Dá um Gosto ao ADN

Cacilhas recebe festival do caracol e da cerveja

Cândido dos Reis vai encher-se de caracóis durante três dias

Se é apreciador de caracóis e nunca diz não a uma imperial para acompanhar, pode começar a esfregar as mãos de contente porque estão a chegar três dias dedicados a este petisco de final de Primavera. De sexta-feira a domingo (24 a 26 de Maio), Cacilhas recebe mais uma edição, a 7ª, do Festival do Caracol e da Cerveja, evento gastronómico que todos os anos faz sucesso nesta freguesia de Almada. A iniciativa junta mais de 20 cafés e restaurantes locais, a maioria na Rua Cândido dos Reis, mas também há alguns nas zonas circundantes. 
Festival decorre até domingo em Cacilhas 

Mais um ano, mais uma edição do Festival do Caracol e da Cerveja em Cacilhas. Pela sétima vez consecutiva, a Rua Cândido dos Reis, terá travessas e pratos com o petisco da época, sem esquecer a cerveja para acompanhar, claro.
"Um dos maiores festivais de caracol do país”, como garante a organização do evento, está de volta. Durante três dias, desta sexta-feira a domingo, Cacilhas faz a festa com o pé na rua no Festival do Caracol e da Cerveja.
À mesa dos restaurantes e cafés que se associaram ao evento, na Rua Cândido dos Reis e zonas circundantes, está o famoso petisco acompanhado pela imperial, como manda a etiqueta da estação.
A ementa desta 7.ª edição da festa é simples mas contundente: há travessas de caracóis a cinco euros e cerveja a 90 cêntimos. “O caracol será servido numa travessa própria do festival (cerca de 400 gramas)”, informam os organizadores.
A organização está a cargo da delegação de Almada da Associação do Comércio, Indústria, Serviços e Turismo do Distrito de Setúbal, com a chancela do município almadense.

Agência de Notícias 
[ + ]

Estudo valoriza produção de ostra em Setúbal

"A ostra produzida no Sado é de boa qualidade" 

Uma palestra sobre a produção e o crescimento da ostra em Setúbal, dinamizada pelo professor Ricardo Salgado, deu início no dia 23 de Maio ao programa da Semana do Mar e do Pescador 2019, a decorrer até 2 de Junho. No encontro realizado na Casa da Baía, que foi também o primeiro do ciclo Mar à Conversa, no âmbito do projeto Setúbal Terra de Peixe, o docente da Escola Superior de Tecnologia do Instituto Politécnico de Setúbal deu a conhecer uma investigação em curso sobre a produção de ostras em aquacultura. “Além do peixe, a ostra é um recurso importante em Setúbal e o concelho sempre teve boas condições para a produção deste bivalve”, sublinhou o investigador.
Sado tem as melhores ostras do país 


O Ostraqual, designação do projeto coordenado por Ricardo Salgado, em desenvolvimento desde o início de 2018, estuda aquaculturas de ostras portuguesas existentes nas zonas do Estuário do Sado e do rio Mira, com os objetivos de contribuir para acrescentar conhecimento científico e procurar promover e valorizar esta atividade económica.
Na primeira fase do Ostraqual os investigadores fizeram o mapeamento e georreferenciação das aquaculturas de ostras, peixes e de outros produtos existentes nas zonas do Estuário do Sado e do rio Mira.
No que diz respeito às atividades económicas no Estuário do Sado, concluiu-se que 55 por cento da produção corresponde a campos de arroz, 26 por cento a aquacultura e 12 por cento a salinas.
Nas áreas de gestão da aquacultura, nomeadamente Mitrena, Pontes, Gâmbia, Zambujal e canal de Alcácer, foram identificadas 87 unidades dedicadas à aquacultura, o que corresponde a 772 hectares, das quais apenas 42 estão ativas, o que corresponde a uma área de 422 hectares, das quais 17 destinam-se exclusivamente à produção de ostras.
“O estudo focou-se na produção de 11 destas unidades, que, em 2018, produziram, no total, 6,9 milhões de ostras em tanques e no rio”, revelou Ricardo Salgado.
Seguiu-se o estudo do crescimento das ostras em aquacultura para observação das características biométricas, como a massa e a dimensão, com o objetivo de saber se existem épocas particularmente propícias para produção e quais os fatores que influenciam o desenvolvimento.
Os investigadores concluíram que a taxa de crescimento da ostra, que quando atinge o tamanho comercial pesa cerca de 60 gramas,“varia consoante o número de animais colocados em cada saco de produção e consoante o tamanho que já têm quando são colocadas nos sacos”.

Sado, um rio perfeito para o crescimento da ostra 
Foi também possível concluir que as ostras crescem de forma mais célere no estuário da Sado, entre seis a nove meses, do que em França, cerca de 13 meses, devido às temperaturas.
Há também diferenças no crescimento consoante a variedade da ostra, sendo que a crassoestrea gigas tem uma taxa de crescimento 1,5 vezes superior à crassoestrea angulata, mais conhecida por ostra portuguesa.
A avaliação da qualidade da ostra na produção “é muito importante” e foi outro fator estudado pela equipa de Ricardo Salgado no Estuário do Sado, que concluiu, através de medições como o índice de condição, que estabelece a relação entre a massa do animal e a massa total, que a ostra produzida no Sado é de boa qualidade.
Também a qualidade da água apresenta “valores normais e bons para o crescimento da ostra”, com níveis de salinidade, temperatura e clorofila relevantes para a produção.
A equipa de investigação do Ostraqual fez ainda uma análise sensorial e de qualidade das ostras, através de provas de degustação, com as conclusões a serem apresentadas a 3 de Junho, num workshop sobre a valorização e promoção das ostras de aquacultura a decorrer na Escola Superior de Tecnologia.
O projeto Ostraqual – Valorização e promoção da qualidade das ostras de aquacultura na região do Sado e Mira é financiando no âmbito do programa de dinamização e valorização do Ensino Politécnico, através do programa Horizonte 2020 – Programa-Quadro Comunitário de Investigação & Inovação.
O processo científico, ou trabalho de campo, consiste na recolha de amostras, processadas posteriormente em laboratório por uma equipa multidisciplinar, com quatro dezenas de elementos, entre docentes, alunos e bolseiros, com competências em áreas da biologia, química, gestão, saúde e alimentar.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 
[ + ]

Almada investe 70 mil euros na vigilância das praias

Autarquia assegura segurança além da época balnear 

A Câmara de Almada assinou, esta quinta-feira, o protocolo Praia Protegida 2019, num investimento de 70 mil euros para assegurar a vigilância das praias do concelho, na pré-época balnear, durante e pós. O projeto teve a sua primeira edição em 2018 e agora volta a ser concretizado devido ao seu "sucesso", sendo coordenado pela Autoridade Marítima e apoiado por associações de bombeiros voluntários, adiantou a vereadora da Proteção Civil, Francisca Parreira.  "Um dos fatores apontados para o sucesso da operação anterior, além do envolvimento de todas as entidades, foi o registo de não ocorrências. Os resultados deram-nos a segurança e garantia de que é importante manter este dispositivo e avançarmos sem hesitação", frisou a autarca socialista. 
Autarquia reforça vigilância nas praias 

Neste sentido, a autarquia decidiu investir 70 mil 640 euros, mais 14 mil euros do que no ano passado, com o objetivo de "assegurar o socorro e assistência a banhistas", sobretudo nas praias que são concessionáveis, mas que não estão a ser exploradas por nenhuma entidade, e também nas zonas não vigiadas, mas que habitualmente têm grande afluência, como Porto Brandão, Trafaria, Primeiro e Segundo Torrão ou Cova do Vapor.
Apesar de só firmado nesta quinta-feira, desde 6 de Abril que a iniciativa entrou em vigor, assegurando a vigilância dos 13 quilómetros de praias do concelho durante o fim de semana e feriados, com dois nadadores salvadores e um meio móvel de socorro. Os mesmos meios que vão estar disponíveis no fim do verão, entre 1 e 13 de Outubro.
A partir de 1 de Junho inicia-se a época balnear e as praias concessionadas "têm a vigilância assegurada pelos estabelecimentos que lá se situam", segundo Francisca Parreira.
Já nas praias não vigiadas, o protocolo vai disponibilizar três nadadores salvadores, enquanto nas zonas balneares sem concessionário estarão quatro vigilantes.
De acordo com a vereadora, uma das novidades deste ano é a colaboração de duas novas associações de nadadores-salvadores, o que é representativo do "sucesso da operação".
Desta forma, o protocolo Praia Protegida 2019 foi assinado entre o município, a Capitania do Porto de Lisboa, como Autoridade Marítima Local, as corporações de bombeiros de Cacilhas e da Trafaria, e pelas associações de nadadores-salvadores Âncora, Atlântico, Caparicamar e Frente Atlântica de Costa de Caparica.
Num balanço feito em Outubro de 2018, as entidades classificaram a época balnear como "positiva" devido à cooperação estabelecida que permitiu que, em 253 ocorrências, apenas duas tenham resultado em morte, sendo que uma das vítimas teve "doença súbita" e a outra tratava-se de um jovem que se afogou no pontão da Cova do Vapor, em Setembro.

Agência de Notícias com Lusa 
[ + ]

Greve nos barcos do Barreiro lança o caos na travessia

Paralisação prolonga-se até esta sexta-feira à noite

A travessia do rio Tejo esteve muito difícil esta quinta-feira, já que os mestres da Soflusa, empresa responsável pelas ligações fluviais entre Barreiro e Lisboa, iniciaram uma greve parcial, de três horas por turno, pela contratação de novos profissionais, que se prolonga até esta sexta-feira à noite e implicará perturbações no serviço. Houve centenas de passageiros concentrados no cais à espera de barcos e nem o reforço de autocarros para a estação de Coina, promovido pela Câmara do Barreiro, ajudou. A greve registou uma adesão de 100 por cento mas o ambiente mantém-se tranquilo no terminal, disse fonte sindical. Segundo Carlos Costa, da Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans), todos os mestres da Soflusa aderiram à paralisação parcial de três horas por turno, ou seja, 21 trabalhadores. Também esta quinta-feira, os mestres da empresa começam uma greve às horas extraordinárias, que se deve prolongar até final do ano, devido à “falta de profissionais”.
Barcos continuam parados esta sexta-feira 

Na sua página na internet, a Soflusa informou que, nestes dois dias, o transporte a partir do Barreiro apenas será assegurado entre as 0h05 e a 1h30, às 5h05, entre as 9h30 e as 17h45 e das 22 às 23h30.
Além da supressão de várias linhas de barco entre o Barreiro e Lisboa a Soflusa avisou ainda para a supressão de seis ligações fluviais durante a tarde e foram reforçadas as carreiras de autocarro entre o Barreiro e a estação ferroviária de Coina.
Na manhã desta quinta-feira as portas na terminal do Barreiro estavam fechadas. Tendo sido reabertas por voltas das 9h30 diz a Rádio Renascença. Fonte do Governo informou ainda que foram três os barcos a fazer a travessia por volta das 9h30 e um deles até um pouco mais cedo.
A  10 de Maio, as ligações fluviais entre o Barreiro e Lisboa começaram a ser suprimidas pela falta de mestres, o que levou a empresa a anunciar, quatro dias depois, não conseguir prever quando iria repor o serviço.
Na quarta-feira, o município do Barreiro anunciou o aumento das ligações rodoviárias dos transportes públicos à estação ferroviária devido à greve.
“A Câmara Municipal do Barreiro vai reforçar os transportes públicos no concelho nesta quinta-feira e sexta-feira devido à redução de oferta de transporte fluvial anunciada pela Soflusa, através do aumento das ligações com a estação ferroviária de Coina”, refere a autarquia do distrito de Setúbal em comunicado, adiantando que “os Transportes Coletivos do Barreiro vão reforçar os seus serviços entre as 6h15 e as nove da manhã e entre as 18h20 e as 20h50, através da introdução temporária de 25 novas carreiras”.
No âmbito da reunião entre o secretário de Estado e os sindicatos dos trabalhadores, foram abordadas as matérias laborais transversais à empresa e as matérias que são objeto do pré-aviso de greve dos mestres da Soflusa, o que resultou num acordo em relação a três matérias, designadamente regulamento de carreiras, negociações salariais e contratação de pessoal.
Relativamente à contratação de pessoal, o governante deixou a promessa de “reforçar os recursos humanos na Soflusa, portanto na área marítima, de forma a contratar até seis novos recursos”, a que acrescem os quatro contratados recentemente e que deram origem à abertura de um concurso interno para quatro mestres para os navios que asseguram o transporte fluvial entre Barreiro e Lisboa.
Apesar desta promessa, o sindicalista referiu que “a valorização da categoria de mestre não foi falada”.
Também José Encarnação, da Comissão de Utentes dos Serviços Públicos do Barreiro, disse à Lusa que “não houve confusão”, apesar de, pouco antes das 9h30, se encontrarem no local “mais de 500 pessoas” a aguardar a primeira ligação.
“Começa a aproximar-se agora a hora do início da primeira carreira, às 9h30, mas não houve confusão porque uma grande parte das pessoas estavam informadas e foram encontrando alternativas”, afirmou.

Agência de Notícias com Lusa 
[ + ]

Azeitão dá a provar a tradição do Manel da Horta

“Há uma grande festa na horta do Manel e das Marias de sexta-feira a domingo”

A festa do Manel da Horta regressa a Vila Nogueira nos dias 24, 25 e 26 de Maio, com “Tradições, Sabores e Aromas de Azeitão” a marcarem presença num certame com gastronomia, artesanato, música, ateliers, jogos tradicionais e exposições. A vida no campo e o espírito de aldeia são recriados neste já tradicional evento, organizado pela Junta de Freguesia de Azeitão com apoio da Câmara de Setúbal, que, durante três dias, destaca produtos gastronómicos, vínicos e artesanais da região da Arrábida e de Azeitão. A presidente da Junta de Freguesia de Azeitão garante que a festa representa também um meio importante para a afirmação da cultura azeitonense. “Ajuda a defender a gastronomia, a doçaria e a cultura local. Sem esquecer a envolvência das crianças”, sublinha Celestina Neves. O Manel da Horta, mascote criada pelo cartoonista Augusto Cid, juntamente com as suas Marias, é uma presença constante na animação do certame. 
Manel da Horta está de volta... as Marias também 

As tasquinhas gastronómicas, com sopa caramela, provas de vinho, queijos, mel, doçaria e produtos hortícolas da região, marcam, uma vez mais, presença no certame, de entrada gratuita, a realizar no “rossio” de Vila Nogueira de Azeitão.
Os produtos hortícolas, florais, artesanais e turísticos são também atrativos da quinta do Manel da Horta, que inclui ainda a venda de artigos em chita e de croché e uma exposição de antigas alfaias agrícolas.
Jogos tradicionais e didáticos ligados à sensibilização do ambiente, bem como ateliers para crianças e adultos fazem igualmente parte do programa do fim de semana.  
O “Tradições, Sabores e Aromas de Azeitão” abre as portas na sexta-feira, dia 24, às 16 horas, com a inauguração oficial a ter lugar às 20 horas. Às 21h30, “Há orquestra na horta do Manel”, com a Voz do Alentejo.
Sábado, o certame abre às 16 horas. O programa das atividades arranca às 15 horas e, até às 20 horas, decorre o “Café Conserto para a família”, destinado a arranjos de roupa, pequenos móveis e eletrodomésticos e à recuperação de brinquedos.
No leque de atividades previstas para sábado e domingo, estão incluídos, às 15h30, junto à casa do Manel da Horta – Espaço Descobertas, jogos de aprendizagem para crianças no atelier “A brincar também se aprende”, inspirado no método Montessori e Reggio.
Nos dois dias, às 16 horas Ana Castilho desenvolve o atelier “Conhecer algumas espécies da flora local”, através de identificações e desenhos de espécies. Às 17 horas, “A Horta na Cozinha” inclui modelagem com pasta de açúcar, com Cláudia Ribeiro.
Meia hora depois, Andreia Pinheiro Oliveira, da Paladares Biológicos, dá luzes sobre “Construção de Bonecos Ecológicos”.
No sábado decorre ainda um atelier de pintura e feitura de pulseiras e anéis inspirados nos animais que habitam no Parque Natural da Arrábida, na atividade “Cria a tua pulseira e o teu anel”.
Os desportos radicais também estão incluídos no programa, com uma iniciação de “Escalada às Árvores”, desenvolvida pela YMCA – Camp Alambre, a realizar no espaço do certame da festa, entre as 16 e as 20 horas de sábado.
Manel da Horta e as suas Marias promovem o teatro de rua com a peça “O Mercado de Azeitão”, sábado, às 18 horas e domingo, ao meio dia e 17h30.
A música toca a partir das 21h30, num momento destinado à partilha de memórias, com o “Baile do Chapéu”, pela Orquestra Típica O.C.T.A. A partir das 22h45, “Há Baile na Horta do Manel”, com a música de Fulano, Beltrano & Sicrano, do conjunto musical Tradballs.
Domingo, o “Tradições, Sabores e Aromas de Azeitão” arranca às 9h30 com um passeio pedestre organizado pelo Parque Natural da Arrábida, com partida e chegada a Azeitão. O certame abre ao público às 10 e encerra às 20 horas.
O Manel da Horta, mascote criada pelo cartoonista Augusto Cid, falecido em Março, juntamente com as suas Marias, é uma presença constante na animação do certame.
O programa deste ano assinala o Dia Europeu dos Parques Naturais, a 24 de Maio, com uma exposição temática sobre o Parque Natural da Arrábida, realizada pelos alunos das escolas de Azeitão.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 
[ + ]

Empresa no Montijo multada por depósito ilegal de cortiça

GNR impede empresa depositar material num terreno a céu aberto

A GNR multou uma empresa de granulados de cortiça, a Orvalho Cork, por funcionar sem licenciamento e depositar este material num terreno a céu aberto, no Montijo, informou esta quarta-feira aquela força policial. Numa resposta escrita enviada à Lusa, a GNR adiantou que o Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) “recebeu uma denúncia” e visitou o local onde estariam a ser depositados os resíduos, na rua Manuel Sobral, no Montijo. Os militares alertaram para a possibilidade de o pó estar localizado “sob álveo de uma linha de água, obstruindo e impossibilitando o escoamento de caudais líquidos e sólidos”. A autarquia do Montijo está também a "acompanhar e fiscalizar" a situação. 
Resíduos de cortiça eram despejados a céu aberto 

A força de segurança referia-se a um grupo de moradores anónimos, que desde o início do ano tem vindo a alertar várias entidades para o “depósito ilegal de cortiça a céu aberto”, mostrando receio pelos riscos ambientais, como poluição ou incêndios, assim como pelas implicações na saúde.
Na nota enviada, a GNR não especificou quais as diligências efetuadas, no entanto, a Lusa teve acesso a uma resposta do diretor do SEPNA, Vítor Caeiro, ao grupo de moradores, onde confirma a “existência de dois amontoados de pó de cortiça com uma altura estimada entre dois a três metros, numa área de 150 metros quadrados, a céu aberto, sob solo não impermeabilizado”.
Neste sentido, os militares alertaram para a possibilidade de o pó estar localizado “sob álveo de uma linha de água, obstruindo e impossibilitando o escoamento de caudais líquidos e sólidos”.
Além disso, a GNR contactou a Câmara do Montijo e percebeu que a empresa em causa ainda não tem “quaisquer licenciamentos para as operações urbanísticas realizadas no local”.
Face às duas situações, o SEPNA elaborou dois autos de notícia por contraordenação, um por “não limpeza e obstrução de álveo e linha de água” e outro por “realização de operações urbanísticas sem respetivo alvará de licenciamento”.
Em declarações à Lusa, o presidente da Câmara do Montijo, Nuno Canta (PS), avançou que já está a “acompanhar e fiscalizar” a situação, mas desvalorizou o depósito dos resíduos, por se tratar de uma substância “natural”.
[ + ]

Setúbal mantém restrições no acesso às praias da Arrábida

Estradas da serra voltam a estar cortadas ao trânsito este verão 

De 15 de Junho a 15 de Setembro, a exemplo do que já aconteceu na última época balnear, logo que esteja esgotada a capacidade de estacionamento junto às praias está prevista a proibição de circulação de viaturas particulares entre a praia da Figueirinha e o Creiro. A maioria CDU na Câmara de Setúbal aprovou, nesta quarta-feira, o condicionamento da circulação rodoviária nos acessos às praias da Arrábida, mas PS e PSD votaram contra, com a vereadora socialista Teresa Andrade a considerar tratar-se de uma "medida paternalista". A autarquia garante que os Transportes Sul do Tejo irão assegurar autocarros de 20 em 20 minutos nas praias da região. 
Autarquia volta a querer praias sem carros 

Pelo segundo ano consecutivo, os eleitos da CDU aprovaram na reunião de câmara a “Estratégia Municipal para a Mobilidade Acessível, Segura e Sustentável para Todos nas Zonas Balneares de Setúbal”, que prevê um conjunto de restrições à circulação automóvel e uma aposta no acesso às praias da Arrábida através dos transportes públicos.
O objetivo é evitar os "congestionamentos de trânsito provocados pelo estacionamento desordenado, de forma a permitir a circulação de viaturas de emergência em caso de acidente ou de um incêndio na serra da Arrábida, que poderia colocar em risco a vida de milhares de veraneantes", sublinha a autarquia sadina.
Assim, de 15 de Junho a 15 de Setembro, a exemplo do que já aconteceu na última época balnear, logo que esteja esgotada a capacidade de estacionamento junto às praias, está prevista a proibição de circulação de viaturas particulares entre a praia da Figueirinha e o Creiro, sendo apenas permitida a passagem de transportes públicos, veículos de emergência e residentes.
PS e PSD votaram contra a proposta e a vereadora socialista Teresa Andrade acusou mesmo a maioria CDU na autarquia sadina de ter aprovado uma medida “paternalista” que afasta os setubalenses das praias da região.
"Acho que se transitou de uma solução em que não havia qualquer tipo de regulamentação, e as pessoas estacionavam à vontade, para uma situação extremada, em que se proíbem as pessoas de terem liberdade de acederem às praias como bem entendem", disse.
Na opinião de Teresa Andrade, “nem sequer se deu a possibilidade de as pessoas terem um meio-termo, em que pudessem pagar algum acesso mais limitado à praia”.
“Partiu-se do pressuposto de que as pessoas não são capazes de aceder à praia de uma forma civilizada. Isto é paternalismo", defendeu.

TST garante autocarros de 20 em 20 minutos 
O vice-presidente da Câmara de Setúbal, Manuel Pisco, contesta os argumentos da vereadora socialista, referindo que o estacionamento numa das bermas da estrada de acesso às praias, como defendeu a vereadora socialista, "iria dificultar, ou mesmo impedir, a passagem dos autocarros e de veículos prioritários ou de socorro".
"Essa experiência está feita, esses argumentos são pretextos para dizer que não, para votar contra, quando a população, as entidades públicas e os técnicos já reconheceram que esta solução, já implementada no passado, foi uma boa solução. E o ano passado não houve quebra do número de utentes nas praias", afirmou Manuel Pisco.
Confrontado com outra crítica do PS, partilhada igualmente por alguns setubalenses, de que, por vezes, há uma demora excessiva no transporte dos utentes das praias no regresso a Setúbal, Manuel Pisco admitiu alguns casos, mas garantiu que a autarquia e o operador de transportes públicos (TST - Transportes Sul do Tejo) têm estado a dialogar no sentido de melhorar a prestação do serviço.
"É uma questão de frequência das carreiras, de fazer os desdobramentos necessários. O operador de transportes, [que] vai ter o pagamento por utente transportado - não é por quilómetro -, vai querer transportar o maior número de pessoas", acrescentou.
"O ano passado houve alguns dias em que isso aconteceu, houve alguma espera, mas não foi sempre assim. Os autocarros são de 20 em 20 minutos. Se, por vezes, as pessoas tiverem de esperar até 30 minutos, não é demais. A partir daí será um exagero. É preciso ter cuidado para ter uma frequência de carreiras para que as pessoas não tenham de esperar muito tempo", adiantou o vereador comunista.
Manuel Pisco garantiu ainda que os TST também estão empenhados em melhorar este aspeto, para além da garantia de que não ficará ninguém nas praias devido à falta de transporte.
O autarca lembrou ainda que, este ano, os detentores dos novos passes sociais, municipais ou metropolitanos, poderão utilizar os transportes públicos para as parais da Arrábida sem qualquer encargo adicional.

Agência de Notícias
[ + ]

Barreiro reforça ligações rodoviárias devido à greve

Autarquia com mais autocarros para Coina nos dias da greve dos barcos 

A Câmara do Barreiro anunciou esta quarta-feira que vai aumentar as ligações rodoviárias dos transportes públicos à estação ferroviária devido à greve dos mestres da Soflusa, que faz a ligação fluvial entre o Barreiro e Lisboa. “O município do Barreiro vai reforçar os transportes públicos no concelho nesta quinta-feira e sexta-feira devido à redução de oferta de transporte fluvial anunciada pela Soflusa, através do aumento das ligações com a estação ferroviária de Coina, para ligação ao comboio da Fertagus”, refere a autarquia em comunicado. Mestres da Transtejo-Soflusa continuam em greve esta quinta e sexta-feira. Governo espera ver o protesto terminado. Sindicato anuncia reabertura de negociações. 
Greve dos mestres volta a deixar barcos parados 

A Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans) anunciou também esta quarta-feira que vão ser reabertas negociações na empresa Soflusa, responsável pelas ligações fluviais entre o Barreiro e Lisboa, referindo que não foi decidida a suspensão da greve.
“Estivemos quarta-feira presentes numa reunião e foram assumidos compromissos para reabrir negociações em aspectos que têm causado contestação na empresa”, disse à Lusa José Manuel Oliveira, da Fectrans.
O sindicalista explicou que não ficou decidida na reunião a suspensão da greve na quinta e sexta-feira, referindo que essa é uma decisão que cabe ao Sindicato dos Transportes Fluviais, Costeiros e Marinha Mercante, que marcou o protesto.
Os mestres da Soflusa, que defendem a necessidade de serem contratados mais profissionais, vão realizar uma greve parcial, de três horas por turno, implicando perturbações no serviço de transporte fluvial entre Barreiro e Lisboa.
“Nesse sentido os Transportes Colectivos do Barreiro vão reforçar os seus serviços entre as 6h15 e as nove horas e entre as 18h20 e as 20h50, através da introdução temporária de 25 novas carreiras”, salienta a Câmara do Barreiro do documento.

Ligações difíceis esta quinta e sexta-feira 
A Soflusa, empresa de transporte fluvial entre o Barreiro e Lisboa, admitiu que existirão perturbações no serviço na próxima quinta e sexta-feira devido à greve dos mestres da empresa.
Na sua página na internet, a Soflusa informou que, nestes dois dias, o transporte a partir do Barreiro apenas será assegurado entre as 0h05 e a 1h30, às 5h05, entre as 9h30 e as 17h45 e das 22 às 23h30.
Já a partir do Terreiro do Paço, em Lisboa, com destino ao Barreiro, apenas estarão disponíveis as ligações fluviais entre a meia noite e as duas da madrugada às 5h30, entre as 10 e as 18 horas e das 21h55 às 23h30.
Segundo a nota, durante os períodos de interrupção do serviço, "os terminais fluviais estão encerrados por motivos de segurança".
Os mestres da Soflusa, que já se encontram a fazer uma greve às horas extraordinárias devido à falta de profissionais, decidiram levar o movimento mais longe e paralisar três horas por turno, na quinta e sexta-feira, segundo Carlos Costa, da Fectrans - Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações.
De acordo com o responsável, apenas trabalham 21 mestres na Soflusa (dos quais três estão de baixa médica), mas são necessários 24, além de se ter verificado um maior "saturamento" da classe, depois de a empresa introduzir uma nova escala de serviços, em Abril, com a implementação do passe Navegante.
Em 10 de Maio, as ligações fluviais entre o Barreiro e Lisboa começaram a ser suprimidas pela falta de mestres, o que levou a empresa a anunciar, quatro dias depois, não conseguir prever quando iria repor o serviço.
Nessa ocasião, a Soflusa adiantou, numa resposta por escrito à Lusa, que abriu concurso para as vagas de mestres e "aguarda, a todo o momento, a autorização para contratação de mais trabalhadores".

Governo falou com sindicatos mas greve continua 
O Governo manifestou-se, esta quarta-feira, expectante em relação à suspensão da greve dos mestres da Soflusa após ter chegado a um acordo com os sindicatos representativos dos trabalhadores.
A expectativa é que, estando esgotadas as razões da greve, até ao fim do dia possamos ter uma notícia de suspensão da greve”, afirmou o secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, José Mendes, em declarações à agência Lusa, depois de uma reunião de última hora com sindicatos dos trabalhadores da Soflusa, no Terminal Fluvial do Cais do Sodré, em Lisboa.
De acordo com o governante, a suspensão da greve não ficou já decidida, porque “compete aos trabalhadores”, ou seja, “é preciso consultar os mestres” da Soflusa.
No âmbito da reunião entre o secretário de Estado e os sindicatos dos trabalhadores, foram abordadas as matérias laborais transversais à empresa e as matérias que são objeto do pré-aviso de greve dos mestres da Soflusa, o que resultou num acordo em relação a três matérias, designadamente regulamento de carreiras, negociações salariais e contratação de pessoal.
Relativamente à contratação de pessoal, o governante deixou a promessa de “reforçar os recursos humanos na Soflusa, portanto na área marítima, de forma a contratar até seis novos recursos”, a que acrescem os quatro contratados recentemente e que deram origem a abertura de um concurso interno para quatro mestres para os navios que asseguram o transporte fluvial entre Barreiro e Lisboa.

[ + ]

Moita recebe a tradicional Feira de Maio até domingo

Feira regional marca o arranque da época de festas no concelho

A vila da Moita está em festa de 23 a 26 de Maio, com a tradicional Feira de Maio que marca também o início do ciclo das festas populares no concelho da Moita. No programa deste ano, não faltam as tradicionais largadas de toiros, na Avenida Dr. Teófilo Braga, uma corrida de toiros, o Espaço de Gastronomia Local, onde irá ter lugar o Almoço da Feira e os habituais divertimentos, com diferentes carrosséis. Ainda há um desfile de moda, concursos de raças de  vacas leiteiras, a mostra de Caprinos leiteiros de raças exóticas e uma mostra de produtos biológicos. O público pode assistir a três largadas, a vários espetáculos musicais e arruadas de bombos, refere a autarquia. Este evento tem como objetivo “dinamizar o comércio local” e “divulgar as tradições da Moita”, nomeadamente as “tradições taurinas”, explica a Câmara da Moita. António Pinto Basto e Micaela são as principais atrações musicais do evento.
Moita prepara Feira de 23 a 26 de Maio 

Quatro dias de muita animação abrem o ciclo das festas populares no concelho da Moita. De 23 a 26 de Maio, a vila da Moita recebe a Feira Regional que conta com um programa diversificado: as tradicionais largadas de toiros na Avenida Teófilo de Braga, exposições, gastronomia e muita música.
Na primeira noite, a 23 de Maio, a Abertura Oficial da Feira Franca, Carrosséis e Divertimentos, bem como do Espaço da Gastronomia e da Mostra de Artesanato, está marcada para as 21 horas.  De seguida, está prevista, entre outras atividades, a realização de um Desfile de Moda com a participação do Comércio Local.
No dia 24 de Maio, pelas 15 horas, realiza-se a Conferência integrada no 20º Concurso Regional da Raça Holstein Frísia da Moita, no Auditório da Biblioteca Municipal Bento Jesus Caraça, e a Abertura Oficial do 20º Concurso Regional da Raça Holstein Frísia da Moita e da 2ª Caprileite – Mostra de Caprinos Leiteiros de Raças Exóticas, no Pavilhão Municipal de Exposições. De salientar que esta iniciativa, que decorre até dia 26 deste mês, agrega algumas das maiores e mais produtivas explorações nacionais.
Ainda no dia 24, a Praça da República recebe o espetáculo de fado com António Pinto Basto, sevilhanas e, na Avenida. Dr. Teófilo de Braga, realiza-se, nessa noite, a 1ª Largada de Toiros.
No sábado, dia 25, às 10 horas abre o “Páteo das Velharias”, no Largo das Palmeiras. À noite, pelas 22 horas, o espetáculo musical é com Micaela, na Praça da República, e tem lugar a 2ª Largada de Toiros na Avenida Dr. Teófilo de Braga.
No domingo, dia 26, realiza-se a 3ª Largada de Toiros, a abertura do Espaço Biofesta 2019 – 15º Mostra de Projetos e Produtos Biológicos, a 2ª Mostra de Caprinos Leiteiros de Raças Exóticas, o  Almoço da Feira, entre outras iniciativas que se prolongam até à noite, com muita animação. Na programação deste dia, está incluída a Corrida de Toiros, na Praça Daniel do Nascimento, no dia 26, pelas 17 horas.
João Moura é o cabeça de cartaz – maestros dos maestros -, António Ribeiro Telles – o embaixador do classicismo – e Luís Rouxinol Jr – no ano de afirmação após a sua primeira temporada como cavaleiro de alternativa -, compõem a terna numa tarde onde as pegas estarão a cargo dos forcados amadores de Vila Franca de Xira e Aposento da Moita, capitaneados respectivamente por Vasco Pereira e Leonardo Mathias. Em tarde de verdadeira competição lidam-se seis toiros da ganadaria Palha. Cada bilhete custa 10 euros. 

A história da Feira de Maio 
Na Sessão da Câmara Municipal de 25 de Fevereiro de 1914 “deliberou-se transferir a feira anual de gados e quinquilharias para o quarto domingo de Maio e segunda-feira seguinte e que se fizesse a propaganda necessária para se tornar conhecida esta deliberação”.  
Passados 105 anos, o ambiente festivo invade novamente a vila da Moita, fazendo a alegria das gentes da terra e dos muitos visitantes que a vila acolhe durante os quatro dias de festa. 
"Hoje, a Feira de Maio continua a ser um local de encontro e convívio entre a população, com os atractivos e a diversidade que os tempos actuais impõem, mas respeitando as tradições que caracterizam a vila da Moita, como é o caso da Feira da Vaca Frísia", revela a organização
Para a autarquia, a Feira de Maio “é um local de convivência” e de “reencontro de amigos”, que não se vêem há algum tempo. A Câmara da Moita revela que “toda a programação da feira” foi realizada em parceria com o “movimento associativo” e com a “comunidade”, que são os “protagonistas das atividades que se vão realizar ao longo dos quatro dias”.
A autarquia lembra que este evento “só por si já atrai um elevado número de pessoas, por ser a primeira feira do município da Moita e por ter uma vertente musical e taurina, sendo as largadas conhecidas a nível nacional”.
A Câmara da Moita ambiciona que durante os quatro dias estejam presentes mais de 100 mil visitantes, caso as condições meteorológicas ajudem de quinta a domingo, os dias de festa rija pelas ruas da vila ribeirinha da Moita.

Concurso da Raça Holstein Frísia
Integrado na centenária Feira Regional de Maio, o XX Concurso da Raça Holstein Frísia realiza-se nos dias 24, 25 e 26 de Maio, no Pavilhão Municipal de Exposições, na Moita.
Após um interregno de 15 anos, o Concurso voltou a realizar-se a partir de 2017, com vista a "congregar todo o setor de produção leiteira e pecuária e contribuir para a promoção da espécie, ao mesmo tempo que procura ser um encontro entre produtores e fornecedores", explica a Câmara da Moita.
"Potenciar novas ideias na divulgação e defesa desta raça de extrema importância para a nossa região e para o país", é um dos objetivos do certame.
No dia 24 (sexta-feira), decorre uma Conferência que se constitui como um espaço de enriquecimento do conhecimento e de debate sobre temáticas de interesse para os profissionais do setor.
No dia 25 (sábado), às 15 horas  têm lugar as classificações das secções e, às 21 horas, as finais.
O Concurso da Raça Holstein Frísia é organizado pelo município da Moita com o apoio da Associação Portuguesa de Criadores da Raça Frísia e da Associação para o Desenvolvimento da Estação de Apoio à Bovinicultura Leiteira.
Em simultâneo, realiza-se, a 2ª Mostra Caprileite, no dia 26 de Maio, a partir das 10 horas. Esta Mostra tem por objetivo "divulgar as raças caprinas leiteiras exóticas mais utilizadas no país, sendo uma oportunidade para os criadores mostrarem a evolução deste importante setor", realça a autarquia.
Ainda em paralelo, decorre o 2º Concurso de Arroz Doce, no dia 26, às três da tarde. Este evento, aberto ao público em geral, premeia o melhor arroz doce a concurso.

Biofesta dedicada à Dieta Mediterrânica
A 15ª Biofesta - Mostra de projetos e produtos biológicos realiza-se a 26 de Maio, das 10h30 às 18 horas, no Largo Conde Ferreira, na Moita. Esta iniciativa, que integra o programa da Feira Regional de Maio, é dedicada, este ano, ao tema “Dieta Mediterrânica”.
"A diversidade no consumo de alimentos e técnicas culinárias saudáveis são características da Dieta Mediterrânica que incentiva a utilização de alimentos locais e sazonais, o que permite diminuir os custos energéticos, de tempo, embalagem e transporte inerentes à importação de alimentos", sublinha a autarquia da Moita.
Portanto, refere ainda a Câmara, "além ser uma forma de alimentação saudável, recorre a práticas sustentáveis e amigas do ambiente".
A Biofesta é uma aposta da Câmara da Moita e do Centro de Formação das Escolas dos Concelhos da Moita e do Barreiro. Trata-se de um evento que decorre em ambiente informal e descontraído, onde são divulgados os projetos das hortas biológicas escolares, os produtos hortícolas de microprodutores locais e comercializados produtos biológicos diversos, sendo também divulgadas organizações relacionadas com o modo de produção biológicos.
Ao longo do dia, a Biofesta é enriquecida com demonstrações, provas e muita animação.
[ + ]

Festa da Flor invade Montijo de 23 a 26 de Maio

Festa para animar, encantar e surpreender montijenses e visitantes

Há flores e emoções à solta no primeiro dos muitos eventos que vão preencher a programação do Montijo Lugar de Encontros 2019. De 24 a 26 de Maio, a Festa da Flor vai trazer mais cor, beleza e animação ao centro da cidade e ao Forum Montijo… "porque todos juntos somos Montijo Capital da Flor", refere a autarquia em comunicado. A apresentação oficial da Festa da Flor terá lugar no Forum Montijo, no dia 23 de Maio, às 11 da manhã. Durante três dias, a cidade vai honrar as actividades socioeconómicas da região, através de actividades de arte floral, decorações expostas, workshops, acções de responsabilidade social e muito mais. As actividades são gratuitas e esperam pela visita de toda a família. Flower Power com Tributo aos ABBA, na Praça da República, na noite sábado, um concerto de Herman José, no Forum Montijo, na sexta-feira e o lançamento da rota da Gerbera, marcam o cartaz cultural do evento. 
Festa da flor decorre até domingo na cidade 

A Câmara do Montijo, em parceria com a Comissão da Baixa, o Forum Montijo e a Associação Portuguesa de Produtores de Plantas e Flores Naturais, preparou uma nova edição da Festa da Flor, onde não faltam eventos inéditos, animação de rua e espetáculos que prometem surpreender montijenses e visitantes.
Tal como nas edições anteriores, há uma grande aposta na decoração da zona central da cidade. No coração da Baixa serão colocadas estruturas florais e os bancos serão baloiços de jardim.
A Rua Almirante Cândido dos Reis, no centro da cidade, irá surpreender com uma instalação área intitulada Jardim Suspenso, da autoria do escultor montijense Ricardo Contramestre.
Entre as novidades está a construção de Tapetes de Flores, na tarde de dia 24 de Maio, num evento aberto à população e que contará com os seniores dos Projetos de Envelhecimento Ativo da câmara e do Cuidar +65 da Junta da União das Freguesias do Montijo e Afonsoeiro.
Este ano, o Concurso de Montras Em Flora apresenta um formato inédito, com a participação em simultâneo das lojas da Baixa da Cidade e das lojas do Forum Montijo, com o "objetivo de eleger a melhor Montra em Flor", sublinha a autarquia.
Outra novidade é o Concurso A Rota da Gerbera, na tarde do dia 25 de Maio, onde os participantes serão desafiados a elaborar um bouquet de flores e, simultaneamente, a visitar as lojas da Baixa.
"Porque o convite é nosso, mas a festa é sua… no dia 25 de Maio, a partir das 22 horas, há Flower Power com Tributo aos ABBA, na Praça da República. Uma festa que junta a música, as flores e as emoções… vista-se a rigor com roupa florida e junte-se a nós", realça a autarquia do Montijo.
Durante a Festa da Flor, na Praça da República há, ainda, street food e um mercadito com flores, artesanato, outros produtos e momentos de animação de rua e de animação infantil.
O Forum Montijo também apresenta uma programação própria, onde se destaca o espetáculo de Herman José, no dia 24 de Maio, às 21h30.
"Aprecie a beleza das flores, partilhe emoções… esperamos por si na Festa da Flor. Venha ao Nosso Encontro!", pede a autarquia. 

Montijo Lugar de Encontros está de volta
À semelhança de anos anteriores, a Festa da Flor irá marcar a abertura do Montijo Lugar de Encontros, na Praça da República.
Este projeto tem como objetivo "dinamizar equipamentos e espaços públicos privilegiados da cidade, como o Jardim Municipal Casa Mora, Praça da República, Parque Municipal e Quinta do Saldanha, que serão palco de uma programação diversificada com música, dança, cinema ao ar livre, desporto e muita festa", explica a Câmara do Montijo. A iniciativa prolonga-se até 27 de Julho, onde um concerto de Berg encerra a edição deste ano.
Ao longo dos anos, o Montijo Lugar de Encontros tem tido um "impacto bastante positivo na dinamização cultural da cidade com o envolvimento da população e de inúmeros parceiros, nomeadamente as forças vivas representativas da realidade sócioeconómica, cultural e desportiva do concelho", sublinha a autarquia.
Consulte aqui o programa completo do Montijo Lugar de Encontros deste ano.

Agência de Notícias com Câmara do Montijo 
[ + ]

Palmela prestou homenagem aos bombeiros do concelho

"Alterar comportamentos e panorama da segurança na comunidade"

As comemorações do Dia Municipal do Bombeiro 2019, que iniciaram no inicio deste mês, encerraram dia 19, com a sessão solene de homenagem aos bombeiros do concelho, cerimónia que decorreu no Auditório Municipal de Pinhal Novo e integrou, ainda, a atribuição da Medalha Municipal de Comportamento Exemplar (Graus Cobre, Prata e Ouro – 15, 20 e 25 anos) a seis soldados da paz e a Medalha de Quadro de Honra da Liga dos Bombeiros Portugueses ao subchefe António Lúcio Barradas. Há 19 anos que o município de Palmela assume a promoção da cultura de segurança como um pilar da sua política para a área da Proteção Civil, com a convicção de que uma comunidade preparada e sensibilizada é uma comunidade mais saudável e segura. "Quase duas décadas de comemorações contribuíram para alterar comportamentos e panorama da segurança na comunidade", disse o presidente da Câmara de Palmela, Álvaro Amaro. 
Simulacros decorreram em várias escolas do concelho 


Este ano, as comemorações - uma iniciativa do município de Palmela com as Associações de Bombeiros do concelho - foram assumidas pela corporação de Pinhal Novo, de acordo com o esquema de rotatividade instituído e centraram-se no tema “Segurança das Crianças a Nossa Responsabilidade”, integrando um conjunto de atividades, com destaque para as jornadas de debate com o mesmo nome, que decorreram na Escola Secundária de Pinhal Novo e os diversos simulacros de sismo e um exercício conjunto, dinamizados em Escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico e um exercício principal na Escola Básica 2/3 José Maria dos Santos, em Pinhal Novo que juntou as corporações de bombeiros de Pinhal Novo, Palmela e Águas de Moura.
Na cerimónia, o presidente da Câmara de Palmela, Álvaro Amaro, sublinhou o papel das comemorações, ao longo de quase duas décadas, "que contribuíram, inegavelmente, para alterar comportamentos e modificar o panorama da segurança no concelho, não apenas junto das crianças, mas de toda a comunidade".
Álvaro Amaro recordou, entre outros aspetos, a constituição da Academia da Proteção Civil de Palmela, "que assumiu um papel fulcral no desenvolvimento do trabalho nesta área, com programas de formação específicos, para públicos diferenciados" e a Viatura Itinerante da Proteção Civil, projeto pioneiro, que registou, entre 2015 e 2018, mais de oito dezenas de atividades, que envolveram 1982 participantes.
Vivem-se tempos de grandes desafios que estão a mudar o paradigma da Proteção Civil e do Socorro em Portugal, nomeadamente, com a descentralização de competências da Administração Central para as autarquias "que Palmela rejeitou, em primeiro lugar, por uma questão de princípio", disse o presidente e momentos de descontentamento generalizado por parte das corporações de bombeiros de todo o país e das suas entidades representativas, face a sucessivas alterações legislativas e de orgânica, que transferem cada vez mais responsabilidade e encargos para Bombeiros e municípios.
Com três associações de bombeiros no concelho, "A Câmara de Palmela tem ido, nas últimas décadas, por opção própria e sentido de responsabilidade, muito além das suas atribuições e competências, num trabalho de proximidade e parceria, que tem dado reconhecidos frutos", nomeadamente, com os Protocolos para apoio aos Grupos de Bombeiros Permanentes, "comparticipação de obras de ampliação e requalificação de quartéis, apoios à formação e aquisição de equipamento e a criação do Cartão Municipal do Bombeiro, cujo regulamento está em fase de consulta pública", sublinhou Álvaro Amaro.
"Orgulhamo-nos, pois do património de trabalho conjunto que construímos – município e Associações de Bombeiros de Palmela, Pinhal Novo e Águas de Moura – desbravando caminho ao longo destas últimas décadas e contribuindo, de forma inegável, com este Dia Municipal do Bombeiros e as comemorações, para aprofundar a reflexão sobre os temas relacionados com este universo dos Bombeiros e da Proteção Civil", concluiu o autarca. 

Agência de Notícias com Câmara de Palmela 

[ + ]

Setúbal mostra tradições marítimas até 3 de Junho

Autarquia promove a Semana do Mar e do Pescador a partir de quinta-feira 

Perto de sete dezenas de atividades de promoção da economia do mar integram o maior programa de sempre da Semana do Mar e do Pescador, a realizar entre os dias 23 de Maio e 3 de Junho. A quarta edição do evento, organizado pela Câmara de Setúbal, pela União das Freguesias de Setúbal e pelas juntas de freguesia de São Sebastião e de Gâmbia-Pontes-Alto da Guerra para assinalar o Dia Nacional do Pescador, “tem um programa mais vasto, com mais dias, mais iniciativas e mais organizadores e entidades parceiras”, sublinhou esta terça-feira, Manuel Pisco, vice-presidente da Câmara de Setúbal, na apresentação do certame, na Casa da Baía.
Exposições e atividades ligadas ao mar no programa  


Exposições, conferências, oficinas ambientais, passeios fluviais, formação, espetáculos musicais e mostra de tradições marítimas integram o programa da Semana do Mar e do Pescador 2019, que “aprofunda a dimensão económica do certame e projeta a economia do mar no futuro” a partir do território de Setúbal, quer no contexto da pesca tradicional, quer na inclusão da aquacultura no Sado, em especial da ostricultura.
A ligação de Setúbal ao mar e aos pescadores justificam, segundo o autarca, o maior número de iniciativas na edição deste ano, num total de 67 em onze dias, que tornam mais visível a economia e a vida do mar no concelho.
“Setúbal, como cidade do mar e do rio azul, tem o dever de dar visibilidade às atividades relacionadas com a economia do mar. Por isso, temos um enorme orgulho na apresentação deste certame”.
À União das Freguesias de Setúbal, que, nos últimos quatro anos organizou a Semana do Mar e do Pescador em parceria com a Câmara Municipal, juntam-se, em 2019, as juntas de freguesia de São Sebastião e de Gâmbia-Pontes-Alto da Guerra.
“Com estes dois parceiros de peso atingimos a expressão máxima deste projeto”, sublinhou o presidente da União das Freguesias de Setúbal, Rui Canas.
Para o presidente da Junta de Freguesia de São Sebastião, Nuno Costa, esta parceria a quatro “cumpre o objetivo de juntar autarquias com importantes comunidades piscatórias no concelho” na organização de um evento com um “programa muito eclético com atividades de cariz económico, ambiental, educativo, cultural e de lazer”.
A componente educativa é, para o presidente da Junta de Freguesia de Gâmbia-Pontes-Alto da Guerra, José Belchior, um dos destaques do certame, uma vez que “é de extrema importância incutir o espírito das tradições marítimas na juventude”.

Os destaques do programa 
O programa da Semana do Mar e do Pescador 2019, inserido no projeto Setúbal Terra de Peixe, tem início a 23 de Maio, às 14h30, na Casa da Baía, com a conferência “Produção e Crescimento da Ostra em Setúbal” dinamizada por Ricardo Salgado, professor da Escola Superior de Tecnologia do Instituto Politécnico de Setúbal.
De 24 de Maio a 2 de Junho, das sete às 13 horas, está patente no Mercado do Rio Azul a exposição fotográfica “Gentes do Mar”, com inauguração às 10h30.
No Parque Urbano de Albarquel, é possível visitar de 25 de Maio a 2 de Junho, das nove às 23 horas, a Mostra de Tradições Marítimas, dedicada a exposições de canas artísticas, apetrechos de pesca, trabalhos das ecoescolas, artesanato do mar e artefactos relacionados com os círios marítimos.
A mostra contempla oficinas ambientais e oficinas das tradições marítimas, destinadas aos mais pequenos, a decorrer a bordo da embarcação Maravilha do Sado e no Parque Urbano de Albarquel, entre os dias 27 e 31 de Maio, às 10 e às 14 horas.
Também destinados ao público infantil realizam-se os ateliers “Azular o Fundo do Mar”, nos dias 26 e 1, às 17 horas, no Parque Urbano de Albarquel, com leitura dramatizada e movimento expressivo, dinamizados pela escritora e contadora de histórias Paula Farinhas.
A mostra Petiscos com Sabor a Mar, sobre gastronomia sadina confecionada por pescadores, decorre também no Parque Urbano de Albarquel, nos mesmos dias, mas entre as 11 e as 24 horas. Animação musical preenche a programação cultural, de 25 de Maio a 1 de Junho, a partir das 20 horas.
A Mostra de Tradições Marítimas e a mostra Petiscos com Sabor a Mar têm inauguração prevista para as 17 horas, altura em que é inaugurada, no mesmo local, a exposição “Pesca com Arte”, de canas de pesca artística produzidas por Nuno Paulino.
Segue-se, às 18 horas, uma degustação de ostras do Sado dinamizada pela Exporsado, que se repete no domingo, 26, e nos dias 31 e 1 de Junho.
O programa da Semana do Mar e do Pescador 2019 contempla, igualmente, quatro ações de sensibilização sobre o consumo do pescado a realizar nos mercados 2 de Abril, do Livramento, da Conceição e do Rio Azul, nos dias 24, 25 e 31 de Maio e a 1 de Junho, respetivamente, entre as nove e as 12h30.
No fim de semana de 25 e 26 de Maio, às 10 e às 14 horas, realizam-se quatro passeios fluviais na embarcação “Maravilha do Sado”, com partida do molhe exterior da Doca dos Pescadores. As inscrições devem ser feitas, para dia 25, na Junta de Freguesia de São Sebastião e, para dia 26, na União das Freguesias de Setúbal.
No dia 26, às oito da manhã, na Igreja de São Sebastião, celebra-se a Missa de Homenagem aos Pescadores, organizada em parceria com a Associação Família do Mar.
No dia seguinte, segunda-feira, 27, às 20h30, realiza-se um workshop sobre recuperação e salvamento no mar com helicóptero, dinamizado pelo FOR-MAR, no auditório do  Ninho de Novas Iniciativas Empresariais, no primeiro piso do Mercado do Livramento.
No dia 28, às 10 horas, no mesmo local, a Associação Portuguesa de Aquacultores associa-se à Câmara Municipal de Setúbal para promover uma sessão de esclarecimento sobre “Oportunidades e desafios para o desenvolvimento da produção de ostras no Estuário do Sado”.
A 29 de Maio, com início às 10h30, o Mercado do Livramento acolhe uma aula de culinária ao vivo, com cavala e carapau, numa ação de promoção do pescado nacional, em parceria com a Docapesca.
As inscrições, gratuitas, devem ser feitas através do correio eletrónico gae@mun-setubal.pt ou do telefone 265 545 390.
No dia seguinte, às 15 horas, realiza-se uma sessão de esclarecimento sobre a “Evolução tecnológica e o desenvolvimento sustentável da economia do mar”, no auditório da Escola Superior de Ciências Empresariais do IPS.
A 31, Dia Nacional do Pescador, às 10h30, no Cemitério de Nossa Senhora da Piedade, realiza-se a cerimónia de deposição de flores no Memorial aos Pescadores Setubalenses Desaparecidos.
O programa neste dia contempla igualmente, às 10 horas, uma visita de alunos de escolas do concelho à lota para assistirem à simulação de um leilão de pescado tradicional e eletrónico, numa colaboração com a Docapesca, e, às 17 horas, uma sessão de diagnóstico de necessidades formativas sobre a Economia do Mar, no Parque Urbano de Albarquel, em parceria com o FOR-MAR.
No dia 1 de Junho, às 12 horas, um almoço-comemorativo do Dia do Pescador reúne a comunidade piscatória de Gâmbia em Pontal de Musgos.
No último dia do programa, 2 de Junho, às 10 horas, o Parque Urbano da Albarquel é palco de uma corrida de botes a remos, a que se segue, duas horas depois, e a encerrar a Semana do Mar e do Pescador, um almoço-convívio comemorativo do Dia do Pescador com animação musical a cargo do conjunto típico “Os Alcorrazes”.
A Semana do Mar e do Pescador 2019 tem como mecenas a Exporsado – Comércio e Indústria de Produtos do Mar, a Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra e a Mútua dos Pescadores.
Além da Docapesca, do FOR-MAR, da Associação Família do Mar, da Associação Portuguesa de Aquacultores, da Comunidade Piscatória de Gâmbia e do Instituto Politécnico de Setúbal, o evento conta com as parcerias da Associação Setúbal Pesca, da Associação Azul Bissexto, da SESIBAL, da Eco-Oil e das comissões das Festas de Nossa Senhora do Rosário de Troia, do Círio de Nossa Senhora da Arrábida e do Círio do Senhor do Bonfim.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 
[ + ]

Festival de Música envolve 1500 jovens em Setúbal

Cantora de jazz Beatriz Nunes abre Festival de Música 

Artistas nacionais e internacionais conceituados partilham o palco com mais de 1500 crianças e jovens, entre 23 e 26 de Maio, na nona edição do Festival da Música de Setúbal, com eventos em diversos locais do concelho. A cantora de jazz Beatriz Nunes, o maestro Paulo Lourenço, a Orquestra Sinfónica Portuguesa, Clarence Adoo, John Kenny e Merit Ariane integram o cartaz deste ano do Festival de Música de Setúbal, apresentado esta quarta-feira no Museu do Trabalho Michel Giacometti, local onde se realiza um dos espetáculos do evento. “Casa”, à semelhança do ano passado, é o tema da nona edição do certame, organizado pela Associação Festival de Música de Setúbal, em parceria com a Câmara de Setúbal e The Helen Hamlyn Trust e apoio da Antena 1 e 2 e da Caetano Drive.
Festival foi apresentado esta quarta-feira 

A cantora de jazz Beatriz Nunes abre a 9.ª edição do Festival de Música de Setúbal, no dia 23 de Maio, num espetáculo conjunto com músicos do Conservatório Regional de Setúbal e Coral Infantil de Setúbal, foi anunciado esta quarta-feira. Apresentada como uma cantora versátil na música ligeira, no canto lírico e no jazz, onde é mais conhecida, Beatriz Nunes abre aquele que é considerado um dos festivais de música mais inclusivos, no concerto que tem início às 21 horas do dia 23 de Maio (quinta-feira), no Fórum Luísa Todi.
"Começámos há nove anos, com esse princípio de promover a inclusão social", disse o diretor do Festival de Setúbal, Ian Ritchie, na conferência de imprensa de apresentação da 9.ª edição, que decorre de 23 a 27 de Maio, na cidade de Setúbal.
Ian Ritchie destacou também o trabalho realizado por alguns alunos que participaram na recolha de memórias junto de instituições de apoio à terceira idade, em Setúbal e Azeitão, que permitiram criar novas canções, convicto de que esse esforço irá proporcionar "momentos comoventes e memoráveis".
Na tradição estabelecida por anteriores edições, o Festival de Música de Setúbal, este ano, uma vez mais, inspirado no tema "Home", vai contar com a presença de músicos e artistas reconhecidos a nível internacional, que vão partilhar o palco com jovens da região.
As participações do maestro Paulo Lourenço, da Orquestra Sinfónica Portuguesa, com a maestrina Joana Carneiro, da Camerata do Festival, dirigida por André Gaio Pereira, vencedor do Prémio Jovens Músicos 2017, do trombonista John Kenny e do trompetista Torbjorn Hultmark, bem como da cantora e compositora Merit Ariane e do Ensemble Juvenil de Setúbal, são outros pontos altos do festival que este ano deverá mobilizar mais de 1.500 crianças e jovens de todo o concelho de Setúbal.
Nesta 9.ª edição, a organização destaca também a realização do segundo Simpósio Internacional de Música, Saúde e Bem-Estar, agora alargado a dois dias de apresentações e conversas com especialistas nacionais e internacionais.
Na conferência de imprensa de apresentação do Festival de Música de Setúbal, realizada no Museu do Trabalho Michel Giacometti, a presidente da Câmara Municipal, Maria das Dores Meira, sublinhou o envolvimento de dezenas de estabelecimentos de ensino e instituições de todo o concelho, e admitiu que o orçamento para a edição deste ano poderá ultrapassar os 200 mil euros, contabilizando todo o apoio logístico e o envolvimento de diversos departamentos camarários.
“Há nove anos era altamente improvável ver, por exemplo, a Academia de Música e Belas-Artes Luísa Todi a partilhar o palco com o Rumo ao Sucesso. Este festival mostra que não há limites e que todos podem fazer música”, lembra Maria das Dores Meira.
A autarca reafirma o caráter único do Festival de Música de Setúbal, evento repleto de “significados e estados de espírito”, que se traduz numa “mostra de músicos e de músicas em que se evitam os sons que, por vezes, poluem os nossos quotidianos”.
Maria das Dores Meira salientou ainda que, além do apoio do município, o Festival de Música de Setúbal conta também com apoios financeiros da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundação The Helen Hamlyn Trust.
O Festival de Música de Setúbal mantém como principal linha o princípio que serviu de predicado à sua génese, em 2010, o de contar com o envolvimento da comunidade local, desde o movimento associativo, escolas, estabelecimentos de ensino musicais e pessoas portadoras de deficiência, na participação artística ativa nos espetáculos do programa, muitos deles em estreita parceria com músicos profissionais e consagrados.
[ + ]

Trabalhadores da TST voltam à greve em 12 e 13 de Junho

Motoristas manifestaram-se em Almada e reclamam 750 euros de ordenado base 

Cerca de 250 trabalhadores da Transportes Sul do Tejo (TST) concentraram-se, esta segunda-feira em protesto, em Almada, contra os “ordenados mais baixos” do setor na Área Metropolitana de Lisboa, reivindicando melhores condições laborais. Os motoristas decidiram voltar a paralisar entre 12 e 13 de Junho, por considerarem que a proposta de aumento salarial da empresa, para 685 euros, é uma “provocação”, informou fonte sindical. “Os trabalhadores decidiram fazer uma nova greve de 48 horas porque não concordam com a proposta feita pela empresa, entendem que é uma provocação tendo em conta os baixos salários praticados e pensam que a TST está em condições para chegar mais além”, adiantou João Saúde, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações.
Nova greve marcada para 12 e 13 de Junho

“Esta é a empresa das ex-rodoviárias que tem os ordenados mais baixos de toda a Área Metropolitana [de Lisboa]”, disse um motorista de Sesimbra, Francisco Fonseca, adiantando que foi apresentada uma proposta à empresa de “750 euros de ordenado base”.
“É o que estamos a exigir, que tenhamos melhores salários e melhores condições de trabalho para podermos proporcionar à população e aos passageiros que transportamos umas boas condições”, frisou.
Naquele que foi o segundo e último dia de greve dos trabalhadores da TST, cerca de 250 funcionários concentraram-se na rua Dom Nuno Álvares Pereira, em Almada, discursando sobre as condições a que estão sujeitos.
“Nós tivemos uma reunião com a administração da empresa no passado sábado, que finalmente apresentou uma nova proposta que ficou muito aquém daquilo que são as reivindicações”, referiu Fernando Fidalgo, da Fectrans – Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações.
De acordo com o sindicalista, a TST propôs um aumento dos atuais 673 euros para 685 euros e a implementação de um sistema de folgas rotativas, no entanto, para os motoristas isto não é suficiente e, em princípio, vão “rejeitar”, continuando com paralisações de 48 horas, por mês.
“Os trabalhadores reivindicam já e de imediato 700 euros na tabela salarial com retroativos a Janeiro deste ano”, indicou.
O protesto realizou-se entre as 10 e o meio-dia, seguindo-se uma reunião com a presidente da Câmara de Almada, Inês de Medeiros (PS), pelo que o sindicato espera que o executivo “esteja do lado dos trabalhadores” e que “pressione a administração da TST para resolver o conflito”.
“Nós esperamos que a presidente da Câmara de Almada reconheça que a TST é uma empresa que tem prestado um mau serviço aos utentes. Tem uma frota particularmente envelhecida, tem um elevado índice de corte de carreiras, não se preparou para o aumento da taxa de ocupação verificado com os novos passes sociais e têm ficado muitos utentes nas paragens”, mencionou.
Neste protesto também esteve a deputada e vereadora do BE na Câmara de Almada, Joana Mortágua, que realçou como a “degradação do serviço prestado à população” também corresponde à “degradação dos trabalhadores”, que “recebem abaixo da média salarial do seu setor”.
Neste sentido, a bloquista advertiu que a degradação do serviço tem vindo a piorar desde que entrou em vigor o novo passe social, em 1 de Abril, não existindo “nenhum reforço por parte da administração” em termos de carreiras, o que tem causado “queixas de muita gente que fica nas paragens”.
Na concentração também esteve presente o eurodeputado do PCP, João Pimenta Lopes, que, à semelhança de Joana Mortágua, defendeu a “reversão dos processos de liberalização e privatização do setor dos transportes em Portugal”.
Esta é a terceira vez que os trabalhadores paralisam por 48 horas, reivindicando aumentos salariais e a redução da carga horária, tendo registado hoje uma adesão na ordem dos 90 a 95 por cento e a supressão de carreiras entre Setúbal e Lisboa, segundo a Fectrans, apesar de a empresa apenas contabilizar 77,8 por cento.
A TST, detida pelo grupo Arriva, desenvolve a sua atividade na península de Setúbal, com 190 carreiras e oficinas em quatro concelhos, designadamente Almada, Moita, Sesimbra e Setúbal.

Agência de Notícias com Lusa 

[ + ]

Barreiro melhora atendimento a doentes oncológicos

Centro Hospital vai adquirir novo acelerador linear para Radioterapia

O Centro Hospitalar Barreiro Montijo vai adquirir um novo acelerador linear para o serviço de Radioterapia, num montante de cerca de 2,8 milhões de euros, ao abrigo do Programa Operacional Lisboa 2020. “‘Modernizar para melhor cuidar II’ é o lema da candidatura apresentada em Janeiro último, que prevê a aquisição de um novo acelerador linear para o serviço de Radioterapia, para substituir o atualmente existente já desajustado face à evolução técnica e científica verificada nos últimos anos”, refere a administração dos hospitais do Barreiro e Montijo em comunicado, salientando que já foi publicado o concurso público para aquisição deste equipamento.
Novo equipamento custa 2,8 milhões de euros 

Segundo o documento, o novo acelerador linear permitirá aumentar a capacidade de resposta interna para tratamentos complexos, através da realização de técnicas de radioterapia estereotáxica fracionada, de radioterapia de intensidade modulada e de radioterapia guiada por imagem.
“Com este equipamento será possível aumentar a precisão do tratamento a realizar e a dose de radiação no volume a tratar, reduzir o tempo de tratamento e diminuir os efeitos secundários”, salienta.
De acordo com a Rede Nacional de Especialidade Hospitalar e Referenciação de Radioterapia, o serviço de Radioterapia do Centro Hospitalar Barreiro Montijo dá resposta às necessidades dos doentes do foro oncológico com indicação para tratamentos de radioterapia da área da Península de Setúbal (Hospital Garcia de Orta (Almada), Centro Hospitalar Barreiro Montijo e Centro Hospitalar de Setúbal).
Desde Agosto de 2016, por despacho do secretário de Estado Adjunto e da Saúde, passou também a dar resposta aos doentes da área de referenciação do Hospital de Vila Franca de Xira, representando uma cobertura assistencial de mais de um milhão de habitantes.
O serviço de Radioterapia encontra-se certificado desde 2009, tendo realizado 24.421 tratamentos o ano passado.

Agência de Notícias com Lusa 

[ + ]

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010