Dá um Gosto ao ADN

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Munícipes ativos apagam gatafunhos em Setúbal

"Eles sujam, nós pintamos por cima. Sujam outra vez e nós voltamos a pintar"

Os primeiros kits destinados a munir os munícipes com equipamento de pintura para apagar inscrições que sujam o edificado urbano do concelho foram distribuídos pela Câmara de Setúbal. “Estamos permanentemente a imaginar e a executar coisas destinadas a fazer desta cidade a mais bonita de Portugal. Mas há gente que, por falta de cidadania, insiste em dificultar esse trabalho”, sublinhou a presidente da autarquia, Maria das Dores Meira, na apresentação do projeto “Vamos Apagar os Gatafunhos!”, sessão realizada na Casa da Baía que contou com cerca de duas dezenas de cidadãos interessados em receber os primeiros kits de pintura. Com esta iniciativa, a autarquia apela ao espírito de cidadania, trabalhando em conjunto com os munícipes para que estes atuem diretamente nos edifícios onde moram ou trabalham e apaguem as inscrições que, sem terem nada a ver com arte urbana, sujam o edificado do concelho.
Autarcas e munícipes querem cidade limpa de gatafunhos  

Os kits, distribuídos gratuitamente pela Câmara Municipal, contêm trincha, rolo de pintura, tabuleiro, cor primária e um pequeno guia com noções simples de pintura.
Cada kit inclui ainda um voucher para que, depois de devidamente preparadas as áreas destinadas a limpar os gatafunhos, os munícipes possam requisitar, também gratuitamente, junto dos serviços municipais, baldes de tinta de cor idêntica à original das superfícies indevidamente danificadas pela pintura de gatafunhos.
“Eles sujam, nós pintamos por cima. Sujam outra vez e nós voltamos a pintar. Vamos vencê-los pelo cansaço”, afirmou Maria das Dores Meira em jeito de desafio à população para se envolver nesta ação que, considera, “só pode acabar em êxito caso toda a gente se una em torno do objetivo comum”.
Ainda em fase de arranque, “Vamos Apagar os Gatafunhos!” conta já com mais de trinta inscrições, seja de pessoas que, a título individual, desejam recuperar as paredes dos edifícios onde moram ou trabalham, seja de entidades que, a título coletivo, pretendem intervencionar áreas maiores da cidade, como é o caso da Associação de Moradores da Aldeia da Piedade, em Azeitão.
Cláudia Castelo, proprietária de uma loja no centro histórico de Setúbal, saiu da Casa da Baía com um dos primeiros kits antigatafunhos a serem distribuídos.
“Confesso que já tinha pensado ser eu própria a fazer tudo sozinha. Há determinadas zonas da cidade, como o centro histórico, que estão muito maltratadas por este tipo de atitudes menos corretas. Quando vi a divulgação desta iniciativa, achei excelente e nem pensei duas vezes em envolver-me”.
André Santos, que levou outro conjunto de materiais distribuídos no dia 17, está numa situação semelhante. Com um negócio no Bairro de Troino, salientou que “tudo o que seja para melhorar a cidade é de louvar”.
O munícipe realçou ainda a importância do espírito de participação cidadã inerente ao projeto. “As pessoas gostam e têm o hábito de se queixarem, mas, agora, todos têm a oportunidade de contribuir e de melhorar os locais onde vivem”.

A cidade "só fica a ganhar" 
Estes foram os primeiros passos de um projeto que se quer maior. “Agora, é passar a palavra. Com o envolvimento de todos os vizinhos, só há a hipótese de o projeto correr bem”, garantiu Maria das Dores Meira.
A autarca sublinhou igualmente que “a cidade tem de agradecer o trabalho dos cidadãos que se envolvem desta forma”, pois, “se cada um tomar conta do seu prédio ou da sua rua, quem suja não vai ter outra hipótese que não seja desistir”.
Os serviços da autarquia, mediante a apresentação dos proponentes para requisição dos kits antigatafunhos, fazem uma avaliação preparatória dos espaços candidatos a serem beneficiados pelos munícipes.
Essa avaliação permite aferir a cor original das superfícies prejudicadas pela pintura indevida de inscrições, mas, também, se o próprio projeto é o mais ajustado para o edificado a intervencionar.
Há casos que necessitam de trabalhos de reabilitação generalizados e a avaliação feita pelos serviços camarários recomendou a inclusão desses imóveis noutro projeto de participação cidadã desenvolvido pela Câmara Municipal, o “Setúbal Mais Bonita”.
Os interessados em pedir o kit antigatafunhos devem contactar o Gabinete de Participação Cidadã da autarquia através do número de telefone 265 541 500 ou do endereço gapc@mun-setubal.pt.
O trabalho generalizado que tem vindo a ser desenvolvido nos últimos anos numa parceria estreita entre população e Câmara Municipal foi destacado por Maria das Dores Meira.
A autarca recordou um outro projeto de participação cidadã, igualmente a decorrer, destinado a limpar o horizonte urbano das antenas obsoletas de televisão, “Setúbal Recicla Antenas”.
“A maioria das antenas já não faz nada nos telhados da cidade. Só a torna feia. E o que pedimos às pessoas é tão simples como a autorização para que os nossos bombeiros as possam remover. Nada mais do que isso. Só uma simples autorização. Se todos nos derem essa permissão, Setúbal só fica a ganhar”, salientou Maria das Dores Meira.

Agência de Notícias com Câmara de Setúbal 

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010