Dá um Gosto ao ADN

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Recuperação do Forte de Albarquel avança em Setúbal

Ingleses investem 900 mil euros na nova sala de visitas da cidade 

A Câmara de Setúbal aprovou, em reunião pública, um memorando de entendimento a celebrar com a Fundação The Helen Hamlyn Trust para recuperação do Forte de Albarquel. O memorando de entendimento destaca o “grande interesse público na recuperação e reabilitação do Forte de Albarquel”, uma vez que possibilita “a criação de um espaço de grande qualidade para a utilização cultural e social dirigido a todos os munícipes e cidadãos”, destaca a autarquia A Fundação inglesa vai investir cerca de 900 mil euros para reabilitar o Forte de Albarquel. 
Câmara aprovou protocolo para recuperação do Forte de Albarquel 

No memorando de entendimento, aquela instituição de beneficência com sede em Londres compromete-se a financiar a intervenção de recuperação e restauro daquele património até ao limite de 750 mil libras esterlinas, cerca de 900 mil euros, no âmbito da Lei do Mecenato e das Leis Inglesas e do País de Gales.
A deliberação realça que o The Helen Hamlyn Trust “desenvolve projetos inovadores que visam melhorar a qualidade de vida das populações, de que se destaca, entre um vasto domínio, a experiência na recuperação de Fortes com relevância histórica e o apoio concedido ao Festival de Música de Setúbal”.
O Forte de Albarquel, a par de uma parcela de terreno com cerca de 7800 metros quadrados, foi cedido pelo Estado português à Câmara de Setúbal, que lidera o projeto de reabilitação. O Auto de Cedência e de Aceitação foi outorgado a 29 de Janeiro de 2015 e vigora por um período de 32 anos.
Uma das componentes do projeto, de índole museológica e expositiva, envolve a instalação de um núcleo museológico permanente e temporário, destinado à fruição cultural e histórica dirigida aos cidadãos em geral, mas sobretudo aos alunos dos diversos níveis de ensino.
Uma segunda valência, para atividades culturais, prevê manifestações culturais e artísticas de caráter mais restrito, incluindo concertos de música de câmara, recitais de poesia, apontamentos teatrais, apresentação de obras literárias e mostras de artes plásticas.

Sala de visitas da cidade 
A terceira componente pretendida, vocacionada para receção e acolhimento, visa capitalizar o enquadramento natural do Forte de Albarquel, utilizando o edifício como sala de visitas de Setúbal, para receber individualidades como corpos diplomáticos, delegações estrangeiras, investidores e empresas.
O memorando de entendimento destaca o “grande interesse público na recuperação e reabilitação do Forte de Albarquel”, uma vez que possibilita “a criação de um espaço de grande qualidade para a utilização cultural e social dirigido a todos os munícipes e cidadãos”.
Por outro lado, o documento realça que a recuperação daquele património“permite alavancar a reabilitação de toda a zona envolvente [ao Forte de Albarquel], dando continuidade às políticas públicas de atração e aproximação dos cidadãos aos mar e às zonas ribeirinhas nos grandes centros urbanos”.
O memorando de entendimento aprovado na reunião pública de ontem tem como objetivo delimitar a base sobre a qual a Câmara Municipal de Setúbal e a Fundação The Helen Hamlyn Trust vão trabalhar até à aprovação e execução do contrato de subvenção.
No âmbito desta ação, a autarquia compromete-se, entre outras intervenções, a preparar e a promover a realização de limpezas dos espaços exteriores envolventes, concretamente entre o Forte de Albarquel e uma futura área de estacionamento a ser construída pelo município setubalense.

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010