Dá um Gosto ao ADN

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Presidente da República visitou o bairro Jamaica

Marcelo aceitou convite para a próxima festa da associação de moradores

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, visitou, ao final da manhã desta segunda-feira, o bairro da Jamaica, no Seixal, sem anúncio prévio, e aceitou um convite para estar presente na próxima festa da associação de moradores. Esta deslocação surpresa do chefe de Estado acontece duas semanas após se terem registado incidentes com a polícia e que levaram à abertura de um inquérito pelo Ministério Público, devido à atuação policial, considerada excessiva pela associação SOS Racismo. "O presidente não distinguiu ninguém. Pobres, sujos, ninguém. Mas abraçou quase todas as pessoas do bairro!", disse um morador. No entanto a visita não agradou a todos. Paulo Rodrigues, presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia, criticou o Presidente da República pela sua visita ao bairro. "Nada contra ele ir à Jamaica ou onde ele quiser, mas menosprezar quem produz segurança no País e nunca ouvir uma só palavra em favor destes profissionais é um sinónimo do desprezo completo", disse o sindicalista.
Presidente tirou fotos com moradores do bairro 


Conduzindo o seu próprio automóvel, com os dois seguranças a seguirem-no de perto numa outra viatura, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, visitou na segunda-feira o Bairro da Jamaica, no Seixal, numa deslocação que não foi previamente comunicada à imprensa nem contou com outros membros da sua equipa.
Com o objetivo de saber pormenores sobre o processo de realojamento dos habitantes do bairro, Marcelo chegou ao local pouco depois do meio-dia e saiu antes da uma da tarde, numa visita que não durou mais de 45 minutos.
Tempo que lhe permitiu, ainda assim, estar reunido com dirigentes da Associação de Moradores e visitar o Centro Comunitário, onde conviveu com moradores de diversas idades, segundo uma nota no site da Presidência da República.
Quando já estava para sair do bairro, o Presidente foi apresentado à família Coxi, que esteve envolvida no incidente com a PSP na manhã de 20 de Janeiro.
Segundo escreve o Diário de Notícias, Fernando Coxi, o pai do jovem que foi detido pela polícia, e que alega ter sido agredido pelos agentes sem qualquer necessidade, este incidente não foi motivo de conversa. "Quando ele ia a sair do bairro apresentei-me e à minha família e pedimos para tirar uma foto. Era para falar do que aconteceu para desmentir a versão da polícia, mas não falámos", contou o morador ao jornal.
O Presidente da República diz ter aceitado também o convite para estar presente na próxima festa da Associação.

Sindicato da PSP critica visita de Marcelo
O presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia, acusou Marcelo Rebelo de Sousa de ser um Presidente “de quase todos os portugueses”. Na respetiva página de Facebook (a conta é privada, mas o post é público), Paulo Rodrigues acusa o Presidente da República de “desprezo completo” para com a força policial. A afirmação surge na sequência da visita de Marcelo ao bairro da Jamaica.
"Sinto-me descriminado... Já pedi ao Presidente da República reunião, já pedi que interviesse para resolver questões da Polícia, já o convidei várias vezes, publicamente, para aparecer um dia, sem avisar, e junto com uma patrulha, fazer um turno de serviço e ir resolver ocorrências, ele nunca aceitou. Mas foi ao bairro da Jamaica!", começa por escrever Paulo Rodrigues, no Facebook, acrescentando ainda que se a ideia do chefe de Estado era “ver edificações degradadas, podia ter ido à Calçada da Ajuda em Lisboa ou à Bela Vista do Porto, que em matéria de instalações vergonhosas ganham à Jamaica".
"Nada contra ele ir à Jamaica ou onde ele quiser, mas menosprezar quem produz segurança no País e nunca ouvir uma só palavra em favor destes profissionais é um sinónimo do desprezo completo", acrescentou.
Marcelo Rebelo de Sousa é assim o segundo político a visitar aquele bairro, depois de incidentes que envolveram moradores e a policia e que até já deram origem a averiguação da própria PSP. Pedro Santana Lopes também visitou o bairro mas, ao contrário do Presidente, avisou os jornalistas.
O bairro Jamaica começou a formar-se na década de 90 e tem-se mantido sem condições de habitabilidade, com edifícios inacabados a servir de casa.
Recentemente, no final de 2017, foi assinado um acordo para realojamento de 234 famílias, numa parceria entre o Governo e a Câmara Municipal do Seixal.
O primeiro-ministro, António Costa, visitou o bairro Jamaica no dia 21 de Dezembro de 2018, após ter ficado concluída a primeira fase de realojamento de moradores, que abrangeu 64 famílias.

Agência de Notícias

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010