Dá um Gosto ao ADN

segunda-feira, 12 de março de 2018

PCP quer nova ponte no Tejo e responsabiliza Lusoponte

Comunistas querem responsabilizar quem explora as pontes

O secretário-geral do PCP defendeu no final da semana passada  mais investimento em infraestruturas, com uma nova ponte sobre o rio Tejo (Barreiro-Beato), e a responsabilização da empresa concessionária, Lusoponte, pelas obras de manutenção. Jerónimo de Sousa falava aos jornalistas, num comentário aos problemas de degradação detetados na ponte 25 de Abril, noticiados  pela revista Visão. "Nós sempre alertámos para a necessidade de recuperar as infraestruturas existentes tendo em conta o grau de degradação. Quantas vezes temos falado dessa degradação? É preciso de facto investimento para impedir que essa degradação se acentue", afirmou, à margem de um almoço comemorativo do Dia Internacional da Mulher, na Moita.O líder comunista defendeu ainda a construção da terceira travessia do Tejo entre o Barreiro e o Beato, em Lisboa. O PCP quer ainda ouvir o ministro do Planeamento e das Infraestruturas na Assembleia da República. 
Secretário Geral do PCP quer Lusoponte a pagar obras da ponte

A revista Visão avançou para a existência de um relatório do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) a alertar para riscos graves de segurança na ponte 25 de Abril, entre Lisboa e Almada. O documento terá sido entregue há um mês e o lançamento do concurso para as reparações necessárias foi anunciado pelo Governo na quarta-feira, após o fecho da publicação.
"No caso particular da travessia do Tejo, consideramos que era importante a concretização de uma outra ponte que ligasse, como é sabido, o Barreiro ao Beato, e que se considerasse outra questão: a Lusoponte explora as duas pontes, Vasco da Gama e 25 de Abril, arrecada receitas, mas não tem responsabilidades nas infraestruturas", continuou o líder comunista.
Entretanto, o Presidente da República já declarou que o executivo socialista "fez o que devia ter feito" e desaconselhou alarmismos, enquanto a Ministra da Presidência esclareceu que "os mecanismos de decisão, aprovação e criação de concursos não são instantâneos", considerando que "está em bom ritmo" o processo do início das obras.
"É uma situação que não se admite. Quem explora, quem tem lucro, não pode sacudir para o Estado a responsabilidade de corrigir as infraestruturas", insistiu o secretário-geral do PCP, frisando ser necessário ainda conhecer o documento do LNEC e ouvir o ministro da tutela.
Mais tarde, na Assembleia da República, o deputado comunista Bruno Dias afirmou que o PCP vai propor a audição do ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, e do LNEC.
Esta é uma situação, lê-se no requerimento dos comunistas, que "exige o cabal esclarecimento" e o parlamento tem que acompanhar a situação.
Bruno Dias reiterou ainda que "é preciso romper" com os interesses das Parcerias Público-Privadas, como a da Lusoponte para gestão das pontes Vasco da Gama e 25 de Abril, e repensar este tipo de contratos.

Agência de Notícias com Lusa
Foto: Tiago Petinga/Lusa 

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010