Dá um Gosto ao ADN

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Palmela com WIFI no Centro Histórico e Serra do Louro

Palmela candidata-se à valorização turística da região

A Câmara de Palmela submeteu uma candidatura ao Valorizar - Programa de Apoio à Valorização e Qualificação do Destino, do Turismo de Portugal, para financiamento do reforço do WIFI no Centro Histórico de Palmela, bem como do alargamento à Serra do Louro, na cordilheira da Arrábida. Com o título “Reforço e actualização do WIFI do Centro Histórico de Palmela e Serra do Louro”, a candidatura apresenta um "montante global de 61 mil 500 euros, com taxa de cofinanciamento até 90 por cento", explica a Câmara de Palmela à Agência de Notícias. 
Palmela quer levar rede WIFI mais longe 

Além da melhoria das condições de acesso à rede wireless por parte da população e dos agentes culturais, sociais e económicos do Centro Histórico, "contribuindo para o seu desenvolvimento e regeneração urbana, esta candidatura incide nas zonas de maior afluxo e interesse turístico da vila, palco de eventos culturais, desportivos, gastronómicos e de festividades tradicionais, que atraem, anualmente, milhares de visitantes a Palmela", diz a autarquia.
Em termos operacionais, pretende-se "melhorar a cobertura existente no núcleo histórico, alargando a cobertura de sinal ao Castelo de Palmela, ao Miradouro e à Serra do Louro, qualificar a ligação às plataformas de comunicação da autarquia, com especial atenção às relacionadas com o turismo, promover dinâmicas socioeconómicas e culturais locais, a partir da comunicação inteligente, e concorrer para a atracção de novos investimentos e iniciativas empreendedoras", sublinha a autarquia liderada por Álvaro Amaro.

Palmela a crescer no turismo 
Recorde-se que, de acordo com os últimos dados produzidos pelo INE – Instituto Nacional de Estatística, entre 2015 e 2016, Palmela teve um crescimento de 22,3 por cento da procura turística, o segundo maior crescimento da Região de Lisboa ao nível de dormidas em estabelecimentos hoteleiros, de turismo no espaço rural e de alojamento local. Estes dados vêm confirmar os números anteriormente divulgados pela Entidade Regional de Turismo de Lisboa, resultado de inquérito junto do setor de alojamento. De 80 mil 99 dormidas em 2015, em Palmela subiu para 97 mil 973, atingindo o valor mais elevado de procura turística, desde 2010. Portugal, Espanha, Alemanha, França e Reino Unido são os principais mercados que visitam o concelho.
Integrado na Centralidade Arrábida, Palmela tem "desenvolvido uma estratégia de estímulo à criação de produtos diversificados e de qualidade, de entre os quais têm ganhado destaque o turismo histórico-cultural e o turismo de natureza, a par do já consagrado enoturismo, cuja oferta se tem revestido – na última década – pelo forte investimento dos agentes do setor, nomeadamente produtores e adegas, na valorização da sua atividade vínica, cada vez mais integrada com a gastronomia, o artesanato e a animação turística", diz a Câmara de Palmela em comunicado enviado à Agência de Notícias.
O forte calendário de eventos culturais, desportivos e de lazer é outro dos fatores apontados para o contínuo crescimento turístico do Concelho. Iniciativas diversas como a Feira Medieval de Palmela, o Palmela Wine Jazz, o Festival de Moscatel, o recente Itinerário Turístico das Igrejas e Capelas do Centro Histórico de Palmela ou o Programa “Palmela, Experiências com Sabor!”, a par de eventos coorganizados e apoiados pelo Município, em conjunto com associações e entidades diversas, dos quais se indicam, por exemplo, o Festival Internacional de Gigantes, o Festival Queijo, Pão e Vinho, a Mostra de Vinhos de Fernando Pó, o Palmela Run, o Pinhal Novo Night Run e a Granfondo Arrábida, têm contribuído para a projeção deste território e para o sucessivo aumento da procura, permitindo reduzir a sazonalidade.
"O município encontra-se, igualmente, a desenvolver vários projetos estratégicos, objeto de financiamento do Portugal 2020 e que contribuirão para a sustentabilidade e inovação do turismo local. São exemplo o Projeto Almenara, cuja parceria com o Município de Lisboa, através da Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, contribuirá para a otimização dos fluxos turísticos a partir do castelo de S. Jorge, para o castelo de Palmela, ou ainda, o mais recente projeto Serra do Louro Ókubo, integrado no Programa de Valorização do Parque Natural da Arrábida, operação que consiste na oferta de um circuito de descoberta e interpretação da Serra do Louro, criando um ponto de atração e lazer para visitantes e turistas, tendo por enfoque a beleza paisagística, a fauna, a flora, a cultura e a arqueologia locais", explica a Câmara de Palmela.
Essencial neste processo de desenvolvimento "tem sido o trabalho em rede entre agentes, traduzido na sua capacidade de inovação, empenho e criatividade, que permite o surgimento de sinergias entre empresas de animação e operadores turísticos, restauração, alojamento, artesanato, comércio local e serviços, produtores, movimento associativo, município e Entidade Regional de Turismo, procurando levar sempre mais longe o que de melhor existe no Concelho de Palmela", conclui a autarquia.

Agência de Notícias com Câmara de Palmela 

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010