Dá um Gosto ao ADN

Tribunal trava candidatura da CDU em Poceirão e Marateca

Presidente de Junta há 25 anos proibido de se candidatar à União de Freguesias de Poceirão e Marateca

O candidato da CDU à União de Freguesias de Poceirão e Marateca, José Silvério, vai “continuar a lutar até às últimas consequências enquanto não for conhecida a decisão final do Tribunal Constitucional”. O autarca considera que não está a infringir a lei, pois está a candidatar-se “para a união de freguesias que é uma coisa nova” e não está relacionada com o cargo que ocupa na Junta de Freguesia do Poceirão. A CDU, o seu partido de sempre, acusa o PS de “tentar ganhar na ‘secretaria’ o que sabe que não consegue através do voto dos trabalhadores e das populações”. O Constitucional decide em breve.  

Tribunal de Setúbal travou candidatura da CDU 

O Tribunal Judicial de Setúbal aceitou a impugnação do candidato da CDU à União de Freguesias de Poceirão e Marateca, tendo concluído que a limitação de mandatos deve ser estabelecida para a autarquia onde foram cumpridos três mandatos consecutivos, mas também para qualquer outra autarquia. Natividade Coelho, candidata do PS à Câmara Municipal de Palmela, realça que esta “não é uma questão de vitória, pois o PS agiu em nome da transparência e ética política”.
A vereadora do PS realça que os mandatários do Partido Socialista às eleições no município de Palmela “tiveram a necessidade de clarificar o que está definido por lei, pois não se pode perpetuar o exercício do poder político numa só pessoa”, visto que os autarcas só podem ser eleitos para três mandatos consecutivos.
Natividade Coelho entende que era “urgente esclarecer os termos do artigo” que limita a renovação sucessiva de mandatos dos presidentes dos órgãos executivos das autarquias locais, realçando, no entanto, que o pedido de impugnação “não é uma arma de arremesso político”.

CDU critica posição socialista
Em resposta, em comunicado, a CDU acusa o PS de “tentar ganhar na ‘secretaria’ o que sabe que não consegue através do voto dos trabalhadores e das populações” e promete aguardar com “serenidade” e “convicção” a decisão do Tribunal Constitucional sobre o pedido do PS de impugnação do cabeça de lista da CDU à União de Freguesias de Poceirão e Marateca.
Em comunicado, os comunistas referem mesmo que o PS é “incapaz de apresentar um projecto e uma candidatura à altura das provas dadas pela equipa que a CDU propõe para as freguesias do Poceirão e da Marateca”.
A Coordenadora concelhia de Palmela da CDU considera que deve ser a população do Poceirão e da Marateca a decidir “livremente quem eleger, e não um qualquer gabinete do PS”. No comunicado a CDU chama esta decisão socialista de “hipocrisia política de quem quer fazer parecer que tem autoridade moral”.

Silvério candidatou-se a “pedido do povo”
Seja como for, o juiz de Setúbal validou os argumentos apresentados pelos mandatários da candidatura do PS a Palmela, pelo que o candidato José Silvério [há 25 anos à frente da freguesia do Poceirão] está abrangido por impedimentos legais, uma vez que é presidente da Junta de Freguesia de Poceirão há mais de três mandatos.
O próprio, em declarações aos jornalistas, afirma que se candidatou “a pedido do povo”, pelo que vai “até ao fim nesta luta, pois os advogados estão a trabalhar com esse propósito”.
O autarca considera que não está a infringir a lei, pois está a candidatar-se “para a união de freguesias que é uma coisa nova” e não está relacionada com o cargo que ocupa na Junta de Freguesia do Poceirão.
O caso só irá terminar com uma decisão do Tribunal Constitucional para onde já seguiu o parecer da candidatura de José Silvério. À mesma União de Freguesias, o PS apresenta como cabeça de lista Fernanda Esfola, atual presidente da junta da Marateca.

Agência de Notícias 
[ + ]

Esquadra da PSP inaugurada em Corroios

Nove meses depois da obra concluída a PSP muda-se para casa nova  

A nova esquadra de Corroios da Polícia de Segurança Pública (PSP), em Santa Marta do Pinhal, é inaugurada na terça-feira, dia 3 de Setembro, às 11 horas, pelo Ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, e pelo Presidente da Câmara Municipal do Seixal, Alfredo Monteiro. Relembre-se que a nova esquadra estava pronta desde Dezembro do ano passado.

Nova esquadra da  PSP, em Corroios, inaugurada a 3 de Setembro 

Custou mais de 1,1 milhões de euros aos cofres do estado e está concluída há mais de nove meses. Falamos das novas instalações da esquadra da PSP de Corroios, concelho do Seixal, que irá abrir portas no terceiro dia de Setembro. Os 60 agentes daquela esquadra continuam instalados num rés-do-chão de um edifício de habitação enquanto esperam por uma luz verde para a mudança.
Este novo equipamento vem responder às reivindicações da Autarquia do Seixal, que durante vários anos, vinha alertando os Governos para as deficientes condições de trabalho e operação dos agentes desta força de segurança. Recorde-se que a Câmara Municipal do Seixal assinou em 2009 um protocolo com a Direção Geral de Infraestruturas e Equipamentos (DGIE) do Ministério da Administração Interna, e a Polícia de Segurança Pública para a construção da esquadra de Corroios, em terreno cedido pela autarquia, avaliado em 139 mil 590 euros.
As novas instalações da PSP de Corroios estão inseridas num terreno com 2.179 m² e têm capacidade para receber 60 efetivos. O edifício está dividido em dois pisos e foi projetado para servir diversas valências, nomeadamente serviço de atendimento, secretaria, gabinete de apoio à vítima, sala de comunicações/ transmissões, sala de formação, gabinete para comandante, gabinete para adjunto, sala de reuniões, balneários, instalações sanitárias e celas/quartos de detenção.


Agência de Notícias 
[ + ]

Obras de requalificações urbanísticas em Setúbal

Autarquia investe na requalificação no centro da cidade

As condições de vivência urbana em Setúbal saem melhoradas com a execução de um conjunto de ações urbanísticas, um investimento global superior a 85 mil euros da autarquia local que inclui a criação de várias bolsas de estacionamento.

Autarquia está a requalificar espaços urbanos 

Uma das intervenções está a ser executada na Rua Dr. Eduardo Rosado Pinto, nas imediações do Hospital de São Bernardo, numa empreitada que está a dotar um terreno descaracterizado, com uma área de cerca de 1200 metros quadrados, de novas condições de usufruto e vivência urbana.
A obra, um investimento de 57, 3 mil euros, iniciada pela limpeza integral daquela área, contempla a execução de um novo arranjo urbanístico que inclui a construção de novas acessibilidades pedonais e rodoviárias, garantindo, desta forma, o acesso de veículos de emergência àquela zona habitacional.
A criação de uma bolsa de estacionamento automóvel com cerca de três dezenas de lugares, a definição de áreas ajardinadas, dotadas de rega automática, e o reforço da iluminação pública fazem, igualmente, parte desta operação iniciada em meados de agosto e que deverá estar concluída, previsivelmente, no final de Setembro.
A construção de passeios e lancis é outra ação programada nesta empreitada, que incide num terreno localizado entre as traseiras do edificado existente nas ruas Professor Francisco Gentil, a norte, Professor Egas Moniz, a poente, e Dr. Celestino Rosado Pinto, a nascente.

Melhorar parqueamento automóvel 
Mais estacionamento na rua Camilo Castelo Branco 
Outra das intervenções lideradas pela Câmara de Setúbal decorre na Praceta Fernando Alcobia, nas traseiras de uma área comercial existente na zona do Bonfim, obra que materializa um investimento global de 24, 1 mil euros, com conclusão prevista para breve.
A obra, executada igualmente por empreitada, visa a requalificação de acessibilidades pedonais e a construção de novos acessos, ações destinadas à melhoria das condições de circulação e segurança dos transeuntes e ao ordenamento do parqueamento automóvel.
Os trabalhos, com um prazo de execução de cerca de dois meses, além de visarem a reabilitação geral daquela área da cidade, prevêem ainda a definição de duas dezenas de novos lugares de estacionamento.
Na Rua Camilo Castelo Branco, no início desta via, no sentido norte/sul, a Autarquia liderou uma empreitada que requalificou um troço com cerca de 30 metros, trabalhos que envolveram a reparação de passeios e lancis, que mantêm os traços originais em calçada portuguesa.
Esta intervenção, concluída no final de Julho, com um custo de 4200 euros, incluiu a criação de uma pequena bolsa de estacionamento com cerca de uma dezena de lugares, ação que alargou a oferta naquela zona, dotada de vários serviços e estabelecimentos comerciais.


Agência de Notícias 
[ + ]

Festas das Vindimas começam hoje em Palmela

Joana, a Rainha das Vindimas de Palmela eleita ontem à noite 

Palmela, 29 de Agosto de 2013. O sol em lusco-fusco prepara-se para mergulhar atrás da Arrábida e muita gente acorda para o primeiro dos seis dias de festa grande na vila secular de Palmela. A escolha da Joana Silva como a rainha do vinho, da uva e das vindimas assinalou o arranque oficial da festa. Daniela Cruz e Ana Haveriuc não tiveram direito nem a coroa nem a trono, foram as damas de honor de uma corte sem reino nem rei. Será a rainha Joana que irá cortar o cacho de uva, nas escadarias dos paços do concelho, e dar início a mais um ano de festa. Um ano que assinala os 50 anos da maior festa do concelho de Palmela.

Joana Silva foi eleita Rainha das Vindimas 2013 

Para muitos a última quarta-feira do mês de Agosto [ou a primeira de Setembro, consoante o calendário] representa o início da Festa da Vindimas. É assim vai para 50 anos, em nome da vinha, do vinho, da uva e, sobretudo, em nome, de uma Palmela com tradição e dos homens e das mulheres que fazem a vindimas por essas vinhas a perderem de vista.
Em nome deste emaranhado de coisas e sentimentos, a eleição da Rainha das Vindimas é, desde os primeiros tempos das festas imaginadas por Álvaro Cardoso e Jacinto Pereira, o momento mais alto da “cultura palmelense”. Maria Angelina Rodrigues abriu a galeria mágica das rainhas em 1963. Depois dela a galeria foi crescendo e as meninas de Palmela e tudo há volta trazem nos sonhos e nos olhos a “secreta esperança” de serem, por um ano, a Rainha das Vindimas.
A quinta dinastia de rainhas começou ontem quando Joana Silva se sentou, a chorar de tanta felicidade, na cadeira “dos sonhos” e ouviu a marcha das Vindimas deste ano. Daniela Cruz e Ana Haveriuc são as damas de companhia da rainha e Filipa Lucas a menina mais simpática da festa.
Na terra do vinho havia mistérios, em Palmela há factos. No que na terra da uva fora secreto, em Palmela é convertido em boato. Hoje, Palmela mudou a fisionomia mas a alma em que se debatem as ambições e o espírito das leis é a mesma. 
Em Palmela chamam-lhe “a grande festa do concelho” e é assim desde o, já distante, ano de 1963 [a 31 de Agosto] quando a festa deu os primeiros passos. Por essa altura pensou-se em fazer uma festa e preencher um vazio enorme na vila. Mas festa a quê? Em que dia? Em que mês? Festa a quê e porquê? Tantas perguntas que encontraram resposta quando alguém – com razão – se lembrou da uva e do vinho. Assim nasceu a Festa das Vindimas no último dia de Agosto.

Prata da casa é forte aposta musical
Bênção do 1º Mosto acontece domingo ao almoço  
Até 3 de Setembro, a Associação de Festas de Palmela vai lançar um cartaz musical nas Festas das Vindimas com poucos artistas conhecidos no panorama nacional devido a questões financeiras mas também “por haver uma linha de pensamento diferente que já vem de organizações anteriores”.
E já é assim a alguns anos porque a maioria das pessoas que visitam a Festa das Vindimas não são atraídas por nomes sonantes do panorama musical e, por isso, a Associação valoriza cada vez mais as pessoas da terra, uma vez que Palmela tem duas associações filarmónicas, um conservatório, grupos de jazz e jovens músicos muito bons.
Além dos momentos mais tradicionais, que, anualmente, coroam o programa – caso da Eleição da Rainha das Vindimas, da Pisa da Uva e Bênção do Mosto, do Cortejo dos Camponeses, dos Cortejos Alegóricos e do Espetáculo Pirotécnico no Castelo – são várias as iniciativas que marcam a passagem de meio século desta festividade. A Marcha das Vindimas 2013 será cantada por um coletivo de cantores que, ao longo dos anos, emprestaram a sua voz à Marcha.
No fecho da festa, depois do desfile do Cortejo Noturno e acompanhando o espetáculo pirotécnico, será apresentada a “Sinfonia à Terra”, um concerto comemorativo, composto pelo Maestro palmelense Jorge Salgueiro e interpretado pelos músicos da Sociedade Filarmónica Palmelense "Loureiros", da Sociedade Filarmónica Humanitária e do Conservatório Regional de Palmela, por um coro constituído pelos anteriores intérpretes das Marchas das Vindimas e pelos coralistas das referidas instituições.
Muita música, desporto, animação e exposição e venda de produtos regionais, com especial destaque para os vinhos dos produtores da região, são mais alguns dos motivos de interesse para uma visita à Festa das Vindimas.

Domingo e Terça, os dias grandes
Cortejo de Domingo atrai milhares de pessoas a Palmela  

Mas a grande tradição da Festa é, de facto, no dia de Domingo onde se esperam milhares de pessoas de todo o país. Neste dia, logo de manhã, o cortejo dos camponeses sai à rua partindo do Largo do Chafariz. Um carro de bois (no caso, duas vacas amarelas) puxam o primeiro cesto de uvas para ser pisada no adro da Igreja. Os gaiteiros do Círio da Carregueira abrem as hostes musicais e, os ranchos folclóricos da região irão mostrar como eram as antigas adiafas. Homens com cestos de uva nos ombros, mulheres de rostos felizes com mais uva para ser pisada. Um lençol de gente estende-se pelas artérias estreitas do Centro Histórico. As pessoas acenam, mostram as mantas à janela, e mandam beijinhos e corações à Rainha que irá passar – imperial e sorridente – com as suas damas de companhia numa charette real. Sempre foi assim. Trata-se de uma cerimónia religiosa que visa agradecer a Deus o fruto da terra, a uva.
À tarde, com repetição na terça-feira de noite, o Cortejo das Vindimas que desce a Rua Gago Coutinho e Sacadura Cabral e sobe a Avenida Juiz Godinho de Matos. É assim sempre, todos os anos no primeiro domingo de Setembro porque as Vindimas já são um cartaz que ultrapassa as portas da região. Ruas cheias, gente sentada em passeios, cadeiras de praia e até caixas de fruta. Tudo servirá para ver o Cortejo das Vindimas que este ano celebra os cinquenta anos de existência.

Veja a programação completa AQUI

Agência de Notícias 
[ + ]

Autarcas contra concentração de urgências em Lisboa

Medida arranca já na segunda-feira e poucos concordam com ela

Na segunda-feira as urgências nocturnas de oftalmologia e psiquiatria passarão a funcionar só em S. José e Santa Maria. A medida é criticada pela ordem dos médicos e agora a Comissão de Coesão Social da Assembleia Metropolitana de Lisboa diz que isso “vai obrigar a que utentes, nomeadamente da península de Setúbal, tenham de se deslocar ou sejam transferidos para Lisboa".

Hospitais do distrito de Setúbal perdem urgências nocturnas 

A Comissão de Coesão Social da Assembleia Metropolitana de Lisboa criticou ontem o facto de as urgências nocturnas dos hospitais da área metropolitana irem deixar de ter as especialidades médicas que forem concentradas nos hospitais de S. José e Santa Maria, em Lisboa. "A partir de 2 de Setembro, com a concentração nestas duas unidades das especialidades de oftalmologia e psiquiatria, os hospitais da Área Metropolitana de Lisboa (AML) deixarão de ter estas especialidades no período nocturno. Isso vai obrigar a que utentes, nomeadamente da península de Setúbal, tenham de se deslocar ou sejam transferidos para Lisboa", afirmou Sofia Cabral, presidente daquela comissão composta por deputados municipais da AML.
Sofia Cabral, que é também deputada municipal no Barreiro, eleita pelo PS, falava à agência Lusa à saída do Ministério da Saúde, após uma reunião com o secretário de Estado da Saúde, Manuel Ferreira Teixeira, na qual manifestou o seu "desagrado e preocupação" pela medida, que vai "trazer um grave prejuízo" à população da margem sul do Tejo.
Segundo a presidente da comissão, os doentes vão continuar a dirigir-se aos hospitais como acontecia até agora. Contudo, caso se trate de uma urgência nocturna nas especialidades que serão concentradas nos dois hospitais de Lisboa, os utentes são reencaminhados ou transferidos para S. José ou Santa Maria.

Mudança visa melhorar qualidade segundo Ministério da Saúde
De acordo com a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), as especialidades que, a partir de Setembro, vão ser concentradas de forma faseada na urgência metropolitana serão oftalmologia e psiquiatria (já a 2 de Setembro), cirurgia plástica/maxilo-facial, urologia, cirurgia vascular, neurologia e gastroenterologia. A urgência de otorrinolaringologia já foi concentrada há cerca de um ano. "A concentração destas especialidades numa única urgência nocturna em Lisboa terá um impacto negativo na prestação de serviços de saúde. Além disso, este assunto não foi discutido nem com a Ordem dos Médicos nem com os autarcas", criticou Sofia Cabral.
Num comunicado emitido na semana passada, a ARSLVT referiu que a segunda fase da reorganização das urgências nocturnas de Lisboa começa a 2 de Setembro, nos hospitais de Santa Maria e S. José, "com a concentração das especialidades de psiquiatria e oftalmologia".
A ARLSVT adiantou, sem precisar o dia, que, numa terceira fase, entre Outubro e Novembro, serão concentradas, também em S. José e Santa Maria, as urgências nocturnas das especialidades de urologia e cirurgia vascular. A administração regional de saúde acrescentou que, até ao fim do ano, "trabalhará juntamente com os hospitais na avaliação das urgências das especialidades de cirurgia plástica, cirurgia maxilo-facial, neurologia, gastrenterologia, cardiologia de intervenção e cirurgia cardíaca".
O secretário de Estado adjunto do ministro da Saúde, Fernando Leal da Costa, salientou, por seu lado, na sexta-feira passada, que a reorganização "se aplica à cidade de Lisboa e à necessidade de um ou outro hospital em torno de Lisboa, que já não tem essa urgência, mas que tem especialistas, poder vir a colaborar nas escalas".
A Lusa tentou obter mais esclarecimentos do Ministério da Saúde, mas até ao momento não foi possível. A Área Metropolitana de Lisboa abrange 18 municípios das margens norte e sul do Tejo: Amadora, Almada, Alcochete, Mafra, Sintra, Loures, Vila Franca de Xira, Cascais, Oeiras, Odivelas, Lisboa, Seixal, Barreiro, Moita, Montijo, Sesimbra, Setúbal e Palmela.


Agência de Notícias 
[ + ]

Desejos & Pensamentos por Cátia Neves

Oh tempo…. Que jamais voltarás

Hoje perguntaram-me o que mudaria na minha vida se pudesse voltar um ano atrás… como se por magia isso pudesse mesmo acontecer... e mesmo sabendo como é impossível apesar de muitas vezes desejado, pus-me a pensar…



Foi quando cheguei á conclusão que podia mudar muito... diria tantas coisas que não disse com medo de me arrepender, apagava tantas outras que apenas foram resultado do calor do momento… Impressionante como por vezes as palavras não tem valor nenhum e quando são ditas precipitadas, tantas vezes de cabeça quente, adquirem uma força que nos faz recordar o momento para sempre. Não tolerava muitas coisas, tantas que tolerei com medo de perder, tantas que já não guardo memória suficiente para elas e concertava todos os meus erros, que sou humilde para admitir que existiram. Mas va-se lá condenar quem erra tentando acertar. A vida é uma eterna aprendizagem e sem erros não há sebedoria. Alegra-me talvez saber que nenhum deles será irreversível. Vivi bons momentos, muito bons.. e voltava a repeti-los, vive-los ainda mais intensamente, talvez com a certeza que não existiria uma segunda oportunidade de regressar atrás. Dizia àqueles que amo, que estão no meu coração e o quanto são importantes para mim muito mais vezes, porque se há coisa que aprendi ao longo deste ano foi a importância de dizer que se gosta…
Depois, com mais um gole no meu doce café e um cigarro à mistura, cheguei a conclusão que não mudaria nada... as coisas são apenas como têm de ser e só acontecem quando têm de acontecer… sempre achei que o destino era demasiado cinematográfico para ser transportado para a vida real, a vida é sim feita de escolhas e cada pessoa faz as suas, tendo ou não consciência das suas consequências, portanto se há mesmo um tal de destino, somos nós que o fazemos. Errar faz-nos crescer... se fosse possível voltar atrás no tempo e concertar o erro, jamais aprenderíamos a lição e viveríamos eternamente uma vida de remendos, sem saber dar valor ás experiências pelas quais passamos. Momentos bons são para repetir e tudo aquilo de não nos saiu da boca, foi tantas vezes falado com o olhar.
Não sei se é possível não acreditar em coincidências, não acreditando no destino mas de facto, nessas não acredito mesmo, por tantas coisas que já vi acontecer e pelas experiências que tenho tido e visto ao longo da vida, portanto as coisas acontecem porque tem de acontecer e sempre com alguma razão, voltar no tempo contrariaria a lei da vida.
Há um ano atrás eu era uma pessoa muito mais incompleta que sou hoje, porque tudo o que me aconteceu, fez de mim muito mais sábia e definitivamente muito mais feliz.


Cátia Neves 
Lisboa 

Outros textos da autora: 
[ + ]

Setúbal já prepara dia da cidade

Festas bocagianas acontecem de 1 a 22 de Setembro

Da “Regata de Banheiras e Insólitos” ao espetáculo “Luísa Todi – O Musical”, passando por tertúlias e exposições, as Comemorações Bocagianas 2013 oferecem um programa diversificado, a realizar entre os dias 1 e 22 de Setembro, em Setúbal.

Setúbal comemora dia do Bocage a 15 de Setembro 

O ponto alto desta iniciativa do Município de Setúbal é a 15, feriado municipal, com a realização de um conjunto de eventos protocolares, como a sessão solene evocativa do Dia de Bocage e da Cidade e a homenagem aos funcionários municipais aposentados e a entrega dos prémios do XV Concurso Literário Manuel Maria Barbosa du Bocage, promovido pela Liga dos Amigos de Setúbal e Azeitão.
Até lá, as Comemorações Bocagianas iniciam com a apresentação do livro “O Poeta da Lua”, de António Casado, já este domingo, às 18h00, na Sala José Afonso da Casa da Cultura.
No mesmo espaço, mas na sala anexa à galeria, é inaugurada no dia 5, às 19 horas a exposição “Tráfico de Mulheres – Escravidão dos Tempos Modernos”, um trabalho dinamizado pelo Projeto “Tráfico de Mulheres – Romper Silêncios” do Movimento Democrático de Mulheres, em parceria com a Câmara Municipal, que pode ser visitada até dia 26.
Leituras encenadas, espetáculos musicais e encontros, como a 14.ª edição da tertúlia “Eis Bocage… Conversas de Botequim” são outros eventos das Comemorações Bocagianas 2013.
Entretanto estão abertas as inscrições, até dia 30, para a segunda edição da “Regata da Baía do Sado em Banheiras e Insólitos”, corrida de embarcações feitas com materiais reciclados, no âmbito dos 11.os Jogos do Sado.
A prova, organizada pela Câmara Municipal e a Academia de Rugby Clube de Setúbal, realiza-se a 15 de Setembro, às oito da manhã no Parque Urbano de Albarquel.
À venda estão os bilhetes para o espetáculo “Luísa Todi – O Musical”, em reposição no Fórum Municipal, entre os dias 12 e 22. Os ingressos estão disponíveis na bilheteira da sala de espetáculos e neste SITE 

Agência de Notícias 
[ + ]

Setúbal vai ganhar um Museu do Choco

Museu do Choco mexe com economia da cidade 

A 30 de Agosto Setúbal presta homenagem a um ilustre representante da cozinha local, o choco. Um restaurante com um conceito inovador, aliado ao Museu do Choco, é inaugurado na sexta-feira. O dono do museu salienta que, apesar da crise, o Museu do Choco pretende fazer frente às dificuldades financeiras, pois vai oferecer “bons preços e gerar mais 14 postos de trabalhos”. 

Museu do Choco abre amanhã em Setúbal 
“O Museu do Choco é um conceito baseado numa ementa completamente dedicada ao choco, só poderia ser lançado na cidade mais afamada no mundo pelo choco frito”, palavras do chefe Paulo Rocha, com uma estrela Michelin.
Paulo Rocha, une-se nesta iniciativa a José Santos, proprietário do Museu do Choco, criando um espaço que reflete a dualidade entre a gastronomia setubalense e a atmosfera de restaurantes de Nova Iorque, Londres ou Tóquio.
A criação deste espaço, instalado na Avenida Luísa Todi, num edifício de interesse arquitetónico (ao lado do Fórum Luisa Todi), resulta de um projecto a cargo do arquiteto Romeu Martins.
O produto final resulta num restaurante que apresenta inúmeros pratos exclusivamente à base de choco, complementados por outros sabores e ingredientes frescos.
A acompanhar cada refeição, o Museu do Choco brinda o visitante com uma exposição permanente alusiva ao consumo deste molusco, desde a captura à sua confeção. Outras curiosidades, como a introdução do choco na cultura gastronómica, típica da região de Setúbal, são desvendadas neste espaço museológico.
Surpreender, oferecendo o melhor serviço e inovação gastronómica, é a filosofia do Museu do Choco que destacará, uma vez mais, a cidade de Setúbal nas rotas gastronómicas.

Investimento de 300 mil euros
José Santos, dono do museu, considera que “valeu a pena investir 300 mil euros no projeto”, pois o Museu do Choco, “que apresenta um conceito diferente, destaca o que há de melhor na gastronomia da cidade e vai ser bem aceite pelos setubalenses e visitantes”.
A presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, frisa que “o choco é um elemento gastronómico que dá prestígio à cidade, pois traz a Setúbal pessoas de várias regiões do país”.
A ideia de criar o Museu do Choco surgiu, há cerca de um ano e meio, quando a presidente da autarquia lançou o desafio a José Santos de abrir na cidade um restaurante inovador dedicado ao choco, com um museu associado. Esta ideia, que é também uma forma de “catapultar Setúbal, foi bem agarrada e desenvolvida por José Santos, pelo que vai ser um sucesso e vai ter grande recetividade por parte da população”, adianta a autarca. O restaurante, desenvolvido em pouco mais de um ano, “satisfaz os desejos das pessoas através da diversidade de pratos que apresenta na ementa, pelo que tem tudo para dar certo”, realça o investidor do ramo da restauração
O espaço vai estar aberto das 12 horas às 24 horas, sem interrupção, e “oferece o melhor serviço e inovação gastronómica”, conclui José Santos.


Agência de Notícias                            
[ + ]

Sesimbra contra redução do horário do SAP

Serviço de Saúde com menos seis horas diárias

A Câmara de Sesimbra aprovou, por unanimidade, uma moção na qual manifesta a sua preocupação com a intenção do Ministério da Saúde em reduzir em seis horas diárias, de segunda a sexta-feira, o horário do Serviço de Atendimento Permanente (SAP) de Sesimbra, já a partir de 1 de Setembro. 

Sesimbra vai ter menos horas de atendimento no SAP 

O documento, enviado à Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, alerta que esta redução pode afetar negativamente as populações e visitantes, que aumentam de forma significativa aos fins-de-semana, épocas festivas e época balnear, e propõe um horário de atendimento de urgência com duração diária nunca inferior a dez horas, incluindo aos fins-de-semana e feriados. 
No verão o horário deve ser alargado em mais duas horas, sustenta a autarquia, que também lembra a necessidade da construção de um Serviço de Urgência Básico em Sesimbra, reivindicado anteriormente.
A proposta da tutela já tinha sido transmitida pelo diretor executivo do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) da Arrábida, Lourenço Braga, à vereadora do Pelouro da Saúde, Felícia Costa, numa reunião realizada em Julho, em Setúbal.
Na ocasião a autarca informou o responsável pelas ACES que a solução que não serve os interesses do município, porque a população sesimbrense merece ter uma resposta mais alargada.
Agência de Notícias

[ + ]

Festa das Vindimas de Palmela comemora 50 anos

Vindimas celebram 50 anos de festa maior

Palmela está, uma vez mais, a festejar as Vindimas. A maior festa do Concelho de Palmela. A Festa – ou as Vindimas como tantos lhe chamam – está ligada à origem rural do concelho e marca desde há 50 anos a afirmação e identidade, a valorização e a afirmação da riqueza cultural e natural de Palmela e tudo ao redor. O vinho é, desde a origem das Vindimas – o rei de trono permanente e delicadamente venerado. Tal como no ano passado, não há muito dinheiro para gastar com “artistas nacionais” e, por isso, a grande aposta é nos artistas locais que muito prometem. Esta é a primeira noite de festa grande, a noite da eleição da Rainha das Vindimas que, na quinta-feira, como manda a tradição, cortará o cacho de uva que abrirá formalmente a Festa das Vindimas 2013. É assim há 50 anos.


Festa das Vindimas comemora 50 anos 

Entre 29 de Agosto e 3 de Setembro, Palmela vive mais uma edição da Festa das Vindimas, em celebração do vinho, da vinha e de um novo ciclo de trabalho agrícola. Promovida pela Associação das Festas de Palmela, com o apoio da Câmara Municipal, a Festa das Vindimas reveste-se de especial simbolismo, ao comemorar 50 anos. E este ano começou com um brinde universal…
A Associação de Festas de Palmela vai lançar um cartaz musical nas Festas das Vindimas com poucos artistas conhecidos no panorama nacional devido a questões financeiras mas também “por haver uma linha de pensamento diferente que já vem de organizações anteriores”.
E já é assim a alguns anos porque a maioria das pessoas que visitam a Festa das Vindimas não são atraídas por nomes sonantes do panorama musical e, por isso, a Associação valoriza cada vez mais as pessoas da terra, uma vez que Palmela tem duas associações filarmónicas, um conservatório, grupos de jazz e jovens músicos muito bons.
Além dos momentos mais tradicionais, que, anualmente, coroam o programa – caso da Eleição da Rainha das Vindimas [esta noite no Cineteatro S. João], da Pisa da Uva e Bênção do Mosto, do Cortejo dos Camponeses, dos Cortejos Alegóricos e do Espetáculo Pirotécnico no Castelo – são várias as iniciativas que marcam a passagem de meio século desta festividade. A Marcha das Vindimas 2013 será cantada por um coletivo de cantores que, ao longo dos anos, emprestaram a sua voz à Marcha.
No fecho da festa, depois do desfile do Cortejo Noturno e acompanhando o espetáculo pirotécnico, será apresentada a “Sinfonia à Terra”, um concerto comemorativo, composto pelo Maestro palmelense Jorge Salgueiro e interpretado pelos músicos da Sociedade Filarmónica Palmelense "Loureiros", da Sociedade Filarmónica Humanitária e do Conservatório Regional de Palmela, por um coro constituído pelos anteriores intérpretes das Marchas das Vindimas e pelos coralistas das referidas instituições.
A anteceder a Festa, a organização realizou no passado sábado um Brinde Universal com Moscatel Setúbal. Muita música, desporto, animação e exposição e venda de produtos regionais, com especial destaque para os vinhos dos produtores da região, são mais alguns dos motivos de interesse para uma visita à Festa das Vindimas.

Domingo, o dia grande da festa
Cortejo dos Camponeses é um dos momentos altos da Festa de Palmela
Mas a grande tradição da Festa é, de facto, no dia de Domingo onde se esperam milhares de pessoas de todo o país. Neste dia, logo de manhã, o cortejo dos camponeses sai à rua partindo do Largo do Chafariz. Um carro de bois (no caso, duas vacas amarelas) puxam o primeiro cesto de uvas para ser pisada no adro da Igreja. Os gaiteiros do Círio da Carregueira abrem as hostes musicais e, os ranchos folclóricos da região irão mostrar como eram as antigas adiafas. Homens com cestos de uva nos ombros, mulheres de rostos felizes com mais uva para ser pisada. Um lençol de gente estende-se pelas artérias estreitas do Centro Histórico. As pessoas acenam, mostram as mantas à janela, e mandam beijinhos e corações à Rainha que irá passar – imperial e sorridente – com as suas damas de companhia numa charette real. Sempre foi assim. Trata-se de uma cerimónia religiosa que visa agradecer a Deus o fruto da terra, a uva.
À tarde, com repetição na terça-feira de noite, o Cortejo das Vindimas que desce a Rua Gago Coutinho e Sacadura Cabral e sobe a Avenida Juiz Godinho de Matos. É assim sempre, todos os anos no primeiro domingo de Setembro porque as Vindimas já são um cartaz que ultrapassa as portas da região. Ruas cheias, gente sentada em passeios, cadeiras de praia e até caixas de fruta. Tudo servirá para ver o Cortejo das Vindimas que este ano celebra os cinquenta anos de existência.

Agência de Notícias 
[ + ]

Apresentação da 11.ª Festanima em Setúbal

Escarpas de Santos Nicolau recebem festa de S. Sebastião


A música e a gastronomia tradicional são atrativos da 11.ª Festanima, certame a realizar entre 30 de Agosto e 8 de Setembro, nas Escarpas de Santos Nicolau, num dos locais privilegiados para contemplar Setúbal e o rio.

Setúbal apresentou 11ª edição da Festanima 

“Esta é uma festa que olha para o Sado, um local de encontros, alegria e de solidariedade” sublinhou a presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, ontem à tarde, na apresentação da 11.ª Festanima, realizada no auditório da Junta de Freguesia de S. Sebastião.
A festa “do maior território do concelho”, este ano agendada no calendário um pouco mais tarde do que o habitual, conta, afirmou a autarca, com o “contributo fundamental de associações e de coletividades para o seu sucesso, êxito que é renovado a cada ano que passa”.
A 11.ª Festanima, a decorrer nas Escarpas de Santos Nicolau, num espaço localizado na Avenida Belo Horizonte, é organizada pela Associação de Festas Populares de S. Sebastião, com os apoios da Câmara de Setúbal e da Junta de Freguesia de S. Sebastião.
                                           
A mesma qualidade com menos dinheiro
“Esta é uma festa que já está muito enraizada na tradição da freguesia e na cidade”, sublinhou o presidente da Junta de Freguesia de S. Sebastião, Nuno Costa, vincando, igualmente, que é com a realização este tipo de “manifestações culturais ajudam a acreditar num futuro melhor” para Setúbal.
Já a presidente da Associação de Festas de S. Sebastião, Madalena Lopes, acredita que, apesar das dificuldade e do curto orçamento, no montante de 17 mil euros, a “11.ª Festanima mantém a qualidade de outras edições e renova a aposta nas gastronomia e na animação musical com um alargado leque de artistas”.

Cartaz diversificado  
A animação musical está garantida em todos os dias das festividades, sempre com início às 21 horas, assim como as tasquinhas gastronómicas exploradas por dez coletividades daquela freguesia que integram o evento e com alguns divertimentos, stands institucionais e artesanato.
Na noite de abertura do evento, sexta-feira, com inauguração oficial agendada para as 20 horas, no Grupo Desportivo “Os Amarelos”, sobe ao palco da 11.ª Festanima o duo musical “Jotas”, enquanto no dia seguinte a animação conta com danças de salão e uma atuação da Actual Band.
Nos primeiros dias de Setembro, o Duo T/S e o Grupo Coral Alentejano “Os Amigos do Independente” dão música a 1, André Patrão e Quim Gouveia a 2 e Hélder Cardoso e Belito Campos atuam no dia 3, seguindo-se um espetáculo com um grupo de sevilhanas e um concerto com Jorge Nice a 4.
A noite de 5 de Setembro é dedicada ao fado, com a participação de Deolinda de Jesus, Sara Margarida, Carla Lança e Inês Pereira, fadistas acompanhados à guitarra por Carlos Casalão e à viola por Carlos Pinto, enquanto a 6 há uma cegada e uma atuação de André Gomes.
Para as duas últimas noites estão reservados espetáculos com Os Massacotes e Cláudio Nunes, a 7, e João Carlos, Sara Margarida e Susana Almeida, a 8, encerrando a 11.ª Festanima, que funciona de domingo a quinta-feira das 19 às 24 horas, e às sextas-feiras e sábados com horário prolongado até às duas da madrugada.
Devido à realização desta festa, a Avenida Belo Horizonte está encerrada à circulação automóvel, no troço compreendido entre as ruas Dr. José Barros de Vasconcelos e Diogo Fernandes Pereira, até 8 de Setembro.
Durante o corte da circulação rodoviária, em vigor desde ontem, os automobilistas devem utilizar as ruas Dr. José Leite de Vasconcelos e D. Pedro Fernandes Sardinha, assim como a Avenida D. Manuel I.


Agência de Notícias 
[ + ]

Santiago do Cacém em festa a partir de sexta-feira

Feira do Monte aposta na tradição e “prata da casa”


A Câmara de Santiago do Cacém promove, nos dias 30 e 31 de Agosto e 1 de Setembro, mais uma edição da tradicional Feira do Monte, no Parque de Feiras e Exposições em Santiago do Cacém. As tradições e o artesanato voltam a ter lugar de destaque no certame, onde também sobressai a aposta na “prata da casa”.

Tudo pronto para a Senhora do Monte, em Santiago do Cacém 

“É uma feira secular, com muita tradição no nosso Concelho”, sublinha o Vice-Presidente da Câmara Municipal, Álvaro Beijinha, que assegura a vontade de “ir ao encontro dos valores mais característicos do nosso Município. Entendemos que devemos puxar cada vez mais pelo artesanato local, pelos produtos regionais e mostrar aquilo que de tão bom se faz no nosso Concelho”.
Os Pavilhões de Feiras e Exposições vão estar repletos de artesãos e produtores do Concelho. Entre os 85 expositores, 60 são locais. “É uma feira com a ‘prata da casa’. Nesta altura temos muitos turistas na nossa região e a Feira é uma montra do nosso artesanato, dos nossos produtos locais, mas também daquilo que é a nossa cultura local artística e musical. Temos gente muito boa no nosso Concelho, que vai dar uma tónica muito forte à Feira”.
Na sequência do modelo adotado no ano passado, a Feira do Monte reforça este ano o seu cariz original, com uma grande aposta na promoção do artesanato e produtos da região, com destaque para a tanoaria, cestaria, cerâmica, olaria, tapeçaria, bijuteria, joalharia, trapologia e bordados, artesanato rural, artes decorativas e ainda reciclagem de materiais.

Circo com artistas de Santiago 
Animação musical e cultural marcam festa secular no concelho 
Os três dias da Feira vão ser recheados de atividade, com destaque para algumas novidades. “Vamos pela primeira vez ter um circo de rua na Feira, também ele composto por artistas locais”, ao qual se junta, no final das noites de sexta e sábado, “uma garraiada, um evento que costuma ser mais comum na Santiagro”. Não vão faltar os bailes tradicionais e as tasquinhas, sendo que “os artistas convidados são quase todos do Concelho e também por este aspeto a feira sai mais enriquecida”, diz Álvaro Beijinha.
Entre os expositores e representantes de coletividades e movimento associativo local, a edição de 2013 da Feira do Monte vai contar com 102 stands. Como é também tradição, será feita a eleição do “Melhor Stand” e da “Melhor Peça de Artesanato”.
A zona do Terrado vai abrir diariamente às 10 horas e encerrar às 3h30 (sexta e sábado) e à uma da manhã (domingo). Já os Pavilhões de Feiras e Exposições abrem todos os dias às 14 horas, encerrando na sexta-feira e sábado à 1 horas e no domingo à meia-noite. As entradas para a Feira do Monte são livres.
A Feira do Monte, que se realiza anualmente no primeiro fim de semana de Setembro, remonta ao séc. XVI, onde decorria em torno da antiga Igreja de Nossa Senhora do Monte, no dia das festividades em honra da padroeira. O evento aposta essencialmente na oferta de artesanato e produtos regionais, sendo essa a sua génese.


Agência de Notícias 
[ + ]

Museu da Marinha Portuguesa ganha vida em Almada

Visitas ao Barracuda fragata D. Fernando e Glória a partir do final do ano 
A Câmara de Almada considera que a construção do núcleo museológico da Marinha Portuguesa “é uma boa aposta para atrair mais turistas”, afirma o vereador do Desenvolvimento Social na autarquia. Neste sentido, a vinda do antigo submarino, Barracuda, para junto da fragata D. Fernando e Glória, em Almada, vai permitir “perpetuar as suas embarcações históricas”.

 
Antigo submarino da Marinha Portuguesa já está em Cacilhas 

António Matos, titular da pasta do Desenvolvimento Social, assegura também que “é uma forma de valorizar a prática de atividades náuticas, na medida em que esta é uma forte tradição da região, e disponibilizar à população outro tipo de atração”.
A ideia de construir o polo museológico partiu da Câmara de Almada que, tendo já em doca seca a fragata D. Fernando e Glória, “decidiu apresentar esta proposta à Marinha Portuguesa”, salienta Bossa Dionísio, responsável pela musealização do submarino Barracuda. Esta aposta vai permitir a aquisição, por parte da população, “de dados importantes sobre a história destas embarcações e as suas particularidades”, visto que, durante as visitas, são realizadas “atividades educativas”, adianta Bossa Dionísio.
A iniciativa responde também à necessidade da Marinha Portuguesa de “perpetuar as suas embarcações históricas”, frisa o responsável pela musealização do Barracuda.

Fragata e Submarino vão ser pólos de atração
A fragata D. Fernando e Glória, que está na doca seca de Cacilhas há alguns anos, “já recebeu mais de 14 mil visitas”, pelo que António Matos acredita que “o projeto vai ser bem sucedido”. O submarino Barracuda ainda não está aberto ao público, mas “no final do ano as pessoas poderão ter acesso à exposição”, adianta o autarca.
Tendo em conta o protocolo assinado pela Câmara de Almada e a Marinha Portuguesa, inicia-se agora a construção do edifício que vai servir de antecâmara e apoio à exposição permanente do Barracuda e da Fragata D. Fernando II e Glória, o último navio de guerra à vela da Marinha Portuguesa. O objetivo da construção desta estrutura é “facilitar o acesso da população às exposições”, conclui o oficial da Marinha Portuguesa.
As duas embarcações estão a receber trabalhos de manutenção, pelo que, apesar de estar equipado como se fosse participar em missões, o submarino foi reestruturado de forma a garantir segurança aos visitantes.


Agência de Notícias 
[ + ]

Festas da Mourisca atraíram milhares a Setúbal

Festa promoveu a confraternização entre a população e o movimento associativo

 As riquezas gastronómicas do Sado e da região estiveram em destaque nas XIV Festas do Moinho de Maré da Mourisca, em Setúbal, certame realizado este fim de semana que promoveu a confraternização entre a população e o movimento associativo.


Petiscos e animação marcaram último fim de semana na Mourisca 
“São 14 anos, sem interrupções, de muitos momentos de alegria e convívio, numa festa que é feita de encontros”, salientou a presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, sexta-feira, na inauguração do certame das freguesias do Sado e de Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra.
A importância do trabalho dinamizado pelo movimento associativo foi igualmente vincada pela edil setubalense. “Esta é uma festa de proximidade, um certame que demonstra o esforço e o empenho das associações na dinamização de atividades variadas em prol das populações”.
O programa das XIV Festas do Moinho de Maré da Mourisca incluiu vários concertos e bailes, concursos, atividades lúdicas e desportivas, ações de promoção e venda de produtos artesanais, como licores, doçaria e bijutaria, exposições e mostra de ações pelo movimento associativo.
A gastronomia foi, contudo, ao longo dos três dias o maior destaque do certame, juntando à volta das mesas das diversas tasquinhas famílias inteiras, grupos de amigos e conhecidos em momentos de convívio e de degustação dos vários petiscos e iguarias disponíveis.
Arroz de canivetes, massinha de peixe, choco frito e canja de galinha do campo eram algumas das sugestões da tasquinha “Os Jovens” da Capela do Faralhão, com uma ementa na qual constavam ainda as típicas ostras do Sado e uma tarte de pinhão com doce de laranja de Setúbal.

A festa da boa comida
A gastronomia é ponto forte desta festa do concelho de Setúbal 
Enquanto esperavam por uma feijoada de frutos do Sado, Carlos Leonardo e a mulher degustavam uma das saladinhas preferidas. “Para já é uma saladinha de polvo para abrir o apetite”, adiantou, revelando que marca presença na festa pelo segundo ano consecutivo. “É muito bom para estar com os amigos”.
Carnes e enchidos grelhados fizerem também parte das opções gastronómicas das XIV Festas do Moinho de Maré da Mourisca, que voltou a acolher, como já é hábito, um evento de concursos de gastronomia, doçaria e licores, iguarias que os visitantes tiveram oportunidade de degustar nas ementas das tasquinhas das coletividades.
No 13.º Concurso de Gastronomia, o Estrelas do Faralhão Futebol Clube venceu com um ensopado de ostras, cabendo ao Clube Desportivo, Cultural e Recreativo de Gâmbia o segundo lugar com um prato de choco à Pontal de Musgos. Em terceiro ficou o arroz de lingueirão de “Os Jovens” da Capela do Faralhão.
O licor de poejo da Associação Sado Acolhe venceu o 8.º Concurso de Licores, com “Os Jovens” da Capela do Faralhão a arrecadar o segundo prémio com o licor de folha de figueira. Em terceiro ficou o licor de morango do Grupo Motard Xupa Kabras.
No 8.º Concurso de Doçaria, “Os Jovens” arrebataram o primeiro prémio ao apresentar uma tarte de pinhão com doce de laranja de Setúbal. Os outros dois prémios foram para o Grupo Motard Xupa Kabras, com um doce de uvas de Palmela, em segundo, e para a Associação Sado Acolhe, com um bolo de laranja e chocolate, em terceiro.
O programa festivo incluiu a inauguração da exposição “Os Barcos do Júlio”, no Moinho de Maré da Mourisca, com cerca de uma dezena de réplicas de embarcações tradicionais do Sado, construídas pelo artesão Júlio Figueiras, carpinteiro e pescador de profissão, patente naquele espaço até 15 de Setembro.

Organização fala de Festa ecléctica
Barcos do Júlio continua em exposição até 15 de Setembro 

“Esta é uma festa que se caracteriza pela ecléctica gastronomia, danças populares e muita música”, salientou o presidente da comissão de festas, José Belchior, entidade que organiza o certame em conjunto com as juntas de freguesia do Sado e de Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra, com o apoio da Câmara Municipal de Setúbal.
O presidente da Junta de Freguesia de Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra, Luís Custódio, sublinhou os milhares de visitantes que todos os anos optam por se deslocar a esta festa realizada no Moinho de Maré da Mourisca, naquele que considera “um dos sítios mais bonitos do concelho”.
Já o presidente da Junta de Freguesia do Sado, Manuel Véstias, reforçou que esta festa materializa “um ponto de encontro entre moradores das duas freguesias com outros visitantes do concelho”, fomentando, igualmente, o trabalho dinamizado pelo movimento associativo.
Na área musical, passaram pelo palco das XIV Festas do Moinho de Maré da Mourisca nomes como os grupos 4 Sixties, Banza, Irmãos Cabanas e Duplo R, Jorge Nice, Fátima Dias e Carina Martins e ainda o espetáculo musical “Ontem e hoje cantar em Português”.

 Agência de Notícias 

[ + ]

Seixal expõe obras de Mário Dionísio

Biblioteca Municipal do Seixal mostra vida e obra de Mário Dionísio

A Biblioteca Municipal do Seixal recebe entre 3 e 18 de Setembro, a Exposição “Mário Dionísio – vida e obra” da Casa da Achada, no Seixal.

Biblioteca do Seixal homenageia obra de Mário Dionísio  

A exposição composta por 13 painéis, com textos e imagens, que dão conta da vida e obra de Mário Dionísio, pode ser visitada no horário de funcionamento da Biblioteca Municipal.
Passados 20 anos sobre a morte de Mário Dionísio, a exposição pretende lembrar e divulgar a vida e obra de uma figura, que em muito contribui para a história cultural portuguesa do século XX.
Mário Dionísio, escritor português (1916-1993) foi poeta, romancista, ensaísta, crítico de arte e pintor, assumindo um papel relevante no panorama cultural do século XX. Colaborou nas revistas Vértice, Seara Nova, no Jornal do Comércio, no jornal República e outras publicações periódicas, fez ainda parte da redação do semanário Liberdade.
Escreveu letras para duas canções de Fernando Lopes Graça, sendo uma delas infantil.
Licenciou-se em Filologia Românica na Faculdade de Letras de Lisboa, onde mais tarde viria a desenvolver a atividade de docente, depois de 20 anos como professor no Liceu Camões.
Foi membro da Comissão Organizadora da I Exposição Geral de Artes Plásticas que reuniu todos os artistas que nunca tinham exposto no SNI. Participou ao longo da sua vida em várias exposições coletivas e individuais, e foi distinguido com vários prémios nas áreas da pintura e da escrita.

Horário de funcionamento da Biblioteca Municipal
De terça-feira a sexta-feira, das 10 às 20.30 horas
Sábado das 14.30 às 20.30 horas.


Agência de Notícias 
[ + ]

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010