Dá um Gosto ao ADN

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Pena Solta por Lia Santos

Amar-me...

Existe uma história esperando um coração para escrever. E eu estou aqui tentando apenas pegar as estrelas. Quando a alma e o coração se tocam num olhar. Não há força que os separe. Há uma porta. Há um beijo que ninguém vai impedir. Pensamentos me deixam levar por ai. E fácil viver mais. Há uma estação onde este tem que parar. Sem limites para sonhar, pois só assim se pode inventar o amor. Hoje descobri, finalmente! sou apaixonada por mim . Sem rodeios ou poemas, rosas ou prendas, complicações e grandes conversas de desvio. Já vivi grandes amores de juras eternas ou simplesmente sem planos, acordei nas nuvens como de repente entrava numa escuridão. Foram lições. hoje acordo sem pressas de amores desconhecidos, juras ou promessas. Acordo sem medos de me perder por alguém. Pois já me perdi! Por mim. Simplesmente apaixonada pelo que sou. 

Confesso que gosto da minha própria companhia de rir sozinha da minha mente ou dos tempos que já lá vão. Gosto de mim. Sou uma sonhadora. Finalmente sei o que e ter-me por inteiro sem querer mudar nada, vagueio pelas estações admirando as paisagens ate chegar ao destino, sem relógios ou pressas. Vou admirando o caminho que percorro repleto de saudades e momentos. O ser humano e muito complexo, muitas das vezes não damos valor a nossa essência, a nossa cor, ao nosso espaço. E não damos conta que o que de mais puro existe e amarmo-nos como somos. 
Não me envolvo com sombras ou desenhos coloridos que se vê por páginas e cópias da realidade, não me enfeitiço por sabores. Por vezes travo batalhas entre a realidade e a ilusão, tento acreditar na pureza mas não consigo, a minha essência esbarra se com a minha mente e ai paro! Não vou mudar de linha, quero dar a volta ao mundo, como se estivesse num lindo balão de ar quente deixando a vida me guiar. Transporto comigo o meu amor, talvez um dia alguém mo vá roubar, mas terá de ser mais forte que eu para isso. E se não acontecer só me posso desapegar a quem não me acrescenta nada. 
Já dei muitos passos atrás para poder seguir em frente, já tentaram mudar a minha vida. Não quis ou talvez não fosse da melhor forma. O ser humano não é objeto que se molde a qualquer estado ou estação, somos muitos complexos e completos para sermos iguais. Mas há algo que seja de que cor for bate da mesma forma. O coração. Esse quando falha sabe que chegou o fim. São incontroláveis as emoções que nele habitam. Não me preocupo em cair ou amanha andar na chuva. Tenho medo sim de um dia acordar e não me amar mais. Se no meu caminho alguém roubar meu amor então que me respeite e não me tente mudar. Ai sim posso partilhar este sentimento. Gosto de estar comigo, foi muito tempo a aprender a gostar de mim, e se não fosse assim não teria capacidade para gostar de mais alguém. 
Amo a vida e tudo o que ela trás, alguns dizem que o amor é um rio que afoga a relva macia. Alguns dizem que o amor é uma navalha, que deixa sua alma a sangrar outros dizem que o amor é uma fome, uma necessidade infinita. Dor. Eu digo que o amor é uma flor onde a sua única semente é o nosso ser. É o coração com medo de quebrar e que nunca aprende a dançar por completo. É o sonho com medo de acordar em lugar incerto. E onde nunca a alma com medo de morrer que aprende a viver. Quando achares que o amor e apenas para os sortudos, quando a noite tiver sido muito solitária. Lembra-te que mesmo sobre a neve fria encontra-se uma semente que com o amor do sol da primavera torna-se uma rosa. 
Às vezes penso que vivo num barril de pólvora rodeado de faíscas, mas depois deparo me com o mundo. Não há sentimentos iguais. Existe sim aqueles que se completam. Mas será que um dia deixarei roubarem meu amor. Amo-me demais para deixar de viver. Quero continuar neste balão lindo a observar o mundo. As loucuras e dissabores que nele habitam. Quero acompanhar o tempo sem parar nas estações. Até que... um dia entendemos que o tempo afinal tudo muda, que o tempo não e inimigo e que tudo vem no tempo que deve. Não adianta espernear nem nos esconder-mos da vida, mas sim entender que o que sonhamos ou queremos para acontecer muitas vezes tem de prevalecer sobre sentimentos e momentos, que muitas das vezes podem apenas ser pequenas rasteiras que nos façam desviar dos objetivos, mas o tempo mostra o que é ou não certo.
A fuga não e a melhor saída e que no fim de contas nos acabamos por agradecer tudo o que passou, porque o tempo... ahhh o tempo... esta sempre ao nosso lado para nos mostrar o que realmente vale a pena. O tempo muda géneros, o tempo mal-entendido já não é a mesma coisa, e quem sabe o dia em que alguém te diga "quero-te". Será o mesmo que eu dizer: "quis-te". Até poderei amar algo durante 50 anos, nada me vale se não o mostrar. Já pensei no quanto era lindo esse sentimento, o tempo... ahh o tempo... que tornou aquela folha verde em papel e mudou os caminhos de quem o interpretou mal. O tempo passa. Os sentimentos mais belos ficam. Mas os objetivos continuam a construir-se. Eu continuo mesmo sabendo que os defeitos pioram com a idade e as qualidades viram hábito do dia-a-dia. 
Já me desfiz em mil pedaços a espera que o tempo me junta-se. Quando tentamos parar o tempo vejo o futuro a tentar repetir o passado e isso nao e certo. e o que não der certo que se perca nas minhas memorias e me de caminho para andar. pois a verdade é que um dia seremos apenas um retrato na estante de alguém e depois. Nem isso. Pois a vida não oferece garantias. Ela dá possibilidade e oportunidades, mas eu prefiro viver da oportunidade que da possibilidade de existir o amanha. Ohhhh baby it´s a wild world. Muitas das vezes ter uma pessoa dentro de nós significa muito mais que ter uma ao lado. Lindo não é?, mas é o tempo que faz com que aconteça. 
O tempo tudo muda, aspecto, formas e ate pensamentos. O tempo não perdoa. Apenas passa e repassa nas mudanças, é possível sim que as coisas voltem mas não estou a espera que elas estejam como as deixei, claro que mudam. Resta saber que a folha torna se numa linda árvore ou num simples bloco de papel. Não perco tempo a edificar muralhas em torno do meu coração porque haverá sempre alguém que as poderá derrubar, mas o tempo trata de edifica lo com sonhos e desejos. Gosto de me sentir livre. Pois muitas vezes no perder se encontra o ganho, pois o tempo trata de colocar tudo no seu devido lugar. 
Antes eu tinha tantas palavras, mas não tinha coragem. Hoje prefiro atitudes a palavras repetidas. Sou dona dos meus actos mas não dos meus sentimentos. sou culpada pelo que faço mas não pelo que sinto. Mas eu comando os meus sonhos junto com o tempo ate haver alguém me mo faças esquecer. Hummm e então folha ou papel?! O tempo decidirá porque não me estaciono em becos sem saída. 
E se não me amasse?! Talvez vivesse escondida. Nunca sabemos a nossa força até um dia a temperatura nos testar. O coração não e um relógio para ter tempo, pois ele e sensível demais as contagem. Não há tempo para amar. Continuo a tentar pegar as estrelas com um coração a escrever. Pois e ele que me despe a alma e a toca com um único olhar.

Lia Santos 
Lisboa 
Pena Solta, uma rúbrica que busca os pensamentos da alma e os cruza com experiências de vida e vivências, com assinatura de Lia Santos


0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010