Dá um Gosto ao ADN

quinta-feira, 6 de junho de 2019

Festas do Pinhal Novo arrancam esta quinta-feira

A grande festa do povo está na rua até 11 de Junho 

Estão a chegar as grandes Festas Populares de Pinhal Novo - estão marcadas para entre 6 e 11 de Junho - no coração da vila, com um programa que aposta, uma vez mais, na valorização da identidade e cultura locais, intimamente ligadas às tradições caramelas e ferroviárias. Diabo na Cruz, Augusto Canário, Adriana Lua, Sangre Ibérico e Virgul são alguns dos principais nomes, entre as muitas propostas de animação musical previstas para o Palco Principal, na Praça na Independência. A Sopa Caramela terá, como habitualmente, lugar de destaque. Momento privilegiado de promoção do dinamismo e das potencialidades económicas da freguesia, as Festas contam, ainda, com o piquenique no jardim em homenagem a um dos fundadores das Festas [João Henrique], um passeio de pasteleiras, o desfile de vários grupos de folclore da freguesia e do país, bailaricos, procissão no domingo, a atuação diária dos Baila Ca Carroça que este ano comemoram 10 anos, sevilhanas e um vasto programa desportivo, cultural e associativo.
Festas Populares começam a 6 de Junho 


Está quase tudo pronto para a festa. As ruas e avenidas, pátios e tascas, a comunitária mesa de petiscos e animação é, a partir desta quinta-feira,  6 de Junho, a casa de todos os pinhalnovenses e de milhares de visitantes. Basta, como escreveu um poeta, “que um amigo traga consigo outro amigo mais a alegria”. Arraial, comezainas, petiscos tradicionais, muita sopa caramela [a rainha da festa há 23 anos], artesanato, festa brava e religiosa, música para os ouvidos e para dançar, folclore e bailes com ou sem sardinhas, desporto e animação noites dentro voltam a reunir uma comunidade nem sempre vizinha todo o ano.
Nas ruas de Pinhal Novo já se respira e sente a festa grande. Os expositores estão montados, o arraial está pronto, os palcos,  para receber os espectáculos, estão a ser montados. Até terça-feira, 11 de Junho, o Pinhal Novo vai esquecer os problemas do país e do mundo. É tempo de Festa Grande e de festa rija. É tempo das sopas caramelas, dos chouriços assados, da vinhaça da boa, de reencontros com amigos e dos bailaricos dos Baila Ca Carroça. Ou como diz Manuel Lagarto, presidente da Junta de Freguesia, “não é em vão que as Festas do Pinhal Novo, são a cada ano que passa, e cada vez mais, Festas Populares. É assim porque são feitas por pinhalnovenses, a pensar nos pinhalnovenses e para os pinhalnovenses". E é assim desde o início das festas que nasceram em 1997 da vontade "férrea" de José Calado e José Carreira Agostinho [presidente da junta de freguesia na altura].
Ao longo deste tempo as Festas Populares de Pinhal Novo cresceram, destacando-se como sendo o evento mais aguardado do ano pela população da freguesia. À imagem dos anos anteriores, as Festas têm um tema. As deste ano recorda, com nostalgia, os azulejos da Estação Velha e da fonte da vila, no jardim José Maria dos Santos.  
"Um elemento que nos transporta para outros tempos, que representa uma memória do mundo rural, que fazem parte da história desta terra", dizia na apresentação das Festas, Herlander Vinagre, presidente da Associação que organiza as Festas Populares de Pinhal Novo. 

Diabo na Cruz, Augusto Canário, Adriana Lua, Sangre Ibérico e Virgul 
Os Diabo na Cruz [mesmo sem a voz principal, já que a banda vai acabar no final do verão] abrem as Festas e Virgul fecha a festa maior da freguesia, na noite de 11 de Junho. Pelo meio ainda é possível escutar Augusto Canário [7 de Junho], a brasileira Adriana Lua [9 de Junho] e Sangre Ibérico [10 de Junho] na noite da PopularFM que este ano opta por apresentar um concerto único.
Pelas seis noite das Festas, muitos artistas vão passar pelo Pátio Caramelo, pelo Palco do Associativismo e pelo Palco da Gastronomia.
Good  Fellas, Roadies, Só Mamonas, Deserto, Chá do Chile, Brasil Dub, Red Lizzard, Shivers [de regresso ao palco das festas], PTA, Rad,  Sunkillers e The Bateleurs são apostas, de grande qualidade, deste ano no palco mais jovem da festa; no Pátio Caramelo, que terá concertos diários sempre às 21 e 23 horas. Depois há dj´s madrugada dentro.
Pela zona da Gastronomia [no parque de estacionamento da estação] passam este ano a Orquestra 6 Latinos, Xumbo Torto, Vice-Versa, Nani Nadais e os Bizarros, Massacotes e Pôpo e Banda.
No palco do Associativismo, [junto ao coreto] no Jardim José Maria dos Santos, há este ano muita animação. O grande destaque é a comemoração do 10º aniversário dos Baila Ca Carroça, na sexta-feira, 7 de Junho. Por lá também passa a banda da SFUA, Luís Portela e suas bailarinas, encontro de Grupos Corais, fado vadio e uma noite de sevilhanas "Sempre a Bailar".
As festas populares “têm vindo a crescer em número de visitantes, expositores e espaços”, diz a Associação das Festas Populares.
A grande novidade do programa deste ano é mesmo o desfile - na noite de sábado,  8 de Junho - de folclore regional e nacional. Pela avenida desfilam os ranchos folclóricos da freguesia: Casa do Povo do Pinhal Novo, Rurais da Lagoa da Palha e Arredores, Danças e Cantares de Olhos de Água e Rancho da Herdade de Rio Frio e grupos folclóricos convidados da Barra Cheia, Riachos do Ribatejo, Cantares do Minho, Vale Paraíso da Azambuja e os Amigos de Monte Negro do Algarve. A noite de folclore acaba com a atuação de todos os ranchos no Palco Principal.
A grande novidade deste ano é a passagem dos standes do  movimento associativo local para o Jardim José Maria dos Santos. A gastronomia vai continuar no parque de estacionamento da Estação nova e o palco principal na Praça da Independência

Festas das tradições caramelas 
As tradições continuam bem vivas nas festas 
De resto, há toiros à solta nas largadas todos os dias. Há marchas populares, farturas, algodão doce, coiratos com pelo, febra na brasa, oportunidades de negócio, bifanas no pão, artesanato, feira franca, desporto, danças,  marchas populares, piquenique no jardim em homenagem a um dos fundadores das Festas [João Henrique], um passeio de pasteleiras, muitos sabores para provar nas tasquinhas gastronómicas, carrosséis, dj´s a terminar as noites no Pátio Caramelo, foguetes às oito da manhã, bailaricos de final de noite, tardes de fitness, torneio de malha e xadrez no jardim, folclore, procissão no domingo em honra de São José, muito moscatel a correr, imperial a sair, risos, encontros à beira de uma mesa de sopa caramela, livros na Feira do Livro. Depois há os filhos da festa, os Baila Ca Carroça, que prometem dançar todos os dias em redor de uma carroça e animar os milhares de visitantes que enchem as ruas da capital "do povo caramelo". A Charanga da SFUA também por lá andará a espalhar alegria e pezinhos de dança.  As Festas encerram com um espectáculo de pirotecnia que a organização promete ser "surpreendente".
O maior desejo dos comerciantes, é que o negócio corra melhor do que nos anos anteriores. E que, sobretudo, "não chova tanto como no ano passado".

Autarcas orgulhosos nas "suas" Festas
Para Manuel Lagarto, presidente da Junta de Freguesia de Pinhal Novo "a cada ano que passa, as festas parecem mais novas. Elas são, em muitos aspetos, a imagem de Pinhal Novo. A imagem de uma freguesia jovem que se quer moderna, dinâmica e boa anfitriã". Manuel Lagarto, explicou ainda que as "festas do Pinhal Novo são populares, porque são feitas pelo povo e nestes 22 anos continuam a inovar e a despertar o interesse da população e dos visitantes".
O autarca acredita que esta edição vai ser melhor que a do ano passado. "Espero uma grande edição das Festas Populares esta certeza é quase uma tradição a cada edição a festa tende a ser melhor que a do ano anterior”, salienta o autarca que garante o "apoio de sete mil euros, largamente ultrapassado no apoio logístico".
Considerado o maior evento da freguesia, as festas populares fazem a população vibrar nestes primeiros dias de Junho. Álvaro Amaro conta que "estas são festas do povo, uma festa de um lugar rural e cosmopolita. Dos pinhalnovenses e dos visitantes".
Para o autarca "Pinhal Novo é uma terra feliz não só pelo desenvolvimento económico e sustentável, mas sem pôr em causa as suas tradições caramelas e ferroviárias". Álvaro Amaro considerou "o programa eclético numa festa de fraternidade inclusiva e intercultural e a autarquia identifica-se com esta linha de trabalho porque fazemos parte e estamos na festa".
As Festas - como carinhosamente são conhecidas - são uma "referência da região e que contribui para fortalecer a auto-estima das gentes de Pinhal Novo na sua forma de fazer, de estar e de vincar a sua identidade. É uma montra desta terra da vitalidade do associativismo, dos agentes económicos, é um espaço onde todos querem estar", disse Álvaro Amaro. "As festas vão continuar a fazer história no futuro", concluiu o presidente da Câmara de Palmela.
As Festas Populares de Pinhal Novo envolvem um orçamento de 275 mil euros, com um apoio monetário da Câmara de 14 mil euros, sendo o apoio logístico superior a 38 mil euros, segundo contas da autarquia.

Consulte AQUI o programa das Festas Populares de Pinhal Novo


0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010