Pesquisar no ADN

A carregar...

Dá um Gosto ao ADN

Requalificação da EB de Paio Pires vai avançar

Câmara critica aplicação de fundos europeus na Educação

A Câmara do Seixal vai avançar com a requalificação da Escola Básica de Aldeia de Paio Pires e critica a aplicação dos fundos europeus na área da Educação, depois de ter ficado a saber que a candidatura efectuada apenas permitirá a comparticipação de 15 por centro do valor total da obra. O anúncio foi feito no final da semana passada. O presidente da Câmara do Seixal afirmou durante uma visita ao estabelecimento de ensino que o resultado da candidatura já chegou e que “a análise técnica por parte do Programa Operacional Regional de Lisboa” aponta apenas para um apoio de “cerca de 15 por cento da intervenção”, o que significa que a obra “de 2,1 milhões de euros” só será comparticipada em “cerca de 350 mil euros”. O autarca considerou que “o que é dito sobre a existência de fundos europeus para a Educação não é afinal uma realidade”, sublinha Joaquim Santos. 
Autarquia vai requalificar Escola de Paio Pires 

A Câmara do Seixal não concorda “que não existam fundos europeus para a construção de escolas novas, mas foi afirmado que haveria para requalificações. Afinal, os fundos existentes para esta matéria são mínimos, o que significa que na prática não há fundos europeus para as escolas. Ou melhor, há dinheiro dos fundos europeus. O que não existe são critérios para resolver os problemas da educação”, sublinhou o autarca.
Joaquim Santos revelou que a autarquia “vai propor no dia 16 de Março, no Conselho Metropolitano de Lisboa, que se discuta uma alteração do modelo de financiamento, que se incluam novas áreas e sejam revistos os critérios de programação dos fundos”. O objetivo é “que esta matéria seja discutida”, até porque, reforça o presidente, “é inaceitável o que está a acontecer”.
A Câmara Municipal do Seixal está a construir a nova EB1/JI de Santa Marta do Pinhal com um investimento de 2,1 milhões de euros, sem qualquer apoio de fundos europeus e vai avançar já em Abril com o concurso para a Escola Básica de Aldeia de Paio Pires, com um custo de 2,1 milhões de euros, e que só contará com a comparticipação de 350 mil euros.

Projeto contempla novo edifício
A Escola Básica de Aldeia de Paio Pires conta actualmente com nove turmas do 1.º ciclo e uma turma de jardim-de-infância, recebendo um total de 236 alunos. O projecto de requalificação passa por um novo edifício, com três salas de jardim-de-infância, refeitório, cozinha, biblioteca e polivalente. O actual edifício será também, de acordo com a autarquia, alvo de uma intervenção, com renovação de materiais, e comportará oito salas de aula.

Agência de Notícias 
[ + ]

Saneamento avança nas aldeias de Azeitão

Câmara leva saneamento às aldeias da Piedade, da Portela e de São Pedro

A rede de saneamento básico é alargada às aldeias da Piedade, da Portela e de São Pedro, em Azeitão, concelho de Setúbal, numa operação impulsionada pela autarquia que materializa um investimento superior a 750 mil euros com financiamento comunitário. A empreitada, em curso desde o final do ano, consiste na construção de um sistema de drenagem de águas residuais domésticas naquelas aldeias, infraestrutura que fica ligada à Estação Elevatória do Chão Duro e à Estação de Tratamento de Águas Residuais de Quinta do Conde.
Obra para levar saneamento às aldeias de Azeitão estão no terreno 

Os trabalhos, diz a Câmara de Setúbal, "incluem a construção de vários troços de coletores gravíticos de águas residuais e pluviais, em sistemas independentes, bem como a execução de câmaras de visita e de inspeção. Envolvem, ainda, a criação de estações elevatórias e de um descarregador de tempestade e a instalação de sumidouros".
A intervenção, liderada pela Câmara  de Setúbal, num investimento global de 758 mil 863 euros, é financiada em 85 por cento por fundos comunitários canalizados através do PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, no âmbito do Portugal 2020.
A operação Reformulação do Sistema de Tratamento de Águas Residuais Domésticas das Aldeias da Piedade, da Portela e de São Pedro, com conclusão até ao final de julho, é dinamizada ao abrigo do eixo prioritário “Proteger o ambiente e promover a eficiência dos recursos”.
Para a concretização desta ação foi celebrado, a 16 de fevereiro, um contrato tripartido entre a Câmara de Setúbal, a Águas de Lisboa e Vale do Tejo e a Águas do Sado, que viabiliza o tratamento das águas residuais daquelas aldeias de Azeitão na Estação de Tratamento de Águas Residuais de Quinta do Conde.
O acordo alcançado entre a autarquia, a Águas de Lisboa e Vale do Tejo e a Águas do Sado, atual concessionária do sistema de abastecimento de água e saneamento no concelho, destina-se ao estabelecimento, em curso, de uma ligação dos efluentes da bacia de Azeitão ao Sistema Multimunicipal de Lisboa e Vale do Tejo.
A medida, com vantagens ambientais, "permite que as águas residuais daquele território sejam redirecionadas para estação própria de tratamento, neste caso na Quinta do Conde, equipamento apto para receber os efluentes de Azeitão", explica a Câmara de Setúbal.

Fundos comunitários ajudam a desenvolver o concelho 

A concretização da construção do sistema de saneamento básico nas aldeias da Piedade, da Portela e de São Pedro resulta de mais uma candidatura apresentada pela Câmara de Setúbal a fundos comunitários canalizados através do PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.
Através do PO SEUR, a autarquia concretizou a reabilitação da Estação de Tratamento de Águas Residuais do Faralhão, a primeira obra no país a ser concluída no âmbito do daquele programa, neste caso um investimento global de 405 mil 439 euros financiado em 85 por cento.
Mais recentemente, igualmente com recurso a fundos comunitários, a Câmara Municipal viu aprovado um projeto hidráulico a concretizar no futuro Parque Urbano da Várzea, em Setúbal, para prevenção das cheias na cidade de Setúbal, um investimento de 3 milhões e 660 mil euros comparticipado igualmente a 85 por cento.
"Trata-se de uma obra estruturante para melhoria e reforço das condições de segurança da população que inclui a criação de novas passagens hidráulicas e de bacias de retenção de águas, assim como ações de desobstrução e regularização do troço final da Ribeira do Livramento", conclui a autarquia.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal

[ + ]

Autarcas do Montijo visitaram freguesia de Pegões

Câmara do Montijo garante investimentos em Pegões 

O presidente da Câmara do Montijo, Nuno Canta, os vereadores Francisco dos Santos e Maria Clara Silva estiveram, na semana passada,  na União das Freguesias de Pegões para uma visita à freguesia, acompanhada pelo presidente da junta, António Miguéns, e restante executivo. Os autarcas da câmara e da junta deslocaram-se à Sociedade Recreativa das Figueiras, onde ficou prometida a aquisição de novos tapetes para as aulas de judo; à empresa Port Floresta, que se dedica à produção de pinhões; às obras de calcetamento da Estrada Municipal 533 que permitem melhores condições de segurança e conforto aos moradores; e à Loja Solidária. Receberam, ainda, a Comissão de Festas de Pegões para aprofundar o apoio e a parceria para as próximas Festas de São João.
Autarcas visitaram freguesias de Pegões 

Entre os assuntos abordados durante a visita destaque para as obras de pavimentação na Rua de Lisboa e na Rua da Bela Vista, que vão iniciar-se já no próximo mês de Março. O presidente da junta da união das freguesias solicitou, igualmente, a pavimentação do prolongamento da Rua António Maria Eusébio, tendo o presidente da câmara assegurado que irá avaliar essa possibilidade numa próxima fase.
Outra solicitação da junta foi a regularização de calçadas no centro de Pegões para facilitar a mobilidade dos peões. Ficou acordado que a câmara irá adquirir os materiais necessários e a junta irá contratar a mão-de-obra para a execução desta obra durante este ano.
António Miguéns, presidente da Junta da União das Freguesias de Pegões, pediu também esclarecimentos sobre a construção do Centro Escolar de Pegões. O presidente da câmara clarificou que o Centro Escolar de Pegões, uma obra no valor de um milhão e 800 mil euros, "está já projetado, prevendo-se o início do procedimento administrativo para a sua construção até ao final do mandato autárquico".
Nuno Canta salientou que, enquanto presidente da câmara, assumiu como principal objetivo deste mandato a redução significativa do endividamento da autarquia, realçando que, neste momento, “a câmara tem um prazo de pagamento médio de seis dias e reduziu a dívida de médio e longo prazo em novr milhões de euros, para os seis milhões de euros. Com esta condição financeira, temos agora possibilidade de avançar para novos investimentos como o Centro Escolar de Pegões”.
Na reunião com os munícipes o presidente da câmara informou que a obra de beneficiação da Estrada Nacional 4 está em andamento, encontrando-se a decorrer os procedimentos administrativos para a sua execução.
Nuno Canta salientou que, "ao longo dos últimos dois anos, a câmara fez um trabalho de grande insistência e pressão junto do Governo e das Infraestruturas de Portugal para a execução desta obra de enorme importância para a câmara e para os habitantes de Pegões".

Agência de Notícias com Câmara do Montijo
[ + ]

As melhores festas de Carnaval do Distrito

Sesimbra, Alhos Vedros, Pinhal Novo, Montijo e Sines cumprem tradição de Carnaval 

Por terras e lugares do distrito de Setúbal, ultimam-se máscaras e carros alegóricos para saírem à rua em mais uma época carnavalesca feita de animação e sátira política. E, até porque é Carnaval, ninguém leva a mal e todos ficam em casa uns dias em brincadeiras, bailaricos e em corsos, mais ou menos, populares. Em Sesimbra, há o samba e o calor [se o tempo ajudar] do outro lado do Atlântico. E também haverá a maior concentração de palhaços do mundo. Esperam-se milhares de pessoas por lá. Ao sul, em Sines, o tempo é de grande folia e o Carnaval começa a ganhar fôlego, com a contagem decrescente para os três dias que prometem ser de arromba. No Pinhal Novo há corso na terça-feira gorda onde o popular se junta ao trapalhão e em Alhos Vedros, na Moita, comemora-se “A Velhinha no Parque de Diversões”, com mais um grande desfile nas ruas da vila. A celebração do Carnaval está de volta à cidade do Montijo, com desfiles e uma parada Até 28 de Fevereiro, vão ser cinco dias de muita animação, diversão e folia. A não perder!
Sines espera 30 mil pessoas no Carnaval 

Iluminação nocturna, miss matrafona e uma prova de vinho quente são novidades este ano no Carnaval em Sines. A animação será assegurada por cabeçudos, acrobatas, gigantones, carros alegóricos, foliões e grupos musicais
Entre “20 e 30 mil pessoas” são esperadas em Sines a partir de domingo para celebrar o Carnaval, que leva ao “sambódromo” da cidade alentejana mais de dois mil figurantes e 25 carros alegóricos e de foliões. “Se tivermos bom tempo, esperamos 20 a 30 mil pessoas” para assistir aos desfiles, disse hoje, 24, à agência Lusa Maria Alexandra Oliveira, presidente da Associação Siga a Festa, entidade que promove o Carnaval de Sines, em parceria com o município e a junta de freguesia.
“Cinema e televisão” foi o tema escolhido para inspirar os participantes na criação de carros e de máscaras que vão desfilar durante a 91.ª edição do Carnaval de Sines na avenida General Humberto Delgado, convertida em “sambódromo” durante três dias.
Ao todo, no desfile, que vai sair à rua no domingo, às 15h30, na segunda-feira, às 21 horas, e na terça-feira, às 15 horas, participam mais de “dois mil figurantes”, entre cabeçudos, acrobatas, gigantones e elementos de carros alegóricos, de grupos foliões e de grupos musicais, todos “de Sines”, fez questão de dizer a mesma responsável.
Uma das novidades deste ano é a “iluminação nocturna”, adiantou Maria Alexandra Oliveira, destacando o desfile nocturno agendado para a noite de segunda-feira, que termina com o lançamento de confetis e com um espectáculo piromusical.
“Há muita iluminação na rua e nos carros, o nosso desfile nocturno é muito conhecido, é o melhor Carnaval nocturno do País”, assegurou.
Para cativar os foliões a vestir-se “a rigor” para brincar ao Carnaval, este ano vai pela primeira vez ser promovida a “eleição da Miss Matrafona”, uma “personagem” que já fazia parte das festividades, mas que agora terá um concurso dedicado.
“O nosso Carnaval tem matrafonas, tem carros alegóricos, tem samba, tem um misto de tudo o que passou por todas as gerações desde que ele existe”, disse.
Outra novidade é a promoção de uma “prova de vinho quente” com o “Dom Folião”, uma marca de vinho própria da organização do Carnaval de Sines, que já tinha lançado um “pastel Folião”, criado por uma pastelaria local e que está à venda por metade do preço durante a celebração do Entrudo.
Concursos de máscaras, bailes carnavalescos todas as noites a partir de sábado, lançamento de foguetes, futebol trapalhão, desfile de foliões pela zona histórica ao som do grupo local Skabalá Tuka, animação nos bares locais, carrosséis e divertimentos para pequenos e graúdos prometem animar quem quiser juntar-se à festa para celebrar o Carnaval em Sines.
O programa do Carnaval de Sines termina oficialmente com o habitual “Enterro do Entrudo” no sábado seguinte, 4 de Março, às 22 horas, com concentração na praça Tomás Ribeiro, seguido do espectáculo piromusical, às zero horas, no largo Gago Coutinho.

Beleza, sensualidade e palhaços animam ruas de Sesimbra
Sensualidade e samba prometem desfilar nas ruas de Sesimbra 
Segunda-feira haverá a maior concentração de palhaços do país e uma das maiores a nível mundial. A autarquia espera que o número de participantes no desfile supere o do ano passado. O acesso aos desfiles carnavalescos de Sesimbra têm livre acesso.
A concentração de 3500 palhaços é uma das muitas atrações do Carnaval de Sesimbra deste ano, em que a câmara espera dezenas de milhares de visitantes, disse à Lusa a vice-presidente do município, Felícia Costa. "Na segunda-feira vamos ter a maior concentração de palhaços a nível nacional e não sei mesmo se não será das maiores a nível mundial", disse a autarca, salientando que se trata da maior concentração de palhaços de sempre em Sesimbra, superior ao número de participantes que marcaram presença no desfile do ano passado.
Além do desfile das escolas de samba e grupos de axé, no domingo e na terça-feira, o programa do Carnaval de Sesimbra inclui também as tradicionais cegadas, o baile trapalhão nas coletividades do concelho, concursos de máscaras e toda a animação proporcionada por milhares de foliões. Segundo Felícia Costa, "a Câmara de Sesimbra conta também com o apoio das escolas públicas do concelho, estando previsto para hoje à tarde o desfile das escolas das freguesias de Santiago e do Castelo".
Felícia Costa lembrou que há "cerca de cinco mil pessoas, incluindo os alunos das escolas públicas, a trabalharem desde há alguns meses para o êxito do Carnaval de Sesimbra", que considera ser "um dos principais cartões de visita" da vila, a par da festa de passagem do ano, da qualidade das praias e da gastronomia local. 
Felícia Costa salientou ainda que os desfiles do Carnaval de Sesimbra "são de livre acesso, ao contrário do que acontece noutras localidades do país, que têm entradas pagas".
"Depois de tanto trabalho, a expectativa é sempre enorme. Temos uma grande vontade de mostrar trabalho e vai haver surpresas", diz Ricardo Alves, presidente e compositor da escola de samba Bota no Rego. Este ano, o enredo do desfile tem o nome ‘O meu reino por um beijo’. "Vamos contar a história do beijo e a sua influência nas várias civilizações ao longo da História", disse. 
A câmara apoia este ano com uma verba de 100 mil euros. "Reforçámos ligeiramente o investimento. Além das escolas de samba temos o desfile de palhaços, temos a tradição das cegadas e o desfile trapalhão na Quinta do Conde", disse Felícia Costa.

“A Velhinha no Parque de Diversões” de Alhos Vedros 
Alhos Vedros promete muita animação nestes dias 

O concelho da Moita veste-se de cor e animação entre os dias 24 e 28 de fevereiro, para receber o Carnaval, acolhendo um conjunto de iniciativas para foliões de todas as idades.
Os mais pequeninos abriram as portas ao Carnaval que tem o ponto alto em Alhos Vedros, no domingo e na terça-feira gorda.
A 26 e 28 de fevereiro, a partir das 15 horas, sai à rua o Corso de Carnaval de Alhos Vedros, este ano com o tema “A Velhinha no Parque de Diversões”. Quatro carros alegóricos, acompanhados por cerca de 450 foliões, vão encher as principais ruas da vila de Alhos Vedros de cor, alegria e fantasia. Passe por lá e deixe-se contagiar pela animação própria do Carnaval. A entrada é gratuita.
Também as bibliotecas municipais acolhem iniciativas especialmente dedicadas ao Carnaval. Na Biblioteca Municipal da Baixa da Banheira, a Câmara Municipal convida para uma “Hora e Meia de Diversão”, no dia 25 de fevereiro, a partir das 15h30, com uma Oficina Circense. Muita magia e alegria, com vários exercícios circenses, como cambalhotas, pinos, rodas, pontes e muitos malabarismos com bolas, lenços, fitas e muito mais é o que se propõe nesta tarde para crianças e jovens entre os 6 e os 12 anos. As inscrições, gratuitas, devem ser efetuadas através do T: 210888902 (limitadas a 20 participantes).

O Carnaval trapalhão do Pinhal Novo na rua na terça-feira 
O Carnaval do Pinhal Novo é dos mais divertidos no distrito 
Em Pinhal Novo, no concelho de Palmela, o Grupo Carnavalesco Amigos de Baco promove o já tradicional Corso Carnavalesco, que desfilará pelas ruas da vila no dia 28 de Fevereiro, a partir das 15h30. O desfile contará com a participação do movimento associativo da freguesia,  contando com a participação de várias centenas de figurantes.O Carnaval caramelo, em Pinhal Novo, é assim: uma festa imensamente popular. Não é de vedetas brasileiras nem tem estrelas das academias nem sequer actores como bombos da festa. No Pinhal Novo não há nem reis nem rainhas e os apoios são escassos para tamanha divulgação da vila, mas há sempre uma grande festa. É o que garante os Amigos de Baco que organizam um desfile na terça-feira. E ainda há tempo para que na quarta-feira de cinzas se cumpra, como sempre, o enterro do bacalhau que na vila de Pinhal Novo se chama simplesmente José Maria, uma homenagem a um dos fundadores da vila.
O cortejo mantém o percurso habitual: Avenida da Liberdade, Rua António Santos Jorge, Avenida Alexandre Herculano, Jardim José Maria dos Santos e regressam de onde partiram, aos Bombeiros.
Os dias de folia em Pinhal Novo que são vividos com a intensidade que os Amigos de Baco entendem e desde de 1992 (então um grupo de amigos da Tasca do Xico) organizam os desfiles e na quarta-feira de cinzas matam o bacalhau – que em Pinhal Novo se chama José Maria – lá para as tantas da noite no coração verde da vila: o Largo José Maria dos Santos. Há enterro, ladainha, uma viúva a chorar a triste perda e, claro, um testamento que promete este ano distribuir muita “merda” e outras coisas parecidas aos ilustres da terra... no final ninguém levará a mal... enquanto o José Maria Bacalhau arde em lume brando.
No âmbito do Programa de Animação infantil do Livro e da Leitura, a Câmara de Palmela, promove, entre as 15h30 e as 17h30 do dia 25 de Fevereiro, na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo, um workshop com animação, dinamizado pela equipa da Rede Municipal de Bibliotecas.
Na vila de Palmela, destaque para os festejos de Carnaval promovidos pelas duas filarmónicas centenárias. Na Sociedade Filarmónica Palmelense “Loureiros”, nos dias 25 e 27 de Fevereiro, pelas 22h30, há baile com Banda Jovisom, desfile de mascarados e animação carnavalesca, e no dia 26, pelas 16h30, há matinée.
  
Carnaval regressa ao Montijo em força                                       
Carnaval regressa décadas depois ao Montijo
A celebração do Carnaval está de volta à cidade do Montijo. Até 28 de Fevereiro, vão ser cinco dias de muita animação, diversão e folia. A não perder!
O grande destaque são, naturalmente, os Corsos Carnavalescos que vão sair à rua nos dias 26 e 28 de Fevereiro, 15 horas, num percurso desde a Frente Ribeirinha, passando pela Praça da República, até à Avenida dos Pescadores. Vão contar com a participação de cerca de mil figurantes e sete carros alegóricos carregados de sátira à política local e nacional. A entrada é livre.
Hoje, na Praça da República não pode perder a Parada da Alegria, um espetáculo de dança e artes com a presença de Dandy Lisbon!
Para além de Dandy Lisbon, vão subir ao palco o Grupo de Capoeira da Banda Democrática 2 de Janeiro, o Grupo d’ “Os Unidos”, os Mad G Wine Crew e os United Dance Crew. O samba irá, também, marcar presença com grupos da Sociedade Filarmónica 1.º de Dezembro, do Estúdio Zumba Areias e da Dance Fusion.
Carnaval não seria Carnaval sem os tradicionais bailes na sede dos Unidos, na Sociedade Filarmónica 1.º de Dezembro, no Musical Club Alfredo Keil e na Banda Democrática 2 de Janeiro, numa organização da Associação A Quadrada.
A organização do Carnaval do Montijo 2017 é da Banda Democrática 2 de Janeiro, Sociedade Filarmónica 1.º de Dezembro, Motoclube do Montijo, Clube Desportivo Cultural e Recreativo “Os Unidos”, Associação “A Quadrada” e Grupo de Amigos “Os Comilões”, com o apoio da Câmara Municipal do Montijo e da Junta da União das Freguesias de Montijo e Afonsoeiro.

Agência de Notícias

[ + ]

Judiciária prende burlona das viagens no Montijo

Furtou 200 mil euros a clientes que lhe compravam pacotes de férias

A Polícia Judiciária (PJ) de Setúbal prendeu uma antiga gerente de uma agência de viagens do Montijo, suspeita de se apropriar de mais de 200 mil euros de clientes aliciados a investir em pacotes de férias que, em alguns casos, nunca puderam usufruir. De acordo com um comunicado da PJ, emitido esta quinta-feira, os crimes terão ocorrido em 2016. A suspeita ter-se-á apropriado "inteiramente dos valores entregues por alguns dos clientes, enquanto outros se viram confrontados, chegados aos locais de destino, com faltas de reservas de alojamento e voos de regresso não liquidados, vendo-se obrigados a suportar os inerentes custos".
Crimes terão ocorrido no verão do ano passado no Montijo 

A Polícia Judiciária de Setúbal deteve uma mulher de 33 anos por alegadamente ter burlado centenas de pessoas em 200 mil euros, a partir de uma agência de viagens no Montijo.
A proprietária da agência de viagens Pacote Glamour Viagens e Turismo, Paula Oliveira, "apropriou-se inteiramente dos valores entregues por alguns dos clientes, enquanto outros se viram confrontados, chegados aos locais de destino, com faltas de reservas de alojamento e voos de regresso não liquidados, vendo-se obrigados a suportar os inerentes custos", informa a PJ.
Os lesados, em agosto passado, reuniram-se nas imediações da loja situada perto do Fórum Montijo a reclamar a devolução do seu dinheiro, mas nada conseguiram. A agência de viagens encerrou e Paula Oliveira desapareceu.
A detenção agora anunciada pela PJ surge seis meses depois de o Turismo de Portugal ter emitido um ofício a alertar "todos os consumidores que recorreram aos serviços da agência Pacote Glamour Viagens e Turismo Lda., designadamente os inerentes a alojamento e viagens, que estabeleçam um contacto prévio com os respetivos fornecedores dos serviços no sentido de aferirem se as suas reservas, e respetivas condições, se encontram asseguradas", afirma a PJ.
A mulher foi presente às autoridades judiciárias, para aplicação das medidas de coação processuais tidas por adequadas.

Agência de Notícias
[ + ]

Alcochete com evolução financeira positiva no mandato

"A Câmara saiu de uma situação de desequilíbrio"

O executivo municipal de Alcochete avalia de forma positiva a evolução financeira que o município de obteve no triénio 2014-2016, com base nas medidas adotadas e que constavam no plano de saneamento financeiro, aprovado pela autarquia em 2014, que ficou no entanto sem efeito, por força da recusa do visto do Tribunal de Contas. O documento de natureza técnica que permitiu avaliar as medidas e o alcance dessas medidas foi aprovado, por maioria comunista, com a abstenção dos vereadores do PS e do CDS-PP, na última reunião de câmara. Para o presidente da Câmara este é um relatório técnico que evidencia de "forma clara, transparente e sem opacidades a situação positiva que foi seguida pelo executivo ao longo dos últimos dois anos", diz Luís Miguel Franco. 
Executivo municipal feliz pelos resultados positivos das contas 

De acordo com o autarca, “da leitura deste documento podemos perceber que as evidências, que fomos tendo no decurso do ano económico e orçamental transato de que a situação financeira da câmara  de Alcochete estava a evoluir de forma muito positiva, estão agora materializadas neste documento”, referiu Luís Miguel Franco, que acrescentou que está claramente demonstrado que “a Câmara  de Alcochete saiu de uma situação de desequilíbrio e que [nessa altura] por estar em desequilíbrio recorreu voluntariamente ao plano de saneamento financeiro”.
O documento técnico refere que comparados os objetivos com os resultados verifica-se que o excedente de execução da receita, sem que esta tenha sido resultado da aplicação da medida constante do plano referente à alienação de património, no montante de 2,9 milhões de euros, bem como a contenção na despesa foi integramente canalizado para a redução da dívida, cujo montante (excluindo o Fundo de Apoio Municipal) ao se situar em 7,730 milhões de euros representa um nível 35 por cento inferior ao previsto no Fundo de Apoio Municipal e menos 57 por cento do que o valor registado em 2014.
“Sem alienar património a situação do município de Alcochete é hoje enormemente e positiva, mas que não dispensa cuidados, medidas cautelares de racionalidade no que diz respeito a investimentos a realizar, medidas de racionalidade também do ponto de vista do controlo financeiro e dos compromissos financeiros que serão assumidos, mas a situação da Câmara Municipal de Alcochete é uma situação altamente positiva”, sublinhou o autarca.

Autarquia conseguiu reduzir a dívida 
Com o plano de saneamento financeiro pretendia o município encetar um processo de redução da dívida de modo sustentado e mesmo com a recusa de visto pelo Tribunal de Contas o município conseguiu a redução da dívida.
“O que este relatório também evidencia é uma capacidade bruta de endividamento de mais de 11 milhões de euros, sendo que 2,2 milhões de euros podem ser assumidos durante o ano de 2017, sendo os remanescentes utilizáveis em função das oportunidades e das medidas políticas que vierem a ser adotadas e também evidencia a bondade das opções que tomamos ao nível dos investimentos”, concluiu Luís Miguel Franco.
O executivo municipal aprovou ainda, por unanimidade, a primeira alteração ao mapa de pessoal que sustenta o perfil de competências, a caraterização e atribuição de todos os postos de trabalho afetos ao município.

Agência de Notícias com Câmara de Alcochete 
[ + ]

Setúbal apresenta soluções para Quinta da Amizade

Câmara quer corrigir problemas urbanísticos com os moradores 

Soluções urbanísticas a implementar no loteamento inacabado da Quinta da Amizade, entre as quais a criação de um parque verde, foram apresentadas pela Câmara de Setúbal a moradores, em reunião do Ouvir a População, Construir o Futuro. "Trata-se de uma área habitacional na freguesia de Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra, projetada há mais de uma década e na qual existem vários lotes urbanizáveis inacabados, com terrenos baldios, imóveis incompletos e, sobretudo, infraestruturas do domínio público não concretizadas pelos loteadores", explica a autarquia em comunicado. A Câmara de Setúbal prevê concluir as infraestruturas urbanísticas dos restantes arruamentos da Quinta da Amizade e avançar para uma intervenção paisagística numa área de terreno com mais de três hectares para criação de um amplo parque verde. 

Autarquia explicou a moradores alguns projetos para a área 

Este é o contexto do encontro que levou a presidente da Câmara de Setúbal, Maria das Dores Meira, técnicos municipais e o presidente da Junta de Freguesia de Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra, José Belchior, a reunir, na sede da junta, com moradores da Quinta da Amizade para apresentação de soluções a implementar naquele território.
“Estamos aqui a dar a cara por aquilo que são as nossas responsabilidades e, também, por outras que não as são”, sublinhou Maria das Dores Meira sobre a situação urbanística da Quinta da Amizade, que começa agora a ser solucionada com um conjunto de intervenções asseguradas pela autarquia.
São operações prioritárias ao nível das áreas de circulação pedonal, nas quais se incluem a criação, conclusão e reparação de passeios e lancis, mas também rodoviárias, neste caso através de asfaltamentos betuminosos. Há também a necessidade de colocação de sinalização, vertical e horizontal.
Mais complexa é a situação dos loteamentos abandonados, muitos ainda por começar e que se transformaram em terrenos baldios invadidos por vegetação descaracterizada, alguns inacabados e outros ainda em início de construção. Tudo isto em contraste com loteamentos terminados e habitados.
A autarca explicou que “agora, finalmente, a Câmara  de Setúbal conseguiu assumir, do ponto de vista jurídico, a Quinta da Amizade”, com o desencadeamento de vários processos que permitem, paulatinamente, a ativação de garantias bancárias de obra para a execução de várias ações e, noutros casos, para conclusão.

As obras em curso 

O presidente da Junta de Freguesia de Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra, José Belchior, destacou que a Junta e a Câmara têm dado “o máximo para que as situações da Quinta da Amizade sejam solucionadas em breve”. Acrescentou que “desde há cerca de duas semanas que já há obras a decorrer no terreno”.
Sobre as intervenções em curso, a diretora do Departamento de Obras Municipais da Câmara de Setúbal, Lénia Guerreiro, adiantou que uma das intervenções em curso diz respeito à colocação de sinalização em vários arruamentos definidos como prioritários de acordo com as necessidades colocadas pelos munícipes.
“Foram acionadas garantias bancárias para concluir aquilo que o loteador não conseguiu fazer, compromisso que foi iniciado pela sinalização”, uma empreitada no valor de 25 mil euros, explicou a técnica municipal, que acrescentou que faltam ainda passadeiras e sinais de peões, executados após os trabalhos de asfaltamento.
Em curso estão trabalhos de pavimentação na Estrada de Algeruz e na Rua Manuel Gonçalves Branco a que se seguem outros, à medida que os processos administrativos fiquem concluídos, em locais daquela zona habitacional, como a Avenida Quinta da Amizade e a Rua das Laranjeiras.
Nestes casos, além das operações de asfaltamento, os trabalhos, orçados em cerca de 150 mil euros, incidem na implementação de outras medidas urbanísticas, como pavimentação de bolsas de estacionamento, execução de passeios e rebaixamento de lancis nas zonas destinadas ao atravessamento pedonal.

Parque Verde da Quinta da Amizade ganha forma 
Moradores quiseram ouvir as ideias da autarquia 
Em fases posteriores, a Câmara de Setúbal prevê concluir as infraestruturas urbanísticas dos restantes arruamentos da Quinta da Amizade e avançar para uma intervenção paisagística numa área de terreno com mais de três hectares para criação de um amplo parque verde.
A proposta de criação do Parque Verde da Quinta da Amizade na área de cedência daquele loteamento foi apresentada pelo chefe do Gabinete de Gestão, Requalificação e Imagem Urbana da Câmara de Setúbal, Nuno Viterbo, com os moradores a conhecerem várias possibilidades de ocupação do espaço.
Para a área de 32 mil  metros quadrados, de acordo com o previsto no projeto original, foi programada a criação de um amplo parque verde, ação nunca executada. Agora, a equipa da autarquia atualizou o projeto tendo em conta as necessidades da população no que respeita à vivência e usufruto urbano.
A proposta apresentada para aquele espaço inclui a criação, num perímetro com cerca de 500 metros, de circuitos pedonais com equipamento geriátricos para a prática informal de desporto ao ar livre, assim como a execução de vários atravessamentos pedonais com pequenas pontes nas linhas de água existentes.
Está também projetada a definição de zonas para a prática de jogos informais, a par da construção de um quiosque com sanitários e um parque infantil, infraestruturas que na proposta apresentada ficam localizadas na zona mais central daquele que será o futuro Parque Verde da Quinta da Amizade.
O equipamento contempla também a criação de áreas de estadia com mobiliário urbano e zonas de laranjais que evocam a memória de uma ocupação antiga, assim como um espaço “cães sem trela”, vedado e com horário de utilização, e um campo de jogos polidesportivo.
A proposta para o Parque Verde da Quinta da Amizade apresentada aos moradores pela autarquia teve como base o projeto original e foi atualizada “de forma a corrigir alguns erros detetados”, esclareceu Nuno Viterbo. Contudo, frisou, o estudo está aberto a melhorias de acordo com as necessidades da população.
Depois de anos de impasse, há soluções à vista para a Quinta da Amizade.“Só avançámos depois da certeza de que podíamos acionar as garantias bancárias. Era impossível adiantar tamanho investimento sem a segurança de sermos ressarcidos de obras que não eram da nossa responsabilidade”, vincou Maria das Dores Meira.
Um grupo de trabalho constituído por moradores resultou da reunião de dia 21, de forma a desenvolver, em parceria estreita com a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia de Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra, questões relacionadas com a urbanidade da Quinta da Amizade.
Neste sentido, a presidente da Câmara de Setúbal, que assumiu diretamente as questões relacionadas com aquele território, visita o local com moradores já no próximo sábado, às 16 horas, para identificação de mais necessidades e dar seguimento a ações de melhoria da qualidade de vida da população.
O encontro de dia 21 concluiu um ciclo recente de reuniões do Ouvir a População, Construir o Futuro, depois de sessões destinadas a moradores da Azinhaga dos Espanhóis e Vale Cerejeiras, a 6, dos bairros dos Pescadores e Grito do Povo, a 10, da Colina de S. Francisco, a 13, da Praceta Manuel Nunes de Almeida, a 15, e da Quinta do Paraíso, a 20.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 
[ + ]

Tribunal do Trabalho pode regressar a Sines

Governo mostra disponibilidade para instalar tribunal na cidade 

A secretária de Estado Adjunta e da Justiça, Helena Mesquita Ribeiro, manifestou a abertura do governo para que Sines volte a ter um juízo dedicado às questões do trabalho. A posição da governante foi expressa durante uma visita às instalações do Tribunal de Sines, que voltou a funcionar no início deste ano como juízo de proximidade. Os juízos de proximidade prestam informações sobre processos, recebem documentos, operacionalizam diligências de audição e asseguram a realização de algumas audiências de julgamento para crimes menos graves. 

Secretaria de Estado Adjunta e da Justiça esteve em Sines  

O presidente da Câmara de Sines, Nuno Mascarenhas, defende que, depois da reabertura do Tribunal de Sines como juízo de proximidade, Sines volte a ter também um juízo dedicado especificamente ao trabalho, como teve nos primeiros anos de funcionamento, antes de ser encerrado pelo anterior governo, em 2014.
"O juízo de proximidade foi o primeiro passo, mas o nosso objetivo é ter mais valências, seguramente o trabalho. O governo, tal como cumpriu a promessa de reabrir o tribunal em Sines, certamente que fará todos os esforços para que isso seja uma realidade no futuro", disse Nuno Mascarenhas.
É esta a reivindicação da autarquia e a secretária de Estado garantiu que a questão vai ser avaliada.
"O maior nível de litigiosidade neste concelho situa-se ao nível laboral. Tem todo o sentido que a experiência que já tinha sido iniciada pelo ministro Alberto Costa, que criou aqui um juízo misto laboral e de família, seja repensada. Vamos repensar a possibilidade de vir a instalar aqui no futuro um juízo do trabalho", disse Helena Mesquita Ribeiro.
A secretária de Estado Adjunta e da Justiça visitou o Tribunal de Sines no âmbito de um programa de visitas que o Ministério da Justiça está a promover a todos os tribunais reabertos, para aferir no terreno as suas condições de funcionamento.
A Câmara  de Sines colabora com a reabertura do tribunal através da cedência de uma trabalhadora do seu mapa de pessoal que, em conjunto com o oficial de justiça, apoia o atendimento ao público e o funcionamento do juízo.

Agência de Notícias com Câmara de Sines
[ + ]

Moita apresenta projetos para valorizar património

Imagens da Memória e património marítimo do concelho são apostas da autarquia  

A Câmara da Moita acaba de lançar o projeto “Imagens da Memória”, através da criação de um espaço na internet para partilha de histórias e memórias, na rede social Facebook. O grupo “Imagens da Memória” pretende ir "ao encontro da história e da memória, de um património coletivo que proporcione a partilha de imagens e de memórias comuns, valorizando o encontro e o diálogo", explica a autarquia. Ainda na área do património, a  Câmara da Moita aprovou, recentemente, a candidatura de Ana Rita Ribeiro Correia, “Percursos Sonoros”, à segunda edição do Programa Municipal do Moita Património 2016, com o tema “O Património Flúvio-Marítimo do Concelho da Moita”. O prazo para executar e finalizar o projeto é de seis meses, seguindo-se a sua edição em Setembro de 2017. 
Câmara convida munícipes a cederem fotos em nome da memória 

A iniciativa, lembra a autarquia, tem como objetivo principal, "contribuir para o estudo e divulgação do património e história locais, valorizando, preservando e difundindo a história e a identidade do concelho da Moita". 
Podem candidatar-se a este programa, investigadores e autores a residir em Portugal, com mais de 18 anos, bem como associações, instituições particulares de solidariedade social, entidades e estruturas profissionais na área da cultura e do ensino que apresentem trabalhos inéditos, no âmbito do Património do Município da Moita, com interesse para a divulgação aos munícipes e que projetem o município. 
A Câmara Municipal da Moita definiu a verba de 10 mil euros para este programa bienal, destinados à edição de trabalhos, em diversos formatos.

Câmara  cria espaço na Internet para partilha de “Imagens da Memória”
Ainda na área do património, a Câmara Municipal da Moita acaba de lançar o projeto “Imagens da Memória”, através da criação de um espaço na internet para partilha de histórias e memórias, na rede social Facebook
O grupo “Imagens da Memória” pretende ir "ao encontro da história e da memória, de um património coletivo que proporcione a partilha de imagens e de memórias comuns, valorizando o encontro e o diálogo", explica a Câmara da Moita, em comunicado.
"A criação e dinamização deste grupo surge na sequência de um trabalho realizado pela Câmara da Moita sobre a história da Indústria do Vestuário no concelho que será apresentado ao público a 18 de Março", refere a autarquia que apela à população para se juntar "a esta plataforma e divulgue as suas fotografias dos tempos de trabalho na indústria de confeções de vestuário, acrescentando legendas e experiências". 
"As histórias e as memórias permitem-nos descobrir as raízes de modos de ser e de sentir, perceber os traços distintivos que enformam as identidades locais, deixando também expandir o horizonte, olhar mais além de que o olhar, sem perdermos as referências dos valores que sempre orientaram esta terra e as suas gentes. Imagens da Memória pretende isso mesmo, ir ao encontro da nossa história e da nossa memória, de um património coletivo que queremos celebrar através da criação de uma plataforma digital que proporcione a partilha de imagens e de memórias comuns, valorizando o encontro e o diálogo", lê-se na apresentação do grupo. 
Para alguma informação ou sugestão, contacte-nos através do endereço div.cultura.desporto@mail.cm-moita.pt ou por telefone 21 081 70 40.

Agência de Notícias com Câmara da Moita


[ + ]

PJ de Setúbal deteve jovem sequestrador de Grândola

Filho do homem que sequestrou ex-companheira aguarda julgamento em liberdade

O filho de Paulo Roque, o homem que sequestrou Anabela Lopes, em Grândola, saiu em liberdade depois de ter sido detido pela Polícia Judiciária de Setúbal, esta quarta-feira. O jovem de 18 anos, que vai aguardar julgamento em casa, ficou sujeito a apresentações semanais às autoridades e está impedido de contactar com o pai e a vítima. Durante a investigação, a PJ apurou que o jovem, de 18 anos, terá tido um papel crucial no sequestro da mulher, praticado no início deste ano, em Grândola. O jovem terá planeado tudo com o pai e esteve presente no momento em que o sequestrador abalroou o carro da vítima.  O jovem "terá apoiado o seu progenitor, ex-companheiro da vítima, até que este foi detido em flagrante delito, quando a tentava asfixiar, após vários dias de privação da liberdade, acompanhada das práticas repetidas, dos crimes de violação e de ofensas à integridade física", sublinha a Polícia Judiciária de Setúbal, em comunicado. 
Mulher foi encontrada pela PJ em Azinheira dos Barros, em Janeiro

O filho do homem que sequestrou e tentou asfixiar a ex-companheira no passado mês de Janeiro, em Grândola, foi detido pela Polícia Judiciária de Setúbal, por suspeita de ter ajudado o pai a consumar o crime de sequestro.
Segundo revelou à agência Lusa o director da Polícia Judiciária de Setúbal, Vítor Paiva, o jovem, de 18 anos, terá atravessado um reboque à frente da viatura onde seguia a vítima, ajudando o pai a concretizar o crime de sequestro da ex-companheira, residente em Azinheira de Barros, no concelho de Grândola.
Vítor Paiva disse ainda que, além da prática deste crime, o jovem detido terá também participado no furto de uma viatura, que depois foi utilizada pelo pai durante vários dias, no período em manteve a ex-companheira sob sequestro e a sujeitou a vários crimes de violação e ofensas à integridade física.
“A prática deste crime vai muito além da protecção que a lei confere aos familiares dos arguidos. Neste caso, houve um acção concertada do jovem com o pai, para a prática de diversos crimes”, acrescentou o responsável da PJ de Setúbal, convicto de que o jovem teria continuado a ajudar o progenitor se não tivesse ocorrido a intervenção policial que permitiu resgatar a vítima.
Vítor Paiva justificou a demora na detenção do jovem com o trabalho de investigação que foi necessário desenvolver, posteriormente, e lembrou que na altura em que correu a detenção do principal arguido no processo, a “prioridade era resgatar a vítima com vida”.
O jovem detido, suspeito dos crimes de furto e de sequestro, vai aguardar julgamento, ficou sujeito a apresentações semanais às autoridades e está impedido de contactar com o pai e a vítima.
O pai do jovem, que está acusado dos crimes de tentativa de homicídio qualificado, sequestro agravado e violência doméstica, está a aguardar julgamento em prisão preventiva.

Agência de Notícias com Lusa
[ + ]

Aeroporto do Montijo pode ficar dependente da Ryanair

Sucesso do aeroporto depende da mobilização das companhias 

A viabilidade do aeroporto complementar do Montijo requer a mobilização das companhias aéreas low cost (de baixo custo), segundo o estudo da Roland Berger, que alerta para a necessidade de evitar a dependência excessiva de uma transportadora, mas até agora apenas a Ryanair se mostrou disponível para transferir para lá a sua operação, já que a easyJet - terceira companhia no aeroporto de Lisboa - aproxima-se do posicionamento das companhias de bandeira, “estando presente maioritariamente em aeroportos principais e, ocasionalmente, com terminais exclusivos”. A transportadora irlandesa criticou ainda que o Governo "demore quatro anos até colocar a base do Montijo como aeroporto complementar de Lisboa, referindo ser possível que as operações tivessem início no verão de 2018", diz Michael O'Leary, presidente da Ryanair. 
Até agora só a Ryanair mostra interesse em aterrar no Montijo 

No estudo encomendado pela Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) sobre a validação de cenários de evolução da procura de tráfego e desenvolvimento da capacidade da infraestrutura aeroportuária de Lisboa, a consultora alemã identifica a Ryanair como a companhia aérea de referência em aeroportos secundários de cidades europeias, como em Bérgamo (Milão), Beauvais (Paris) e Charleroi (Bruxelas). 
Até agora, a Ryanair foi a única companhia aérea que se mostrou disponível para transferir a operação para o Montijo, através do presidente, Michael O'Leary, que defendeu por várias vezes um aeroporto complementar naquela localização, criticando as limitações ao crescimento da companhia irlandesa no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.
A Ryanair tornou-se em 2015 a segunda maior companhia em Lisboa - depois da TAP -, apenas dois anos depois de ter começado a voar para a Portela.
O estudo da Roland Berger alerta para a necessidade de “evitar uma dependência excessiva”, considerando imperativo “assegurar as condições para que as low cost estejam disponíveis para transferir a sua operação para o Montijo”.
Nos casos analisados, “a Ryanair é a companhia aérea de referência como motor de desenvolvimento de aeroportos secundários”, diz a consultora, que testou o impacto de diferentes níveis de adesão das companhias de baixo custo ao aeroporto complementar do Montijo.
No terceiro cenário analisado, em que apenas a Ryanair se transfere para o Montijo, existe “o risco de reduzida rentabilidade e dependência” da companhia irlandesa.
Além disso, a solução Portela + 1 seria viável por apenas mais 15 anos, enquanto nos outros cenários - transferência de todas as low cost ou transferência de parte da operação da easyJet com a da Ryanair - a solução seria viável por 30 anos, podendo ir além do período da concessão.

Easyjet "recusa" aterrar no Montijo 
Mas a easyJet - terceira companhia no aeroporto de Lisboa - aproxima-se do posicionamento das companhias de bandeira, “estando presente maioritariamente em aeroportos principais e, ocasionalmente, com terminais exclusivos”.
Aliás, por várias vezes, o porta-voz da companhia em Portugal, José Lopes, se mostrou avesso à hipótese de sair do aeroporto de Lisboa, referindo que “a easyJet sempre deu preferência aos aeroportos principais”, rejeitando uma transferência para o Montijo.
Conforme o Ministério do Planeamento e das Infraestruturas adiantou à Lusa “o aeroporto complementar do Montijo vai estar vocacionado principalmente para as low cost e para serviços de médio custo”, que terão como atrativo taxas aeroportuárias mais baixas na margem sul, enquanto se espera que no Aeroporto Humberto Delgado estas mantenham a curva ascendente dos últimos anos.

Ryanair diz que aeroporto do Montijo poderia operar no verão de 2018

A Ryanair criticou esta quarta-feira que o Governo demore quatro anos até colocar a base do Montijo como aeroporto complementar de Lisboa, referindo ser possível que as operações tivessem início no verão de 2018.
Em conferência de imprensa para apresentar o 'calendário inverno 2017' em Lisboa, o presidente executivo da companhia irlandesa de baixo custo, Michael O'Leary, questionou as razões pelas quais os estudos se vão arrastar "por quatro anos".
O dirigente referiu que irá "encorajar o Governo português para abrir o Montijo antes dos quatro anos, e sim a tempo do verão de 2018".
"Quatro anos para fazer um estudo? Porque não telefonam à Ryanair? Podiam ter o estudo pela hora de almoço, mas a ANA não quer o estudo pela hora de almoço e não quer a capacidade aberta no Montijo hoje", argumentou o homem forte da companhia da República da Irlanda.
A transferência das companhias para o Montijo vai depender apenas dos "preços oferecidos", considerou o irlandês, acrescentando que a grande vantagem no Montijo é um "maior espaço" que permitirá crescer, ao contrário da infraestrutura atual de Lisboa.
"Se no Montijo for cobrado metade do preço em relação à Portela, então muitas companhias aéreas, como a Ryanair, e provavelmente a easyJet, vão para lá", anteviu o dirigente, que referiu ainda não ter decidido se muda a operação para a margem Sul do rio Tejo.
Aos jornalistas, O'Leary lembrou já funcionar no Montijo a base aérea militar, pelo que "suspeita que a ANA, juntamente com o Governo português, está a tentar adiar a abertura" ao movimento comercial.
O responsável questionou a razão de a ANA-Aeroportos de Portugal, gerida pela VINCI, planear gastar 250 milhões de euros e comentou que o "problema da privatização da ANA é que dá à VINCI um género de controlo sobre o Montijo".
O'Leary também criticou a intenção da ANA em aumentar em quatro por cento as taxas no aeroporto Humberto Delgado e, apontando, para o braço lesionado que levava ao peito, explicou que "é o resultado de discordar de um monopólio".
O responsável falava na apresentação do 'calendário de inverno Lisboa 2017', que inclui 26 rotas, das quais três novas rotas para Baden (Alemanha), Bruxelas (Charleroi) e Cracóvia (Polónia). Do calendário constam também seis rotas novas de inverno para Bolonha (Itália), Glasgow (Escócia), Luxemburgo, Nápoles (Itália), Toulouse (França) e Breslávia (Polónia).

Agência de Notícias com Lusa
[ + ]

Estaleiro de Setúbal repararam 67 navios em 2016

Lisnave mantém liderança europeia na reparação de petroleiros

A Lisnave, estaleiros navais de Setúbal, reparou, em 2016, um total de 67 navios, de 39 clientes e 17 países, revelou a empresa em comunicado. Apesar da redução do número de navios reparados, a Lisnave considera o resultado “positivo” tendo em conta que o ano passado foi “particularmente difícil para a reparação naval a nível mundial, marcado pela crise do sector de transporte marítimo e pelo aumento da concorrência internacional”. A empresa diz que o posicionamento de mercado mantém-se “sólido” e que o nível de fidelização de clientes é “assinalável”, graças à “capacidade e estrutura do estaleiro”, e ao “vasto know-how acumulado ao longo de décadas”. Os resultados da empresa de Setúbal deverão ser conhecidos em Março. 
Estaleiros são uma referência mundial na reparação de navios 

A empresa regista um “significativo aumento do volume de trabalho por navio” e destaca que os estaleiros de Setúbal mantêm a liderança europeia na reparação de petroleiros, tendo recebido 51 navios deste tipo em 2016.
“A Lisnave, num ano particularmente difícil para a reparação naval a nível mundial, marcado pela crise do setor de transporte marítimo e pelo aumento da concorrência internacional, teve em 2016 um desempenho positivo, reparando 67 navios, provenientes de 39 diferentes clientes, oriundos de 17 países”, refere a empresa em comunicado enviado à agência Lusa.
Apesar da crise no setor do transporte marítimo, alegadamente devido a uma redução do valor dos fretes provocada pelo aumento da frota mundial e pela instabilidade da economia mundial, a empresa garante que houve “um significativo aumento do volume de trabalho por navio” nas reparações efetuadas nos estaleiros navais da Lisnave, em Setúbal.
Por outro lado, a Lisnave garante que mantém a “liderança europeia na reparação de petroleiros”, com a entrada de “51 navios” deste segmento do mercado nos estaleiros da Mitrena, Setúbal, durante o ano de 2016.
A empresa considera também que o “reconhecimento do trabalho de qualidade” desenvolvido nos estaleiros navais da Mitrena “está patente no elevado número de reparações com origem em clientes fiéis no ano de 2016, confirmando assim uma tendência constante nos últimos anos de atividade”.
A Lisnave destaca ainda as encomendas recebidas de grandes empresas do setor, como a Teekay, Tsakos Columbia Shipmanagment, American Eagle Tankers e PDV Marina.
Os resultados da Lisnave em 2016 só deverão ser conhecidos durante o próximo mês de Março. Em 2015, a Lisnave registou um lucro líquido de 13,6 milhões de euros.

Agência de Notícias com Lusa
[ + ]

Setúbal discutiu estratégia de educação ambiental

“Sensibilizar e educar os munícipes para as boas práticas ambientais”

A aposta da Câmara de Setúbal na educação ambiental foi destacada ontem pelo vereador do Ambiente, Manuel Pisco, num encontro de apresentação da estratégia nacional para o setor, realizada na Escola Secundária D. Manuel Martins. O autarca, presente numa mesa-redonda de discussão de projetos de boas práticas desenvolvida no âmbito da sessão de divulgação da Estratégia Nacional de Educação Ambiental, apontou as diversas ações que o município de Setúbal promove com o objetivo de “educar para a sustentabilidade”. Manuel Pisco lembrou o Plano de Comunicação Ambiental subordinado ao lema “Setúbal em Bom Ambiente”, através do qual a Câmara Municipal lançou um conjunto de ações com o objetivo de “sensibilizar e educar os munícipes para as boas práticas ambientais”.

Setúbal na linha da frente da educação para o ambiente 

Um sítio na internet dedicado ao Ambiente, o Guia de Boas Práticas Ambientais já editado e o sítio júnior do Ambiente, atualmente em fase de testes e no qual os professores podem encontrar conteúdos de educação ambiental para trabalhar em contexto de sala de aula, foram iniciativas municipais destacadas pelo autarca.
Além de campanhas no âmbito do Programa Bandeira Azul e do apoio aos estabelecimentos de ensino para o desenvolvimento do Programa Eco-Escolas, o vereador com o pelouro do Ambiente revelou que a Câmara Municipal de Setúbal está a preparar um Programa de Sensibilização e Educação Ambiental para as escolas.
O objetivo é proporcionar a participação dos alunos em atividades de contacto com a natureza em centros de interpretação ambiental, por exemplo no Moinho de Maré da Mourisca, na Casa da Baía, no Museu Oceanográfico e nas Hortas Urbanas que a autarquia criou em viveiros municipais.
Manuel Pisco sublinhou igualmente medidas que a autarquia tem vindo a implementar para melhorar o Ambiente, como a substituição das lâmpadas da iluminação pública e dos semáforos por sistemas LED.
“Já reduzimos em milhares de toneladas as emissões de carbono, o que é um contributo muito importante, além da poupança energética”, indicou o autarca na mesa-redonda, na qual participaram ainda Antonieta Costa, do centro pedagógico do Jardim Zoológico de Lisboa, José Archer, presidente da Associação Bandeira Azul, Carlos Cunha, professor da Escola Secundária D. Manuel Martins, e Ricardo Salgado, docente do Instituto Politécnico de Setúbal.
Em face deste trabalho, Manuel Pisco considera a Estratégia Nacional de Educação Ambiental uma iniciativa importante, mas, “no fundo, uma formalização da visão e da estratégia já existente”.

Educação Ambiental deve começar nas escolas 
Esta afirmação consubstancia-se nas palavras do presidente da Agência Portuguesa do Ambiente, Nuno Lacasta, ao garantir que a Estratégia Nacional de Educação Ambiental parte do pressuposto de que “já se faz muito em matéria de educação ambiental”, como o Eco-Escolas e a Bandeira Azul, “mas é necessário ultrapassar o desafio de o fazer por carolice”.
A missão da Estratégia Nacional de Educação Ambiental é “estabelecer um compromisso colaborativo, estratégico e de coesão na construção da literacia ambiental em Portugal”.
A adoção de uma “cidadania inclusiva e visionária” deve conduzir, de acordo com Nuno Lacasta, a uma mudança de paradigma que se traduza em “modelos de conduta ambientalmente sustentáveis em todas as dimensões da atividade humana”.
Um dos alvos desta estratégia é as escolas, algo que o secretário de Estado da Educação, João Costa, presente na sessão de apresentação da Estratégia Nacional de Educação Ambiental, considera que faz todo o sentido, uma vez que “a educação ambiental é uma área na qual o Ministério da Educação trabalha há vários anos e tem créditos dados”.
O governante destacou o projeto Eco-Escolas, que, “através de um trabalho muito focado, tem permitido a mudança de comportamentos”, como levar as famílias a realizar a separação de lixos, por incentivo dos filhos.
João Costa sublinhou que “os objetivos de desenvolvimento sustentável estão hoje no centro das aprendizagens” e que “têm de ser fornecidas aos alunos as ferramentas necessárias para que estejam preparados para um mundo que se alterou e que está em risco”.
No entanto, tem noção de que “o currículo escolar é muito extenso e, muitas vezes, as escolas trabalham estas questões em projetos voluntariosos”, daí que, no âmbito da desta estratégia ambiental e da revisão dos currículos “estão a ser pensadas medidas a debater com todos os intervenientes para que o trabalho não seja feito apenas por carolice”.

Estratégia Nacional de Educação Ambiental aprovada até Junho 
Especialistas discutiram Estratégia Nacional de Educação Ambiental
A Estratégia Nacional de Educação Ambiental é um projeto do Ministério do Ambiente que conta com as parcerias do Ministério da Educação e de outras entidades públicas com o objetivo de promover uma maior consciência ambiental da população, impulsionando a aquisição de novos comportamentos pró-ambiente.
A estratégia tem vindo a ser apresentada em todo o país em sessões dirigidas a diversas instituições, sendo que a vocacionada às escolas decorreu a 21 de Fevereiro, em Setúbal, na Secundária Dom Manuel Martins, num encontro que contou ainda com a presença do diretor-geral da Educação, José Vítor Pedroso.
Segundo as previsões do Governo, a Estratégia Nacional de Educação Ambiental deve ser aprovada até ao final do primeiro semestre, sendo que haverá um período de consulta pública entre Março e Abril.
A dotação financeira para o projeto é de um milhão de euros por ano, até 2020, através do Fundo Ambiental, a que se junta a abertura de avisos específicos com uma dotação prevista de 12 milhões de euros, através do PO SEUR – Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.
O objetivo é que “todos os investimentos a realizar no domínio ambiental destinem uma percentagem do valor total de investimento a ações imateriais associadas à educação ambiental”, frisou o presidente da Associação Portuguesa do Ambiente, Nuno Lacasta.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 
[ + ]

Vandalismo destrói ecopontos na Baixa da Banheira

Atos de vandalismo repetem-se, sobretudo ao fim-de-semana 

Vários ecopontos e contentores de resíduos sólidos urbanos foram incendiados na Baixa da Banheira, no concelho da Moita, durante o fim de semana, informaram os bombeiros da Moita. "Foram feitos vários pedidos de intervenção para a extinção de incêndio em contentores de resíduos sólidos urbanos e ecopontos na Baixa da Banheira", referem os Bombeiros Voluntários da Moita em comunicado. Esta já não é a primeira vez que "acendem fogo" a ecopontos e contentores de resíduos sólidos urbanos na zona. "Este tipo de vandalismo já causou prejuízos de centenas de milhares de euros aos cofres públicos das autarquias", diz o presidente da União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira, Nuno Cavaco. 
Desde Novembro já arderam cerca de 40 ecopontos na região 


Por isso, os bombeiros apelam à população para que evite estacionar as suas viaturas perto dos ecopontos e contentores. A situação não é nova no concelho da Moita. Registaram-se já outras ocorrências do género em vários locais, mas a Baixa da Banheira é a área mais afetada. 
"Puxaram fogo a mais quatro contentores do lixo na freguesia da Baixa da Banheira. Depois da razia aos ecopontos, estão a destruir os contentores. Afetam a vida das pessoas e destroem as finanças das autarquias e empresas públicas", refere o presidente da União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira, Nuno Cavaco, numa mensagem divulgada nas redes sociais. 
Esta já não é a primeira vez que "acendem fogo" a ecopontos e contentores de resíduos sólidos urbanos na zona. Este tipo de vandalismo já causou prejuízos de centenas de milhares de euros aos cofres públicos das autarquias. 
De acordo com Nuno Cavaco "estamos a falar de 30 ou 40 pontos de recolha que foram afetados nos últimos meses. Existem danos nos equipamentos, em mobiliário urbano e também em viaturas". Para o autarca da Baixa da Banheira, "estamos a falar de um desperdício de dinheiro. Existem pontos de recolha que foram incendiados duas ou três vezes depois de serem repostos". 
A Polícia de Segurança Pública conhece o problema e afirma estar a fazer o seu trabalho. "O problema é conhecido e estamos a investigar a situação. Existiram quatro ocorrências, todas na mesma madrugada", diz fonte policial. Mas de acordo com o autarca da Baixa da Banheira, é uma situação muito "complicada de se investigar porque era preciso ter quase um agente em cada ponto de recolha para conseguir apanhar em flagrante quem comete este tipo de crime".  
Também no concelho vizinho do Barreiro existem relatos de diversos incêndios em ecopontos e contentores, que ocorrem normalmente nas madrugadas dos fins de semana.
A melhor maneira, diz Nuno Cavaco, é que a população denuncie os casos. "As pessoas devem estar atentas e caso vejam alguma situação devem contatar de imediato as autoridades".

Agência de Notícias 
[ + ]

Festas Pinhal Novo 2016 - 11 Junho

Festas Pinhal Novo 2016 - 10 Junho

Ganhar um marido, perder a adolescência

Fotografia: Daro Sulakauri

Festas Pinhal Novo 2016 - 9 Junho

Festas Pinhal Novo 2016 - 8 Junho

Festas Pinhal Novo 2016 - 7 Junho

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010