Dá um Gosto ao ADN

terça-feira, 6 de março de 2018

Ferrovia abre à Europa a porta do Porto de Sines

Portos de Sines e Setúbal vão reforçar competitividade 

O primeiro-ministro, António Costa, salientou esta segunda-feira que o investimento na futura ligação ferroviária Évora-Elvas é “simbólico do momento que se vive na economia portuguesa” e destacou as vantagens que esta linha trará para o País com ligações mais rápidas, com custos 30 por cento mais baixos para quem for operar nos portos de Sines, Setúbal e Lisboa, encurtando distâncias em 140 quilómetros. “Esta obra vai reforçar a nossa competitividade”, disse António Costa, sublinhando que este investimento abre a “porta à Europa” do “porto de águas profundas” de Sines. A obra deverá iniciar-se em Março de 2019 e terá um custo de 509 milhões de euros, quase metade provenientes de fundos europeus. O chefe do Governo espera resultados e efeitos deste “investimento público” que contribua “não só para o crescimento, mas que ajude os investidores a investir, as empresas a exportar e as pessoas a poderem ter mais e melhor emprego”.
Governo quer ligar porto de Sines a Espanha por comboio 
O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, considerou esta segunda-feira “um dia histórico” para Portugal o arranque da fase de construção da linha ferroviária entre Évora e a fronteira do Caia (Elvas). 
"Um dia histórico em que assinalamos o arranque da fase de construção da linha ferroviária entre Évora e a fronteira. É um dia histórico para a Europa e para a consolidação da rede transeuropeia de transportes, um dia histórico para a Península Ibérica e para o reforço de ligações entre os nossos dois países", disse.
Para o governante, trata-se também de "um dia histórico" para o país, uma vez que marca o arranque da "maior obra de linha nova dos últimos 100 anos" na ferrovia portuguesa.
O ministro falava na cerimónia do lançamento do concurso para a ligação ferroviária entre Évora e Elvas, que decorreu  em Elvas, a qual deverá iniciar-se até Março de 2019 e terá um custo de 509 milhões de euros, quase metade provenientes de fundos europeus.
Pedro Marques considerou este investimento "estruturante" e de uma "importância decisiva" para a consolidação da rede ferroviária, enquanto elemento de suporte da coesão europeia.
Recordando que Espanha é o "maior parceiro comercial" de Portugal, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas considerou essencial a concretização deste projecto para a "conectividade" entre os dois países e no sentido de facilitar a mobilidade de pessoas e de transportes de mercadorias.
Sublinhando o impulso que esta obra vai provocar no porto de Sines, Pedro Marques destacou ainda que o comboio de mercadorias a partir de Sines terá uma redução de custos "superior a 30 por cento", beneficiando desta forma o seu crescimento.
"Mas os benefícios não se esgotam no porto de Sines, beneficiará na mesma medida nas acessibilidades aos portos de Setúbal e de Lisboa, que ganharão assim igual folgo adicional", acrescentou.
Além de sublinhar que esta obra beneficiará também a região do Alentejo, Pedro Marques destacou ainda que este é o maior investimento público na região desde a construção da Barragem do Alqueva.
"Com este Governo e ao contrário do que aconteceu no passado, não estamos a encerrar linhas, pelo contrário, fazemos crescer a rede ferroviária nacional", disse.

 509 milhões de euros de investimento na ferrovia 
A obra de construção da nova linha entre Évora e Elvas, com cerca de 100 quilómetros de extensão, deverá iniciar-se até Março de 2019 e a conclusão está programada para o primeiro trimestre de 2022, num custo de 509 milhões de euros (quase metade provenientes de fundos europeus), segundo o Ministério do Planeamento e das Infraestruturas.
O concurso foi lançado no Museu de Arte Contemporânea de Elvas, na presença do primeiro-ministro, António Costa, do chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy e da comissária europeia dos Transportes, Violeta Bulc.
Antes, decorreu na estação de Elvas uma cerimónia simbólica, que assinalou o início da empreitada de modernização do troço Elvas-Caia, na fronteira com Espanha.
Este troço de 11 quilómetros, chamado 'missing link', faz parte do corredor internacional sul, que ligará o porto de Sines até à fronteira com Espanha.
De acordo com os dados do executivo comunitário, a modernização do troço Évora-Caia, com um custo estimado de 388 milhões de euros, recebe uma comparticipação da União Europeia de 56 por cento (184 milhões de euros).
O Plano Ferrovia 2020, que promove as ligações com Espanha e a modernização dos principais eixos ferroviários, engloba, no total, um investimento superior a dois mil milhões de euros, dando especial destaque ao transporte de mercadorias e ao transporte público de passageiros.

Agência de Notícias com Lusa 

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010