Dá um Gosto ao ADN

terça-feira, 24 de julho de 2012

Sardinha de Setúbal atinge 3,35 euros/kg


Preços que afastam a “rainha dos mares” da ementa do povo

A sardinha de Setúbal atingiu, na passada semana, o quarto mais alto valor comercial nacional em Lota. De acordo com estatística da Docapesca, o preço médio por quilo da sardinha foi de 3,35 euros na lota sadina. Este ano, há menos sardinha e, aos fins-de-semana, o preço da “rainha dos mares” atinge valores perfeitamente impensáveis no mercado, ultrapassando os 12 euros por quilo e, por isso, fica inacessível a muitos fogareiros deste país.

Sardinha assada é cada vez mais um luxo 


 Depois de Quarteira (3,73 euros), Olhão e Lagos, foi na Docapesca de Setúbal que a sardinha atingiu, na passada semana, o preço médio mais elevado (3,35 euros/kg), numa análise nacional.
Este dado estatístico consta de uma tabela elaborada pela Docapesca, Portos e Lotas, cujo observatório analisa quantidades e preços registados, ao longo da passada semana, num conjunto de quinze portos de pesca do continente.
A “rainha dos mares” registou o preço médio mais baixo precisamente na lota de Póvoa de Varzim, com o valor de 89 cêntimos/quilo.
Na observação dos dados estatísticos da Docapesca, percebe-se claramente que a sardinha regista menor valor quando comercializada nas delegações da Docapesca a norte do país, mas também é nesses mares que as capturas atingem maiores expressões.
Recordista de capturas de sardinha na passada semana, foram as traineiras e rapas do porto pesqueiro de Matosinhos, com um total de quase 172 mil quilos comercializados em lota, ao preço médio de 1,95 euros por quilo.
É a partir de Peniche, para sul, que a sardinha ganha claramente mais valor comercial. Na Docapesca penichense – ainda e sempre dados referentes à passada semana – deu entrada pouco mais de 70 mil quilos da espécie em apreço, comercializada ao preço médio por quilo de 2,41 euros.

Sesimbra e Sines vendem mais barato
Sesimbra “meteu” 49 mil quilos de sardinha em lota, ao preço médio/kg de 2,70 euros. Setúbal “apenas” capturou 3.500 quilos ao preço médio/kg de 3,35 euros. Sines foi, na passada semana, o recordista distrital da captura deste peixe, com um total de 90 mil quilos, comercializados em lota ao preço médio/kg de 2,97 euros.
De Sines até ao Algarve não existe nenhum porto com frota da arte do cerco (traineiras e rapas). E são os portos algarvios de Lagos-Sagres, Portimão, Quarteira e Olhão onde o pescador vê mais compensado o seu esforço de fazer entrar sardinha em lota.

12 euros/kg nas bancas
Sendo este um ano com generalizada redução de captura de sardinha, o preço desta espécie dispara nos mercados, particularmente aos fins-de-semana, numa relação directa de aumento de procura para assadas familiares ao ar livre.
Já vimos a sardinha a 12 euros, e até a ultrapassar este preço no Mercado do Livramento, em Setúbal, valor não muito distante das chamadas espécies nobres. Pelo menos nesta época balnear, a sardinha, outrora “peixe do povo”, não o é, e não muitas famílias podem dar-se ao luxo de uma sardinhada de fim-de-semana.
Sendo uma das 7 maravilhas da gastronomia de Portugal, a sardinha de Setúbal está cada vez mais longe das famílias normais. Pagar “12 euros ou mais  por um quilo de sardinhas é um absurdo e não está ao alcance de qualquer pessoa”, disse Mário Martins à porta do Mercado Municipal do Montijo.

Agência de Notícias 

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010