Dá um Gosto ao ADN

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Moita promove interculturalidade e integração

Festival “Um Só Mundo pela Tolerância” até 16 de Novembro

Até sábado, vários locais do concelho da Moita voltam a ser o palco do Festival “Um Só Mundo pela Tolerância”, promovido no âmbito do Plano Municipal para a Integração de Migrantes. Na abertura do Festival, no Centro de Experimentação Artística, no Vale da Amoreira, o presidente da autarquia, Rui Garcia, salientou que, no concelho da Moita, “foi possível construir uma comunidade de diversas origens que se respeita mutuamente”. O Plano Municipal para a Integração dos Migrantes tem como objetivo "definir estratégias conjuntas, promotoras da integração da comunidade migrante que reside no concelho, valorizando o seu potencial para o desenvolvimento local", refere a autarquia. O evento termina no dia 16, a partir das 15 horas, com “Mu(N)Danças” (atuações musicais, gastronomia, artesanato), no Ginásio Atlético Clube, na Baixa da Banheira.
Moita tem um programa para integrar migrantes

Até 16 de Novembro, o concelho da Moita acolhe a realização do 2º Festival “Um Só Mundo pela Tolerância”, promovido no âmbito do Plano Municipal para a Integração de Migrantes (cofinanciado pelo FAMI).
O Centro de Experimentação Artística, no Vale da Amoreira, foi palco para a abertura do festival na manhã de 13 de Novembro, cuja sessão inaugural contou com a presença do Alto-comissário para as Migrações, Pedro Calado, e do presidente da Câmara da Moita, Rui Garcia.
Na ocasião, Rui Garcia, afirmou que “este segundo festival vem dar continuidade a um trabalho que iniciámos, o Plano Municipal para a Integração de Migrantes, que é o corolário do que se faz há anos no nosso território, na integração das pessoas que chegam às nossas comunidades, trabalho do qual o concelho da Moita se pode orgulhar”, um caminho feito no sentido da “criação de uma comunidade alargada e multicultural”. 
O presidente salientou ainda “a importância de se agir localmente, no caminho da tolerância e não nos caminhos perigosos que se estão a percorrer”, acrescentando que “há muito para fazer”. 
Por sua vez, na sua intervenção, o Alto-comissário para as Migrações, Pedro Calado, destacou o concelho da Moita como sendo “um território muito criativo e diverso” e felicitou a ideia da realização deste festival, que considerou “muito oportuna”, promovendo a ideia de “vivermos juntos na diversidade”.
A manhã foi ainda dedicada à reflexão do tema “A Cultura como Veículo de Inclusão”, com a moderação de Rolaisa Embaló, e as contribuições da diretora do Programa Escolhas, Luísa Malhó da Cruz, de Marina Popova, da Companhia de Dança Marina Popova, Cláudia Hortênsio, da Artemrede, e Carina Siva, da Companhia de Teatro Arte Viva. 
A tarde foi dedicada à realização de encontros de culturas e gerações, através da dinamização de atividades de teatro e conversas nos lares de idosos da Moita, Sarilhos Pequenos e Alhos Vedros, pelos participantes dos Projetos Escolhas com intervenção no território (Projeto Escolhas VA – E7G e Projeto TASSE-E7G).
Impulsionar a construção de um concelho intercultural, que valoriza a singularidade e a diversidade, é o objetivo do Festival, no qual as histórias, músicas e sabores permitem a partilha de heranças culturais. 

Plano para integrar populações migrantes no concelho
De referir que o Plano Municipal para a Integração de Migrantes “Um Só Mundo”, cofinanciado pelo Fundo para o Asilo, a Migração e a Integração e com o Alto Comissariado para as Migrações, como entidade delegada, tem como objetivo "definir estratégias conjuntas, promotoras da integração da comunidade migrante que reside no concelho, valorizando o seu potencial para o desenvolvimento local", refere a autarquia.
O plano, cuja candidatura foi aprovada em 2017, vai decorrer durante 36 meses, sendo este o período definido para a sua construção e a implementação das medidas no terreno, numa iniciativa que vai contar com a colaboração de entidades parceiras como o Centro Social O Bom Samaritano, a Associação Cultural dos Imigrantes Moldavos, a Fundação Santa Rafaela Maria e a Associação de Solidariedade Cabo-verdiana dos Amigos da Margem Sul do Tejo.
"De modo a proceder a uma caracterização fidedigna e real sobre as condições de vida das pessoas migrantes no concelho da Moita, o diagnóstico irá focar diversas áreas", tais como a saúde, educação, acolhimento, racismo e discriminação ou urbanismo e habitação.
A autarquia, liderada por Rui Garcia, salienta que para a conceção do plano, é essencial acolher os contributos dos munícipes.
"É objetivo ouvir a comunidade migrante assim como a sociedade de acolhimento, de modo a compreender quais são as reais necessidades da comunidade migrante, assim como aceitar sugestões de medidas que possam ser implementadas, que contribuam para a integração dos migrantes que residem no concelho", defende a autarquia da Moita

Programa: 
Dia 14 Novembro (Quinta-feira)
Manhã
Atividades interculturais em escolas do concelho
CPCJ da Moita e Associação Mulheres Sem Fronteiras
Centro Social O Bom Samaritano
Fundação Santa Rafaela Maria / Projeto TASSE-E7G

Tarde
Biblioteca Municipal Bento Jesus Caraça, Moita
Sessão “A Tua Voz” – Associação Mulheres Sem Fronteiras
14h30 – Acolhimento aos participantes
14h45 - Exibição da produção “A Tua Voz”
16h00 – Conversa sobre a temática da Mutilação Genital Feminina (MGF)
17h00 – Encerramento

Biblioteca Municipal Bento Jesus Caraça, Moita
Sessão de Informação “Lei da Nacionalidade” – Fundação Santa Rafaela Maria
Dirigida a cidadãos Nacionais de Países Terceiros
17h30 – Acolhimento aos participantes
17h35 - Apresentação sobre a Lei da Nacionalidade
18h20 – Resposta a questões do público
19h00 – Encerramento

Dia 16 Novembro (Sábado)
Manhã
Complexo Desportivo Municipal da Fonte da Prata
Torneio de Futebol - Fundação Santa Rafaela Maria / Projeto Capaz
9h30 - 12h00

Tarde
Ginásio Atlético Clube, Baixa da Banheira
Mu(N)Danças – atividade intercultural
Evento promotor do convívio e celebração da diversidade cultural existente no concelho, através de atuações de grupos, mostra de pratos típicos de diversos países e artesanato.
15h00 – 18h00
Atuações Musicais
Companhia de Dança Marina Popova
Turma de Cante Alentejano da UNISEM
Paulo Duarte, Daniela Severino e Francisco Dantas
Grupo de Sevilhanas da Sociedade Estrela Moitense
Pacificadores
Gastronomia Daqui e Dali
Artesanato
Com participação do Projeto Dress a Girl Around The World

Agência de Notícias 
www.adn-agenciadenoticias.com

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010