Dá um Gosto ao ADN

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Incêndio deixa três pessoas desalojadas em Almada

18 pessoas ficaram feridas após fogo em prédio de sete andares 

O incêndio urbano que deflagrou este domingo de manhã no Pragal, concelho de Almada,  provocou 18 feridos, um dos quais em estado grave, e três desalojados, disse fonte da Proteção Civil. O Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal indicou, neste balanço final, que oito dos feridos foram transportados para o Hospital Garcia de Orta, em Almada. Segundo a mesma fonte, outras 10 pessoas foram assistidas no local. O segundo comandante dos Bombeiros de Almada, Jorge Delgado, disse que o ferido grave é um jovem de 17 anos, que estava num quarto no apartamento onde ocorreu o incêndio, tendo "entrado em paragem cardiorrespiratória" e sido transportado para o hospital, em "estado grave".
Fogo destruiu apartamento em Almada 


Um incêndio num prédio de sete andares no Pragal, no concelho de Almada, provocou este domingo 18 feridos, um deles em estado grave, e obrigou à retirada de 30 pessoas. O fogo não chegou a colocar em risco os edifícios contíguos.
O incêndio começou pelas 9h16 e teve origem numa fração do terceiro andar do n.º 2 da Rua de São Domingos, perto da estação de comboios do Pragal, obrigando à evacuação de todos os habitantes do edifício. Foi dado como controlado perto de uma hora depois, tendo os bombeiros levado a cabo operações de ventilação do edifício.
Dos 18 feridos, dez foram assistidos no local e oito tiveram de ser transportados para o hospital devido à inalação de fumo, confirmou Jorge Delgado, segundo comandante do Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Almada. Uma das vítimas, um jovem de 17 anos, está em estado grave. O rapaz foi encontrado na casa onde deflagrou o fogo em paragem cardiorrespiratória e foi reanimado. Está neste momento internado na unidade de cuidados intensivos do Hospital Garcia de Orta, em Almada, com queimaduras nas vias respiratórias, sendo o prognóstico muito reservado.
"As pessoas já regressaram às habitações, à exceção da família que habita na fração do 3.º andar onde ocorreu o incêndio, uma mulher e dois filhos, um dos quais é o ferido grave, que ficaram desalojados, temporariamente, sendo realojados em habitação de familiares, visto que a casa ficou sem condições de habitabilidade", adiantou a mesma fonte. 
De acordo com o segundo comandante dos Bombeiros de Almada, o jovem ferido, em estado grave, "estava sozinho na habitação, num quarto, quando ocorreu o incêndio, que começou na sala".

Família que vivia na casa ficou desalojada
A casa onde a vítima vivia com a mãe e o irmão ficou “sem condições de habitabilidade”, disse à Agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal. A família, temporariamente desalojada, terá de ficar em casa de familiares.
Para combater o incêndio estiveram no local 33 operacionais do corpo de bombeiros de Almada e de Cacilhas, juntamente com PSP de Almada, o serviço de proteção civil da Câmara de Almada e o INEM. As causas ainda não foram apuradas. 
A Polícia Judiciária tomou conta da ocorrência e irá investigar o que esteve na origem do fogo.

Agência de Notícias com Lusa 

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010