Dá um Gosto ao ADN

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

Moita investe na Baixa da Banheira e Alhos Vedros

Autarquia reconverte rede viária e requalifica Palacete do Conde de Sampayo

Na Reunião Pública da Câmara da Moita foi aprovado, por maioria, o projeto “Reconversão Viária para Zona 30 na Ex-Estrada Nacional 11-1 da Baixa da Banheira”, atualmente a principal ligação entre os núcleos urbanos dos concelhos da Moita e do Barreiro. Esta reconversão visa a "acalmia do tráfego automóvel, a redução da velocidade e a criação de baias de paragem de autocarro fora da faixa da rodagem, o aumento dos lugares de estacionamento e das áreas de passeio, bem como a melhoria das condições das infraestruturas existentes e das condições arbóreas, de modo a reduzir as emissões de CO2", diz a autarquia.  Na mesma reunião, foi também aprovado, por unanimidade, o projeto de execução referente aos trabalhos de conservação e restauro do Palacete do Conde de Sampayo. O edifício histórico, em Alhos Vedros, vai ser um museu.   
Câmara quer "acalmar" trânsito na Baixa da Banheira 

A intervenção no núcleo urbano da Baixa da Banheira continua a ser uma das "prioridades" da Câmara da Moita. O objetivo da autarquia é "incentivar as deslocações quotidianas a pé, potenciando, em simultâneo, a revitalização do comércio tradicional".
A área de intervenção, com cerca de 2,8ha, abrange a extensão da ex-Estrada Nacional, desde a Rotunda do Emigrante até ao entroncamento com a Rua Henrique Amado, no limite do Concelho da Moita.
O projeto de execução “Estruturação de corredor urbano de procura elevada da Avenida 1º de Maio na Baixa da Banheira” foi também aprovado, por maioria. Trata-se de uma grande intervenção em toda a extensão da Av. 1º de Maio, que prevê, entre outros aspetos, "o seu reperfilamento (alargando o corredor viário através da materialização de uma faixa de rodagem com quatro vias), a criação de duas rotundas e a construção de uma ciclovia bidirecional ao longo do passeio", diz a Câmara da Moita.
Estas duas intervenções inserem-se no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, no domínio da Mobilidade Sustentável, e serão cofinanciadas por fundos comunitários, no âmbito do programa Operacional Regional de Lisboa (Portugal 2020).

Restauro do Palacete do Conde de Sampayo em Alhos Vedros
Na mesma reunião, foi também aprovado, por unanimidade, o projeto de execução referente à “Intervenção de Conservação e Restauro do Palacete do Conde de Sampayo – 1ª fase”.
Este projeto tem por principal objetivo a "intervenção faseada no edifício histórico, como forma de travar o processo de deterioração em termos estruturais, na perspetiva da sua futura integração numa estrutura museológica municipal que o município pretende integrar na Rede Portuguesa de Museus", explica a autarquia.
Sendo o edifício contíguo ao Moinho de Maré de Alhos Vedros, a Câmara Municipal pretende ainda, com esta intervenção, ampliar "as valências multifuncionais deste último, de modo a que o conjunto edificado possa assumir-se como um polo dinamizador do Largo do Descarregador, fomentando uma utilização plena do espaço envolvente e criando, assim, um foco de interesse e atração da população".
Esta intervenção insere-se igualmente no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano no domínio da Regeneração Urbana.


Agência de Notícias com Câmara da Moita 
www.adn-agenciadenoticias.com

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010