Dá um Gosto ao ADN

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Palmela promove Fernando Pó a “aldeia vinhateira”

Parceria viabiliza reabilitação do edifício da Associação Cultural e Recreativa de Fernando Pó

A Associação Cultural e Recreativa de Fernando Pó vai ceder a utilização do seu edifício à Câmara de Palmela, em regime de contrato de comodato. A celebração deste contrato, que não prejudica a atividade regular da Associação, foi aprovada, de forma unânime, na reunião pública. A localidade de Fernando Pó, em Marateca, vai ser transformada numa aldeia vinhateira. Esta candidatura a fundos europeus pretende transformar a aldeia num centro temático em torno da vinha e do vinho. Consiste no desenvolvimento de 12 acções de intervenção pública e privada, que vão da regeneração urbana à promoção e animação turística e à requalificação de espaços públicos. A Associação Cultural e Recreativa de Fernando Pó será um centro nevrálgico de toda a dinâmica do projecto e a antiga escola, que acolherá um centro da vinha e do vinho, juntará novas valências que possam servir a comunidade.
Palmela aposta cada vez mais na promoção vitivinicula da região  


Esta parceria com o município de Palmela vem "viabilizar a reabilitação do edifício da Associação, através de uma candidatura ao POLisboa 2020 do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (Plano de Ação Integrado para as Comunidades Desfavorecidas)", explica a autarquia em comunicado.
Entre outras atividades, este edifício assume especial destaque enquanto palco anual da Mostra de Vinhos de Fernando Pó, evento de referência na área dos vinhos, que viverá, em 2017, a sua 22.ª edição. 
"A qualificação do espaço, com novas valências e conforto, contribuirá, consequentemente, para a renovação e ampliação desta Mostra, permitindo-lhe adequar-se ao nível crescente de exigência de visitantes e empresas participantes", diz a Câmara de Palmela. 

“Aldeia vinhateira” promete mudar aldeia e trazer turistas 
“A aposta nos vinhos e na gastronomia não é nova, mas um dos pilares do desenvolvimento de qualquer economia local”. Esta foi uma das conclusões de Álvaro Amaro, autarca de Palmela, que considerou o fórum Turismo, que decorreu em Palmela este mês, “um momento privilegiado para fomentar o debate, a apresentação de prácticas de sucesso e a partilha de experiências, que inspiram todos a fazer mais e melhor”. No que toca a Palmela, o presidente da Câmara aproveitou a ocasião para frisar “a tradição milenar da vila na produção vitivinícola” e o enorme avanço do sector nos últimos 20 anos, “fruto do caminho trilhado pela autarquia e as empresas locais, através da sensibilização para a importância da modernização dos sistemas de produção, comunicação e marketing, numa região conhecida pelo bom vinho, que acumula prémios sobre prémios em certames internacionais”,
Desta forma, o município de Palmela pretende criar em Fernando Pó, freguesia de Marateca, um polo económico e de atração turística, através do conceito de “aldeia vinhateira”. Intitulado Centro Rural Vinum, o projeto parte da localização privilegiada da aldeia de Fernando Pó, no coração da região vitivinícola da Península de Setúbal, da existência de um conjunto de adegas de renome nacional e internacional e da realização regular da Mostra de Vinhos.
Com a utilização em regime de comodato, o município "vai poder utilizar o edifício como espaço de exposições e atividades locais, desenvolvendo outros momentos de exposição, debate, investigação e cultura, em torno do vinho, ao longo do ano", explica a Câmara de Palmela.
O presidente da Câmara de Palmela, Álvaro Amaro, já tinha anunciado a intenção do município palmelense de corresponder à estratégia da Associação de Municípios Portugueses do Vinho de valorização das aldeias vinhateiras e do enoturismo.
"Estamos empenhados na estratégia da associação para a criação da Rede nacional de Aldeias Vinhateiras, que até agora estava confinada à região do Douro", disse o autarca na altura. O projeto `Centro Rural Vinho´ na localidade de Fernando Pó, foi recebido com entusiasmo pelos vitivinicultores e pela população local.
"Está assegurado financiamento público para a requalificação de espaços, reaproveitamento da antiga escola primária, que será um centro de interpretação, a par de oportunidades para pequenos negócios, para que quem visita Fernando Pó possa ali permanecer mais algum tempo, não se limitando a visitar as adegas da região", disse Álvaro Amaro em Abril deste ano.
O objetivo, referiu o presidente, é que os visitantes possam passar um dia em Fernando Pó, dispondo de locais para visitar, actividades para realizar e espaços onde possam almoçar e adquirir lembranças. Entre as acções previstas, o presidente apontou alguns exemplos, como a criação de uma linha gráfica comum para a sinalética das adegas ou de um plano de marketing e divulgação da localidade e da Mostra de Vinhos de Fernando Pó.

CP vai trazer turistas para Fernando Pó via Pinhal Novo 
Vinhas de Fernando Pó vão ser mais conhecidas em Portugal 
Nesta lógica de aproximação dos turistas aos ambientes naturais, assinou-se um acordo de parceria entre o município de Palmela e a CP – Comboios de Portugal, que vai garantir a ligação de Lisboa e Pinhal Novo, através do Intercidades, à aldeia de Fernando Pó. “Trata-de um programa de Rotas do Sado, que aposta na utilização do comboio para trazer visitantes de Lisboa ao coração das nossas freguesias rurais, nomeadamente à aldeia de Fernando Pó para programas enoturísticos. Para além dos passeios nos nossos jardins de vinhos, a parceria vai privilegiar experiências nas adegas Filipe Palhoça, Fernão Pó e Casa Ermelinda de Freitas, com visitas guiadas, provas comentadas e degustação de produtos regionais”, acrescentou Álvaro Amaro, autarca de Palmela. O acordo antecedeu o início dos trabalhos do fórum Turismo.

Agência de Notícias 

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010