Dá um Gosto ao ADN

Assaltantes perigosos apanhados no Seixal

Pomba e Galinha foram presos ontem pela GNR  das Caldas da Rainha e PSP do Seixal

Dois homens, de 23 e 33 anos, suspeitos de terem encostado uma faca ao pescoço da funcionária de uma loja de compra de ouro no Bombarral, ameaçando-a de morte, foram detidos ontem no Seixal. Conhecidos por ‘Pomba’ e ‘Galinha’, foram caçados pelo Núcleo de Investigação Criminal da GNR das Caldas da Rainha, com a colaboração das forças especiais da PSP.

PSP apanhou assaltantes no Seixal 

As duas operações ocorreram ao mesmo tempo nos bairros Quinta da Princesa e Santa Marta do Pinhal, ambos no concelho do Seixal. Para levar a cabo as detenções, a GNR mobilizou 15 militares do Núcleo de Investigação Criminal e cinco viaturas. Já a PSP disponibilizou dez equipas com cerca de 50 homens do Grupo de Operações Especiais, Corpo de Intervenção, Grupo Operacional Cinotécnico, Grupo de Intervenção Rápida e Divisão de Investigação Criminal.
Apesar do aparato criado, a operação decorreu de forma rápida e tranquila – demorou menos de uma hora. De acordo com os moradores da Quinta da Princesa, "foi tudo tranquilo. Eles entraram no prédio, arrombaram uma porta e vasculharam tudo", contou um vizinho, que não quis ser identificado. 

No passado dia 9, em conjunto com outro homem, de 32 anos, os dois detidos terão assaltado a loja de compra de ouro. A funcionária foi agredida e ameaçada de morte com uma faca. Levaram 200 euros, dois computadores e um telemóvel. 
O cúmplice foi apanhado no dia seguinte na Amora, também no concelho do Seixal. Foi intercetado ao volante do carro que terá sido utilizado no assalto e tinha na sua posse a arma do crime e cerca de 100 euros. Ficou em liberdade.
‘Pomba’ e ‘Galinha’ foram hoje presentes no Tribunal do Bombarral para aplicação das medidas de coação.


Agência de Notícias 
[ + ]

PSD/CDS quer Centro de Saúde para o Pinhal Novo

Candidato à Câmara quer situação resolvida rapidamente 

O candidato da coligação PSD/CDS-PP à Câmara de Palmela, Paulo Ribeiro, defende a construção de um novo Centro de Saúde no Pinhal Novo, bem como o reforço de médicos para as unidades de saúde já existentes na freguesia. 

Paulo Ribeiro, ao centro, defende construção de Centro de Saúde

Paulo Ribeiro considera que a freguesia do Pinhal Novo necessita da construção de uma Unidade de Saúde Familiar, para dar uma resposta mais integrada às necessidades da população.
Na sequência de uma reunião com o director executivo do Agrupamento de Centros de Saúde Arrábida, que gere as unidades de saúde do concelho de Palmela, o candidato à autarquia de Palmela sublinha que a construção de uma nova unidade de saúde iria “alterar significativamente o retrato da freguesia ao nível da saúde”.
“A situação da unidade de saúde da Guerra Junqueiro tem que ser resolvida, dando melhores condições aos utentes e aos profissionais de saúde”, defende.

“Situação já foi muito pior”
Paulo Ribeiro realça que a situação “já foi bem pior” ao nível dos utentes sem médico de família, e que o actual Governo tem tomado medidas no sentido de que haja a maior cobertura possível.
“Apesar de actualmente realidade ser outra, em que na freguesia do Pinhal Novo já houve um aumento de utentes com médico de família, é necessário um reforço de profissionais de saúde, com o objectivo de dar cobertura a todos os utentes”, explica.
O candidato do PSD/CDS-PP espera que brevemente possam haver mais informações sobre a possibilidade da construção de um novo Centro de Saúde e de um reforço de médicos para a freguesia do Pinhal Novo.

Agência de Notícias 
[ + ]

Trabalho irregular nas praias da Fonte da Telha e Caparica

Autoridade para as Condições de Trabalho detecta trabalho irregular nas praias

A Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) anunciou hoje a deteção de dez trabalhadores não declarados e dez casos de trabalho dissimulado com falsos recibos verdes, numa operação de fiscalização na Fonte da Telha e Costa da Caparica.

Autoridades fiscalizam comercio na Costa e Fonte da Telha 


Depois de terem fiscalizado 20 estabelecimentos comerciais em Setúbal e detetado 41 trabalhadores ilegais, os fiscais da ACT visitaram ontem o concelho de Almada. Segundo revelou o inspetor-geral da ACT, Pedro Brás, na operação de fiscalização conjunta realizada na segunda-feira, com inspetores da ASAE - Autoridade de Segurança Alimentar e Económica e a Polícia Marítima, foram ainda efetuadas sete notificações para tomada de medidas por parte das empresas fiscalizadas e levantados dois autos de advertência e 19 autos de notícia.
"Fazemos frequentemente este tipo de ações conjuntas na área de jurisdição da Polícia Marítima", disse à Lusa Pedro Brás, adiantando que foram inspecionados vários estabelecimentos de restauração junto às praias da Fonte da Telha e da Caparica.
O inspetor-geral da ACT afirmou, ainda, que tem sido detetado "um elevado grau de incumprimento em estabelecimentos de restauração junto às praias, que funcionam apenas quatro meses por ano".
"Os operadores não podem desconhecer as obrigações legais. É lamentável que este tipo de ações junto às praias revele um grau de incumprimento que, na minha opinião, é assustador", acrescentou Pedro Brás, lembrando que estes casos se traduzem numa "concorrência desleal" com os estabelecimentos que cumprem a legislação.
Pedro Brás salientou, ainda, que além da regularização das relações de trabalho, os operadores estão sujeitos a coimas que são tanto mais elevadas quanto maior for a faturação do estabelecimento.



Agência de Notícias 
[ + ]

Freguesia de São Simão comemora 443 anos

“Há festa em Vendas de Azeitão” 

Os 443 anos da freguesia de São Simão são assinalados entre 2 e 4 de Agosto, em Vendas de Azeitão, com um programa festivo que inclui atuações musicais variadas, gastronomia e artesanato da região.

Freguesia de São Simão comemora 443 anos em Agosto 

O certame, a funcionar num recinto instalado no Parque de Vendas de Azeitão, tem a abertura oficial no dia 2 de Agosto, às 21h30, com uma cerimónia de hastear de bandeira, momento acompanhado pela fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Setúbal.
Mais tarde, às 22 horas, é inaugurada no Salão da Cooperativa de Habitação Económica Bairro dos Trabalhadores uma exposição de fotografia preparada pela Universidade Sénior de Azeitão. Às 22h15, abre a Feira de Artesanato, a funcionar ao longo dos três dias no certame.

A animação musical está também garantida na primeira noite de festejos, num festival de acordeonistas com a participação especial de Tino Costa, às 22h30, e um baile dinamizado por Gina Reis, à meia-noite.
No dia 3, o programa de festejos inclui, logo às 15 horas, a abertura da Feira de Garagem, seguindo-se, às 18h00, uma atuação das Batuqueiras de Coração Aberto. A partir das 19 horas, há exibições desportivas de step e hip hop.
À noite, com início às 21h30, realiza-se uma atuação da orquestra ligeira da Sociedade Filarmónica Providência, seguindo-se, às 22h30, um concerto com o grupo de guitarras do Grupo Musical Desportivo União e Progresso.
O programa continua com um espetáculo a cargo do grupo 4Sixties, às 23 horas, com o programa festivo de dia 3 a encerrar com uma Dancing Night, a partir das 00h30, que inclui ritmos dos anos 60, 70 e 80.
O último dia da festa de celebração dos 443 anos da freguesia de São Simão começa logo pela manhã, às 11h00, com a exibição da peça de teatro infantil “A Carochinha e a Saúde, Higiene e Alimentação”, dinamizada pelo Grupo Família Jeca.
Os festejos culminam com uma Noite de Sevilhanas, às 21h30, com a participação do grupo Mais Flamenco, e um espetáculo de fados, às 23, com artistas da Freguesia de São Simão.
Os festejos comemorativos dos 443 anos da freguesia de São Simão, organizados pela Junta de Freguesia, com o apoio da Câmara Municipal de Setúbal e de coletividades locais, inclui ainda tasquinhas, uma feira do livro e uma área de insufláveis para as crianças, atividades que funcionam em pleno a partir das sete da tarde.


Agência de Notícias 
[ + ]

Montijo expõe obra de Roberto Santandreu

“Da Beleza” por Roberto Santandreu na Galeria Municipal de Montijo

Já visitou a exposição “Da Beleza” do fotógrafo Roberto Santandreu, patente na Galeria Municipal do Montijo? Ainda não? Então pode fazê-lo até ao dia 3 de Agosto.

Roberto Santandreu expõe no Montijo até 3 de Agosto 
Nesta mostra, partindo do pimento como objeto fotográfico, Roberto Santandreu oferece-nos uma reflexão sobre a beleza, “base de toda a teoria da Estética e da Filosofia das Artes, para que possamos entender, se é que é possível, o que nos ocorre quando por ela somos tocados ou perturbados”, afirma o artista.
A exposição é, também, uma homenagem de Santandreu ao fotógrafo americano Edward Weston: “nos anos de 1930, Weston fotografou um pimento que viria a integrar uma série sobre a mesma temática. Sempre me interroguei o que teria levado o mestre a fotografar uma coisa tão banal como um pimento. Fotografou-o de uma forma admirável! E creio entender a motivação que o levou a tal ato, pois via mais além e provavelmente fazia uma analogia com outras formas, especificamente com as do corpo humano”, acrescenta.
Roberto Santandreu nasceu em Milão, em 1948. De nacionalidade chilena, desde o início da sua juventude que manifestou interesse pela arte da fotografia. Trabalhou como assistente do fotógrafo chileno Tito Vásquez. Em 1973, deixou o seu país. Trabalhou em Oslo e em Londres. Em 1975, fixou a sua residência em Lisboa, onde reside atualmente.
Ao longo dos anos tem realizado inúmeras exposições individuais e coletivas. A sua obra está representada em diversas coleções públicas e privadas.
Visite a mostra “Da Beleza” até 3 de agosto, das 9 às 12h30 e das 14 às 17h30.

Agência de Notícias

[ + ]

Assalto “milionário” em Pinhal Novo... rende nada

GNR procura assaltantes de supermercado que fugiram de Porsche
A GNR informou esta terça-feira que está a tentar localizar três indivíduos que assaltaram na segunda-feira um supermercado, no Pinhal Novo, sob ameaça de extintores, e que fugiram numa viatura Porsche, a qual tinha sido roubado em Setúbal. O assalto aconteceu ontem de manhã, os ladrões roubaram “uma quantia elevada” do Modelo e colocam-se em fuga. Em Setúbal, GNR e PSP ainda tentam apanhar o trio em fuga que se despista no Porsche, deixa o dinheiro para trás e fogem cidade dentro. São procurados...  

GNR procura assaltantes do Modelo de Pinhal Novo 

“Estamos a fazer as investigações necessárias para localizar e deter os suspeitos”, disse à agência Lusa fonte da GNR.
Cerca das 10 da manhã de segunda-feira, os três encapuzados ameaçaram os funcionários do supermercado Modelo, em Pinhal Novo, com extintores, furtaram uma quantia de dinheiro não revelada, após o que se puseram em fuga na viatura roubada duas horas antes em Setúbal.

Segundo revelou a GNR, a viatura dos assaltantes, que seguiu pela EN252 e depois pela A2 em direção a Setúbal, foi perseguida por uma viatura da GNR do Pinhal Novo”, que entretanto não pode competir em velocidade com o veículo desportivo.
Em Setúbal, no Alto da Guerra, o Porsche foi interceptado por elementos à civil da GNR de Montijo em colaboração com a PSP de Setúbal. O carro terá se despistado e os ocupantes fugiram a pé, deixando tudo para trás: Carro e dinheiro. As autoridades ainda os perseguiram sem, no entanto, os apanharem.
“A viatura roubada viria a ser intercetada por uma viatura descaracterizada das brigadas de investigação criminal, já em Setúbal, mas os suspeitos abandonaram o veículo e puseram-se em fuga apeada”, acrescentou a GNR.
O Porsche já foi devolvido ao dono [um empresário de Setúbal]. No entanto, a viatura está parcialmente destruída em resultado do despiste dos assaltantes.

Assalto ao pormenor
O assaltado teve um resultado líquido de “milhares de euros”, segundo algumas fontes. O que demonstra conhecimento e cuidado na preparação do assalto por parte dos assaltantes. Conseguiram apoderar-se do dinheiro do cofre sem recurso a armas e efectuaram o assalto quando estava muito dinheiro guardado. O dinheiro guardado no cofre era a receita do hipermercado de todo o fim-de-semana e numa altura forte de compras. O assalto ocorreu poucos minutos após a abertura, uma hora “morta” que facilitou a operação dos assaltantes. O hipermercado do Pinhal Novo não interrompeu a abertura ao público.
No entanto, apesar da perícia do roubo, os assaltantes perderam tudo! De acordo com o Núcleo de Investigação Criminal da GNR, a quem foi entregue o caso, foi possível recuperar o dinheiro roubado, que se encontrava ainda no interior da viatura e estão a decorrer diversas diligências para identificar e deter os três assaltantes, notícia a Lusa.


Agência de Notícias 
[ + ]

Autoridade para as Condições de Trabalho fiscalizou Setúbal

Trabalhadores em situação irregular em restaurantes de Setúbal

A ação, que decorreu na quinta-feira na baixa ribeirinha da cidade de Setúbal, abrangeu 20 estabelecimentos, tendo sido identificados 83 trabalhadores. A visita teve como objetivo principal detetar situações de trabalho não declarado ou irregular, controlar a organização dos tempos de trabalho, bem como verificar as condições de segurança e saúde no trabalho.

Trabalhadores irregulares em Setúbal alvo de inspecção 

A Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) revelou ter realizado inspeções no setor da restauração em Setúbal, detetando cerca de 30 por cento dos trabalhadores identificados em situação irregular.
A ação, que decorreu na quinta-feira na baixa ribeirinha da cidade de Setúbal, abrangeu 20 estabelecimentos, tendo sido identificados 83 trabalhadores.
"Os resultados obtidos demonstram que o setor da restauração continua desregulado, com cerca de 30 por cento dos trabalhadores identificados em situação irregular", refere a ACT, em comunicado divulgado na sexta-feira que o ADN teve acesso.
Segundo a ACT, 26 trabalhadores não se encontravam declarados à administração fiscal e à segurança social, estando dois deles a receber subsídio de desemprego.
"Foram detetadas 25 infrações em matéria sócio laboral, que serão objeto de autos de notícia, e foram verificadas 41 irregularidades em matéria de segurança e saúde, as quais foram objeto de notificação para regularização", acrescentou o organismo.
Nos próximos dias será efetuada a verificação da documentação solicitada, passando os empregadores a ser acompanhados, no sentido da sua adequação à lei.

Agência de Notícias 
[ + ]

Alhos Vedros sem serviço de saúde ao fim de semana

Falhas no sistema de informação ditam transferência de serviço de saúde

O atendimento complementar de fim de semana na Unidade de Saúde de Alhos Vedros, na Moita, encerrou devido a "graves problemas dos sistemas de informação", tendo sido transferido para a unidade da Baixa da Banheira. Os deputados do PCP já criticaram o fecho desta unidade. 

Alhos Vedros perde atendimento  ao fim-de-semana 

Segundo disse à agência Lusa fonte oficial da Administração Regional de Saúde, o atendimento complementar de fim de semana funcionava nas instalações de Alhos Vedros por ser a unidade "mais central em termos geográficos" do concelho da Moita.
"Esta unidade de saúde tem sofrido graves problemas ao nível do funcionamento dos sistemas de informação que se têm agudizado e têm impedido o seu regular funcionamento pelo que, até à resolução dos mesmos, se torna necessário a transferência do atendimento complementar de fim de semana para outra unidade", refere fonte da ARS-LVT.
Segundo a mesma fonte, foi escolhida a Unidade da Baixa da Banheira, que já está a funcionar, pela proximidade com as instalações de Alhos Vedros e com o Hospital do Barreiro.
"O atendimento complementar de fim de semana serve todas as unidades do concelho da Moita num total de 67.376 utilizadores", acrescentou.

Comunistas criticam fecho
Os deputados do PCP criticaram esta semana o encerramento do atendimento complementar de Alhos Vedras e defendem que a Unidade de Saúde da Baixa da Banheira tem instalações "bastante degradadas e desadequadas para a prestação de cuidados de saúde".
"Os utentes do concelho da Moita concentram-se neste período no Centro de Saúde da Baixa da Banheira, podendo resultar na incapacidade de resposta, sobretudo atendendo às limitações existentes", referem dos deputados eleitos por Setúbal.

Agência de Notícias 

[ + ]

Recolha do lixo “pode estar” em risco em Setúbal

Câmara deve cinco milhões a empresa de recolha de lixo 

De acordo com uma investigação do jornal Correio da Manhã, as dívidas da Câmara de Setúbal à empresa de prestação de serviços de recolha de resíduos sólidos e urbanos pode colocar em causa a limpeza da cidade de Setúbal. A dívida da autarquia à EGEO tem três anos e ascende a mais de cinco milhões de euros. Em comunicado, a Câmara de Setúbal afirma que, ao contrário do que afirma o jornal, não existe qualquer risco de haver uma quebra na prestação dos serviços de higiene e limpeza no concelho, em especial no que diz respeito à recolha de lixo.

Município de Setúbal deve cinco milhões a empresa de recolha de lixo

De acordo com o Correio da Manhã, o contencioso entre a autarquia e a empresa arrasta-se há três anos. A EGEO (empresa contratada pela autarquia) avançou para Tribunal para cobrança do valor de faturas já vencidas. Chegou a haver acordo para pagamento das dívidas em atraso, em várias tranches. Foram pagos apenas 800 mil euros.
As duas partes voltaram a contencioso em 2012, após várias tentativas de resolução do litígio, mas a Câmara de Setúbal continua por liquidar um valor que ascende atualmente a 5,6 milhões de euros.
As dívidas da autarquia podem comprometer, a qualquer momento, os serviços de recolha de resíduos sólidos e urbanos da cidade, bem como a limpeza das ruas. A empresa ameaça, a manter-se o incumprimento, suspender os serviços.
A EGEO,  para já, não cometa o assunto.
Os vereadores da oposição acusam a autarquia de irresponsabilidade. O candidato do PSD à Câmara de Setúbal, Luís Rodrigues, fala em "dívidas astronómicas" e acusa a atual presidente, Maria das Dores Meira, de má gestão.

Recolha não “está em risco” diz a Câmara
A Câmara Municipal de Setúbal, perante a notícia clarifica em comunicado que, “ao contrário do que afirma o jornal, não existe qualquer risco de haver uma quebra na prestação dos serviços de higiene e limpeza no concelho, em especial no que diz respeito à recolha de lixo”.
Fonte da Câmara de Setúbal diz ainda que “caso venha a ser necessário, encontrará as soluções adequadas para fazer a recolha de lixo nas limitadas zonas do concelho onde este serviço é ainda prestado por uma empresa privada”.
De acordo com a autarquia, “a EGEO tem a responsabilidade de fazer a recolha de lixo em dois dos dez circuitos que compõem o sistema de recolha de resíduos sólidos urbanos do concelho de Setúbal”.
Ainda segundo o comunicado, “neste momento decorre os seus trâmites processuais a ação interposta em tribunal pela EGEO para recuperação de créditos em dívida pela Câmara Municipal de Setúbal, ação sobre a qual entendemos que não nos devemos pronunciar”.
A Autarquia está a fazer todos os esforços possíveis, no contexto das dificuldades agravadas que se sentem em todo o país, para saldar as suas dívidas com esta empresa, o que é, aliás, comprovado por vários acordos já feitos com a EGEO”, esclarece fonte do município sadino.

Agência de Notícias 
[ + ]

Surfistas contra terminal de contentores na Trafaria

Autarca quer explicações de novos ministros sobre contentores

A presidente da Câmara de Almada desafiou hoje os ministros do Ambiente e da Economia a dizerem o que pensam sobre o projeto de construção de um terminal de Contentores da Trafaria. Durante o protesto organizado pela `Associação Contentores na Trafaria Não´, centenas de surfistas, bodyboarders e windsurfistas formaram um círculo nas águas das praias do CDS e de São João, na Caparica.

Surfistas querem contentores longe da Trafaria 

"Eu gostava de saber o que o ministro do Ambiente, Moreira da Silva, tem para nos dizer. Queremos saber se corrobora, se está de acordo com este crime ambiental de lesa-pátria", disse Maria Emília de Sousa durante um protesto que juntou centenas de surfistas nas praias da Caparica.
"Também quero saber o que pensa o ministro da Economia, Pires de Lima, relativamente a esta questão", acrescentou Maria Emília de Sousa, assegurando que o primeiro-ministro nunca esclareceu se se tratava de um projeto dos anteriores ministros da Economia e do Mar ou de um projeto assumido pelo Governo.
A presidente da Câmara de Almada, que falava aos jornalistas durante uma ação de protesto promovida pela `Associação Contentores na Trafaria Não´, afirmou que a construção daquela infraestrutura portuária, "além de destruir o plano de água, destrói também o plano de terra, toda a história, o futuro daquela gente".
Maria Emília de Sousa criticou também a construção de uma ferrovia de mercadorias que vai servir a nova infraestrutura portuária e que atravessa a arriba fóssil para fazer a ligação à plataforma logística do Poceirão.
"Isto é anacrónico, isto não faz sentido. Isto só pode ter uma justificação. Há aqui um grande negócio", disse a autarca de Almada.

Lisboa, Setúbal e Sines como as melhores alternativas

Durante o protesto organizado pela `Associação Contentores na Trafaria Não´, centenas de surfistas, bodyboarders e windsurfistas formaram um círculo nas águas das praias do CDS e de São João, na Caparica.
"Trata-se de um círculo surfista, de pessoas que praticam surf e bodyboard contra a construção do terminal de contentores de Trafaria, que poderá fazer desaparecer a areia de algumas praias", explicou à Lusa Pedro Dionísio, da organização.
O responsável da `Associação Contentores na Trafaria Não´ lembrou que "os especialistas apontam os portos de Lisboa, Setúbal e Sines como as melhores alternativas à construção do terminal de contentores da Trafaria".

Salvar o surf e as praias 
Para Pedro Bicudo, da `Associação SOS - Salvem o Surf´, que também se juntou ao protesto realizado este sábado, é necessário fazer estudos para avaliar as consequências que a construção do terminal de contentores poderá ter para as praias e para a prática de diversos desportos náuticos.
"Não sabemos de nenhum estudo de impacte ambiental que tenha sido realizado em relação ao terminal de contentores da Trafaria", disse.
"É uma prática corrente no País: quando se fazem obras na costa não se contemplam os impactos ambientais nas praias, no surf. E nós queremos que esse estudo seja feito para sabermos o que vai acontecer", acrescentou Pedro Bicudo.
A construção de um terminal de contentores na Trafaria está prevista no plano de reestruturação do Porto de Lisboa, apresentado pelo Governo em fevereiro, e que contempla, também, a concessão do terminal de cruzeiros e a criação de uma nova marina

Agência de Notícias 






Agência de Notícias
[ + ]

Santiago do Cacém distribuiu medalhas de mérito

Município de Santiago do Cacém entregou 37 condecorações 

Reconhecimento e emoção. Duas palavras que traduzem a noite do dia 24 de Julho no Parque Verde da Quinta do Chafariz em Santiago do Cacém, que registou uma enchente para acompanhar a Cerimónia de Entrega de Condecorações do Município, naquele que foi o ponto alto das comemorações do Dia do Município. A Assembleia e a Câmara Municipal de Santiago do Cacém atribuíram um total de 34 Medalhas de Mérito (sendo uma a título póstumo) e três Medalhas de Honra, num total de 37 condecorações.

Aurea, uma das personalidades medalhadas em Santiago do Cacém  

A cantora Aurea foi uma das agraciadas pela Câmara de Santiago do Cacém com a medalha de honra do município, numa cerimónia que decorreu no Parque Verde da cidade e que juntou mais de uma centena de pessoas.
A voz de ‘Scratch My Back’ nasceu em Santiago do Cacém, mas cedo seguiu o seu percurso pessoal e profissional com o concelho alentejano na memória.
"É um prazer estar na cidade que me viu nascer e esta homenagem deixa-me muito contente, assim como serve de incentivo para continuar a trabalhar”, adiantou a cantora, de 25 anos.  Aurea fechou as comemorações do dia do município num concerto em Vila Nova de Santo André, a 26 de Julho.

“Todos os galardoados marcaram a diferença”
Entre as personalidades agraciadas com a medalha de mérito, outro dos destaques vai para a apresentadora da SIC Vanessa Oliveira, que residiu neste município. Mas houve mais…
Na sua intervenção de abertura, Vitor Proença sublinhou o“significado muito especial” deste ato público solene, “o último enquanto Presidente da Câmara de Santiago do Cacém”, manifestando a convicção de que ”todos os galardoados marcaram a diferença” e que “contribuíram ou contribuem para um concelho mais próspero, justo, fraterno e solidário, onde todos são cada vez mais capazes de realizar o seu potencial e de se elevar a novos horizontes”, manifestando “um profundo e sentido reconhecimento” aos condecorados.
Manuel Amaro Figueira, em representação da Associação de Desenvolvimento do Litoral Alentejano (ADL), considerou a condecoração “um estímulo para o futuro, para continuar o trabalho realizado em prol do desenvolvimento económico e social do Concelho de Santiago do Cacém e do Litoral Alentejano”.
Já Sérgio Pereira Bento, distinguido pelo seu longo percurso como professor e autarca - caracterizado pela competência e retidão - sublinhou o facto da medalha simbolizar o resultado de “um trabalho coletivo”, que o ex-Presidente da Assembleia Municipal de Santiago do Cacém fez questão de “partilhar com a família e com todos os colegas autarcas” que o acompanharam ao longo de quase 30 anos, homenageando mesmo, no seu discurso, alguns autarcas já falecidos.
Durante a noite foram galardoadas personalidades ou entidades dignas de reconhecimento público nas mais diversas áreas: ensino, medicina, desporto, gestão e empreendedorismo, poder local, cultura, comunicação, música, teatro, associativismo, atividade económica, proteção civil e apoio social.
A noite foi abrilhantada por momentos musicais de qualidade, com as participações da Banda da Sociedade Recreativa Filarmónica União Artística, Orquestra da Escola Municipal de Música de Santiago do Cacém, Escola da Guitarra Portuguesa Mestre António Chainho e dos corais Galp Energia e Harmonia, que em conjunto juntaram 60 coralistas em palco e encerraram em beleza uma noite de grande emoção.

- Medalhas de Mérito individuais:
Arménio Lança (título póstumo), Acácio Cortes Cabrita, Ana Filipa Alves Rodrigues dos Santos, António Pereira da Silva, Armando Victor Rodrigues Climas, Armando Francisco Monteiro Pereira, Bruno José Peixoto Gonçalves Pereira, Carlos Alberto Chaves Simões, Carlos Alberto Ferreira de Sousa, David Oliveira Gorgulho, Fernando Manuel Rebelo Malão, Ferrer Olímpio Candeias de Carvalho, Henrique Mateus Vilhena, João Carlos Meneses da Silva, Joaquim António Gonçalves, Joaquim José Susano Rosa Pereira, José António Lourenço Fernandes, José António Mourão de Oliveira Malho, José Luís Assunção, José Manuel Guerreiro Neves, José Raposo Nobre, Luís Martins da Silva, Manuel Ramos Penedo, Paula Alexandra Pereira da Costa Simões, Pedro Miguel Ramos, Rúben Gamito, Samuel Julião, Vanessa Oliveira.

- Medalhas de Mérito coletivas:
Associação de Regantes e Beneficiários de Campilhas e Alto Sado, Coral do Clube Galp Energia, Hotel D. Nuno, Restaurante Chez Daniel, Restaurante Covas, Restaurante O Solar do Canudo e Quinta da Cilha.

Agência de Notícias


[ + ]

Setúbal Center arranca em 2014

Pais do Amaral aposta em mega centro comercial em Setúbal

Grupo de Pais do Amaral investe mais de 100 milhões na construção de dois centros comerciais. Um em Setúbal e outro em Carnaxide. Os futuros espaços comerciais vão ser geridos e comercializados pela Sonae Sierra. O investimento deverá criar cerca de 600 postos de trabalho na Margem Norte do Tejo e outros 200 em Setúbal. Na capital do distrito as obras do Setúbal Center devem começar em 2014. A “concorrência” com a Alegro não desmotiva os donos do novo projeto comercial para a cidade de Setúbal. 

The Edge Group constrói Centro Comercial em Setúbal 

A construção do centro comercial Setúbal Center está prevista para 2014 junto ao acesso de prolongamento da A12 na zona urbana da cidade, onde serão criados 200 postos de trabalho, fruto dum investimento de cerca de 100 milhões de euros pelo The Edge Group e gestão da Sonae Sierra. Tiago Vidal, diretor de comunicação da empresa responsável pela gestão e comercialização do espaço, explica que “este projeto vai ao encontro das necessidades da população e da procura existente no local”. 
De acordo com o responsável do projeto, “durante a construção do Setúbal Center está prevista a criação de mais postos de trabalho indiretos na área da construção civil, limpeza, manutenção e segurança”. A questão dos postos de trabalho na superfície comercial será tratada no futuro, cerca de seis meses antes da inauguração do Setúbal Center, sendo que o processo de contratação pode passar pelos próprios meios da Sonae Sierra ou pela realização de um protocolo com o IEFP. 
Segundo o diretor de comunicação da empresa responsável pela gestão e comercialização do Setúbal Center, “ainda é muito cedo para avançar com detalhes relativos ao processo de contratação”, diz Tiago Vidal.
Tiago Vidal adianta o arranque de um “processo de pré comercialização, com o objetivo de angariar as marcas de maior relevo e importância que sirvam de âncora para o centro comercial”. A concorrência será analisada neste processo, sendo que o novo centro comercial 
Alegro cuja inauguração está prevista para o último trimestre de 2014 entra nas contas da Sonae Sierra. 
Para o responsável, “a concorrência não pode ser vista como negativa mas como complementar ao tipo de serviços prestados pelo centro comercial”, concluiu Tiago Vidal.

 Aposta também em Carnaxide
O The Edge Group, holding de investimentos de Miguel Pais do Amaral e José Luís Pinto Basto, assinou um acordo com a Sonae Sierra para a construção de dois novos espaços comerciais no País. Os 100 milhões incluem ainda um outro projecto em Carnaxide [Forte Center, onde será integrado um hotel e uma torre de escritórios]. O início da construção de ambos os centros está prevista para 2014, mas o processo de pré-comercialização vai iniciar-se já este mês. 
Os dois novos centros comerciais deverão criar cerca de 600 novos postos de trabalho directos: 400 na zona de Carnaxide e 200 na região de Setúbal.

Paulo Jorge Oliveira 
[ + ]

Setúbal apresentou Terminal 7

“Espaço ligado ao rio, que se identifica com as memórias e identidade setubalenses”

A proposta de conceção do Terminal 7, polo de concentração de atividades náuticas e de promoção de iniciativas lúdicas e comerciais a instalar na zona ribeirinha de Setúbal, foi apresentado à população ontem à noite, na Casa da Baía, em Setúbal.

Autarca explicou projeto do Terminal 7, em Setúbal 

O futuro equipamento, que se pretende afirmar como o elemento primordial de união entre a Serra da Arrábida, o rio Sado e a cidade de Setúbal, constitui a última fase de uma intervenção de reabilitação global que a autarquia sadina está a realizar na zona poente da frente ribeirinha.
“Este será um edifício de referência para a cidade, marcante para as gerações vindouras”, destacou a presidente da Autarquia, Maria das Dores Meira, na cerimónia de apresentação pública da proposta do projeto de conceção do Terminal 7, elaborado pela Sami Arquitectos.
“Queremos que este seja, por excelência, um espaço ligado ao rio, que se identifique com as memórias e identidade setubalenses”, afirmou a autarca, adiantando que as antigas instalações navais daquele local “estão a ser progressivamente desativadas” e que “os trabalhos de demolição devem começar nas próximas semanas”.

Centro de apoio e logístico
Duas lajes edificadas em betão armado estão na base da construção proposta para o edifício, com linhas simples e cosmopolitas, que pretende aproveitar “o máximo de visualização do cenário paisagístico envolvente” através do janelas em vidro, explicou a arquiteta setubalense Inês Vieira da Silva, da equipa de elaboração do projeto.
A plataforma marítima construída na década de 30 foi o ponto de partida para a elaboração da proposta do Terminal 7 que, esclareceu Inês Vieira da Silva, constitui “um ponto de confluência entre a serra, a poente, a cidade antiga, a norte, o rio, a sul, e infraestruturas marítimas e ferroviárias, a nascente”.
A proposta de ocupação para o Terminal 7 inclui a criação de uma ampla zona de estadia e recreio, projetada para iniciativas diversas, numa ponte entre a Praia da Saúde e o Parque Urbano de Albarquel, não quebrando a ligação entre os utilizadores e o corredor ribeirinho.
Um centro de apoio para atividades náuticas que englobe ações de formação, uma componente de mergulho que aproveite as potencialidades subaquáticas da orla marítima setubalense, um espaço para exposições polivalente e um centro interpretativo e didático integram, igualmente, o futuro equipamento.
Zonas de restauração, com um restaurante no primeiro andar e um café no piso térreo, um espaço comercial, balneários, áreas técnicas e administrativas fazem também parte do Terminal 7, projeto que contempla a reabilitação do pontão ali existente, no qual será criado uma área de passeio e de estadia.
“Vamos criar o equipamento numa zona devolvida à população. É uma responsabilidade acrescida pois queremos que o edifício integre o passeio ribeirinho e que seja, ele próprio, um espaço público que reforço a vivência urbana desta zona de Setúbal”, disse a arquiteta.
Já a escolha da designação do edifício foi esclarecida pelo arquiteto Miguel Vieira, igualmente da mesma equipa projetista. Além da remissão para o nome do concelho, este equipamento será o sétimo terminal público a ser criado na cidade.

Projeto à procura de dinheiro comunitário
Autarquia procura financiamento para o projeto Terminal 7
As intervenções lideradas pela Câmara na reabilitação da frente ribeirinha, dinamizadas com o intuito de aproximar a cidade ao rio, já permitiram devolver uma parte daquela área de excelência de Setúbal aos setubalenses e visitantes, nomeadamente com a reconversão da área da Praia da Saúde.
Naquele local, totalmente reabilitado em 2012, há agora um moderno corredor ribeirinho, com zonas de estadia e recreio, um quiosque, uma ciclovia, novos lugares de estacionamento e vegetação urbana, tudo num cenário que inclui uma das mais belas baías do Mundo e a Serra da Arrábida.
“Este é mais um grande passo para a mudança de Setúbal”, disse Maria das Dores Meira, frisando que o Terminal 7, juntamente com a nova Biblioteca Pública Municipal de Setúbal, o Parque Urbano da Várzea e a requalificação do centro histórico de Vila Nogueira de Azeitão vão ser candidatos a apoios financeiros.
“Estamos a tratar destes processos de forma célere e temos feito um enorme esforço porque não queremos perder nenhuma oportunidade”, sublinhou a edil setubalense, referindo-se à abertura, em breve, do derradeiro quadro comunitário que poderá financiar a execução destes projetos com uma taxa da ordem dos 65 por cento.


Agência de Notícias 
[ + ]

Barreiro reforça apoio à educação

Câmara distribui dinheiro pelas escolas do concelho do Barreiro 

A Câmara Municipal do Barreiro aprovou, por unanimidade, em reunião ordinária privada, a atribuição de subsídios nas áreas da Educação e da Intervenção Social. Desta forma, foram destinatários destas atribuições as escolas do 1º Ciclo e Jardins de Infância da Rede Pública, a RUMO – Cooperativa de Solidariedade Social, Crl, e o Agrupamento de Escolas da Quinta Nova da Telha. 

Barreiro já prepara próximo ano lectivo 

Segundo o site oficial da Autarquia do Barreiro, o executivo “considera uma prioridade o apetrechamento e a modernização das escolas”. De acordo com fonte da câmara do Barreiro, os “subsídios atribuídos permitem aos estabelecimentos de ensino do Concelho reunir as condições indispensáveis ao desenvolvimento eficaz do processo educativo”.
Assim foi aprovada a atribuição da segunda tranche do subsídio anual, no valor de 75 euros por turma, num total de 13 mil 875 euros. O Agrupamento de Escolas Alfredo da Silva  receberá 900 euros, o Agrupamento de Escolas de Álvaro Velho,  2 mil 550 euros. O Agrupamento de Escolas do Barreiro,  1.725 euros. O Agrupamento de Escolas Padre Abílio Mendes, 2.025 euros. O Agrupamento de Escolas Quinta da Lomba, 1.650 euros.
Para o Agrupamento de Escolas Quinta Nova da Telha vai  2.175 euros, enquanto que para o Agrupamento de Escolas de Santo António da Charneca, chegam 2.850euros dos cofres da autarquia.

Rumo com 35 mil euros
No âmbito do acordo de cooperação do pré-escolar, estabelecido entre a Autarquia e a DREL, a Câmara Municipal do Barreiro deliberou pela atribuição de um subsídio no valor de 35 mil euros à RUMO, referente ao pagamento de salários de Julho, Agosto e Setembro de 2013.
Refira-se que, dentro das competências que lhe estão atribuídas em relação ao ensino público, a autarquia “estabeleceu um protocolo com a RUMO que visa a gestão dos serviços dos Auxiliares de Ação Educativa nos Jardins de Infância do Concelho do Barreiro. Assim, e para que esta entidade possa proceder ao pagamento dos referidos vencimentos esta atribuição foi unânime”, diz fonte do executivo.

Subsídio de Alimentação
Relativamente à área da Ação Social Escolar, foi proposta a atribuição de subsídio de alimentação ao Agrupamento de Escolas Quinta Nova da Telha, relativo aos alunos de quatro turmas do 1º Ciclo a funcionarem na sede do Agrupamento.
“O período das refeições corresponde ao mês de maio de 2013 e o valor global do subsídio a atribuir é de 1.672 euros”, diz o texto da proposta.
Refira-se que esta atribuição de subsídio resulta do “Programa de Generalização das Refeições Escolares dos alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico”, estabelecido entre a Autarquia e a DREL, sendo que a contribuição da DREL é de 39 cêntimos por cada refeição.


Agência de Notícias 
[ + ]

Câmara de Lisboa abre 103 vagas de emprego

Concurso aberto 103 postos de trabalho de diversas áreas

A Câmara de Lisboa anunciou a abertura de um concurso público para o preenchimento de 103 vagas em diversas áreas dentro do município. Os interessados podem candidatar-se até 2 de Agosto e os trabalhadores selecionados celebrarão contratos de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado.
 
Câmara de Lisboa abriu 103 candidaturas de emprego 

O anúncio foi publicado em Diário da República e a maior parte das vagas disponíveis (71) destina-se à categoria de assistente técnico na área administrativa, mas existem também oportunidades para técnicos superiores na área da Arquitetura (12), Ciências da Comunicação (2), Direito (6), Engenharia Mecânica (1), Psicologia (7) e Sociologia (4). 
De acordo com as informações divulgadas, "o posicionamento dos trabalhadores recrutados numa das posições remuneratórias da categoria é objeto de negociação com a entidade empregadora pública, que terá lugar imediatamente após o termo do procedimento concursal".
No caso dos assistentes técnicos da área administrativa, o ordenado base é de 683,13 euros" sem prejuízo de, em sede de negociação, poder vir a ser oferecida posição diferente, nos termos e com observância dos limites legalmente definidos".
O posicionamento dos trabalhadores recrutados numa das posições remuneratórias da categoria é objeto de negociação com a entidade empregadora pública, que terá lugar imediatamente após o termo do procedimento concursal.
No caso dos técnicos superiores de Arquitetura, Ciências da Comunicação, Direito, Engenharia Mecânica, Psicologia e Sociologia, a remuneração mínima mensal é de 1.201,48 euros, havendo também a possibilidade de, mediante negociação com a entidade empregadora, "vir a ser oferecida posição diferente".

Requisitos exigidos
Podem candidatar-se aos postos de trabalho oferecidos todos os indivíduos de nacionalidade portuguesa com, no mínimo, 18 anos de idade, detentores de um prévio vínculo com a Administração Pública por tempo indeterminado, que não estejam inibidos do exercício de funções públicas ou das funções que se propõem desempenhar e que possuam "robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício de funções". Os candidatos devem ainda cumprir as leis de vacinação obrigatória.
 Aqueles que se candidatem à categoria de assistentes técnicos na área administrativa deverão ter completado o 12º ano de escolaridade (ou curso que lhe seja equiparado) e, para todos os outros cargos, é exigida licenciatura na respetiva área profissional, sendo também um requisito para engenheiros e arquitetos que se encontrem inscritos nas Ordens.
A seleção dos trabalhadores será efetuada com base numa avaliação curricular ou prova de conhecimentos, bem como uma entrevista profissional de seleção.
 
Onde se inscrever
As candidaturas devem ser formalizadas mediante o preenchimento obrigatório do formulário tipo disponível em http://www.cm-lisboa.pt e ser entregues pessoalmente até ao último dia do prazo fixado no Serviço de Atendimento dos Recursos Humanos, sito no Edifício Central do Município, Campo Grande, n.º 25, piso 0, todos os dias úteis, das 8 às 20 horas.
Em alternativa, podem ser remetidas por correio registado, com aviso de receção, para o Departamento de Gestão de Recursos Humanos da Câmara Municipal de Lisboa, sito no Campo Grande, n.º 27, 10.º E, 1749 -099 Lisboa, até ao termo do referido prazo.
Clique AQUI para conhecer todos os pormenores relativos a cada vaga e a estas ofertas de emprego.


Agência de Notícias 
[ + ]

Sesimbra requalifica Cabo Espichel

120 mil euros para dar nova imagem ao Cabo Espichel

As obras de valorização e preservação de espaços pertencentes à Câmara de Sesimbra no Cabo Espichel vão custar cerca de 120 mil euros, comparticipados pelo Programa de Desenvolvimento Rural. Depois das obras, o Cabo Espichel vai ficar mais seguro, ter um espaço dedicado à venda e promoção de produtos da região.

Sesimbra vai requalificar estruturas do Cabo Espichel 

Felícia Costa, vereadora do turismo em Sesimbra, destaca “a mudança de visual” que o Cabo Espichel vai passar a ter com “um novo espaço destinado ao estacionamento e aos produtores locais, a consolidação da Mãe de Água e uma vedação de segurança nas arribas”.
De acordo com a responsável do turismo, “o Cabo Espichel já merecia obras de requalificação pelo seu significado e importância que tem para toda a região”. O local onde dar-se-ão as intervenções são espaços da câmara municipal cedidos por António Xavier de Lima há cerca de seis anos. A necessidade das obras já era uma necessidade frisada pela autarquia há algum tempo, “mas só agora o programa para a comparticipação de verbas destinadas ao projeto foi aberto”, explica Felícia Costa.
Em relação ao edifício Mãe de Água, a autarquia vai iniciar obras de consolidação da traça arquitetónica do edifício, de modo a “travar o processo de degradação”.

Promoção dos produtos locais
Felícia Costa adianta que todas as obras que estão consagradas na candidatura ao Programa de Desenvolvimento Rural demoram cerca de um ano após sua aprovação. Uma nova zona de estacionamento será criada através da terraplanagem do local.
“Todos os quiosques de venda ao público que se encontram no Cabo Espichel serão deslocados para um espaço só”, diz a vereadora com a ideia de melhor promover os produtos de Sesimbra, em especial, os hortofrutícolas, mel, doçaria, queijos da Azoia e pão.
A questão da segurança para os turistas nas arribas, “apesar de não ser da competência da câmara municipal”, será melhorada através da instalação de uma vedação nas arribas “instáveis que dão melhor segurança à população”, conclui Felícia Costa.

Agência de Notícias
[ + ]

Desejos & Pensamentos por Cátia Neves

A carta que nunca te entreguei

Quem diria… que há mesmo momentos na vida em que paramos para pensar como tramado consegue ser o destino e as voltas que a vida dá…Quem diria… que hoje me levanto cedo e te espero acordar e celebro logo com um beijo quando encontro o teu olhar… que brinco com a forma como ele me hipnotiza, que o teu sorriso pela manha é o que me faz continuar… que a brisa fresca que nos envolve me acalma, que o calor do teu corpo me paralisa e que o teu abraço… ah o teu abraço… quisera eu ter descoberto mais cedo a força do teu abraço.



Quem diria naquela noite fresca de verão que te conheci que tempos mais tarde o destino nos faria cruzar e quem diria que eu me ia apaixonar… Logo eu… que sempre duvidei do amor e que mesmo depois de cair nas garras dele jurei que jamais aconteceria… logo eu que nunca fui de gostar facilmente das pessoas… logo eu que sempre fui de mau feitio permanente e que sempre achei que não encontraria um feitio à minha altura, para me irritar, para me dar luta, para me provar que existe sempre alguém à nossa espera, mesmo sem saber… alguém para nos desarmar, para nos inquietar, alguém para nos fazer florescer um lado sensível, que é grande… enorme… alguém que nos faz amar.
Há uma luz que te ilumina, o brilho que sai dos meus olhos quando te encontram… há em ti uma essência quem não mesmo consigo explicar… Ao teu lado sinto-me protegida, desejada, querida e acima de tudo ao teu lado sinto verdade…. Verdade nas tuas palavras, de como elas ecoam não da tua boca mas do fundo dos teus olhos. Esses acastanhados, fortes, marcados pela luta da vida, transformam-se em olhos de menino, garoto, indefeso e frágil q só eu posso proteger… envolvo-te nos meus braços como quem envolve o mundo e sinto-me entrar numa bolha, como uma bola de sabão inquebrável por qualquer ser. E quem perguntar porque estou sempre a sorrir, diz-lhe que olhe no meu olhar, não há maneira mais fácil de explicar.
És noite de festa, a razão que me faz dançar e quando no ar já não se ouvem melodias, olho para ti e juntos cantamos uma canção… a minha... tua… nossa canção. Como fazem os apaixonados, loucos, endiabrados… dançando no meio da rua, celebrando a vida e um grande amor…
Querendo apenas que saibas como te transformaste importante para mim, como preciso de ti... Quão bela sou quando estou contigo e quão maravilhoso tu próprio és.


Amo-te

Cátia Neves 
Lisboa 

Outros textos da autora: 
[ + ]

Livraria Sá da Costa fecha no ano do centenário

Petição online pede “interesse público” para Livraria Sá da Costa

Um grupo de cidadãos lançou uma petição online a defender a classificação pela Câmara de Lisboa da Livraria Sá da Costa, há 70 anos no Chiado, como de “interesse público". “A Livraria Sá da Costa é parte insubstituível da alma do Chiado, da alma da cidade de Lisboa. É isto o que pretendemos preservar”, atestam os subscritores. A Sá da Costa foi declarada insolvente pelo Tribunal de Comércio de Lisboa. Funcionava desde 1913.  

Insolvência da Sá da Costa provocou críticas da sociedade da capital 

Este pedido visa “impedir uma mudança de ramo, com objetivos puramente comerciais e, porventura daí decorrente, a defesa dos seus valores arquitetónicos, de interior e de fachada, com as suas notáveis reminiscências Art Déco”, lê-se no texto da petição.
Esclarecem os peticionários que este “apelo não envolve, frise-se, o funcionamento regular da livraria, que esse se mantém apesar das circunstâncias adversas”, mas antes uma “legítima preocupação pelo fecho da casa e a sua inexorável destruição espiritual e material”.
“A Livraria Sá da Costa é parte insubstituível da alma do Chiado, da alma da cidade de Lisboa. É isto o que pretendemos preservar”, explicam os subscritores.
Os peticionários consideram que é “dever da Câmara [de Lisboa] defender a todo o transe o seu património cultural que, lembre-se, é coletivo e histórico”.
A petição exige a intervenção da autarquia para evitar o “desastre anunciado”, com o encerramento da livraria, por decisão judicial.
A Câmara deve intervir, argumentam os subscritores, “independentemente do que esteja consignado no P.D.M. [Plano Diretor Municipal] quanto às lojas históricas”, que receiam “não passe de um conjunto burocrático de boas intenções”.
                                                                                                                       
Tribunal decreta liquidação total
A Sá da Costa foi declarada insolvente pelo Tribunal de Comércio de Lisboa. De acordo com fonte daquele órgão judicial, a assembleia de credores, realizada na segunda-feira da semana passada, não aprovou o plano de viabilização da empresa, que tinha sido apresentado no dia 2 de Julho, pelo que foi decretada a liquidação total.
Esta liquidação concretizar-se-á com a venda de todo o património da Sá da Costa, para pagamento aos credores, e com a extinção da empresa.
Em declarações à Lusa, na segunda-feira passada, Susana Pires, funcionária da livraria, disse que a questão da Sá da Costa será levada à reunião da Câmara Municipal, na quarta-feira, e, entre as pessoas que expressaram a sua solidariedade, contam-se a vereadora Helena Roseta e a atriz Maria do Céu Guerra.
Susana Pires afirmou que “a luta já nem está pelos postos de trabalho, mas pela defesa do património edificado e do interior da livraria, que foi um dos primeiros estabelecimentos, em Lisboa, decorados segundo o modelo Art Déco”.
No sábado, foi conhecido um manifesto assinado pelos cinco trabalhadores da Sá da Costa, publicado pela Letra Livre, no qual apontam o dedo aos negócios imobiliários e ao “absoluto vazio gerado pela ditadura financeira”.
Em 2010 a livraria tinha sido levada a leilão pelas Finanças, com uma base de licitação de 175 mil euros e no ano seguinte o tribunal decretou a venda judicial por um valor mínimo de 415.498 euros. Na ocasião terão sido apresentadas, segundo a Lusa, duas propostas, mas a venda da livraria não foi avante. Desde então a sua gestão foi assegurada por cinco funcionários, que têm promovido a realização de uma série de eventos para dinamizar o espaço.

No Chiado desde 1913
A cultura era frequente no espaço da antiga livraria do Chiado 
A Sá da Costa existe desde 1913, ligada à editora com o mesmo nome, responsável pela publicação de textos clássicos da Literatura Portuguesa e Ocidental, de autores como Camões, Sá de Miranda, António Verney, João de Barros, Diogo Couto, Padre António Vieira, Cavaleiro de Oliveira, D. Francisco Manuel de Melo, Almeida Garrett, Homero e Virgílio, ou de autores do século XX como António Sérgio, Vitorino Magalhães Godinho, Orlando Ribeiro e Hernâni Cidade.
A livraria surge na lista de “bens imóveis de interesse municipal e outros bens culturais imóveis” do Plano Director Municipal de Lisboa. O Fórum Cidadania Lisboa já manifestou o seu “profundo pesar” pelo encerramento de “uma das últimas livrarias históricas de Lisboa”, criticando “a total inoperância da política de urbanismo comercial por parte da Câmara Municipal de Lisboa, ao não prevenir as situações nem tão pouco demonstrar interesse em as remediar”.
A petição está disponível AQUI. Ao início da tarde de hoje, já tinha recebido cerca de mil assinaturas.


Agência de Notícias 
[ + ]

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010