentes nesta matéria, a fim de ser dada resposta tão breve quanto possível", diz a empresa. 
PSD quer empresa a devolver o dinheiro dos passes 

“É inacreditável e lamentável que se tenha chegado a este ponto, de dizer às pessoas quando podem ou não apanhar o seu transporte, como se os trabalhadores ou estudantes pudessem alterar os horários do trabalho ou das aulas”, afirma o deputado, que é também vereador social-democrata na Câmara do Barreiro.
Bruno Vitorino salienta que entre os dias 9 e 13 de Outubro, a empresa anunciou que só iria operar com quatro embarcações, quando deveria ter pelo menos seis embarcações para assegurar o serviço mínimo.
O deputado salienta que Soflusa “reconheceu a sua incapacidade em assegurar o serviço”, emitindo um comunicado a pedir aos passageiros que não viajassem em hora de ponta, entre as oito e as nove horas.
“A impossibilidade de previsão das carreiras que iriam existir, não permitiu às pessoas programarem a sua vida, de modo a minimizarem estes impactos, ainda para mais não tendo sido colocado, por parte da empresa, nenhum transporte alternativo ao dispor dos passageiros, que tiveram que recorrer a outros transportes ou a viaturas particulares para garantir a sua mobilidade”, frisa o deputado do PSD, eleito por Setúbal.
O social-democrata considera que a restituição do dinheiro dos passes aos utentes “é um ato de justiça”, pois pagaram um serviço que não tiveram.

Soflusa analisa reembolso 
Questionada pela Lusa, a empresa Soflusa referiu que entre os dias entre nove e 12 de Outubro recebeu perto de 170 reclamações relativas às perturbações de serviço ocorridas.
“Nestas reclamações incluem-se 17 pedidos de reembolso parcial/total de título de transporte e três pedidos de indemnização, menos de dois por cento das reclamações. Todos os pedidos serão devidamente analisados, durante os próximos dias, pelos órgãos da empresa competentes nesta matéria, a fim de ser dada resposta tão breve quanto possível”, refere a empresa numa resposta por escrito enviada à Lusa.

Agência de Notícias com Lusa
[ + ]

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010