Dá um Gosto ao ADN

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Sapadores de Setúbal reforçados em dia de festa

“Uma poderosa vanguarda das forças de proteção e socorro” em Portugal e na Europa


A integração de vinte novos elementos na Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal, num reforço da capacidade operacional, foi nesta quarta-feira, um dos momentos altos da cerimónia comemorativa dos 232 anos da instituição. Os novos operacionais, envolvidos ao longo de 2017 numa exigente recruta com treino em vários domínios e formações teórico-práticas, prestaram, defronte dos Paços do Concelho, o juramento de honra e receberam os machadinhos, as divisas e os capacetes da companhia. “Este é um dia feliz. Há muitos anos que não tínhamos uma cerimónia assim”, exaltou a presidente da Câmara de Setúbal, Maria das Dores Meira, no ato solene que “honra a história e a coragem de gerações e gerações de bombeiros que, com o risco da própria vida, deram tudo o que estava ao seu alcance para ajudar os outros”.

Sapadores de Setúbal completaram esta quarta-feira 232 anos 


A Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal é atualmente “uma poderosa vanguarda das forças de proteção e socorro” em Portugal e na Europa, resultado do investimento realizado pela autarquia “para garantir a máxima operacionalidade” em termos de proteção civil, salientou a autarca.
Para isso, o município investiu, nos últimos anos, no reequipamento da Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal, na integração de novos recursos humanos, na reformulação do dispositivo de proteção civil e na nomeação de novas chefias, situação ultrapassada graças ao recente descongelamento de carreiras.
Além do investimento em material e pessoal, os Sapadores de Setúbal reforçaram e ampliaram as capacidades de intervenção, de que é exemplo a constituição de equipas especializadas em matérias perigosas, em busca e resgate e, mais recentemente, em meio aquático.
A presidente da autarquia aludiu ainda ao recente constrangimento provocado pela decisão do Tribunal Constitucional em declarar inconstitucional a Taxa Municipal de Proteção Civil, mecanismo criado pelo Estado em 2006 e uma das fontes de financiamento para apetrechamento dos bombeiros e proteção civil.
Não obstante as dificuldades, a autarca deixou a garantia de que o município prosseguirá “o percurso de qualificação dos serviços de proteção civil e bombeiros”, mesmo depois de “um longo ciclo de modernização e de qualificação de recursos humanos e de reforço do número de efetivos dos Sapadores”.

"Bombeiros devem ter uma carreira que lhes permita adquirir competências"
Os 232 anos de história em prol do socorro, com a participação de várias gerações de profissionais, representadas na cerimónia desta manhã, foram realçados pelo comandante dos Sapadores de Setúbal, Paulo Lamego, que destacou a operacionalidade da instituição que comanda há sete anos.
O treino físico, técnico e tático constante, alicerçado em princípios de conduta, faz dos Sapadores setubalenses “uma referência na prestação de socorro”, afirmou, para deixar o alerta de que os bombeiros são necessários durante todo o ano e não apenas nos períodos de incêndios.
Com o objetivo de difundir esta mensagem, Paulo Lamego, em Novembro de 2017, repetiu a iniciativa “Bombeiros – Corrente Solidária que Une Portugal”, na qual percorreu de bicicleta, na companhia de mais oito elementos, toda a extensão da Estrada Nacional 2, entre Faro e Chaves, odisseia na qual partilhou um manifesto.
“Após as várias e diferentes catástrofes ocorridas em 2017, o discurso mais ouvido foi o que de que nada pode ficar como antes. A realidade atual exige um socorro eficaz em todas as ocorrências, pelo que se impõem mudanças estruturais num sistema que revelou e revela fragilidades”, afirmou Paulo Lamego.
Neste sentido, o major do Exército adverte que o caminho a trilhar deve ser feito de “unidade, confiança, cooperação, compreensão, continuidade e clareza da cadeia de comando, integração e descentralização, termos que não podem estar só em papel e que têm de, efetivamente, ser postos em prática”.
Paulo Lamego acrescentou que os “bombeiros devem ter uma carreira que lhes permita adquirir competências para agir corretamente nas grandes catástrofes, o que só é possível com a integração de profissionais em equipas de primeira intervenção que terão de existir em qualquer corpo de bombeiros”.
O futuro da Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal está nos vinte operacionais que ontem de manhã fizeram o juramento. “Aos novos, lembrem-se, nunca lhes prometemos uma vida fácil. Fomos sempre exigentes mas sabemos que esse rigor é necessário ao cabal cumprimento das missões e da salvaguarda da vossa integridade”. 
A cerimónia comemorativa dos 232 anos, com a participação da banda do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, incluiu ainda uma romagem ao cemitério de Nossa Senhora da Piedade, para deposição de flores no talhão dos bombeiros, em homenagem aos operacionais falecidos, e um almoço de confraternização no quartel da Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010