Dá um Gosto ao ADN

Setfesta já começou em Setúbal


A festa das artes e da gastronomia no centro da cidade  

Gastronomia, animação musical e teatro marcam presença no programa da “SetFesta 2012”, certame do movimento associativo das freguesias da Anunciada e de Santa Maria da Graça, a decorrer até 8 de julho, no Largo José Afonso, em Setúbal.

Certame começou ontem em Setúbal 
“Este é um certame que já faz parte das festividades de verão na cidade”, sublinhou a presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, dia 25, na apresentação da iniciativa, realizada na Casa da Baía.
A “SetFesta 2012”, com “gastronomia, música e o envolvimento de coletividades e associações, é um espaço de convívio para setubalenses e visitantes, uma festa que queremos que se mantenha e que continue a crescer”, sublinhou a autarca.
A sétima edição do certame, organizada pelas juntas de freguesia da Anunciada e de Santa Maria da Graça e por dez coletividades e associações, com o apoio da Câmara Municipal de Setúbal e o patrocínio de empresas do Concelho, é oficialmente inaugurada no dia 29, às 20h00.
“O orçamento é de 21 mil euros. Apesar das dificuldades, todos os anos se faz esta festa”, sublinhou o presidente da Junta de Freguesia da Anunciada, José Manuel Silva, acrescentando que a “SetFesta” tem também o objetivo de angariar fundos para o movimento associativo local.
“Nesta iniciativa popular, o movimento associativo tem oportunidade de garantir uma maior autonomização financeira, verbas que canaliza para o desenvolvimento das próprias atividades ao longo do ano”, vincou José Manuel Silva.
Participam este ano no certame o Scalipus Clube de Setúbal, o Agrupamento de Escuteiros “484”, o Grupo Desportivo e Recreativo “O Sindicato”, o Grupo Desportivo, Cultural e Recreativo “Os Ídolos do Chinquilho da Anunciada” e o Grupo Desportivo da Fonte Nova.
A ACTAS – Academia Cultural de Teatro e Artes de Setúbal, o Clube Desportivo “Os Pelezinhos”, o Grupo Nacional de Escutas “415”, o Clube Desportivo e Recreativo “Águias de São Gabriel” e o Vitória Futebol Clube também integram a organização e dinamização do evento.


Muita animação no Largo José Afonso
O certame, instalado no Largo José Afonso, de entrada gratuita, funciona de domingo a quinta-feira das 18h00 às 24h00. Às sextas-feiras e aos sábados o horário é alargado até à 01h00.
Dez pavilhões com petiscos e bebidas, dinamizados pelo movimento associativo, estão garantidos no certame, assim como espaços com artesanato e produtos regionais e stands institucionais.
Uma mostra fotográfica relacionada com a atividade piscatória da freguesia da Anunciada, organizada pela SEIES – Sociedade de Estudos e Intervenção em Engenharia Social, está também patente num espaço instalado no recinto, no qual se desenvolvem, pontualmente, atividades desportivas para miúdos e graúdos.
O programa da “SetFesta 2012” conta, logo no dia 29, com um concerto com Toy, às 21h30, seguido de um baile dinamizado pelo grupo Juke Boxers. No dia seguinte, a 30, igualmente às 21h30, há animação teatral pelo Teatro do Elefante e rábulas pela Academia Cultural de Teatro e Artes de Setúbal.
Já em julho, os espetáculos, sempre às 21h00, incluem um concerto pela Orquestra Ligeira da Quinta do Anjo, no dia 1, e animação musical com Jorge Nice, a 2, Irmãos Cabanas, a 3, e Os Alcorrazes, a 4.
Ana Rita sobe ao palco no dia 5, uma animação musical seguida de rábulas, enquanto a banda Banza atua a 6, numa noite animada também por um baile por André Patrão. Um espetáculo de fado, com Georgette de Jesus, Carlos Monte Negro, Álvaro Santos e César Augusto, um concerto pelo grupo Cantares do Sado e um baile com a Actual Band fazem parte do programa de dia 7. 
Para o último dia do certame está reservado um concerto a cargo dos Dialecto, a que se seguem rábulas.

Agência de Notícias 
[ + ]

Poceirão e Marateca em festa


Festas já começaram nas duas freguesias de Palmela

Arrancaram hoje em Marateca e no Poceirão, no concelho de Palmela, as anuais festividades daquelas freguesias. Este ano celebradas nos mesmos dias. Águas de Moura celebra as tradicionais Festas de S. Pedro da Marateca até 1 de julho e na mesma data, a aldeia de Poceirão recebe a XXIII Feira Comercial e Agrícola de Poceirão.


Feira Agrícola do Poceirão já começou 

A Câmara de Palmela destaca a importância da Feira Comercial e Agrícola de Poceirão por esta representar um contributo para a promoção da agricultura e por, num momento de difícil conjuntura económica que o país atravessa, ser “fulcral apoiar os produtores”. “O Governo devia intervir neste sentido, tendo em conta os benefícios que o setor agrícola pode trazer à economia”, realça Luís Calha, vereador do turismo da autarquia.
“A agricultura rural é imperativa para a região e para o desenvolvimento do país, razão pela qual torna-se imprescindível não deixar-se afetar pela crise e perder a capacidade de apoio aos agricultores”, salienta Luís Calha. O certame, que se realiza entre 29 de junho e um de julho, afigura-se como “uma feira comercial realizada por pessoas da região rural, com vivências diferentes da população do litoral” declara o autarca palmelense, destacando “o momento de grande afirmação da Freguesia de Poceirão”.
O certame permite a promoção de vinhos, produtos hortícolas, turismo rural e, ao mesmo tempo, “traduz-se numa oportunidade para os visitantes conhecerem os produtos da região”, afirma Luís Calha. Durante a feira, será promovido um colóquio sobre “os problemas dos agricultores e a dificuldade de escoamento de produtos, debate pertinente numa altura em que se estão em cima da mesa as questões sobre a agricultura, pelo que a autarquia defende que esta área deve ser valorizada por trazer grandes vantagens competitivas para o concelho”, prossegue.
O vereador do turismo da câmara de Palmela diz que a feira é “uma referência na região, no país e tem tido reconhecimento internacional” por estar integrada na calendarização do programa “Palmela Cidade Europeia do Vinho”. Luís Calha demonstra a convicção de que o certame “será um êxito com mais visitantes face ao ano passado”.
A Feira Comercial e Agrícola de Poceirão conta com uma exposição de máquinas agrícolas com cerca de 1500 metros quadrados, mostra de animais, o Festival das Adegas e do Vinho, várias dezenas de pavilhões institucionais e do movimento associativo, artesanato e venda de hortícolas diretamente do produtor são alguns dos destaques desta Feira, que dá a conhecer o mundo rural, em plena Área Metropolitana de Lisboa.
Em simultâneo, um vasto programa de animação apresenta ofertas para todos os gostos, com destaque para a música, o teatro de revista, a gastronomia, o desporto, o stand-up comedy e as atividades equestres. De sublinhar, ainda, o Colóquio “Agricultura versus Grandes Hipermercados”, a decorrer a 30 de junho, no Salão Nobre da Junta de Freguesia de Poceirão, numa organização da Associação dos Agricultores do Distrito de Setúbal


Festas de S. Pedro da Marateca também já começaram

Marchas é o maior cartaz da festa da Marateca

Na freguesia vizinha o tempo também é de festa. A cerimónia inaugural da festa aconteceu hoje, às 20 horas, na junta de freguesia local, seguido do desfile de três marchas populares: S. Pedro de Marateca, Marcha Infantil “Os Cenourinhas” e a marcha da União Desportiva das Pontes, esta na qualidade de convidada.
A partir das 22.30 horas, haverá animação musical, baile com a actuação de António Lázaro e João Tendeiro. No recinto festivo, será possível saborear sardinha assada, acompanhada de caldo verde, pão e vinho da região.
A presidente da Junta de Freguesia de Marateca, Fernanda Esfola enalteceu a “criatividade, dinâmica e muita persistência por parte da associação para levar por diante mais uma edição das festas”. O mesmo diz o vereador do Turismo da Câmara de Palmela que refere que estamos a atravessar um “momento muito difícil da nossa vida colectiva” tal “não fez esmorecer o entusiasmo e a determinação de um conjunto de homens e mulheres de Marateca que se dedicam à sua terra, que querem que esta seja falada, tenha animação e do ponto de vista económico tenha também retorno para o seu comércio e agentes económicos”, concluiu Luís Calha.
A música, a gastronomia e a animação também têm lugar de destaque no programa que o presidente da Associação de Festas de S. Pedro de Marateca classifica de “fantástico” tendo em conta que o “ano não tem sido fácil e as festas não são excepção, mas com todos os entraves é com orgulho que apresentamos este programa”.
José Filipe destaca duas novidades um Workshop de Ginástica para todos, promovido pelo TELA, no Largo de São Pedro e o encerramento com um espectáculo de pirotecnia. O responsável deu também conta da exposição de modelos trajados a rigor, com fatos das marchas e com programas das festas que vão estar espalhados por alguns espaços da freguesia como por exemplo a Casa Ermelinda Freitas e o Hotel Golf do Montado.
Sábado, será a segunda das três noites de festejos de S. Pedro. A partir das 20 horas, acontecerá a actuação dos ranchos folclóricos “Académicos da Agualva de Cima” (Bairro Margaça) e de Fernando Pó. A noite prosseguirá com a actuação do Grupo ‘Banza’, de Rosinha, fechando a noite com baile animado por António Lázaro e João Tendeiro.
Domingo, será o derradeiro e mais importante dia dos festejos de S. Pedro da Marateca. Manhã cedo terá lugar o segundo passeio de BTT guiado, uma organização Tiago Pereira, e com concentração dos participantes no recinto do campo de futebol.
A partir das 18 horas, haverá procissão pelas artérias da localidade, em honra do padroeiro de Marateca.
Á noite (21 horas), Jorge Nice promete animação musical, a que se seguirá o desfile das marchas infantil “Os Cenourinhas”, da União Desportiva das Pontes e da marcha de S. Pedro de Marateca.
Pela meia-noite de domingo, um espectáculo pirotécnico anunciará o ponto final dos festejos de S. Pedro de Marateca.

Paulo Jorge Oliveira 
[ + ]

Comboios da linha do Sado em greve


Feriado municipal do Barreiro pára comboios

Os comboios da Linha do Sado deverão parar esta quinta-feira devido às greves dos maquinistas e dos revisores, disse a porta-voz da CP, adiantando que os passageiros foram afetados ontem, ao final do dia.

Comboios da Linha do Sado estão hoje em greve 

Os sindicatos Nacional de Maquinistas dos Caminhos de Ferro Portugueses (SMAQ) e Ferroviário da Revisão Comercial e Itinerante (SFRCI) apresentaram o pré-aviso de greve aos feriados - nacionais e municipais - do mês de junho, o que inclui o feriado municipal de quinta-feira no Barreiro.
A porta-voz da CP - Comboios de Portugal, Ana Portela, disse à Lusa que, devido às greves anunciadas por várias organizações sindicais, "está prevista a supressão da totalidade dos comboios" na Linha do Sado (Barreiro-Praias Sado) esta quinta-feira.
Ana Portela, disse à agência Lusa que, devido às greves anunciadas por várias organizações sindicais, "não foram realizados os sete comboios que estavam previstos para a Linha do Sado até às 08:00". De acordo com a mesma fonte, hoje não deve realizar-se qualquer um dos 57 comboios previstos para hoje.
A circulação ferroviária na Linha do Sado deverá estar normalizada na sexta-feira de manhã.
Na Linha do Sado realizam-se, diariamente, 8.000 viagens.

Greve por... perseguição disciplinar
O Sindicato dos Maquinistas avançou para a greve "contra a perseguição disciplinar dos trabalhadores da tração [maquinistas] desencadeada pelos conselhos de administração da CP EPE/CP Carga", as "medidas das administrações da CP/CP Carga, que visam reduzir os salários dos trabalhadores" e para reivindicar o "cumprimento integral dos acordos em vigor, designadamente de 21 de abril e 09 de junho de 2011", segundo o pré-aviso.
Já o SFRCI, que representa os revisores e trabalhadores das bilheteiras da CP, anunciou, em comunicado, que recorreu à greve para contestar a "total ausência de diálogo" por parte do ministro da Economia.
O sindicato afirma que a "taxa de esforço para a contenção de despesas exigida aos trabalhadores operacionais da CP está a ser levada ao extremo, sendo desproporcional em relação a outros setores sob a mesma tutela", acrescentando que, em junho, os trabalhadores "foram obrigados a devolver 50 por cento do dinheiro que tinham recebido pelo trabalho extraordinário e em feriados compensados, uma vez que tinham recebido a 100 por cento desde o início do ano, tal como estipulava o Acordo de Empresa".
O SFRCI diz que, "por decisão unilateral da tutela, as regras do jogo mudaram, passando a CP a pagar tal trabalho apenas a 50 por cento e exigindo os retroativos a janeiro deste ano", considerando tratar-se de "um roubo descarado".

Agência de Notícias 
[ + ]

Reticências da Sociedade por Ana Sofia Horta


Profissão: Educadora

Porquê? Porque acredito que desde bebé se aprende a viver em grupo, comunidade, se aprende a respeitar, aprendem-se valores que são importantes nesta idade e que duram, permanecem para o resto da vida: Tudo o que hoje preciso realmente saber, sobre como viver, o que fazer e como ser, eu aprendi no jardim de infância. A sabedoria não se encontrava no topo de um curso de pós-graduação, mas no montinho de areia da escola de todo dia.” Robert Fulghum.


Porque adoro “subir” ao nível das crianças, rebolar, cheirar as flores, pintar com as mãos, dar gargalhadas por um balão que corre na sala a fazer barulho. Dançar, cantar como se fossemos os melhores. Descobrir as necessidades e compreender e conhecer cada criança e respeitá-la por ser da forma como é.
Não tirei o curso para ter um ordenado ao fim do mês, se assim fosse não me tinha despedido.
Sou Educadora porque acredito nas minhas competências, no meu trabalho e que é hoje que criamos o futuro de amanhã! Crianças rebeldes, espevitadas para enfrentar a constante mudança, a curiosidade de procurar e descobrir, trabalhar em grupo, ser criativo. Não ter medo de arriscar, saber aceitar um não, partilhar, não ter medo de cair e de ser ajudado, ter prazer em ajudar e ser solidário.
Poderia escrever um testamento com todas as razões e mais algumas daquilo em que eu acredito, não são as metodologias, pois nenhuma é correcta, cada educador deve adaptar as várias pedagogias à sua sala e crianças  depois de saber as suas necessidades para saber preencher os vazios e torná-los fortes independentes... cidadãos sãos, úteis, sinceros, prontos para mudar o Mundo!


Ana Sofia Silva Horta 
Educadora de Infância no Desemprego 
Oeiras 


O terceiro dia semana tem sempre uma reticência. O mundo pula e avança mas, à Terça-feira, Ana Sofia Horta chega ao ADN com uma história de vida ou uma estória pessoal. Uma visão muito pessoal e uma opinião muito real da sociedade. Para ler, saborear, pensar e analisar. 

Consulte todos os artigos da autora
[ + ]

Detido por roubos armados a lojas de ouro

Homem que roubava lojas de ouro no distrito de Setúbal foi apanhado

Um homem, de 33 anos, foi anteontem detido pela Divisão Policial do Barreiro, através da Esquadra de Investigação Criminal, no cumprimento de mandado de detenção emitido pelo Tribunal do Barreiro.

Suspeito terá roubado várias lojas de ouro no Distrito de Setúbal 


A PSP apurou que o homem efectuou vários roubos a lojas de ouro, na zona do Barreiro, Brejos de Azeitão e Alcochete. Actuava sempre armado para ameaçar quem estivesse dentro dos estabelecimentos de compra e venda de ouro.
 O suspeito já foi ouvido em primeiro interrogatório judicial, no Tribunal Judicial da Comarca do Barreiro, onde lhe foi aplicada a medida mais gravosa: prisão preventiva.
 Na semana passada, a Esquadra de Investigação Criminal da Divisão Policial do Barreiro, deteve dois homens pelos mesmos crimes. Também estão a aguardar julgamento em prisão preventiva.
 Para o sucesso da operação contribuiu também, de acordo com a PSP, a colaboração do Comando Territorial da GNR de Setúbal.

Agência de Notícias 
[ + ]

Barcos do Barreiro vão andar mais devagar para poupar

Soflusa mantém catamarãs Barreiro-Lisboa mas aumenta alguns tempos de viagem

O Grupo Transtejo anunciou esta quarta-feira que vai manter a frota de catamarãs na ligação fluvial entre o Barreiro e Lisboa, mas vai aumentar o tempo de viagem em cinco minutos fora das horas de ponta e ao fim-de-semana.
Ligação Lisboa Barreiro fica mais longa a partir de 15 de julho

"O Grupo Transtejo informa que, a partir de 15 de Julho, mantém a frota de catamarãs existentes na ligação do Barreiro, aumentando o tempo de viagem fora das horas de ponta nos dias úteis e nos fins-de-semana", refere um comunicado da do grupo, que detém as empresas Transtejo, responsável por outras ligações no rio Tejo, e Soflusa, que une o Barreiro a Lisboa.
O grupo explica que a medida surge na sequência de alguns ajustes já efectuados em Fevereiro e que visa a redução de custos, referindo que esta mudança vai permitir uma redução anual de custos de cerca de 400 mil euros.
"Sem efectuar alteração nos horários, algumas viagens fora das horas de ponta nos dias úteis e nos fins-de-semana passarão de 20 para 25 minutos, por resultado da redução da velocidade dos navios", indica.
O grupo Transtejo garante ainda que este aumento do tempo de percurso não altera os horários de partidas tanto no Barreiro como no Terreiro do Paço, sendo ainda garantida a intermodalidade com os restantes operadores de transporte no Terminal do Barreiro.

Câmara do Barreiro anunciou substituição de barcos
O vereador dos Transportes da Câmara do Barreiro, Rui Lopo, tinha afirmado na terça-feira que a empresa iria substituir os catamarãs por outros barcos na ligação da Soflusa, o que obrigava a uma alteração dos horários dos Transportes Colectivos do Barreiro (empresa criada pelo município).
"A Soflusa vai pôr outros barcos sem ser os actuais catamarãs a funcionar fora das horas de ponta e ao fim de semana, o que torna as travessias mais demoradas, e isso vai obrigar a alterar os horários dos autocarros do Barreiro de novo", disse o autarca.

Agência de Notícias 
[ + ]

Produção de Arroz na agenda do PSD



PSD pretende “medidas urgentes” para resolver conflitos

Os deputados do PSD eleitos pelo círculo eleitoral de Setúbal, juntamente com os deputados do mesmo partido que integram a Comissão de Agricultura e Mar da Assembleia da República, apresentaram um Projecto de Resolução na tentativa de resolver os conflitos que se têm verificado entre os produtores de arroz no Vale do Sado.

PSD quer mediar conflitos dos produtores de Arroz do Vale do Sado 

No documento apresentado, os deputados social-democratas lembram que a cultura do arroz no distrito de Setúbal, em particular no concelho de Alcácer do Sal, “assume uma importância económica e social muito pertinente para toda a região”, acrescentando que a produção de arroz na região do Vale do Sado “tem-se mantido relativamente estável nos últimos anos, apesar da crise, tendo-se mostrado de grande importância no rendimento final dos produtores, representando um sector produtivo gerador de riqueza e emprego.”
“Em 2002, por decisão administrativa, determinou-se que a gestão da unidade de secagem e armazenagem de Alcácer do Sal seria partilhada entre duas associações de agricultores do Concelho: a Aparroz (Agrupamento de Produtores de Arroz do Vale do Sado, Lda) e a AADS (Associação de Agricultores do Distrito de Alcácer do Sal), a qual ainda gere em exclusividade uma instalação semelhante em Águas de Moura”, pode ler-se no documento.
Os social-democratas recordam que, de acordo com declarações de ambas as entidades, a gestão conjunta da instalação de Alcácer do Sal têm originado conflitos de interesses, cujos reflexos são negativos na utilização plena do centro de secagem e armazenagem, inviabilizando a melhoria da produtividade da cultura, nomeadamente por falta de investimentos que permitam a redução de custos de produção.
Neste sentido, o coordenador dos deputados do PSD na Comissão de Agricultura e Mar, Pedro do Ó Ramos, propõe que se encontre uma forma legal para que a unidade industrial de secagem e armazenagem de cereais de Alcácer do Sal, possa ser atribuída ao Agrupamento de Produtores de Arroz do Vale do Sado, Lda. (Aparroz) e que a unidade industrial de secagem e armazenagem de cereais de Águas de Moura possa ser atribuída à Associação de Agricultores do Distrito de Setúbal, adoptando, em ambos os casos, critérios que preservem a função e a importância dos activos ao nível da actividade agrícola e regional.

Agência de Notícias 
[ + ]

Setúbal fiscaliza estabelecimentos comerciais


Acções de sensibilização junto dos comerciantes

A Câmara Municipal de Setúbal iniciou, anteontem, uma campanha de sensibilização ambiental junto de proprietários de estabelecimentos comerciais da cidade com o objectivo de promover comportamentos correctos em matéria de gestão de resíduos.

Setúbal quer sensibilizar comerciantes para uma cidade mais limpa 


As acções, executadas por uma equipa de técnicos da autarquia com funções na área do ambiente e da fiscalização, têm como objectivo sensibilizar e informar os comerciantes para não praticarem comportamentos proibidos, situações definidas no Regulamento de Resíduos Sólidos Urbanos e Limpeza Pública do Município de Setúbal.
O mau acondicionamento de resíduos, a deposição de entulhos provenientes de obras na via pública, a utilização indevida dos recipientes de deposição e o lançamento em sarjetas ou sumidouros de objectos, águas poluídas, lubrificantes ou resíduos são algumas das situações para as quais as equipas municipais vão procurar sensibilizar e informar os comerciantes.
O transporte indevido de peixe, carne ou outros bens sem estarem devidamente tapados e acondicionados, sujando, diversas vezes, o espaço público, é outro tipo de comportamento incorrecto e visado durante a realização das acções de sensibilização daquela campanha municipal.
Após a realização da iniciativa, a decorrer até sexta-feira em estabelecimentos comerciais, em particular em restaurantes, instalados na zona ribeirinha, na avenida Luísa Todi e nos bairros da Fonte Nova e das Fontainhas, a Câmara Municipal de Setúbal vai intensificar as acções de fiscalização.
O incumprimento das normas estabelecidas para o funcionamento do sistema de gestão de resíduos e a prática de comportamentos lesivos para a imagem urbana da cidade podem ser alvo de contra-ordenações puníveis com coima, previstas no Regulamento de Resíduos Sólidos Urbanos e Limpeza Pública do Município de Setúbal.
No caso de se tratar de situações praticadas por pessoas singulares, as coimas podem variar entre os 200 e os 2.000 euros. Já para as pessoas colectivas, as punições monetárias são mais pesadas, oscilando entre os 3.000 e os 22.500 euros.


Agência de Notícias 
[ + ]

Mais de 70 mil portugueses emigram todos os anos


Jovens procuram trabalho noutros países

Mais de 70 mil portugueses estão a emigrar todos os anos, segundo o relatório anual divulgado esta quarta-feira pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico, que indica que a maioria dos que abandonam o país tem menos de 29 anos.

Há cada vez mais jovens a abandonar o país 


A entrada de imigrantes e saída de portugueses para outros países diminuiu cerca de 12 por cento em 2010, revela o relatório "International Migration Outlook 2012", da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).
A tendência de diminuição de circulação de pessoas regista-se há já vários anos. Apesar de, na última década, a taxa migratória (diferença entre imigrantes e emigrantes) continuar positiva - mais 182 mil pessoas - a verdade é que representa apenas metade do valor registado entre 1991 e 2000.
Uma das causas para esta diminuição está na saída de portugueses. Desde meados da década passada, são cada vez mais os que decidem abandonar o país à procura de uma vida melhor. Atualmente, mais de 70 mil pessoas emigram todos os anos.
Portugal surge assim no relatório da OCDE ao lado da Grécia, Irlanda, Itália e Espanha, onde já era espectável que o agravamento da situação económica levasse a um aumento da emigração.
As mesmas razões - a crise económica e falta de emprego - provocaram também uma diminuição de entradas no país. Segundo o relatório, são cada vez menos os imigrantes não europeus que pedem vistos de longa duração: em 2010, os serviços receberam menos de 15 mil pedidos, registando o valor mais baixo desde 2003.

Imigrantes em Portugal decrescem
Os pedidos de autorização para estudar em Portugal passaram a ser os que têm mais peso estatístico, representando quase metade (47 por cento) da totalidade dos vistos de longa duração. Logo a seguir surgem os vistos atribuídos às famílias (cerca de 25 por cento) e, finalmente, os vistos de trabalho (16 por cento).
Os pedidos para requerer um visto de trabalho têm vindo a diminuir desde 2009, altura em que deixaram de atingir o limite máximo permitido pelo Governo, de 3.800 por ano.
A maioria dos imigrantes que vivem em Portugal são de países lusófonos, em especial de Cabo Verde e Brasil. O relatório destaca a forte presença dos imigrantes dos PALOP (42 por cento), de brasileiros (23 por cento do total) e os chineses (7 por cento). Já os imigrantes de leste são cada vez menos.
Entre 2009 e 2010, o número de novas autorizações de residência passou de 61.400 para 50.700. E o número de estrangeiros legalizados diminuiu 2 por cento em 2010, atingindo os 448 mil: 27 por cento eram brasileiros, 11 por cento ucranianos e 10 por cento cabo-verdianos.
Entre as razões para a diminuição da imigração, o relatório aponta o aumento de casos de dupla nacionalidade, naturalização portuguesa (principalmente entre os PALOPS) e regresso ao país de origem (mais habitual entre os imigrantes de leste).

Mais exílio politico
No que toca ao exílio, Portugal registou um aumento de pessoas exiladas (de 140 em 2009 para 160 em 2010), mas continua a ser o país da OCDE que recebe menos pedidos.
O relatório analisou ainda as políticas de migração e as alterações legislativas nacionais (feitas em 2006, 2007 e 2008), chamando especial atenção para o facto de "a integração dos imigrantes continuar a ser uma prioridade política".
O documento sublinha ainda as 122 medidas do I Plano Nacional de Integração (2007-2009) que abrangia áreas como educação, saúde, segurança social, racismo ou trabalho.
"Os objetivos foram considerados por todos como tendo sido atingidos a 80 por cento", lê-se no documento, que refere que o II Plano para a Integração dos Imigrantes (em vigor entre 2010 e 2013) passou a ter 90 medidas e dois novos focos: a promoção da diversidade e proteção dos imigrantes mais velhos e a proteção contra o empobrecimento e desemprego imigrante.

Agência de Notícias 
[ + ]

Idoso de 80 anos sequestrou mulher de 22 anos


Detido idoso que sequestrou mulher durante dois meses na Amadora

Um homem de 80 anos foi na terça-feira detido pela PSP da Amadora pelos crimes de sequestro de uma mulher de 22 anos e posse de arma proibida, com a qual terá ameaçado a vítima durante dois meses.

Idoso sequestrou jovem durante dois meses na Amadora 

A detenção ocorreu às 19h15, na sequência de uma denúncia telefónica à PSP, dando conta de uma situação de sequestro numa residência na Amadora. Os agentes policiais foram ao local, onde foram recebidos por um homem de 80 anos que garantiu estar sozinho em casa. 
“Devido ao nervosismo demonstrado pelo suspeito”, a PSP voltou a questioná-lo e obteve a mesma resposta. “Nesse momento, surgiu uma mulher que pediu ajuda aos agentes”, diz a PSP em comunicado. A vítima, de 22 anos, afirma que foi “mantida no interior da habitação contra a sua vontade e sob constante ameaça de arma de fogo”.
Segundo o depoimento da mulher, esta estaria sequestrada há dois meses e “em alguns momentos saía à rua, mas sempre acompanhada pelo suspeito ou por um vizinho de 79 anos”, já constituído arguido. Os dois “impediam-na de solicitar auxílio aos transeuntes”, sob a ameaça de arma de fogo ou de arma branca, refere o comunicado.
À Lusa, fonte policial adiantou que a jovem terá dito aos agentes que tem sido vítima de abusos sexuais por parte dos dois homens.
Terça-feira, ao fim da tarde, a vítima conseguiu contactar uma amiga por telefone e foi ela que deu o alerta. A mulher acrescenta que “sempre que o detido recebia a visita da família ou de amigos na habitação, era mantida numa pequena arrecadação no quintal, fechada a cadeado”.
A PSP encontrou na residência uma arma “pronta a disparar”, munições, uma catana e duas facas de ponta e mola. 
O detido, sem antecedentes criminais, está a ser presente no Tribunal Judicial da Comarca da Amadora para interrogatório judicial e aplicação da medida de coação.

Paulo Jorge Oliveira 
[ + ]

Cinema: Idade do Gelo 4 estreia hoje


Dez anos a fazer rir

Estreia hoje em Portugal "A Idade do Gelo 4: Deriva continental". Dez anos após o primeiro filme, as personagens continuam bem frescas e o cinema de animação a dar mostras de enorme vitalidade.

Saga da Idade do Gelo continua dez anos depois. Estreia hoje em Portugal

Tudo começou há dez anos. Bem, na realidade, foi um pouco antes, há cerca de 20 mil. Mas para o que nos interessa, enquanto espectadores de cinema apaixonados pela animação e pela aventura, humor e fantasia que normalmente nos proporciona, Sid, Diego e Manny acompanham-nos desde 2002, altura em que estreou o primeiro "A Idade do Gelo".
A razão do êxito prendeu-se com o que é habitual nestes casos: uma história muito engraçada, personagens com que nos identificamos de imediato, uma sensação de plenitude ao sair da sala de cinema. Estavam reunidas as condições para que as aventuras das personagens que tinham entrado de imediato para o imaginário coletivo tivessem continuidade.
O facto de dez anos depois estarmos aqui a falar do quarto filme da série, fenómeno apesar de tudo pouco habitual em títulos de animação, quer dizer muito sobre o cuidado com que o departamento de animação da 20th Century Fox tem trabalhado a "carreira" das suas personagens icónicas.
Desta vez, Sid, a despistada preguiça, Diego, o inofensivo tigre de sabre, e Manny, o corpulento mamute têm a companhia de uma nova e inesperada personagem, a avozinha de Sid, que a família, que tão depressa a reencontrou como de novo a abandonou, deixou nos seus braços.
Algo que não seria tão grave se o imparável Scrat não continuasse a fazer das suas. Desta vez, só por azar, provoca a divisão das placas tectónicas, o que dá origem à formação dos continentes. Agora à deriva num imenso oceano, vão tentar voltar a casa, apesar de se depararem com um grupo de piratas pré-históricos.

Agência de Notícias 
[ + ]

Ataca idosa para roubar anéis de ouro


Mulher brutalmente espancada à porta de casa

Em Lisboa, Alvalade, um homem perseguiu uma senhora de 82 anos até à porta de casa para a roubar. Acabou por a espancar brutalmente no hall de entrada do prédio e fugir com a carteira e os anéis de ouro da idosa que teve tratamento hospital no Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

Mulher foi agredida e roubada em Alvalade, Lisboa 


Ao entrar em casa no regresso das compras, pelas 15h30 de terça-feira, Maria Costa, 82 anos, não se apercebeu de que era seguida por um assaltante. No hall do prédio, na praça de Alvalade, Lisboa, acabou brutalmente agredida, chegando mesmo a desmaiar. Ficou sem dois anéis em ouro e a carteira. A vítima teve de ser transportada ao Hospital de Santa Maria. 
"Ela entrou no prédio e deve ter deixado a porta aberta, porque ele entrou logo a seguir. Depois, quando ela ia buscar o correio, olhou para trás e ele deu-lhe uma cabeçada tão grande que ela ficou logo estendida no chão", contou a porteira do prédio, no número 3, relatado pelo Correio da Manhã.
A seguir, o assaltante agarrou a cabeça da idosa com as duas mãos e levou-a a embater no chão com violência. Maria Isabel ficou logo desmaiada. "Acho que ele fez isto para ela nem lhe ver a cara", acredita a porteira do prédio.
Depois de consumado o roubo, o homem – que não exibiu quaisquer armas – pôs-se em fuga apeada. Foi visto por comerciantes da zona, que depois se aperceberam do que tinha acontecido. "Ficámos todos chocados. A senhora não merecia", afirma a porteira.
Valeu à idosa, viúva, com uma filha que apenas quis adiantar que a mãe "está estável", já em casa, um neto da moradora do 9º andar. "Pouco depois daquilo acontecer, veio aqui um jovem com cerca de 18 anos e pediu um copo de água para a socorrer. Disse-me: ‘Ajude-me que está ali uma senhora muito aflita.’ Depois, deu o alerta às autoridades", conta Kleber Pereira, de 30 anos, funcionário de um bar localizado em frente ao prédio.
"Quando o INEM chegou, ela estava muito debilitada, em pânico com o que tinha acontecido." A PSP esteve no local e está a investigar. O assaltante ainda está em parte incerta.

Agência de Notícias 
[ + ]

Operação Remédio Santo desmantela teia de burlões



Dois médicos em burla de 50 milhões de euros

Há dois médicos entre os dez detidos pela PJ, ontem, por uma burla que terá prejudicado o Estado em mais de 50 milhões de euros, e doentes: certos medicamentos eram exportados e, por cá, esgotavam.

Esquema burlou estado em 50 milhões de euros 


Um médico e uma médica de família que trabalham em Cabeceiras de Basto, quatro delegados de informação médica dos laboratórios Bial e outro de um laboratório  por identificar, dois armazenistas de medicamentos, um dos quais com instalações em Pombal, e um décimo indivíduo que fazia a ligação entre todos. Foram estes os alvos da operação "Remédio Santo", da Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) da Polícia Judiciária, com buscas e detenções no Norte e no Centro do país.
Os detidos são suspeitos de crimes de burla qualificada, falsificação de documentos e corrupção. Tanto prejudicavam o erário público como os utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Segundo fonte policial, "o prejuízo do Estado pode ascender a mais de 50 milhões de euros", pois este comparticipava várias vezes as mesmas embalagens de medicamentos, que eram escolhidos pelos suspeitos por serem muito caros - na ordem das centenas de euros - e terem comparticipações até 95 por cento.
Já os utentes do SNS eram lesados diretamente, porque "certos medicamentos essenciais" acabavam por ser exportados para outros países e chegaram a esgotar nas farmácias portuguesas, informou o Ministério da Saúde, que emitiu um comunicado, ontem à tarde, para manifestar o seu "agrado" pela "operação de grande envergadura" da PJ. O inquérito-crime é tutelado pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal do Ministério Público.

Burla originou falta de medicamentos
A burla começaria com os médicos de Cabeceiras de Basto, este uma figura conhecida da localidade por se passear de Porsche Panamera, que foi detido em Árvore, Vila do Conde, onde tem uma casa de férias. O Ministério da Saúde confirmou que os médicos suspeitos receitavam os medicamentos em nome de utentes do SNS que não precisavam de os tomar e que eram alheios a tais prescrições.
Depois, os medicamentos eram aviados nas farmácias, o que obrigava o Estado a pagar as respetivas comparticipações, e regressavam aos armazenistas. Dali, os mesmos medicamentos voltavam a seguir para as farmácias portuguesas, ou eram exportados para outros países. A exportação verificou-se, por exemplo, com um medicamento para a doença de Alzheimer que, recentemente, faltou a alguns pacientes portugueses.

Agência de Notícias 
[ + ]

Assalto à Casa da Sorte de Lisboa


Ladrões entram pela parede e levam 50 mil euros

As portas duplas da entrada traseira da Casa da Sorte, na praça da Figueira, em Lisboa, fizeram com que o grupo de assaltantes planeasse uma outra estratégia para consumar o furto milionário. E conseguiram.

Assalto à Casa da Sorte de Lisboa rendeu  cerca de 50 mil euros

Assim, ontem de madrugada, escavaram um buraco num prédio devoluto, por onde conseguiram entrar para o interior da loja de jogos. Depois, arrombaram o cofre, com cerca de 50 mil euros, e levaram ainda algumas lotarias.
Situada em plena Baixa lisboeta, a Casa da Sorte esteve ontem encerrada ao público.
Uma responsável do espaço não quis adiantar pormenores, mas acabou por confirmar ao Correio da Manhã que os ladrões entraram por uma casa ao lado, que pertence a esta conhecida casa de jogos.
O alerta caiu na PSP assim que os funcionários entraram ao serviço cerca das  oito da manhã. De imediato, aperceberam-se do assalto milionário.
A investigação está agora a ser conduzida pela Divisão de Investigação Criminal da polícia, cujos elementos estiveram ontem no local a recolher indícios.
Na entrada da loja na praça da Figueira – a principal é na praça D. Pedro IV (Rossio) – encontravam-se ainda materiais de construção civil que terão sido utilizados pelos ladrões para escavarem o buraco que lhes permitiu a entrada.
Por enquanto, a PSP está a apurar os pormenores exactos do crime, assim como o número de elementos que o levaram a cabo. Porém, a perícia com que foi efectuado leva os agentes a acreditarem que se trata de um grupo altamente organizado.
Como fica localizada numa zona rodeada maioritariamente por prédios abandonados, também não há testemunhas que tenham assistido à acção do grupo.

Agência de Notícias 
[ + ]

Assaltos que correram muito mal


Ladrões sem jeito atacam em Portugal

Uma onda de crime está a varrer Portugal de Norte a Sul  . Na maioria das vezes os assaltos são violentos e produtivos. Mas também há ladrões azarados que... ficam mal na fotografia. É o casso dos ladrões de uma ourivesaria, ontem à tarde na Covilhã, que se assustaram com o barulho das pessoas e, em Vila Nova de Gaia, um assaltante de um banco que após o roubo perdeu o saco do dinheiro... enquanto fugia!

Gang queria roubar ourivesaria na Covilhã.. mas fugiram antes!  

Boné, óculos de sol e de arma em punho, um homem assaltou, ontem à tarde, a Caixa de Crédito Agrícola da avenida da República, em Gaia. Ameaçou os funcionários de morte e, já na fuga, foi perseguido por vários moradores que ainda conseguiram recuperar o saco do dinheiro – após o ladrão ter escorregado.
O roubo armado aconteceu às 14h50. Assim que entrou, apontou a arma aos funcionários que lhe deram o dinheiro das caixas. Enquanto esteve dentro do banco, o ladrão foi surpreendido por uma cliente. A mulher ainda entrou mas acabou por sair aos gritos, alertando toda a população.
"Os funcionários de uma frutaria aperceberam-se dos gritos da cliente e quando o ladrão fugiu correram atrás dele", disse um morador. Durante a perseguição o ladrão escorregou e perdeu o saco onde estava o dinheiro.

Os ladrões trapalhões da Covilhã
Dois homens encapuzados tentaram assaltar ontem à tarde uma ourivesaria no centro da Covilhã. O assalto acabou por correr mal aos assaltantes já que "várias pessoas que os viram entrar na loja gritaram por socorro e acorreram ao local", conta António Runa, uma das testemunhas.
Carlos Pacheco, de 65 anos, proprietário da ourivesaria, estava nas traseiras enquanto a sua mulher, Ilda, de 59, conversava ao balcão com um cliente. "No início pensei que fosse uma brincadeira e só percebi que era a sério quando vi a caçadeira e começaram a gritar que queriam o ouro", conta o ourives.
Os gritos de populares e lojistas da rua acabaram por assustar os assaltantes, que não tiveram tempo para roubar o estabelecimento e puseram-se em fuga no carro que tinham à porta. Mas antes de fugirem ameaçaram voltar.
A PJ investiga.


Agências de Notícias 
[ + ]

Rapper agredido em Setúbal


Guerra de “rappers” de Setúbal provoca violência

Habituado às “provocações” musicais, o rapper DollaBill, estava longe de imaginar que as suas músicas pudessem mexer com grupos rivais. O cantor já foi agredido verbalmente e, muitas vezes, ameaçado mas nunca as palavras tinham extravasado para a violência física. Até que na terça-feira passada, após uma entrevista de promoção do seu movo trabalho, na Popular FM, em Pinhal Novo, o rapper foi brutalmente espancado por cerca de dez pessoas. Foi assistido no hospital de Setúbal onde chegou com vários traumatismos cranianos e facial, o tímpano do ouvido esquerdo rebentado e vários hematomas no corpo. Ainda abordado pela polícia, não conseguiu identificar os agressores. Mas suspeita que se trata de uma “guerra de rappers” de Setúbal.

DollaBill ficou com vários traumatismos e hematomas após agressão

De acordo com o relatório do hospital de São Bernardo, em Setúbal, DollaBill deu entrada com traumatismo craniano e facial, o tímpano do ouvido esquerdo rebentado e vários hematomas no corpo. Ainda abordado pela polícia, não conseguiu identificar os agressores,
De forma a limpar o seu nome da cidade que outrora lhe acolheu, DollaBill, conhecido como Marreco, vocalista da banda CDK, tem vindo a tentar transmitir desde a sua ultima mixtape ‘’um ponto vista cego’’, inspirada nos últimos oito anos, enquanto rapper, o quanto difícil se torna a concretização do sonho quando, como diz, “nem a sua própria cidade o apoia”. Assim o mostrou em ‘’fuck stb’’, um dos sons que causou polemica na cidade de Setúbal, que DollaBill justifica sendo a “pura realidade e que, quem é real reconhece”.
Por ironia do destino, a “falta de apoio foi para além de juntas da câmara… a própria cidade”. E diz DollaBill até “grupos da mesma comunidade rap (265click) viraram-se contra o rapper”, Começando com o “chamado beef”, onde inclusive, um ex-membro do seu grupo CDK o ataca verbalmente em sons com ameaças e ofensas.

Atacado após entrevista à Popular FM
E das ameaças vindas um pouco de todo o lado, o vocalista de “um ponto de vista cego”, acabou por ser agredido fisicamente na passada terça-feira, após uma entrevista na Popular FM, em Pinhal Novo.
Ao eu se sabe tudo aparenta “ter sido a ultima resposta ao som ‘’fuck you’’ do seu mais recente projeto ‘’mundo 3’’. O grupo foi atacado no mesmo dia que foi colocado o som na internet, dia 19 de junho, logo após a chegada a Setúbal depois de uma entrevista na rádio.
Na tentativa de contacto com DollaBill apenas retiramos a informação de que os Mundo 3 encontrava-se na rua perto do estúdio quando um grupo de dez indivíduos começaram a correr na sua direção. Dois dos membros do seu grupo correram em fuga na esperança que DollaBill também o fizesse, mas o vocalista não teve reação, pois como referiu ao ADN, nunca imaginou que “pudesse chegar a esse ponto”. E foi brutalmente espancando.

Assistido no Hospital de Setúbal
De acordo com o relatório do hospital de São Bernardo, em Setúbal, DollaBill deu entrada com traumatismo craniano e facial, o tímpano do ouvido esquerdo rebentado e vários hematomas no corpo. Ainda abordado pela polícia, não conseguiu identificar os agressores, visto serem muitos e a situação ter sido muito rápida. Mas acredita-se estar relacionado com a rivalidade entre rappers em Setúbal.

Agência de Notícias 
[ + ]

Primeira Corrida Volkswagen foi um sucesso


1500 atletas a correr dentro da linha de montagem

A primeira edição da corrida Volkswagen, que permitiu a cerca de dois mil atletas percorrerem toda a linha de produção da Autouropa no passado domingo, terminou com um balanço positivo feito pela empresa e com a promessa da sua repetição em 2013. Ao demonstrar um “grande orgulho pelo feedback positivo por parte dos participantes”, Carmo Jardim, porta voz da unidade fabril de Palmela, garante que toda a organização dos eventos de domingo esteve à altura para receber os mais de dez mil visitantes. Por outro lado, a Autoeuropa, anunciou que a empresa vai parar a produção automóvel durante o encontro das meias finais do campeonato europeu de futebol que coloca frente a frente a seleção portuguesa e a campeã em título, Espanha, amanhã. Os trabalhadores podem sair do trabalho cinco minutos antes do início e regressam ao trabalho logo após o apito final do árbitro.

Bruno Fraga foi o primeiro a cortar a meta 

“Foram feitos pequenos ajustes dentro das linhas de produção da fábrica para que os corredores pudessem passar sem inconveniente algum”, prossegue Carmo Jardim. A corrida Volkswagen recebeu 1500 atletas para a prova de dez quilómetros e 500 para a marcha de 4,5 quilómetros. Durante o resto da manhã e início da tarde, até às 15 horas, foram promovidas outras iniciativas relacionadas com o desporto e atividade física, onde os dez mil visitantes puderam participar.
 “O dia foi de celebração para os trabalhadores, famílias e entusiastas da atividade desportiva que puderam pensar blue” com as atividades de sensibilização ambiental no âmbito do programa de sustentabilidade da Volkswagen “Think blue Factory”. Este programa de redução sustentável e contínua dos impactos ambientais na produção baseia-se no consumo de energia, utilização de água e emissões de CO2 que deverão sofrer uma redução de 25 por cento até 2018.

Bruno Fraga e Ana Teresa Machado... os vencedores!
Sucesso da corrida faz empresa preparar 2ª edição em 2013

O atleta Bruno Fraga foi o vencedor do setor masculino da corrida de dez quilómetros ao finalizar em pouco mais de 31 minutos, enquanto Ana Teresa Machado foi a primeira a cortar a meta, vencendo na vertente feminina com um tempo de 39.58 minutos. Os participantes nas provas de atletismo receberam um kit composto por uma t-shirt técnica da competição e uma medalha de participação.



Autoeuropa pára produção durante o jogo entre Portugal e Espanha
A Autoeuropa vai parar a produção automóvel durante o encontro das meias finais do campeonato europeu de futebol que coloca frente a frente a seleção portuguesa e a campeã em título, Espanha, na próxima quarta feira. Carmo Jardim, porta voz da unidade fabril de Palmela, não admite que “a medida vá trazer qualquer prejuízo aos trabalhadores ou à produção de viaturas”, enquanto António Chora, coordenador da comissão de trabalhadores da Autoeuropa, já esperava “esta decisão por parte da administração da empresa logo depois da passagem de Portugal às meias finais”.
“A comissão de trabalhadores propôs a paragem nas linhas de produção durante o encontro logo a seguir à vitória da seleção portuguesa sobre a República Checa e a administração aceitou de bom grado”, prossegue António Chora. Os trabalhadores foram avisados esta tarde através de comunicado e “ficaram agradados embora não os surpreendesse que a administração aderisse ao pedido da comissão de trabalhadores”.
Carmo Jardim explica que “vai ser feito um reajustamento na produção para colmatar o tempo de paragem”, mas afasta a hipótese de os trabalhadores ficarem prejudicados pela paragem para assistir ao encontro de futebol que pode colocar Portugal na final de domingo. Com o encontro a ter início às 19h45, os trabalhadores vão ter autorização para sair das linhas de produção cinco minutos antes e regressar dez minutos após o final da partida.

Agência de Notícias 
[ + ]

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010