Dá um Gosto ao ADN

quinta-feira, 25 de julho de 2019

Rio veta Maria Luís Albuquerque em Setúbal

Direção do PSD afasta antiga ministra das Finanças da Assembleia da República 

A distrital do PSD de Setúbal já tem a certeza de que o presidente do partido não conta com Maria Luís Albuquerque nas listas. A antiga ministra das Finanças ficará fora do Parlamento contra a vontade da distrital liderada por Bruno Vitorino. E este processo está longe do fim, porque a estrutura está, por agora, paralisada e a aguardar o desfecho das listas e a realização de uma reunião da distrital, já adiada por duas vezes, por causa deste impasse. O também deputado queria a ex-governante como número dois e, na equipa de Setúbal, o seu nome era consensual, tendo sido indicado pela concelhia de Almada. A reunião desta semana com a direção de Rio foi lida pelas estrutura como afastamento da ex-governante, ainda que a própria não quisesse ficar em número dois, a solução apontada na distrital, depois da escolha do cabeça-de-lista ter recaído no vereador de Setúbal, Nuno Carvalho. Bruno Vitorino também pode ficar de fora dos lugares legíveis. 
Rio não quer Maria Luís nas eleições por Setúbal 

De acordo com fontes distritais, para o PSD Setúbal Maria Luís Albuquerque teria de ser "pelo menos" número dois, depois de o seu nome ter sido aprovado por quase unanimidade numa reunião da distrital realizada a 26 de Junho, e de o presidente do PSD, Rui Rio, ter anunciado como cabeça de lista por este círculo o vereador Nuno Carvalho.
Por essa razão, as mesmas fontes distritais consideram que a escolha de Negrão para número dois pela direção "é um afastamento" da ex-ministra das Finanças, que não aceitaria ser candidata a deputada por outro círculo.
Contactada pela Lusa, fonte da direção do PSD confirmou a indicação do líder parlamentar do PSD para segundo candidato por Setúbal e que o nome de Maria Luís Albuquerque "não consta" dos restantes nomes propostos pela distrital.
Ora, a tensão aumentou em Setúbal por dois motivos. Primeiro, Bruno Vitorino, diz o jornal i, está a equacionar todos os cenários, incluindo a demissão do cargo; segundo, a distrital ainda não reuniu para receber o feedback das reuniões com a direção. De facto, esteve prevista uma reunião, adiada por duas vezes, na última semana. Mais, de acordo com informações só haverá reunião quando a comissão permanente do PSD clarificar o processo em Setúbal. Para já, está fechado que o número dois será Fernando Negrão.
Em número três está a ser apontado o nome de Lina Lopez, uma indicação dos TSD, a par de Fernanda Velez, do concelho da Moita. E, no quarto lugar, antecipa-se já a hipótese de ser uma figura do concelho do Seixal: Bruno Vasconcelos. Em nenhum destes casos surge o nome de Bruno Vitorino, aprovado pela concelhia do Barreiro e líder da distrital. O que significa que Vitorino pode ficar nas listas em lugar inelegível.
Acresce que há mal-estar interno e uma possível divisão na distrital, como frisaram várias fontes do PSD. 
A Lusa tentou contactar a ex-ministra das Finanças, até agora sem sucesso.

Agência de Notícias com Lusa
Leia outras notícias do dia em 

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010