Dá um Gosto ao ADN

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Jogadores do Sporting agredidos em Alcochete

Governo repudia violência na Academia do Sporting

Durante a tarde desta terça-feira, cerca de meia centena de indivíduos, de cara tapada, invadiram a Academia de Alcochete e, depois de terem percorrido os relvados, chegaram ao balneário da equipa principal do Sporting. O Ministério Público confirmou a existência de uma investigação sobre os incidentes ocorridos na Academia do Sporting, em Alcochete, onde 50 indivíduos de cara tapada entraram e agrediram futebolistas e elementos da equipa técnica. "O MP está a investigar os factos ocorridos em Alcochete", confirmou a fonte oficial da Procuradoria-Geral da República. A secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto, deu conta da detenção de 21 presumivelmente envolvidos nesta ocorrência. Jogadores e o treinador do Sporting dirigiram-se na noite desta terça-feira à esquadra da GNR do Montijo para prestar declarações e apresentar queixa, na sequência das agressões de que foram alvos na Academia de Alcochete durante a tarde. Todos os detidos vão ser presentes a um juiz de Instrução Criminal, quarta-feira de manhã, no Tribunal de Alcochete.

Academia do Sporting foi invadida por cerca de 50 pessoas 

Numa declaração conjunta da secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto, e o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, o Governo confirmou a detenção de 21 presumivelmente envolvidos.
"Há um repúdio veemente para com atos de violência, vandalismo criminosos como os que ocorreram esta tarde. Quero mostrar solidariedade para jogadores, técnicos e quem foi agredido", afirmou João Paulo Rebelo, recordando o título europeu de seleções conquistado em 2016 e o orgulho luso na modalidade.
Entretanto, fonte da GNR informou que as pessoas em causam foram intercetadas pelas autoridades na zona da Academia do Sporting, em Alcochete, e nas imediações, tendo sido encaminhados para o posto da GNR em Alcochete.
A equipa principal do Sporting cumpria o primeiro treino da semana, depois da derrota no terreno do Marítimo (2-1), que relegou a equipa para o terceiro lugar da I Liga, iniciando a preparação para a final da Taça de Portugal, no domingo, frente ao Desportivo das Aves.
"Estamos a poucos dias da final da Taça de Portugal e o Governo está, juntamente com a Federação Portuguesa de Futebol, a criar todas as condições para que se viva a festa do futebol, do desporto, o convívio das famílias e dos verdadeiros adeptos do futebol e do desporto. É uma missão do Governo, mas que deve ser assumido por todos. No domingo tem de haver uma demonstração clara que futebol é um orgulho nacional", frisou o secretário de Estado da Juventude e do Desporto.
A secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna explicou a coordenação das forças de segurança para tomar conta da ocorrência, da qual resultaram 21 detidos.
"Houve a apreensão de viaturas e objetos de agressão, juntámos forças de segurança para tomarem conta da ocorrência e darem a resposta adequada. Continuamos a trabalhar no sentido de esclarecer esta situação e que não voltem a acontecer", sublinhou Isabel Oneto.
A GNR deteve pelo menos 21 pessoas, esta terça-feira, na sequência das agressões a jogadores, treinador e equipa técnica do Sporting, em Alcochete. Os detidos fazem parte da claque leonina Juve Leo. Todos os detidos vão ser presentes a um juiz de Instrução Criminal, quarta-feira de manhã, no Tribunal de Alcochete.

Terror na Academia 
Balneário ficou destruído e jogadores foram agredidos  
Cerca de 50 adeptos, de cara tapada, entraram esta tarde na Academia de Alcochete, onde a equipa faz o primeiro treino da semana de preparação para a final da Taça de Portugal.
Os referidos apoiantes da equipa leonina surgiram por volta das 17 horas e gritaram de imediato para os jornalistas para não filmarem, segundo relata a TVI. Chegaram de carro, deixaram os veículos no exterior da Academia e dirigiram-se de imediato à ala profissional do centro de estágios de Alcochete.
Enquanto a esmagora maioria dos adeptos seguiu para o interior da Academia, dois adeptos ficaram à porta, a certificar-se que os jornalistas não filmavam nada.
Passado cerca de dez minutos, os adeptos saíram da Academia, novamente de cara tapada.
A invasão provocou estragos vários no balneário da equipa, em Alcochete, conforme mostra um vídeo que passou na comunicação social. 
A GNR deslocou-se à Academia de Alcochete após as agressões. Os suspeitos saíram a pé, mas tinham carros nas imediações. A Guarda Nacional Republicana montou, entretanto, dois postos de controlo na estrada de acesso ao centro de treinos do Sporting e procedeu à detenção de adeptos, cerca das 19 horas de ontem. 
Bas Dost foi agredido na cabeça com um ferro e mais jogadores terão sido agredidos como Misic, Acuña e Battaglia. O treinador Jorge Jesus e os adjuntos Mário Monteiro e Raul José também terão sido alvo de agressão.
Márcio Sampaio, preparador físico do Sporting, manifestou-se nas redes sobre os incidentes da tarde de terça-feira na Academia de Alcochete, nos quais o próprio acabou ferido.
Numa mensagem para agradecer o apoio e a preocupação, o técnico disse estar bem e não querer falar sobre o "terror" vivido: "Estou bem felizmente. Não quero falar no autêntico terror que passámos na Academia, mas apenas dizer que estamos juntos e fortes".
Na mesma publicação, Márcio Sampaio agradeceu "às autoridades pelo que estão a fazer na Academia".
Também Frederico Varandas, médico dos leões, partilhou uma imagem de um leão a esconder a cara, demonstrando de certa forma um leão envergonhado.
Em comunicado, o Sporting confirmou as agressões. "Não podemos de forma alguma pactuar com atos de vandalismo e agressão a atletas, treinadores e staff do futebol profissional, nem com atitudes que configuram a prática de crime que em nada honram e enobrecem o Sporting Clube de Portugal", lê-se no texto.
A mulher de Rui Patrício, Vera Ribeiro, reagiu nas redes sociais. "Isto não são atos dignos de seres humanos", disse, apelando a que "quem orientou estes gestos que ponha a mão na consciência".

Jogadores e Jorge Jesus estiveram na GNR do Montijo
Jogadores e o treinador do Sporting dirigiram-se na noite desta terça-feira à esquadra da GNR do Montijo para prestar declarações e apresentar queixa, na sequência das agressões de que foram alvos na Academia de Alcochete durante a tarde.
Rúben Ribeiro, João Palhinha e Fábio Coentrão foram os primeiros jogadores a chegar. William Carvalho também lá terá estado e há imagens de Marcos Acuña, Rodrigo Battaglia e Mário Monteiro, preparador físico do plantel.
Bas Dost saiu das instalações da GNR por volta das 23h30, dizendo não falar, mas admitiu estar "tranquilo". Palhinha prestou curtas declarações à saída: "É um dia muito triste para todos".
Jorge Jesus e Rui Patrício também estiveram no posto, para onde se dirigiram depois de saírem de Alcochete. O treinador deixou o local pouco depois das 00h30, seguido por Mathieu, Salin, Coates, Bruno César e Bryan Ruiz. Abandonaram o local numa carrinha da GNR, tal como Rui Patrício, Piccini, Doumbia, Wendel e Nélson, treinador de guarda-redes, que saíram por volta das 00h50.

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010