Dá um Gosto ao ADN

Melhores festas de Reveillon no distrito de Setúbal

Sesimbra, Setúbal, Tróia, Almada e Montijo entram em 2018 em festa 

O país já está em contagem decrescente para o último dia do ano. Pelo distrito de Setúbal há muitas - e inovadoras - sugestões para sair de casa para poder celebrar a entrada em 2018 em grande, na companhia dos seus amigos e família. O Réveillon de Sesimbra é um dos mais procurados, com animação de rua, fogo de artifício ao som de Stars and Stripes, DJ e bares aberto. Escolha entre o fogo de artifício do Tróia ou da festa de arromba na Doca dos Pescadores e na Praia da Saúde, em Setúbal. Se prefere um réveillon diferente, a Atlantic Ferries convida a entrar em 2018 a bordo de um ferrie no meio do rio Sado. Em Almada, Os Azeitonas, serão os anfitriões da passagem de ano em Cacilhas. A festa decorre até madrugada, com espectáculo pirotécnico à meia-noite. No Montijo, 2017 despede-se ao som do Dj Pedro R e entra-se em 2018 com um espectáculo de fogo de artificio na Frente Ribeirinha. Depois, madrugada dentro, há a música dos Prece Mintiera [um tributo aos Xutos e Pontapés] e da Djoana, na Praça da República. 
Em Sesimbra o novo ano começa debaixo do mar 

Dezenas de mergulhadores de todo o país vão voltar a passar o ano no fundo da Baía de Sesimbra, uma iniciativa que se começou há 11 anos, e que, desde então, é a imagem de marca deste Réveillon. O objetivo é promover o fundo do mar de Sesimbra, considerado por muitos um dos mais belos da Europa, e que atrai anualmente milhares de praticantes desta atividade. O espetáculo piromusical e a animação até de madrugada em toda a marginal completam o programa.
Há uma década, Sesimbra escrevia “2008” no fundo do mar com as luzes de mais de uma centena de mergulhadores. A originalidade e complexidade desta ação, levada a cabo por um conjunto de escolas de mergulho sediadas no concelho, com apoio da Câmara Municipal e do Turifórum, grupo de empresários ligados ao turismo, deu enorme visibilidade ao Réveillon, que passou a figurar entre os mais mediáticos do país. Desde então, recebe milhares de visitantes, que escolhem Sesimbra para entrar no novo ano.
Fogo de artifício, animação na marginal e mergulhadores, que continuam a passar o ano no fundo da Baía, numa “tradição” que é um momento de reencontro, convívio e, ao mesmo tempo, de promoção de uma atividade com enorme importância para Sesimbra, caraterizam esta festa.
Desta vez, os mergulhadores reúnem-se no Porto de Abrigo a partir das 22h30 horas e às 12 badaladas, as suas luzes acendem-se no fundo do mar. Ao mesmo tempo, o céu da vila de Sesimbra ilumina-se com o habitual espetáculo piromusical, que tem como tema a marcha Stars and Stripes, de John Philip Sousa (1854-1932), um dos mais famosos compositores norte americanos de sempre, com origens portuguesas.
"A animação está garantida entre as 22 horas e as duas da manhã pela música dos DJ Dove e Júlio Costa, no Largo da Marinha, e os restaurantes e bares terão as portas abertas até de madrugada. Promovido pela Câmara de Sesimbra e Turifórum, o Réveillon tornou-se, na última década, num dos pontos altos do Turismo em Sesimbra, e num importante dinamizador da economia local", explica a autarquia em nota enviada à Agência de Notícias.

Fim de ano ainda mais Azul entre Setúbal e Tróia 
Setúbal espera milhares para a passagem de ano 
Setúbal saúda a entrada em 2018 com um programa de festejos reforçado à beira-Sado, que inclui três palcos com animação musical, carrinhas de street food ao longo da zona ribeirinha e um espetáculo pirotécnico com algumas novidades.
O réveillon volta a ser um Fim de Ano Azul entre Setúbal e Tróia, com um programa de festas repartido entre as duas margens.
Enquanto a animação na marina e no casino asseguram a festa em Tróia, na cidade de Setúbal as comemorações, todas de entrada livre, centram-se na frente ribeirinha, este ano com mais um ponto de animação musical, na zona lateral ao edifício dos pescadores, e com carrinhas de street food ao longo da zona ribeirinha.
A música reparte-se entre a Doca dos Pescadores, animada por SaxChique, a partir das 23 horas, o novo palco junto do edifício dos pescadores, que recebe Coronel Cantiga a partir das 0h15, e a Praia da Saúde, com um espetáculo de Jorge Nice, com início à mesma hora.
O fogo de artifício que enche de luz e cor o Sado a partir da meia-noite, é este ano antecedido de contagem decrescente numa estrutura instalada a cerca de trinta metros de altura, com números iluminados, de forma a que sejam visíveis a todos os participantes.
Novidade é também a colocação de dois novos postos de fogo em plataformas colocadas no rio, num total de cinco rampas de lançamento simétricas que permitem a realização de um espetáculo pirotécnico multidisposto, preenchido uniformemente, com redução dos pontos mortos.
A festa da noite mais longa do ano também é feita em mais de seis dezenas de restaurantes e bares da frente ribeirinha e da Avenida Luísa Todi, que ficam abertos até mais tarde e dinamizam programas de animação para aqueles que escolhem Setúbal para festejar a entrada em 2018.

Passagem de ano no Montijo com música e fogo de artifício
Montijo volta à rua no último dia de 2017 

Pelo segundo ano consecutivo, Montijo celebra a noite de passagem de ano com música e fogo de artifício: no dia 31 de Dezembro, a partir das 22 horas junte-se à festa de réveillon no centro da cidade.
Entre as 22 e a meia-noite, na Praça da República vai atuar o Dj Pedro R. Natural do Montijo, jornalista de profissão, Pedro Ramalho aka Dj Pedro R, encontrou no hobbie de Dj a oportunidade de partilhar o seu gosto musical, o que o tem levado às melhores casa da região da Grande Lisboa, Margem Sul, Algarve e Centro do país.
Após a pausa musical para o surpreendente espetáculo de fogo-de-artifício que terá lugar à meia-noite, na Frente Ribeirinha, o regresso da animação à Praça da República será pela mão da Banda Prece Mintiera, numa viagem ao rock dos anos 80 e numa homenagem a Zé Pedro e aos Xutos & Pontapés.
Para finalizar, a DJoana irá subir ao palco da Praça da República, para animar com a sua música todo o público presente, até às quatro da madrugada. Aos comandos de cabines de norte a sul desde 2008, Djoana demonstra em palco o seu requintado bom gosto musical, com particular destaque para a música contemporânea do fim do século XX início do século XXI.

Festa da Passagem de Ano com Os Azeitonas a partir das 23 horas em Cacilhas
Almada recebe novo ano em Cacilhas com música e fogos 
Os Azeitonas vão atuar, na noite de 31 de Dezembro e madrugada de 1 de Janeiro, em Cacilhas, Almada. A banda portuguesa foi a escolhida pelo município para dar as boas-vindas ao novo ano que está a chegar, um espetáculo que terá como pano de fundo o rio Tejo e a fragata D. Fernando II e Glória.
O concerto tem início marcado para as 23 horas e irá prolongar-se até às duas da madrugada, tendo uma pausa à meia-noite para que todos possam apreciar o fogo de artifício que marca o arranque de 2018.
A autarquia faz saber que o trânsito estará condicionado entre as 18 horas e as 01h30 na Rotunda de Cacilhas (acesso ao terminal fluvial), na Rua Carvalho Freirinha, junto à Rua Elias Garcia e praças contíguas, nas pracetas junto à Avenida 25 de Abril (Rua Eugénio de Castro, Rua António Nobre, Rua Mário de Sá Carneiro e Praceta Sebastião da Gama) e na Avenida Aliança Povo MFA, junto à Lisnave no sentido Cova da Piedade-Cacilhas.
No que diz respeito aos transportes públicos, a circulação nas ligações a Cacilhas via Metro Sul do Tejo estarão interrompidas apenas durante o fogo de artifício.
Quanto aos autocarros da TST, a partir das 23 horas haverá deslocação de paragem para perto da Rotunda de Cacilhas, sendo que a partir dessa hora apenas circularão as carreiras 107, 124 e 133.
Por fim, as ligações fluviais Cacilhas-Cais do Sodré (até à 1h20) e Cais do Sodré-Cacilhas (até à 1h40) decorrerão normalmente. “Depois poderão existir ligações entre as duas margens, em função da procura existente”, lê-se no comunicado da autarquia.

Agência de Notícias 


[ + ]

Mais de cem voluntários limpam praia de Alcochete

Mais de três toneladas de lixo tirados da praia dos Moinhos

Mais de cem voluntários participaram na 4ª limpeza de praias no estuário do rio Tejo, que decorreu no dia 17 de Dezembro último, na praia dos moinhos em Alcochete, numa organização da Brigada do Mar em parceria com a Câmara  de Alcochete e Fundação das Salinas do Samouco. Durante esta ação de limpeza da praia foram recolhidos 3160 kg de resíduos, entre os quais embalagens de plástico, metal e vidro. 
Toneladas de resíduos foram tirados do Tejo   

Nas três ações de limpeza promovidas pela Brigada do Mar participaram mais de 60 voluntários e foram retirados mais de 600 sacos de lixo de 120L, que corresponderam a aproximadamente a cinco toneladas de resíduos, quantificando-se mais de quatro mil garrafas de vidro e mais de 20 mil garrafas e embalagens de plástico, destas mais de três eram embalagens de óleo e lubrificantes de motores de embarcações.
Recorde-se que a Brigada do Mar é uma associação constituída por um grupo de voluntários que desde 2009 desenvolve ações de proteção da biodiversidade, de intervenção ambiental e desenvolvimento de atitude e consciência cívica, com especial foco de descontaminação e limpeza de praias da orla marítima portuguesa.

Agência de Notícias com Câmara de Alcochete
[ + ]

Moita aprova orçamento de 31,4 milhões para 2018

Reabilitação urbana dos núcleos antigos é prioridade no próximo ano

A Câmara da Moita aprovou, por maioria,, as Grandes Opções do Plano e o Orçamento para 2018, no valor de 31,4 milhões de euros. Na reunião foi também aprovada a manutenção do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) em 0,38 por cento, para os prédios urbanos novos, transmitidos e reavaliados no domínio da vigência do Código do Imposto Municipal sobre Imóveis. Note-se que, apesar da receita decorrente da liquidação de IMI se revestir de primordial importância para a gestão orçamental e financeira do município, a Câmara da Moita "tem mantido uma taxa inferior à máxima aplicável, mesmo durante os períodos mais difíceis do ponto de vista financeiro, o que se traduz num alívio da carga fiscal para todos os munícipes", explica a autarquia à Agência de Notícias. 
Autarquia aprova orçamento e dá prioridade à reabilitação 


As Grandes Opções do Plano para 2018 retratam, de acordo com o documento, “a continuidade do trabalho realizado ao longo dos anos, tendo como princípio basilar a defesa do serviço público e a prossecução do interesse dos cidadãos que vivem e trabalham no concelho da Moita”. 
O documento espelha, diz a Câmara da Moita, "a aposta numa prestação de serviços públicos de qualidade em todas as áreas da competência da Câmara Municipal – nomeadamente espaços verdes, salubridade e ambiente, abastecimento de água, saneamento e energia, repavimentação e arruamentos, território, assuntos sociais, educação, cultura, desporto, movimento associativo, desenvolvimento económico e proteção civil –, salientando que a falta de recursos humanos, que tem se tem vindo a agravar nos últimos anos, é cada vez mais um desafio colocado à gestão".
Como linha prioritária de intervenção para 2018, o documento aponta a "reabilitação urbana dos núcleos antigos, mais envelhecidos, sendo de destacar as seis áreas de reabilitação urbana já delimitadas, em todas as freguesias do concelho, com uma área total de 230 hectares e um universo de 5500 edifícios".
A premissa de cada uma destas áreas passa por estabelecer um conjunto de "incentivos à reabilitação do edificado degradado que mobilize os particulares para intervir e rentabilizar o seu património em benefício do interesse público", sublinha o documento. 
As Grandes Opções do Plano para 2018 perspetivam ainda "investimentos futuros que passam pelas candidaturas apresentadas no âmbito do Portugal 2020, em áreas como a mobilidade sustentável, a requalificação e modernização do parque escolar e a intervenção em comunidades desfavorecidas, na freguesia do Vale da Amoreira, com conclusão no ano de 2020", sublinha a autarquia chefiada por Rui Garcia. 
O lançamento de derrama, a participação do Município no IRS e o mapa de pessoal para o ano de 2018 estiveram também em discussão na ordem do dia. As propostas aprovadas nesta reunião foram submetidas à aprovação da Assembleia Municipal.

Agência de Notícias com Câmara da Moita

[ + ]

Câmara exige construção de circular a Santiago do Cacém

Autarquia quer que o Governo invista na obra 

Álvaro Beijinha, presidente da Câmara de Santiago do Cacém, voltou a exigir, junto da Infraestruturas de Portugal, a construção de uma circular a Santiago do Cacém que afaste o trânsito de pesados da cidade, dando cumprimento a uma velha reivindicação da autarquia e da população prevista no Plano de Urbanização da Cidade, desde 1998. Esta foi uma das matérias apresentadas pelo autarca, na recente reunião que realizou com as Infraestruturas de Portugal, em Almada, com técnicos e responsáveis da empresa, e explica que esta “ é uma obra cuja responsabilidade terá que ser da Infraestruturas de Portugal, porque estamos a falar de Estradas Nacionais, e essa responsabilidade é desta entidade pública.
Câmara defende construção de circular à cidade  

"Não compreendemos quem argumenta que deverá ser a Câmara a ter de resolver o problema. Esse tipo de argumento é de quem quer que os dinheiros municipais, que já são escassos, sejam canalizados para responsabilidades que não são municipais”, diz Álvaro Beijinha.
Falamos de uma obra que poderá custar muitos milhões de euros e que de acordo com o autarca “deixariam de ser investidos naquilo que é a responsabilidade municipal e por isso a nossa posição é de exigir a construção da circular a quem de direito, neste caso às Infraestruturas de Portugal e ao Governo a quem já levámos também esta nossa preocupação”, sublinha o autarca de Santiago do Cacém.
Álvaro Beijinha argumenta que “neste enquadramento financeiro que o país vive e que felizmente já não é tão mau como há três ou quatro anos atrás, se possa pelo menos equacionar a elaboração do projeto para se perceber o seu custo”, esta foi uma questão, recorde-se, já apresentada anteriormente pelo autarca na reunião realizada em Outubro de 2016, e que até agora não viu desenvolvimentos por parte da Infraestruturas de Portugal.
O autarca revela que “nós, inclusive, apresentámos uma proposta diferente daquela que está no Plano de Urbanização no sentido de minimizar custos, ou seja, ser uma circular com um percurso mais reduzido. Foi-nos transmitido que não seria uma solução fácil e estariam sempre dependentes da tutela, porque a Infraestruturas de Portugal é uma empresa 100 por cento pública que depende de financiamento do orçamento de estado e que iria ser avaliado”, acrescenta o presidente da Câmara de Santiago do Cacém.

Agência de Notícias com Câmara de Santiago do Cacém 

[ + ]

Governo e Câmara do Seixal realojam 234 famílias

Famílias do Vale de Chícharos vão ser realojadas até 2022

Os moradores em Vale Chícharos, no Seixal, festejaram a assinatura do acordo de colaboração entre o Governo e a Câmara do Seixal que prevê um financiamento de 15 milhões de euros para o realojamento de 234 famílias. "Estamos todos felizes, acho que é um dia de euforia para todos nós. Temos estado sempre a bater o pé. Tentámos [pressionar] por todos os meios - foi jornalistas, rádios, pedidos de reuniões, Assembleia da República -, temos estado aqui numa luta constante para ver se conseguimos. Penso que agora podemos dizer que conseguimos o objetivo e que existe a garantia de que todos os moradores do bairro serão realojados", disse à agência Lusa Vanusa Coxi, moradora num dos prédios degradados em Vale de Chícharos. O presidente da Câmara  do Seixal, Joaquim Santos, pretende demolir os prédios inacabados de Vale de Chícharos após o realojamento das famílias, de forma a impedir que voltem a ser ocupados, e lamentou a ausência do proprietário dos terrenos, que tem um diferendo com o município e que reclama uma indemnização de 13 milhões de euros. 
234 famílias terão casa nova até 2022 no Seixal 

"Vivo aqui há 19 anos. Há quem aqui viva há 30 anos. Foi bom receber a notícia, que para mim foi uma vitória conquistada. É uma vitória do bairro todo, mas, principalmente, minha. Foram três anos de luta, de reuniões, muitas dores de cabeça, sonhos frustrados. Mas hoje foi como se fosse uma bênção que recebemos. Não há melhor prenda de Natal do que essa", corroborou Dirce Noronha, atual presidente da associação de moradores.
Segundo Dirce Noronha, além de muitos outros problemas, os prédios inacabados de Vale de Chícharos, onde residem as 234 famílias que vão ser realojadas até 2022, não estão ligados à rede de saneamento básico.
"Os prédios todos têm cave e subcave. As caves e subcaves recebiam os esgotos das casas e a acumulação de esgotos oxidava as fundações do prédio. Havia bocados dos pilares a cair e o ferro estava oxidado. Tínhamos medo disso e da sobrelotação. O lote 10, a que chamamos a torre de Babel, tem capacidade para 40 famílias e tem 64 famílias. É um excesso de carga e a maioria das casas não tem saneamento básico. Vai tudo para as caves", disse.

Câmara quer evitar erros do passado 
Os moradores de Vale de Chícharos falavam à agência Lusa pouco depois da assinatura do acordo de colaboração entre Governo e autarquia, e que também conta com a colaboração da Santa Casa da Misericórdia do Seixal, que prevê o realojamento das primeiras 64 famílias no espaço de algumas semanas, como salientou o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, na cerimónia que decorreu na Câmara do Seixal.
"São 234 famílias que vivem nesta urbanização. Há um lote - lote 10 - que está em situação de particular fragilidade e onde vivem 64 famílias, para as quais, em semanas, muito depressa, estimamos mesmo que ainda este ano - e só falta uma semana para o final do ano - a Câmara do Seixal e a Santa Casa da Misericórdia celebrem os primeiros contratos-promessa das novas casas onde essas pessoas vão ser realojadas", disse.
"Este é um problema com décadas. É evidente a total ausência de condições de qualidade de vida das pessoas que ali moram. Uma política de habitação como a que queremos conduzir tem, certamente, uma reflexão e uma proposta de fundo para o país, mas também tem de ter um conjunto de ações muito concretas. Estas 64 famílias, num prazo de semanas, vão ter a casa nova que merecem", reforçou o governante.
O presidente da Câmara  do Seixal, Joaquim Santos, revelou que pretende demolir os prédios inacabados de Vale de Chícharos após o realojamento das famílias, de forma a impedir que voltem a ser ocupados, e lamentou a ausência do proprietário dos terrenos, que tem um diferendo com o município e que reclama uma indemnização de 13 milhões de euros, por alegado incumprimento de um protocolo assinado no ano 2000 com a autarquia.
Joaquim Santos garantiu também que o modelo de realojamento que vai ser seguido procura evitar os erros do passado, em que as famílias eram realojadas num mesmo bairro.
"Entre o programa PER (Programa Especial de Realojamento) em bairro ou o PER Famílias, que era disperso, o modelo que funcionou melhor foi o PER Famílias, em que as famílias são colocadas em habitações um pouco por todo o concelho, não concentrando os problemas", disse.
"O PER Famílias no Seixal resultou de forma extraordinária. Mais de 90 por cento das famílias alvo desse programa foram realojadas e integradas com sucesso. Nós estimamos que cerca de 10% do parque habitacional do Seixal está devoluto - cerca de 8 mil frações - e, por isso, e não será difícil encontrar soluções para realojar as 234 famílias. Encontrámos solução facilmente para as 64 famílias, que vão ficar perto da zona que já habitam, até para não haver problemas com as deslocações casa/trabalho, com a escola dos filhos", acrescentou o autarca.

Reabilitação é uma regras da nova geração de políticas de habitação
Para a secretária de Estado da Habitação, Ana Pinho, "a reabilitação do edificado, por várias razões, é um passo mais além de uma política de habitação para a melhoria da qualidade de vida e desenvolvimento do país e é a forma mais sustentável de o fazer".
"Reaproveita recursos, matéria-prima já instalada, aproveita trabalho, muitas vezes de séculos, no centro das nossas cidades, de infraestruturação, de proximidade, garante a sustentabilidade dos transportes públicos, garante que estas populações ficam integradas no sistema urbano e não são colocadas em periferias, muitas vezes até em situações mais precárias no acesso ao emprego e, de facto, dá uma qualidade ambiental, urbana e de coesão social que outras soluções não têm demonstrado", disse Ana Pinho, assegurando que a reabilitação é uma das principais regras da nova geração de políticas de habitação.
O acordo de realojamento das 234 famílias, no valor global de 15 milhões euros, será assegurado em 13 milhões de euros pela administração central, sendo que metade desta verba será concedida ao município do Seixal a fundo perdido, no âmbito do Programa de Financiamento para Acesso à Habitação, e a outra metade a título de empréstimo.

Agência de Notícias com Lusa
[ + ]

Acordo eterniza Sebastião da Gama em Setúbal

“Tudo vai ser diferente na divulgação da obra de Sebastião da Gama”

A Câmara de Setúbal e outras seis entidades culturais da região e do país firmaram um acordo de cooperação para a concretização de vários projetos destinados a divulgar o legado intelectual do poeta e pedagogo Sebastião da Gama, que nasceu em Vila Nogueira de Azeitão. Em cerimónia realizada no Salão Nobre dos Paços do Concelho, a presidente da autarquia, Maria das Dores Meira, sublinhou que se trata de um acordo importante porque “visa perpetuar a memória de um grande poeta”. O compromisso de cooperação celebrado entre as sete entidades tem como principal objetivo a implementação de projetos conjuntos de investigação, bem como de eventos científicos e culturais para a divulgação do legado intelectual de Sebastião da Gama em meios académicos e junto de públicos nacionais e estrangeiros.
Setúbal vai divulgar e preservar legado de  Sebastião da Gama

Além da Câmara Municipal, o protocolo foi assinado pela Universidade Aberta, a Cátedra Infante Dom Henrique para os Estudos Insulares Atlânticos e a Globalização, a Junta de Freguesia de Azeitão, a Associação Cultural Sebastião da Gama, o Instituto Europeu de Ciências da Cultura Padre Manuel Antunes e o Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
O reitor em exercício da Universidade Aberta, Domingos Caeiro, destacou que, “pela importância na poesia e na pedagogia, Sebastião da Gama deve ter um espaço de destaque na cultura portuguesa”.
Entre as diferentes ações a implementar está prevista a criação da Casa-Memória de Joana Luísa e Sebastião da Gama e a produção de um documentário televisivo sobre a vida e obra do poeta e pedagogo.
No plano literário, a cooperação resultante do acordo celebrado deverá produzir uma edição crítica da obra completa de Sebastião da Gama e a tradução da obra seleta do poeta natural de Azeitão em inglês, francês e espanhol.
José Eduardo Franco, diretor da Cátedra Infante Dom Henrique, destacou que“a internacionalização, já que é feita em tantos setores da sociedade portuguesa, é também um desígnio importante na área da cultura como forma de afirmação e projeção do país”.
Alexandrina Pereira, da Associação Cultural Sebastião da Gama, salientou que este é um protocolo concretizado “entre sete entidades que se complementam, devido às suas diferentes áreas de atuação”.
A elaboração de um dossier especial dedicado a Sebastião da Gama na revista Letras Com Vida é outra das ações a desenvolver.
“Estamos a cumprir o nosso dever de preservar e honrar a memória do nosso Gama”, destacou a presidente da autarquia, Maria das Dores Meira, para quem Sebastião da Gama “será sempre, para todos os setubalenses, forte motivo de inspiração”.

Espólio enriquecerá o conteúdo da futura casa-museu
O resultado deste acordo traduz-se “num dia de grande alegria” para a presidente da Junta de Freguesia de Azeitão, Celestina Neves, para quem, a partir desta data, “tudo vai ser diferente na divulgação da obra de Sebastião da Gama”.
O momento significa, ainda, para Susana Alves de Jesus, do Instituto Padre Manuel Antunes, uma justa homenagem a um homem, igualmente um destacado pedagogo, “que soube incutir valores nos seus alunos e na própria cultura portuguesa”, sendo que para João Relvão Caetano, coordenador do polo do Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, “é bom lembrar homens e mulheres da grandeza de Sebastião da Gama e é bom a universidade fazer parte desse objetivo”.
Em paralelo ao acordo de cooperação, a Câmara de Setúbal e a Associação Sebastião da Gama assinaram um auto de entrega de espólio de Sebastião da Gama, confiado à autarquia, em testamento, pela mulher do poeta, Joana Luísa.
A presidente da Câmara Municipal destacou, ainda, a “enorme generosidade”de Joana da Gama, viúva do poeta, também já falecida, e que legou à autarquia um importante espólio de Sebastião da Gama.
Entre esse espólio, que enriquecerá o conteúdo da futura casa-museu, contam os manuscritos de importantes obras de Sebastião da Gama, como o “Diário” e “A Região dos Três Castelos”, assim como a tese de licenciatura e o texto da conferência “Lugar de Bocage na nossa Poesia de Amor”.
“Sinto-me honrada por ter um espólio desta natureza ao cuidado da Câmara Municipal”, frisou Maria das Dores Meira.
Salientou, ainda, que obras como “O Diário” são “documentos históricos que não devem ficar nas mãos de uma só pessoa”.
A autarca referia-se ao facto de aquela obra em particular quase ter sido dada pelo autor ao seu professor metodólogo, tendo sido impedido por Joana Luísa, que se disponibilizou para redigir uma cópia da mesma, tendo, essa sim, acabado por ter sido entregue como presente.

Vida dedicada à poesia e à Arrábida 
As doações deixadas por Joana da Gama à Câmara Municipal incluem, igualmente, condecorações atribuídas ao poeta, concretamente a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique, a Medalha de Ouro da Cidade de Setúbal e a placa de homenagem da autarquia e da Associação Cultural Sebastião da Gama entregue à viúva por altura do primeiro aniversário do Dia Municipal da Arrábida.
Sebastião Artur Cardoso da Gama nasceu a 10 de Abril de 1924, em Vila Nogueira de Azeitão, tendo completado a licenciatura em Filologia Românica em 1947 na Faculdade de Letras de Lisboa.
“Serra-Mãe”, de 1945, foi a primeira obra do poeta editada em vida, seguindo-se “Cabo da Boa Esperança”, de 1947, e “Campo Aberto”, 1951.
No dia 7 de Fevereiro de 1952, Sebastião da Gama morre, com apenas 27 anos, vítima de tuberculose renal, doença que sofria desde a adolescência.
O acordo de cooperação tem a duração de um ano, renovado automaticamente por iguais períodos.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal
[ + ]

Sines aprova orçamento de 32,4 milhões

Câmara de Sines prevê criar Observatório do Mar em 2018

A construção de um Observatório do Mar, a reabilitação do Mercado Municipal e a aposta na eficiência energética são algumas das prioridades da Câmara de Sines, que aprovou um orçamento de 32,4 milhões de euros para 2018. Entre as prioridades do executivo municipal de Sines, no distrito de Setúbal, liderado pelo PS, está o início de intervenções de reabilitação no Mercado Municipal e no seu espaço exterior, na Rua Marquês de Pombal, no Bairro Soeiro Pereira Gomes e da Quinta dos Passarinhos, no Largo da Boavista e na Escola Básica da Quinta dos Passarinhos. Os documentos foram aprovados pela maioria PS na Câmara e na Assembleia Municipal de Sines, com os votos contra da CDU e a abstenção do movimento SIM.
Sines vai criar o Observatório do Mar já no próximo ano 

A conclusão da ciclovia e do canal pedonal desde a Estrada da Floresta até à entrada da cidade, a segunda fase de reabilitação do Bairro 1.º de Maio, a reabilitação do Parque de Merendas e do antigo lavadouro, a construção de um novo parque urbano e de um novo parqueamento automóvel são outros dos investimentos previstos para o próximo ano.
A intenção, segundo o presidente da autarquia, Nuno Mascarenhas, citado num comunicado enviado à agência Lusa, é aplicar "uma estratégia de desenvolvimento económico e social delineada com o objectivo de promover a contínua e progressiva transformação do município num território cosmopolita, solidário, competitivo e internacional".
A estratégia está prevista nas Grandes Opções do Plano 2018-2021, numa altura em que, destacou o autarca, houve uma "redução substancial da dívida, conseguida no anterior mandato", está a decorrer o actual quatro comunitário de apoio e estão "ultrapassadas situações que se traduziram numa grande redução das receitas provenientes da derrama".
Nuno Mascarenhas considerou, por isso, estarem reunidas "condições que permitem encarar com optimismo a realização das acções e iniciativas previstas para os próximos anos".
Entre os projectos de investimentos previstos, a Câmara de Sines pretende também continuar a reabilitação e expansão da Zona Industrial Ligeira 2 e criar uma linha directa de acesso à zona portuária, criar novos campos de jogos em duas escolas básicas, construir um Observatório do Mar e reabilitar o Centro Recreativo Sineense para receber um posto de turismo.
A autarquia quer ainda concretizar um programa de eficiência energética nos edifícios municipais, dar início a um o Programa de Apoio ao Comércio Tradicional, criar o Cartão Jovem Municipal, um skate park e uma Reserva Arqueológica Subaquática, apoiar os idosos na aquisição de medicamentos e promover estudos para determinar a qualidade ambiental.

Agência de Notícias com Lusa
[ + ]

Marcelo esteve na Moita e no Barreiro na véspera de Natal

Presidente da República dá força à Raríssimas "para continuar"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, foi "desejar Bom Natal aos utentes da Casa dos Marcos, na Moita", que "estão acima de todas as polémicas", passando por este espaço da associação Raríssimas na véspera de Natal, domingo. Apesar da polémica e das suspeitas que recaem sobre a ex-presidente da instituição, Paula Brito e Costa, o Chefe de Estado fez questão de tranquilizar utentes e familiares, deixando a garantia de que não vão ficar desamparados. "Disse-nos que a associação não vai fechar. Que é preciso seguir em frente, mas que não vão fechar portas", disse uma mãe de uma utente da Casa dos Marcos, explicando que a presença do Presidente da República na associação não foi surpresa para alguns, pois já esperavam um gesto desta natureza da parte de Marcelo Rebelo de Sousa. Apesar da visita, o futuro continua a ser motivo de medo e insegurança para as dezenas de pessoas que confiam os seus familiares à instituição de solidariedade social. O Presidente visitou ainda, na véspera de Natal, o Barreiro, onde foi recebido por milhares de pessoas para a tradicional ginjinha
Marcelo Rebelo de Sousa surpreende utentes da Rarísimas 

O Presidente da República justificou na noite deste domingo a sua visita à Raríssimas como um sinal de que a obra "é para continuar" e antes de partir para Pedrógão Grande, onde passará o Natal, voltou ao Barreiro para beber uma ginjinha.
Este domingo, durante a tarde, fonte oficial de Belém revelou que Marcelo Rebelo de Sousa tinha visitado na Moita (distrito de Setúbal) a Casa dos Marcos, da Raríssimas, que está a ser investigada pela Polícia Judiciária depois de a TVI ter revelado documentos que colocam em causa a gestão da instituição de solidariedade social.
"Fiz de propósito de forma discreta. A ideia era, por um lado, estar com quem lá permaneceu", explicou Marcelo Rebelo de Sousa em declarações aos jornalistas, já no Barreiro, no mesmo distrito, dizendo ter visitado cerca de uma dezena de jovens na Casa dos Marcos e outras 20 pessoas na unidade de cuidados continuados, quase todos acompanhados pelas suas famílias.
O chefe de Estado disse ter encontrado "tudo a funcionar impecavelmente" e não ter ouvido qualquer queixa do pessoal da instituição, apenas um grande "vontade de continuar".
"Foi também para simbolicamente dizer que é uma obra para continuar, tem de se pensar nos beneficiários, nos utentes, e foi isso que simbolicamente quis dizer na véspera de Natal", justificou.
Apesar da polémica e das suspeitas que recaem sobre a ex-presidente da instituição, Paula Brito e Costa, o Chefe de Estado fez questão de tranquilizar utentes e familiares, deixando a garantia de que não vão ficar desamparados. "Disse-nos que a associação não vai fechar. Que é preciso seguir em frente, mas que não vão fechar portas", disse uma mãe de uma utente da Casa dos Marcos, explicando que a presença do Presidente da República na associação não foi surpresa para alguns, pois já esperavam um gesto desta natureza da parte de Marcelo Rebelo de Sousa. Apesar da visita, o futuro continua a ser motivo de medo e insegurança para as dezenas de pessoas que confiam os seus familiares à instituição de solidariedade social. "Acredito que haja ainda muito por descobrir e outros nomes que virão à tona. Não podemos estar descansados com as diferentes notícias que vemos diariamente", sublinha aquela mãe.

Milhares na ginjinha do Barreiro
Milhares receberam Presidente nas ruas do Barreiro 
No Barreiro, durante quase hora e meia, Marcelo percorreu com dificuldade, a pé, menos de uma centena de metros, já que a cada passo que dava era rodeado por dezenas de pessoas que o queriam cumprimentar e tirar as já famosas 'selfies' com o Presidente.
O Presidente da República, que no ano passado veio conhecer pela primeira vez a tradição de muitos populares do Barreiro de beberem uma ginjinha antes do jantar de Natal, confessou "ter ficado seduzido" por não conhecer outro ponto do país onde se prepare desta forma a consoada.
"Assim esteja vivo e de boa saúde e nos próximos anos cá estarei em 2018, 2019 e 2020", prometeu, referindo-se aos anos que ainda lhe faltam cumprir de mandato presidencial.
Do Barreiro, o chefe de Estado seguiu para um jantar em família e partiu nesse mesmo dia para Pedrógão Grande (distrito de Leiria), onde irá passar o dia de Natal, entre alguns dos que perderam familiares nos incêndios de Junho.
Questionado sobre que mensagem de Natal gostaria de deixar aos portugueses, Marcelo salientou que lhe caberá falar no Ano Novo e que, nesta quadra, é o primeiro-ministro, António Costa, quem se dirige aos portugueses.
"O que sinto como pessoa é que esta é uma noite muito especial, uma noite de família, de paz, de solidariedade e de amor", afirmou, defendendo que esta quadra é propícia a pensar nos que "estão distantes fisicamente e na sua alma".
"É uma noite em que naturalmente nos sentimos muitos próximos, muito juntos", afirmou.
Muito próximos do Presidente quiseram estar grande parte dos populares que passaram segunda-feira no Barreiro, já que, além dos que eram surpreendidos pela presença do chefe de Estado, outros ligavam a familiares e amigos para que o fossem ver ao vivo.
"Estou a três pessoas de o cumprimentar", dizia uma senhora, que falava ao telefone, enquanto muitos punham os filhos às cavalitas para que o pudessem ver.
Alguns aplausos e, de vez em quando, os gritos "Marcelo, Marcelo" marcaram o final da véspera de Natal do Presidente da República, que se deslocou ao Barreiro apenas acompanhado de seguranças.
O percurso, curto, terminou na Tasca Galega, uma das mais emblemáticas, onde havia quem esperasse o Presidente desde as 15h30.
Apesar de já ter bebido algumas ginjinhas que lhe iam sendo oferecidas por populares na rua, foi nesta Tasca que o chefe de Estado deixou o brinde: "Feliz Natal para todos os portugueses, os que servem Portugal, tanto os que estão cá como lá fora".

Agência de Notícias com Lusa

[ + ]

Câmara do Montijo já prepara Carnaval de 2018

30 mil euros para cinco dias de festa rija em Fevereiro 

Na reunião da Câmara do Montijo de 20 de Dezembro foi aprovado, por unanimidade, a atribuição de um apoio financeiro, no valor global de 30 mil euros, para a organização da edição de 2018 do Carnaval de Montijo. Os apoios, no valor unitário de seis mil euros, vão ser concedidos às coletividades que constituem a Comissão Organizadora do Carnaval: Banda Democrática 2 de Janeiro, Sociedade Filarmónica 1.º de Dezembro, Motoclube do Montijo, Clube Desportivo Cultural e Recreativo “Os Unidos” e A Quadrada. O Grupo “Os Comilões” não recebe apoio financeiro, mas também integra a Comissão Organizadora.
Carnaval está na rua de 9 a 13 de Fevereiro

Relativamente ao valor concedido para o Carnaval de 2017, a verba atribuída pela câmara "é superior em cinco mil euros e tem como objetivo apoiar a construção de carros alegóricos para os corsos carnavalescos, a contratação de grupos de músicos e a aquisição de fantasias de Carnaval", explica a autarquia em comunicado.
O Carnaval de Montijo 2018 vai decorrer de 9 a 13 de Fevereiro. Está prevista a participação de 1750 figurantes nos desfiles dos corsos carnavalescos, pertencentes a mais de 30 entidades/associações do concelho. Para além de um aumento no número de figurantes, haverá, igualmente, um incremento na quantidade de carros alegóricos.
A realização do Carnaval de Montijo foi retomada em 2017, por iniciativa de coletividades locais, com o apoio da Câmara Municipal do Montijo e da Junta de Freguesia da União das Freguesias de Montijo e Afonsoeiro, assim como de empresas e entidades privadas do concelho.
"Este evento, de caráter gratuito para quem assiste, permite manter as tradições, a identidade local e promover a participação do movimento associativo, da sociedade civil e da população na vida cultural do concelho", sublinha a autarquia chefiada por Nuno Canta. A edição de 2017 registou mais de 30 mil visitantes.

Agência de Notícias com Câmara de Montijo
[ + ]

Doações de Setúbal levam água aldeia em Moçambique

Autarquia e mecenas juntam dinheiro para construção de poços de captação de água potável

A Câmara de Setúbal aprovou, em reunião do executivo, a aceitação de doações no âmbito de uma campanha solidária para construção de poços de captação de água potável em Quelimane, em Moçambique. A campanha impulsionada pela autarquia contou com o apoio mecenático de cinco empresas da região, que fizeram doações para a construção de um ou mais poços de captação de água potável em Quelimane, cujo valor unitário está orçado em 2 mil e 965 euros. A autarquia de Setúbal "decidiu lançar uma campanha de angariação de fundos para a construção de poços de captação de água potável de forma a mitigar este gravíssimo problema e assim mudar o presente e construir o futuro de muitos milhares de crianças”, sublinha a deliberação.
Setúbal ajuda população a ter água portável mais perto de casa 

Associaram-se a esta causa solidária em Quelimane, cidade com a qual Setúbal tem um protocolo de geminação desde 2000, a M Lupi-Sociedade Imobiliária Unipessoal Lda., a Mobilift Portugal Lda., a VSObras24h Unipessoal, Lda., a Herdade de Algeruz Empreendimentos Turísticos Lda. e a Squareview Lda.
A campanha deu resposta a uma necessidade identificada aquando da visita, no ano passado, de uma delegação setubalense àquela cidade moçambicana, altura em que foi partilhada pelos autarcas locais a dificuldade de a população residente em bairros periféricos aceder a água potável.
A escassez de água registada naquela zona de Moçambique obriga a que as pessoas percorram, diariamente, grandes distâncias para obter água, situação que se torna mais preocupante no caso das crianças, o que contribui para uma taxa de abandono escolar na ordem dos 62 por cento.
“A Câmara Municipal de Setúbal decidiu lançar uma campanha de angariação de fundos para a construção de poços de captação de água potável de forma a mitigar este gravíssimo problema e assim mudar o presente e construir o futuro de muitos milhares de crianças”, sublinha a deliberação.
Além da aceitação das doações, a autarquia deliberou a aprovação de um voto de agradecimento às empresas pelo apoio concedido e de uma declaração às empresas para efeitos fiscais dos montantes doados para a construção dos poços de captação de água potável em Quelimane.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 
[ + ]

Trabalhadores ameaçam dois dias de greve na Autoeuropa

Fábrica de Palmela pode parar a 2 e 3 de Fevereiro 

A Comissão de Trabalhadores da Autoeuropa foi, mais uma vez, contrariada pela vontade expressa da maioria dos trabalhadores: uma proposta surgida de um grupo de base foi aprovada em cinco dos seis plenários realizados durante o dia e noite de quarta-feira. Um primeiro plenário, com predominância dos trabalhadores de escritórios, rejeitou a proposta de dois dias de greve. Mas os restantes, realizados ao longo do dia, foram-na aprovando sempre com expressivas maiorias. Os plenários de ontem mandataram a Comissão de Trabalhadores para negociar com a Administração com base nesta proposta e marcaram um novo plenário para o dia 17 de Janeiro, com o intuito de avaliar o que entretanto tiver sucedido nas negociações. Decidiram também que, a manter-se a anunciada intenção da Administração, de impor unilateralmente os horários que pretende, o processo de luta contra essa imposição se iniciará com uma greve nos dias 2 e 3 de Fevereiro.
Trabalhadores ameaçam greve de dois dias em Fevereiro 

A proposta rejeita o plano da Administração, de impor o trabalho obrigatório aos fins de semana e prevê a criação de um turno especial que efectue esse trabalho e seja apenas constituído por trabalhadores voluntários para o efeito ou, na falta de um número suficiente de voluntários, por trabalhadores contratados para o efeito.
Segundo a proposta, os trabalhadores do turno de fins de semana deverão trabalhar 12 horas ao sábado e doze horas ao domingo, e só voltar a trabalhar no fim de semana seguinte.
Os plenários de quarta-feira mandataram a Comissão de Trabalhadores para negociar com a Administração com base nesta proposta e marcaram um novo plenário para o dia 17 de Janeiro, com o intuito de avaliar o que entretanto tiver sucedido nas negociações.
Decidiram também que, a manter-se a anunciada intenção da Administração, de impor unilateralmente os horários que pretende, o processo de luta contra essa imposição se iniciará com uma greve nos dias 2 e 3 de Fevereiro.
Depois de ver rejeitado por expressiva maioria, em votação secreta, o pré-acordo que assinara com a Administração, a Comissão de Trabalhadores anunciara que voltaria a negociar, tentando encontrar um consenso com a entidade patronal. Essas negociações, a reabrir entretanto, vêem-se agora condicionadas por um mandato imperativo dos plenários, que vincula a Comissão de Trabalhadores.

Sindicatos discutem greve 
A Autoeuropa pode vir a confrontar-se com uma nova greve, depois de os trabalhadores da fábrica da fábrica de Palmela terem aprovado nos plenários uma proposta nesse sentido apresentada por um trabalhador.  No entanto, para que tal se concretize, será necessário que a greve seja convocada pelos sindicatos, como o Site-Sul (afecto à CGTP e que está representado na Comissão de Trabalhadores) ou o Sindel (ligado à UGT).
“São os sindicatos que determinam agora se há ou não greve”, concretizou o responsável da Comissão de Trabalhadores, em declarações ao Dinheiro Vivo, que avançou com a notícia. A confirmar-se a greve, esta irá ocorrer a 2 e 3 de Fevereiro, período em que começam a vigorar as regras do novo modelo laboral, aplicado de forma unilateral pela administração após o chumbo de dois pré-acordos ligados ao novo esquema de trabalho previsto para responder às encomendas do modelo T-Roc.
Por parte do Sindel, um dos seus responsáveis, Isidoro Barradas, afirmou ao jornal Público que a convocação de uma greve (com a consequente entrega de um pré-aviso no Ministério do Trabalho) é algo que, neste momento, não faz parte dos planos do sindicato.
Já da parte do Site-sul, um dos seus dirigentes, Eduardo Florindo, explica que é preciso dar ainda alguns passos até que seja tomada uma decisão.
Primeiro, disse, o sindicato ainda não conhece a proposta votada em plenário. Depois, referiu que há uma reunião com a Comissão de Trabalhadores agendada para esta esta sexta-feira, seguindo-se outra com a administração da Autoeuropa no dia 9 de Janeiro. Até essa data, disse este responsável sindical, não haverá nenhuma decisão.
A fábrica de Palmela já teve uma greve a 30 de Agosto, convocada então pelo Site-sul, e na sequência do primeiro pré-acordo negociado entre a administração e a anterior Comissão de Trabalhadores, que já estava então demissionária. Posteriormente, o secretário-geral da UGT, Carlos Silva, afirmou que a estratégia do Site-Sul tinha sido de “uma enorme irresponsabilidade”.
Na semana passada, a direcção e os representantes da Autoeuropa estiveram reunidos com o ministro do Trabalho, Vieira da Silva, mas as posições pareciam irredutíveis, com a Comissão de Trabalhadores a remeter para o plenário que se ia realizar e a gestão a dizer que o que poderia mudar era o modelo de trabalho do segundo semestre do ano que vem.
Em paralelo às movimentações ligadas ao novo modelo de trabalho, há também questões ligadas ao acordo laboral, com a Comissão de Trabalhadores a preparar o seu caderno reivindicativo. Os representantes dos trabalhadores defendem medidas como, segundo disse o responsável à Lusa, “prémios por objectivos, progressão nas carreiras, seguro de saúde, apoio escolar, bem como uma proposta de aumentos salariais de 6,5 por cento em 2018", reunidas num documento com 24 pontos.
[ + ]

Paula Brito e Costa "afastada" da Moita por 30 dias

PJ faz buscas no Ministério da Saúde e na casa de Paula Brito e Costa


A direção da Associação Nacional de Doenças Mentais e Raras (Raríssimas) abriu um inquérito interno à alegada gestão danosa pela antiga presidente Paula Brito e Costa, segundo noticia a SIC Notícias. O anúncio foi feito depois ex-presidente da intuição ter comparecido esta quarta-feira para trabalhar nas instalações da Casa dos Marcos,  na Moita, onde foi recebida por funcionários em protesto. A direção da Raríssimas determinou assim a “suspensão preventiva por 30 dias”, com efeitos imediatos, de Paula Brito da Costa, do cargo de diretora-geral da associação, por indícios de “ilícito laboral”. Dezenas de inspectores da Unidade Nacional Contra a Corrupção da Polícia Judiciária estiveram no terreno a fazer várias buscas relacionadas com um processo-crime sobre a associação. As buscas foram efectuadas na casa de Paula Brito e Costa, no gabinete do antigo secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, e na Casa dos Marcos. A Procuradoria-Geral da República, numa resposta à Lusa, confirmou a realização das buscas, "no âmbito do inquérito que se encontra em investigação no DIAP de Lisboa".
Directora geral da Casa dos Marcos suspensa por 30 dias  

Paula Brito e Costa, presidente demissionária, mas ainda diretora geral da Raríssimas, apareceu, no último dia de Outono, de manhã na Casa dos Marcos, na Moita, acompanhada pelo marido e por dois seguranças que apresenta como “amigos”. Ao volante de um Mercedes, – o famoso BMW pertence à instituição e está estacionado à vista de todos – aparece no local de trabalho uma semana e quatro dias depois do início do escândalo.
Ninguém a viu. Ou, pelo menos, ninguém quer dizer que a viu. Entrou pela porta dos fundos – uma que nunca usava – e o rumor espalhou-se pelos corredores da Casa dos Marcos. “Começaram a dizer que a Paula andava aí, que agora já não é doutora Paula”, revela uma funcionária ao Observador. A polémica dirigente da IPSS fechou-se no gabinete e só reapareceu depois das cinco da tarde. Mas, entretanto, houve vida na Casa dos Marcos.
Vários funcionários esperaram à entrada da Casa dos Marcos, recordando o abaixo-assinado dos trabalhadores para afastar a ex-presidente da Raríssimas e também da Casa dos Marcos, onde ainda é diretora-geral. Em causa estão as acusações de que a presidente demissionária tenha usado dinheiro da entidade para diversos gastos pessoais.
A ainda directora geral acabou por ser suspensa por 30 dias, período durante o qual será iniciado um processo disciplinar para averiguar as queixas que recaem sobre a ex-presidente. Tratou-se de uma decisão consensual, tomada pela direção da associação e por Paula Brito e Costa, conforme a própria confirmou aos jornalistas.
Quarta-feira à  tarde, numa declaração lida aos jornalistas à porta da Casa dos Marcos, Marta Balula, vogal da direção, já tinha anunciado a “suspensão preventiva” de Paula Brito e Costa por indícios de “ilícito laboral”.
Os trabalhadores – desde a receção aos cuidados continuados, passando pelo gabinete de comunicação – têm medo de perder o emprego. Acham que a Casa dos Marcos pode fechar portas.
Às cinco e um quarto da tarde de quarta-feira, depois de manobras de diversão com dois carros, a ex-presidente da Raríssimas deixou a Casa dos Marcos.Saiu ao volante, sorridente, abriu o vidro e acenou de facto como uma rainha enquanto ao lado o marido seguiu de cara tapada. Paula Brito e Costa é a mulher do momento e não parece importar-se com isso.
Paula Brito e Costa formalizou o pedido de demissão da Raríssimas ao presidente da Assembleia Geral e solicitou que lhe enviassem documentação de trabalho para casa para exercer funções enquanto diretora-geral da associação.
O Ministério Público está também a investigar a possibilidade de uso indevido dos donativos feitos à associação, depois de uma denúncia anónima.

PJ faz buscas e ex-presidente foi constituída arguida
PJ esteve na Moita a recolher provas 
Falando à saída da residência de Paula Brito e Costa em Odivelas, que foi hoje alvo de buscas pela Polícia Judiciária (PJ), Pedro Duro afirmou que "não é previsível" que Paula Brito e Costa ou ele mesmo venham a prestar quaisquer declarações à comunicação social nos próximos dias.
O advogado de defesa disse desconhecer se a investigação dirigida pelo Ministério Público está em segredo de justiça, observando que, apesar de a Procuradoria-Geral da República poder emitir comunicados sobre o inquérito se o caso justificar, não é sua intenção ou da sua constituinte prestar quaisquer declarações à comunicação social nos tempos mais próximos.
"A orientação que dei foi que as declarações que tinham que ser prestados à comunicação social já foram dadas, não serão dadas outras", frisou, notando contudo que esta regra poderá ser alterada quando houver "alguma decisão relevante" que faça sentido quebra o silêncio para esclarecer um determinado pormenor.
Pedro Duro desvalorizou o facto de Paula Brito e Costa ter sido constituída arguida ou estar indiciada da prática de crimes, sublinhando que "inquéritos há muitos", mas quanto a uma condenação logo se verá.
O advogado recusou-se a precisar que documentos ou material foi apreendido pela Polícia Judiciária na busca domiciliária e de que crimes está a sua constituinte indiciada, dizendo ainda desconhecer quem são as testemunhas no processo.
Paula Brito e Costa foi constituída arguida no âmbito da operação Raríssimas desenvolvida pela Polícia Judiciária e Ministério Público, disse à Lusa fonte ligada à investigação.
Segundo a mesma fonte, decorreram buscas na casa de Paula Brito e Costa, na sede da associação Raríssimas em Lisboa, na Casa dos Marcos, na Moita, a um gabinete de contabilidade e às instalações da Secretaria de Estado da Saúde.
A operação está a ser conduzida pelo Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa.
Uma investigação da TVI mostrou documentos que colocam em causa a gestão da instituição de solidariedade social, nomeadamente de Paula Brito da Costa, que alegadamente terá usado o dinheiro para diversos gastos pessoais.
O caso já provocou a demissão do secretário de Estado da saúde Manuel Delgado, que foi consultor da Raríssimas, com um vencimento de três mil euros por mês, tendo recebido um total de 63 mil euros.

Agência de Notícias 
[ + ]

Sesimbra com orçamento de 51 milhões para 2018

Ambiente e Portugal 2020 no topo das prioridades da autarquia

A Câmara Municipal e a Assembleia Municipal de Sesimbra aprovaram o Orçamento para 2018, cujo valor é de aproximadamente 51 milhões de euros, mais 1,5 milhões que em 2017, e reserva 22 milhões para as Grandes Opções do Plano, dos quais 11,7 milhões são para investimento. O ambiente e a sustentabilidade marcam uma forte presença neste orçamento, com "o reforço do abastecimento público de água, a implementação de medidas de eficiência energética ao nível dos equipamentos, da frota automóvel, dos serviços municipais e da iluminação pública, o investimento em serviços de proximidade, com particular ênfase na limpeza urbana, a construção do novo Canil Municipal, a instalação de postos de carregamento para viaturas elétricas, a criação do centro de interpretação da Arrábida ou o desenvolvimento de novas medidas de redução das emissões de gases com efeito de estufa, visando igualmente a adesão do município ao Pacto de Autarcas para o Clima e Energia", realça a Câmara de Sesimbra. 
Autarquia aprovou orçamento para 2018 

"O documento reflete uma preocupação em assegurar os investimentos do Portugal 2020, nos quais se encontram, entre outros, a conclusão da rede de saneamento na freguesia do Castelo, que chegará assim a quase cem por cento das habitações do concelho, com os ganhos ambientais que daí decorrerão, a requalificação urbana do Largo 2 de Abril e da Mata da Vila Amália, no centro da vila, o desenvolvimento da rede de mobilidade sustentável nas três freguesias, que aumentará a segurança de peões e, simultaneamente, contribuirá para o incremento das deslocações pedonais, a recuperação da Capela de S. Sebastião, imóvel de grande interesse patrimonial, o alargamento da Escola Básica do Conde 2, com a construção de um novo edifício que contemplará um auditório de acesso público com 250 lugares, o início da requalificação do Cabo Espichel e ainda a requalificação das zonas exteriores dos bairros municipais", explica a Câmara de Sesimbra.
Para além das ações incluídas no quadro das candidaturas, o orçamento garante um conjunto de investimentos de grande relevância para o município de Sesimbra, como "a continuação do programa de pavimentações, o reforço da delegação de competências para as juntas de freguesia, a continuidade de iniciativas culturais e turísticas, como a Temporada de Música da Casa de Ópera do Cabo Espichel, o Aqui Há Jazz, as mostras de produtos regionais, e a promoção de uma Estação Náutica em Sesimbra, que permita reforçar a sua ligação ao mar", sublinha o documento.
Há, depois, um conjunto de projetos que terão forte participação da autarquia, que têm por base "os acordos estabelecidos com os serviços da administração central, entre os quais a Escola Navegador Rodrigues Soromenho e o Centro de Saúde de Sesimbra, em que caberá à Câmara o desenvolvimento de projetos e acompanhamento e fiscalização das obras, e o novo Tribunal de Sesimbra, cujos arranjos da zona envolvente e o acompanhamento da obra também serão assegurados pelo município", sublinha a Câmara de Sesimbra.
Note-se que neste orçamento "há um aumento de despesa com o pessoal, resultante da alteração das posições remuneratórias, já a partir de Janeiro, e da contratação de novos trabalhadores para as áreas mais deficitárias em recursos humanos, particularmente na limpeza e higiene urbana", explica o documento.
De salientar que este orçamento é elaborado mantendo "inalteradas as taxas ao nível do Imposto Municipal sobre Imóveis e da Derrama sobre os lucros declarados em sede de Imposto sobre Rendimentos Coletivos (IRC), sem recurso a qualquer aumento de receita proveniente das taxas previstas nos Regulamentos de Taxas Municipais, que não aquele que resulte de atualização anual automática, por aplicação do índice de preços ao consumidor, num momento em que a dívida de longo prazo é a mais baixa dos últimos anos, o que traduz o rigor da gestão da autarquia", conclui o documento.

Principais ações inscritas nas Grandes Opções do Plano
Educação
3 milhões e 100 mil euros

Início da Ampliação da Escola Básica do Conde 2 (novo edifício), com auditório de 250 lugares e polidesportivo, ambos de acesso ao público.
Início da requalificação e ampliação da Escola Básica Navegador Rodrigues Soromenho.
Continuidade na reparação e requalificação dos estabelecimentos de ensino do 1.º ciclo e pré-escolar da rede pública, em particular, através da delegação de competências nas juntas de freguesia.
Refeições Escolares.
Transportes Escolares.
Apoio a Projetos de Escolas.
Dinamização dos projetos Orquestra Geração, Mostra de Teatro Escolar, entre outros.

Ação Social e Saúde
977 mil euros

Dinamização de projetos de apoio à comunidade local e apoio às instituições sociais
Continuidade do projeto Espaço Solidário
Dinamização do Gabinete de Inserção Profissional, com a implementação de novas ofertas formativas
Apoio aos alunos e famílias, no âmbito da Ação Social Escolar
Continuidade do apoio no âmbito das obras particulares no âmbito do RMARH
Implementação do Programa de Apoio e Integração das Comunidades Desfavorecidas
Início da Construção do Novo Centro de Saúde de Sesimbra

Habitação e Urbanismo
2 milhões e 200 mil euros

Início da construção do Bloco da Mata
Requalificação exterior dos edifícios da habitação municipal de Almoinha e das zonas exteriores envolventes aos bairros municipais da Almoinha, Boa Água, Zambujal e Bairro Infante D. Henrique
Início da revisão do Plano de Urbanização da Quinta do Conde
Consulta Pública da revisão do PDM
Revisão do Regulamento Municipal de Cedências e Taxas Urbanísticas
Obras de urbanização nas AUGI
Requalificação da Mata da Vila Amália e Reabilitação do Largo 2 de Abril

Saneamento e Salubridade
3 milhões e 700 mil euros

Início das empreitadas de conclusão da rede de saneamento da freguesia do Castelo – SAR Lagoa/Meco – Azoia, Pinheirinhos e Zambujal
Ligação de coletores das AUGI do Casal Sapo à Vila Alegre (Seixal)
Reabilitação da rede no Aldeamento do Pé da Serra
Aposta na telegestão para o saneamento
Implementação do processo experimental de recolha porta a porta na Quinta do Conde
Reforço do projeto Remove, com várias iniciativas de sensibilização
Início da construção do Novo Canil Municipal

Comunicações e Transportes
1 milhão e 900 mil euros

Início da intervenção ao nível do PAMUS em Alfarim-Caixas, Maçã-Santana, Sampaio, Sesimbra
Rede pedonal e ciclável na Quinta do Conde
Continuação do programa de pavimentações no concelho
Aquisição e colocação de nova sinalética
Reforço na sinalização horizontal
Reposição de calçadas
Aprofundamento da delegação de competências nas juntas de freguesia

Defesa do Meio Ambiente
437 mil euros

Adesão ao Pacto de Autarcas para o Clima e Energia
Abertura da Lagoa de Albufeira
Continuidade do Projeto Eco-escolas
Início da implementação do Centro Interpretativo da Arrábida
Continuidade do projeto ECOXXI
Manutenção e valorização dos parques verdes e de lazer municipais
Início da instalação de postos de carregamento para viaturas elétricas

Proteção Civil
490 mil euros

Revisão do Plano Municipal de Emergência
Continuação do apoio aos Bombeiros Voluntários de Sesimbra
Comemorações do Dia Municipal do Bombeiro e Dia Internacional da Proteção Civil
Aquisição de novas viaturas e meios para o Serviço Municipal de Proteção Civil
Elaboração, avaliação e monitorização de planos de segurança de equipamentos e edifícios municipais
Continuação das ações de sensibilização e simulacros para a comunidade escolar
Reforço da ação de notificação de proprietários para ação de limpeza de terrenos

Cultura, Desporto e Tempos Livres
1 milhão e 800 mil euros

Início da requalificação da Capela de São Sebastião
Continuação da intervenção no Castelo de Sesimbra
Início da intervenção na zona envolvente ao Santuário do Cabo Espichel
Realização de todos os projetos e programa para instalação do Polo da Biblioteca Municipal na Quinta do Conde
Recuperação e Manutenção de Espaços de Jogo e Recreio e Polidesportivos
Criação do Gabinete de Apoio ao Movimento Associativo
Consolidação do Sesimbra Summer Cup, em futebol infantil

Desenvolvimento Económico e Abastecimento Público
3 milhões e 200 mil euros

Abertura de novo furo de captação em Lagoa/Aiana
Construção de nova conduta na Azoia e Serra da Azoia e início da reabilitação da conduta do Casalão-Venda Nova
Manutenção e reforço da limpeza de praias e suas acessibilidades, como elemento fundamental à manutenção das bandeiras azuis e de praia acessível
Início da implementação da Estação Náutica de Sesimbra
Valorização do Carnaval de Sesimbra, Réveillon, Temporada de Música da Casa da Ópera do Cabo Espichel, Aqui Há Jazz e Comemorações do 25 de Abril, Zimbramel, Feira Festa, Santos Populares, Mostra da Maçã Camoesa, Quinta na Moagem, Dia do Pescador e Dia do Mar
Continuidade dos projetos de Hortas Solidárias
Implementação de um Gabinete de Acompanhamento dos Projetos de Interesse Municipal

Atividades
4 milhões e 300 mil euros

Aquisição de viaturas e máquinas pesadas para serviços urbanos e operacionais
Otimização da frota automóvel
Aposta na eficiência energética nos edifícios e equipamentos municipais
Beneficiação e requalificação de edifícios e equipamentos municipais
Aquisição de Vestuário Laboral e da garantia de melhores condições de trabalho
Continuidade das Opções Participadas
Nesta área incluem-se ainda todos os aspetos logísticos necessários ao bom funcionamento dos serviços

Agência de Notícias com Câmara de Sesimbra
[ + ]

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010