Pandemia acelerou no distrito de Setúbal no fim de semana

Mais 80 novos casos no sábado e no domingo. Almada dispara números e confirma mais um morto. Testes arrancam hoje em lares da região 

A pandemia da covid-19 continua a progredir no país, mesmo que de modo mais ligeiro. Em Almada, onde se multiplicam as operações de controlo em lares, o número de infetados já é de 231. Em 13 concelhos contam-se agora com mais de 700 infetados. Este acréscimo, que de resto se estende a todo o país, confirma os avisos recentes dos responsáveis da Direção-Geral de Saúde que, mesmo no final do terceiro período de emergência, sempre alertaram para o facto de os perigos de contágio permanecerem. Numa altura em que nem o Presidente da República nem Governo parecem não estar inclinados para prolongar o estado de emergência que termina no próximo sábado [2 de Maio] e com a indicação que alguns estabelecimentos comerciais vão "voltar a reabrir progressivamente" na próxima semana, a indicação das autoridades de saúde é clara: "o vírus continua entre a comunidade". Seixal, Barreiro, Moita, Setúbal e Montijo continuam com números "controlados" mas "as medidas preventivas não podem afrouxar". Funcionários e utentes de lares e residências de todo o distrito vão ser testados à covid-19 a partir desta segunda-feira. É uma mega operação que arranca em Setúbal com os primeiros 500 testes.
Lares começam a ser testados esta segunda-feira 


Os nove concelhos da Península de Setúbal e os quatro municípios do Litoral Alentejano somam [números de domingo]  720 infetados, mais 29 que na véspera, onde se registaram 50 novos casos. O pico da pandemia já terá sido ultrapassado, mas "as medidas preventivas não podem afrouxar", dizem as autoridades de saúde. 
Este número representa, tal como nos últimos dias, um aumento dos casos positivos detetados. A situação mais preocupante regista-se em Almada, que tem quase um terço de todos os casos positivos no distrito. 
O relatório diário da Direção-Geral de Saúde constata-se que é no concelho de Almada que subsiste o número mais elevado de doentes. As autoridades oficiais dizem que são 231. A autarquia confirmou ainda a terceira morte do concelho devido à covid-19. 
A prevalência da doença em Almada fica a dever-se, em boa parte, aos inúmeros casos detetados em lares de terceira idade, onde as autoridades sanitárias estão a ultimar os preparativos para ali realizarem, entre utentes e funcionários, os reclamados testes de despistagem.
O acréscimo de doentes no Seixal também parece agora menos pronunciado. As estatísticas referem 160 infetados, sendo este o segundo concelho com maior incidência no distrito. No Barreiro, por sua vez, foram contados 89 pacientes.
A Moita, com 61 casos, e Setúbal, com 59, integram um segundo grupo de concelhos onde a doença parece ter estabilizado. Segue-se o Montijo, com 44 doentes confirmados e, depois, Sesimbra, com 20, Palmela, com 16, e Alcochete, com 14.
A sul, no Litoral Alentejano, a Direção-Geral de Saúde diz que há 14 doentes em Santiago do Cacém, sete em Grândola e quatro casos positivos em Alcácer do Sal. Também a câmara de Sines diz ainda ter uma pessoa infetada pelo novo coronavírus. 
No país morreram, até às zero horas de domingo, 880 pessoas (mais 26 que na véspera). O número de doentes confirmados também subiu 2,6 por cento, cifrando-se agora nos 23.392. Há 1040 pessoas internadas, estando 186 em unidades de cuidados intensivos, enquanto que o número de recuperados é agora de 1277.

Testes em lares começa esta segunda-feira no distrito 
A operação de testagem ao novo coronavirus em todos os lares e residências do distrito arranca esta segunda-feira no concelho de Setúbal, prevendo-se um total de 500 recolhas por dia, no caso da península. Os responsáveis do município sadino já tinham realizado visitas, no final da semana passada, aos primeiros oito lares alvo deste programa.
Os testes aos funcionários começam a ser efetuados na segunda-feira, nas próprias instituições sociais, por técnicos da Faculdade de Ciências, do Instituto Superior Técnico e do Instituto de Medicina Molecular, todos da Universidade de Lisboa, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa e da Cooperativa de Ensino Egas Moniz.
A medida, que abrange toda a região metropolitana de Lisboa, num total de oito mil profissionais de lares de idosos e serviços de apoio domiciliário, permitir assegurar, na primeira semana, cerca de 500 testes por dia.
Os testes seguem-se, durante esta e próxima semana, nos concelhos de Almada, Palmela, Seixal, Montijo, Sesimbra, Moita, Barreiro e Alcochete.
O critério para elaboração desta ordem teve a ver com “o carácter territorial dos concelhos, grandeza e dimensão” das várias instituições que operam neste setor social. “Estamos a fazer visitas prévias aos lares e residências do concelho, e aferir as condições para avançar na terça-feira com os primeiros testes”, escreve o jornal Semmais que citou António Godinho, responsável pela Comissão de Proteção Civil de Almada.
Em cada instituição solidária, designação dada pela Segurança Social, sejam públicas e privadas, ou residências de infância, juventude e deficiências, os primeiros a serem testados são os profissionais, calculando-se um total entre os dois mil e os 2500 só na Península de Setúbal. O número de utentes, que serão testados numa segunda fase, deverá atingir alguns milhares, uma vez que existem entre a Rede Solidária e Rede Lucrativa (privados), mais de cinco mil idosos residentes.
Por outro lado, de acordo com reunião ocorrida quinta-feira entre todos os representante dos concelhos da Área Metropolitana de Lisboa com o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro – responsável do Governo pela gestão da execução do Estado de Emergência nesta área territorial – o programa tem por objetivo aplicar estes “testes preventivos”, nesta primeira fase, apenas em lares e residências onde ainda não ocorreu nenhum caso suspeito nem nenhum registo positivo de infeção.
O número de testes nesta primeira fase é de 500 por dia, estando previsto um aumento deste número que será medido “após esta fase” de modo a atingir “a totalidade do universo de instituições solidárias”.  Estão igualmente incluídas no programa instituições consideradas ilegais ou de cariz clandestino, tal como defendeu a maioria da autarquias da península de Setúbal.  
A medida, que abrange toda a região metropolitana de Lisboa, num total de oito mil profissionais de lares de idosos e serviços de apoio domiciliário. Nas semanas seguintes, será possível aumentar a capacidade de realização de testes devido ao envolvimento do Instituto Politécnico de Setúbal e da Fundação Champalimaud.

Agência de Notícias

Comentários

  1. É bom que se avance nos TESTES aqui no Distrito de Setúbal para um maior descanso dos seus residentes. Bem Hajam! António Aves

    ResponderEliminar

Publicar um comentário