Dá um Gosto ao ADN

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

A Doçaria Portuguesa Sul apresentada em Sesimbra

Os melhores doces da região estão  em livro 

A Moagem de Sampaio, em Sesimbra, acolheu, no dia 20 de Janeiro, a apresentação do livro A Doçaria Portuguesa – Sul, da autoria de Cristina Castro, uma recolha da doçaria tradicional e conventual da Península de Setúbal, Alentejo e Algarve. O acontecimento contou com a presença de Francisco Jesus, presidente da Câmara Municipal, Maria Manuel Gomes, presidente da Junta de Freguesia do Castelo, e de vários doceiros do concelho de Sesimbra, entre os quais os pasteleiros das Brisas do Castelo, Broas e Fogaças de Alfarim e Tamarinas, iguarias sesimbrenses que estão em destaque nesta publicação.
Livro foi apresentado na Moagem de Sampaio em Sesimbra 

O presidente da autarquia enalteceu a importância do projeto na divulgação do concelho. "Obrigado à Cristina e à sua equipa pelo trabalho que desenvolveram, à editora, que apostou no projeto, e a todas as pessoas que se têm envolvido na promoção do que é nosso, e que a par da autarquia promovem a nossa identidade e as nossas gentes, quer na valorização do que existe quer na criação de novos produtos", afirmou Francisco Jesus. "Destaco a inovação e o empreendedorismo de alguns dos munícipes que aqui estão presentes, e dou os meus parabéns a todos".
Maria Manuel Gomes, atualmente presidente da Junta de Freguesia do Castelo, foi uma das principais impulsionadoras do registo e da promoção da Farinha Torrada de Sesimbra, e recordou os primeiros passos para o seu registo como doce tradicional de Sesimbra. "A Dona Anita, da padaria A Camponesa, foi uma peça fundamental para todo este processo. Foi ela que decidiu retirar a Farinha Torrada do tradicional saco de pano, que se encontrava apenas nas casas dos pescadores, e colocá-la à venda na sua padaria", recordou.
"Apesar disso, nunca quis registar a marca e quando a autarquia decidiu proceder ao registo foi a primeira a apoiar o projeto porque tinha a mesma visão de que este era um doce de todos os sesimbrenses".
Para além da Farinha Torrada, a autora fez um enquadramento dos outros doces de Sesimbra que fazem parte da publicação. "Este não é um livro de receitas mas sim uma publicação que olha para a doçaria e para a sua história, como quem o faz e como surgiu. Tentámos cruzar as ligações existentes entre os países e as pessoas porque existem efetivamente pontos que ligam o mesmo doce".
No final da sua apresentação, Cristina Castro destacou a Farinha Torrada como um "doce atual com uma longa história, que foi enriquecido ao longo dos anos". Após, a exibição de um vídeo sobre a confeção do doce tradicional, a autora mostrou documentação do século XVII onde um tipo de farinha torrada era produzido na cozinha real mas para fins medicinais. "Este doce tem uma história fantástica e Sesimbra está realmente de parabéns por ter um doce tão único e peculiar", concluiu.
O livro, A Doçaria Portuguesa - Sul, com prefácio de Maria de Lourdes Modesto, fotografias de Gonçalo Barriga e ilustrações de Ana Gil, tem um custo de 28,50 euros.

Agência de Notícias com Câmara de Sesimbra

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010