Dá um Gosto ao ADN

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Árvore portuguesa do ano passa de Palmela para Mértola

Azinheira secular do Monte Barbeiro sucede ao sobreiro assobiador de Águas de Moura

O município de Palmela marcou presença na cerimónia de entrega do Prémio Árvore Portuguesa do Ano 2019 que se realizou em Mértola, junto à árvore vencedora, a Azinheira Secular do Monte Barbeiro. Selecionada entre dez candidatas, a Azinheira Secular foi a árvore eleita para suceder ao Sobreiro Assobiador, de Águas de Moura, para representar Portugal no concurso europeu Tree of the Year 2019. A Câmara de Palmela esteve representada no evento por Daniel Rodrigues, técnico do Departamento de Ambiente e Gestão Operacional do Território, que durante a cerimónia foi convidado a partilhar a experiência do Município de Palmela no concurso Árvore Europeia do Ano 2018.
Cerimónia decorreu no concelho de Mértola 

A recordar que o Concelho de Palmela ficou inscrito na história desta iniciativa com a eleição do Sobreiro Assobiador como Árvore Europeia do Ano 2018, património que pode ser apreciado na aldeia Águas de Moura, em Marateca.
Com mais de duzentos anos, o Assobiador está classificado como Árvore de Interesse Público e ficou conhecido por ser o Sobreiro mais produtivo do mundo. Descortiçado mais de 20 vezes desde 1820, a extração de cortiça realizada em 1991 obteve 1.200 kg, produzindo cortiça suficiente para o fabrico de mais de cem mil rolhas.
Estima-se que tenha sido plantado há 234 anos. Tem cerca de 30 metros de diâmetro de copa e cerca de 17 metros de altura. “É conhecido como o Sobreiro Assobiador, porque como tem uma copa muito larga – que apesar da idade avançada está em boas condições –, quer ao nascer do dia que ao pôr do Sol as aves pousam na sua copa e fazem um chilrear imenso. Daí o nome da árvore”, conta Nuno Calado, engenheiro florestal e secretário-geral da União da Floresta Mediterrânea. E, se ao longo da sua vida lhe extraíram cortiça mais de 20 vezes, agora isso já não acontece. “Já está na reforma”, brinca.
“O concurso não procura a árvore mais bonita esteticamente, mas sim uma árvore com uma história, uma árvore enraizada nas vidas e no trabalho das pessoas e da comunidade que a rodeia”, lê-se num comunicado da União da Floresta Mediterrânea. 
E o Sobreiro Assobiador já testemunhou muitas histórias ao longo dos anos. Por exemplo, também lhe chamam “casamenteiro”, porque muitas gerações de apaixonados namoraram sob a sua copa. Nuno Calado destaca ainda que há uns anos grupos de ciganos casavam e faziam festas na sua sombra. Agora, mesmo no meio da aldeia de Águas de Moura, tem uns banquinhos e uma vedação de madeira feita pela Câmara de Palmela. Por isso, à tardinha, muitas pessoas sentam-se sob a sua copa a conversar e a usufruir daquele espaço.
Com vista a valorizar este exemplar, a Câmara de Palmela investiu na reabilitação paisagística da área envolvente com a criação de uma zona de contemplação e interpretação do Sobreiro de Águas de Moura.
O município de Palmela regozija-se "com a representação do nosso património natural e do pais, no referido concurso, pela Azinheira Secular do Monte Barbeiro, esperando que a votação face jus à sua singularidade e relevância". 

Azinheira de Mértola com uma sombra majestosa
Azinheira secular é a nova árvore do ano 
A uns sete quilómetros da aldeia de Alcaria Ruiva (no concelho de Mértola), permanece na ponta de um montado, há já cerca de 150 anos – estima-se –, uma azinheira que com a sua copa pode envolver quatro ou cinco outras da sua espécie que tenham um tamanho normal. Não há como enganar quando chegarmos ao terreno, garante-nos Jorge Rosa, presidente da Câmara  de Mértola: “Esta árvore é uma gigante no meio de outras azinheiras de tamanho normal.” Chama-se Azinheira Secular do Monte Barbeiro e agora foi a vencedora da votação online Árvore Portuguesa de 2019.
Esta azinheira conquistou a medalha de ouro com 3445 votos e vai representar Portugal no concurso Árvore Europeia do Ano, em Fevereiro. Ainda no pódio, ficou o Plátano do Rossio (de Portalegre) com 2989 votos e o Quercus do ISA (Lisboa) com 1667 votos.
“[A Azinheira Secular do Monte Barbeiro] é especial pela idade que conseguiu atingir e porque se desenvolveu de uma forma extraordinária”, destaca o autarca do município de Mértola, que foi a entidade responsável pela candidatura desta árvore no concurso.
Jorge Rosa sublinha então a forte ligação da comunidade a esta árvore. “Desde logo, há uma ligação sentimental das pessoas à volta daquela zona. Há uma série de pequenos povoados que conhecem a árvore há muito tempo”, indica o autarca. “Essas pessoas sabem que os seus pais, avôs e bisavôs já conheciam esta árvore e que já tinham estado debaixo dela.”
Depois, há ainda a ligação da árvore às novas gerações. “Temos procurado dá-la a conhecer a todo o território do concelho de Mértola, nomeadamente aos mais novos, porque ela é realmente um ser vivo excepcional”, refere. Desta forma, sempre que há um dia especial nas escolas, há turmas que se deslocam para ver a azinheira do Monte Barbeiro. Nessas visitas de campo, os alunos fazem desenhos desta árvore: há quem desenhe rebanhos de ovelhas a descansar lá debaixo ou quem prefira representar os seus frutos.
Durante o mês de Fevereiro, através do site https://www.treeoftheyear.org/home , o público poderá conhecer quais as árvores europeias e concurso e votar na sua preferida.

Agência de Notícias

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010