Aldi cria 300 postos de trabalho na Moita em 2022

Grupo alemão investe 60 milhões em centro de distribuição na Fonte da Prata 

As obras de construção da plataforma logística da Aldi no concelho da Moita, que ficará instalada e pronta dentro de dois anos na zona da Fonte da Prata, na freguesia de Alhos Vedros, deverão estar concluídas no início de 2022, num investimento da empresa de 60 milhões de euros que vai ainda beneficiar parte da rede viária do município e a criar cerca 300 novos postos de trabalho diretos no concelho. O grupo alemão anunciou ainda que irá ampliar a loja no Montijo e avançar com novo projeto em Fernão Ferro, no concelho do Seixal e já abriu a loja do Laranjeiro, em Almada. A Aldi Nord está ainda à procura de localização para uma nova plataforma logística a Norte, para servir as 100 lojas que, até o final de 2025, conta abrir nesta zona do país. Nestas aberturas a norte o retalhista alemão estima investir cerca de 45 milhões. No próximo ano, a cadeia conta abrir 25 lojas em todo o país.
Centro de distribuição abre em 2022 

Na Fonte da Prata, na freguesia de Alhos Vedros, o grupo está já a construir o centro logístico, no qual conta investir 60 milhões, para a construção de 50 mil metros quadrados. As obras deverão estar concluídas no início de 2022, criando cerca de 300 postos de trabalho. 
No próximo ano, a cadeia conta abrir mais 25 lojas em Portugal continental. “A definição geográfica das novas lojas tem sido baseada num forte critério de localização, fator-chave para servirmos cada vez melhor os nossos clientes, em termos de conveniência”, afirma João Braz Teixeira, managing director de expansão da Aldi Portugal, citado em nota de imprensa. 
A cadeia, que já tem 80 supermercados no país e dá emprego a mais de dois mil colaboradores, fala em “plano vigoroso de crescimento, que passará pela presença em novas geografias e formatos de lojas, incluindo os centros urbanos, que contarão com formatos próprios e adaptados, para servir de forma mais conveniente, a população”.  
Este ano, até ao momento, já abriu supermercados em Almeirim, Bobadela, Figueira da Foz, Laranjeiro, Braga, Pedrouços – Mais e Altura.

Um dos maiores investimentos na região
O presidente da Câmara da Moita, Rui Garcia, e Wolfgang Graff, administrador do Aldi, assinaram em Fevereiro, o contrato de urbanização, para que a empresa assuma os encargos inerentes à execução das obras de repavimentação de um troço da ex-Estrada Nacional nº11-1, que vão permitir suportar o acréscimo de trânsito no local. “É fundamental que a construção se inicie em breve para marcar o crescimento económico do concelho e da região e isso, para a câmara municipal, é uma excelente notícia”, disse Rui Garcia, na altura. 
Recorde-se que a construção da plataforma logística Aldi, na Fonte da Prata, em Alhos Vedros, "implicará um investimento estimado de cerca de 60 milhões de euros e a criação de aproximadamente 300 novos postos de trabalho diretos, o que terá impactos positivos no atual tecido socioeconómico do concelho da Moita", realçou a autarquia. 
Na assinatura do contrato, o presidente da Câmara da Moita salientou que este é "um dos maiores investimentos na região e no concelho nos últimos anos". Rui Garcia recordou que o início deste projeto e os primeiros contactos entre a autarquia e o Aldi remontam a 2016, "numa altura em que o promotor estava ainda num processo de seleção da localização". Após “três anos de trabalho e de dificuldades ultrapassadas”, será construída esta plataforma que “vai marcar o crescimento económico do concelho e da região”, afirmou Rui Garcia.
Wolfgang Graff referiu que este é o maior investimento da empresa em Portugal, que irá servir todo o país, e salientou que esta plataforma é a maior e a mais moderna da Península Ibérica. O responsável do grupo alemão destacou as “oportunidades existentes na região e o ótimo terreno encontrado no concelho do ponto de vista da sua dimensão”.
Wolfgang Grass revelou nessa altura  que “pretendemos de futuro expandir o espaço já existente no concelho do Montijo”, dada a sua importância para o grupo, para além da existência de estabelecimentos nos concelhos do Barreiro, Palmela, Sesimbra, Almada, Moita, Seixal e Setúbal, estando para breve “um projeto previsto para Fernão Ferro, no Seixal”, anunciou o administrador. A loja do Laranjeiro, em Almada, já abriu este ano. 

Comentários