Dá um Gosto ao ADN

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Em Almada servem-se cestos de Fruta Feia às terças-feiras

150 produtores locais combatem o desperdício alimentar

O projecto Fruta Feia, que nos últimos anos evitou que mais de 200 toneladas de fruta e legumes fossem para o lixo, chegou ao concelho de Almada. Ponha na agenda: a partir de agora, pode encontrar a Fruta Feia na Academia Almadense todas as terças-feiras das 17 às 21 horas. Esta é assim a nona delegação do projecto que surgiu de uma ideia de quatro amigos para aproveitar cerca de um terço da fruta e vegetais que os supermercados desperdiçam, por considerarem que não têm o aspecto que os consumidores procuram. Na sua página de Facebook, lê-se que com este novo espaço em Almada, é possível “evitar o desperdício de cerca de 12 toneladas de frutas e hortícolas por semana”.
Fruta Feia para gente bonita às terças em Almada 


É uma daquelas pessoas que não compram fruta feia, tocada, pequena, defeituosa, manchada, imperfeita? Então isto é para si. É uma daquelas pessoas que não se importam de comprar fruta feia, tocada, pequena, defeituosa, manchada, imperfeita? Então também é para si.
Sabia que todas as terças-feiras a Academia Almadense recebe cabazes da Fruta Feia? Esta cooperativa de consumo nasceu em 2013 com a missão de combater o desperdício alimentar. Conta já com nove delegações em todo o país, a última das quais em Almada. 
A Fruta Feia agrega 150 produtores locais e recolhe das suas hortas e pomares as hortaliças e frutas com qualidade mas que, pelo seu tamanho, cor ou formato, não entram no circuito comercial, acabando no lixo. Conta com mais de quatro mil associados a nível nacional, que todas as semanas têm acesso a produtos da época, a preços mais acessíveis. Os produtos são organizados em cabazes de dois tamanhos. Uma cesta pequena, com perto de quatro quilos, custa 3,5 euros. A cesta grande pode chegar aos oito quilos e custa sete euros.
Quem quiser conhecer os produtores locais pode visualizar o canal da Fruta Feia no Youtube, uma forma encontrada pela cooperativa de aproximar os consumidores e os produtores.
A delegação de Almada conta já com 300 associados, que consomem produtos hortícolas e fruta produzida num raio máximo de 70 km.
"Porque além do desperdício alimentar, um dos objetivos da Fruta Feia é também reduzir a pegada ecológica", explica a associação.

“Gente bonita come fruta feia”
O projeto da Fruta Feia começou há quase cinco anos pela ideia e as mãos de Isabel Soares apenas na zona de Lisboa. Hoje, são cinco funcionários na capital e o projeto já se estendeu até ao Porto e Almada, onde estão mais três pessoas empregadas.
O lema daquela cooperativa de consumo é “gente bonita come fruta feia” e a forma de operar é fazendo a recolha de produtos hortícolas e frutícolas da época junto dos agricultores, para depois vender os produtos frescos em cabazes ao consumidor final.
No átrio da Academia Almadense há, por exemplo, produtos de Palmela, Pegões e da zona Oeste, estando os responsáveis pela delegação a tentar angariar mais produtores locais, nomeadamente da zona da Costa de Caparica.
Estima-se que, por semana, se evite uma tonelada de desperdício de produtos hortofrutícolas, por delegação.
Em Almada, por exemplo, quando os consumidores cancelam o seu cabaz semanal, este é colocado à venda para que outras pessoas o possam adquirir.
Os alimentos que não forem escoados são entregues à Reefood Almada, que os distribui por famílias carenciadas do concelho.

Agência de Notícias 

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010