Dá um Gosto ao ADN

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Olá mundo...

Pena Solta - By Lia Santos
Olá mundo...


Olá, sou a Lia, uma menina cheia de vida e força quando nasci. Cresci sobre sonhos e perfeição, pois era isso que me mostravam. idealizaram-me um mundo de várias cores e sorrisos, de verdades e amizades. fui crescendo...e vi que alem de cores e sonhos existiam outros sentimentos menos doces, aprendi a chorar sem ser de alegria como de quando nasci...aprendi que o mundo e redondo e que os sonhos rodam a sua volta. conheci o amargo da vida...hoje.. hoje sinto falta do sentido dos desenhos que fazia em pequena, em que sonhava acordada o dia inteiro...
Momentos que passam e ficam guardados para recordar que um dia ...é o melhor que podemos ter...recordações... com a vida aprendemos a dar e a receber sem nunca nos arrependermos...escolhas de cabeça fria são marcas nunca esquecidas... Não tenho percebido cores, não tenho sentido mais o néctar das flores, não sei mais o que é real e nem abstrato. Talvez neste exato momento, não sonhasse com o futuro, Nem vivesse no passado, Há dias tenho vagado na mente distante, incessante, Mas exatamente neste instante, tenho sido incoerente e não só com opiniões diferentes, Mas também com pouca e muita gente. Sou assim...Naturalmente! O que fazer?. Tenho medo da dor, tenho medo de sofrer.
Tenho medo de brigar com meu amor, de matar, de morrer... Será que todos são assim? Não sei mais quem sou! aquela criança que sonhava... Não tenho estado mais aqui comigo. A saudade, engrandece a tristeza, Que mesmo sendo de nossa natureza, Não consigo aceitar! Sinto falta de tudo, sinto falta de mim! Na memória, a lembrança tardia de um sorriso e um olhar de uma triste alegria, que glorifico! É o que me faz despertar! gente faz história. Foi gritando que eu aprendi a cantar, sem nenhum pudor, sem pecado. Canto para espantar os demónios, para juntar os amigos. Para sentir o mundo, para seduzir a vida. A despedida é um momento de tristeza , em que corações se preparam para viver uma saudade...Quando se ouve boa música fica-se com saudade de algo que nunca se teve e nunca se terá. "Também temos saudade do que não existiu, e dói bastante. "Sei que na minha caminhada tem um destino e uma direção, por isso devo medir meus passos, prestar atenção no que faço e no que fazem os que por mim também passam ou pelos quais passo eu... Que eu não me iluda com o ânimo e o vigor dos primeiros trechos, porque chegará o dia em que os pés não terão tanta força e se ferirão no caminho e se cansarão mais cedo... Todavia, quando o cansaço houver, que eu não me desespere e acredite que ainda terei forças para continuar, principalmente quando houver quem me auxilie... É oportuno que, em meus sorrisos, eu me lembre de que existem os que choram, que, assim, meu riso não ofenda a mágoa dos que sofrem: por outro lado, quando chegar a minha vez de chorar, que eu não me deixe dominar pela desesperança, mas que eu entenda o sentido do sofrimento, que me nivela, que me iguala, que torna todos os homens iguais...

Quando eu tiver tudo, farnel e coragem, água no cantil, e ânimo no coração, calçado nos pés e chapéu na cabeça, e assim, não temer o vento e o frio, a chuva e o tempo. Que eu não me considere melhor do que aqueles que ficarão atrás, porque pode vir o dia em que nada terei mais para minha jornada e aqueles, que ultrapassei na caminhada, me alcançarão e também poderão fazer como eu fiz e nada de fato fazer por mim, que ficarei no caminho sem conclui-lo... Quando o dia brilhar, que eu tenha vontade de ver a noite em que a caminhada será mais fácil e mais amena, quando for noite, porém e a escuridão tornar mais difícil a chegada, que eu saiba esperar o dia como aurora, o calor como bênção... Que eu perceba que a caminhada sozinha pode ser mais rápida, mas muito mais vazia...Quando eu tiver sede, que encontre a fonte no caminho, quando eu me perder, que ache a indicação, a seta, a direção... Que eu não siga os que desviam, mas que ninguém se desvie seguindo os meus passos...Que a pressa em chegar não me afaste da alegria de ver as flores simples que estão a beira da estrada, que eu não perturbe a caminhada de ninguém, que eu entenda que seguir faz bem, mas que, às vezes, é preciso ter-se a bravura de voltar atrás e recomeçar e tomar outra direção...
Que eu não caminhe sem rumo, que eu não me perca nas encruzilhadas, mas que eu não tema os que assaltam-me, os que embuçam, mas que eu vá onde devo ir e, se eu cair no meio do caminho, que fique a lembrança de minha queda para impedir que outros caiam no mesmo abismo... Que eu chegue, sim, mas, ainda mais importante, que eu faça chegar quem me perguntar, quem me pedir conselho, e acima de tudo, me seguir, confiando em mim! mas continuo a acreditar em sonhos...onde a única certeza de tudo é que o meu nome continua a ser Lia...uma menina cheia de vida e força.

Lia Santos 
Lisboa 


(Lia Santos escreve todas as quartas-feiras a rubrica Pena Solta, pensamentos da alma) 

1 comentários:

Anónimo disse...

es uma super mulher pelo que tenho percebido. em que o teu maior poder é a Força que vem dentro de ti e que te faz continuar bem disposta divertida e a seres a menina , hoje mulher que és. Bg:)

12 de abril de 2012 às 00:44

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010