Dá um Gosto ao ADN

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Jales violou uma menina e foi solto por um juiz


Juiz diz que o risco persiste, mas acredita que pedófilo se irá controlar

Tribunais de Setúbal e Santa Maria da Feira aplicam penas completamente diferentes por crimes de pedofilia. Ilídio, de 40 anos, foi condenado a 17 anos de prisão efetiva por abusar de menores. Henrique Jales, de 43 anos, funcionário da direção comercial da TVI, saiu terça-feira à tarde da cadeia, onde aguardou o julgamento em prisão preventiva, acusado de abusar sexualmente de uma criança de 13 anos.

Henrique Jales foi ontem libertado por um juíz


Ilídio Jacinto, que residia nas Arroteias, Alhos Vedros, concelho da Moita, começou há dias a cumprir uma pena de 17 anos de cadeia, depois de, na semana passada, ter sido condenado no Tribunal de Setúbal. As provas recolhidas pela PJ de Setúbal não deixaram dúvidas ao coletivo de juízes. Só este ano, já foram detidas 71 pessoas pela Judiciária suspeitas de terem abusado sexualmente de 62 pessoas.
Henrique Jales, de 43 anos, funcionário da direção comercial da TVI, saiu terça-feira à tarde da cadeia, onde um aguardou o julgamento em prisão preventiva, acusado de abusar sexualmente de uma criança de 13 anos em Santa Maria da Feira. O coletivo de juízes, presidido por Jorge Costa, condenou-o a cinco anos de prisão com pena suspensa (sujeito a regime de prova) pelo crime de abuso sexual de criança e dois crimes de pornografia de menores. Mas acabou por sair em liberdade.
O colectivo de juízes do Tribunal de Santa Maria da Feira acreditou no arrependimento do arguido, de 43 anos, e está convicto de que irá controlar "os seus instintos", apesar de admitir que o risco se mantém e que não há certezas de que o pedófilo não volte a abusar. O Ministério Público não sabe se vai recorrer.
"Ninguém pode garantir que não volta a abusar, os impulsos sexuais para com menores persistem. Mas o tribunal está convencido de que hoje o arguido está arrependido, sabe que tal é errado e que não o pode voltar a fazer", disse o juiz Jorge Costa, que condenou Jales por um crime de abuso sexual e dois de pornografia de menores. Mal ouviu a sentença, o pedófilo - que é ainda alvo de uma investigação, em Oeiras, por suspeitas de outros abusos - abraçou-se à família e saiu da sala a sorrir e feliz.

Arrependimento decisivo para sair em liberdade
O facto de ter confessado, de não ter cadastro e de ter pago, de livre vontade, uma indemnização de mais de 20 mil euros à menor, foram algumas das atenuantes levadas em conta. O juiz salientou ainda que quando os abusos foram cometidos, a menor estava a dois meses de completar 14 anos [ idade a partir da qual segundo a lei é admitido o consentimento] diminuiu a gravidade do crime. "Contra si, o arguido tem a sua personalidade, a impressionante facilidade com que nas redes sociais conheceu ao longo dos últimos anos menores e a atracção que sente pelas mesmas", considerou o colectivo. Henrique Jales está obrigado a continuar as consultas no psicólogo.


Advogado pede desculpa à vítima
Ricardo Sá Fernandes, advogado do arguido, mostrou-se visivelmente satisfeito com a libertação do seu cliente e adiantou que não vai recorrer da sentença. "A pena aplicada adequa-se perfeitamente. O Henrique Jales admitiu que cometeu um erro e isso faz toda a diferença. Em nome dele, peço desculpa à família da menor e esperamos que ela consiga recuperar. O arguido agora vai tentar voltar à sua vida", disse.

Agência de Notícias 

4 comentários:

João Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Decebal Scorillo disse...

Vamos rezar todos para que a próxima vitima do abuso sexual do criminoso seja a filha ou a neta do estimado juiz Jorge Costa.

11 de julho de 2012 às 11:23
João Oliveira disse...

O mal da justiça, esta logo na lei aplicada aos Srs. Juízes , que na verdade nem existe. O ERRO, judicial. No nosso trabalho, cometemos erros, somos chamados atenção e temos que recompor esse erro sendo causa a 100% penalizado por tal. Os Srs. Juízes não o são, pergunto pk? Pk não são culpados pelos erro que eles cometem, cometido asneiras atrás de aneiras, libertando quem não deviam libertar, e dando ordem de prisão a cumprir a indivíduos que devem 300 euros que cumprem 4 a 5 meses de prisão, outros que devem 700 euros vão ate um ano de prisão, salientado que cada recluso fica ao estado 45 euros por dia de despesas, isto se ele não tiver em tratamento a nível hospitalar ou de medicação, pk se não ultrapassa bem os 100 euros por dia, ficando ao estado o triplo da despesa do que o individuo deveria ter que pagar inicialmente, sem contar com os gastos nos julgamentos e idas de diligências a tribunais. Esses são condenados os violadores, pedófilos, não o são na sua maioria como vemos este exemplo de grande satisfação. Tenho pena e muita pena que as próximas vitimas não sejam familiares próximos desses juízes. De certeza que a sentença será ou seria outra.

Quanto aos advogados foram criados inicialmente para ajudar e esclarecer melhor a lei perante o tribunal e ajudar ao colecto dos juízes uma melhor sentença, que na verdade hoje em dia tudo isso é hipocrisia, por um advogado é tao criminoso ao ponto de saber que seu cliente é delinquente ao nível mais devastador em termos de perigo para com a sociedade, e os defender com a ideia ilustre de que é inocente. Sim cada individuo deve ter o direito a defesa, sim, mas parem para pensar, provas evidentes, sem engano algum, esse individuo tem direito é alguém que o represente na justiça, e não que o defenda.
Portugal em termos judiciais, é um país com muitos e muitos direitos, mas com poucos ou quase nenhum deveres do individua perante a sociedade.
Desde quando 20.000,00 euros pagam os danos físicos e psicológicos que a criança já tem e de muito que irá criar devido aos sintomas prós-trauma .

Chegar-mos ao ponto que o dinheiro liberta indivíduos com esta classe de crime!!!!!!! Até que ponto o delinquente se vai se reintegrar numa sociedade do qual nem soube o que era ser castigado pelo seu crime, não o sentiu. Fazendo dos menores lixo, sim lixo ou alimento para as suas fantasias, sem levar a conta a moralidade e sentimentos dessa criança!!!!!! Até que ponto vai ser eficaz a sua reintegração, sendo ele um predador na sociedade em termos de violência sexual a menores!!!!! Sim, pk o colecto de juízes acreditam na sua reintegração, como? Se ele não foi sujeito a qualquer tratamento para tal efeito.!!!!!!

Será que a vitima se vai sentir segura emocionalmente sabendo deste resultado. Vivendo uma vida tranquila como uma criança norma, sendo ainda prematura no vinculo da sociedade??????

11 de julho de 2012 às 11:25

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010