Dá um Gosto ao ADN

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Volta a Portugal no distrito de Setúbal a 4 de Outubro

Alcochete, Montijo, Pinhal Novo, Palmela, Arrábida e Setúbal recebem prova rainha do ciclismo 

A edição especial da Volta a Portugal ter um contrarrelógio individual a abrir e outro a fechar, respetivamente em Fafe, no dia 27 de Setembro, e em Lisboa, a 5 de Outubro. Um dia antes, a 4 de Outubro, a sétima e penúltima etapa da edição especial deste ano da Volta a Portugal em bicicleta vai terminar em Setúbal, depois de passar por Alcochete,  Montijo, Pinhal Novo, Palmela e pela serra da Arrábida. O percurso, dividido em oito etapas num total de 1183,9 quilómetros, inclui subidas à Senhora da Graça e Torre nas segunda e quarta etapas. Originalmente agendada para o período entre 29 de Julho e 9 de Agosto, a Volta a Portugal de 2020 acabou por ser cancelada, tendo a Federação Portuguesa de Ciclismo optado por realizar uma edição especial da prova.
Volta regressa às estradas do distrito de Setúbal 

Agendada para 4 de Outubro, a sétima e penúltima etapa da edição especial deste ano da Volta a Portugal em bicicleta vai terminar em Setúbal, depois de passar pelo concelho de Alcochete, Montijo, Pinhal Novo, Palmela e a Serra da Arrábida.
Loures, onde a República foi declarada um dia antes do resto do país, a 4 de Outubro de 1910, assinala a efeméride com o arranque da sétima etapa, que terminará em Setúbal, já depois de uma subida de segunda categoria na Arrábida, a 13,4 quilómetros da chegada, e de percorridos 161 quilómetros. O pelotão sai nesse dia de Loures já com o pensamento em cortar a meta final instalada na Avenida Luísa Todi, em Setúbal. E será em terras sadinas que apresentará uma subida de segunda categoria: a 13,4 quilómetros da chegada, o alto da Arrábida servirá de palco a uma luta exigente e mais apetecível para os trepadores e especialistas em subidas.
Este prémio de segunda categoria é, segundo a Federação Portuguesa de Ciclismo, “um convite às movimentações dos candidatos à vitória” na Volta. “Em 2017, com um final de corrida semelhante a este, logo na primeira etapa, ficou encontrado o restrito lote de candidatos à vitória final”, pode ler-se no site da Federação Portuguesa de Ciclismo que detalha as etapas da competição.
Pelo meio, esta sétima etapa contará com metas volante em Montijo (ao quilómetro 98,4) e Palmela (ao quilómetro 119,8).
A pandemia obrigou a Volta a Portugal a ser adiada, depois de vários municípios se terem recusado a receber a prova com receios relacionados com a covid-19. A Podium, habitual organizadora da prova colocou a Volta habitual em pausa e 2020 vai contar com uma edição especial, organizada pela Federação Portuguesa de Ciclismo, que se corre entre 27 de Setembro e 5 de Outubro.
O percurso da edição especial da mais importante prova do ciclismo nacional foi revelado esta quarta-feira pela Federação Portuguesa de Ciclismo e conta com 1183,9 quilómetros e nove etapas, com a prova a ter início em Fafe, com um prólogo e a terminar em Lisboa com um contrarrelógio individual.
A prova começa no dia 27 de Setembro, em Fafe e corre-se a norte do país até 2 de Outubro, contando pelo meio com três finais de etapa no alto - Santa Luzia (1.ª), Senhora da Graça (2.ª) e Torre (4.ª).
A versão mais curta da corrida não permite momentos de descanso ou transição e, assim, logo ao segundo dia, os ciclistas enfrentam a etapa mais longa da competição, uma ligação de 180 quilómetros entre Montalegre e o alto de Santa Luzia, em Viana do Castelo, onde está instalada uma contagem de montanha de terceira categoria coincidente com a meta.
Os ‘sprinters’ deverão ter uma oportunidade no final dos 171,9 quilómetros da terceira tirada, entre Felgueiras e Viseu, um dia teoricamente ‘tranquilo’ para os homens da geral, antes da jornada que poderá ser a mais decisiva na luta pela amarela: na quarta etapa, há 148 quilómetros para percorrer entre a Guarda e o ponto mais alto de Portugal Continental, a Torre.
A meta, coincidente com um prémio de montanha de categoria especial, será alcançada pela vertente que muitos consideram a mais exigente da serra da Estrela, a subida de 20,2 quilómetros desde a Covilhã, com passagem pelas Penhas da Saúde. A escalada de segunda categoria nas Penhas Douradas (ao quilómetro 72,5) e a subida de terceira categoria em Sarzedo (111) completam a ‘ementa’ montanhosa do dia.
Depois das montanhas, a 3 de Outubro a Volta chega ao Oeste, com a 6.ª etapa a correr-se entre Caldas da Rainha e Torres Novas, numa celebração do 50.º aniversário da primeira vitória de Joaquim Agostinho na prova.
No dia em que se celebram oficialmente 110 anos da Implantação da República Portuguesa, Lisboa vai coroar o vencedor da Volta a Portugal de 2020. O dono da camisola amarela será encontrado no final do contrarrelógio de 17,7 quilómetros, que parte da Avenida Ribeira das Naus para chegar na Praça do Comércio, depois de percorridas algumas das artérias mais simbólicas da zona ribeirinha e da baixa da cidade.
Em tempos de pandemia de covid-19, a Federação Portuguesa de Ciclismo preferiu detalhar o percurso da prova rainha do calendário nacional em comunicado, abdicando de uma apresentação física da edição que terá o seu cunho.
João Rodrigues, da W52/FC Porto, foi o vencedor da última edição da prova, com um tempo de 40:57:04, deixando Joni Brandão, da EFAPEL, a 27 segundos (2.º) e Gustavo César Veloso, da W52/FC Porto, a 1m08s (3.º).

Agência de Notícias 

0 comentários:

Publicar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010