Dá um Gosto ao ADN

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Marcha contra aeroporto no Montijo avança sábado

Plataforma cívica espera centenas de pessoas no Barreiro e Alhos Vedros 

A plataforma cívica contra o novo aeroporto na Base Aérea n.º 6, no Montijo, disse esta segunda-feira que espera a participação de centenas de pessoas na marcha contra a infraestrutura, agendada para 29 de Setembro. "Estamos a contar que vão para cima de 300 pessoas nesta marcha. Não é uma manifestação, é uma marcha de cidadãos e estamos à espera de centenas de pessoas que vêm mostrar a sua disponibilidade para continuar a exigir que se faça o esclarecimento e que se tenha em conta os direitos e a tranquilidade das populações da região", disse José Encarnação, um dos membros da plataforma.
Ruído vai afetar populações 

A Plataforma realizou esta segunda-feira uma conferência de imprensa na Baixa da Banheira, na Moita, onde deu a conhecer os objetivos desta marcha, que terá dois desfiles nas regiões que considera que serão as mais afetadas pela localização do novo aeroporto no Montijo.
Uma das concentrações inicia-se no Lavradio, no Barreiro, e outra em Alhos Vedros, na Moita, estando previsto um encontro a meio do percurso, na Baixa da Banheira.
"O objetivo da marcha insere-se nesta nossa batalha de chamar à atenção para os perigos e os impactos negativos que o uso da Base Aérea n.º 6, como um aeroporto civil, vai trazer particularmente ao Barreiro, Lavradio e Baixa da Banheira", explicou o responsável.
O engenheiro Carlos Matias Ramos, também membro da plataforma, realizou recentemente um estudo em que observou as condições de ruído a que o Barreiro e a Moita vão estar sujeitos com a construção do novo aeroporto no Montijo.
Segundo José Encarnação, o ruído vai afetar principalmente o Centro Hospitalar do Barreiro Montijo e as escolas da região, que será, em alguns casos, "três vezes acima dos limites que a Organização Mundial de Saúde aconselha".
"Os limites máximos de ruído que a Organização Mundial de Saúde aconselha são de 30 decibéis acústicos para o caso das escolas e 35 no caso dos hospitais. Ora nós vamos ter, numa área que pode ir até cerca de 23 quilómetros, níveis de ruído que podem atingir os 65 decibéis, ainda por cima numa situação em que vamos ter aviões a aterrarem e levantarem voo de dois em dois minutos", frisou.
De acordo com o responsável, o movimento conta com o apoio da Câmara da Moita, mas continua a aguardar uma reunião com o presidente do município do Barreiro, Frederico Rosa.
Desde que foi lançada em Julho, a plataforma tem vindo a defender que não existe um documento que sustente a construção do aeroporto no Montijo, e hoje José Encarnação continuou a apontar que "ainda não é conhecido o Estudo de Impacto Ambiental".
"Estamos cada vez mais preocupados porque não há informações, as autoridades não dão a cara, não mostram qual é o projeto, que projetos existem e, sobretudo, do ponto de vista ambiental, estamos muito preocupados", sublinhou.
A Plataforma Cívica Aeroporto BA6 - Montijo Não defende a utilização do Campo de Tiro de Alcochete em alternativa à Base Aérea n.º 6, no Montijo para a construção do novo aeroporto.

Agência de Notícias com Lusa

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010