Dá um Gosto ao ADN

Quinta do Anjo comemora 257 anos de Festa

Palmela celebra 87 anos de restauração do concelho e Quinta do Anjo festeja a 257ª edição da Festa de Todos os Santos

Entre 1 e 3 de Novembro, a aldeia de Quinta do Anjo celebra a 257ª edição das Festas de Todos os Santos, numa organização da Associação das Festas, com o apoio da autarquia local. O programa integra, como habitualmente, desporto, momentos de convívio, exposições, animação e música, com a participação de artistas da região e do movimento associativo local. Ao mesmo tempo, assinala-se, no dia 1 de Novembro, o 87º aniversário da Restauração do Concelho de Palmela. As comemorações desta data decorrem ao longo de todo o fim-de-semana.   

Festa realiza-se desde 1756, na Quinta do Anjo, Palmela 

A homenagem póstuma aos Restauradores do Concelho, com deposição de flores junto ao monumento a Joaquim José de Carvalho, é um dos momentos mais simbólicos do programa, que integra, também, uma homenagem póstuma aos militares naturais do concelho de Palmela, mortos em combate na I Grande Guerra Mundial.
O concelho de Palmela foi integrado em Setúbal, no quadro da reforma Administrativa de 1855, que reduziu o número de concelhos do território nacional. Nos anos 20, foi formalmente constituída a Comissão Pró-Restauração do Concelho de Palmela, integrando cidadãos de Palmela que representaram a vontade de autonomia das populações. O processo de luta pela Restauração do Concelho culminou em 1926.
As comemorações desta data decorrem ao longo de todo o fim-de-semana, por iniciativa do Grupo dos Amigos do Concelho de Palmela, com o apoio da Câmara de Palmela, das Juntas de Freguesia do Concelho, dos Bombeiros Voluntários de Palmela e de Pinhal Novo, das Igrejas Paroquiais de Palmela e de Quinta do Anjo e da Associação de Festas de Quinta do Anjo.

Quinta do Anjo em festa até domingo
Foi no ano de 1756 que pela primeira vez se promoveu a Festa de Todos os Santos, ou em maior rigor, a Festa em honra da Nossa Senhora da Redenção, em dia de Todos os Santos; 1º de Novembro. A comemoração religiosa e festiva decorreu junto à capela da "Quinta do Anjo", acolhendo todos os montanhões que viviam nos montes e cabeços dispersos pelas abas da Serra do Louro.
257 anos depois, a tradição continua. O programa integra, como habitualmente, desporto, momentos de convívio, exposições, animação e música, com a participação de artistas da região e do movimento associativo local. Destaque, também, ao longo do fim-de-semana, para as procissões e momentos solenes, em Honra de Nossa Senhora da Redenção. Um espetáculo pirotécnico, no domingo, às 23h50, encerra o programa deste ano.
As Festas de Todos os Santos – as mais antigas do concelho de Palmela – nasceram em 1756, dedicadas à Santa, como forma de agradecimento pela proteção da aldeia durante o terramoto do ano anterior, que afetou, não só a cidade de Lisboa, mas toda a região circundante.


Programa:
 1 de Novembro
 09h30 Hastear de Bandeiras nos Paços do Concelho e na sede do G.A.C.P.
18h00 Missa de sufrágio pelos Restauradores do Concelho de Palmela e pelos militares naturais do concelho de Palmela, mortos em combate na Grande Guerra – Igreja de S. uPedro, em Palmela, pelo Padre José Maria Furtado

2 de Novembro
09h00 Recolha de Sangue, com a colaboração do Núcleo de Dadores de Sangue dos Bombeiros Voluntários de Palmela
10h30 Hastear das bandeiras e Moscatel de Honra – Sede do Grupo dos Amigos do Concelho de Palmela. Participação da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Pinhal Novo
11h00 Homenagem póstuma aos Restauradores do Concelho de Palmela e deposição de flores junto ao monumento a Joaquim José de Carvalho – Jardim Joaquim José de Carvalho
Em colaboração com a Câmara Municipal de Palmela, homenagem póstuma aos militares naturais do concelho de Palmela, mortos em combate na Grande Guerra de 1914-1918  (Elisiário Gomes Carriço, Francisco Pessoa, João Gomes Marto, Joaquim Gomes Ramalheira, Luís Inácio Gomes Furtado, Pedro da Costa Frescata)
Intervenções do Presidente da Assembleia Geral do G.A.C.P. e do Presidente da Câmara Municipal de Palmela.
Preleção sobre a Restauração do Concelho de Palmela pelo associado Victor Borrego
Preleção sobre os Mortos da Grande Guerra pelo sócio Dr. Nuno Monteiro (arquivista municipal)

3 de Novembro
17h30 Homenagem póstuma ao sócio fundador, Dr. António de Matos Fortuna. Deposição de flores junto ao seu busto e evocação sobre a sua figura e obra (Largo do Poço Novo, Quinta do  Anjo, no âmbito da Festa de Todos os Santos)


Agência de Notícias 
[ + ]

Sara Loureiro expõe no Montijo

Do sentido dos mitos aos mitos sentidos na Galeria Municipal

A Câmara do Montijo inaugura, no dia 2 de Novembro, às 16 horas, na Galeria Municipal a exposição de artes plásticas “Do sentido dos mitos aos mitos sentidos” de Sara Loureiro. A mostra está patente até 18 de Janeiro de 2014.

Exposição ficará patente até 18 Janeiro 

A mitologia, ou antes, as mitologias e os temas mitológicos são fonte de inspiração para o trabalho desenvolvido e apresentado por Sara Loureiro (Salou) nesta exposição de pintura e colagem.
A artista começou a abordagem plástica das mitologias em 2011, com a produção de uma primeira série de trabalhos que procuravam materializar sentidos e formas de sentir, no que diz respeito aos mitos e às figuras mitológicas e que serviram de lastro para outros trabalhos em anos subsequentes.
Ao longo de quase três anos, com aposta numa contínua experimentação livre e intuitiva, foi delineando composições, renovando técnicas e incorporando materiais diversos nos trabalhos que realizava, num desafio à criatividade e à constituição de um espaço próprio, traduzindo uma certa inquietude plástica e anímica.
Sara Loureiro é natural do Montijo. Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas e mestre em Ciências da Educação, aventurou-se nas artes plásticas, desenvolvendo trabalho de pesquisa, aprendizagem e experimentação constantes, enquanto bases para o percurso artístico que vem delineando. Interessa-lhe, sobretudo, materializar sentidos e formas de sentir. Apresenta os seus trabalhos com alguma regularidade em exposições individuais e coletivas.
A exposição “Do sentido dos mitos aos mitos sentidos” pode ser visitada de segunda a sábado das nove às 12h30 e das 14 às 17h30.

A entrada é livre.

Agência de Notícias 
[ + ]

Moita quer condições dignas no Posto da GNR

Executivo quer melhores condições para os militares da GNR da Moita

Após anos de avanços e recuos, o quartel da GNR da Moita não oferece condições de trabalhos aos militares da Guarda Republicana. Rui Garcia, em visita ao Quartel, mostrou-se preocupado com a situação e vai exigir ao Governo que melhore as condições de trabalho dos militares que ali prestam serviço.

Militares da GNR sem condições de trabalho no Posto da Moita 

Numa reunião destinada à apresentação de cumprimentos ao novo executivo, realizada no dia 25 de Outubro, a Câmara da Moita expressou ao Comando do Destacamento Territorial e do Posto Territorial da Moita o “seu total empenhamento para, junto do Governo da República, exigir condições de trabalho dignas para esta força de segurança, nomeadamente através da melhoria das péssimas condições em que se encontram as instalações da Guarda Nacional Republicana, na Moita”, diz a Câmara da Moita em comunicado.
Data de Abril de 2009 a aquisição, pelo Ministério da Administração Interna (MAI) das instalações do antigo Quartel dos Bombeiros da Moita, para aí instalar o Posto da GNR, após a realização das obras de adaptação que fossem necessárias.
Mais tarde, após se ter entendido que seria técnica e economicamente mais vantajoso construir instalações de raiz, o MAI contactou a autarquia para indagar da disponibilidade desta para permutar o edifício do antigo quartel dos Bombeiros por dois terrenos do domínio público municipal, disponibilidade essa prontamente confirmada pelo Município.
Desde então, diz fonte da Câmara da Moita, “não têm sido orçamentadas pelo Governo quaisquer verbas e as atuais instalações, já em adiantado estado de degradação em 2006 (ano em que se anunciou, pelas mesmas razões, o encerramento temporário do Posto) são hoje um obstáculo ao cabal desempenho da missão da GNR no território e à eficaz garantia da segurança das populações”.


Agência de Notícias 
[ + ]

Três homens sequestram e violam mulher em Lisboa

Estudante sequestrada e violada por três homens

Uma jovem de 19 anos conta à PJ ter sido sequestrada junto ao Centro Vasco da Gama, em Lisboa, forçada a cozinhar numa casa e abusada pelo morador e amigos. Foram horas de terror que só acabaram quando a jovem conseguiu fugir e pedir ajuda a uma mulher. Um dos agressores já está detido mas nega a violação.

Jovem afirmou que conheceu os homens no CC Vasco da Gama 

Quando a estudante de 19 anos se cruzou com um conhecido – que estava com dois homens – nos corredores do Centro Comercial Vasco da Gama, em Lisboa, terça-feira à noite, estava longe de adivinhar o terror que se iria seguir. A jovem, segundo disse à PSP e depois à Judiciária, foi forçada a acompanhar o grupo até à casa de um deles, em Odivelas – onde teve de cozinhar para eles e foi violada pelos três, à vez.
A seguir, dois dos suspeitos de violação foram divertir-se para o Bairro Alto; enquanto o dono da casa, de 28 anos, ficou e foi interpelado pela PSP já de madrugada. Foi levado para a esquadra e depois interrogado pela secção de combate aos crimes sexuais da PJ, que está agora a investigar.

Momentos de terror
A vítima, açoriana com residência na Lourinhã, cruzou-se com os três homens, de 28, 22 e 21 anos, cerca das 22h30 de terça-feira. Convidaram a vítima para jantar em casa e, perante a recusa, a jovem terá sido forçada a ir com eles até à casa, sob ameaça de agressões.
Já na residência, na rua Principal do Bairro Cassapia, em Olival de Basto, exigiram que a jovem lhes fizesse o jantar, sempre acompanhado de bebidas alcoólicas. E terão, igualmente, fumado droga durante a noite.
A vítima diz que, pelas 02h30, os três homens informaram-na de que queriam fazer sexo com ela, mas esta recusou. Arrancaram-lhe a roupa de forma violenta, atiraram-na para cima de uma cama e forçaram-na a manter relações sexuais à vez. Dois dos violadores usaram preservativo, mas o terceiro não.
Retiraram o telemóvel à vítima e dois dos homens saíram de casa. A jovem acabou por fugir e, pelas 3h15, já no Casal dos Cucos, não muito longe do local da violação, encontrou uma mulher à janela a quem pediu ajuda. A PSP localizou um dos suspeitos, que confirmou as relações sexuais, mas negou a violação.


Agência de Notícias 
[ + ]

Câmara de Sesimbra incentiva jovens à prática desportiva

Aulas de vela e canoagem disponíveis na Lagoa de Albufeira

A Câmara de Sesimbra quer aproximar os jovens da Lagoa de Albufeira e incentiva-os à prática de deporto ligado ao mar. Na opinião da vice-presidente da autarquia, é “importante promover Sesimbra ao nível do turismo”. Depois das últimas obras de requalificação na Lagoa de Albufeira estão reunidas as condições quer para o turismo de natureza, quer “para a prática de canoagem e vela”, promovida pelo município.  

Sesimbra convida jovens a praticar vela e canoagem no concelho 

 O Centro Municipal de Atividades Náuticas vai permitir aos jovens “praticarem mais desportos ligados ao mar”, uma vez que as escolas do concelho vão passar a levar os seus alunos à Lagoa de Albufeira, para aprenderem vela e canoagem. A vice-presidente da Câmara de Sesimbra considera importante “impulsionar a prática desportiva” junto dos jovens do município.
Felícia Costa diz que é importante “promover Sesimbra ao nível do turismo” e a Lagoa “é um ex-libris da região”. A autarca realça que nos últimos anos houve investimentos “na limpeza da lagoa, na colocação de passadiços e na construção de um centro de interpretação”, que permite fazer observação de aves. Cada vez mais “a Lagoa atrai pessoas que gostam e procuram a natureza” e estas obras permitem que “se torne num lugar mais apelativo”, conta a autarca sesimbrense.  

Aulas de canoagem e vela
“O centro faz parte de um plano de intervenção e requalificação, que pretende promover a Lagoa de Albufeira”, diz Felícia Costa. A vice-presidente da câmara municipal reforça que “este centro resulta de um trabalho que já vinha a ser feito na região há alguns anos” e lembra que os custos são “mínimos”, porque “as instalações já existiam e os barcos também”.
Jorge Santos, técnico desportivo na autarquia, realça que este centro vai “promover o ensino e a prática da vela e da canoagem a jovens e adolescentes”, sendo “mais um pólo de atratividade para a região”.
As atividades de vela e canoagem são direccionadas para crianças dos seis aos quinze anos e têm um custo mensal de dez euros. O Centro Municipal de Atividades Náuticas fica situado nas instalações do Clube Português de Caravanismo.


Agência de Notícias 
[ + ]

Autarcas do Barreiro visitam património do concelho

“Faz parte da nossa missão preservar este património”, diz Carlos Humberto

 “Barreiro, um Património com História” foi o mote para a “visita simbólica” realizada, ontem, dia 29 de Outubro, pelo executivo e por técnicos da Câmara do Barreiro, a locais emblemáticos do Património do Barreiro, designadamente o “Museu da Indústria”, o “Espaço L”, [antiga estação do Lavradio], a “Estação Sul e Sueste” e as antigas instalações de indústrias de secagem do bacalhau, em Santo André.

Autarcas do Barreiro visitaram locais de interesse patrimonial

Sérgio Saraiva e Sardinha Pereira, da Administração da Baía do Tejo, gestora da Quimiparque – Parque Empresarial do Barreiro –, receberam a comitiva municipal no Museu da Indústria, o primeiro local visitado.
Carlos Humberto, presidente da câmara municipal, agradeceu à Administração os investimentos que tem vindo a fazer no Património que gere e sublinhou “o respeito que temos pelo nosso Património e pelo nosso passado. Queremos que o Património do Concelho venha a fazer parte do nosso futuro”.
Do ponto de vista do desenvolvimento económico, defendeu que possam existir, no futuro, “pequenos nichos que podem vir a valorizar a nossa Terra do ponto de vista industrial e ferroviário”, disse o chefe do executivo municipal ao site da câmara do Barreiro.
Carlos Humberto, destacou ainda, as várias diligências realizadas pela Autarquia junto da Entidade Regional de Turismo de Lisboa e Vale do Tejo (T-LVT), no sentido de promover o Património.
“Faz parte da nossa missão preservar este património”, disse o presidente. No âmbito de um trabalho continuado, foram feitos investimentos, entre os quais na Casa da Cultura e no Bairro de Santa Bárbara, permitindo que aqui se fixem mais empresas.
Em relação ao Museu, Sardinha Pereira revelou que este tem tido uma maior procura por parte dos diversos públicos.

Antiga estação do Lavradio é polo cultural
As antigas instalações da Estação de Comboios do Lavradio são agora nomeadas de “Espaço L”. Na visita ao local, a Vereadora Regina Janeiro responsável pelo pelouro da Cultura, agradeceu o trabalho das associações na preservação desta antiga estação de caminho-de-ferro, desejando que no local se desenvolva “uma atividade cultural que possa atrair pessoas oriundas de outros concelhos”.
De referir que a “Associação – Património, Memória e Futuro”, “Associação de Coletividades do Concelho do Barreiro”, os “Amigos dos Comboios” e o “Movimento Cívico de Salvaguarda do Património Ferroviário do Barreiro” gerem este espaço, ao abrigo de um protocolo estabelecido com a REFER. Segundo Regina Janeiro, está a ser preparado um trabalho de parceria com estes grupos e as escolas do Concelho.
Em representação das associações, Manuel Fernandes e Júlio Dias destacaram o “grande desafio” que desde o início enfrentaram, perante o abandono do Património Ferroviário. “A nossa ideia foi a de unir vontades e trabalho, no sentido de preservar este Património material e imaterial”.
Ainda sem revelar quais, adiantaram que estão já pensadas para o local, algumas iniciativas para breve.
Recordou que na última edição do “Dia B”, o armazém adjacente à estação foi objeto de pintura e limpeza.

Preservar a Estação Sul e Sueste
Antiga estação do Barreiro B foi um dos locais visitados pelos autarcas 
Na Estação de Caminho-de-Ferro Sul e Sueste, datada de 1884, um dos marcos do Património Ferroviário do Barreiro, o Presidente da autarquia salientou o estudo de soluções para o desenvolvimento e regeneração do Património Ferroviário realizado pelo grupo de trabalho constituído pelo Município, CP – Comboios de Portugal; REFER; Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos; IMTT – Instituto da Mobilidade e dos Transportes; Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR LVT), e Museu Nacional Ferroviário.
Segundo Carlos Humberto, em articulação com as entidades CP, EMEF e REFER “temos de encontrar sinergias” e, adiantou que a autarquia “está disponível para uma parceria no sentido de preservar este Património”.
Informou, ainda, que a Direção Geral do Património Cultural tem vindo a dialogar com a CMB, no âmbito do processo de Classificação a atribuir a algumas infraestruturas ferroviárias.

Seca de Bacalhau na Azinheira Velha
Relíquias da Seca do Bacalhau atraiu atenções dos autarcas 

A visita finalizou nas antigas instalações de indústrias de secagem do bacalhau, em Santo André, na Azinheira Velha – Parceria Geral de Pescarias, fundada em 1891, hoje propriedade da empresa “Bensaúde S.A”.
Em representação da empresa, Hélder Claro recebeu a comitiva e mostrou pequenas “relíquias” ligadas à atividade piscatória, como por exemplo todo o mobiliário e material de escritório, diários de bordo, entre outras coisas.
Regina Janeiro referiu o interesse da Autarquia em firmar uma parceria com a “Bensaúde S.A”, no âmbito da “Rota do Trabalho e da Indústria do Barreiro”.
De salientar que estas visitas do Executivo têm lugar no âmbito de contactos e reuniões realizadas, nos primeiros dias do novo mandato, com diversas entidades com o objetivo de aprofundar o conhecimento e a reflexão sobre as matérias do interesse do Concelho e, em simultâneo, incrementar a proximidade e a relação institucional.

Agência de Notícias


[ + ]

Setúbal investe no abastecimento de água

 100 mil euros para melhorar rede no Sado, Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra  

As condições de abastecimento de água em zonas habitacionais nas freguesias do Sado e de Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra, em Setúbal, saem melhoradas com uma intervenção liderada pela Autarquia, num investimento de perto de 100 mil euros.

Setúbal melhora rede de abastecimento de água em freguesias rurais 

A empreitada, a decorrer previsivelmente até ao final de janeiro, inclui a renovação da rede de distribuição de água no Bairro do Capador, nas Pontes, e o reforço do abastecimento de água na Rua Alves Redol, em Santo Ovídeo.
No Bairro do Capador, os trabalhos visam a substituição de um troço com 720 metros da rede de distribuição, a execução de 53 ramais de abastecimento, a instalação de uma descarga de fundo e a colocação de três marcos de incêndio.
Já na Rua Alves Redol, os trabalhos englobam a implantação de uma conduta de abastecimento numa extensão com 590 metros, a execução de nós de ligação às infraestruturas existentes e a instalação de sete hidrantes.
Neste local, a intervenção liderada pela Câmara de Setúbal inclui ainda a desativação de uma conduta obsoleta existente na Travessa Elmano Sadino, localizada entre a Rua Alves Redol e a Estrada de Santo Ovídeo.

“A empreitada, a decorrer desde o final de outubro e com um custo de 96 mil 592 euros, permite otimizar as redes de abastecimento e de distribuição de água, com o aumento do caudal, e suprimir situações de roturas nas infraestruturas”, esclarece a autarquia em comunicado.

Agência de Notícias  
[ + ]

‘Quinta-Feira Louca’ do Freeport de Alcochete

Iniciativa aumenta volume de vendas em 35 por cento do Freeport

A próxima ‘Quinta-Feira Louca’ do Freeport está quase a chegar a Alcochete. Agendada para o próximo dia 31, a ação de descontos extra do maior Outlet da Europa promove-se já a partir de hoje com uma campanha multimeios.

Loucura das promoções volta esta quinta-feira ao Freeport Alcochete 

 Decorrendo sempre às últimas quintas-feiras de cada mês a iniciativa ‘Quintas-Feiras Loucas’ do Freeport, em Alcochete, associa aos descontos de outlet, um desconto extra atribuído, numa seleção de produtos, nas lojas aderentes.
A primeira ‘Quinta-Feira Louca’ de 2013, que decorreu no passado dia 26 de Setembro, foi um sucesso, tendo o Freeport registado um aumento significativo do número de visitantes.
Impulsionado pela adesão à iniciativa, durante essa quinta-feira o outlet de Alcochete registou um aumento global de 35 por cento no volume de vendas, em comparação com igual período do ano passado. 64 por cento das lojas de vestuário aderentes registaram um crescimento de vendas de mais de 50 por cento.
Entre as lojas participantes na iniciativa “Quintas-Feiras Loucas” do próximo dia 31 de outubro encontram-se a Tommy Hilfiger, Pepe Jeans, Lacoste, Hugo Boss, Asics, Onitsuka Tiger, Puma, Converse entre muitas outras.
Paralelamente, a Adidas iniciará nesta data uma ação especial de Stock Off com descontos até 70 por cento em toda a loja.

Dinâmica promocional interessante
De acordo com Catarina Tomaz, diretora de Marketing do Freeport “as marcas presentes no Freeport têm recebido muito bem esta iniciativa. Mesmo algumas das grandes marcas que normalmente não participam em iniciativas deste género, têm nestes dias uma oferta especialmente interessante”.
A título de exemplo, refere a directora, “nesta quinta-feira teremos também duas marcas a fazer stock Off: a Adidas e a TAF – The Athlete’s Foot. Conseguimos de facto criar uma dinâmica promocional muito forte Podemos mesmo falar num efeito de arrasto desta iniciativa”.
Para além do filme publicitário de TV que o Freeport tem no ar a partir de hoje, a campanha multimeios lançada no âmbito da iniciativa ‘Quintas-Feiras Loucas’ inclui ainda rádio e internet. A criatividade da campanha é da responsabilidade da agência NOSSA.

[ + ]

Junta de Freguesia de Palmela “sem governo”

CDU “teima” em fazer passar executivo de confiança quando perdeu maioria 

Continua o impasse na Junta de Freguesia de Palmela. A CDU ganhou sem maioria e não chega a acordo com o PS nem com a coligação PSD/CDS para formar governo. Fernando Baião, o vencedor minoritário pela CDU, afirma que “o eleitorado quer que seja a CDU a governar” e, por isso, avança com a intenção de “constituir um executivo de sua confiança política”, referindo que quem faz as propostas para os órgãos é o presidente. Do lado da oposição em peso há a reclamação de que não são não ouvidos para coisa alguma e culpam o cabeça de lista da CDU de “bloquear” a governabilidade da junta.
 
Partidos não se entendem para formar executivo da junta de Palmela 

O candidato que venceu as eleições à Junta de Palmela (pela CDU), Fernando Baião disse que o PCP [principal força política da coligação], “não vai ceder a qualquer pressão por parte da oposição”.
O comunista que ganhou com 39,2 por cento dos votos acha que “o eleitorado quer que seja a CDU a governar” e, por isso, avança com a intenção de “constituir um executivo de sua confiança política”, referindo que quem faz as propostas para os órgãos é o presidente. 
Ainda assim, Baião quer encontrar uma solução “que beneficie a população de Palmela e sirva os interesses do povo”, sendo que, “só em último recurso serão feitas novas eleições”, porque durante seis meses “a junta não pode aprovar o orçamento e fica num impasse”. O cabeça-de-lista da CDU apela à oposição para que esta “não coloque os interesses partidários acima dos interesses da população”. 
E a proposta comunista é simples no entender de Miguel Casanova, do PCP Palmela. Passa por “ter um vogal do PS e representantes das três forças políticas na mesa da Assembleia de Freguesia”, diz o responsável. Miguel Casanova lembra que a CDU sempre procurou um entendimento, mas apercebeu-se “que havia um acordo entre o PS e o PSD/CDS, para ganharem posição”. 
O responsável do partido em Palmela, realça que “quem ganhou as eleições deve poder governar a junta”. O PS e a coligação PSD/CDS continuam “a fazer propostas e a querer fazer ajustamentos” e a CDU está disponível “para chegar a um entendimento que seja bom para ambas as partes”. O comunista salienta que está preparado “para qualquer situação que possa ocorrer”, mas reconhece “que um acordo já vai ser difícil, embora não seja impossível”. 

PS acusa comunistas de falta de diálogo 
Fernando Baião é acusado de não "dar voz" à oposição 
O PS, segunda força mais votada na freguesia, quer mais diálogo e acusa os comunistas de não deixar o cabeça de lista do PS falar. Os socialistas que conseguiram apenas menos 474 votos que a lista vencedora, entende que cabe ao partido “mais votado, a CDU, encetar negociações que garantam a governabilidade, propondo um executivo que represente a vontade dos eleitores e a proporcionalidade dos votos expressos, ou seja, para manter a maioria relativa seria 2, CDU + 2, PS + 1, Palmela Mais [coligação PSD/CDS]. Qualquer outra composição deverá ser o resultado de negociações entre todos os partidos/coligações”, responde Raúl Cristóvão, responsável do PS local.
O socialista diz ainda que “o PS desde a primeira hora mostrou abertura ao diálogo que envolvesse todas as forças políticas eleitas, propondo um membro no executivo e um membro na mesa da assembleia de freguesia, deixando margem para que a coligação PSD/CDS também pudesse estar representada, posição que mantém”.
Perante a “forma autocrática e ferida de legalidade com que o Presidente eleito tem conduzido as reuniões, onde só ele tem exercido o direito à palavra, afirmando e proclamando inverdades, impõe-se a pergunta – o que quer esconder a CDU e o Presidente eleito?”, questiona Raúl Cristóvão.  
Apesar de posições divergentes o líder socialista também defende “uma negociação séria, transparente, sem pressões ou coações a eleitos, com a presença de representantes das forças políticas eleitas, a bem de Palmela e dos Palmelenses”, conclui Raúl Cristóvão. 

CDS defende novas eleições
“O Partido Comunista não está disposto a entrar num acordo e em última instância tem que haver eleições antecipadas”, defende Francisco Piteira. O presidente da concelhia do CDS-PP considera que, na última reunião, “houve várias ilegalidades”, porque a CDU “apresentou sempre a mesma lista, sem proceder às devidas alterações, previstas na lei”, o que levou a que esta fosse recusada pela oposição sucessivas vezes.
Francisco Piteira considera que a freguesia se “encontra numa anarquia”, em que existe “um défice claro de negociação por parte da CDU, que ambiciona ter o poder absoluto”.

PSD lembra que CDU perdeu maioria e precisa de dialogar
Carlos Vitorino, líder dos social-democratas do concelho de Palmela, também acha esta situação “preocupante” e lembra que a CDU “agiu contra a lei, ao não permitir que os outros partidos tivessem a palavra”.
O PSD Palmela não pode aceitar esta posição do PCP, que, quando tem maioria absoluta diz que é a expressão da vontade popular e faz o que entende, mas, quando perde essa maioria absoluta, acha-se no direito de se comportar da mesma maneira”, diz um comunicado do PSD que deixa claro que democracia é respeitar a vontade do povo, e a vontade do povo foi no sentido de retirar a maioria ao PCP”, refere a concelhia laranja.
Esperam os social-democratas [obtiveram 13,9 por cento nas últimas eleições] que o PCP reveja a sua posição e adopte uma postura verdadeiramente democrática na próxima sessão, pondo de parte atitudes de intolerância e prepotência a que assistimos”.
Tal como todos os partidos, a coligação Palmela Mais também abre a porta para “reatar  uma negociação séria e abrangente”.  Mas avisa Carlos Vitorino, “não cederá a pressões, não tem medo e está preparado para qualquer cenário político, defendendo intransigentemente os cidadãos de Palmela”.
As eleições foram há um mês. Ainda ninguém se entende por Palmela.


[ + ]

Barcos do Montijo voltam ao Terreiro do Paço

Novo terminal de Lisboa junta embarcações do  Barreiro e Montijo  

O novo terminal do Terreiro do Paço foi melhorado, uma medida integrada nas obras do interface avaliadas em 39,5 milhões de euros. A melhoria permitiu que, desde o ultimo sábado, sete anos depois, os barcos vindos do Montijo voltem a fazer terminal no Terreiro do Paço e não no Cais do Sodré. Uma semana depois, começa uma semana de greves de trabalhadores da Transtejo.

Barcos do Montijo regressam ao Terreiro do Paço, sete anos depois 

A ligação do Montijo com Lisboa voltou a ser feita pelo terminal do Terreiro do Paço desde o passado sábado, 26 de Outubro. A alteração foi possível depois de obras globais de 39,5 milhões de euros para a construção e melhoramento do novo interface do Terreiro do Paço.
Desde Outubro de 2006, há sete anos, os barcos da Transtejo fazem as viagens em direcção, e a partir, do Montijo desde o Cais do Sodré. O desvio foi feito, na altura, para a realização do projecto de construção do interface do Terreiro do Paço, de acordo com um comunicado da empresa.
“Após a realização de obras de melhoramento, o Terminal do Terreiro do Paço está preparado para responder de forma mais eficaz às necessidades de acessibilidade entre as duas margens”, indica a Transtejo, assegurando que a ligação fluvial mantém os horários, o preço e a duração das viagens.
A obra do interface do Terreiro do Paço, “que engloba as obras marítimas e o novo terminal”, foi de 39,5 milhões de euros, segundo indica o Metro de Lisboa, responsável pela obra. O terminal fluvial tem ligação à estação do metropolitano e está próximo de paragens de eléctricos a autocarros da Carris.

Carreira com cinco mil pessoas/dia
O novo Terminal do Terreiro do Paço abriu em Setembro de 2011, com a exploração da ligação fluvial ao Barreiro, mas só agora, “com a conclusão da terceira sala de embarque (e respectivos acessos ao terceiro pontão), se concretizaram as condições operacionais para exploração de uma segunda ligação fluvial”.
De acordo com a Transtejo, a ligação do Montijo a Lisboa é usada diariamente por cerca de cinco mil passageiros, que, desde o dia 26, “passam a beneficiar de um novo e importante interface”. Do Cais do Sodré, continua a partir quem se dirige para Cacilhas (Almada) e Seixal.
Para os passageiros a mudança é oportuna. Clara Alves, que trabalha no Ministério das Finanças, tem agora “a vida mais facilitada”. De acordo com a passageira, “andei sete anos a vir uma hora mais cedo para poupar em viagens de Metro. Agora saio mesmo no sítio onde trabalho o que garante melhor qualidade de vida”.
O mesmo diz Alfredo Batista que há doze anos trabalha num café da baixa. “Ficamos mais perto e é sempre um alívio para nós”, disse o passageiro do Montijo. Já Idalina Gomes não gosta da mudança. “Trabalho o Cais do Sodré o que significa agora ter de gastar mais dinheiro para me deslocar para o meu local de trabalho”.
O novo terminal das viagens para o Montijo passa a ser o Terreiro do Paço exactamente uma semana antes do arranque de uma jornada de paralisações dos trabalhadores da Transtejo e da Soflusa. Entre 2 e 9 de Novembro, os funcionários das empresas de transporte fluvial vão protestar contra as medidas inscritas no Orçamento do Estado, parando três horas por turno (seis horas por dia).

Agência de Notícias

Outras Notícias do dia em destaque
Previsões Semanais por Margarida Fernandes 
Tribunal da Moita pode perder valências 
Alcácer prepara Caminhada do Magusto 
Recepção à Comunidade Escolar no Barreiro 
Operação da GNR prende seis em Sesimbra e Palmela 
Alunos experimentam ser autarcas em Setúbal 
Histórias do Mundo: Gato regressa a casa um ano depois 
Feira do Chocolate regressa a Grândola em Novembro 
Junta de Freguesia de Palmela "sem governo" 
Quinta Feira Louca no Freeoport Alcochete 

Fotoreportagens em destaque 
Esperanças perdidas na Cisjordânia por Cédric Gerbehaye
ADN Moda - Mara Martins por João Marreiros 

Vídeo em destaque: 
ADN Moda: Mara Martins por Paulo Jorge Oliveira  

[ + ]

Histórias do Mundo: Gato regressa a casa um ano depois

Gato perdido reaparece após um ano a 724km de casa


Um gato que desapareceu da casa dos donos, em Londres, capital inglesa, em Outubro do ano passado, foi recentemente encontrado na Escócia a 724 quilómetros de casa. Pablo, de nove anos, vai agora regressar a Inglaterra e ao seu antigo lar graças ao "microchip" que permitiu a sua identificação numa clínica veterinária escocesa.
  
Pablo regressa a Londres um ano depois

De acordo com o Daily Mail, o animal chamou a atenção depois de ter entrado numa dependência bancária na localidade de Rosyth, na Escócia, para fazer uma sesta numa das poltronas à disposição. Os responsáveis decidiram entregá-lo a uma instituição de proteção de gatos, a Cats Protection UK, e os veterinários acabaram por descobrir que o felino tinha feito uma longa viagem.
"Ele andava há vários dias a pernoitar no banco, depois de ter aprendido a abrir as portas automáticas. O pessoal de lá veio trazê-lo e eu vi que tinha um 'microchip'. Quando vi que a morada e o número de telefone eram de Londres, pensei que talvez os donos se tivessem mudado, mas quando lhes liguei descobri que continuavam a morar em Inglaterra", contou Doreen King, da clínica que identificou o animal, ao Daily Mail. 
"Os donos pensavam que ele estava morto. Pelo telefone, perguntei-lhe [à dona] se tinha um gato cinzento riscado chamado Pablo e que ele estava comigo. Ela perguntou-nos de onde estávamos a ligar e só a ouvi gritar para o marido e a dizer: 'encontraram o Pablo e ele está na Escócia", recordou King.
 De acordo com a escocesa, o animal deve ter saltado para uma camião, o que explica o facto de ter reaparecido a tão grande distância. Porém, e para alegria dos donos, manteve-se de boa saúde. "Ele estava em muito boas condições e é muito simpático e amigável. Acho que alguém terá tomado conta dele", concluiu a responsável.
 
Pablo regressa a Londres
Para a dona, Kate Partridge, de 59 anos, e o resto da família, a notícia trouxe enorme alegria. "No dia antes de ter recebido a chamada estava a pensar para comigo mesma que já tinha passado quase um ano desde que ele tinha desaparecido. Na sexta-feira telefonaram-me de uma clínica a dizer que ele tinha sido entregue", recordou, incrédula.
"Estamos radiantes com a possibilidade de o ter de volta, embora saibamos que vai ser difícil mantê-lo dentro de casa", confessou a mulher, que adotou Pablo há cerca de oito anos depois de este ser ter tornado presença frequente nas imediações de sua casa em busca de comida.
 A equipa da Cats Protection está agora a trabalhar para encontrar uma forma de fazer com que o gato regresse a casa e a planear um voo que o leve de volta da Escócia até Inglaterra.


[ + ]

Alunos experimentam ser autarcas em Setúbal

Alunos da Azeda foram autarcas por um dia 


Alunos da EB1/JI Azeda ficaram a conhecer no dia 24, de manhã, ao pormenor, os Paços do Concelho da Câmara Municipal de Setúbal, durante uma visita do projeto educativo “Faz de conta que somos autarcas”. Os autarcas foram explicando tudo o que sabiam mas... não conseguiram explicar porque se chama "câmara municipal" à entidade que gere os destinos do concelho. 

Alunos da Escola da Azeda estiveram na câmara de Setúbal 

O edifício e os vários serviços autárquicos a funcionar nos Paços do Concelho deixaram de ser segredo para os 19 alunos de uma turma do quarto ano da escola da Azeda, que aprenderam, por exemplo, para que serve a secção de contabilidade ou como funciona o atendimento ao público.
A Sala de Sessões, o Salão Nobre e o gabinete da presidente Maria das Dores Meira arrancaram, porém, os maiores suspiros de admiração do grupo visitante.
“Que grande!”, soltou a pequena Inês Pereira ao dar os primeiros passos na Sala de Sessões, onde a turma teve oportunidade de simular uma reunião da Assembleia Municipal.
Já no Salão Nobre dos Paços do Concelho a lição centrou-se mais na história do concelho, com todos os olhos e ouvidos centrados no Tríptico dos Ilustres Setubalenses, composição de três quadros da autoria de Luciano dos Santos onde estão representadas grandes figuras nascidas em Setúbal ou que fizeram da cidade a terra de adoção.

Porque se chama “câmara municipal”?  

A visita, organizada pela Câmara Municipal, no contexto da oferta educativa do Museu do Trabalho Michel Giacometti, e realizada pelo estabelecimento de ensino da Azeda no âmbito da oferta complementar do Agrupamento Vertical de Escola de Aranguez de “Educação para a Cidadania”, terminou com uma pequena sessão de esclarecimento de dúvidas.
Muitas das perguntas foram esclarecidas, como o porquê de não poder haver dois presidentes de câmara, mas outras ficaram com os pontos de interrogação em suspenso, devido à dificuldade em se explicar, por exemplo, porque se chama “câmara municipal” à entidade que gere os destinos do concelho.

Agência de Notícias

Outras Notícias do dia em destaque
Previsões Semanais por Margarida Fernandes 
Tribunal da Moita pode perder valências 
Alcácer prepara Caminhada do Magusto 
Recepção à Comunidade Escolar no Barreiro 
Operação da GNR prende seis em Sesimbra e Palmela 
Histórias do Mundo: Gato regressa a casa um ano depois 
Barcos do Montijo regressaram ao Terreiro do Paço 
Feira do Chocolate regressa a Grândola em Novembro 
Junta de Freguesia de Palmela "sem governo" 
Quinta Feira Louca no Freeoport Alcochete 

Fotoreportagens em destaque 
Esperanças perdidas na Cisjordânia por Cédric Gerbehaye
ADN Moda - Mara Martins por João Marreiros 

Vídeo em destaque: 
ADN Moda: Mara Martins por Paulo Jorge Oliveira  
[ + ]

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010