Dá um Gosto ao ADN

Melhor praia da Europa é em Setúbal

Galapinhos já ostenta galardão de melhor praia na Europa

A praia de Galapinhos na Arrábida ostenta desde esta segunda-feira o galardão de melhor praia na Europa, entregue pelo CEO da European Best Destinations, Maximilien Lejuene, em cerimónia que decorreu no Forte de S. Filipe, em Setúbal. Esta é uma distinção que reforça o potencial turístico da Arrábida enquanto marca internacional, dado os activos particularmente fortes em termos de natureza e enoturismo. “A proximidade de Lisboa, que, no ano passado, registou 13,1 milhões de dormidas na hotelaria, recebeu 22,4 milhões de passageiros no aeroporto e 523 mil cruzeiristas, é uma grande vantagem para a promoção de Setúbal”, defendeu o representante da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa, Jorge Humberto. “Galapinhos é de uma beleza ímpar, é um diamante que deve continuar em bruto, enquanto vamos lapidando o que precisa de aperfeiçoamento e polindo as outras faces deste diamante setubalense que cada vez brilha mais”, afirmou a presidente da Câmara de Setúbal, Maria das Dores Meira.
Praia dos Galampinhos seduziu milhões de europeus 

O galardão, atribuído através do portal European Best Destinations, integrado na European Consumers Choice, resulta da votação de 10 mil utilizadores daquela página da internet, oriundos de 136 países e que escolheram o areal sadino de entre 280 zonas balneares do continente europeu.
“A água límpida e transparente, a paisagem natural fantástica e inalterada, um ambiente paradisíaco e, principalmente, pessoas maravilhosas que acolhem os visitantes com extrema simpatia” foram as experiências que conduziram à maioria dos votos na Praia de Galapinhos, destacou o diretor executivo da European Best Destinations, Maximilien Lejeune.
O responsável pelo portal turístico garantiu que Galapinhos “está no coração de milhões de pessoas”, isto porque os votantes são turistas de todo o mundo e os respetivos votos expressam igualmente as experiências vividas nos locais que visitaram.
A presidente da Câmara de Setúbal, Maria das Dores Meira, sublinhou que o reconhecimento europeu proveniente do galardão é a confirmação de que Galapinhos é “de uma beleza ímpar”.
A autarca salientou que a praia setubalense é um diamante em bruto, “que deve continuar em bruto”, necessitando apenas, acrescentou, que sejam lapidadas algumas faces para que fique perfeito.
Maria das Dores Meira realçou que galardões como o de Galapinhos são o resultado de anos de investimento na qualificação do concelho.
“Qualificação como a construção de novos equipamentos culturais e renovação de outros, qualificação da rede viária, com a criação de novas vias, reformulação de outras e embelezamento de muitas delas”, frisou. “Nunca poderíamos aspirar a ser um potencial destino turístico se não tivéssemos investido seriamente nestas infraestruturas, se não tivéssemos trabalhado para promover interna e externamente o nome de Setúbal, a sua gastronomia, as suas paisagens, as suas praias”.

Câmara apresenta investimentos em todas as praias do concelho 
A autarca destacou, ainda, o esforço feito no desenvolvimento de protocolos de delegação de competências, assinados em maio com a Agência Portuguesa de Ambiente e a Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, que passaram para a Câmara Municipal a gestão das praias localizadas no território do concelho.
Acordos que, realçou, permitem investimentos municipais de mais de 3,6 milhões de euros nas zonas balneares de Setúbal.
A aposta da Câmara Municipal nesta área inclui a construção de um passadiço marítimo de ligação do Parque Urbano de Albarquel à Praia de Albarquel, a transformação em passeio pedonal do atual esporão da Praia da Figueirinha, a construção de um novo cais de apoio à náutica de recreio no Portinho da Arrábida e a melhoria da rampa de acesso utilizada pela náutica de recreio na Praia da Gávea.
Maria das Dores Meira abordou, igualmente, um dos problemas mais significativos das praias setubalenses, os acessos rodoviários e, em especial, o parqueamento automóvel “numa zona cujas condições naturais limitam, bastante, o estacionamento de elevado número de viaturas”, questão que, acrescentou, se agudizou com a maior notoriedade pública de Galapinhos.
A Câmara Municipal, afirmou a autarca, está a trabalhar junto da Infraestruturas de Portugal, responsável pela estrada de acesso às praias da Arrábida, para que sejam criadas melhores condições de acesso.
“E tudo temos feito para sensibilizar, quer a Infraestruturas de Portugal, quer as autoridades policiais, para a necessidade de ter naquela estrada, em particular no troço entre o Outão e o Portinho, um dispositivo de segurança que impeça o estacionamento abusivo e, assim, garanta a segurança de todos os que por ali circulam”, reforçou.
A autarquia tem concertado anualmente com a Infraestruturas de Portugal o esquema de circulação na estrada de acesso às praias da zona da Arrábida.“Só assim poderia ser, pois é aquela entidade a dona desta estrada onde a autarquia não tem qualquer autoridade”.
Maria das Dores Meira destacou, ainda, o esforço da autarquia no sentido de garantir, todos os anos, serviços de transportes públicos nos acessos às praias, bem como a reunião, já este ano, com a ministra da Administração Interna, para o reforço do dispositivo de segurança de maneira a garantir que a estrada que serve as praias da Arrábida é utilizada em segurança por todos os utentes.
A autarca lamentou, porém, não estar ao alcance da Câmara Municipal a alteração dos comportamentos menos corretos de utentes daquelas zonas balneares, de maneira a “adotarem as mais normais regras de civismo para que deixem de estacionar ilegalmente, impedindo a circulação de outros”, com risco acrescido caso se trate de veículos de emergência.

Proximidade a Lisboa benéfica para Setúbal 
Prémio foi entregue esta segunda-feira em  Setúbal 
A cerimónia de entrega do prémio de melhor praia da Europa a Galapinhos contou, também, com a presença de Jorge Humberto, representante da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa, que assinalou a importância do galardão atribuído pelo European Best Destinations, “um sítio visitado por 4,2 milhões de pessoas por ano”.
O dirigente realçou que a presença da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa [que abrange a península de Setúbal], na cerimónia protocolar de Setúbal se deve ao facto de o prémio em causa potenciar a simbiose de uma região turística com grande impacte na economia do país.
“Lisboa teve em 2016 mais de 13 milhões de dormidas. Não vêm mais pessoas a Setúbal porque às vezes não sabem a maravilha que Setúbal é. E Setúbal é, de facto, uma maravilha”, observou.
Jorge Humberto reforçou, ainda, que a cidade sadina está a apenas 40 quilómetros de Lisboa, “escassos 30 a 45 minutos de deslocação, e Setúbal só tem a ganhar com esta proximidade”.
Para o responsável na Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa, a distinção atribuída a Galapinhos representa“mais um passo importante na afirmação de Setúbal”.

Setúbal quer o melhor destino europeu em breve
O galardão entregue pelo European Best Destinations é uma peça em acrílico, com a particularidade de revelar um mosaico de fotografias tiradas por alguns dos milhares de visitantes que votaram no areal para melhor praia da Europa.
O portal European Best Destinations, que é parte integrante da plataforma European Consumers Choice, e que atribuiu este ano, pela primeira vez, o prémio de melhor praia da Europa, é a mesma entidade através da qual há três anos consecutivos tem vindo a eleger o Porto como melhor destino europeu.
“Agora o desafio que se nos coloca já é outro. É o de trabalharmos para que Setúbal possa receber a distinção de ‘Best European Destination’, atribuído desde 2009 e entregue à cidade do Porto em três edições diferentes, incluindo a de 2017. Será demasiada ambição nossa? Claro que não”, garantiu, em jeito de desafio, Maria das Dores Meira.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 
[ + ]

Montijo recuperou antiga Ermida de Santo António

Ermida Santo António já está de portas abertas

“Abrimos hoje de novo as portas da Ermida de Santo António, para que continue a ser um lugar de história e de memória dos montijenses”. Foi com estas palavras do presidente da Câmara Municipal do Montijo, Nuno Canta, inaugurou a reabilitação da Ermida de Sto. António, localizada na Quinta do Pátio d’ Água, no Montijo. “Ao realizar a obra de recuperação deste imóvel de interesse público, quisemos sublinhar que a fidelidade às nossas raízes e tradições constitui uma condição essencial para a construção do futuro”, afirmou o autarca.
Ermida de Santo António inaugurada no dia de São João 


A cerimónia iniciou-se com o descerramento da placa inaugural, a que se seguiu a bênção da Ermida pelo pároco do Montijo, Carlos Rosmaninho.
A Ermida de Santo António, cujas origens remontam ao século XVI, foi alvo de uma profunda obra de reabilitação e restauro, tanto no seu interior como no exterior. Preparada que foi a base necessária para a colocação de um novo pavimento, foi instalado o pavimento final “Chão Comum”, simultaneamente objeto funcional e obra de arte, da autoria da conceituada artista montijense Fernanda Fragateiro.
A artista esteve presente na inauguração e explicou que a sua intervenção na Ermida teve duas preocupações essenciais: introduzir luz no espaço e dar visibilidade aos vestígios revelados pelos trabalhos de arqueologia, nomeadamente alguns azulejos que recordam os enxaquetados quinhentistas.
A cerimónia terminou com a atuação de um Sexteto de Cordas da Orquestra Metropolitana de Lisboa, no Salão Nobre da Junta de Freguesia da União das Freguesias de Montijo e Afonsoeiro.
Esta intervenção na Ermida de Santo António representa um investimento total de 189 mil 790 euros, com financiamento contratualizado no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano/Programa Operacional de Lisboa 2020 (através do FEDER, correspondendo a 94 mil 895 euros, ou seja, 50 por cento do valor total da obra).
Sucedendo à requalificação de meados do séc. XX, então sob projeto do arquiteto Porfírio Pardal Monteiro, a Câmara do Montijo promoveu esta intervenção assumindo plenamente a obrigação de cuidar o património público concelhio, não se limitando a conservá-lo, antes pugnando pelo seu enriquecimento e valorização.

Agência de Notícias com Câmara do Montijo 
[ + ]

Linha ferroviária entre Sines e Espanha vai avançar

Bruxelas aprova 90 milhões para financiar comboio até Espanha 

A Comissão Europeia anunciou a aprovação de 89,5 milhões de euros para financiar a construção do Corredor Internacional Sul, que ligará Sines à fronteira do Caia, uma das ligações previstas no Plano Ferrovia 2020, segundo o Governo. Para o Ministério do Planeamento e das Infra-estruturas, este corredor, que ligará Sines e Fronteira, é um dos "projectos mais importantes" para o Plano Ferrovia 2020. "Com este financiamento, ascende a 600 milhões de euros o contributo total do Mecanismo Interligar a Europa para o Plano Ferrovia 2020", adianta a tutela.
Ferrovia entre Sines e Espanha vai mesmo avançar 

As obras do troço Elvas - Fronteira, cujo concurso já foi lançado, devem iniciar-se até ao final do ano, "altura em que será posto a concurso o troço com maior investimento, que ligará Évora a Elvas". A Comissão Europeia anunciou também um financiamento de 1,5 milhões de euros para o troço final da A25, entre Vilar Formoso e a fronteira, de acordo com o ministério.
Estes projectos estão incluídos num pacote de 2.700 milhões de euros para 152 projectos de transportes, em apoio à mobilidade competitiva, limpa e interligada na Europa, ao abrigo do Mecanismo Interligar a Europa, a estrutura financeira da UE que apoia as redes de infra-estruturas. "Este investimento não só modernizará a rede de transportes europeia, mas também virá estimular a actividade económica e promover a criação de emprego", afirma a Comissão Europeia.
A fatia mais avultada do financiamento destina-se a desenvolver a rede ferroviária europeia (1,8 mil milhões de euros), a descarbonização e a actualização dos transportes rodoviários, bem como os sistemas de transportes inteligentes (359,2 milhões de euros), assim como a implantar sistemas de gestão do tráfego aéreo (311,3 milhões de euros).

Agência de Notícias com Lusa

[ + ]

António Costa esteve no Barreiro esta segunda-feira

Barreiro, Seixal e Almada são o "novo motor" da Península de Setúbal

O primeiro-ministro defendeu esta segunda-feira que o arco ribeirinho na margem sul do Tejo, englobando os municípios do Barreiro, Seixal e Almada, deve ser reabilitado economicamente e ambientalmente para se assumir como novo motor da Península de Setúbal. Esta posição foi assumida por António Costa no final de uma reunião de trabalho com os presidentes das câmaras do Barreiro, Carlos Humberto, do Seixal, Joaquim Santos, e de Almada, Joaquim Judas - todos eleitos pela CDU -, na qual também participaram em representação do Governo os ministros do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, e do Mar, Ana Paula Vitorino.
Primeiro-ministro chegou ao Barreiro de catamarã 

A manhã de António Costa e da comitiva do Governo começou com uma curta viagem de barco entre a estação portuária do Terreiro do Paço e o Barreiro, tendo-se seguido uma reunião com os autarcas do chamado arco ribeirinho do Tejo, onde nas décadas de 60 e 70 do século passado floresceram grandes unidades industriais, mas cujos terrenos se encontram agora abandonados e, parte deles, contaminados.
"A valorização destes quase 900 hectares (entre as zonas da Quimiparque do Barreiro, da antiga siderurgia do Seixal e da Margueira em Almada) representa uma oportunidade para o desenvolvimento económico do país, sendo o trabalho em conjunto entre Estado e as autarquias considerado essencial. Esta zona pode ser o novo motor de desenvolvimento da Península de Setúbal", sustentou o primeiro-ministro.
De acordo com os dados divulgados pelo líder do executivo, para a reabilitação do arco ribeirinho da margem sul do Tejo já foram investidos pelo Estado cerca de sete milhões de euros.
"Brevemente, em Conselho de Ministros, será aprovado o decreto que permitirá retirar os terrenos da Margueira do domínio público, colocando-os imediatamente em valorização económica. Os estudos urbanísticos estão concluídos pela Câmara de Almada e trata-se de uma área que encaramos com grande potencial, designadamente na sequência do 'Brexit', para a atração de um conjunto de empresas que pretendam manter-se com representação na União Europeia depois da saída do Reino Unido", apontou António Costa.

Primeiro ministro anuncia investimentos na região
Perante os jornalistas, António Costa falou também em investimentos para a construção do novo Hospital do Seixal e para a construção de uma via rodoviária entre o Barreiro e o Seixal.
"No mesmo sentido, tem de ser encarado o desenvolvimento do metro do sul do Tejo, projeto em relação ao qual haverá um grupo de trabalho", disse.
Outro dos temas classificados como prioritários por António Costa relacionou-se com a mudança ao nível dos terrenos para a instalação do novo terminal de contentores no Barreiro.
Neste ponto, em concreto, o líder do executivo referiu que foi abandonada a localização prevista anteriormente, já que afetava a frente ribeirinha do centro da cidade do Barreiro.
"Sem prejudicar futuros desenvolvimentos das ligações do Barreiro com Lisboa, foi equacionada a possibilidade de uma nova zona (precisamente esta, a da Quimiparque) para instalação do terminal de contentores. Por outro lado, no Barreiro, vai ser instalada uma central de depuração de bivalves - um investimento de um milhão de euros e que visa dar segurança a uma atividade que tem sido desenvolvida nesta zona do Tejo", adiantou.
Por sua vez, o presidente da Câmara do Barreira confirmou o acordo com o Governo para a deslocação para "nascente" do futuro terminal de contentores.
"Isso permitirá que as vistas da marginal da cidade não sejam afetadas. Vai ser constituído um grupo de trabalho para que, de forma rápida, seja resolvida esta questão", frisou Carlos Humberto.
Em relação à reunião de trabalho dos três autarcas da margem sul do Tejo com o primeiro-ministro, o presidente da Câmara do Barreiro considerou essencial a "atratividade do território" do arco ribeirinho para a atividade económica.
Depois, falou sobre um ponto em que subsistem divergências entre estes municípios e o Governo.
"Falámos sobre as questões aeroportuárias e sobre a eventualidade da solução de aeroporto da Portela + 1. Os nossos pontos de vistas não são exatamente os mesmos", disse, numa alusão à possibilidade de se criar uma extensão do aeroporto de Lisboa no Montijo.

Agência de Notícias com Lusa
[ + ]

Seixal e Barreiro voltarão a estar ligados por ponte

Investimento de quatro milhões para ponte de 350 metros

Em 1969, um navio chocou com a ponte ferroviária que, desde 1923, fazia a ligação entre o Seixal e o Barreiro. Mesmo com muitas contestações, a ponte nunca fora recuperada, pondo assim fim à circulação do comboio. Agora, quase 50 anos depois, foi assinado um protocolo entre os dois municípios para que seja construída uma nova infraestrutura pedonal e ciclável. A ponte vai ter cerca de 300 metros (num total de extensão de obra de 800) e fará a ligação entre núcleo urbano antigo do Seixal e o terminal ferroviário do Barreiro. Segundo um comunicado enviado pela autarquia do Seixal, irá ser aproveitado “o espaço de uma antiga ponte ferroviária que fez, em anos longínquos, a ligação entre os dois concelhos”. Se tudo correr como planeado, a obra fica terminada ainda no decorrer do próximo ano.
Seixal e Barreiro assinaram protocolo para nova ponte 

Os concelhos do Barreiro e do Seixal vão voltar a ligar-se através de uma ponte, quando a ligação pedonal e ciclável ficar concluída em 2018. O protocolo para a construção foi assinado, no âmbito do 1º Festival Náutico da Baía do Seixal, e prevê um investimento de quatro milhões de euros. Atualmente é necessário percorrer 16 quilómetros, depois será menos de um.
"Vai permitir que populações muito próximas de coração e geograficamente possam estar também próximas em termos de acessos", disse Joaquim Santos, presidente da Câmara do Seixal. "É uma mais-valia para comércio, educação, serviços e turismo. É essencial e vem enriquecer os concelhos", disse o autarca do Barreiro, Carlos Humberto.
A ligação será entre o terminal ferroviário do Barreiro e o núcleo urbano antigo do Seixal, passando perto do Centro de Estágios do Benfica. A extensão da obra será de 800 metros, sendo que a ponte propriamente dita terá aproximadamente 350 metros (sobre o Rio Coina) e, segundo a autarquia do Seixal, em comunicado, “irá aproveitar o espaço canal de uma antiga ponte ferroviária que fez, em anos longínquos, a ligação entre os dois concelhos”.Foi em 1969 que os dois municípios deixaram de estar ligados pela ponte ferroviária que então existia, depois de um navio que servia a Siderurgia Nacional ter chocado contra a mesma. Essa ponte nunca mais foi recuperada, pondo fim às viagens do comboio que lá circulava desde 1923.
Desde então, os meros 400 metros que separam Barreiro e Seixal por água, transformaram-se em 16 quilómetros por estrada.
A obra custará cerca de quatro milhões de euros, financiados a meias pelos dois municípios do distrito Setúbal que submeteram candidaturas a fundos europeus, para financiamento a 50 por cento, inseridas no Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável da Área Metropolitana de Lisboa, programa que financia, apenas, investimentos relacionados com a mobilidade sustentável.
Em comunicado, a autarquia do Seixal salienta que “a construção desta ponte permitirá também o crescimento do turismo, pois assim poderá circular-se mais facilmente entre os dois municípios e usufruir das suas zonas ribeirinhas”.
Esta ponte é apenas ciclável e pedonal, mas os autarcas do Seixal e Barreiro, em reunião este mês, anunciaram que vão pedir reunião ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas para reivindicar a construção de uma ponte também rodoviária. Nessa ocasião lembraram que desde 1999 que está prevista no Plano Rodoviário 2000 a ER 10, uma estrada que ligaria Almada ao Seixal e Barreiro, mas que continua parada em Corroios.

Agência de Notícias 
[ + ]

Projetos unem municípios da Arrábida

Palmela, Sesimbra e Sesimbra apresentam projetos para a Arrábida 

Setúbal, Palmela e Sesimbra apresentam no dia 29, às 10 horas, na Quinta de Catralvos, Azeitão, um conjunto de projetos intermunicipais, com áreas de atuação que vão desde a mobilidade urbana à inclusão social, passando pelo desenvolvimento do turismo sustentável. Um dos projetos é a Rede Ciclável da Península de Setúbal, que se destina à criação de um circuito de ciclovias, assim como de troços pedonais, de ligação entre os territórios dos três municípios parceiros, com o objetivo de conectar os rios Sado e Tejo.
Municípios apresentam projetos para melhorar a Arrábida  

Os presidentes das autarquias de Setúbal, Maria das Dores Meira, de Palmela, Álvaro Amaro, e de Sesimbra, Augusto Pólvora, estão presentes na cerimónia de apresentação dos projetos, os quais perfazem mais de nove milhões de euros, com cofinanciamento de 50 por cento do FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.
Um dos projetos é a CICLOP 7 – Rede Ciclável da Península de Setúbal, que se destina à criação de um circuito de ciclovias, assim como de troços pedonais, de ligação entre os territórios dos três municípios parceiros, com o objetivo de conectar os rios Sado e Tejo.
Ainda no plano da mobilidade, os três concelhos apresentam a Hub10 – Plataforma Humanizada de Conexão Territorial, de melhoria da EN 10, com vista a promover a Península de Setúbal como área privilegiada de expansão da região metropolitana de Lisboa.
O Prarrábida – Plano de Ação para a conservação, valorização e promoção do património histórico, cultural e natural da Arrábida incide no setor do turismo sustentável.
Além dos três municípios parceiros, o plano conta com o envolvimento do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e da Associação de Municípios da Região de Setúbal.
O Prarrábida, alinhado com a Estratégia de Desenvolvimento Turístico da Centralidade Arrábida, pretende sustentar a atratividade turística do território com base na salvaguarda e valorização do património, tendo em conta a ecologia do espaço e a melhoria da qualidade de vida.
Percursos em Rede na Inclusão Ativa é a designação do quatro projeto em desenvolvimento em parceria pelos concelhos de Setúbal, Palmela e Sesimbra.
Trata-se de uma resposta dos municípios às necessidades registadas em cada um dos territórios para a promoção de uma sociedade mais inclusiva e justa, com especial atenção para as populações mais vulneráveis.
Esta política de inclusão ativa visa a capacitação de pessoas e a criação de oportunidades nos sistemas públicos, em instituições sociais e nos parceiros locais, através da inovação na forma de planear, organizar e trabalhar, além de uma forma de atuar mais participativa, solidária e integrada.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 
[ + ]

Sesimbra Summer Cup arranca esta quarta-feira

1600 atletas em competição na praia do Ouro até domingo 

A 7.ª edição do torneio internacional de futebol infantil Sesimbra Summer Cup foi apresentada no dia 24 de Junho, na Fortaleza de Santiago. A abertura do torneio realiza-se no dia 28, a partir das 19h30, na Fortaleza de Santiago, e os jogos decorrem entre os dias 29 de Junho e 2 de Julho em vários campos do concelho. Os jogos de futebol de praia têm lugar no Campo de Jogos da Praia do Ouro. O acontecimento contou com a presença de diversas individualidades que destacaram a importância deste evento desportivo que vai movimentar 1600 atletas, repartidos por 68 equipas em vários escalões, incluindo uma formação brasileira, e 54 no futebol de praia.
Festa do futebol de praia começa esta quarta-feira 

"Mais do que um conjunto de jogos este torneio é uma aposta na formação, na educação, na participação e na promoção turística de Sesimbra. Ao fim de sete anos provou-se que é um dos maiores eventos nacionais ao nível do futebol de formação, e podemos dizer que é um caso de estudo", sublinhou Felícia Costa, vice-presidente da Câmara de Sesimbra.
Por seu turno, Francisco Jesus, presidente da Junta de Freguesia do Castelo e principal mentor desta competição, destacou o prestígio que o Sesimbra Summer Cup granjeou ao longo dos anos. "Quando se juntam vontades tão diversas como as autarquias, os clubes, as estruturas do futebol, o Estado, e as empresas é a garantia da confiança desta iniciativa", afirmou o autarca.
A qualidade deste evento desportivo foi ainda enaltecida por Odete Graça, presidente da Assembleia Municipal, ao referir que o Sesimbra Summer Cup "é a feliz combinação entre várias estruturas que apostam no desporto e na formação".
Em representação da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Paulo Lourenço, reiterou o apoio da FPF e referiu que "o Sesimbra Summer Cup oferece condições de excelência", enquanto Carlos Sevilha, da Associação de Futebol de Setúbal (AFS) sublinhou o envolvimento da AFS desde a primeira hora.
"Estamos felizes por estarmos associados a um torneio de grande qualidade que atingiu uma dimensão que nem a própria organização pensou", disse.
O Sesimbra Summer Cup é organizado pela Junta de Freguesia do Castelo, Grupo Desportivo de Sesimbra, Grupo Desportivo de Alfarim, Associação de Cultura e Recreio União Trabalhadora Zambujalense, e Associação de Desenvolvimento da Quinta do Conde, em parceria com a Federação Portuguesa de Futebol, Associação de Futebol de Setúbal, Câmara Municipal de Sesimbra e diversas entidades.

Agência de Notícias com Câmara de Sesimbra 
[ + ]

Morreu Mourinho Félix, antigo guardião do Vitória

Ligado a momentos históricos de Vitória de Setúbal e Belenenses, estreou-se como treinador no Amora 

Morreu José Manuel Mourinho Félix. Mais conhecido nos últimos tempos por ser pai do Special One, Mourinho Félix foi muito mais do que progenitor daquele que é um dos melhores treinadores do mundo. Como jogador teve uma longa carreira ligada ao Vitória de Setúbal, clube que representou durante 13 temporadas consecutivas, desde a estreia em 1958/59, ficando ligado a duas vitórias sadinas na Taça de Portugal e a uma presença na Taça das Cidades com Feira, extinta prova europeia. O corpo de Félix Mourinho vai ser velado a partir de hoje, na Capela do Socorro, em Setúbal, estando o funeral marcado para terça-feira, às 11 da manhã. 
Pai de José Mourinho, faleceu este domingo em Setúbal  


Belenenses e Vitória de Setúbal lamentaram este domingo a morte de Mourinho Félix, que defendeu as balizas e treinou as equipas de futebol dos dois clubes.
"O Vitória de Setúbal lamenta informar o falecimento do seu antigo jogador, treinador e dirigente José Manuel Mourinho Félix e manifesta a sua profunda solidariedade e as maiores condolências à família enlutada", lê-se no sítio do clube setubalense na Internet.
Mourinho Félix, pai do atual treinador do Manchester United, José Mourinho, defendeu as balizas de Vitória de Setúbal, entre 1955 e 1968, conquistando a primeira Taça de Portugal do clube, Taça de Portugal, em 1965, e de Belenenses, entre 1968 e 1974, no qual chegou a treinar enquanto jogava.
"Neste momento especialmente difícil, e em nome de toda a família belenense, o Clube de Futebol "Os Belenenses" endereça a todos os seus familiares e amigos, especialmente a sua mulher e a seu filho, José Mourinho, as mais sentidas condolências", escreveu o Belenenses, na sua página oficial na Internet.
Vestiu a camisola da seleção portuguesa numa ocasião, em 25 de Junho de 1972, no triunfo frente à República da Irlanda, por 2-1, no Torneio da Independência do Brasil, em Arruda, no Recife.
Além de jogador, Mourinho Félix foi ainda treinador, passando por emblemas como Estrela de Portalegre, Caldas, União de Leiria, Amora, Rio Ave, Belenenses, Varzim, União da Madeira, O Elvas, Paredes, Benfica e Castelo Branco, União de Santarém e Vitória de Setúbal, no qual foi ainda diretor desportivo.
O corpo de Mourinho Félix, de 79 anos, vítima de doença prolongada, vai ser velado a partir de segunda-feira na Capela do Socorro, em Setúbal, enquanto o funeral está marcado para terça-feira, às 11 horas.

Agência de Notícias 

[ + ]

Montijo em festa por São Pedro na terça-feira

Seis dias de emoção, fé, tradição e muita animação 

Começa terça-feira a maior festa do concelho do Montijo. De 27 de Junho a 2 de Julho, as ruas do Montijo voltam a receber milhares de pessoas. A Comissão de Festas perspetiva ultrapassar os 250 mil visitantes que, certamente, encontrarão inúmeros atrativos para preencher os seus dias e noites no Montijo, nas ruas e pátios temáticos que estão a ser ornamentados por milhares de flores de papel e outros elementos decorativos. Um programa diversificado, abrangente e amplo, para todas as idades e todos os gostos: das procissões às tradições taurinas, da gastronomia à música, das marchas aos bailaricos. Do bibe eléctrico aos almoços populares. João Pedro Pais abre já amanhã à noite o palco principal. Tony Carreira chega para o concerto final a 2 de Julho, na zona ribeirinha da cidade. A noite da PopularFM realiza-se a 28 de Junho.  Ao todo são mais de um dezena de palcos e quase cinco mil eventos que vão marcar o ritmo das festas. A música vai estar por todo o lado. Há para todos os gostos.
Procissão em honra de São Pedro é uma das tradições das festas


Seis dias inesquecíveis. E estão mesmo a chegar. Falta tão pouco! As emoções vão estar ao rubro com as Festas Populares de São Pedro 2017. Tony Carreira e João Pedro Pais serão apenas duas das razões para vir ao Montijo, de 27 de Junho a 2 de Julho.
"O programa deste ano reflete o valor da diversidade que sempre a cidade do Montijo teve, assim como de abertura para com todas as culturas", sublinhou o presidente da Câmara do Montijo, na apresentação das Festas Populares de S. Pedro.
Nuno Canta, referiu que “as festas são um resultado coletivo de toda a comunidade montijense, das associações, das coletividades, das nossas tertúlias, dos voluntários, dos elementos da comissão de festas, das instituições económicas, da União de Freguesias do Montijo e Afonsoeiro, entre outros”.
O autarca salientou ainda o "trabalho muito digno que muitas montijenses têm tido ao longo de meses, para enfeitar os pátios dos pescadores com milhares de flores de papel, um marco de cultura e tradição local". 
Para Nuno Canta, "longe vai o tempo em que as pessoas, nos dias e noites quentes, se afastavam do Montijo. Agora as festas voltaram a atrair os montijenses e milhares de pessoas de fora. Por isso este ano as festas vão estar centradas na Praça da República e no estuário do Tejo, lugares de história e de memória, mas também de portas abertas para o futuro". 
“Este ano, as festas têm uma programação que reflete os grandes valores da cidade: a diversidade e a abertura. São estes valores que vamos celebrar”, afirmou o autarca.
O presidente da Comissão de Festas, José Manuel Santos afirmou que este ano o arraial tem seis mil metros, 40 mil pontos de iluminação. Vão ser 148 eventos e 4828 participantes, que vão atuar durante os seis dias de festa”.

Os destaques do programa 
As festas arrancam a 27 de Junho, às 19 horas, com a abertura oficial junto ao edifício dos Paços do Concelho, onde se fará ouvir o hino das Festas Populares de São Pedro. Neste primeiro dia de programa, destaque para o concerto de João Pedro Pais, no palco da Praça da República, às 22h30.
No dia 28 de Junho, às 22 horas,  na Praça da República, a noite será da Popular FM com a atuação de vários artistas convidados.
Dia de São Pedro, quinta-feira, dia 29 de Junho, às sete da manhã, a Procissão Fluvial vai sair do Cais das Faluas. A Procissão Noturna em Honra de São Pedro está marcada para as 22 horas e será um dos momentos altos da nossa festa, com cerca de 26 andores presentes.
Como habitualmente, no dia de São Marçal, 30 de Junho, vai voltar a cumprir-se a Arrematação das Bandeiras e Imagens e o Tradicional Almoço da Classe Piscatória. À noite as Marchas Populares desfilam na Avenida dos Pescadores e na Praça da República.
À meia-noite é a hora da ansiada Grande Noite de Comes e Bebes e do Pescador com “O Grande Churrasco” e massa de peixe, junto à SCUPA, com o apoio da Raporal/STEC no Bairro dos Pescadores e na Praça Gomes Freire de Andrade.
No dia 1 de Julho, sábado, uma novidade: às 13 horas na Rua Humberto de Sousa, realiza-se o primeiro Almoço do Grupo de Amigos do Bairros dos Pescadores. Um dia de festas que irá terminar com “O Grande Churrasco”, às 00h30, na Rua Joaquim de Almeida, e o Bibe Elétrico, a partir da uma da manhã, com saída do Largo da Sibéria.
No domingo, dia 2 de Julho, terá lugar o I Encontro de Charangas Festas Populares de São Pedro e o almoço “Pé na Areia” entre tertúlias, moradores e amigos, na Rua Joaquim d’Almeida.
A Rua Joaquim de Almeida e a Praça de Touros Amadeu Augusto dos Santos são o palco principal das tradições tauromáquicas. No dia 1 de Julho, às 17 horas, sairá da Rua Joaquim de Almeida o Cortejo Marialva com campinos trajados a rigor e cabrestos. 
No dia 2 de Julho, a Praça de Touros Amadeu Augusto dos Santos, vai receber uma aula Prática de Toureio a Pé, com as escolas taurinas do Montijo, de Badajoz e de Sevilha. Outra importante novidade tauromáquica das Festas de São Pedro 2017 é a realização, pela primeira vez em muitos anos, de duas corridas de toiros: no dia 28 de Junho e no dia 1 de Julho, esta especial, porque Luís Rouxinol, cavaleiro do concelho do Montijo, irá enfrentar um dos maiores desafios da sua carreira, ao lidar em solitário seis touros, de distintas ganadarias, estando as pegas a cargo dos Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica do Montijo e Amadores do Montijo.
E para acabar… Tony Carreira, no dia 2 de Julho, no palco da Frente Ribeirinha, com início às 22h30, num espetáculo ímpar, ao que se seguirá o tradicional fogo-de-artifício piromusical e a queima do Batel.
Consulte aqui o programa completo das Festas de São Pedro, no Montijo. 

[ + ]

Governo reforça investimento na frota da Transtejo e Soflusa

 “Serão levadas a cabo intervenções em quase toda a frota de navios”

O Governo aprovou, este domingo, para este ano um investimento de 10 milhões de euros para o plano de manutenção da frota de navios da Transtejo e Soflusa, que asseguram as ligações fluviais do Distrito de Setúbal à capital portuguesa. O Ministério do Ambiente indica que este investimento duplica face ao valor atribuído em 2015, ano em que atingiu os 5,4 milhões de euros, referindo que em 2017 “serão levadas a cabo intervenções em quase toda a frota de navios”, das quais “sete serão profundas”. Em 2016, o investimento na manutenção das embarcações das duas empresas públicas foi de 6,1 milhões de euros.
Governo anuncia investimentos nos catamarãs do Tejo 

O plano de manutenção, que pretende garantir “uma melhoria progressiva da oferta”, deverá estar concluído até ao final do ano, adianta, precisando que “sete das intervenções previstas serão profundas”. “O número de navios disponíveis tem vindo a decair desde 2014. No final deste ano, estarão disponíveis entre 18 e 20 navios, sendo que o mínimo para garantir uma operação sem sobressaltos são 18”, refere a nota informativa.
Apesar das limitações sentidas na oferta, segundo o Ministério do Ambiente, “a procura tem vindo a crescer, cifrando-se o crescimento em 3,8 por cento no final do mês de maio quando comparado com o ano anterior”.
No mesmo comunicado enviado à Lusa, o Ministério disse que em finais de 2015 “as deficiências em relação à manutenção dos navios eram graves” e que “apesar de um aumento com significado na manutenção em 2016 (de 5,4 milhões de euros em 2015 para 6,1 milhões de euros em 2016) não foi possível reforçar o aumento da qualidade da oferta”.
Com os 10 milhões de investimento em 2017, as empresas chegarão ao final do ano com uma capacidade reforçada de operação que permite projetar o ano de 2018 como um ano com estabilidade na operação”, concluiu a nota.
A Transtejo é a empresa responsável pelas ligações do Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão com Lisboa, enquanto a Soflusa faz a ligação entre o Barreiro e Lisboa.

Empresas com total ausências de soluções de manutenção
Em Abril, a presidente do conselho de administração da Soflusa e Transtejo disse à Lusa que vai trabalhar para resolver os problemas nas empresas, reconhecendo que o serviço de transporte fluvial se degradou.
As minhas primeiras palavras são para os utentes, que são a razão de ser das duas empresas. O serviço degradou-se e temos que ultrapassar as dificuldades existentes com a frota. Este ano já procedemos a tantas operações de manutenção e reparação como em todo o 2016, mas ainda não chega”, disse então Marina Ferreira, presidente das duas empresas.
Já em Maio o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, disse que pretendia ter, até ao final do ano, um plano de renovação das frotas da Transtejo e Soflusa, referindo que o Governo encontrou as duas empresas “com uma total ausências de soluções de manutenção”.

Agência de Notícias com Lusa

[ + ]

Embaixadores divulgam Setúbal pelo mundo

“Mais um passo para valorizar a terra do rio azul”

Mais de sete dezenas de personalidades, de todos os quadrantes da sociedade portuguesa assumiram o compromisso de serem embaixadores de Setúbal, numa cerimónia realizada, no Forte de S. Filipe. O desafio, lançado pela Câmara de Setúbal, consiste em “mais um passo para valorizar a terra do rio azul”, destacou a presidente da autarquia, Maria das Dores Meira. Terra, essa, que a autarca salienta estar “mais bonita, mais desenvolvida, onde, hoje, se constroem soluções e futuros”, e que os agora embaixadores“são responsáveis por promover”.
Leonor Freitas, empresária vitivinícola, é uma das embaixadoras  

Essa responsabilidade foi prontamente assumida na cerimónia realizada no Forte de S. Filipe, com a cidade de Setúbal como cenário, por 73 personalidades com áreas de atuação tão abrangentes que vão da política à cultura, do desporto ao ambiente, da economia ao turismo.
Herman José, José Berardo, Rosa Mota, Leonor Freitas, a dupla Anjos, Silvino, Paulo Sérgio, Toy, Eugénio da Fonseca, Luís Aleluia e Joaquim Gomes foram apenas algumas das muitas individualidades que aceitaram defender e promover o nome de Setúbal no quotidiano das suas atividades.
“É isso que vos pedimos, que continuem a divulgar esta terra. Se Setúbal atrai hoje as atenções de forma tão viva, é porque esse potencial sempre existiu aqui. Não fizemos [Câmara Municipal] nada de novo. Apenas lapidámos este diamante, que estava em bruto”, frisou Maria das Dores Meira.
O elenco de embaixadores é constituído por pessoas naturais ou não de Setúbal, mas, todas elas, com ligações muito próximas ao concelho.
Na cerimónia de entrega de diplomas de embaixadores setubalenses compareceram 73 personalidades, mas a lista compreende um total de 92 “diplomatas” sadinos.

"Setúbal é tão bonita, que fica fácil representá-la"

Figuras como José Mourinho, José Couceiro, Luís Buchinho, D. Manuel Martins e Helena Coelho também aceitaram o convite da autarquia, mas não puderam marcar presença no ato do dia 22.
Para muitos dos embaixadores, a nova responsabilidade não representa propriamente uma novidade.
“É uma grande responsabilidade, mas também é muito fácil. Setúbal é tão bonita, que fica fácil representá-la. Estou muito orgulhoso da minha cidade”, declarou Fernando Luís, protagonista de “Inspetor Max”, série que a TVI está a rodar em Setúbal, terra natal do ator.
Para a antiga bailarina Iolanda Rodrigues, atualmente coreógrafa e diretora pedagógica da Academia de Dança Contemporânea de Setúbal, esta “é uma honra a qual não muda nada”, uma vez que assume sempre ter defendido Setúbal e a dança na cidade.
O sentimento é partilhado pela arquiteta Jordana Tomé, setubalense coautora do projeto que ganhou o concurso para a futura Biblioteca Pública Municipal de Setúbal e que “já divulgava a cidade sempre que podia”.
O comendador José Berardo considera que o “cargo” de embaixador de Setúbal traz “uma enorme satisfação”, até porque, recorda, visita o concelho “há já muitos anos”, pelo que “será um gosto tremendo” passar a representá-lo.
Tarefa que também se apresenta simples para Eugénio da Fonseca, setubalense, presidente da Cáritas Portuguesa, para quem a representação da terra natal “tem todas as condições para que possa ser feita com dignidade e orgulho, sem que, com isso, se faça publicidade enganosa”.

Embaixadores de Setúbal
Lista completa

Alexandrina Pereira - poetisa
Ana Sendas - bailarina
André Matoso - geólogo
Andreas Stöcklein - artista plástico
António Alves - dirigente associativo
António Antunes Dias - professor e antigo diretor da Reserva Natural do Estuário do Sado
António Laertes - músico
António Manuel Cunha Bento - dirigente associativo
António Manuel Ribeiro - músico
António Pato - coronel de engenharia do Exército Português
Augusto Mateus - economista
Bárbara Gavaia - modelo
Bernardo Alabaça - Subdiretor-geral do Tesouro e Finanças
Bruno Soares - arquiteto-urbanista
Carlos Barradas - modelo e ator
Célia David - atriz
D. Manuel Martins - bispo emérito de Setúbal
Daniel Pires - investigador da obra bocagiana
David Mares - arquiteto
Domingos Soares Franco - empresário
Duarte Machado - presidente da Cruz Vermelha - delegação de Setúbal
Dumitru Socolan - Embaixador da Moldova
Eduardo Carqueijeiro - arquiteto
Eugénio da Fonseca - presidente da Cáritas Portuguesa
Eurico Correia Monteiro - Embaixador de Cabo Verde
Fernando António Baptista Pereira - investigador e historiador de arte
Fernando Casaca - ator e encenador
Fernando Luís - ator
Filipe Blanquet - estilista e chef
Frei Miguel de Castro Loureiro - frade franciscano
Gerson Santos - músico
Hans Peter Buehler e Marion Buehler-Brockhaus - filantropos
Helena Coelho - modelo e apresentadora
Herman José - humorista
Helena de Sousa Freitas - jornalista
Helena Fragoso Mattos - professora
Henrique Soares - presidente da Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal
Hugo O'Neill - economista e presidente da Associação Portuguesa das Casas Antigas
Ian Ritchie - diretor do Festival de Música de Setúbal
Inês Vieira da Silva e Miguel Vieira - arquitetos
Iolanda Rodrigues - coreógrafa e professora de dança
Ivan Petrov - Embaixador da Bulgária
Ivo Santos "Smile" - writer/artista plástico
Jaime Quendera - enólogo
João Cabeçadas - velejador
João Luís Carrilho da Graça - arquiteto
João Maria - decorador
João Paulo Cotrim - jornalista, escritor e editor
João Pereira Bastos - diretor do Fórum Municipal Luísa Todi
João Serra - empresário
Joaquim Gomes - diretor da Volta a Portugal em Bicicleta
Jordana Tomé - arquiteta
Jorge Silva - arquiteto-urbanista
Jorge Nunes - presidente do Conselho de Administração da Caixa de Crédito Agrícola da Costa Azul
Jorge Humberto Silva - gestão turística
José Berardo - empresário
José Couceiro - treinador
José Lourenço - gestor bancário
José Luis Martinez - inspetor de bombeiros da Generalitat de Catalunya, Barcelona, Espanha
José Maria Dias - encenador
José Manuel Pires Castanheira - arquiteto e cenógrafo
José Mourinho - treinador
José Salazar - presidente da direção da APPACDM de Setúbal
Lauro António - crítico de cinema
Leonor Freitas - empresária
Luís Aleluia - ator
Luís Barradas - chef/sushiman
Luís Buchinho - estilista
Luís Machado Luciano - médico
Luísa Perienes - escultora
Nelson e Sérgio Rosado (dupla Anjos) - cantores
Nuno Santos - diretor no setor do turismo
Paulo Frischknecht - dirigente desportivo Liga Europeia de Natação
Pedro Dominguinhos - professor
Pierre Guibert - fotógrafo
Raquel Gaspar - bióloga marinha
Raúl Tavares - jornalista
Ricardo Campos - artista plástico
Ricardo Crista - artista plástico
Rita Melo - artista plástica
Rogério Chora - pintor
Rosa Mota - atleta olímpica
Rui Carp - economista e presidente do Conselho de Administração da Imprensa Nacional - Casa da Moeda
Silvino Loureiro - treinador
Toy - cantor
Vitor Costa - presidente da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 
[ + ]

Viagem pelos Blues já começou na Baixa da Banheira

BB Blues Fest 2017 trás à Baixa da Banheira grandes nomes nacionais e internacionais

O BB Blues Fest, este ano já está na sua sexta edição, regressa à Baixa da Banheira até domingo, e traz ao Fórum Cultural José Manuel Figueiredo e Parque José Afonso, grandes nomes nacionais e internacionais dos Blues, entre os quais se destacam Zac Harmon, Lazy Lester, The Black Mamba e Wax and Boogie. "O BB Blues Fest tem apostado sempre na qualidade do seu cartaz, apresentando os melhores nomes do blues português e internacional, numa simbiose perfeita que celebra as raízes deste género musical", explica a Câmara da Moita, uma das entidades responsáveis pela organização do festival. 
Wax and Boogie atuam esta noite no Forum Cultural 

O primeiro dia deste festival, esta quinta-feira à noite, teve como estrelas Budda Guedes e Nuno Andrade que inauguram as festividades no Café-Concerto do Fórum Cultural. Budda Guedes, além de produtor musical e engenheiro de som, é guitarrista de inúmeras bandas, entre as quais os Budda Power Blues, Monstro Mau ou Mundo Cão, e juntou-se a Nuno Andrade, guitarrista e vocalista da Nuno Andrade Blues Drive, para um espectáculo mais intimista, sem perder o poder do blues que une estes dois músicos.
Esta sexta-feira,  dia 23 de Junho, pelas 21h30, o auditório abre as suas portas para receber Wax and Boogie, que vêm de Barcelona, com a sua mistura de Blues e Boogie-woogie que já lhes valeram reconhecimento internacional.
Nos últimos anos, Wax & Boogie converteu-se num dos melhores e mais valorizados formatos do panorama do blues, do rhythm and blues e do boogie woogie. Ster Wax e David Giorcelli têm sabido captar como poucos o verdadeiro espírito da música tradicional afro-americana, para transformá-lo no seu próprio meio de expressão.O seu conhecimento da linguagem da música negra é amplo, rico e variado. Ster e David deslizam com serenidade e aprumo pelas correntes mais variadas do género.
Shuffle, boogie woogie, rock ‘n’ roll, swing ou jump formam parte do seu reportório habitual, sem esquecer os intensos e quentes slow down.
Mas este duo é apenas o primeiro nome do dia. Segue-se um dos mais conceituados nomes do Blues norte-americano, Lazy Lester. Com bem mais de 50 anos de carreira, Lazy Lester é um nome incontornável deste género musical. O seu talento na guitarra e na harmónica valeram-lhe um lugar no “panteão dos velhos mestres do Louisiana”, ao lado de nomes como Lightnin’ Hopkins ou Slim Harpo.

Os blues portugueses do The Black Mamba chegam sábado 
Sábado o palco principal é dos portugueses The Black Mamba 
No sábado, dia 24 de Junho, pelas 21h30, sobe ao palco, vindo também dos Estados Unidos, Zac Harmon, um músico que bebe fortemente dos Blues do Mississippi. Apesar de já contar com uma longa carreira como produtor e “músico de estúdio”, Zac Harmon só lançou o seu álbum em nome próprio, no ano de 2002. O palco do auditório do Fórum Cultural recebe, logo de seguida, uma das mais badaladas bandas nacionais​, a actuar neste registo, os The Black Mamba.
Para o último dia deste emblemático festival, dia 25 de Junho, pelas 15 horas, está reservado o Blues Pic-nic, no Parque José Afonso, junto ao Fórum Cultural.
A animação começa com o “one man band” Billy Lobster que nos mostra o seu gigantesco talento, em guitarra, bateria, harmónica e voz. Seguem-se os Black Dog Blues Band, uma banda da Madeira com uma vertente mais tradicional dos Blues norte americanos. De seguida, sobem ao palco os The Escape Committee, na melhor tradição do Blues Rock Britânico e, para terminar a tarde em grande, é a vez do holandês Jean Paul Rena, um veterano que já passou pela Baixa da Banheira e que já animou uma Blues Night, com a sua fantástica boa disposição.
"O BB Blues Fest tem apostado sempre na qualidade do seu cartaz, apresentando os melhores nomes do blues português e internacional, numa simbiose perfeita que celebra as raízes deste género musical", diz a Câmara da Moita. O festival é promovido pela Associação BB Blues Portugal, Câmara da Moita e União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira.

[ + ]

Voluntários limpam praias do concelho de Setúbal

Ação voluntária protege estuário do Sado do lixo dos mariscadores

Ações de sensibilização de mariscadores e de limpeza de praias, no Estuário do Sado, são dinamizadas entre os dias 23 e 28, pela Ocean Alive, no âmbito da campanha ambiental de voluntariado “Mariscar SEM Lixo!”. A iniciativa, com o apoio da Câmara de Setúbal, inclui, entre os dias 23 e 26, sempre durante o período da manhã, ações de sensibilização direta aos mariscadores do lingueirão que habitualmente se encontram na zona industrial da cidade. A Praia da Figueirinha recebe a 5 de Julho, entre as nove e as 13 horas uma ação de sensibilização, com recolha de beatas e outros lixos, no âmbito da campanha Bandeira Azul 2017.

Voluntários recolheram o ano passado toneladas de lixo das praias 

A ação, dinamizada por elementos da Ocean Alive e equipas de voluntários, tem como objetivo sensibilizar os mariscadores a não deixarem as embalagens de sal fino utilizadas para capturar o marisco nos areais e no rio.
Já no dia 28, igualmente com apoio voluntariado, a organização ambiental dinamiza uma ação de limpeza de areais do Estuário do Sado, concretamente na margem de Troia, entre a zona da marina e a área da Caldeira.
Os interessados em participar nas próximas ações da Ocean Alive podem inscrever-se através do endereço oceanalive.info@gmail.com. Mais informações estão disponíveis na página da organização, em www.ocean-alive.org.
No âmbito da campanha “Mariscar SEM Lixo!”, a decorrer desde 2016, foram já dinamizadas cerca de quatro dezenas de ações de caráter ambiental, tanto de sensibilização de mariscadores como de limpeza de praias.
A iniciativa, que contou até agora com a participação de 1271 voluntários, permitiu a remoção de mais de 22,5 toneladas de lixo e de 32 mil 556 embalagens de sal fino. Foram ainda abordados 1381 mariscadores.
O “Mariscar SEM Lixo!” tem como objetivo eliminar a contaminação do ecossistema das pradarias marinhas do Estuário do Sado pelo plástico introduzido pela comunidade piscatória e lúdica local.

Voluntários caçam beatas na Figueirinha
A Praia da Figueirinha recebe a 5 de Julho, entre as nove  e as 13 horas, uma ação de sensibilização, com recolha de beatas e outros lixos, no âmbito da campanha Bandeira Azul 2017.
A iniciativa de educação ambiental Caça às Beatas, organizada pela Câmara de Setúbal em parceria com a APLM – Associação Portuguesa para o Lixo Marinho, pretende sensibilizar os veraneantes para a importância de manterem a praia limpa.
Um grupo de voluntários procede à limpeza das beatas de cigarro no areal da Figueirinha, as quais serão enviadas depois para valorização.
A iniciativa, que não carece de inscrição, é aberta a todos os interessados, sendo que os sacos e as luvas para a recolha dos resíduos são fornecidos pela organização da atividade.
A convite da Associação Bandeira Azul da Europa, a Caça às Beatas integra a campanha global CleanSeas, promovida pela ONU Ambiente, com o objetivo de eliminar grandes fontes de lixo marinho até 2022.
Esta é a primeira ação de sensibilização ambiental a decorrer este ano na Praia da Figueirinha no âmbito da Bandeira Azul 2017.
O programa inclui ainda, a 19 de Julho, a ação de sensibilização para o lixo na praia “Não deixes nada para trás!”, igualmente numa parceria da autarquia com a Associação Portuguesa para o Lixo Marinho.

Agência de Notícias
[ + ]

Festa de Alcácer do Sal arranca esta sexta-feira

Tony Carreira e D.A.M.A. na Feira de Turismo e das Atividades Económicas 

A Feira de Turismo e das Atividades Económicas de Alcácer do Sal (PIMEL), no distrito de Setúbal, abre as portas esta sexta-feira com 120 expositores e entradas gratuitas. Exposição de gado e de máquinas agrícolas, demonstrações de culinária, concursos de doçaria, de mel e petiscos, provas de vinho, atividades desportivas, música, um espaço infantil, animação de rua e uma corrida de toiros compõem o programa do certame, que decorre até domingo, com um cartaz de luxo que inclui Tony Carreira, D.A.M.A., Fábia Rebordão e Virgul.

Alcácer do Sal vai receber milhares de pessoas este fim de semana 

Com 120 expositores, mais 20 do que no ano passado, a 27.ª edição da PIMEL "está a crescer", disse à agência Lusa o presidente da Câmara de Alcácer do Sal, Vítor Proença.
"A PIMEL 2017 vai voltar a crescer, isso é o dado mais significativo e nós testemunhamos esse facto pelo interesse que há por parte dos expositores, teremos muito mais expositores", afirmou o autarca.
Das atividades económicas do concelho alentejano a agricultura é a que se destaca, em particular a produção de arroz, embora estejam também a surgir novas culturas.
"A agricultura é a principal atividade", com o arroz de Alcácer do Sal "a representar 30 por cento" da produção nacional, mas, segundo o autarca, têm também surgido novas produções, com "cerca de 15 investimentos agroalimentares em áreas diversas, como [o cultivo de] hortícolas, frutos vermelhos, pêra-abacate, mirtilos, bróculos e batata-doce".
Com entradas gratuitas, Vítor Proença tem dificuldade em afirmar "com rigor" o número de visitantes de outras edições e de estimar as previstas para este ano, mas disse acreditar que estão reunidos "todos os ingredientes para um grande evento, uma PIMEL, talvez a maior de todas que já ocorreram".

Tony Carreira sobe ao palco no sábado 
"Já há muito tempo que o alojamento está esgotado, as empresas da restauração e as associações têm resultados muito positivos na altura da PIMEL", disse o autarca, aproveitando para destacar a restauração, o rio Sado e o património histórico de Alcácer do Sal como outros motivos para visitar o concelho.
"Sentir Alcácer" é o mote da 27.ª PIMEL, que abre portas às 15 horas de sexta-feira, embora a inauguração oficial esteja agendada para as 18 horas, no pavilhão Gracieta Baião.
A programação musical começa na noite de sexta-feira, com a fadista Fábia Rebordão, às 22 horas, seguida de Virgul, às 24 horas.  Tony Carreira sobe ao palco na noite de sábado, às 22h30, e os D.A.M.A. atuam no domingo à mesma hora.
O certame, promovido pelo município, pela Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Alcácer do Sal e Montemor-o-Novo e pela Associação dos Agricultores de Alcácer conta ainda com a participação de grupos corais, uma demonstração de equitação e um colóquio sobre "Agricultura Inteligente: campos de inovação e empreendedorismo".
Consulte aqui o programa da 27.ª edição da PIMEL

Agência de Notícias com Lusa 
[ + ]

Setúbal vai monitorizar questões de Proteção Civil

Autarquia quer tornar a cidade num polo de reflexão e investigação sobre segurança 

A Câmara Municipal de Setúbal anunciou a aprovação da Plataforma de Setúbal, fórum permanente de monitorização de matérias relacionadas com a Proteção Civil, na sequência da Conferência Internacional Riscos, Segurança e Cidadania. O vereador do pelouro do Serviço Municipal de Proteção Civil, Carlos Rabaçal, disse à Lusa que "o objetivo é tornar Setúbal um polo de reflexão, investigação das questões relacionadas com os riscos e a cidadania das pessoas".
Setúbal  investe na segurança e motoriza Proteção Civil 

Setúbal foi considerada uma cidade resiliente, uma vez que, segundo Carlos Rabaçal, "tem uma atividade muito profunda de planeamento em relação aos serviços urbanos e florestais" e, ainda, "um plano de emergência para a grande zona industrial e para o centro histórico".
Os parceiros da Plataforma, nesta fase inicial, são o Centro de Estudos e Intervenção em Proteção Civil, o Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa e o Instituto Politécnico de Setúbal, que trabalham ao lado do município para "criar uma rede de conhecimentos consistentes do ponto de vista científico e técnico", diz Carlos Rabaçal, que afirma também que qualquer entidade pode aderir a este projeto.
A Autarquia aprovou a celebração de um protocolo que estabelece uma parceria para a criação da Plataforma de Setúbal, fórum permanente de monitorização de matérias relacionadas com proteção civil.
A Plataforma de Setúbal é um fórum permanente de monitorização, investigação, discussão e cooperação nas matérias relativas à aplicação do Marco de Sendai para a Redução de Risco de Desastres 2015 – 2030 em Portugal, mais concretamente no concelho de Setúbal.
Além dos signatários do protocolo, a plataforma é aberta à participação de todas entidades que a ela queiram aderir.
A Conferência Internacional Riscos, Segurança e Cidadania contribuiu para o reconhecimento de Setúbal como um dos municípios que está na vanguarda do estudo e implementação de programas e medidas de prevenção referentes à segurança.
"Essa qualidade e o empenhamento do município, da população e instituições, levaram as Nações Unidas a integrar Setúbal na plataforma mundial das cidades resilientes, distinção que se pretende continuar a manter e consolidar", refere a proposta aprovada em reunião de câmara.

Agência de Notícias com Lusa 
[ + ]

Câmaras de Seixal e Almada querem novo acesso à A2

Autarcas querem novo acesso à A2 nos Foros da Amora 

As Câmaras Municipais do Seixal e de Almada, vão solicitar ao Governo uma reunião para discutir a construção de um novo acesso à A2, na zona dos Foros da Amora. A Câmara do Seixal, em conjunto com a Câmara de Almada, as Juntas de Freguesia de Amora e Corroios e a Comissão de Utentes dos Transportes vão enviar um ofício ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas para que se estude a obra.
Almada e Seixal voltam a pedir novo acesso à A2

"Esta é uma reivindicação das populações que já tem mais de 20 anos e que surge uma vez que, só nas freguesias de Corroios e Amora, habitam cerca de 100 mil pessoas, sendo que uma parte significativa destas se desloca para Lisboa, para trabalhar ou para estudar, e contam apenas com dois acessos à A2 que as pode levar à capital: um no Fogueteiro e outro em Almada", afirmou Joaquim Santos, presidente da Câmara do Seixal.
"Com a construção deste novo nó nos Foros de Amora, a população iria repartir-se, melhorando desta forma o tráfego entre o Seixal e Almada e diminuindo as filas frequentes que acontecem em especial na hora de ponta", acrescentou o autarca.
Joaquim Santos salientou que o novo nó de acesso à A2 está previsto nos instrumentos do território da autarquia e o mesmo permitirá, além da ligação à A2, também "a ligação à Estrada Nacional 10, à Estrada Regional 10 e à A33, um interface entre estes quatro grandes eixos, sendo por isso uma infraestrutura fundamental para o concelho e para as populações".
Já o vereador Rui Jorge Martins, com o pelouro da mobilidade na Câmara Municipal de Almada, acrescentou que "com este acesso todos ficariam a ganhar" e que estão "reunidas as condições e, por isso, há que avançar com a obra".
Importa referir que a A2 é uma autoestrada sob gestão das Infraestruturas de Portugal, SA, e concessionada à Brisa, e que a competência para a execução desta obra é da responsabilidade destas entidades, por concessão do Estado Português. 

Percurso atravessado por 100 mil pessoas todos os dias 
Esta extensão da A2 que liga o Fogueteiro a Lisboa tem 12 quilómetros, existindo apenas dois acessos à mesma – um no Fogueteiro, Seixal e outro no Centro Sul, em Almada – que são utilizados por cerca de 100 mil pessoas todos os dias. "É por este motivo que a autarquia e a população consideram que a execução de um acesso intermédio contribuiria eficazmente para melhorar as deslocações entre as duas margens", diz o autarca de Almada. 
De acordo com os dois município, as mais-valias desta proposta foram confirmadas pela EP, SA em 2007, hoje Infraestruturas de Portugal, altura em que a autarquia lhe apresentou a mesma, associada à possibilidade de estabelecimento de ligações transversais às mais importantes infraestruturas rodoviárias executadas e previstas na AML-SUL, tendo esta solicitado à Brisa o estudo prévio deste nó para 2008. Com a reconfiguração institucional da EP, SA, o então criado Instituto Nacional de Infraestruturas Rodoviárias não evoluiu com o estudo prévio.
"Os acessos existentes são exatamente os mesmos desde 1966, altura da sua construção. Um no Fogueteiro e outro em Almada. Desde essa altura, a população residente no concelho aumentou substancialmente, pelo que estes acessos já não servem as necessidades da população", explica a autarquia do Seixal.
Apesar desta insistência e das justificações técnicas apresentadas, "as instituições com competências na gestão da A2 nada têm feito, recusando sucessivamente a construção deste nó, pelo que urge uma tomada de decisão do Governo sobre mais esta necessidade do concelho", conclui Joaquim Santos.

Agência de Notícias 
[ + ]

Festas Pinhal Novo 2016 - 9 Junho

Festas Pinhal Novo 2016 - 8 Junho

Festas Pinhal Novo 2016 - 7 Junho

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010