Dá um Gosto ao ADN

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Assunção Cristas visitou floriculturas no Montijo

Ministra da Agricultura e Pescas esteve na "capital da flor" 

A convite da Associação Portuguesa de Produtores de Flores Naturais, Assunção Cristas, ministra da Agricultura e do Mar, acompanhado do presidente da Câmara do Montijo, Nuno Canta,  visitou duas floriculturas do Montijo, para conhecer este sector económico que é uma das principais atividades empresariais do concelho. A ministra mostrou-se bastante interessada por este sector de atividade e incentivou o associativismo dos produtores como forma de facilitar o acesso a apoios financeiros. Recorde-se que, a região do Montijo é a maior produtora de gerberas da Península Ibérica e responsável por 60 por cento da produção nacional de flores em estufa, tem mais de 30 empresas a trabalhar neste ramo que empregam cerca de um milhar de pessoas. 

Assunção Cristas visitou estufas no Montijo 
A convite da Associação Portuguesa de Produtores de Flores Naturais (AFFPN), a ministra visitou as empresas Florineve e Florisul para conhecer este sector económico que é uma das principais atividades empresariais do concelho do Montijo.
“Quisemos mostrar a força que o sector tem e pode vir a ter na economia regional e nacional, inclusive ao nível da exportação. Em dois anos reduzimos as importações de flores em 20 por cento e aumentámos as exportações em 10 por cento”, realça Victor Araújo, vice-presidente da AFFPN e proprietário da Florineve.
Durante cerca de duas horas, a ministra Assunção Cristas e o presidente da Câmara Nuno Canta constataram o dinamismo do sector, a forma de produção, a sua capacidade de inovação e, também, alguns dos condicionalismos que afetam o crescimento da atividade.
Tal como explica Victor Araújo, é necessário uma “clarificação da legislação, uma orientação a nível nacional que possibilite a resolução da questão do licenciamento de estufas que diverge de município para município”.
A este propósito, o presidente Nuno Canta salientou a alteração ao Plano Diretor Municipal do Montijo que está a ser promovida pela câmara , está já previsto “aumentar a taxa de ocupação do solo permitida para as estufas”, assegurando que “havendo leis devidamente claras, a autarquia continuará empenhada em ser um parceiro ativo dos floricultores do concelho na resolução dos seus problemas”.

Montijo tem mais de 30 empresas neste ramo
Ministra da Agricultura quer união dos produtores de flores 
Para além da questão dos licenciamentos, os produtores de flores informaram a ministra da Agricultura e do Mar das dificuldades relacionadas com os custos de produção: “durante o Inverno ainda não conseguimos ser competitivos devido aos custos do gás natural e da eletricidade”, afirmou o vice-presidente da APPFN.
A ministra mostrou-se bastante interessada por este sector de atividade e incentivou "o associativismo dos produtores como forma de facilitar o acesso a apoios financeiros", realçou Assunção Cristas.
Recorde-se que, a região do Montijo é a maior produtora de gerberas da Península Ibérica e responsável por 60 por cento da produção nacional de flores em estufa. A região tem mais de 30 empresas dedicadas à produção e comércio de flores e gera mais de mil postos de trabalho diretos. O Montijo, pelas muitas industrias do ramo que se instalaram no concelho, denomina-se "Capital da Flor".

Agência de Notícias

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010