Dá um Gosto ao ADN

O Natal chega a Setúbal neste sábado à tarde

Baixa da cidade ilumina-se para receber o Pai Natal

Árvore de Natal gigante, pista de gelo, mercado, uma feira popular no Largo José Afonso que inclui diversões para toda a família e espaços de refeição, um comboio de Natal a "passear" da Casa Baía ao Parque, espetáculos infantis e iluminação por toda a cidade são aliciantes do Natal de Setúbal deste ano, que promete ser o festival natalício de referência no país. O evento, organizado pela Câmara Municipal, que decorre entre 23 de Novembro e 6 de Janeiro e que, de acordo com a autarquia sadina, tem o objetivo de “continuar a contribuir para a revitalização da zona do centro histórico da cidade e inscrever Setúbal na rota dos principais eventos natalícios do país”.
Cidade já prepara a festa de Natal 

O Natal em Setúbal chega já este sábado, 23 de Novembro, com passeios de comboio, árvore de Natal gigante, pista de gelo, mercado, concertos e iluminações por toda a cidade, num programa festivo que decorre até ao dia de Reis, a 6 de Janeiro. No dia 23, Setúbal inicia oficialmente a celebração da quadra natalícia, com o acender das luzes da árvore de natal gigante, com 34 metros de altura, instalada na placa central da Avenida Luísa Todi, próximo do coreto.
A árvore gigante sadina, entre outras curiosidades, ostenta 48 mil lâmpadas LED azuis e brancas e 240 metros de luzes néon azul e começa a iluminar a cidade às 18 horas, num momento simbólico antecedido, às 17 horas, pela atuação do Saint Dominics Gospel Choir.
A iluminação de natal setubalense invade, ainda, a partir do dia 23, várias ruas, largos e rotundas de Setúbal, assim como edifícios municipais, com destaque para os Paços do Concelho, na Praça de Bocage, iluminando a cidade até dia 6 de Janeiro, à semelhança da árvore de natal gigante e dos presépios instalados no Largo de Santa Maria, junto da Igreja de Santa Maria da Graça, e na Rotunda dos Quatro Caminhos.
Ainda no dia 23, pelas 15 horas, o Pai Natal chega ao centro histórico setubalense, numa animação que inclui um desfile pelos principais arruamentos da Baixa.
O Mercado de Natal, outro dos muitos atrativos do programa Setúbal Christmas Fest, inclui vários quiosques de comércio de artesanato e produtos de gastronomia da região. Localizado na Praça de Bocage, decorre entre 23 de Novembro e 24 de Dezembro, com horário de funcionamento das 10 às 19 horas, diariamente.
Entre 30 de Novembro e 23 Dezembro, o Mercado de Natal, dinamizado em parceria com a Academia Cultural de Teatro e Artes de Setúbal, reserva, praticamente todos os dias, diversos apontamentos musicais, sempre a partir das quatro da tarde.
Entre os artistas convidados estão Nuno Carpinteiro, que atua a 30 de Novembro, e, já em Dezembro, Zé Zambujo, nos dias 1 e 8, Marco Alonso Group, a 7, Rui do Cabo, a 14, a Banda de Música da Sociedade Musical Capricho Setubalense, a 15 e a 22, e Luís Filipe Martins e São, a 16.
O programa musical do Mercado de Natal reserva, ainda, Quim Gouveia e Rui Rosado, que atuam no dia 17 de Dezembro, Deolinda de Jesus, no dia 18, Diogo Guima, a 19, a dupla Pedro Nobre e Gonçalo Mahú, a 20, Carla Lança, a 21, e o Coral Infantil de Setúbal, a 23.
Pelas ruas da Baixa, que acolhe, também, uma Fábrica de Brinquedos para se visitar, realizam-se várias animações itinerantes a 30 de Novembro e, em Dezembro, a 1, 7 e 8 e entre os dias 14 e 23. As atividades decorrem entre as 15 e as 19 horas.
O Natal no Parque está de regresso ao Parque do Bonfim, onde, entre 23 de Novembro a 5 de Janeiro, há uma série de atividades, a maioria, pensada especialmente para os mais novos, como uma pista de gelo, um circuito de arborismo, uma torre multiatividades, insufláveis, um carrossel, quickjump, air bungee, bem como pinturas faciais.
A generalidade destas atividades são pagas, mas estão também previstas iniciativas gratuitas, como a Casa do Pai Natal e quatro espetáculos de teatro.

Comboio de Natal e Feira Popular no Largo José Afonso 
O Natal no Parque funciona, aos dias de semana, das 14 às 20 horas e, aos fins de semana, entre as 10 e as 20 horas. Nos dias 24 e 31 de Dezembro encerra mais cedo, às 18 horas e está fechado ao público nos dias de Natal e de Ano Novo.
Os preços para patinar na pista de gelo custam três euros para crianças até aos 12 anos e quatro euros para o restante público. Para o arborismo, torre multiatividades, insufláveis, air bungee e quickjump os valores variam entre os três e os dez euros, conforme o número de utilizações.
De terça-feira a domingo, entre 23 de Novembro e 31 de Dezembro, um comboio de Natal, novidade na edição deste ano do Setúbal Christmas Fest, com início e fim na Casa da Baía e no Parque do Bonfim, percorrendo um circuito por onde se podem apreciar algumas das iluminações natalícias da cidade.
As partidas da Casa da Baía rumo ao Parque do Bonfim realizam-se às 13h30 e, entre as 16h30 e as 18h30, com uma cadência de meia em meia hora. As saídas do Bonfim realizam-se de hora a hora, no período compreendido entre as 15 e as 19 horas.
Os bilhetes do comboio turístico custam três euros para crianças dos 5 aos 11 anos de idade. Para o restante público, o valor sobe para os cinco euros.
Outras das novidades do certame é a Feira Popular de Natal, no Largo José Afonso, entre 23 de Novembro e 6 de Janeiro, que inclui diversões para toda a família e espaços de refeição.
A Feira Popular abre todos os dias às 14 horas e encerra à meia-noite, com exceção dos dias 24 e 31 de Dezembro, em que as atividades funcionam das 10 às 18 horas e das 14 às três da madrugada, respetivamente.
Em Dezembro, a programação do Setúbal Christmas Fest prevê ainda um conjunto de concertos tradicionais de Natal em dois espaços culturais e em igrejas.
Nos dias 10 e 11, às 21h30, o Fórum Municipal Luísa Todi recebe “Out Concert”, pelo Coral Luísa Todi. Os bilhetes custam dez euros para a plateia e sete para o balcão.
Aquela sala de espetáculos volta a ser palco de dois concertos natalícios, um a 18, às 18h30, pela Academia de Música e Belas-Artes Luísa Todi, e o outro a 21, pelas 21 horas, com a atuação da Orquestra Académica Metropolitana.
Na Casa da Cultura, dia 20, a formação Angelicus Duo, composta pela voz da soprano Filipa Lopes e pela harpa de Emanuela Nicoli atua a partir das 22 horas.
O Duo João Mendonza, o Ensemble Vocal All’Ottava e o Quarteto Opus28 atuam, respetivamente, a 13, na igreja de São Paulo, a 14, na de São Lourenço, e a 21, na de Nossa Senhora da Anunciada. Todos estes concertos são de entrada gratuita e têm início às 21h30.
Os coros da Academia de Música e Belas-Artes Luísa Todi, do Conservatório Regional de Setúbal e do Município de Setúbal “Afina Setúbal”, o Coral Infantil de Setúbal, o Coro Feminino TuttiEncantus e os grupos corais da Escola Secundária de Bocage e da Sociedade Filarmónica Perpétua Azeitonense dão música na Igreja de São Sebastião, no dia 15, às 18 horas
A fechar a programação cultural, o evento natalício aposta, à semelhança de anos anteriores, no Cantar das Janeiras, a 3 de Janeiro, pelas 18 horas, nos Paços do Concelho, com interpretações do Coro do Município de Setúbal “Afina Setúbal” e dos grupos corais alentejanos Os Amigos do Independente e Os Amigos dos Sadinos.
O programa festivo natalício organizado pela autarquia setubalense conta com a parceria da Azimute Radical e da Associação Baía de Setúbal e os apoios do comércio local, do Grupo SKEP, da Transportes Luísa Tody, da Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, da Santogal, do Alegro, da Universidade Sénior de Setúbal, da Sociedade Musical Capricho Setubalense e da Academia Cultural de Teatro e Artes de Setúbal.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 
www.adn-agenciadenoticias.com
[ + ]

Natal começa a 30 de Novembro no Montijo

Natal com Arte traz música, espetáculos infantis, presépios e mercado

O Natal com Arte está de volta com uma programação diversificada, que traz, ao Montijo, a magia do Natal embrulhada em muita música, animação de rua, dança, teatro, exposições e solidariedade. A partir de 30 de Novembro e até 6 de Janeiro há mercado de Natal, concertos, oficinas criativas e, naturalmente, que também o Pai Natal vai cá estar, a partir de 7 de Dezembro, para colocar sorrisos no rosto das crianças. Para além de arte, o Natal é sobretudo “um tempo de fraternidade, de afetos, de amizade e de concórdia entre todos”, como frisou o presidente da Câmara Municipal do Montijo, Nuno Canta. A autarquia apela, ainda, às compras natalícias no comércio local para ajudar algumas instituições da cidade.
Cidade já prepara o Natal 

A programação do Natal com Arte arranca dia 30 de Novembro, pelas 16 horas, na Galeria Municipal com a inauguração da exposição “Reencontros: 20 anos: 1999-2019”, composta por obras de alguns dos maiores pintores contemporâneos portugueses: Marcelino Vespeira, Fernando Azevedo, João Vieira, Nikias Skapinakis e Rolando Sá Nogueira.
Da arte na Galeria Municipal, passamos para o brilho das luzes de Natal: a abertura da iluminação de Natal será às 18 horas, na Praça da República, seguindo-se o concerto de Natal pela banda “Christmas Brothers”, formada por quatro elementos: voz, guitarra, baixo e bateria, que irão interpretar temas clássicos da época natalícia. Um espetáculo da United Visionary Arts, com produção e direção geral de Fábio Simões e direção musical de Susana Jordão.
Este ano, na Praça da República, junto à Igreja Matriz do Divino Espírito Santo estará um Presépio de grandes dimensões, que poderá apreciar até ao dia 6 de Janeiro de 2020.
Neste primeiro fim de semana do Natal com Arte, no dia 1 de Dezembro, pelas 11 horas, no Mercado Municipal será inaugurada a 11.ª edição da exposição “A Arte dos Presépios”.
Aponte, também, já na sua agenda a chegada do Pai Natal ao Montijo: será no dia 7 de Dezembro, pelas 15 horas, com partida do Museu Municipal Casa Mora até à Praça da República. Enquanto os mais pequenos pedem os seus desejos na Casinha do Pai Natal, brincam na Oficina dos Brinquedos, na Quinta dos Animais ou na Casa dos Duendes, aproveite para fazer as suas compras no Mercado de Natal, que vai estar na Praça da República, de 7 a 22 de Dezembro.
O Natal com Arte vai espalhar, ainda, a magia desta época do ano um pouco por todas as freguesias, através do ciclo de concertos “Uma Igreja, Um Concerto”.

Agência de Notícias com Câmara do Montijo
www.adn-agenciadenoticias.com
[ + ]

Câmara vai requalificar antiga quinta em Pinhal Novo

Monte do Francisquinho será Centro de Recursos Comunitários

O município de Palmela candidatou a “Requalificação do Monte do Francisquinho”, em Pinhal Novo, ao Portugal 2020, tendo em vista a sua "refuncionalização em termos socioeconómicos e a "promoção de recursos comunitários facilitadores da inclusão de públicos em situação de fragilidade social e ainda a sua utilização e dinamização por diversos parceiros e agentes locais, criando um polo de ação social, cultural e económico em Pinhal Novo", diz a autarquia em comunicado. 
Antigo Monte está em ruínas há vários anos 

A intervenção, explicou a Câmara de Palmela à ADN-Agência de Notícias, "pretende reabilitar e valorizar todo o espaço, de forma a disponibilizar uma rede de equipamentos comunitários e recursos diversificados, favorecendo um conjunto de dinâmicas sociais, educativas e culturais, das quais possam emergir competências e potencialidades de pessoas, organizações e associações, com os padrões de qualidade e conforto vigentes para este tipo de estruturas, com destaque para a formação, as exposições, as iniciativas de animação cultural, o empreendedorismo e o desenvolvimento e a inclusão social".
A reabilitação do espaço assenta na preservação do edificado atual, devidamente requalificado, mantendo a lógica da unidade já existente, complementada com novos equipamentos e valências que sirvam os parceiros já instalados e a instalar.
O Monte do Francisquinho está associado ao conceito de “Aldeia Associativa”, prevendo-se a construção de "um Espaço Hangar Multiusos, um Espaço de Exposições e a criação de Gabinetes de Trabalho. Os espaços exteriores, para além do arranjo paisagístico, contemplam um pequeno Anfiteatro, uma Pista de Skate e outros equipamentos que permitem atividades intergeracionais", explica a autarquia. 
No inicio deste ano, Álvaro Amaro, presidente da autarquia, dizia que o Monte do Francisquinho vai continuar a ser requalificado para a continuação do “ninho” de respostas sociais e associativas que ali começou a nascer. O responsável da Câmara de Palmela defende a “aposta no combate a fenómenos de exclusão e consolidando o momento de expansão que se vive naquela zona”. 
No Monte do Francisquinho já está a funcionar o Núcleo da Liga dos Combatentes e o Motoclube do Pinhal Novo e serão reabilitados os dois edifícios antigos do espaço para “criar salas destinadas a formação e atendimento e acolher respostas sociais, como um gabinete de apoio à vítima e salas para utilização de associações” para além de “ser criada uma área exterior para a prática de desportos radicais, um pequeno anfiteatro de ar livre e um pavilhão multiusos modular, para realização de eventos, feiras e exposições, que começará com dimensões mais modestas, mas que crescerá, faseadamente”, revelou o autarca. 
Esta candidatura está inscrita no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano - Plano de Ação Integrada para as Comunidades Desfavorecidas e tem um investimento global elegível de 948 mil 151 euros, cofinanciado em 50 por cento pelo Feder.

Agência de Notícias com Câmara de Palmela 
www.adn-agenciadenoticias.com
[ + ]

Associação não quer obras na Braamcamp no Barreiro

Plataforma pede à Assembleia Municipal que não sejam aprovadas construções

Uma plataforma cívica enviou uma carta aberta à Assembleia Municipal do Barreiro, com quase 60 assinaturas, na qual apela para que seja rejeitada a construção de habitações na Quinta do Braamcamp. A Câmara do Barreiro anunciou no início do ano a intenção de vender a quinta, mas os cidadãos temem a construção de prédios numa zona muito próxima ao rio e que estará sujeita à subida previsível das marés. “Qualquer que seja a solução para a Braamcamp, ela não pode passar pela construção de prédios naquele território. Solicitamos-vos que não aprovem nenhum projeto de construção imobiliária na quinta, sob pena de vermos comprometidos futuros planos de renaturalização e recuperação patrimonial do território”, pediu a Plataforma Cidadã Braamcamp é de Todos, na carta enviada.
Quinta continua num impasse 

Os cidadãos referiam-se à decisão de venda do imóvel histórico, anunciada no início do ano pela Câmara do Barreiro, liderada por Frederico Rosa (PS), justificando que os 21 hectares na zona ribeirinha se encontravam sem utilização e que não se sabia quando haveria verbas para o requalificar.
No entanto, na visão da plataforma, “independentemente das contrapartidas que possam ser exigidas ao investidor”, o que está em causa é que a edificação de prédios numa zona muito próxima ao rio, que “está sujeita a alargamento devido à subida previsível das marés, em consequência das alterações climáticas”.
“Existem no Barreiro 6400 fogos devolutos e vários lotes urbanizáveis a precisar da atenção prioritária do executivo. Por isso, não vemos motivo para ocupar um terreno natural e arborizado com mais habitação”, frisou.
A quinta foi fundada pela família holandesa Braamcamp, num terreno com grande diversidade de fauna e flora, onde actualmente ainda permanece o maior moinho de maré do concelho e vestígios de dois palacetes, assim como da antiga fábrica da Sociedade Nacional de Cortiça.
Aliás, segundo a plataforma, o território está integrado no conjunto Braamcamp/Alburrica, que foi classificado como Sítio de Interesse Municipal, que deve ser “recuperado numa lógica de defesa do ambiente, da paisagem e do património”.
“Construir prédios e parques de estacionamento naquele território irá inevitavelmente desnaturalizar e sobrecarregar toda a zona e até comprometer o que se possa fazer ali no futuro, inclusive um corredor verde até ao sapal de Coina, como é o sonho de muitos barreirenses”, defendeu.
Além disso, a plataforma advertiu que “é expectável que a construção de prédios na quinta requeria tais condições de investimento que os mesmos só possam ser vendidos a preços proibitivos, inacessíveis à maioria dos cidadãos barreirenses”.
O grupo de cidadãos constituiu-se em Março e, segundo Carla Santos, a venda baseia-se no Plano Director Municipal de 1994, que está “completamente desactualizado”, prevendo a construção de 180 fogos num local que pode estar “debaixo de água daqui a 100 anos”.
Desde a sua formação, a plataforma já realizou várias acções para impedir a venda ao promotor privado, mas uma sondagem divulgada pela Câmara do Barreiro, em Junho, mostra que 76,5 por cento dos munícipes “concordam com a alienação dos terrenos”. Além disso, o município garantiu que o projecto de requalificação previsto “obriga os compradores a cumprirem o que está previsto para toda a zona”.
“Dos 21 hectares de terrenos, 95 por cento serão ocupados por zonas desportivas e espaços verdes, com a edificação de um campo de futebol, zonas de lazer e de desporto náutico. Os restantes cinco por cento serão destinados à construção de habitação”, avançou, na ocasião.

Agência de Notícias com Lusa 
www.adn-agenciadenoticias.com
[ + ]

Brindar com a TAP aos melhores sabores de Setúbal

Vinhos da região estarão em destaque na Europa, África e Américas

Palmela, Bacalhôa, Ermelinda Freitas, Brejinho. Os quatro vão estar em destaque pelo mundo até ao início do próximo ano, cortesia da TAP, que através da sua Wine Experience promete apresentar estes vinhos e a região onde nascem e se fazem a uns potenciais quatro milhões de passageiros.
Vinhos de Setúbal estão a dar a volta ao mundo 

“Estamos muito contentes com esta parceria”, afirmou, citado pelo Diário da Região Setubalense Joel Fragata, gestor de produto inflight da TAP, explicando que o objetivo do programa é dar a conhecer os vinhos portugueses, permitindo a passageiros de todo o mundo “experimentar os vinhos num momento a bordo do avião”.
Para celebrar a região dos Vinhos da Península de Setúbal, até ao final de Fevereiro a companhia aérea portuguesa decidiu incluir nas suas rotas para os vários continentes provas de vinhos que casa com os diferentes destinos.
Assim, quem voar com destino à Finlândia e à Suécia, poderá provar uma seleção da Adega de Palmela, que inclui quatro vinhos da sua coleção, Villa Palma Reserva Tinto, Villa Palma Reserva Branco, Chafariz Dona Maria Tinto e Villa Palma Branco, divididos entre as classes Económica e Executiva.
Quem embarca em Executiva para Angola e Portugal para a Madeira e os Açores, poderá provar o Quinta da Bacalhôa Tinto e, na classe Económica rumo à Bélgica, Holanda e Portugal para a Madeira e os Açores, os vinhos Serras de Azeitão Tinto e Serras de Azeitão Branco – todos estes da Quinta da Bacalhôa.
Se estiver a planear a sua próxima viagem ao Rio de Janeiro ou a São Paulo em classe Executiva, terá disponíveis três propostas da Quinta Brejinho da Costa: Quinta Brejinho da Costa Selection Rosé, Quinta Brejinho da Costa Selection Branco e Quinta Brejinho da Costa Reserva Tinto.
A bordo da classe Económica das rotas de Angola, EUA e Brasil, a comida é melhorada por um par de vinhos da Península de Setúbal, Dona Ermelinda Tinto e Branco, cortesia da Casa Ermelinda Freitas; e a contribuição da Brejinho da Costa surge em Executiva, para quem viaje para o Rio de Janeiro ou para São Paulo, que poderá escolher um Quinta Brejinho da Costa Selection Rosé, um Quinta Brejinho da Costa Selection Branco e um Quinta Brejinho da Costa Reserva Tinto.
A Península de Setúbal possui uma diversidade climática, orográfica e geológica absolutamente singular: a planície arenosa, a serra da Arrábida e o seu parque natural com a vinha nas encostas viradas a norte, os estuários dos rios Tejo e Sado e a proximidade com o Oceano Atlântico fazem da Península a origem de vinhos carismáticos, com personalidades distintas e carácter único. Destaca-se na região o icónico Moscatel de Setúbal, um generoso de perfil único no mundo, feito a partir das castas Moscatel de Setúbal ou Moscatel Roxo.

Agência de Notícias 
Leia outras notícias do dia em 
[ + ]

Aeroporto desperta interesse de investidores no Montijo

Preços das casas disparam por causa do novo aeroporto 

O preço médio das casas no Montijo subiu 30 por cento, nos últimos dois anos. Tudo por causa da promessa de um novo aeroporto, celebrada num acordo entre a Ana e o Estado de 8 de Janeiro. O setor imobiliário diz que o novo aeroporto do Montijo tem despertado o interesse de investidores no concelho, mas explicam que o aumento de preços na habitação se deve sobretudo à proximidade com Lisboa. “Nota-se que há investidores à procura de lotes de terreno ou casas para recuperar, fazer apartamentos e colocar à venda. Acho que estão a apostar no Montijo porque vem o aeroporto”, referiu a gerente da Paula Imobiliário, que tem duas lojas no concelho.
É cada vez mais caro morar no Montijo 

Na visão de Paula Gonçalves, que trabalha no setor há mais de 20 anos, a explicação para este aumento da procura é a possibilidade de construção do novo aeroporto na Base Aérea N.º 6, entre o Montijo e Alcochete, até porque “grande parte” dos investidores não são da região e alguns são estrangeiros. Também Nuno Brioso, da imobiliária Side4You, confirmou que “se tem assistido a uma maior procura de investimentos em armazéns, logística e terrenos para urbanizar”, numa perspetiva de que “venha o aeroporto para depois ganharem mais-valias”.
O preço das casas no Montijo e Alcochete subiu mais de 30 por cento nos últimos dois anos, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgados em Janeiro, no entanto, os agentes imobiliários discordam de que o novo aeroporto já tenha alguma influência no custo das habitações. “Quando vem uma lufada de notícias sobre o aeroporto, realmente notamos que há uma maior procura por parte das pessoas, mas não considero que seja só o aeroporto. Atendendo aos preços que são praticados em Lisboa, as pessoas não conseguem chegar a esses valores e acabam por escolher a nossa cidade, porque fica perto e os preços são mais baratos”, explicou Paula Gonçalves.
A mesma opinião tem Nuno Brioso, que admitiu um “ligeiro aumento da procura a nível de pessoas para habitação” quando são divulgadas notícias, mas frisou que a principal causa para a subida de preços é a proximidade com a capital do país. “Os habitantes de Lisboa estavam habituados a comprar casa a 300 ou 400 mil euros, mas agora custam entre 600 e 700 mil euros e muitos deles já não conseguem, por isso têm de vir para a periferia”, indicou.

Preços ainda podem "subir mais" 

Segundo as imobiliárias, no Montijo, a renda de um apartamento com três quartos custa, em média, 750 euros por mês, enquanto a compra já ronda os 250 mil a 280 mil euros. No concelho vizinho de Alcochete, também se tem verificado um aumento da procura e, de acordo com Nuno Brioso, os preços são até “um bocadinho mais caros”. “Alcochete tem menos imóveis, é mais pequeno e é um bocadinho mais caro. É uma vila mais pitoresca, tem aquele centro de vila piscatória e acaba por dar um encanto físico diferente do Montijo, que é muito maior. Alcochete está a tornar-se numa Cascais da Margem Sul”, mencionou.
Neste sentido, o agente imobiliário admitiu que os preços da habitação nos dois concelhos podem “subir ainda mais”, caso o novo aeroporto se concretize na localização anunciada. “O “boom” do aeroporto na procura, a vir, é realmente quando as coisas estiverem 100 por cento definidas, com as obras já começadas, porque enquanto não acontecer não sei se vem para cá”, apontou. Ainda assim, Nuno Brioso mostrou-se positivo quanto aos benefícios que a infraestrutura trará à Margem Sul, como “mais emprego, logística e hotelaria”.
Em 8 de Janeiro, a ANA – Aeroportos de Portugal e o Estado assinaram o acordo para a expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa, com um investimento de 1,15 mil milhões de euros até 2028 para aumentar o atual aeroporto de Lisboa (Aeroporto Humberto Delgado) e transformar a base aérea do Montijo num novo aeroporto.
Já no passado dia 30 de Outubro, a Agência Portuguesa do Ambiente emitiu a proposta de Declaração de Impacte Ambiental relativa ao aeroporto do Montijo e respetivas acessibilidades, tendo a decisão sido “favorável condicionada”, que viabiliza o projeto.

Agência de Notícias com Lusa 
Leia outras notícias do dia em 
[ + ]

Governo quer construir fábrica de hidrogénio em Sines

Mega central de energia solar a caminho do Litoral Alentejano 

O secretário de Estado da Energia revelou que Portugal está a negociar com a Holanda a constituição de um consórcio para instalar uma unidade de produção de hidrogénio em Sines. A aposta no hidrogénio está na agenda do Governo. E segundo João Galamba, a construção de uma unidade de produção de hidrogénio verde, alimentada por uma central de energia solar, está mesmo em cima da mesa. O arranque deste projeto, que implicaria um investimento de 600 milhões de euros, seria realizado em parceria com a Holanda e contaria com a ajuda de fundos europeus.
Sines aposta na energia do futuro 

Uma central solar de 1 Gigawatt, que equivale à energia consumida por um milhão de casas, será o suporte para uma “fábrica” de electrólise da água avaliada em 600 milhões de euros, de acordo com relatórios técnicos holandeses.
Portugal e Holanda estarão a negociar um consórcio que terá como objetivo instalar uma unidade de produção de hidrogénio “verde” alimentado a energia solar. De acordo com a TSF, a fábrica ficará em Sines e terá capacidade de alimentar uma frota de autocarros e camiões que percorram 800 milhões de quilómetros por ano.
João Galamba, secretário de Estado da Energia, revelou esta intenção num debate na TSF com a Associação Portuguesa de Promoção do hidrogénio. Para Galamba, o que nascerá em Sines será “um parque fotovoltaico com 1 Gigawatt em versão auto-consumo, que baixa ainda os custos de produção de eletricidade porque tem isenções de tarifas de acesso à rede. O estado tem terrenos públicos em Sines que só podem ser utilizados em projetos industriais, o que pode ser um fator importante para baixar os custos de produção do hidrogénio e depois atrair grandes empresas nacionais para este projeto, empresas da área do gás e da logística e transportes”.
“Nós podemos dizer ao mundo e à Europa e sobretudo aos países do norte da Europa que precisam muito de hidrogénio, nós temos uma coisa que o centro e o norte da Europa não tem que é capacidade de produzir eletricidade aos custos que tornam o hidrogénio viável”, apontou ainda o secretário de Estado.
Segundo o secretário de Estado, o próximo passo que é preciso dar agora é "montar um consórcio industrial de grande escala mostrando que Sines tradicionalmente ligada a energias fósseis pode migrar e até valorizar o porto de Sines como entreposto exportador de hidrogénio Verde, o que é uma mais-valia para o porto".
Se trabalhar oito mil horas por ano e usar 1,5 metros cúbicos de água, a unidade de Sines, pode produzir 160 milhões de quilos de hidrogénio.
Esta central de 1 Gigawatt, o suficiente para abastecer um milhão de casas a funcionar 8 mil horas por ano e utilizar 1,5 metros cúbicos de água, pode produzir 160 milhões de Kg de hidrogénio, o que daria para abastecer uma frota de autocarros e camiões para 800 milhões de quilómetros. Ou seja, seria o equivalente a alimentar 27 vezes uma frota do tamanho da Carris, que faz 29 milhões de Km por ano, segundo a TSF.

Agência de Notícias com Lusa 
Leia outras notícias do dia em 
[ + ]

Câmara do Seixal reúne-se com ministra da Saúde

Joaquim Santos reúne com Marta Temido com a urgência pediátrica na agenda 

A Câmara do Seixal manifestou-se contra a insuficiência de cuidados de saúde prestados à população do concelho e de toda a região, que desde segunda-feira deixou de contar com a urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta, em Almada, durante o período noturno. Em reunião de câmara, decorrida esta quarta-feira, foi aprovada por unanimidade uma tomada de posição da autarquia que reclama um serviço de urgência pediátrica em funcionamento permanente, digno e de qualidade. A autarquia alerta para a degradação das respostas do Governo na área da saúde e exige a abertura imediata da urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta.
Autarca vai falar com a ministra da Saúde 

Este será um dos assuntos a abordar pelo presidente da Câmara do Seixal, Joaquim Santos, na reunião desta sexta-feira com a ministra Marta Temido. A urgente necessidade de construção do hospital no Seixal, prometido desde 2009, é outro dos temas que ocupará o encontro, que se irá realizar a pedido do autarca.
"Para a população do nosso concelho, a urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta é o serviço de referência nesta área, é para lá que as unidades de cuidados de saúde primários encaminham os casos mais graves e mais complexos, estando agora em causa o atendimento com qualidade e rapidez às crianças da região, que terão de se deslocar para Lisboa", disse Joaquim Santos.
Na segunda-feira, o autarca, eleito pela CDU, mostrou-se "muito preocupado com a ausência de resposta" para esta urgência pediátrica que é tão "importante" para os concelhos que abrange.
"O que eu espero sinceramente é que não aconteça nenhum caso grave pelo facto de a urgência [pediátrica] do Garcia de Orta estar fechada", referiu o autarca, que marcou presença na vigília de utentes, esperançado de que os governantes resolvam a situação mais rápido do que o prazo previsto, de seis meses.
"Estamos aqui obviamente a pressionar, num bom sentido, usando o direito à manifestação e indignação para que os eleitos, os governantes, tomem as decisões necessárias para resolver os problemas. Acredito que o Governo terá de tomar medidas mais cedo do que aquelas que está a prever", considerou Joaquim Santos.

Autarquia ajuda instituições locais 
Na reunião de câmara desta quarta-feira, a autarquia aprovou também a atribuição de uma comparticipação financeira, no valor de 82 mil 410 euros, para o lar de 3.ª idade de Fernão Ferro, para o qual a autarquia já cedeu um terreno. Uma infraestrutura que terá capacidade para 63 camas e serviço de apoio domiciliário para 40 utentes.
Foi também aprovada a atribuição de uma verba no valor de 27 mil 409 euros à Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos da Freguesia de Amora, para apoiar a aquisição de novas 30 camas para a sua Unidade de Cuidados Continuados e Integrados.
Ficou ainda decidida a aquisição de 15 mil contentores, de 120 litros, com identificação por radiofrequência, destinados a resíduos urbanos biodegradáveis, no valor de 450 mil 030 euros.
Destaque ainda para a campanha de adesão à fatura eletrónica para os pagamentos referentes aos serviços prestados pela autarquia, em que o munícipe que aderir terá um desconto de 2,5 euros, valor que será creditado na fatura dos serviços de abastecimento de água, saneamento e resíduos do mês seguinte ao da adesão.

Agência de Notícias com Câmara do Seixal 
Leia outras notícias do dia em 
[ + ]

Marcelo recebeu atletas de Almada e do Montijo

Elisabete Jacinto e Telma Monteiro foram ao Palácio de Belém falar de motivação

Elisabete Jacinto e Telma Monteiro estiveram à conversa com alunos do ensino básico e secundário, numa iniciativa promovida pela Presidência da República, no Palácio de Belém. Telma Monteiro, de Almada, destacou a importância da medalha de bronze conquistada nos Jogos Olímpicos de 2016 e anunciou a "retirada" nos Jogos de Tóquio, no Japão, no próximo ano. A piloto do Montijo, Elisabete Jacinto, recordou as primeiras participações no rali Dakar. A Piloto portuguesa ponderou o fim da carreira após vencer o África Eco Race2019, mas foi ao Palácio de Belém afirmar que conta regressar às corridas africanas já em Abril do próximo ano. 
Piloto do Montijo esteve com Marcelo 

"Tenho tentado criar condições para voltar, mas, este ano, não se conseguiu concretizar. Estou convencida que para o ano há essa possibilidade. A África Race, em Janeiro, é a maior prova, mas está provado que não vou conseguir. Depois há outra em Abril e é para essa que me estou a preparar", avançou, à margem da iniciativa Desportistas no Palácio de Belém, promovida pela Presidência da República.
Depois de ter sido submetida a uma cirurgia ao ombro e "ter ficado parada para recuperar", Elisabete Jacinto confessou a Marcelo Rebelo de Sousa, que sonha "voltar ao Dakar com um camião". A piloto portuguesa recorreu às primeiras experiências na mítica corrida em África de moto, em 1998, 1999, 2000 e 2001, que "correram mal", para passar uma mensagem motivacional aos mais de 70 alunos oriundos da Escola Secundária D. Maria II, de Vila Nova da Barquinha, Colégio Nossa Senhora da Conceição, de Guimarães, e Escola Básica e Secundária da Ponta do Sol, na Madeira, que marcaram presença no Palácio de Belém.
"Somos muito mais fortes do que aquilo que pensamos", defendeu, aludindo às muitas quedas sofridas no Rali Dakar e aos mais variados incidentes, como o sucedido em 2001, quando o seu carro de assistência pisou uma mina na fronteira entre Marrocos e a Mauritânia e foram todos evacuados para o hospital. "Foi muito duro, mexeu muito comigo, parti-me toda, mas acabei a prova e realizei o meu sonho de terminar o Dakar de moto", recordou, defendendo ainda que "todos os sonhos se realizam, desde que se queira muito e os objetivos sejam muito fortes", revelou a piloto, oferecendo a fórmula do sucesso aos jovens estudantes: "Começar a sonhar grandioso, de forma ambiciosa, e depois transformar esse sonho num objetivo".
"O meu maior mérito é deixar o exemplo de que podemos fazer tudo o que quisermos, com inteligência, racionalidade e trabalho. Essa é a minha mensagem, também na luta pela igualdade de género", finalizou a antiga professora de geografia, caracterizada por Marcelo Rebelo de Sousa como "uma campeã".
E pode dizer-se que a piloto fez as pazes com o Presidente da República, de quem tinha alguma queixas. Em Janeiro, após vencer o o África Eco Race2019, a piloto lamentou não ter sido saudada por Marcelo Rebelo de Sousa: "O presidente Marcelo não me deu os parabéns e já vem tarde". Depois disso o Presidente convidou-a para almoçar e agora incluiu-a no programa Desportista no Palácio de Belém, uma iniciativa que já levou ao Palácio de Belém desportistas como Rosa Mota, Jorge Fonseca, João Sousa, Frederico Morais, Patrícia Mamona e Telma Monteiro, por exemplo.

Telma promete lutar pelo Ouro nos seus últimos Jogos Olímpicos 
Marcelo também recebeu a judoca de Almada 
Marcelo Rebelou de Sousa recebeu esta terça-feira no Palácio de Belém Telma Monteiro e elogiou a judoca pelos feitos alcançados ao longo da carreira.
"Tem outra qualidade importantíssima que é consistência. Não é só a resistência física e psíquica, é a capacidade de ao longo de muito tempo fazer, em média, resultados excecionais. O mais difícil, que são os Jogos Olímpicos, demorou mais tempo. E estamos em vésperas de novos Jogos Olímpicos e cá está ela a pensar: ‘como é vou fazer culminar quatro anos, desde o Brasil até ao Japão, para conseguir o melhor que é a medalha de ouro?’", disse o Presidente da República, elogiando ainda ambição, a disciplina e a humildade de Telma Monteiro.
Marcelo Rebelo de Sousa destacou a importância que os desportistas têm não só para a suas área de atuação, mas também para a sociedade no geral. "No outro dia disse a propósito de outra atleta [Rosa Mota], e ficou tudo muito chocado em Portugal, porque acham que os governos, primeiros ministros e presidentes são necessariamente mais importantes e fundamentais, e não são. Uma atleta como a Telma, por exemplo, consegue aquilo que muitos chefes de estado não conseguem, que é estar permanentemente entre os melhores do mundo. Por isso, temos de ter admiração pelo seu exemplo", referiu ainda durante a iniciativa Desportistas no Palácio de Belém.
A judoca de Almada, que deverá estar presente nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, não prometeu medalhas, mas deixou uma garantia. "Trabalhar é algo que está inerente àquilo que sou, tal como dedicação e acreditar. Vou lutar sempre até ao fim para ganhar o máximo de medalhas.(...) O foco, para já, é apurar-me entre as oito primeiras para ser cabeça de série e saber quem vou encontrar no dia da competição. A partir daí, é preparar-me da melhor maneira. E quando me preparo para uma competição não é para perder, por isso todas as medalhas têm de fazer parte do meu pensamento", sublinhou a atleta do Benfica.

Agência de Notícias 
Leia outras notícias do dia em 

[ + ]

Autarcas de Almada e Seixal solidários com utentes

Fecho da urgência pediátrica noturna no Garcia de Orta é temporário, garante ministra

As urgências pediátricas do Hospital Garcia de Orta, em Almada, estão fechadas durante a noite por tempo indeterminado. O serviço encerra às oito da noite só reabrindo às oito da manhã, todos os dias da semana. Em casos de urgência, as crianças terão que ir para Lisboa, para os Hospitais de Dona Estefânia ou de Santa Maria. Os autarcas de Almada e Seixal mostraram-se solidários com as populações que protestaram junto ao Hospital Garcia de Orta, reafirmando que são precisas "resoluções" para evitar o encerramento da urgência pediátrica.
Crianças sem urgência em Almada todas as noites 

Cerca de 200 utentes estiveram concentrados à porta do Hospital Garcia de Orta, em Almada, exigindo que a urgência pediátrica volte a estar "aberta de noite e dia".  "As nossas crianças têm direito a urgência. Eu tenho netos e, conforme eu, muitas mães têm filhos e temos direito à urgência, não somos nenhum país do terceiro mundo para ir para Lisboa. A senhora ministra não se importa porque tem dinheiro e particulares para ir, mas nós precisamos do Serviço Nacional de Saúde", disse a utente Antónia Paiva, de 58 anos.
Apesar do frio que se faz sentir, perto das oito da noite, de segunda-feira, a população de Almada e Seixal concentrou-se nesta vigília, com velas e cartazes, com frases como "Nem mais de uma hora de urgência encerrada". 
Na quinta-feira, a ministra da Saúde, Marta Temido, confirmou que este serviço iria passar a encerrar todas as noites a partir de hoje, entre as oito da noite e as oito da manhã, apontando como alternativa dois centros de saúde que alargaram o seu horário.
"O que a ministra arranjou para colmatar não é solução. Devem estar abertos, mas uma coisa não substitui a outra porque o serviço de atendimento permanente não é uma urgência pediátrica. Uma análise viral ou bacteriana não pode ser feita num centro de saúde", defendeu a utente Ana Carvalho, de 38 anos.
O mesmo expressou a dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses Zoraima Cruz Prado, advertindo que "não se compara os cuidados de saúde primários com os recursos disponíveis a nível hospitalar", pedindo para a ministra tomar "uma atitude séria que crie as condições para este serviço ser reaberto".
Américo Costa, de 78 anos, encontrava-se na primeira fila deste protesto e, apesar de ter os netos emigrados, afirmou que não é por isso que fica mais descansado, porque esta "não é uma questão pessoal, mas pública".
A vigília foi convocada pela Comissão de Utentes da Saúde do Concelho do Seixal que considera que o Ministério da Saúde "não tomou as medidas suficientes".
Ainda assim, José Lourenço, membro da comissão, espera que a tutela possa reverter esta decisão e reabrir a urgência pediátrica mais cedo do que o previsto, no prazo de seis meses.
"Contamos que sim, porque senão a senhora ministra vai ter um problema e vai ter-nos atrelados durante muito tempo, porque esta vigília é a primeira que faremos", garantiu.
Aliás, os utentes do Seixal consideram já outra ação de luta à porta do Ministério da Saúde, em Lisboa, e, eventualmente, "chegar a Bruxelas, se for necessário". 

Autarcas de Almada e Seixal solidários com utentes 
Os autarcas de Almada e Seixal mostraram-se solidários com as populações que protestaram junto ao Hospital Garcia de Orta, reafirmando que são precisas "resoluções" para evitar o encerramento da urgência pediátrica.
É a minha obrigação enquanto autarca representar as nossas populações, dar voz e ser um rosto a transmitir a ansiedade que esta situação está a criar junto das nossas populações", afirmou a presidente da Câmara de Almada, Inês de Medeiros (PS).
A autarca falava à Lusa em frente ao Hospital Garcia de Orta, em Almada, onde cerca de 200 utentes realizavam uma vigília contra o encerramento noturno da urgência pediátrica, tendo frisado que "é urgente encontrar uma resolução".
"Nós partilhamos com as pessoas uma certa angústia por saber que temos este hospital que é tão importante para esta zona e temos de nos deslocar. Não é por ser em Lisboa, é por saber que as urgências do Barreiro e Setúbal não têm as mesmas valências", declarou a autarca, que também integrou a vigília.
Segundo Inês de Medeiros, a maior preocupação dos habitantes de Almada é que "aconteça alguma coisa" na Ponte 25 de Abril, mas tranquilizou-os ao lembrar que, em caso de urgência, "todas as forças de segurança, proteção civil e bombeiros têm prioridade absoluta de passagem".
Além disso, a presidente da câmara indicou que o serviço de neonatologia e obstetrícia "continua a funcionar normalmente", assim como a urgência geral.
Já o presidente da Câmara do Seixal, Joaquim Santos (CDU), mostrou-se "muito preocupado com a ausência de resposta" para esta urgência pediátrica que é tão "importante" para os concelhos que abrange.
"O que eu espero sinceramente é que não aconteça nenhum caso grave pelo facto de a urgência [pediátrica] do Garcia de Orta estar fechada", referiu o autarca, que marcou presença na vigília, que se iniciou perto das 20 horas, esperançado de que os governantes resolvam a situação mais rápido do que o prazo previsto, de seis meses.
"Estamos aqui obviamente a pressionar, num bom sentido, usando o direito à manifestação e indignação para que os eleitos, os governantes, tomem as decisões necessárias para resolver os problemas. Acredito que o Governo terá de tomar medidas mais cedo do que aquelas que está a prever", considerou.
Inês de Medeiros também garantiu que continuará a intervir junto do Governo, liderado pelo socialista António Costa, para que uma solução seja encontrada, tendo ficado combinado "reuniões regulares" com o Ministério da Saúde para que estejam "a par da evolução", sendo que a próxima acontece no início de Dezembro.

Ministra garante que fecho da urgência é temporário
A ministra da Saúde assegurou que o encerramento à noite da urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta, em Almada, é temporário e que tentará que a situação "dure o menos tempo possível".
"A posição do Hospital Garcia de Orta, sendo um hospital de tampão para a península de Setúbal, é um hospital que tem de ter a urgência noturna aberta", afirmou Marta Temido no âmbito de uma visita ao centro de saúde Rainha Dona Leonor, em Almada, que está aberto até mais tarde para tentar suprir a falta da urgência pediátrica hospitalar.
À chegada ao centro de saúde, onde foi interpelada por utentes sobre a situação do Garcia de Orta, a ministra indicou que o encerramento no período noturno da urgência pediátrica é uma situação que se deseja que se mantenha pelo "menor tempo possível".
Esta situação deve-se à falta de pediatras, que já afeta o hospital há mais de um ano, quando saíram 13 profissionais, e, segundo o Sindicato dos Médicos da Zona Sul, nem o lançamento de concursos foi suficiente para colmatar a carência porque "ninguém concorreu".
Devido à falta de especialistas, a urgência pediátrica daquela unidade hospitalar de Almada começou por fechar todos os fins de semana em Outubro, entre o final de sexta-feira e a manhã de segunda-feira. A partir de hoje, este serviço passa a estar encerrado diariamente no período noturno.

Agência de Notícias com Lusa 
Leia outras notícias do dia em 
[ + ]

Palmela requalificou escola em Brejos do Assa

122 mil euros garantiram "grandes melhorias" nesta escola primária  

A Escola Básica de Brejos do Assa, no concelho de Palmela, foi inaugurada após obras de requalificação do edifício e arranjo dos espaços exteriores. O presidente do município de Palmela, Álvaro Amaro, considerou que a obra constituiu "um processo modelo" de articulação com o agrupamento de escolas, pais e encarregados de educação e professores. Foi em festa que a autarquia e a comunidade escolar celebraram este importante momento, com os alunos a encantarem todos os presentes com poemas e música.
Autarquia continua a investir na educação 

Com esta intervenção, num investimento de 122 mil euros, inteiramente suportado pela Câmara Municipal, a Escola passa a dispor de um espaço multiusos, que vai acolher a biblioteca e a prática de várias atividades e expressões.
A obra incluiu também a requalificação dos espaços exteriores ao nível dos pavimentos e a criação de áreas de jogo e recreio, que incluem jogos tradicionais, um campo de jogo informal e uma horta pedagógica. Foram também criados pendentes para a drenagem das águas pluviais e uma nova área coberta exterior. A intervenção contemplou ainda a eliminação de barreiras arquitetónicas e a reabilitação do pavimento interior do refeitório e dos espaços de circulação.
Álvaro Amaro recordou que "este era um compromisso", já que, no primeiro mandato do atual Executivo, a Associação de Pais tinha contactado o município, apelando para a necessidade de ampliação e requalificação desta Escola. 
A Câmara Municipal assumiu a obra, partilhando a convicção de que é importante "não afastar as crianças da envolvente onde vivem" e que, "mesmo em escolas com menos crianças, vale a pena investir".
A Escola tem, agora, melhores condições para acolher os cerca de 40 alunos da localidade da freguesia de Palmela e Álvaro Amaro não tem dúvidas de que este é "um equipamento educativo que tem futuro" e que "vale a pena estudar, crescer e aprender valores aqui", concluiu o autarca.

Agência de Notícias com Câmara de Palmela 
Leia outras notícias do dia em 

[ + ]

Sarilhos Grandes vai ter Academia Sénior

Academia é uma resposta aos problemas dos idosos da freguesia 

Na última reunião da Câmara do Montijo foi aprovado, por unanimidade, um protocolo de colaboração para a instalação da Academia Sénior de Sarilhos Grandes. O protocolo será estabelecido entre a autarquia, a Junta de Freguesia de Sarilhos Grandes, a Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos de Sarilhos Grandes e a Academia Musical União e Trabalho  e pretende, diz a Câmara do Montijo, "efetivar o funcionamento da Academia Sénior e as responsabilidades de cada entidade". 
Mais velhos vão ter academia em Sarilhos 

Genericamente, a Câmara ficara responsável pela coordenação do projeto, a junta de freguesia irá realizar ações de acompanhamento psicossocial e de formação na área da informática; a associação de reformados vai ceder o seu espaço e assegurar atividades nas áreas da psicomotricidade, artes, voluntariado; e a Academia Musical União e Trabalho contribuirá com ações no âmbito da música, dança e teatro.
Previsivelmente, diz a autarquia, "a Academia Sénior de Sarilhos Grandes estará instalada e em funcionamento no decurso do ano de 2020, reforçando, assim, os Projetos de Envelhecimento Ativo que desempenham um papel relevante nas políticas municipais de inclusão social e cidadania, mobilizando os cidadãos seniores das diferentes freguesias do concelho para a prática de estilos de vida saudáveis e contribuindo para a quebra do isolamento e o combate à solidão".
Recorde-se que a Câmara do Montijo viu aprovada uma candidatura ao Programa Operacional Regional de Lisboa 2020 para a instalação da Academia Sénior de Sarilhos Grandes e que já tem, há alguns anos, em funcionamento a Academia Sénior de Pegões e Canha, a Academia Sénior de Atalaia e Alto Estanqueiro-Jardia e a Universidade Sénior do Montijo.
O presidente da Câmara do Montijo sublinhas que os espaços rurais “pelo afastamento que têm das aglomerações urbanas apresentam um maior risco de exclusão social e isolamento das pessoas idosas. As academias seniores, proporcionam uma resposta aos problemas dos idosos das freguesias e revelam-se essencial no combate ao isolamento das pessoas mais idosas”, disse Nuno Canta.

Agência de Notícias com Câmara do Montijo 
Leia outras notícias do dia em 

[ + ]

Lisboa e Setúbal mantêm preço do passe em 2020

Região bate recorde de venda de passes e não aumenta preços no próximo ano

Os preços dos passes Navegante vão manter-se iguais em 2020, no âmbito da estratégia de “promoção da utilização dos transportes públicos coletivos”, anunciou a Área Metropolitana de Lisboa. Apesar da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes ter decretado uma Taxa de Atualização Tarifária de 0,38 por cento, a Área Metropolitana de Lisboa decidiu que os preços dos passes Navegante não vão subir no próximo ano. No entanto, os bilhetes de bordo poderão subir já a partir de Janeiro.Venderam-se, nos distritos de Setúbal e Lisboa, 768 265 passes em Outubro, superando o máximo de Setembro. Realizaram-se 61,7 milhões de viagens.
Passes sem aumento em 2020 

A taxa pode, contudo, ser aplicada “nos limites legalmente definidos”, nas tarifas dos títulos de transporte ocasionais (bilhetes simples, de bordo, pré-comprados e unidades intermodais de transporte pré-pagas) e monomodais (tipo passe ou assinatura).
A medida, que se insere “na estratégia de promoção da utilização dos transportes públicos coletivos, preconizada para a Área Metropolitana de Lisboa”, foi tomada “após articulação com as autoridades de transportes e auscultação da Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Pesados de Passageiros”, é ainda referido.
Desde 1 de Abril que os utentes passaram a ter dois modelos de passes na Área Metropolitana de Lisboa, um dos quais é o Navegante Metropolitano, que permite a utilização “em todos os modos de transporte, todas as empresas de transportes em toda a Área Metropolitana de Lisboa” e que custa no máximo 40 euros mensais.
Foram também criados 18 passes Navegante Municipal – um para cada um dos 18 concelhos do distritos de Lisboa e Setúbal – que, por 30 euros, permitem ao utente utilizar todos os transportes públicos de um concelho, ficando com a denominação da área geográfica a que diz respeito, como Navegante Lisboa, Navegante Palmela ou Navegante Almada.
Existe ainda o Navegante Família – cujo preço máximo equivale a dois passes, ou seja 80 euros, e serve várias pessoas do mesmo agregado familiar. Este título começou a ser vendido no final de Julho para ser usado em Agosto.
Outras modalidades disponíveis são o Navegante 12, gratuito para a crianças até aos 12 anos, e o Navegante +65, destinado a maiores de 65 anos, reformados e pensionistas (20 euros).

Lisboa e Setúbal batem recorde de venda de passes em Outubro
Segundo uma nota divulgada pela Área Metropolitana de Lisboa, em Outubro foram transportados “mais de 61 milhões de passageiros”, tendo por base a validação do sistema de bilhética. No mês anterior, o número de viagens de utilizadores dos transportes públicos tinha sido de cerca de 53 milhões. “Comparando com o período homólogo de 2018, houve um aumento de 23 por cento das validações registadas”, lê-se no comunicado da Área Metropolitana de Lisboa.
Nas mais de 61 milhões de viagens realizadas em Outubro, 86 por cento dos passageiros utilizaram “títulos do tipo passe e apenas 14 por cento títulos ocasionais”.
Desde a implementação do novo sistema tarifário, entre Abril e Outubro de 2019, foram transportados mais 52 milhões e 400 mil passageiros face a igual período de 2018, o que corresponde a um aumento médio de 19,8 por cento”, de acordo com a Área Metropolitana de Lisboa.
Quanto ao número de passes vendidos, foi superior a 768 mil, “o que constituí um novo máximo desde a implementação do novo sistema tarifário, em Abril deste ano” (em Setembro tinham sido vendidos cerca de 723 mil passes), refere a Área Metropolitana de Lisboa. Comparando com o período homólogo de 2018, registou-se um aumento de 24,8 por cento.
Os novos passes Navegante representam 94 por cento dos passes vendidos na área metropolitana de Lisboa, correspondendo 60 por cento dessas vendas ao passe Navegante Metropolitano, seguido do Navegante Municipal com 17 por cento e do +65 com 14 por cento.
O passe Navegante Família, que entrou em vigor em Agosto, representa já três por cento das vendas do sistema, abrangendo mais de 5.700 agregados familiares e cerca de 22 mil pessoas.
Relativamente aos cartões Viva (necessários para o carregamento dos passes Navegante) produzidos, houve um aumento de 32 por cento em comparação com o período homólogo de 2018, tendo sido pedidos cerca de 62 mil.

Comboio com maior aumento de procura
Os passageiros desta região utilizam mais o autocarro para as deslocações – representam 48 por cento das viagens -, seguindo-se o metropolitano, com 30 por cento; o comboio, com 19 por cento, e o barco, com três por cento.
A Área Metropolitana de Lisboa, no entanto, assinala que o transporte ferroviário registou um aumento de procura de 39 por cento em Outubro deste ano face ao mesmo mês do ano passado. Só na Fertagus, o aumento de passageiros foi de 20 por cento. Na CP, também verifica-se maior procura dos utentes nas linhas suburbanos.
A Fertagus, contudo, foi a única empresa que reforçou a oferta, com o reforço dos comboios com oito carruagens, na hora de ponta, e o aumento das viagens entre Roma-Areeiro [Lisboa] e Setúbal.

[ + ]

Palmela requalificou escola na Quinta do Anjo

Investimento de 954 mil euros na EB António Matos Fortuna 


Concluída a obra de ampliação e requalificação, o município de Palmela inaugurou a Escola Básica António Matos Fortuna, numa cerimónia simbólica e calorosa que reuniu autarcas e representantes da comunidade educativa e local. Localizada em Quinta do Anjo, a Escola Básica António Matos Fortuna é, agora, "um equipamento escolar ainda mais adequado às mais diversas práticas educativas, com mais e melhores condições para prestar um serviço de qualidade às cerca de 380 crianças que frequentam a escola, com valências de pré-escolar e de 1.º ciclo", explicou a Câmara de Palmela em comunicado. 
Autarcas visitaram escola renovada 


Com um investimento de 954 mil 203 euros, a escola foi dotada de novas salas de aula do 1.º ciclo, uma sala multiusos para a educação pré-escolar (complementar às três salas de atividades), vestiários do pré-escolar, ginásio com balneários e arrumos, uma biblioteca ampliada, melhores espaços exteriores (dotados de mais áreas cobertas, um campo desportivo, um espaço de jogo e recreio para o pré-escolar, com equipamento próprio, e um para o 1.º ciclo), uma sala de professores e uma sala de coordenação, instalações sanitárias e sala com copa para pessoal docente e não docente, arrecadações, refeitório ampliado, cozinha requalificada e quadros interativos.
Para o Presidente da Câmara de Palmela, Álvaro Amaro, a concretização deste objetivo “só faz sentido se for ao encontro das necessidades técnicas que existem na área da educação, se permitir outras dinâmicas de aprendizagem e corresponder às expetativas da comunidade”.
Esperando que este equipamento seja potenciador de aprendizagem e felicidade, o autarca enalteceu ainda a "natureza participativa deste processo que contou, desde logo, com o envolvimento e 'papel determinante' da Associação de Pais e das próprias crianças, que deram o seu contributo por via do projeto 'Eu Participo'".
Para o município de Palmela, a educação "deve ser um processo partilhado com a comunidade, sendo esta, também, um recurso de aprendizagem". Nesta lógica de interação e partilha de recursos locais, Álvaro Amaro agradeceu ao Quintajense Futebol Clube, pela sua disponibilidade em estabelecer "um contrato de permuta de terrenos com a Câmara Municipal, possibilitando a ampliação do espaço escolar, assim como à Sociedade de Instrução Musical que engrandeceu este dia festivo com a atuação do Grupo de Guitarras".
Num dia tão especial para a Escola Básica António Matos Fortuna, as crianças também deram um forte contributo com apresentação de performances de música, dança e inglês.
A ampliação e requalificação da Escola Básica António Matos Fortuna foi um investimento do Município de Palmela, comparticipado pelo Feder, no âmbito do PORLisboa 2020 - Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial da Área Metropolitana de Lisboa. Prioridade de Investimento 10.5 – Investimentos na Educação.

Agência de Notícias com Câmara de Palmela 
Leia outras notícias do dia em 
[ + ]

Grândola inicia requalificação da Olaria de Melides

Autarquia investe 300 mil euros para transformar olaria em núcleo museológico

A Câmara de Grândola vai investir cerca de 306 mil euros na requalificação da Olaria de Melides e na construção de um edifico para realização de oficinas. A obra teve início esta semana e visa recuperar todo o edificado existente e adaptá-lo a núcleo museológico [olaria, forno e casa do oleiro], recorrendo a técnicas tradicionais. Os trabalhos incluem também a construção de um novo edifício para a realização de oficinas, enquadrado no conjunto arquitetónico existente. 
Antiga olaria vai ser museu em Melides 

"Esta importante intervenção será candidatada a fundos comunitários direcionados para o património cultural, tendo em conta a sua importância para a preservação e divulgação do património local e identitário, bem como, para consolidação e alargamento da oferta turística do território – com o forte envolvimento da comunidade", explica a Câmara de Grândola.  
A olaria é a última de um importante centro oleiro que existiu em Melides, cuja produção recua, pelo menos, ao século XVII. 
O município de Grândola adquiriu o imóvel com o "objetivo de o preservar, recuperar e valorizar para que o mesmo possa vir a desempenhar, condignamente, o papel de testemunho vivo das vivências de um grupo profissional e da cultura da comunidade local", sublinha a autarquia em comunicado. 
O edifício foi intervencionado por este município do litoral alentejano em 1994, à data procedeu-se ao arranjo do telhado da oficina e da chaminé do forno e à caiação interior e exterior de todo o imóvel, com vista a sua recuperação e preservação.
Esta olaria enquadra-se no âmbito da arquitetura rural e é constituída por uma oficina e um forno de tipologia romana. É uma construção em tijolo burro, circular e abobadado, sendo que as paredes que o envolvem formam um espaço quadrangular com cobertura em telha de canudo. 

Agência de Notícias com Câmara de Grândola 
Leia outras notícias do dia em 
[ + ]

GNR trava corrida ilegal com 150 viaturas em Setúbal

Quatro veículos apreendidos e um homem detido em corrida ilegal

A GNR apreendeu quatro veículos e deteve um homem por condução sem habilitação legal para conduzir, numa operação policial de fiscalização rodoviária com o intuito de prevenir a realização de corridas ilegais, no concelho de Setúbal. O evento ilegal junto ao estacionamento da praia Figueirinha, em Setúbal, contava com cerca de 150 veículos. No final de Outubro, a GNR tinha apreendido 19 carros no mesmo local, numa corrida ilegal que contaria com cerca de 300 viaturas. 
GNR volta a travar corridas ilegais na Figueirinha 

O Comando Territorial de Setúbal da GNR explica, em comunicado divulgado este domingo, que a acção ocorreu durante a madrugada, tendo como objectivo desocupar a via que estaria a ser ocupada ilegalmente, em ambos os sentidos, na Estrada Nacional (EN) 379-1, junto ao parque de estacionamento da praia Figueirinha, em Setúbal.
No decorrer da operação policial foi possível apurar, segundo a Guarda, que o evento contava com cerca de 150 veículos, decorria “sem qualquer licenciamento”, com espectadores e veículos a ocupar a via pública, provocando “graves constrangimentos” à fluidez de tráfego rodoviário.
No decorrer da operação foram fiscalizados diversos veículos automóveis e motociclos, tendo sido interceptados e fiscalizados 38 condutores.
Além de um condutor detido por condução sem habilitação legal para conduzir e dos quatro veículos que foram apreendidos, por alterações às características construtivas, sendo notificados os proprietários para serem submetidos a inspecção extraordinária, a GNR efectuou 37 autos de contra-ordenação por transformação de veículos e por existência de veículos com características não averbadas no Documento Único Automóvel.
Os militares da GNR elaboraram ainda um auto por introdução irregular no consumo, em virtude de um veículo possuir alterações às características construtivas, que alteram a cilindrada e a quantidade de CO2 emitido, resultando na alteração do valor de Imposto Único de Circulação devido para o veículo em causa.
No final de Outubro, a GNR tinha apreendido 19 carros numa corrida ilegal no mesmo local, um evento que contaria com cerca de 300 viaturas.
A ação envolveu meios significativos da GNR, com o reforço do Destacamento Territorial de Setúbal, do Destacamento de Intervenção de Setúbal, da estrutura de investigação criminal do Comando Territorial de Setúbal e com o Grupo de Intervenção de Ordem Pública da Unidade de Intervenção.
As corridas ilegais ocorrem um pouco por todo o país e a GNR garante que irá manter-se atenta. "A GNR procurará manter-se vigilante para que seja possível prevenir e reprimir eventos que, não só ponham em causa o direito de circulação dos cidadãos, como atentem contra a segurança rodoviária de todos quantos utilizam a via pública".

Agência de Notícias com Lusa 
Leia outras notícias do dia em 
[ + ]

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010