Dá um Gosto ao ADN

Incêndios suspeitos no Distrito de Setúbal

Onda de incêndios pode revelar pirómano à solta

Andará um pirómano à solta nos concelhos de Montijo, Moita e Palmela? Os bombeiros acreditam que sim. Nove incêndios florestais terão sido ateados em duas noites e quase de seguida. Os bombeiros suspeitam que “pela mesma pessoa”. A GNR diz que ainda “é cedo” para se afirmar tal coisa. Mas está atenta. Tal como os bombeiros da região.

Bombeiros da região suspeitam da existência de um pirómano 

As autoridades estão em alerta máximo para um pirómano que está a atacar no Distrito de Setúbal entre terça-feira à noite e madrugada de quinta-feira, entre as 23h10 e a 01h15, foram ateados vários incêndios em zonas de mato no Montijo, Moita e Palmela, seguindo a mesma ordem.
Ao todo já deflagraram nove fogos nestes três concelhos. "O método é semelhante, as corporações estão receosas. Parece que anda a treinar para algo ou anda a testar a nossa capacidade de resposta", revelou fonte dos bombeiros.
Foi no Montijo que soaram os primeiros alertas. "Terça e quarta-feira combatemos quatro fogos (oito no total) nas mesmas áreas, com alerta à mesma hora. Pelas 23h10, três pequenos focos na Estrada Velha da Lançada. Alguns minutos depois houve um quarto fogo, num local próximo. É estranho", conta Américo Moreira, 2º comandante da corporação do Montijo.
Seguiram-se quatro incêndios na Moita – entre a meia-noite e a uma da manhã. O último fogo deflagrou depois da uma da manhã, em Palmela.
A GNR não confirma a existência de um pirómano. "É cedo para avançar, é uma hipótese. Estamos a investigar", disse fonte oficial.


Agência de Notícias 
[ + ]

Morreu forcado esfaqueado em Alcácer do Sal

José Maria Cortes de 29 anos não resistiu aos ferimentos

Morreu hoje um dos feridos dos desacatos da madrugada de domingo numa feira em Alcácer do Sal. O forcado de Montemor-o-Novo José Maria Cortes tinha 29 anos. O jovem terá sido esfaqueado junto ao coração e, mesmo sendo operado em Santiago do Cacém, não resistiu aos ferimentos. Morreu nesta quinta-feira no hospital de Santa Maria, em Lisboa.  


José Maria Cortes foi esfaqueado em briga em Alcácer do Sal 

O forcado de Montemor-o-Novo foi esfaqueado no coração, durante a rixa que envolveu mais de 60 pessoas, na madrugada de domingo, durante a feira de Alcácer do Sal. 
José Maria Cortes, de 29 anos, encontrava-se internado desde segunda-feira no Hospital de Santa Maria, assim como outro indivíduo que ficou ferido com gravidade nos confrontos.
A informação foi avançada pelo site Naturales, dedicado a informação tauromáquica.
O site informa que o forcado de Montemor tinha ferimentos de arma branca em órgãos vitais e foi vítima de “duas paragens cardio-respiratórias” durante uma cirurgia.
“Zé Maria foi vítima de uma liberdade e de uma falta de carácter de que padece o nosso País, onde andar-se com armas no bolso parece ser coisa normal e se usam para resolver tudo sem qualquer peso das consequências”, lê-se no site.

Seleção de Râguebi lamenta  
José Maria Cortes era jogador de râguebi, no Agronomia, o que motivou manifestações de pesar da equipa, amigos e da seleção nacional da modalidade.
"A noticia da morte do Zé Maria Cortes deixou-nos a todos, aqui em Moscovo, muito comovidos e gostaríamos de nos associar, neste momento de grande dor, ao sofrimento da sua família e dos seus muitos amigos", disse, em comunicado, o presidente da Federação Portuguesa de Râguebi, Carlos Amado da Silva.
"Perdemos mais um dos nossos. Que descanse em paz. Não o esqueceremos", acrescentou Carlos Amado da Silva, que está na capital russa com a seleção nacional para o Mundial de Sevens, que arranca amanhã.
José Maria Cortes estava internado no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, depois de ter sido submetido a uma cirurgia no Hospital do Litoral Alentejano, em Santiago do Cacém.
Segundo a GNR, os desacatos, cuja origem as autoridades desconhecem, começaram cerca das 5.45 horas de domingo, após uma garraiada, e alastrou a vários pontos do recinto da feira, envolvendo mais de 60 pessoas, incluindo forcados e populares.
Dos dez feridos, dois ficaram em estado grave – um deles o Forcado de Montemor-o-Novo – e oito feridos ligeiros, um é militar da GNR.
A Polícia Judiciária de Setúbal está a investigar os factos e as circunstâncias da briga, já que agora o crime passou a homicídio. A GNR identificou no próprio dia seis pessoas.
A 23.ª edição da Pimel, Feira do Turismo e das Atividades Económicas, organizada pela Câmara de Alcácer do Sal, terminou na segunda-feira.


Agência de Notícias 
[ + ]

Polícia evitou corte da Ponte 25 de Abril

"A ponte é nossa" gritavam os manifestantes

O slogan adotado foi "a ponte é nossa" e os manifestantes, na sua maioria jovens, tentaram fechar a passagem rodoviária entre Lisboa e Almada, a partir da capital. De acordo com o jornal Expresso, cerca de 300 manifestantes, numa marcha não autorizada, saíram de São Bento por volta das 17h30 em direção às Amoreiras. Daí seguiram para a auto-estrada A5, tendo chegado a cortar esta via, e depois dirigiram-se para a Ponte 25 de Abril.

Mais de 300 pessoa tentam ocupar Ponte 25 de Abril, em Lisboa 

As autoridades identificaram mais de uma centena manifestantes que tentaram cortar o trânsito em direcção à Ponte 25 de Abril, em Lisboa, ao final da tarde desta quinta-feira. A Radio Renascença avança que a PSP deteve algumas pessoas "por atentado à segurança nas vias de comunicação".
Não é de excluir que a todos seja dada ordem de prisão. Na prática, significa que podem vir a ser notificados para comparecer esta sexta-feira de manhã no Tribunal de Pequena Instância de Lisboa.
Os manifestantes, que participaram numa manifestação da CGTP no âmbito da greve geral, saíram das imediações da Assembleia da República em direcção à ponte, fazendo o trajecto pelo Largo do Rato. Seguiram para a entrada da A5, junto ao centro comercial das Amoreiras, e foi nesse ponto que foram travados pela polícia. O acesso à 25 de Abril faz-se a partir deste local.
O trânsito na A5 no acesso à ponte esteve cortado durante alguns minutos antes das 19h00, enquanto a polícia de intervenção tentava impedir o avanço do protesto. Ouviram-se palavras de ordem como "a ponte é nossa" e "fascismo nunca mais". A polícia formou nessa altura um quadrado para cercar os manifestantes e procedeu à sua identificação numa rua lateral.
O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, já veio demarcar a intersindical deste protesto.
A greve geral desta quinta-feira foi convocada pela CGTP e a UGT contra as medidas de austeridade do Governo. Esta é a quarta vez desde o 25 de Abril que as duas centrais se juntam em greve geral, que é a segunda que o actual primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, enfrenta.


Agência de Notícias 
[ + ]

Festas do Montijo começaram esta quinta-feira

“Venha festejar São Pedro no Montijo”

Já está na rua a maior festa do concelho do Montijo. Começaram esta tarde e só encerram na madrugada do primeiro dia de Julho. A cidade do Montijo volta a receber mais uma edição das Festas Populares de São Pedro. Cinco dias de uma mistura genuína entre actividades de carácter religioso e outras de dimensão profana que, ano após ano, enchem a cidade de cor, luz e muita animação. A cabeça de cartaz deste ano é José Cid que encerra as festividades e ainda há a novidade da VI Festa do Forcado que se realiza no domingo.

Procissão de S. Pedro é um dos momentos altos da festa 

As Festas Populares de São Pedro, no Montijo, foram inauguradas esta tarde. A música já se ouve nas ruas principais da cidade. Paulo Gamito leva daqui a pouco o baile popular à Rua Joaquim d'Almeida e às 22h30, na Praça da República, os Maxi sobem ao palco principal da Festa.
Até 1 de Julho as Festas Populares de São Pedro trazem de volta as tradições religiosas e populares, as largadas de touros, as marchas populares, o Bibe Elétrico, entre muitos outros momentos. 
A procissão fluvial está marcada para as 17h30 do dia 29 de Junho e a procissão noturna para as 22 horas do mesmo dia.
Este ano, as Festas de São Pedro vão acolher um evento de cariz nacional, a VI Festa do Forcado, no dia 30 de Junho a partir das 15 horas. A habitual corrida de touros na Praça Amadeu Augusto dos Santos será no dia 28 de Junho às dez da noite.
No total, haverá seis largadas de touros, em diversos horários.
As marchas populares vão atuar em três pontos distribuidos pelas principais artérias das festas, este ano, com duas marchas infantis (Bairro Padre Cruz e Horta Nova) e três marchas adultas (Grupo Desportivo Setubalense "Os treze", Ribeira de Frades e de Carnide).
No dia 28, os Kumpania Algazarra irão trazer animação de rua às Festas Populares e nos dias 29 e 30 de Junho será a vez do Bibe Elétrico percorrer as artérias da cidade com sua boa disposição habitual.
A Festa acaba com música de qualidade com o concerto de José Cid, na Praça da República, a 1 de Julho. Há meia noite, na zona ribeirinha do Montijo, acontece a Queima do Batel. Será o fim da festa em honra ao santo padroeiro da cidade e dos pescadores; São Pedro.

A Festa dos Pescadores e do Povo 

As Festas Populares de São Pedro são, no entender da presidente da Câmara de Montijo, “uma oportunidade para a população de Montijo confraternizar com outras populações, tanto de concelhos adjacentes, como de outras regiões mais afastadas, pois a longevidade destas festividades proporcionou o tempo suficiente para que a sua fama se espalhasse pelo País”.
Em Montijo, diz Maria Amélia Antunes, as Festas Populares de São Pedro “são também nomeadas Festas dos Pescadores. A tradição repõe alguma da verdade: a lavagem e a aspersão da classe piscatória (o povo) junto à capela do Senhor Jesus dos Aflitos (o sagrado), sita na Quinta do Saldanha, assumem um caráter religioso através da ritualização (mágica) em que a água retira a impureza dos corpos, tudo isto entre os sons das charangas e o estalito dos foguetes”.
Para José Francisco dos Santos, presidente da comissão que organiza as festividades, “decorridos 64 anos desde que foram reativadas as Festas Populares de São Pedro é de elementar justiça invocar o contributo para a organização das Festividades de muitas mulheres e homens que, nas Sociedades, Associações, coletividades e tertúlias, deram o seu melhor para a organização das Festas”. Uma forma suplementar para “continuar, ainda com mais criatividade e beleza” na construção das Festas Populares de São Pedro.
E este ano, diz José Francisco dos Santos, as Festas “serão preenchidas por um vasto leque de iniciativas culturais, desportivas e musicais, que vão desde a Regata de São Pedro 2013 – Campeonato Regional de Esperanças, ao desfile e atuação das marchas populares, passando pelas largadas de toiros, pela procissão fluvial, até ao concerto com José Cid, e ao espetáculo de Fogo-de-artifício Piromusical na Zona Ribeirinha”.
Motivos mais que suficientes para que celebre o São Pedro na cidade do Montijo.


Paulo Jorge Oliveira 
[ + ]

Greve geral promete paralisar distrito de Setúbal

Transportes aderem em força à greve

A greve geral marcada para amanhã, quinta feira, promete paralisar o distrito devido aos mais de mil contatos que a CGTP tem feito junto de trabalhadores de empresas públicas e privadas no distrito. A nível de transportes o distrito deve parar quase na totalidade. As autarquias vão trabalhar o mínimo tal como as repartições públicas. A Autoeuropa, uma das maiores empresas da região, também pára. Há manifestações em várias localidades do distrito.

Greve Geral de amanhã promete parar região de Setúbal e Lisboa 

Luís Leitão, dirigente da União de Sindicatos de Setúbal (USS) da CGTP, perspetiva uma resposta sem antecedentes dos trabalhadores e desempregados “contra uma política que impõe cortes sobre cortes”.
“É preciso mudar de política e mandar o atual Governo para a rua”, prossegue Luís Leitão, que classifica a situação da não atribuição dos subsídios de férias à função pública como “a última grande trapalhada do executivo”. “O país tem alternativas viáveis às políticas de austeridade que apenas afundam as famílias e trabalhadores para o desemprego e a precariedade”.

Manifestações em várias localidades
Amanhã, a USS vai realizar um total de nove concentrações em concelhos do distrito, tendo início às 10 horas em Setúbal, passando pelo Seixal às 10h30, Almada, Alcácer do Sal, Grândola e Sines às 11 horas e Moita, Barreiro e Santiago do Cacém às 15 horas. “É necessário aumentar os salários em vez de se aumentar o horário de trabalho e reduzir consequentemente o valor do trabalho”, frisa o dirigente sindical da USS, que vê no investimento feito à preodução a melhor forma de inverter a situação atual do país.
A solidariedade demonstrada por outros setores da sociedade, como a cultura, à greve marcada pela CGTP tem o reflexo em Setúbal através do adiamento em um dia da produção teatral do grupo 3+1 no Teatro Estúdio Fontenova (TEF), que estava agendada para quinta feira. José Maria Dias, diretor artístico do TEF admite que “as razões invocadas pelo sindicato para a paralisação de quinta-feira são partilhadas por quem vive da arte dramática”, conclui o diretor artístico da companhia.

Transportes quase parados
Metro Sul do Tejo vai estar a 50 por cento durante a greve 
As ligações fluviais entre Lisboa, Cacilhas, Trafaria, Barreiro, Seixal e Montijo vão estar totalmente interrompidas no dia da greve geral. As últimas ligações do grupo Transtejo acontecem nesta quarta-feira às 23h nos percursos Barreiro-Terreiro do Paço e Terreiro do Paço-Barreiro. No dia 28 de Junho, as primeiras ligações acontecem logo às 0h30 (Barreiro-Terreiro do Paço) e à uma da manhã (Terreiro do Paço-Barreiro). A empresa avisa que por questões de segurança os terminais e estações estarão encerrados.
Circular de comboio não vai ser tarefa fácil. O serviço da CP vai parar totalmente quinta-feira, já que não foram definidos serviços mínimos pelo tribunal arbitral, nomeado pelo Conselho Económico e Social. As dificuldades começam já nesta quarta-feira ao final do dia, com atrasos e supressões nos serviços urbanos, regional e inter-regional, e prolongam-se até à manhã de 28 de Junho.
Nas ligações de Setúbal a Lisboa, a Fertagus garante que reúne “todas as condições para o normal funcionamento da sua actividade, desde que sejam garantidas pela Refer as normais condições de circulação”.
A  Carris garante serviços mínimos para algumas das carreiras. Estarão a funcionar, a 50 por cento do regime normal, os autocarros 703, 708, 735, 736, 738 742, 751, 755, 758, 760, 767 e 781. Também está assegurado o transporte exclusivo de deficientes. A Carris prevê “alguma perturbação no serviço regular”.
O mesmo acontece no distrito de Setúbal com a Transportes Sul do Tejo a avisar que “poderá haver perturbações” nas várias carreiras da empresa.
Sem fixação de serviços mínimos pelo tribunal, o Metro de Lisboa não vai ter transporte entre as 23h20 desta quarta-feira e a 1h de 28 de Junho, sexta-feira. “Está previsto que a normalização do serviço ocorra a partir das 6h30 de dia 28”, assegura a empresa, num comunicado divulgado no site oficial. Nessa informação aos utentes, o conselho de administração tece críticas à greve geral e “lamenta profundamente todas as perturbações causadas pelos sindicados aos clientes e à cidade”.
Já a Metro Transportes do Sul – em Almada e Seixal – prevê assegurar, pelo menos, 50 por cento das circulações no horário normal.

Dia de não produção na Autoeuropa 
A Autoeuropa decidiu determinar o dia de quinta-feira, greve geral, como dia de não produção do seu parque industrial.
"Tendo como objetivo minimizar os esperados efeitos da greve geral convocada para a próxima quinta-feira no quotidiano dos seus colaboradores, assim como no fluxo de trabalho dos seus fornecedores, a Volkswagen Autoeuropa determinou que essa data será um dia de não produção", diz a Autoeuropa em comunicado  endereçado às redações.
A decisão, refere o texto, "tem como como propósito minimizar as dificuldades que previsivelmente serão sentidas pelos colaboradores da empresa, em particular no acesso a serviços públicos como redes escolares e de transportes".
A Autoeuropa assume que são ainda esperadas dificuldades "na cadeia de fornecimento de origem nacional, pelo que esta decisão destina-se igualmente, a evitar perturbações no fluxo" de produção da empresa.
As Comissões de Trabalhadores do parque industrial da Autoeuropa decidiram na semana passada aderir à greve geral marcada para o dia 27 de Junho.

Agência de Notícias 
[ + ]

Seixal em festa a partir de hoje até 30 de Junho

São Pedro festejado até 30 de Junho 
As Festas Populares de S. Pedro, no Seixal, começam hoje e decorrem até ao dia 30 de Junho, apresentam um programa marcado pelas tradições dos santos populares e pela animação dos espaços públicos da freguesia. Os concertos de Anjos, Anti-Clockwise e bandas do concelho, as marchas e bailes populares e as atuações de diversos grupos folclóricos são os momentos altos das festividades deste ano da vila. 

Seixal está a partir desta noite em festa. Celebra-se S. Pedro 

Os “manos” Sérgio e Nelson Rosado – os Anjos – sobem ao palco na noite de São Pedro, 28 de Junho, na vila onde cresceram. Trata-se do maior espectáculo das Festas de São Pedro, no Seixal. A tradição abre portas esta noite com um desfile das marchas populares na Rua Paiva Coelho e pelo Largo da igreja.
As festas da vila são, como sempre, marcadas pelas tradições dos Santos Populares e pela animação constante dos espaços da freguesia.
Anjos e Anti-Clockwise são os momentos altos a nível da programação musical das festas mas há muito mais para ver: nas ruas, a animação é constante, com espetáculos circenses, teatro, pinturas faciais e algumas curiosidades, como a presença do recordista mundial de estátua viva. Ainda há bailes populares, marchas e diversos ranchos folclóricos que prometem animar quem é da terra e quem visitar o Seixal por estes dias de Festa. Outro dos momentos altos da Festa é a procissão em honra a São Pedro que decorre às 18 horas de sábado, dia de São Pedro.

Marchas Populares hoje na rua 
Nesta quarta-feira, às 21 horas, a Rua Paiva Coelho, recebe as Marchas Populares, um projeto do Plano Educativo Municipal que, há 16 anos, anima o final de cada ano letivo.
A iniciativa integrada nas Festas Populares de S. Pedro representa uma manifestação da animação e inspiração dos alunos das escolas básicas, na qual também participam as famílias, os professores e os funcionários dos estabelecimentos de ensino.
Dinamizadas pela Câmara do Seixal, juntas de freguesia e escolas da rede pública e associações de pais e encarregados de educação, pretendem comemorar a tradição dos santos populares, envolvendo a comunidade escolar e a própria população.
Vestidos de acordo com a temática da sua marcha vão desfilar os alunos do Jardim de Infância de Santa Marta de Corroios, Escola Básica da Quinta dos Franceses, Escola Básica da Quinta de S. João, Escola Básica da Quinta da Courela, Escola Básica de Aldeia de Paio Pires, Escola Básica do Miratejo, Escola Básica da Quinta das Inglesinhas, Escola Básica Quinta do Campo e professoras, educadoras e funcionárias da Escola Básica do Miratejo. 
As marchas podem ser vistas na rua Paiva Coelho às 22 horas e uma hora depois atuam no palco principal das Festas, no Largo 1º de Maio.
Conheça o programa completo das Festas Populares de S. Pedro, no Seixal.

Agência de Notícias 
[ + ]

Condutor da TST barra agente da PJ

Burocracia da TST impede investigação a um pedófilo  

O caso ocorreu há uma semana no distrito de Setúbal. Um agente da Polícia Judiciária, devidamente identificado, seguia um suspeito de violação de uma menina e segui-o até a um autocarro dos Transportes Sul do Tejo onde terá sido barrado pelo motorista que não o deixou entrar sem bilhete. Apesar do agente ter pedido para que o motorista não falasse alto para não colocar a investigação em risco, o motorista não terá seguido o conselho e o homem acabou por sair do autocarro, perdendo-se assim a investigação em curso. Agora o motorista já foi notificado pelo Ministério Público e a Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal exige respostas das operadoras para casos semelhantes. 

Motorista da TST impediu que agente da PJ seguisse suspeito 

Um motorista de um autocarro impediu que um investigador da Polícia Judiciária perseguisse um homem suspeito de crimes graves, há cerca de uma semana, no distrito de Setúbal. "O motorista disse que não reconhecia o livre-trânsito como válido, barrou a entrada do investigador, não falou baixo como lhe foi pedido e o suspeito acabou por perceber e sair do autocarro", conta Carlos Garcia, presidente da Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal (ASFIC).
A PJ acredita que agora o suspeito de ter violado uma menina está mais alertado, o que faz com que a investigação - que já dura há alguns meses - seja mais difícil, assim como a missão de levar o homem com sucesso à justiça.
O motorista dos Transportes do Sul do Tejo (TST) foi notificado e o caso entregue ao Ministério Público. Mas o cenário podia ter sido outro. "Daqui para a frente, podemos ser confrontados com investigadores a dar voz de detenção a motoristas e revisores por obstrução à justiça se esta situação se repetir", diz o presidente da ASFIC.

Documento ilegal diz Carlos Anjos
Quando o motorista impediu a entrada do inspetor da PJ, exibiu uma circular da empresa em que diz que a polícia tem de pagar o bilhete quando entra no autocarro. Uma situação que Carlos Anjos, ex-inspetor da PJ e atual presidente da Comissão de Apoio às Vítimas de Crime, considera ilegal. "Quando estão em serviço, as forças de segurança têm apenas de dar o número de funcionário", explicou. Depois, o próprio polícia informa a instituição a que pertence que teve de utilizar o transporte. O valor do bilhete é depois pago à transportadora pela força policial em causa.
"O investigador pode não ter dinheiro consigo naquele momento e também não tem de o adiantar à Judiciária, por exemplo", conclui Carlos Garcia.
O conselho de administração da TST, com sede em Almada, ainda não comentou o caso.


Agência de Notícias 
[ + ]

Duplo homicídio da Palhota por causa de ciúme

Homem teria lista de seis pessoas para matar

Manuel Balseiro Faria, antigo camionista, morava nos arredores de Palmela, matou na noite de domingo duas pessoas: a sua mulher, na Palhota, freguesia de Pinhal Novo e depois desapareceu para disparar sobre uma amiga do casal, no Lau, na freguesia de Palmela. Queria matar uma terceira pessoa que foi salva a tempo pela GNR e segundo uma investigação do JN havia, ao todo, seis pessoas na lista. A mulher resistiu ao ferimento do tiro e terá morrido em Setúbal já de madrugada. A amiga teve morte imediata. O antigo motorista desapareceu e foi encontrado ontem de manhã numa vinha com um tiro na zona da barriga. Suicidou-se, dizem as autoridades. O motivo? Pensava que a mulher o traia e que as amigas a ajudavam.

Casa onde ocorreu um dos crimes, no Lau 

Nada previa que uma tragédia acontecesse no domingo à noite nas zonas rurais do concelho de Palmela. Manuel, um homem que na terra era conhecido por Rato d’Água, andava desconfiado que a mulher o andava a trair. Mais, as duas melhores amigas de Lucília [a sua mulher], segundo pensava ele, eram as responsáveis para a “conduzirem para a má vida”, dizem algumas fontes ligadas ao casal.
A verdade é que o homem de 58 anos pegou numa caçadeira e, após uma primeira discussão em casa, disparou sobre a mulher, de 56 anos, na Palhota. Terá deixado a mulher ferida no chão e tomou o rumo do Lau, na freguesia de Palmela, onde terá disparado dois tiros contra Cidália Ascenço. A mulher, segundo aquilo que dizem as testemunhas, terá chegado de um baile. Manuel esperava-a escondido. Quando Lucília abria a porta foi atingida com um primeiro tiro no ombro. Tentou fugir mas não conseguiu ir longe. Manuel foi atrás e voltou a disparar. A mulher teve morte imediata.
Planeava fazer o mesmo a Belmira, outra amiga do casal. Ela só não teve o mesmo destino porque foi retirada de casa pelo GNR de Pinhal Novo antes de o homicida a encontrar. Ainda segundo outra investigação, havia uma lista de seis nomes a abater. De acordo com o JN, eram todos amigos e parceiros de negócios.
Uma quarta mulher, disse ao JN, ter recebido, cerca das 8 horas de ontem, um aviso de uma pessoa amiga para que não abrisse o café: "Disseram-me que ele também me queria matar".

Caça ao homem envolveu mais de 100 polícias
Durante toda a noite de domingo, madrugada e manhã de segunda-feira, a GNR de Pinhal Novo, Poceirão e Palmela, com a própria Unidade de Intervenção, e a PJ de Setúbal andaram numa caça ao homem, num raio de quinze a vinte quilómetros, com receio da continuação do banho de sangue. Até à manhã de ontem, o homem era dado como “fugitivo muito perigoso”.
O Rato d’Agua acabou por ser encontrado pela polícia já de manhã, ao lado do seu carro, no meio de uma vinha. As autoridades tiveram de accionar a localização do telemóvel para achar o paradeiro do homem. A aproximação foi feita com cuidado e pelo corpo de intervenção da GNR já que o homem estaria armado. No entanto, o homicida já estava morto. Tudo indica que disparou sobre si mesmo.

Mulher só morre no hospital
Homicida terá se suicidado numa vinha 
Refazendo os últimos passos do homicida é possível saber, por exemplo, que horas antes esteve com um amigo a apanhar fardos de palha. Segundo escreve o Correio da Manhã, no fim da apanha da palha o homem não foi ao café como era normal. Foi para casa. E terá sido ai que tudo começou. Após uma discussão acesa o homem terá disparado um tiro contra a mulher e fugiu.  Lucília não terá morrido logo e ainda tentou avisar as amigas e os vizinhos. Vários vizinhos tentaram alertar a próxima vítima [Cidália] que nunca atendeu o telefone por estava num bailarico em Agualva de Cima. Conseguiram no entanto avisar a GNR que salvou uma possível terceira vítima. A mulher, Lucília, foi alvejada no peito e foi transportada pelos Bombeiros de Pinhal Novo para o Hospital de Setúbal. Os médicos fizeram de tudo para salvar uma vida mas não conseguiram. O óbito foi declarado às cinco da madrugada de segunda-feira.

Homem teria doença terminal
A causa do duplo homicídio e suicídio parece estar num casamento problemático e numa doença cancerosa. "Foi-lhe diagnosticado um cancro na próstata e ele ficou desesperado", denuncia um amigo de Manuel Faria ao JN. E segundo avança o mesmo jornal, o homem teria apenas mais “seis a sete meses de vida”.
Manuel Faria, homem alegre que convivia com toda a gente, ficou triste, reservado e cabisbaixo. "Parecia que tinha uma depressão", diz a funcionária do café onde o homicida era cliente.
Além disso, também estaria a passar por problemas financeiros. Homem da terra, habituado a fazer searas e campanhas agrícolas, viu-se, com a crise, a viver dificuldades financeiras. Não obstante todos os problemas, ninguém previa que viesse cometer um duplo homicídio.

Arma de Manuel estava escondida
As autoridades não têm registo de qualquer queixa por violência doméstica, mas entre vizinhos e amigos da família as opiniões divergem. Uns afiançam que eles “eram um casal feliz e exemplar”, outros garantem que Manuel era um homem “violento e machista e que não deixava a mulher fazer nada”. Um dado parece certo: havia já ameaças. Porque  Lucília havia escondido a caçadeira do marido há várias semanas. A arma encontrada ontem não seria de Manuel e as autoridades ainda não sabem se o homem a terá comprado ou pedido emprestada.
Uma noite antes, dizem algumas pessoas, o casal foi com Cidália e o companheiro desta e ainda com Belmira a um bailarico na zona. Parecia estar tudo bem entre eles. Na verdade, não estava.
A casa do casal, local do primeiro crime, esteve fechada durante todo o dia mas da rua era possível ver sinais de violência: portas partidas, objectos espalhados pelo chão. Quem mora perto jura não ter ouvido nada. “Nem discussão alguma nem sequer os tiros”. “Este é um dia triste e um dia que ninguém vai esquecer”, dizia uma amiga do casal. “Gostava que tudo tivesse sido diferente porque ninguém tem o direito de acabar assassinado desta forma e, como se vê por todo o lado, as pessoas estão a ficar perigosas e algo terá de ser feito”, concluiu uma familiar das vítimas.

Agência de Notícias  



[ + ]

Dezena de feridos em briga na feira de Alcácer do Sal

Rixa de forcados envolveu 60 pessoas e deixa dois feridos graves 

O excesso de álcool esteve na origem dos desacatos que na madrugada de ontem, no recinto da Pimel, em Alcácer do Sal, provocaram 10 feridos, dois dos quais graves – entre eles o cabo do grupo de forcados de Montemor-o-Novo. José Maria Cortes foi esfaqueado no tórax, tendo sofrido uma intervenção cirúrgica no Hospital do Litoral Alentejo. A briga durou mais de uma hora até ser dominada pelos militares da GNR que eram em número reduzido para as centenas de pessoas que ainda estavam na festa. 

Mais de 60 pessoas envolveram-se numa briga na feira de Alcácer do Sal 

Segundo fonte do Hospital do Cacém, José Maria Cortes, “foi operado e encontra-se na Unidade de Cuidados Intensivos", adiantou Sousa e Costa, chefe de equipa do serviço de urgência do Hospital do Litoral Alentejo.
Segundo fonte da GNR, os confrontos ocorreram entre forcados e populares, cerca das seis da manhã e após a tradicional garraiada da feira. Rapidamente a confusão alastrou a vários locais do recinto, que àquela hora teria cerca de 300 pessoas. "Nunca tinha visto nada assim. Estavam bastante bebidos e de repente pegaram-se à pancada. Por todo o lado vi cadeiras no ar, raparigas e rapazes à luta. Apanhei um susto de morte", contou Paula Canelas, que aquela hora visitava a Feira de Turismo e das Actividades Económicas (Pimel), que é organizada pela Câmara de Alcácer do Sal.
Resultado: dez feridos, [um deles um militar da GNR], dois deles graves, e seis pessoas identificadas, contou ontem o tenente-coronel João Nortadas, do Comando Territorial de Setúbal da GNR.
A maioria dos comerciantes que assistiu aos desacatos fala em "mais de uma hora" de agressões entre os grupos de forcados de Montemor-o-Novo e Setúbal que estavam na zona das tasquinhas da feira.
De acordo com uma testemunha, existiam “mais de 300 pessoas e em qualquer sítio havia meia dúzia de pessoas a lutar”. Existia, ainda segundo outra testemunha, “muitos poucos GNR  e era uma briga difícil parar. Foi a primeira vez que algo assim aconteceu nesta feira”, disse.
As autoridades, no entanto, só falam em 60 pessoas. A GNR identificou ainda seis pessoas que estavam presentes no recinto. Eram já cerca das 7 horas quando a ordem foi reposta no local, com a ajuda de 13 militares da GNR e de quatro viaturas. O caso foi enviado para o Ministério Público para ser aberta uma investigação.
Além da GNR, as operações de socorro mobilizaram também os Bombeiros de Alcácer do Sal e a viatura médica de emergência e reanimação (VMER) do Hospital do Litoral Alentejano, segundo a Lusa.
A autarquia lamentou os incidentes e diz que estão garantidas as condições de segurança para a feira que só encerra esta madrugada com a banda brasileira, Sorriso Maroto.

Agência de Notícias 

[ + ]

Três mortos na Palhota, Pinhal Novo

Homem de 58 anos mata uma mulher e amiga e suicida-se

A pacata localidade da Palhota, arredores de Pinhal Novo, viveu ontem à noite uma das suas piores tragédias de sempre. Um homem de 58 anos terá matado uma amiga da mulher e baleado a própria mulher que acabou por falecer no hospital. O paradeiro do homem era incerto mas já se sabe que terá se suicidado. O crime ocorreu ontem durante a noite.

GNR já localizou autor dos disparos de ontem à noite 

Duas mulheres morreram este domingo à noite na Palhota, Pinhal Novo, concelho de Palmela, baleadas por um homem [marido de uma das vítimas], soube o ADN. O suspeito é um homem de 58 anos e o incidente ocorreu cerca das 22h30 de ontem. De início a GNR deu o homem como “fugitivo” mas o ADN sabe, através de fontes ligadas à família das vítimas, que o homem terá se suicidado.
O homem terá disparado sobre a mulher e uma amiga do casal. A primeira vítima mortal foi a amiga do casal que morreu após o disparo. A mulher, também atingida a tiro, acabou ainda por ser transportada para o hospital em estado muito grave e acabou, segundo apurou o ADN, por também falecer. Os disparos, de acordo com algumas fontes, aconteceram em casas diferentes.
O homem terá abandonado o local do crime e foi procurado pela GNR que o dava, ao início desta manhã, como “fugitivo”. No entanto, o ADN sabe que o homem já foi encontrado, numa localidade próxima de Palmela, e também está morto. E tudo indica que terá se suicidado após cometer tão bárbaro crime.
“Trata-se de uma desgraça, de um ato tresloucado”, dizia uma das amigas do casal. “Nada fazia prever um desfecho de três vidas desta maneira. É um choque para todos nós”, conta.
As autoridades estão a proceder a investigações para tentar perceber o que esteve na origem deste crime que está a chocar a comunidade da localidade do concelho de Palmela.


Paulo Jorge Oliveira 


[ + ]

Bosch Portugal abre estágios em Portugal

16 vagas de estágios profissionais para Lisboa, Aveiro e Ovar

A Bosch Portugal está a oferecer dezasseis estágios profissionais para jovens recém-licenciados ou que tenham terminado a licenciatura há menos de três anos.

Bosch Portugal abre 16 vagas de estágio profissional

As vagas abrangem vários departamentos da marca, como logística e compras, desenvolvimento de produto, assistência técnica, contabilidade e finanças e engenharia do ambiente, engenharia mecânica e engenharia elétrica.
Os interessados nos estágios agora oferecidos pela marca devem estar aptos a realizá-lo através do IEFP ou da modalidade Passaporte Emprego. A duração é de 12 meses e a remuneração será de acordo com as regras estipuladas. Os locais para a realização dos estágios são Lisboa, Aveiro e Ovar.
Fundada em 1886, a Bosch é uma das líderes mundiais no que toca a fornecimento de tecnologias e serviços. Chegou a Portugal em 1911 e, atualmente, marca presença em mais de 60 países.
Um pouco por todo o mundo emprega mais de 300 mil trabalhadores, cerca de 3 mil só em Portugal. As vendas da marca alemã rondam os 50 biliões de euros e, anualmente, a multinacional investe 4,8 biliões de euros para investigação e desenvolvimento de produtos.
 Para concorrer basta clicar AQUI, escolher uma vaga e enviar o formulário de candidatura. 


Agência de Notícias 
[ + ]

Porto de Sines quer chegar aos 44 milhões de contentores

“Construção da linha de bitola europeia entre Sines e Madrid afigura-se como urgente”

A Administração do Porto de Sines quer, nos próximos anos, aumentar a capacidade de armazenagem de contentores (TEU’s) para os 44 milhões por ano depois de ter assegurado, em permuta de terrenos com a autarquia, as condições para poder armazenar seis a sete milhões de TEU’s por ano. Objetivo da administração é colocar Sines no top 3 dos portos ibéricos e pressionar o Governo para que avance com as ferrovia para o Poceirão e ligação a Espanha.
 
Porto de Sines já é um dos melhores da Europa 
Para a presidente da administração do Porto de Sines, Lídia Sequeira, “os grandes investimentos feitos hoje no porto de Sines fazem com que os frutos sejam colhidos no futuro e com que este ganhe um patamar de excelência no panorama mundial”.
De futuro, a líder do Porto quer Sines no top 3 dos portos ibéricos. “A batalha para assumir o terceiro lugar nos melhores portos da Península Ibérica e um posto entre os top 20 da Europa está ganha”, prossegue a presidente do conselho de administração, que entrega ao Governo a responsabilidade de avançar o mais rapidamente possível com “o investimento básico terrestre”. A questão da construção da linha de bitola europeia entre Sines, Badajoz e Madrid afigura-se como urgente para o maior impulso da infra estrutura portuária alentejana e também uma ligação ao Porto de Setúbal.

Tornar Porto de Sines num dos melhores da Europa
O ano de 2012 fora o melhor em termos de movimento de carga contentorizada no Porto de Sines porém, existe a previsão de crescimento em 20 por cento neste ano de 2013, razão pela qual a capacidade de armazenamento de um milhão de TEU’s por ano após concluídas as obras de expansão do Terminal XXI se afigura como insuficiente. Para Rui Pinto, diretor geral da PSA, empresa concessionária do Porto de Sines, os objetivos para o futuro passam pela “criação de mais 250 postos de trabalho, mais receção de navios de última geração e o crescimento das infra estruturas”.

Ferrovia urgente para Sines
Lídia Sequeira pressiona Governo a avançar com ferrovia até Espanha 
O investimento de 90 milhões de euros na ampliação do Terminal XXI faz com que existam condições reunidas para a instalação de mais indústria ao redor do porto de Sines. Face a este possível cenário de crescimento, Manuel Coelho, presidente da câmara de Sines, revelou durante a conferência organizada pela Comunidade Portuária de Sines “Sines 2020, Perspectivas e Expectativas” que “se os quatro mil hectares disponibilizados em permuta com a Administração do Porto de Sines não forem suficiente, serão disponibilizados outros quatro mil”.
 “O terminal de contentores é o futuro de Sines e do Alentejo”, acrescenta Manuel Coelho, que tem pressionado o governo para avançar com a ferrovia, que tem a sua ligação prevista a Sines em 2017. “A cidade de Sines é o centro do desenvolvimento do seu porto e é necessário criar um lobby com todos os agentes de desenvolvimento para pressionar a administração central para acolher às exigências”, diz o presidente do Município.



Agência de Notícias 
[ + ]

Plenário deixa barcos do Barreiro no cais

Tarde sem ligações fluviais entre Barreiro e Lisboa

As ligações fluviais entre o Barreiro e Lisboa asseguradas pela Soflusa podem parar esta tarde, entre as 13h25 e as 16h50, devido a um plenário dos trabalhadores da transportadora, que vão analisar a situação da empresa.

Barcos que fazem ligação Lisboa Barreiro param esta tarde 
Os sindicatos representativos dos trabalhadores da Soflusa agendaram um plenário, com paralisação de actividade, que deve causar a paragem dos barcos entre as 13h25 e as 16h20, no sentido Barreiro-Terreiro do Paço, e entre as 13h25 e as 16h50 no sentido inverso.
A ligação entre o Barreiro e Lisboa é a mais utilizada no Grupo Transtejo, mas o facto do plenário se realizar fora das horas de ponta deve minimizar o impacto para os utentes, apesar de estar prevista uma paragem total no serviço durante cerca de três horas.
A Soflusa anunciou que o terminal do Terreiro do Paço será encerrado nos períodos em causa, por questões de segurança, caso se verifique a paralisação das carreiras.
Frederico Pereira, da Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans), disse à Lusa que os trabalhadores vão discutir a actual situação da empresa e a adesão à greve geral.
“O objectivo do plenário é discutir a actual situação da empresa. Não obtivemos resposta a duas reuniões pedidas e as negociações do Acordo de Empresa estão paralisadas. Outra das questões em análise será a adesão à greve geral”, afirmou.
O plenário já começou, às 14 horas, no terminal do Barreiro.


Agência de Notícias 
[ + ]

Dez feridos em desordem na feira de Alcácer do Sal

Briga envolveu mais de 60 pessoas e deixou dois feridos graves

Dez feridos, dois deles graves, e seis pessoas identificadas foi o resultado de uma desordem pública que ocorreu este domingo na Pimel, em Alcácer do Sal, disse à agência Lusa fonte da GNR.   De acordo com a mesma fonte, a desordem, cuja origem as autoridades desconhecem, começou cerca das 05h45, no fim de uma garraiada, e alastrou a vários pontos do recinto da feira, envolvendo mais de 60 pessoas.  Entre os feridos, dois sofreram ferimentos graves com arma branca e foram encaminhados para o Hospital do Litoral Alentejano, em Santiago do Cacém.  Dos oito feridos ligeiros, um é militar da GNR.  

Madrugada de ontem acabou mal na Pimel, em Alcácer do Sal  

A desordem instalada na madrugada deste domingo numa feira em Alcácer do Sal fez dez feridos, dois dos quais em estado considerado grave. A GNR identificou ainda seis pessoas que estavam presentes no recinto.
O tenente-coronel João Nortadas, do Comando Territorial de Setúbal da GNR, o desacato terá começado cerca das 5h45 “e presume-se que tenha surgido junto a uma das tasquinhas” da Feira de Turismo e das Actividades Económicas (Pimel), que é organizada pela Câmara de Alcácer do Sal.
Contudo, a mesma fonte adiantou que, apesar de as agressões com armas brancas aparentemente terem começado entre dois homens, os desacatos alargaram-se aos restantes presentes, envolvendo dezenas de pessoas que “rapidamente passaram de agredidas a agressoras”. A agência Lusa fala em cerca de 60 pessoas.
O balanço final é de oito feridos ligeiros (um dos quais um elemento da GNR) e dois feridos graves, que foram transportados para o Hospital do Litoral Alentejano, em Santiago do Cacém. 

Ferido mais grave transferido para Lisboa
Ao jornal Público, o chefe de equipa das Urgências do Hospital adiantou que um dos feridos, um jovem de 29 anos ferido no tórax com uma arma branca, foi operado e está agora nos cuidados intensivos. O seu estado é muito grave mas encontra-se estável. O segundo ferido grave também se encontra estável mas teve de ser transferido para o Hospital São José, em Lisboa, para a especialidade de neurocirurgia.
Quanto às seis pessoas identificadas, João Nortadas explicou que se tratou de recolher contactos dos feridos, para a investigação do caso.
O tenente-coronel adiantou, ainda, que pelo menos um dos feridos graves hospitalizados foi levado para o bloco operatório, não se conseguindo contudo precisar o tipo de lesões. Eram já cerca das 7 horas quando a ordem foi reposta no local, com a ajuda de 13 militares da GNR e de quatro viaturas. O caso foi enviado para o Ministério Público para ser aberta uma investigação.

Festa dura até amanhã
Horas antes, às duas da manhã, ocorreu uma garraiada, um dos pontos altos do programa da Pimel, que começou na sexta-feira e que se prolonga até segunda-feira, e que, regra geral, acaba por se prolongar sempre até de madrugada, funcionando quase ininterruptamente. Para esta noite está agendado o concerto de Rui Veloso.
Além da GNR, as operações de socorro mobilizaram também os Bombeiros de Alcácer do Sal e a viatura médica de emergência e reanimação (VMER) do Hospital do Litoral Alentejano, segundo a Lusa.


Agência de Notícias 
[ + ]

Pimel abre portas a 21 de Junho em Alcácer do Sal

Evento quer ser o melhor de sempre no concelho 

A 23ª edição da Feira do Turismo e das Atividades Económicas de Alcácer do Sal surge este ano com a ambição de ser a melhor de sempre devido ao tema dedicado ao empreendedorismo e sua aplicação no atual contexto económico. Pedro Paredes, presidente da Câmara de Alcácer do Sal, explica que o Gabinete de Apoio às Atividades Económicas “vai estar presente na feira para promover um melhor contato com os comerciantes e potenciais empreendedores no concelho”.

Rui Veloso atua em Alcácer do Sal  é  principal atracção musical da feira 

Concertos, DJs, petiscos e doçaria, corrida de touros, animação infantil e muitas surpresas estarão à espera de quem visitar Alcácer do Sal entre 21 e 24 de Junho. A feira Pimel abre as portas para mostrar o melhor deste concelho à beira Sado e promete ser a melhor de sempre.
“Os produtores agrícolas devem apostar no setor do turismo quando têm as suas colheitas paradas”, diz o presidente da autarquia que vê na próxima edição da Pimel o campo ideal para se promoverem novos negócios. Os 66 stands disponíveis na feira já têm a sua lotação esgotada, existindo ainda uma lista de espera de entidades que querem marcar presença na 23ª Pimel, fator que o autarca alcacerense entende ser espelho “dos bons negócios que se promovem no recinto da feira ano após ano”, conta Pedro Paredes.

Boss AC, Rui Veloso e Sorriso Maroto na Pimel
Boss AC na sexta feira, Chave d’Ouro e Sonido Andaluz no sábado, Rui Veloso no domingo e os brasileiros Sorriso Maroto na segunda feira são os principais concertos, todos com entrada livre, para além de DJs durante as madrugadas, corrida de touros no domingo, um espaço de animação para os mais pequenos, colóquios e workshops de cozinha, desportos radicais, artes marciais e mostra de gado.

Aconselhamento ao empreendedorismo jovem 
Pedro Paredes realça a esperança de, durante a Pimel, “ser registado um intervalo no descontentamento generalizado no concelho devido à fraca conjuntura económica em que todo o país está mergulhado”, isto a partir da proliferação de negócios que dinamizem Alcácer do Sal. Os jovens estarão em destaque no tema da Pimel, já que “os que apresentarem ideias para montar negócios, podem ser aconselhados durante o certame”.
As expetativas de adesão populacional à Feira do Turismo e das Atividades Económicas são bastante altas, pelo que esta feira não é apenas direcionada à população de Alcácer do Sal mas “a todos os concelhos vizinhos, inclusive a Área Metropolitana de Lisboa”, conta Pedro Paredes.
Numa altura em que todos os eventos têm a marca da sustentabilidade financeira, o autarca alcacerense admite que “não há grandes gastos da autarquia na Pimel, mas o seu retorno para os comerciantes a partir dos negócios lá firmados é muito grande”.

Consulte AQUI o programa do evento.


Agência de Notícias 
[ + ]

Histórias do Mundo: Morto engravida mulher

Mulher “abusa” de homem morto e acaba grávida

Numa das suas músicas, os Rolling Stones cantavam que é melhor: "Você, você faz um homem morto gozar".  Ora, uma mulher de Missouri, nos Estados Unidos,  transportou a música para a vida e fez-se milagre. Ou seja, dizem alguns jornais locais, uma mulher de 38 anos que trabalha numa morgue aproveitou a erecção pós-morte de um homem que estava a lavar para ter sexo com ele. Surpresa maior é que a mulher acabou grávida e, garante a Felicity – nome da mulher – que o filho é mesmo do morto. Ela já foi condenada por “abusar” do infeliz morto [que ainda assim foi muito homem para lhe fazer um filho] e entrou na justiça para que os herdeiros do falecido lhe paguem uma pensão alimentícia para o filho. Nesta história do mundo há outra pergunta: como se explica agora à criança que o pai já tinha morrido quando o fez!

Mulher fica grávida após ter tido sexo com um homem morto

Uma mulher de 38 anos, que trabalha numa morgue foi presa e condenada a pagar uma fiança de 250 mil dólares depois “abusar” de um cadáver de um homem. O suposto crime ocorreu num necrotério de Lexington em Missouri, Estados Unidos. A polícia acusou Felicity Marmaduke de necrofilia. De acordo com as autoridades competentes, um morto sofreu uma ereção pós morte  (muito comum, dizem eles) enquanto era lavado pela senhora Felicity que, como sempre, tratava, lavava e vestia os mortos. 
A mulher então, aproveitou que estava sozinha e passou ter relações sexuais com o morto. Para sua grande surpresa, o morto chegou ao orgasmo depois de alguns minutos de sexo. 
Algumas semanas mais tarde, ao fazer um exame médico de rotina, foi constatada a gravidez da mulher. A polícia foi notificada pelo médico depois de a mulher lhe contar a verdade. “Fiz sexo com um morto e aconteceu isso”, terá dito Felicity Marmaduke.
E agora como será cuidar do bem-estar do “filho do morto”? Felicity já pensou nisso e pretende agora processar os herdeiros do homem morto para tentar conseguir uma pensão alimentícia e apoio à criança.

É possível ter uma ereção depois de morto?
De acordo com os especialistas, este é um tipo de ereção pós-morte que ocorre quando um homem morre verticalmente ou de bruços, permanecendo o cadáver nesta posição.
Durante a vida, o bombear do sangue pelo coração assegura uma distribuição relativamente uniforme em torno dos vasos sanguíneos do corpo humano. Uma vez que este mecanismo pára de funcionar, somente a força da gravidade atua sobre o sangue. Como com toda a massa, o sangue estabelece-se no ponto mais baixo do corpo e faz com que o edema ou inchamento ocorram. Mas até hoje não era conhecida qualquer história de gravidez. O mundo prepara-se assim para conhecer o primeiro filho concebido por um homem morto. A mãe já é conhecida; é uma americana de 38 anos chamada de Felicity Marmaduke. A história ocorreu numa morgue chamada Mourning Glory Mortuary, nos confins do Missouri, nos Estados Unidos, país onde acontece tudo!


Agência de Notícias
[ + ]

Tiros contra as Finanças de Palmela

Atacada a tiro durante a madrugada

A repartição de Finanças de Palmela foi alvejada a tiro na última madrugada. Os disparos atingiram o primeiro andar do edifício. Para já desconhece-se o motivo e o autor dos disparos. No local esteve uma equipa de investigação criminal da GNR para proceder à recolha de vestígios. A repartição está encerrada e só reabre na segunda-feira.


Finanças de Palmela atacada a tiro durante a noite 
O edifício da repartição das Finanças de Palmela, no distrito de Setúbal, está encerrado depois de ter sido alvo de disparos com arma de fogo durante a madrugada de hoje.
"Foram efetuados vários disparos contra o edifício das Finanças em Palmela. Foram os funcionários, quando chegaram hoje ao local, que deram conhecimento da ocorrência", acrescentou a fonte da Guarda Nacional Republicana.
Segundo a mesma fonte, a repartição das Finanças está encerrada e isolada, estando no local elementos da investigação da GNR e da Policia Judiciária a recolher os indícios e provas da ocorrência.
"As janelas foram atingidas pelos disparos mas pode haver mais locais de impacto. Estamos a investigar e de momento não existem ainda suspeitos", adiantou.
Os disparos atingiram as janelas das instalações, no primeiro andar, que ficaram destruídas. As balas alojaram-se no teto da sala. No chão, além dos vidros encontram-se os cartuchos. Não há registo de feridos.
Fonte no local descreve que se os disparos tivessem acontecido em horário de expediente teriam atingido os funcionários que trabalham junto às janelas.
A GNR foi chamada ao local e aguardava esta manhã a chegada de especialistas. A repartição esteve encerrada ao público hoje e só deve reabrir na próxima segunda-feira. Embora durante o dia de hoje, os funcionários tivessem tido ordens da chefia para trabalhar dentro da normalidade possível.


Agência de Notícias 
[ + ]

Setúbal avaliada pela Rede de Cidades Interculturais

Avaliação chega ao município sadino em Setembro 

A avaliação feita pela Rede de Cidades Interculturais a Setúbal, pela sua integração neste grupo restrito de municípios que vêem no aspeto da multi culturalidade o que os define será conhecida em Setembro.
 
Em Setembro Setúbal conhece resultados da avaliação da rede 

Conceição Loureiro, chefe de divisão da Inclusão Social na Câmara de Setúbal, admite que “enquanto município intercultural, há o desejo de trabalhar mais e melhor sobre as questões que permitem melhorar a qualidade de vida”.
“As expetativas em relação ao relatório formulado pela Rede de Cidades Interculturais são grandes, já que pode trazer um melhor investimento em know how ou a possível deslocação de recursos”, conta Conceição Loureiro.
A visita de especialistas da rede a Setúbal vai resultar num relatório que deve estar pronto em agosto para ser entregue à autarquia em meados de Setembro com algumas recomendações para o melhor funcionamento das instituições setubalenses.

Cidadania e urbanismo na linha da frente
Participação cidadã e o urbanismo são as áreas que merecem mais atenção por parte da Rede de Cidades Interculturais, pelo que “o envolvimento e a coesão entre todos os agentes locais responsáveis pela atuação no tecido urbano é espantoso em Setúbal”, declara Francisco Empis, coordenador da Rede Portuguesa de Cidades Interculturais. Honestidade e transparência são as palavras usadas por este coordenador no diálogo que teve com as instituições, já que “muitas vezes o que uns dizem ser os problemas não são o que outros entendem”.
Daniel Torres, do conselho europeu da Rede de Cidades Interculturais, assume o discurso político existente em setúbal semelhante ao de outras grandes cidades como Barcelona, mas vê a necessidade de “trabalhar em rede para facilitar a colaboração e melhorar as políticas, projetos e os próprios discursos”. A necessidade de adequar políticas nacionais ao contexto local é uma das preocupações que esta rede aborda, “já que cada cidade é diferente e tem as suas próprias exigências”.

Agência de Notícias


[ + ]

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010