Dá um Gosto ao ADN

terça-feira, 23 de abril de 2019

Barreiro sem barcos para Lisboa nas horas de ponta

Trabalhadores da Soflusa em greve parcial por nova escala de serviço 

A Soflusa, empresa de transporte fluvial entre o Barreiro e Lisboa, informou que a greve parcial de segunda-feira registou uma adesão de 45 por cento dos trabalhadores, assegurando que o aumento da oferta não implicou alterações nas escalas de serviço, suprimindo o transporte de passageiros entre o Barreiro e o Terreiro do Paço, em Lisboa, da 1h30 às 10 horas. A paralisação continua esta terça-feira da 1h30 até às 10 manhã e de tarde partir das 18 até às 22 horas. A greve nas horas de ponta serve, diz o sindicato, para "os trabalhadores reivindicar uma nova escala de serviços e a contratação de profissionais". 
Greve começou na segunda e termina hoje à noite 

Nesta paralisação de dois dias, que continua na terça-feira, os trabalhadores pedem uma nova escala de serviços e a contratação de profissionais para diminuir a sobrecarga de trabalho, que, segundo a Fectrans - Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações, se acentuou em Abril, depois de se ter aumentado a oferta "com o mesmo número de efetivos" - uma afirmação negada pela empresa.
"Os ajustes introduzidos no horário comercial, desde o passado dia 1 de Abril, não constituem uma sobrecarga das atuais tripulações, considerando que o aumento da oferta não implicou qualquer alteração ao regime dos horários de trabalho (escalas de serviço)", indicou a transportadora.
Em resposta às reivindicações, a Soflusa esclareceu também que já foram contratados cinco novos profissionais.
"Mediante despacho do secretário de Estado do Tesouro, datado de 7 de Dezembro de 2018, a empresa foi autorizada a contratar cinco trabalhadores (quatro marítimos e um auxiliar de terra), os quais já se encontram ao serviço", informou.
A Lusa tentou contactar a Fectrans para confirmar a adesão à greve, mas até ao momento não foi possível obter declarações.
Na semana passada, Carlos Costa, da Fectrans, tinha indicado à Lusa que os trabalhadores pretendem com este movimento "negociar a alteração à escala", que está a sobrecarregar sobretudo os mestres e maquinistas da empresa.
A greve continua na terça-feira e, segundo comunicação da Soflusa, no seu 'site', o serviço será realizado em apenas três horários, entre as 0h05 e 1h30, as 10h15 e as 17h45 e das 22 horas às 23h30.
"Durante os períodos de interrupção do serviço, os terminais fluviais estão encerrados, por motivos de segurança", informou.

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010