Dá um Gosto ao ADN

segunda-feira, 19 de março de 2012

Letras em branco

Desejos & Pensamentos por Cátia Neves
Letras em branco

Proponho-me a mim própria escrever algo sobre mim, sobre o que sou , o que sinto, falar dos meus sonhos, medos, alegrias e tristezas... Dentro de mim encontro histórias de uma menina feliz, sinto aquele cheiro de uma infância que recordarei a vida inteira, do comer da minha avó que tinha um sabor próprio, inexplicável... hum... Como tenho saudades daqueles sabores... Lembro-me das brincadeiras de criança, dos amigos que me acompanham até hoje, dos brinquedos favoritos e como tudo tinha uma vida e um sentir diferente, lembro das cores que pareciam mais fortes e brilhantes e de um mundo de sonhos dentro de uma pequena menina que como tantas outras pensava mudar um mundo um dia. Recordo o primeiro amor de menina e das músicas que cantarolava enquanto caminhava dia após dia para a escola. Lembro tanto e de tanta coisa e lamento não saber naquela altura que são esses os melhores tempos de toda uma vida.


Hoje, já não sou mais uma menina, já não vejo o mundo da mesma forma, já não tenho o comer da minha avó nem há dentro de mim aquela inocência de menina. Não sinto os cheiros de antigamente e nem vejo as cores com o mesmo brilho. Já tive noites que chorei tanto e tanto que acabei por adormecer e também já me deitei tão feliz que não consegui os olhos fechar, já me decepcionei muito e já decepcionei tantas vezes aqueles que me amam, já sorri tantas vezes para esconder a minha tristeza e já cai tantas vezes no choro, nem conseguindo um sorriso esboçar... Já ri muito sem motivo aparente, já me arrependi de tanto, já gostei sem admitir, já houve tempos em que so me apeteceu sumir, já errei sem querer, já cai muitas vezes e sempre me levantei e segui a minha caminhada, já gritei muito e muitas vezes quando não o devia ter feito, não sigo ideias nem estereótipos, não sou igual a ninguém, apenas sou igual a mim. Não sei viver pela metade, só sei viver intensamente porque o ontem não volta mais... Já me apaixonei muito e já tive muito medo.
Hoje... hoje sou uma mulher apaixonada, talvez sem querer, e tenho medo, tenho tanto medo de te perder. Se me pudesses ouvir agora iria dizer-te que nada acontece por acaso, que já não sou uma menina e que as mulheres apaixonam-se de verdade... Que tantas vezes a saudade me visita e me tortura e que desejo incansavelmente não mais ser torturada. Que o destino por sua obra um dia nos juntara cara a cara e nesse dia, quando a luz dos meus olhos encarar com a luz dos teus, calar-se-ão as palavras e nada mais será preciso dizer, porque os olhos transmitem muito mais que as palavras possam explicar. Abraçar-te-ei como nunca antes e sentirei o cheiro da paz, da minha paz, da que espero á tanto tempo... Loucos os que não tem inteligência de entender a loucura do meu coração, serás sempre o melhor daquilo que eu apenas tive pela metade.
E eu... Eu vou continuar a ser apenas eu, com as minhas alegrias, as minhas tristezas, os meus medos, os meus dilemas e os meus gostos, mas os sonhos esses, nunca ninguém vai tirar de mim, porque posso já não ser uma menina, mas continuo a ser sempre eu e eu sou uma pagina em branco, porque a vida dar-me-á ainda muito para escrever e se não podemos mudar o passado, então que escrevamos uma linda história no futuro, cheia de vida, de cor e de sabores para nos marcar.
E eu... eu sou sempre eu!



Cátia Neves
Lisboa




Desejos & Pensamentos uma rúbrica onde se misturam desejos intensos com pensamentos da vida. Sempre às segundas-feiras ao fim da noite. Para ler, desejar e pensar. Com assinatura exclusiva de Cátia Neves para o ADN. 

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010