Dá um Gosto ao ADN

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Barreiro vai ter nova esquadra da PSP no centro da cidade

Governo dá luz verde para construir esquadra no antigo Café Barreiro 

A construção da nova esquadra da Polícia de Segurança Pública (PSP) no centro do Barreiro vai avançar, num investimento superior a 715 mil euros, anunciou esta semana a secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto. A nova esquadra vai localizar-se no antigo edifício do Café Barreiro, construído no final do século XIX e adquirido pela autarquia há cerca de 15 anos. A esquadra vai ter três pisos, um total de 778 m2 e capacidade para 70 elementos da PSP. Carlos Humberto, presidente da Câmara do Barreiro, salientou o “esforço” do Governo para “chegarmos a entendimento” e o papel da autarquia “disponibilizando o edifício, fazendo projeto, comprometendo-se a lançar e pagar a obra e mais tarde ser ressarcido, em fazer os arranjos da envolvente”.
Antigo Café Barreiro vai ser transformado em esquadra de polícia 

"Foi assinado um protocolo a 31 de Julho de 2015 no valor de 360 mil euros mais IVA para a construção da esquadra, mas o projeto não tinha condições para avançar. Encontrámos algumas situações no país iguais às do Barreiro e, não querendo desistir dos projetos, foi preciso procurar financiamentos. Os projetos não podem ser feitos com bases em estimativas, porque as forças de segurança têm um programa funcional que tem de ser cumprido", disse Isabel Oneto. 
A secretária de estado Adjunta e da Administração Interna, que esteve de visita ao Barreiro, explicou que a construção da nova esquadra vai obrigar ao dobro do investimento que estava anunciado, sublinhando que "não basta anunciar obras, é preciso assegurar o seu financiamento". 
"Quando a Câmara do Barreiro se dispôs a fazer o projeto de execução, verificámos que o valor da obra estava muito acima do programado. Foi necessário rever o projeto, num esforço imenso entre o Ministério da Administração Interna, a autarquia e a PSP, para conseguirmos chegar a valores exequíveis no próximo ano", defendeu a secretária de estado Adjunta e da Administração Interna. 
A nova esquadra vai localizar-se no antigo edifício do Café Barreiro, construído no final do século XIX e adquirido pela autarquia há cerca de 15 anos. A esquadra vai ter três pisos, um total de 778 metros quadrados e capacidade para 70 elementos da PSP. 

Câmara financia a obra e faz as acessibilidades 
Isabel Oneto explicou ainda que a Câmara do Barreiro vai assegurar inicialmente o financiamento da obra e será depois ressarcida pela tutela em três prestações. A autarquia vai também fazer as acessibilidades, suportar os custos do projeto de execução e ceder o edifício. "Nunca desistimos do projeto, é um local estratégico, mas tinha de ter financiamento. Anunciamos aqui hoje na certeza de que todos os problemas estão resolvidos", defendeu a governante. 
O presidente da Câmara do Barreiro, Carlos Humberto, mostrou-se satisfeito com a solução encontrada. "Procurámos encontrar soluções e fazer caminhos. Fizemos caminho e encontrámos a solução, por isso estou satisfeito. Se não houvesse intervenção financeira do município estava mais satisfeito, mas parece-me um excelente resultado para o Barreiro", disse o autarca.
Carlos Humberto realçou também que esta solução pode “ajudar a atenuar problemas de abandono populacional de uma importante zona do Concelho e ser um contributo para a dinamização da reabilitação urbana”.

GNR da Moita avança em 2017 
Durante um visita ao Barreiro para anunciar a construção de uma nova esquadra da PSP, Isabel Oneto declarou que o Governo “vai triplicar o investimento em relação ao que foi feito nos últimos três anos. Tem de haver um equilíbrio no investimento”.
“Preparámos uma lei de programação do investimento nas infra-estruturas e equipamentos das forças de segurança a cinco anos, para dar resposta às necessidades.” explicou.
A Secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna salientou que “as infraestruturas são importantes, mas não podemos ter grandes palácios e depois não ter carros, não ter balas, armas ou material de segurança”.
Isabel Oneto defende que "não pode ser tudo canalizado para as infraestruturas", deixando de lado outros investimentos importantes como "o importante setor das telecomunicações". A mesma fonte acrescenta, ainda, que é necessário proporcionar “condições de segurança aos agentes” que estão na rua.
A terminar, a secretária de Estado anunciou também que estão previstas obras em 2017 para o posto da GNR do concelho vizinho da Moita. "Também vai ter uma intervenção para o próximo ano e penso que já está programada. Não posso precisar porque não tenho aqui todos os dados", concluiu.

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010