Dá um Gosto ao ADN

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

CDS-PP quer requalificação do Ginjal, em Almada

Necessidade urgente de requalificar o Ginjal e toda a zona contígua

Os representantes do CDS-PP em Almada estiveram esta terça-feira da parte da manha no Ginjal, em Almada, e zona circundante para observar a zona e revelaram, no fim da visita, que esta é "uma zona nobre do concelho, mas totalmente degradada e com muitos perigos à espreita à integridade física de pessoas e seus bens". Para a concelhia centrista é "mais um dos graves problemas no concelho ao nível de degradação do território com décadas de espera no que respeita à sua reabilitação onde proprietários, Estado e autarquia têm responsabilidades na matéria mas que muito pouco têm feito para reverter a situação em que se encontra o Ginjal, Olho de Boi e Arealva".
CDS-PP visitou o Ginjal 

Depois dos anos áureos de fábricas e de produção em diversos segmentos, o abandono do espaço tem sido uma constante, avançando ano após ano até chegarmos aos dias de hoje com um grau de degradação elevado e cheio de perigosidade para quem frequenta ou visita o local.
"O CDS-PP sabe que há intenção do novo executivo municipal de reverter a situação e dar à frente ribeirinha de Almada, o lugar que ela merece enobrecendo, de uma vez por todas, a cidade de Almada, potenciando aquele território num espaço de lazer, comércio, arte e cultura, restauração e turismo", disse a concelhia  centrista em comunicado enviado à ADN-Agência de Notícias. 
Os membros do CDS-PP pretendem "um espaço virado para a modernidade e que,  ao mesmo tempo,  que se preserva a memória do território fazendo a simbiose com o passado e com o presente projectando um novo futuro".
No entanto, até ao início do projeto no terreno há, de acordo com a concelhia centrista, "perigo de derrocada, piso inconstante sujeito a abatimento, falta de iluminação, local demasiado isolado a certas horas do dia, buracos e falta de barreiras de segurança são entre outros, alguns dos perigos com que os transeuntes se cruzam quando passam naquele espaço". 
Há muito que o CDS-PP "vem apelando" para um esforço não só da autarquia mas também do Estado e dos vários organismos que tutelam aquele espaço tal como a APA (Agência Portuguesa do Ambiente) e os vários proprietários, pois "Almada não pode ter territórios desta espécie a degradarem-se com perigos eminentes para as populações", refere o partido. 
"As entidades têm de se sentar à mesa e assumir a sua parte de responsabilidade e dar uma nova cara ao Ginjal e toda a zona contígua", sublinha a concelhia do CDS-PP. 

Esperança que Inês de Medeiros resolva o problema 
E vai mais longe o CDS-PP: "Depois de mais de quatro décadas de executivo comunista, com muitos planos pormenor, muitas maquetas, muitos anúncios, muitas promessas (repetiam-se, sobretudo, de quatro em quatro anos em época de eleições autárquicas), espera-se que o novo executivo de Inês de Medeiros, independente nas listas do PS, possa ter uma visão estratégica para Almada totalmente diferente e mais ambiciosa que os antigos executivos comunistas que pouco ou nada fizeram".
No entender do CDS-PP Almada: "Os almadenses estão cheios de esperanças e querem acreditar que algo possa mudar em Almada, sendo o Ginjal um dos pontos do concelho que os mesmos querem ver mudado. O CDS-PP quer acompanhar essa mudança estando disponível para dar o seu contributo para que tenhamos um território muito mais desenvolvido, com segurança e com mais oportunidades".

Agência de Notícias 

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010