Dá um Gosto ao ADN

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Pinhal Novo e Sesimbra festejam dia da espiga

Caminhada pela natureza e almoço na Quinta Feira da Espiga

Assinala-se esta quinta-feira dia da espiga. A tradição deixou de ter a força de outros tempos, mas hoje ainda muitos vão apanhar o que chamam o ramo da fortuna. Para assinalar a quinta-feira de Ascensão, cujas práticas religiosas e tradicionais estão ainda bem enraizadas na comunidade, a Câmara de Sesimbra promove uma caminhada para a apanha da Espiga, no dia 10 de Maio.  No Pinhal Novo, a Câmara de Palmela e as IPSS na área das pessoas idosas promovem, esta quinta-feira, no Parque de Campismo e Caravanismo Vasco da Gama, em Pinhal Novo, a já tradicional iniciativa ComTradições. O Dia da Ascensão, designado popularmente por Dia da Espiga, tem lugar 40 dias após o Domingo de Páscoa. Neste dia, é tradição colher-se um ramo nos campos, constituído por espigas de trigo (abundância de pão), tronquinho de oliveira (que simboliza a paz), papoilas (a alegria), malmequer branco (a prata) e malmequeres amarelos (o ouro). O ramo da Espiga guarda-se dentro de casa, na cozinha ou na sala, por vezes atrás da porta ou junto de uma imagem religiosa, até ao ano seguinte.
Dia da Espiga comemora-se esta quinta-feira 


É voz corrente que a tradição já não é o que era, o que é um facto. Mas é também verdade que, embora sem o entusiasmo de outrora, algumas das nossas antigas tradições ainda hoje persistem. É o caso do Dia da Espiga, que se celebra um pouco por todo o país na Quinta-Feira da Ascenção, que tem lugar 40 dias após o Domingo de Páscoa. Manda a tradição que neste dia se vá de manhã cedo ao campo apanhar espigas de cereais e outras flores campestres para fazer um ramo que deve ser guardado pendurado em casa até ao Dia de Espiga do ano seguinte.
Neste dia, é tradição colher-se um ramo nos campos, constituído por espigas de trigo (abundância de pão), tronquinhos de oliveira (que simbolizam a paz), papoilas (a alegria), malmequeres brancos (a prata) e malmequeres amarelos (o ouro).
O ramo de espiga guarda-se dentro de casa, na cozinha ou na sala, por vezes atrás da porta ou junto de uma imagem religiosa, até ao ano seguinte.
E para lembrar a tradição e festejar o dia, a Câmara de Sesimbra assinala a quinta feira da espiga, a 10 de Maio, das nove às 12 horas. A participação é livre. O ponto de encontro é às 8h45 horas, junto à Associação de Desenvolvimento da Quinta do Conde. Aconselha-se que os participantes tragam água e vestuário e calçado adequado à atividade e época.Crê-se que esta celebração tenha origem nas antigas tradições pagãs e esteja ligada à tradição dos Maios e das Maias.
O dia da espiga era também o "dia da hora" e considerado "o dia mais santo do ano", um dia em que não se devia trabalhar. Era chamado o dia da hora porque havia uma hora, o meio-dia, em que tudo parava, "as águas dos ribeiros não correm, o leite não coalha, o pão não leveda e as folhas se cruzam". Era nessa hora que se colhiam as plantas para fazer o ramo da espiga e também se colhiam as ervas medicinais. Em dias de trovoadas queimava-se um pouco da espiga no fogo da lareira para afastar os raios da casa.
Hoje em dia, sobretudo nos centros urbanos, são raras as pessoas que ainda vão colher o ramo da espiga, mas há quem os faça para vender, sinal de que a tradição se mantém viva. A caminhada pelos campos de Sesimbra provam que o dia não é esquecido.

População de idade maior celebra Dia da Espiga no Pinhal Novo 
Para celebrar o Dia da Espiga, a Câmara de Palmela e as IPSS na área das pessoas idosas (GIQE – Grupo Interinstitucional para as Questões do Envelhecimento) promovem, esta quinta-feira, no Parque de Campismo e Caravanismo Vasco da Gama, em Pinhal Novo, a já tradicional iniciativa ComTradições.
Este almoço convívio com animação para a população de idade maior das IPSS do concelho, em que é esperada "a participação de cerca de 350 pessoas, visa reforçar a partilha de memórias, tradições e vivências. Pretende-se, também, continuar a sensibilizar para a importância do envelhecimento ativo e para o importante papel desta faixa etária no município de Palmela", explica a autarquia.
A iniciativa proporciona a todos "os participantes a oportunidade de usufruírem de um dia de alegre convívio, em contacto com a natureza. Para além do habitual almoço convívio, haverá várias propostas interinstitucionais, tais como um estendal de memórias, jogos lúdicos e tradicionais, uma visita livre ao parque, o Concurso Ramo da Espiga 2018 e animação musical, com dois grupos de acordeonistas", conclui a Câmara de Palmela.

Agência de Notícias 

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010