Dá um Gosto ao ADN

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

PJ desmantela redes de burlas


Segurança social perde um milhão de euros

A Policia Judiciária (PJ) deteve quatro pessoas suspeitas dos crimes de falsificação, burla qualificada e corrupção que terão causado prejuízos à Segurança Social em cerca de um milhão de euros. Em causa está a alegada falsificação de documentos, que permitia a obtenção fraudulenta de subsídios, abonos, e pensões. No mesmo dia, a Domusvenda, uma empresa que se dedica à gestão de carteiras de crédito malparado, é suspeita de ter burlado o Bank of America em mais de 10 milhões de euros. A PJ realizou buscas na empresa, mas ainda não há arguidos no processo.

Cabecilha do grupo era funcionária do Tribunal de Montijo

 O ADN sabe que a Polícia Judiciária efetuou buscas no Centro Nacional de Pensões, em empresas, no Tribunal do Montijo e em domicílios, atrás de uma rede que se dedicava a burlar a Segurança Social.
Ao todo, foram efetuadas 25 buscas, que resultaram em quatro detenções, entre as quais os cabecilhas da rede. Entre os detidos está uma ex-funcionária do Tribunal do Montijo, que seria a líder da rede criminosa fornecendo dados de identificações a um ex-recluso que estava em liberdade condicional.
O esquema durava pelo menos desde 2009 e passava pela obtenção de falsos subsídios, de reformas e também de abonos. O grupo chegou a criar identidades de crianças que nunca existiram – em alguns casos quadrigémeos – e contou também com a ajuda de duas empresas que criaram falsos postos de trabalho, recebendo assim subsídios. Um dos arguidos, um empresário, viu o seu rendimento inflacionado em mais de 500 por cento, obtendo assim uma reforma elevada. A PJ descobriu a burla quando estranhou a enorme celeridade dada a alguns casos.
Presentes a tribunal, os quatro foram mandados embora. Só um deles ficará com pulseira electrónica em casa e os outros não podem falar entre si e têm de visitar a polícia regulamente.

Domusvenda suspeita de burla de 10 milhões
A Domusvenda, uma empresa que se dedica à gestão de carteiras de crédito malparado, é suspeita de ter burlado o Bank of America em mais de 10 milhões de euros. A Polícia Judiciária de Lisboa realizou ontem buscas na empresa, mas ainda não há arguidos no processo. Em causa estará o facto de a empresa ter entregue ao Bank of America apenas uma pequena parte dos créditos que conseguiu recuperar, recorrendo para tal a documentos falsificados.
O Bank of America comprou os créditos de várias empresas, tendo depois contratado a Domusvenda para tentar cobrar as elevadas dívidas. A empresa, criou, no entanto, um esquema fraudulento. Primeiro, não dava conta do real património que as empresas detinham, levando a que o Bank of America renegociasse as dívidas, que acabavam por ser significativamente reduzidas.
Depois, a Domusvenda angariava terceiros que compravam as empresas e que mesmo depois de saldar os créditos, já renegociados com o Bank of America, ganhavam bastante lucro com o património que não tinha chegado a ser declarado na primeira fase.
A burla milionária foi agora descoberta e os inspectores montaram a operação. Nas buscas foi apreendida vária documentação, que será agora analisada ao pormenor pelos inspectores da Polícia Judiciária de Lisboa.

Agência de Notícias 

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010