Dá um Gosto ao ADN

Camané e Cuca Roseta nas Festas do Seixal

Festas Populares de São Pedro arrancam hoje 

Camané, Cuca Roseta, Dany Silva, Nelson Freitas, Átoa, Dixit e Banza são as atrações musicais das Festas Populares do Seixal, que começam este sábado e incluem o segundo Festival Náutico do concelho da margem sul do Tejo. As marchas populares das escolas e jardins-de-infância, no sábado, o dia das coletividades, na quinta-feira da próxima semana, e a marcha das canas, no dia 29 de Junho, sexta-feira, são outros momentos de interesse nas festas do Seixal. No âmbito do festival náutico, estão previstas várias iniciativas, onde se incluem as visitas à caravela Vera Cruz e um desfile de embarcações tradicionais e de recreio. Bailes em coletividades, concertos de bandas de música, arraiais populares e a Procissão em Honra a S. Pedro, que terá lugar às 18 horas do dia 29 de Junho são outros motivos de interesse das Festas Populares do Seixal.
Marchas populares realizam-se esta noite no Seixal 

Concertos, desfiles de embarcações tradicionais e de recreio, mostra de artesanato e gastronomia, festival náutico e animação de rua são algumas das atividades que integram a programação das tradicionais Festas Populares de São Pedro no Seixal, entre os dias 23 de Junho e 1 Julho. Para além das atividades mais lúdicas, estas festividades são conhecidas por incluírem celebrações religiosas dedicadas ao padroeiro dos pescadores. Uma das mais significativas é a Solene Procissão em Honra a S. Pedro que está marcada para o dia 29 de Junho, domingo, às 18 horas.
Já entre a programação musical, destaque para os concertos de Cuca Roseta, Átoa, Nelson Freitas, Camané e Dany Silva que vão subir ao palco principal instalado na Quinta dos Franceses, onde será possível assistir ainda a outros espetáculos como “I’m a Rock” e “Stand Up Comedy com Serafim”. Também para o Largo da Igreja estão marcadas várias atuações que se prolongam por toda a semana em que decorrem as festividades.
Para a Baía do Seixal está reservado o Festival Náutico que integra um conjunto de atividades que dão a conhecer alguns dos costumes e tradições ligados ao mar. O Desfile de embarcações tradicionais e de recreio (dia 24), visitas à Caravela Vera Cruz e o Caravela By Night: Concertos e Animação Musical são algumas das propostas direcionadas para toda a família.
Todos os dias há animação de rua, mostra de artesanato e gastronomia e feira franca.

Festival Náutico Baía do Seixal até 1 de Julho
Caravela Vera Cruz está no Seixal 
O Festival Náutico Baía do Seixal decorre até 1 de Julho, com diversas atividades ligadas ao rio. Um dos pontos altos do festival será o Desfile de Embarcações Tradicionais e de Recreio que terá lugar no dia 24 de Junho. Os passageiros poderão subir a bordo das diversas embarcações participantes e usufruir de um belo passeio pelas águas da Baía do Seixal.
Em destaque ainda no programa para o Treino de Mar a bordo da Caravela Vera Cruz, que permitirá que 12 jovens do concelho possam viajar de Bordéus para a Baía do Seixal a bordo da referida Caravela. Durante a viagem os jovens terão oportunidade de aprender as bases das artes de marinhagem, numa recreação da navegação à vela, em embarcação que é réplica das utilizadas nos Descobrimentos.
De 23 a 30 de Junho será também possível visitar a Caravela Vera Cruz que estará atracada no Seixal, proporcionando visitas gratuitas a esta réplica de embarcação dos Descobrimentos. A bordo da Caravela haverá ainda animação musical noturna nos dias 29 e 30 de Junho, dinamizada por DJ convidados e outros grupos musicais.
De 25 de Junho a 1 de Julho e inserido na Rota Barcos do Tejo decorrem passeios gratuitos em embarcações tradicionais e visitas ao património histórico do concelho: Moinho de Maré, Núcleo Naval, Tipografia Popular, Quinta da Fidalga e Oficina de Artes Manuel Cargaleiro, entre outros. Durante estes dias haverá ainda aulas abertas de canoagem.
A iniciativa é organizada pela Câmara do Seixal, em parceria com a Aporvela – Associação Portuguesa de Treino de Vela e o Movimento Associativo local.
[ + ]

Mais de 100 pessoas vão correr nuas no Meco

Praia do Meco volta a acolher Légua Nudista este sábado 

São cinco quilómetros, a correr ou caminhar, na Praia do Meco, em Sesimbra. O único requisito? Ir completamente nu. A sexta Légua Nudista internacional, organizada com o apoio da Federação Portuguesa de Naturismo, está marcada para este sábado, 23 de Junho e arranca às 10 horas. Apesar de o objetivo ser correr nu à beira mar, é possível usar ténis e meias e, no caso das mulheres, soutiens desportivos. Não há qualquer limite de idade de participação. A prova surge como forma de promover esta prática que tem ganho cada vez mais adeptos em Portugal.
Légua nudista decorre amanha às 10 horas 

"... É uma forma de viver em harmonia com a Natureza, caracterizada pela prática de nudez colectiva, com o propósito de favorecer a auto-estima, o respeito pelos outros e pelo meio ambiente”, diz a organização do evento. O Naturismo é uma forma de estar que tem vindo a ganhar cada vez mais adeptos de variadas nacionalidades, entre as quais Portugal não fica de fora.
A par de Espanha, França, Croácia ou outros países que totalizam uma comunidade de milhões, estima-se que em Portugal já sejam mais de dez mil naturistas que o praticam lá fora ou no próprio país, que já conta com oito praias naturistas oficiais.
Uma delas é a praia do Meco, que vai receber a 23 de Junho a sexta edição da ‘Légua Nudista’, uma corrida ou caminhada de cinco quilómetros dedicada aos Naturistas, que já conta com 100 inscrições, totalizando o número record de mulheres inscritas.
Esta é uma forma que os seguidores desta filosofia apoiam para abolir preconceitos. Depois da prova, segue-se o 36º Congresso Mundial Naturista, o primeiro a acontecer em Portugal e com o qual pretende promover esta prática por todo o mundo, sendo já representada por 31 federações nacionais e oito representantes num total de 39 países.
O evento, que acontece a cada dois anos, será de 11 a 14 de Outubro no Hotel Tryp, na Costa de Caparica, em Almada.

O naturismo está a crescer em Portugal
Há cada vez mais portugueses a fazer nudismo 
Em Portugal, a tendência está a crescer, havendo já oito praias legalizadas para a prática do naturismo, todas a Sul do país, além de “várias dezenas de praias identificadas de uso e costume naturista, algumas delas enquadradas na lei em vigor” disse ao site Notícias ao Minuto, Rui Elvas, presidente da Associação Alma Naturista, que foi criada em Outubro do ano passado por 11 naturistas federados com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento desta prática em Portugal.
“Nas nossas atividades, procuramos além de atividades de âmbito naturista, onde a roupa é opcional, desenvolver atividades com outras formas de cidadania em prol do ambiente e da solidariedade” explica Rui Elvas, que nos esclarece que a associação que preside passa por assentar “na liberdade individual, estruturado por núcleos, com liberdade financeira e atividades próprias, que permitam uma maior proximidade à comunidade naturista e ao poder local”.
O facto de as praias naturistas serem por norma mais isoladas e calmas que “leva a que a comunidade não naturista a procurar estas praias para aproveitar o sossego e o bem estar que elas proporcionam, uma tendência seguida também pelas mulheres praticantes de topless, que eventualmente se sentem mais confortáveis nestas praias”, sublinha Rui Elvas que aponta também o crescimento de mais locais indicados à prática, algo por que os naturistas anseiam e de que é exemplo a Quinta do Maral, “um projeto fundado por jovens empresários portugueses e que foi o primeiro parque de campismo naturista legalizado em Portugal”. 
Quanto às praias legalizadas em Portugal, como já foi referido, são atualmente oito. A aprovação da legalização de cada espaço compete à Assembleia Municipal e passa por debate e votação por várias entidade, entre elas a Região de Turismo, à proposta apresentada.
Metade ficam no distrito de Setúbal: Praia da Bela Vista, Almada. Praia do Meco, Sesimbra. Praia do Salto, Sines e Praia da Adiça, Almada. As restantes situam-se no Algarve (Praia das Adegas, Aljezur, Praia do Barril, Tavira e Praia da Ilha Deserta, Faro. A última situa-se no Alentejo, a  Praia dos Alteirinhos, Odemira.

[ + ]

Alcochete está em festa este fim de semana

Festas de São João e Festival Internacional de Papagaios animam vila 

Alcochete está em festa este fim de semana. Esta tarde arrancam as Festas em honra de São João Baptista que assinalam a fé sentida pelos populares no Santo Padroeiro de Alcochete. Manifestações religiosas, fogueiras, arraiais, bailes populares são algumas das componentes que integram a programação. O verão vai começar com muita cor e diversão para os lados de Alcochete. É que entre os dias 23 e 24 de Junho, a Praia dos Moinhos,  irá ser palco daquele que é o 16.º Festival Internacional de Papagaios de Alcochete. Com a presença de equipas internacionais que trazem os seus papagaios gigantes e artísticos para a apreciação de todos, bem como os voos acrobáticos, no evento não faltarão também atividades para toda a família, crianças inclusive.

Festa de São João começa hoje em Alcochete 

De 22 a 24 de Junho Alcochete homenageia o seu santo padroeiro durante as festas de São João Baptista, numa organização da Fábrica da Igreja Paroquial de São João Baptista de Alcochete e da Câmara Municipal de Alcochete, com o patrocínio da Junta de Freguesia de Alcochete e apoio do Grupo Casa da Malta.
A inauguração da exposição de estatuária “São João é d’Alcochete”, com peças da coleção de Toninho Manso, às 21h00, na Galeria Municipal dos Paços do Concelho, marca o arranque das festividades, antecedendo o concerto da Banda da Sociedade Imparcial 15 de Janeiro de 1898, no Jardim do Coreto.
No sábado, 23 de Junho, destaque para a tradicional bênção da fogueira de São João, e a missa da Vigília do Nascimento de São João Baptista, na Igreja Matriz, e ainda a confraternização popular com animação musical por Carla Sofia e pela Charanga de Alcochete.
No dia de São João, 24 de Junho, o dia começa a bordo do Bote Leão com um passeio gratuito inserido no VI Cruzeiro Religioso e Cultural do Tejo, destacando-se dois momentos religiosos, nomeadamente, a missa da solenidade do Nascimento de São João Baptista, e a solene procissão pelas ruas da vila.
A atuação da marcha de Alfama, às 22 horas, no largo de São João, encerra as festividades deste ano.

A tradição do São João em Alcochete 
Em Junho, por ocasião dos Santos Populares, realizam-se em Alcochete as Festas Populares em Honra de São João Baptista, que congregam nos dias em redor do feriado municipal, assinalado a 24 de Junho, momentos de alegria e de grande religiosidade.
Como é tradição nas festas populares, na noite de 23 de Junho, em diversas ruas ou largos da Vila, são ateadas pequenas fogueiras, mas só após a bênção, pelo pároco local, da grande fogueira em honra do Santo, numa cerimónia que reúne dezenas de populares no Largo de São João.
Por toda a vila ouve-se o estalar das canas e é comum a queima do tradicional alho-porro e de algumas ervas aromáticas, como alecrim e rosmaninho. Entre os mais novos e mais afortunados há quem goste de saltar por cima da fogueira, e outros que preferem participar nos bailes populares.
No dia 24 de Junho, Dia de São João, a Procissão em Honra do Santo Padroeiro é um dos momentos altos das festividades, marcado também pela bênção dos barcos.

Papagaios chegam sábado à praia dos Moinhos
Papagaios de todo o mundo voam na praia dos moinhos 
A 16.ª edição do FIPA - Festival Internacional de Papagaios de Alcochete chega já no próximo fim de semana à praia dos Moinhos, numa organização da Câmara de Alcochete em parceria com HandcraftKite e Buggy Kite Team.
Durante dois dias, 23 e 24 de Junho, os papagaios vão dominar o céu de Alcochete com coreografias mais ou menos arriscadas, voos sincronizados com papagaios acrobáticos, papagaios estáticos e gigantes que conferem um colorido diferente à praia.
Na edição 2018 do FIPA vão participar, além de equipas portuguesas, equipas da Alemanha, Espanha, França, Inglaterra, Itália, Suíça e da China vêm os organizadores do Festival Internacional de Papagaios em Weifang, a capital mundial dos papagaios, que nos vão apresentar nos dois dias do festival as suas criações originais e voos sincronizados com papagaios acrobáticos de duas e quatro linhas.
No areal da praia vai ser possível assistir a manobras com carros à vela e buggy e ainda participar nos ateliês gratuitos de construção de papagaios.
O festival noturno vai decorrer na noite de 23 de Junho entre as 22 e a meia-noite com a participação das equipas convidadas com papagaios luminosos.

Agência de Notícias com Câmara de Alcochete 

[ + ]

Câmara de Setúbal aprova regulamento da Figueirinha

Estacionar na praia na época alta custará oito euros ao fim de semana 

A Câmara de Setúbal aprovou no dia 20 de Junho, em reunião pública, o Regulamento Específico de Zonas de Estacionamento Controlado na Praia da Figueirinha, com vista à melhoria das condições de mobilidade dos munícipes. Na sequência da submissão do documento original, votado a 18 de Abril, a consulta pública pelo prazo de trinta dias e audiência das entidades representativas, para recolha de sugestões, a autarquia aprovou agora o regulamento a enviar à apreciação da Assembleia Municipal de Setúbal. Nesta versão final estão consagrados os contributos considerados pertinentes, como a anulação do lugar de parqueamento privativo durante a época balnear no valor de quinhentos euros e a retificação do tarifário da época alta a partir da sexta hora, o que faz com que o montante a cobrar pelo máximo das onze horas de estacionamento ao sábado, domingo ou feriado na época alta desça dos nove para os oito euros.
Câmara  fixou preços para estacionamento na Figueirinha 

O município salienta que a zona costeira de Setúbal, destino balnear muito procurado, assume uma importância estratégica no desenvolvimento da região, o que impõe a adoção de “soluções de mobilidade, acessibilidades e estacionamento mais sustentáveis e disciplinadas”.
A intenção é dotar as praias do concelho de meios que garantam condições de segurança dos utentes e atratividade do ponto de vista estético e paisagístico da envolvente e das infraestruturas existentes.
Estas razões levaram a autarquia, no quadro de uma estratégia global dedicada às praias da Arrábida, a decidir-se pela tarifação do parqueamento existente na via pública da Figueirinha, “dotando-a de um instrumento que contribui para uma melhor gestão do diminuto estacionamento disponível, de forma equitativa e assim melhorando as acessibilidades”.
O Regulamento Específico de Zonas de Estacionamento Controlado na Praia da Figueirinha estabelece as condições de utilização e taxas devidas pelo estacionamento demarcado durante a época balnear.
São assim constituídas duas zonas de estacionamento de duração limitada, uma com 40 lugares, outra com 237, sujeitas ao pagamento de uma tarifa a vigorar entre 1 de Junho e 30 de Setembro, diariamente das oito às 19 horas.
O valor varia consoante seja dia útil ou fim de semana/feriado e encontra-se dividido em dois períodos, um compreendido entre 1 e 30 de Junho e 1 e 30 de Setembro, de custo mais reduzido, outro de 1 de Julho a 31 de Agosto, mais caro.
Nos dois períodos de menor custo, sendo que este ano, excecionalmente, Junho está excluído de qualquer pagamento, nos dias úteis a fração quarto-horária é de 10 cêntimos, atingindo os dois euros por cinco horas de utilização e os três no limite das onze horas (das oito às 19 horas), enquanto aos fins de semana e feriados os utentes pagam uma fração quarto-horária de 15 cêntimos, chegando aos três euros por cinco horas e aos 5 pelas onze horas.
No período de época alta, que vigora em Julho e Agosto, as frações quarto-horárias são de 20 cêntimos nos dias úteis, atingindo-se os 4 euros em cinco horas e os 6,5 nas onze horas. Nos fins de semana e feriados, a fração sobe para os 25 cêntimos, o que corresponde a cinco euros ao fim de cinco horas, enquanto se quem utilizar todo o período taxado, entrando das oito às 19 horas, paga oito euros.
Os veículos de duas rodas, considerados modos suaves de circulação, incluindo motociclos, ciclomotores e velocípedes, terão lugares próprios, gratuitos.
Os concessionários de apoios de praia podem requerer até dois cartões próprios por concessão, pagos, que possibilitam o estacionamento nos locais devidamente identificados para o efeito e sem limite de tempo.
Fora dos limites horários e sazonais aplicáveis aos automóveis e fixados na zona, o estacionamento é gratuito.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 


[ + ]

Dia da Marinha do Tejo comemora-se no Cais da Moita

Autarquia apresenta hoje o projeto “Moita Património do Tejo”

Nesta sexta-feira,  às 19 horas,  a Câmara da Moita vai apresentar publicamente o projeto “Moita Património do Tejo”. Este ambicioso projeto municipal "está ligado à preservação e valorização das embarcações típicas do Tejo e das técnicas de carpintaria naval, calafeto, tratamento e pintura das madeiras, preservadas, nos dias de hoje, pelo Estaleiro Naval de Sarilhos Pequenos, e levará o nome deste município além-fronteiras", diz a autarquia em comunicado. No sábado, o Cais da Moita vai ser o palco para a cerimónia do Dia da Marinha do Tejo, a partir das 10 horas.  
Cais da Moita será palco do dia da marinha do Tejo 

Com as embarcações típicas do Tejo como pano de fundo, a cerimónia vai contar com a presença do Presidente da Câmara da Moita, do Secretário de Estado da Defesa Nacional, do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada e do Presidente da Direcção da Associação Marinha do Tejo.
Durante a iniciativa, será assinado o Livro de Registos pelos proprietários e arrais das embarcações da Marinha do Tejo, seguindo-se o embarque das tripulações e dos convidados nas embarcações da Marinha, que rumarão, em desfile, até à Base Naval de Lisboa (Alfeite), onde terá lugar um convívio entre tripulantes e convidados e uma visita a unidades da Base Naval pelos proprietários, arrais e tripulações, durante a tarde.
Recorde-se que este evento surgiu em 2008, na sequência de um despacho do Secretário de Estado da Defesa Nacional e dos Assuntos do Mar que determina a realização de um conjunto de iniciativas que contribuam para preservar o significado histórico-cultural da instituição e dinamizar a sua acção, entre as quais a constituição de um polo vivo do Museu da Marinha.
A Marinha do Tejo é o nome pelo qual ficaram conhecidas as embarcações e a comunidade de marítimos das zonas ribeirinhas que tiveram um papel relevante na defesa do país, contribuindo de forma determinante para a protecção da cidade de Lisboa no início do século XIX, especialmente por ocasião da terceira invasão francesa.

Agência de Notícias com Câmara da Moita 
[ + ]

Educação em congresso internacional em Setúbal

"Desenvolvimento social e económico passa, sempre, pela Educação"

A educação, as ciências da educação e o desenvolvimento dos indivíduos enquanto cidadãos estão em debate num congresso internacional a decorrer em Setúbal, com a participação de centenas de profissionais e investigadores do setor. Cerca de três centenas de pessoas marcaram presença na sessão de abertura do 6.º Congresso Internacional das Ciências da Educação e Desenvolvimento, realizada esta quinta-feira no Fórum Municipal Luísa Todi. O vice-presidente da Câmara Municipal, Manuel Pisco, sublinhou a importância do evento, cujos trabalhos decorrem até dia 23 no Fórum Luísa Todi e na Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal, uma vez que “o desenvolvimento social e económico passa, sempre, pela Educação”.
Congresso decorre até sábado no Forum Luísa Todi 


No decurso do congresso são debatidas várias temáticas com o objetivo de promover a reflexão sobre os atuais sistemas e técnicas de ensino, não apenas do ponto de vista educativo, mas também de formação dos cidadãos, ao longo do percurso de vida, desde a idade infantil até à sénior.
“Temos abordagens a temas novos na área da Educação, como é o caso da psicologia positiva”, frisou Leandro Almeida, presidente do congresso, catedrático de psicologia educativa na Universidade do Minho.
O congresso internacional realiza-se desde 2013, tendo sido criado em Espanha, por iniciativa da Universidade de Granada. Nesta primeira edição do evento fora do território espanhol, a organização foi partilhada com a Universidade do Minho, contando com vários apoios, entre os quais o da Câmara  de Setúbal.
“É uma honra contar com Setúbal como a primeira cidade portuguesa a acolher este congresso internacional”, frisou Gina Lemos, presidente da comissão organizadora.
A investigadora da Universidade do Minho espera que deste evento resultem contributos concretos que permitam potenciar “uma educação inclusiva e ao longo da vida”, considerando ser indissociável o facto de que uma pessoa,“quando tem acesso a uma educação de qualidade, tem a possibilidade de contribuir para uma sociedade melhor”.
A importância da Educação numa sociedade desenvolvida, em particular, uma Educação eficiente, inclusiva de toda a população e não apenas circunscrita a determinados meios, estratos sociais e períodos da vida dos indivíduos, foi a tónica dominante na maioria das intervenções da sessão de abertura do congresso.
Leandro Almeida foi incisivo sobre a realidade atual da formação dos cidadãos. “A Educação nos nossos dias não se confina à família e às escolas”, acrescentando que os objetivos, quer do congresso a que preside, quer da própria Educação, “não são fáceis, mas, nesta área, a via mais fácil também não pode ser opção”.

Inclusão e Educação 
Já o vereador Manuel Pisco observou que “mais facilmente se induzem comportamentos através de formas difusas, de cariz social, do que através da Educação”, alertando que “o ritmo dos tempos impede que as famílias sejam a primeira célula educativa das crianças. As crianças, muitas vezes, não são levadas à escola para aprender. São simplesmente deixadas nas escolas”.
O vice-presidente da Câmara de Setúbal salientou, igualmente, a necessidade de “pensar na revalorização da função educativa, em particular dos seus agentes, os docentes”.
O autarca enalteceu, ainda, o facto de um congresso desta natureza se realizar em Setúbal, evento que enriquece a cidade, mas que também resulta do “reconhecimento do que a Câmara Municipal tem feito em matéria de Educação e de Inclusão”, nomeando projetos sadinos vincados pelo êxito, caso de o Nosso Bairro, Nossa Cidade.
Amanda Clinton, doutorada na área da Psicologia e Psicologia Escolar e diretora da Associação Americana de Psicologia, é uma das conferencistas do congresso, evento do qual espera “poder usar os conhecimentos partilhados logo que regressar aos Estados Unidos, daqui a poucos dias”.
A sessão de abertura, na qual também marcaram presença no painel a presidente do congresso Maria de la Paz Bermudez, da Universidade de Granada, e o presidente da Comissão Científica do evento, Luís Peixoto, igualmente presidente do ISPA – Instituto Universitário, contou, ainda, com a leitura de uma mensagem deixada pelo secretário de Estado da Educação, João Costa.
“Quando falamos de inclusão, falamos de um sistema educativo para todos, sem exceção”, foi um dos pensamentos que o secretário de Estado deixou na mensagem que pediu para ser partilhada na sessão de abertura e na qual sublinhou os esforços desenvolvidos pelo Governo no sentido de conseguir que a formação dos cidadãos seja o mais abrangente e completa possível.
O 6.º Congresso Internacional das Ciências Educativas e Desenvolvimento reúne académicos, profissionais e investigadores em áreas como psicologia, pedagogia, psicopedagogia, educação social, educação de adultos, formação profissional, trabalho social, sociologia e formação de professores, entre outras.
Destina-se, igualmente, a professores, educadores, estudantes, gestores e diretores escolares de todos os níveis do sistema educativo formal e de contextos informais de aprendizagem e educação.
Além do extenso programa de conferências e simpósios, num total de perto de duas centenas de sessões agendadas, o congresso internacional inclui um programa de atividades para os oradores, com visitas à Serra da Arrábida, ao Moinho de Maré da Mourisca e a Azeitão, bem como um passeio a bordo da embarcação municipal Maravilha do Sado.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 
[ + ]

Feira de Alcácer do Sal começa sexta-feira

800 anos do município dão mote à edição 2018 da feira da Pimel

Animação, corrida de toiros, doçaria, exposição de gado e máquinas agrícolas, tasquinhas, concursos de doçaria e mel, colóquios, campeonato fifa playstation, batismo a cavalo, wine bar, kids cup, insufláveis e comboio turístico, são algumas das propostas previstas para um certame que se realiza entre 22 e 24 de Junho, em Alcácer do Sal. “As expetativas são elevadíssimas e partimos do principio que o tempo irá colaborar porque o programa vai ao encontro das expetativas da população, quer nos espetáculos musicais cuja variedade é de realçar, como nos 800 anos de Alcácer que é um mergulho na história desta terra milenar”, adiantou Vítor Proença, presidente da Câmara de Alcácer do Sal que destacou melhorias na organização e na “elevada participação” das associações do concelhos. “O envolvimento das associações jovens, desportivas e culturais permite-nos dizer que vai ser um grande evento”, sublinhou o autarca. 
Pimel arranca esta sexta-feira em Alcácer do Sal 

“Esta Pimel é um mergulho na História de Alcácer do Sal. É ir lá abaixo buscar as forças todas desta terra, para que se projete ainda com mais intensidade”. Este é o principal objetivo da Pimel - Feira de Turismo e Atividades Económicas assumido pelo presidente da Câmara de Alcácer do Sal na cerimónia de apresentação da edição de 2018 do certame, que tem como tema “800 Anos do Município de Alcácer do Sal”.
O autarca falava aos jornalistas após a conferência de imprensa que se realizou em Alcácer do Sal e que contou com a presença do presidente e vereação da Câmara de Alcácer do Sal, entidade organizadora, e dos presidentes do Conselho de Administração do Crédito Agrícola de Alcácer do Sal e Montemor-o-Novo e da Associação de Agricultores de Alcácer do Sal.
Ao longo dos três dias, a exposição permanente, patente no pavilhão Gracieta Baião, vai dar destaque aos oitocentos anos de história do município. “O conteúdo da exposição da feira vai divulgar, de forma inédita, as imagens de pessoas ilustres de Alcácer do Sal”, desvendou Vítor Proença, dando como exemplo o cavaleiro João Branco Núncio ou o fundador do IPO, Francisco Gentil. “Trata-se de uma viagem pelo passado que vai servir para ganhar forças para o futuro promissor que esta terra vai assistir e merece”, sublinhou o autarca. 
O certame “tem todos os ingredientes” para ser uma boa feira, desde a aposta na diversidade musical às atividades para jovens, como os campeonatos de FIFA em Playstation e o Kids Cup que se realizam pela primeira vez, passando ainda pelas componentes da pecuária e da maquinaria agrícola, wine bar e transmissão dos jogos do Mundial de Futebol em ecrã gigante. Entre as novidades a destacar há também a existência de um palco secundário, por onde irão passar artistas no período que sucede ao concerto no palco principal e antecede a animação pelo DJ.
Carlos Bicha, do Crédito Agrícola Mútuo de Alcácer e Montemor-o-Novo, salientou na sua intervenção que “é uma honra pertencer a uma comunidade como a alcacerense e coorganizar um eventos destes, que dignifica ainda mais a terra”. Francisco Vacas, da Associação de Agricultores destacou que com a colaboração desta entidade na coorganização da Pimel pretende-se “melhorá-la e trazer mais empresas agrícolas e oficinas de desgaste agrícola para a terra”, assim como cativar a juventude com atividades equestres, como as cavalhadas no picadeiro.
Exposição de gado e máquinas agrícolas, corrida de toiros, expositores, tasquinhas, animação, batismos a cavalo, insufláveis e dynamic bungee gratuito são alguns dos pontos atrativos da Feira de Turismo e Atividades Económicas de Alcácer do Sal que este ano, a nível musical, tem como cabeças de cartaz no palco principal a Orquestra Jaime Batista & Amigos (dia 22), o artista angolano Matias Damásio (dia 23) e a fadista de nova geração Gisela João (dia 24).

As novidades do certame 
Mais de 100 stands, entre expositores e tasquinhas, vão estar presentes no certame que apresenta algumas novidades no recinto, como a Tenda da Doçaria e Wine Bar. “As provas de vinho com produtos da terra foram privilegiadas este ano em detrimento dos showcookings”, anunciou o autarca.
A exposição de gado (ovinos, bovinos e cavalos) num total de quinze produtores da região e de máquinas agrícolas será reforçada este ano. “Vamos ter mais empresas agrícolas e oficinas de desgaste agrícola para a terra e nesta edição queremos cativar a juventude com atividades equestres, como as cavalhadas e gincanas no picadeiro”, adiantou o presidente da Associação de Agricultores de Alcácer do Sal.
No primeiro dia da feira, realiza-se um colóquio dedicado à produção pecuária e aos desafios que os agricultores vão enfrentar no futuro próximo: “A exportação; sanidade; biosegurança; alimentação animal e genética animal, são temas de grande importância e o concelho de Alcácer do Sal tem de olhar para a pecuária de uma maneira diferente”, explicou Francisco Vacas.
A tradicional corrida de toiros, marcada para o segundo dia da feira (sábado, dia 23), vai contar com a participação dos cavaleiros António Ribeiro Teles, Luís Rouxinol e João Moura Júnior e dos grupos de forcados de Santarém e Montemor.
Outra das novidades é a instalação de um segundo palco no recinto, por onde irão passar artistas, no período que sucede ao concerto no palco principal, e, a ‘Tenda Mundial’, um espaço dedicado aos mais pequenos, numa alusão ao Mundial de Futebol que decorre na Rússia. “Vamos instalar no recinto um ecran gigante para que a população possa assistir aos jogos da seleção portuguesa”, adiantou Vítor Proença.
O certame inaugura na sexta-feira, dia 22 de junho, às 17h30 e as entradas na feira são gratuitas.

Agência de Notícias com Câmara de Alcácer do Sal 
[ + ]

Seis mortos e dois feridos num acidente na Marateca

Acidente no IC1 entre carrinha e carro espanhol faz seis mortos e um ferido grave

Um acidente de viação na Marateca, no concelho de Palmela, envolvendo dois veículos, provocou seis mortos, um ferido grave, de nacionalidade espanhola, e um ferido ligeiro. A circulação no IC1 encontra-se cortada nos dois sentidos. A colisão aconteceu esta manhã, por volta das 6h53, no troço do IC1, que liga a Marateca a Alcácer do Sal, segundo adiantou fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal. O acidente envolveu uma carrinha de nove lugares e um ligeiro de mercadorias. Os motivos deste trágico acidente ainda não são conhecidos.

Acidente fez seis mortos no concelho de Palmela 

Seis pessoas morreram e duas ficaram feridas em estado grave num acidente ocorrido esta quinta-feira ao início da manhã no IC1, entre a Marateca e Alcácer do Sal, disse fonte da Proteção Civil. 
As seis vítimas mortais integravam um grupo de trabalhadores que prestavam serviços à refinaria de Sines, disse à Lusa fonte dos Bombeiros Voluntários de Águas de Moura.O capitão António Ferreira, da GNR, disse que as vítimas mortais são todos homens, com idades entre os 20 e os 50 anos. 
Escreve o Jornal de Notícias, que três portugueses e três brasileiros perderam a vida no acidente. 

Vitimas mortais residiam em Setúbal e Pinhal Novo 
As vítimas residiam todas na cidade de Setúbal, à exceção do dono e condutor da carrinha, do Pinhal Novo. Os homens prestavam serviços à Repsol na refinaria de Sines. As seis vitimas mortais iam todas na carrinha de nove lugares. 
Segundo fonte do Comando Distrital de Operações e Socorro (CDOS) de Setúbal, a colisão envolveu um ligeiro de mercadorias, de matrícula espanhola, e uma carrinha, nacional, de nove lugares.
Um ferido grave, o condutor do veículo de matrícula espanhola, e um leve, que seguia na carrinha, foram transportados para o hospital de Setúbal.
O ferido leve teve alta ao início da tarde, enquanto o ferido grave [um cidadão espanhol que transportava peças para a Autoeuropa, em Palmela] estava, cerca das 15h30 horas, na sala de operações do hospital  de São Bernardo, em Setúbal.
A colisão ocorreu pelas 6h53 horas na localidade de Vale do Cão, concelho de Palmela. Às 10h45 horas o trânsito estava ainda totalmente cortado nos dois sentidos do IC1 e a ser desviado para a A2.
"À hora a que ocorreu o acidente chovia bastante e isso pode ter estado na origem do acidente", disse a GNR. "Tratou-se de uma colisão frontal entre duas viaturas ligeiras", uma de passageiros e outra de mercadorias.
"Por razões ainda por apurar, uma das viaturas invadiu a faixa contrária", disse o capitão António Ferreira.
No local estiveram, 25 operacionais apoiados por 10 veículos dos bombeiros de Alcácer e Águas de Moura, INEM e GNR.
[ + ]

Palmela atribui 40 mil euros à realização do FIAR

Festival Internacional de Artes de Rua realiza-se de 3 a 5 de Agosto 

O Protocolo de Cooperação entre o município de Palmela e a FIAR – Associação Cultural, que prevê a atribuição de um apoio financeiro de 40 mil euros à realização das edições de 2018 e 2020 do FIAR - Festival Internacional de Artes de Rua, foi aprovado, por unanimidade, na reunião pública. A edição deste ano do Festival vai realizar-se de 3 a 5 de Agosto, tendo o Centro Histórico de Palmela como epicentro da atividade.
FIAR está de regresso às ruas de Palmela em Agosto 

Para além do apoio financeiro, o protocolo, para o período 2018-2021, prevê que a autarquia "garanta também apoio técnico permanente à organização do Festival, apoio em transportes, à promoção e divulgação do evento e em aspetos logísticos, bem como a promoção de contactos com vista a obter apoios mecenáticos e diligências para a cedência de instalações à associação", refere a Câmara de Palmela em comunicado.
A FIAR – Associação Cultural deverá assumir e assegurar a coordenação geral de produção do Festival, assegurar em permanência a relação entre agentes artísticos e programadores a nível nacional e internacional e garantir o acompanhamento e avaliação dos projetos inéditos em execução, entre outros aspetos.
A par do apoio municipal, a candidatura apresentada pela FIAR – Associação Cultural para o biénio 2018/2019 no concurso da DGArtes obteve também apoio financeiro.
A Câmara de Palmela "reconhece a importância que o Festival FIAR, de periodicidade bienal, assume para a comunidade, que adere e participa, envolvendo-se nos ambientes que o Festival proporciona, bem como para os agentes culturais locais", conclui o comunicado da autarquia liderada por Álvaro Amaro. 
De 3 a 5 de Agosto a vila de Palmela acolhe o Festival FIAR  - organizado pela FIAR Associação Cultural, com o apoio da Câmara de Palmela - para nos surpreender com os resultados da criação e experimentação artística que cruza profissionais e amadores em projetos que têm na rua o seu palco de eleição, procurando um contacto mais direto com os públicos. Este ano o tema central será os nómadas.

Agência de Notícias com Câmara de Palmela 
[ + ]

O Mercado da Romeira abre esta sexta-feira em Almada

"Peregrinação aos sentidos" vai ter 12 espaços de restauração 


Mercado da Romeira está pronto e vai ser inaugurado esta sexta-feira, 22 de Junho, pelas 16 horas. São doze espaços junto ao rio Tejo na Cova da Piedade, em Almada, com uma oferta diversificada de restaurantes: há casas especializadas em tapas, hambúrgueres artesanais, carnes com os melhores cortes, sushi, mariscadas, pastelarias irresistíveis. O espaço ganha assim nova vida, depois de em tempos ter albergado fábricas de cortiça, a moagem, o Arsenal do Alfeite, numa zona industrial de fortes movimentos migratórios e que acabou por ficar moribunda e decadente. A zona era também conhecida pela lavagem de roupas para Lisboa, nas charcas do antigo Largo da Romeira. 
Novo espaço terá 12 restaurantes e é inaugurando dia 22 


Um armazém na zona industrial da Cova da Piedade, em Almada,  foi reabilitado para receber um mercado com restaurantes e bares. Inauguração é esta quinta-feira  e abre ao público no dia a seguir.
O Caramujo e Romeira, na zona industrial de Almada, não são zonas turística nem sequer muito frequentadas por locais, fora uma ou outra acção ou algum mercado especial. O abandono desta zona acaba com o novo projecto do Mercado da Romeira, que tem seis restaurantes, bares e pastelarias.
O interior do mercado, que fica na zona de antigas fábricas de cortiça e moagem, tem mesas corridas e vários quiosques com propostas gastronómicas diferentes. Há petiscos portugueses na Taverna, produtos de charcutaria e tapas no Patas Y Tapas, hambúrgueres na Hamburgueria da Romeira, vários cortes de carne na Oficina da Carne, marisco no Costa’s by Gula do Meko ou sushi do Sushi Town. 
As sobremesas ficam a cargo da Sobramesa ou da Creparia e Gelataria, há sumos naturais e smoothies nos Sumos da Romeira, cerveja Bohemia e cocktails no bar Rock do Rio. O pão caseiro é da Avó Luísa.
Sobram agora as memórias e os vestígios históricos para embalar conversas de amigos ao fim da tarde, entre uma tapa e um copo. E são vários os espaços ideiais para o efeito, que serão inaugurados oficialmente esta sexta às 16 horas.
Há ainda uma zona exterior, com jardim e esplanada. O Mercado da Romeira, na Cova da Piedade.

Agência de Notícias 
[ + ]

Sesimbra aprovou propostas da Assembleia de Jovens

Autarcas deram "luz verde" às propostas dos "jovens deputados" 

A aprovação das propostas das escolas participantes na 15.ª edição da Assembleia Municipal de Jovens, em Sesimbra, e o envio das mesmas em forma de recomendação à Câmara Municipal, foi um dos destaques da sessão ordinária da Assembleia Municipal, realizada no Auditório Conde de Ferreira. Entre as ideias apresentadas pelos alunos contam-se a criação de percursos pedestres e roteiros pelo património, a instalação de um núcleo museológico, de um ponto de observação de aves, ou a criação de um centro de interpretação paleontológico e geológico no Cabo Espichel. Recorde-se que a Assembleia Municipal de Jovens um dos principais projetos de cidadania dirigidos a alunos das escolas do concelho. Os jovens eleitos doaram ainda cinco mil euros à Cercizimbra e dinamizam iniciativa solidária. 
Assembleia Municipal de Jovens é uma marca de Sesimbra 

"As sugestões que hoje foram expostas revelam conhecimento e amadurecimento. Significa que os nossos jovens não estão desfasados da realidade do concelho, e estão disponíveis para colaborar", afirmou o presidente da Câmara de Sesimbra, Francisco Jesus, tendo referido que algumas delas já estão previstas pelo município.
Por seu turno, Odete Graça, presidente da Assembleia Municipal e grande mentora da Assembleia Municipal de Jovens, sublinhou que "é um projeto de boas práticas ao nível da educação que, pela sua singularidade, deve ser realçado", agradecendo a todas as entidades públicas e privadas que têm colaborado no mesmo.
A sessão ficou ainda marcada pela aprovação da 1.ª revisão ao Orçamento 2018 e 1.ª revisão às Grandes Opções do Plano – Plano Plurianual de Investimentos, e pela apreciação da Atividade Municipal.
Neste ponto, o presidente da Câmara de Sesimbra fez o ponto de situação de obras em curso, entre as quais o Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável, e o saneamento na Azoia e no Zambujal, e de alguns investimentos previstos, como o novo Tribunal e o Centro de Saúde de Sesimbra, ou a Escola Básica na Quinta do Conde, no âmbito da ampliação da rede do pré-escolar e 1.º ciclo.

Jovens eleitos doam 5 mil euros à Cercizimbra e dinamizam iniciativa solidária 
No âmbito da 14ª Assembleia Municipal de Jovens, que teve como tema Os Direitos e Deveres pela Igualdade na Deficiência, os alunos foram unânimes e no momento de decidir que rumo dar à verba disponibilizada pelo AMJProjeto (5 mil euros) decidiram destiná-la à construção do Centro de Atividades Ocupacionais e Lar da Cercizimbra na Quinta do Conde, prescindindo de qualquer outro projeto individual.
"Uma atitude que demonstrou a enorme sensibilidade deste grupo de jovens para uma questão tão importante para a comunidade e, ao mesmo tempo, a relevância deste projeto na formação de cidadãos com consciência social", explica a Câmara de Sesimbra.
Este gesto solidário incluiu ainda, o evento Todos ao Parque! Porque a Diferença é Valiosa!, que vai envolver escolas, instituições e comunidade, com o "objetivo de continuar a ajudar a construção da obra da Cercizimbra, que se iniciou em 2011 e que um ano depois teve de parar por falta de verbas, embora a Câmara  de Sesimbra sempre tivesse manifestado o seu apoio e acompanhamento no processo de financiamento da obra. O edifício inclui o Centro de Atividades Ocupacionais, no piso térreo, com capacidade para 30 utentes, e Lar Residencial, no primeiro piso, para 24 utentes", diz a autarquia.
A Assembleia Municipal de Jovens, dinamizada pela Assembleia Municipal de Sesimbra, tem como objetivo "fomentar a participação das novas gerações, reforçar o espírito de cidadania, contribuir para a sua formação através do desenvolvimento da personalidade e formação do caráter, e proporcionar-lhes maior conhecimento sobre a realidade local e das instituições democráticas. Em 15 anos, afirmou-se como um dos principais projetos de cidadania dirigidos a alunos das escolas do concelho, e uma referência nacional nesta área.", conclui a autarquia de Sesimbra.

Agência de Notícias com Câmara de Sesimbra
[ + ]

Autarcas estiveram três dias em Ermidas Sado

Freguesia de Santiago do Cacém está em crescimento em todas as áreas  

A presidência nas freguesias visitou, este mês, a Freguesia de Ermidas-Sado, em Santiago do Cacém. O presidente da Câmara, acompanhado dos vereadores com pelouros, do executivo da Junta e de técnicos das respetivas áreas percorreram a Freguesia num contacto direto com a população, coletividades e empresários. O presidente da Câmara de Santiago do Cacém, Álvaro Beijinha, fez um balanço positivo destes três dias de visita à Freguesia de Ermidas-Sado. “Porque é sempre uma oportunidade de aprofundarmos o nosso conhecimento sobre as freguesias. A presidência nas freguesias em Ermidas-Sado ficou marcada com a assinatura de um acordo entre as Câmaras de Santiago do Cacém e Grândola para a requalificação do troço na Estrada Municipal 545 – Faleiros e a ponte da Ribeira de Corona.
Autarcas de Santiago atentos aos problemas de Ermidas-Sado

Foi, ainda, anunciado durante a visita à Ambilital um investimento de 10 milhões de euros e o aumento em 30 por cento dos atuais 50 postos de trabalhos. “O objetivo é cada vez mais reciclar e enterrar menos. Inclusive, tivemos a oportunidade de ver um investimento num equipamento de aproveitamento energético de gases” explicou o  presidente da Câmara de Santiago do Cacém. Álvaro Beijinha ressalvou a resposta “importantíssima que a Ambilital dá, não só economicamente, no tratamento dos resíduos de todos os municípios associados”.
A comitiva teve a oportunidade de ver os investimentos recentes da autarquia nomeadamente na EB1, “uma obra muito importante de requalificação profunda. Esta escola tem agora condições completamente diferentes, e no âmbito do projeto “Insucesso Zero” foi dotada com o sistema de quadros interativos, que permitem uma aprendizagem diferente.” Ainda na vertente educativa os eleitos visitaram os mais pequenos na Creche e Jardim de Infância “Toca do Trincas”.
O périplo pela Freguesia continuou com o encontro com os responsáveis da Cruz Vermelha Portuguesa em Ermidas-Sado. Autarcas e técnicos ficaram a par do trabalho aí desenvolvido. Foram visitadas as instalações da Associação de Apoio e Desenvolvimento Integrado de Ermidas-Sado, onde os eleitos conversaram com os responsáveis da instituição e confraternizaram com os utentes. Outro dos pontos de paragem foi o Vitória Futebol Clube.
O segundo dia foi dedicado às atividades económicas. A comitiva percorreu o Parque de Empresas de Ermidas-Sado contactando com os empresários de modo a medir o pulso dos negócios locais. Álvaro Beijinha sublinhou os “investimentos mais relevantes como a fábrica da MareDeus, estamos a falar do maior empregador privado do Concelho, são cerca de 280 postos de trabalho, com um volume de negócios significativo”.
Ficaram ainda a conhecer o projeto do futuro hotel que vai nascer na Avenida Manuel Joaquim Pereira. Já implementada em Ermidas-Sado, a Residencial São Paulo mostrou que se tem modernizado de modo a estimular o negócio.

 Arruamentos e pavimentações em discussão 
Há cada vez mais empresas a instalarem-se na freguesia 
Continuando no âmbito económico, a comitiva foi recebida na  Sociedade Industrial Alentejo e Sado, que se dedica à produção de farinhas e sêmolas de cereais, e a rações para animais. O autarca destacou que “esta empresa é outra das grandes empregadoras do concelho, com um volume de negócios muito significativo no Distrito de Setúbal. Não posso deixar de referir a Oceanic que tem a sua sede em Ermidas-Sado e, também, é uma das empresas que mais fatura no Distrito. Por isso, assistimos aqui a uma grande dinâmica empresarial, à qual se junta um conjunto de negócios ligados aos alumínios e caixilharias com expressão ao nível da criação de emprego. Álvaro Beijinha concluiu que a Freguesia de Ermidas-Sado “vive momentos de muita dinâmica”.
Os eleitos e técnicos das áreas percorreram ainda as ruas da vila de Ermidas-Sado, de Ermidas Aldeia e da localidade de Vale da Eira num contacto direto com a população. “Sabendo nós que nesta Freguesia há um problema de fundo em termos de arruamentos e pavimentações, a autarquia tem feito um esforço enorme nos últimos anos com grandes investimentos. O que tem sido possível graças à parceria estreita com a Junta de Freguesia, algo que não aconteceu no passado, o que faz com que haja um passivo grande que estamos a tentar resolver.” O dia terminou com uma reunião com representantes das associações locais.
Outro dos equipamentos que mereceu atenção foi a Estação de Água do Sistema Adutor Sado-Morgavel. Trata-se de um sistema de Água Industrial que tem origem no Rio Sado e compreende a captação, a adução, o tratamento, a armazenagem e a distribuição à Zona Industrial e Logística de Sines.
Ermidas-Sado é também uma freguesia com vertente rural. Nesse sentido foi visitada a Vacaria da Bica Nova, explorada por um cidadão holandês, que tem no total 220 animais dos quais 80 vacas leiteiras. Produzindo 600 mil litros de leite por ano, que são vendidos a cooperativas nacionais e, posteriormente, comercializados em nome de marcas bem conhecidas. A reunião com o Futebol Clube Ermidense fechou o programa destes três dias de visita.

Agência de Notícias com Câmara de Santiago de Cacém 
[ + ]

Alcochete adere ao movimento Cidades Educadoras

Adesão representa um passo no trabalho que tem sido desenvolvido na área da educação

A Câmara de Alcochete aprovou, por unanimidade, na sessão de câmara descentralizada em Samouco, a adesão do Município de Alcochete à Associação Internacional das Cidades Educadoras. Tornando-se um município aderente desta Associação fundada em 1994 e sem fins lucrativos, Alcochete poderá beneficiar, entre outros aspetos, de "certificação de trabalho desenvolvido na área educativa, trabalho em rede, participação em congressos e eventos nacionais e internacionais, assim como ser concelho anfitrião de congressos nacionais", diz a autarquia em comunicado. 
Autarquia aprovou candidatura ao movimento 

Por outro lado, esta associação permitirá ainda tomar conhecimento de novas realidades e experiências através do Banco Internacional de Documentos das Cidades Educadoras, uma base de dados que congrega as experiências educativas de todas as cidades aderentes à Associação, permitindo um intercâmbio de informação que é também uma importante ferramenta de trabalho no que respeita a políticas educativas.
Mediante o pagamento de uma quota anual, no valor de 220 euros, o Município de Alcochete torna-se aderente desta Associação, o que permitirá também ao mesmo candidatar boas práticas ou experiências inovadoras que sejam mensuráveis e que possam contribuir para a qualidade de vida da comunidade local.
Em sessão de Câmara, a proposta foi apresentada pela vereadora da Educação, Fátima Soares, que apresentou os objetivos e os benefícios desta adesão para o município de Alcochete. O presidente da Câmara enalteceu esta adesão que representa mais um passo no trabalho que tem sido desenvolvido na área da educação.
“A preocupação que temos tido com a educação é premente, é para continuar e a possibilidade de podermos aderir a um projeto desta natureza é uma honra” afirmou Fernando Pinto, destacando ainda que esta adesão é mais uma ação que vai complementar as ações e os apoios concedidos nesta área de intervenção.
A Associação Internacional das Cidades Educadoras surgiu na sequência do movimento das Cidades Educadoras que se realizou em Barcelona, em 1990, com a realização do primeiro congresso internacional que levou as cidades participantes a trabalhar em projetos e atividades de acordo com os princípios inscritos na Carta das Cidades Educadoras.
Em Portugal, e por inerência a esta adesão, os municípios portugueses membros da Associação Internacional das Cidades Educadoras integram ainda a Rede Territorial Portuguesa das Cidades Portuguesas.
A adesão do município de Alcochete à Associação Internacional das Cidades Educadoras seguirá para deliberação em assembleia municipal.

Agência de Notícias com Câmara de Alcochete 
[ + ]

Escolas de Almada recusam cumprir orientações

Directores escolares não vão acatar orientações sobre greve

Os directores escolares do concelho de Almada enviaram à Direcção-Geral dos Estabelecimentos Escolares um parecer jurídico para fundamentar a decisão de não acatar a nota informativa enviada às escolas relativa à greve às avaliações. Todos os directores dos 13 agrupamentos e duas escolas não agrupadas do concelho de Almada fizeram nesta terça-feira um apelo público ao Ministério da Educação com vista à “imediata exclusão” de dois dos oito pontos da nota informativa que a Direcção-Geral dos Estabelecimentos Escolares enviou às escolas, no dia 11, a propósito da greve que está a decorrer às reuniões dos conselhos de turma onde são decididas as notas finais dos alunos. O pedido de exclusão daqueles pontos é fundamentado pelo facto de não estar “assegurada a sua devida legalidade”, razão pela qual os directores informam que “não os poderão cumprir”.
Greve dos professores continua  até 13 de Julho 

Em causa está uma nota informativa na qual o Ministério da Educação informou as escolas que todos os alunos iriam fazer provas finais e exames nacionais, independentemente de já terem, ou não, as notas internas finais lançadas, atrasadas pela greve às avaliações convocada pelo Sindicato de Todos os Professores  e que, segundo esta estrutura, bloquearam centenas de reuniões de conselhos de turma, impossibilitando o lançamento de notas. Os conselhos de turma só se realizam com a presença de todos os professores, bastando uma ausência para adiar a reunião por 48 horas.
As orientações enviadas às escolas dizem que à segunda reunião, caso esta não se realize, a terceira deve ser convocada para as 24 horas seguintes, e na terceira reunião o director de turma, ou quem o substitua, "deve recolher antecipadamente todos os elementos referentes à avaliação de cada aluno fornecidos por todos os professores".
Na carta enviada à Direcção-Geral dos Estabelecimentos Escolares, 15 directores de escolas e agrupamentos do concelho de Almada, tendo por base o parecer jurídico solicitado a uma advogada, defendem que "não estando assegurada a devida legalidade expressa nos pontos 3 e 4 não os poderão cumprir e solicitam a imediata exclusão dos mesmos pontos da nota informativa".
"Uma nota informativa não é lei nem se lhe pode sobrepor, tendo apenas como objectivo esclarecer a própria lei, logo devendo, para todos os seus efeitos, obedecer-lhe", lê-se no parecer.
No parecer argumenta-se que as orientações representam uma violação da lei e que o cumprimento da nota informativa transforma em nulos todos os actos decorrentes de um conselho de turma que tenha sido realizado de forma ilegal, ou seja, as notas lançadas nesses casos não têm validade.
"Dispondo a nota informativa no seu ponto 3 de modo contrário à lei, não sendo esta fonte de direito, é ilegal, não devendo ser aplicada, sob pena de invalidade das deliberações tomadas em sede de reunião de Conselho de Turma", lê-se nas conclusões do parecer.
Na fundamentação legal do parecer defende-se que "as disposições legais em causa são inequívocas" e que, "faltando um professor com assento no conselho de turma, a reunião não se realiza", devendo ser reagendada no máximo para as 48 horas seguintes e que a imposição do Conselho de Turma à 3.ª reunião, "mesmo sem todos os docentes presentes é, salvo melhor entendimento, ilegal".
"Ademais, não compete ao director de turma e previamente à reunião relativa à avaliação dos alunos recolher do professor ausente os elementos referentes às avaliações desses alunos, uma vez que apenas está previsto nas normais legais aplicáveis para as situações de ausência prolongada e sempre por vontade ou iniciativa do professor", diz o parecer.

Ministério responde aos professores de Almada 
Ao jornal Público, o Ministério da Educação revelou que “nas escolas do concelho de Almada, realizaram-se nas últimas semanas praticamente todas as reuniões de avaliação dos alunos que se apresentam a exame [9.º, 11.º e 12.º], havendo apenas quatro escolas em que não se realizaram todas”. Muitas das reuniões de avaliação dos anos que vão a exame estavam marcadas para 7 e 8 de Junho, altura em que a greve corria apenas por conta da convocação feita pelo novo Sindicato de Todos os Professores. A partir desta segunda-feira, as paralisações já têm pré-avisos entregues pelas duas centrais sindicais de docentes e por mais oito sindicatos independentes de professores.
A greve às avaliações decorre entre 18 e 29 de Junho, num primeiro período de greve, e entre 2 e 13 de Julho, num segundo momento, incidindo apenas sobre os conselhos de turma, as reuniões para atribuição de notas aos alunos e que permitem encerrar o ano lectivo.
Nas duas primeiras semanas de Junho a greve convocada pelo Sindicato de Todos os Professores, afectou os Conselhos de Turma dos anos em que se realizam exames e provas finais, tendo obrigado o Ministério da Educação a determinar que todos os alunos iriam a exame de forma condicionada, mesmo sem ter ainda as notas de final de ano lançadas.

Agência de Notícias com Lusa
[ + ]

Governo espera acordo com ANA para o Montijo

Decisão sobre novo aeroporto avança nos próximos meses 

O Governo continua em negociações com a ANA - Aeroportos de Portugal sobre o novo aeroporto do Montijo, mas espera chegar a acordo “nos próximos meses”, numa negociação que é “muito difícil”, disse esta terça-feira o ministro do Planeamento. “Espero que nos próximos meses cheguemos a uma conclusão com a ANA - Aeroportos porque nós temos o objetivo de ter os investimentos faseados até 2021”, afirmou Pedro Marques. “O país andou tantas décadas a decidir ou a dizer que o aeroporto era necessário que agora que o aeroporto está realmente a atingir os seus limites de capacidade, não podemos andar com mais indecisões”, vinca o ministro do Planeamento e das Infraestruturas.
Governo quer aeroporto comercial no Montijo em 2022


Porém, “temos uma negociação difícil pela frente que, enquanto não estiver concluída, não podemos por dar por adquirido que esses investimentos podem avançar assim”, acrescentou o governante, que falava aos jornalistas à margem da apresentação do Programa Nacional de Investimentos PNI2030, no Laboratório Nacional de Engenharia Civil, em Lisboa.
De acordo com o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, o executivo continua em conversações com a gestora aeroportuária “para a concretização da solução” que existe, “que é uma solução sustentável, duradoura, e que permite cumprir a grande preocupação de urgência na realização da solução”.
“O país andou tantas décadas a decidir ou a dizer que o aeroporto era necessário que agora que o aeroporto está realmente a atingir os seus limites de capacidade, não podemos andar com mais indecisões”, vincou o governante.
Pedro Marques apontou que o objetivo é, assim, que a nova infraestrutura - apontada para o Montijo, mediante a reconversão da base militar para voos civis - seja uma “solução rápida, mas que também, evidentemente, proteja a competitividade económica do setor aéreo”.
O governante culpou o anterior executivo, liderado pelo PSD/CDS, pelas dificuldades agora encontradas na negociação.
Isto porque na privatização da ANA, em 2012, “foi entregue à empresa que gere esses aeroportos [a Vinci], o direito de lhes apresentar uma proposta para o aeroporto, mas não a obrigação de o realizar, portanto a negociação é muito difícil”, justificou Pedro Marques.
“Em todas as condições, o normal seria que, quando se fez essa privatização, tivesse ficado fixada a obrigação concreta de construção da solução aeroportuária, mas privilegiou-se o encaixe financeiro na altura para apresentar bons números e agora a solução é mais difícil”, criticou.
Ainda assim, “nós, em nenhum momento, hesitaremos em defesa do interesse e da competitividade nacional e estamos a fazê-lo de forma vigorosa para chegar a um bom porto”, assegurou Pedro Marques.
Com a reconversão da base aérea do Montijo para a aviação civil, estima-se que a capacidade aeroportuária em Lisboa hoje existente seja duplicada.
Previsto para iniciar a construção no próximo ano, o aeroporto complementar no Montijo deverá entrar em funcionamento em 2022.

[ + ]

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010