Dá um Gosto ao ADN

quinta-feira, 23 de abril de 2020

Covid-19 volta a subir no distrito de Setúbal

Almada, Seixal, Barreiro, Montijo e Alcochete com mais 20 casos do que na véspera 

Quase oito semanas depois do primeiro caso registado em Portugal com covid-19, e depois de um abrandamento no inicio desta semana, a pandemia voltou a subir no distrito de Setúbal, nesta quinta-feira. Há agora mais 20 casos positivos na região, com um aumento nos concelhos de Almada, Seixal, Barreiro, Montijo e Alcochete. O número de pessoas infetadas por covid-19 é de agora de 636 nos nove concelhos da Península de Setúbal e nos quatro municípios do Litoral Alentejano. Este aumento confirma a tendência verificada no país e acentua as preocupações da Direção-Geral de Saúde  que volta a insistir no acatamento das recomendações de confinamento e do uso de proteção individual. Até porque o vírus vai continuar na comunidade ainda por muito tempo, segundo avisa a Organização Mundial da Saúde. De quarta para quinta-feira o número de mortes no país subiu para 820 (mais 35), enquanto que o número de infetados é agora de 22.353 (um acréscimo de 1,6 por cento). O número de recuperados, pelo terceiro dia consecutivo, é superior ao de mortes, situando-se agora nos 1201.
Números voltam a subir no distrito 

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou esta quinta-feira que o vírus que provoca a covid-19 vai estar presente "muito tempo", e disse começar a haver estabilidade na situação da Europa.
Ainda assim, referiu o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde, a pandemia pode reativar-se mesmo em situações em que o confinamento tem resultado, e avisou que "o mundo não voltará a funcionar como antes" e que é preciso procurar uma nova e mais segura realidade.
Tedros Adhanom Ghebreyesus lembrou também que já há 2,5 milhões de pessoas infetadas e mais de 170 mil mortes provocadas pelo novo coronavírus.
Numa conferência de imprensa em que se falou várias vezes do aliviar das medidas de isolamento os responsáveis da Organização Mundial de Saúde disseram compreender que as pessoas "queiram voltar às suas vidas normais", mas assinalaram sempre a importância, na luta contra o vírus, do afastamento social.
Ora, uma coisa que nem todos fazem no distrito e no mundo. E por causa disso, sabe-se hoje que há mais 10  novos casos no concelho do Seixal e seis novos doentes em Almada em relação ao dia de ontem. Barreiro, dois casos, Montijo e Alcochete com um novo caso da doença em cada território. As boas notícias é que em Setúbal tem agora menos três casos e Palmela perdeu um doente nas estatísticas nacionais.
Em Almada, concelho do distrito com maior incidência da doença (166 casos confirmados e dois óbitos), a câmara municipal anunciou que está a proceder à realização de testes de despistagem em todos os lares. Os testes incidem não só sobre os utentes, mas também sobre todos os funcionários.
O Seixal, com 147 doentes confirmados, é o segundo concelho mais flagelado, seguindo-se o Barreiro, com 86, a Moita com 61, e Setúbal tem 60 pessoas infetadas, sendo que destes 20 já tiveram alta, dois permanecem internados e 38 estão a recuperar nos domicílios.
Nos restantes concelhos há a registar 40 doentes no Montijo, 19 em Sesimbra, 18 em Palmela e 14 em Alcochete, o que que soma, em todos os nove municípios da Península de Setúbal, 611 infetados. 
Clássica é já a "guerra de número" entre a Direção-Geral de Saúde e as autarquias locais do Litoral Alentejano. Na ADN-Agência de Notícias, contamos os casos descritos pelas autarquias que atuam no terreno. Assim há 11 pessoas doentes doentes em Grândola. Na vila morena já há quatro recuperadas e mais 12 sob vigilância. Em Santiago do Cacém o município refere nove doentes e mais cinco recuperados. Alcácer do Sal relata quatro doentes efetivos e um recuperado e em Sines, embora não entre nas estatísticas oficiais por ter menos de três doentes, terá, de acordo com o município, um doente ativo e outro recuperado. Ou seja, no total, há 25 pessoas com o novo coronavírus nos municípios do Litoral Alentejano. 

Portugal chegou aos 820 mortos 
De quarta para quinta-feira o número de mortes no país subiu para 820 (mais 35), enquanto que o número de infetados é agora de 22.353 (um acréscimo de 1,6 por cento). Existem, segundo a Direção-Geral de Saúde, 1095 pessoas internadas, das quais 204 estão em unidades de cuidados intensivos. O número de recuperados, pelo terceiro dia consecutivo, é superior ao de mortes, situando-se agora nos 1201.
Por regiões constata-se que o Norte tem 13.382 doentes e 475 falecimentos. No Centro contam-se 3084 infetados e 179 óbitos. Em Lisboa e Vale do Tejo há 5194 pacientes e 146 vítimas mortais. O Alentejo tem agora 181 doentes e um morto. Já no Algarve os doentes são 318 e os falecidos 11. Registo ainda para os 109 casos positivos detetados nos Açores, onde a doença já matou oito pessoas. Por fim, na Madeira, há apenas 85 confirmações de doentes e zero mortes.

Agência de Notícias

0 comentários:

Publicar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010