Dá um Gosto ao ADN

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Eleições Autárquicas de 2013 já mexem em Setúbal


Partido Socialista já divulgou seis candidatos no distrito de Setúbal

O Partido Socialista já apreciou, e votou, seis cabeças-de lista às câmaras municipais do Distrito, com vista às Autárquicas de 2013. Almada, Moita, Palmela, Sesimbra, Alcochete e Montijo já conhecem os candidatos. Em Setúbal, Seixal e Barreiro, as escolhas serão divulgadas em Janeiro. Em comum: todos esperam ganhar à força dominante do distrito; a CDU.

Nuno Canta é o nome escolhido do PS para a Câmara do Montijo

Seis concelhos do distrito de Setúbal já conhecem oficialmente os seus cabeças-de-lista socialistas na corrida às eleições Autárquicas, agendadas para Outubro do próximo ano.
Nuno Canta, actual vereador socialista, e vice-presidente da autarquia montijense, presidida por Maria Amélia Antunes, que não pode recandidatar-se, vai avançar às eleições agendadas para Outubro. Segundo comunicado recente da Comissão Política Nacional do PS - "a escolha do candidato do Partido Socialista a Presidente da Câmara do Montijo é feita ao abrigo do regulamento eleitoral interno e de designação de candidatos a cargos de representação política".
Com a escolha do candidato o Secretariado da Comissão Política Concelhia do PS Montijo é sublinhado dá - "início ao processo eleitoral autárquico a realizar no ano de 2013".
"O PS pretende continuar a merecer a confiança da esmagadora maioria dos cidadãos eleitores do concelho do Montijo. É objectivo do PS conquistar a maioria absoluta na Câmara Municipal, a maioria absoluta na Assembleia Municipal e conquistar todas as Juntas e Assembleias de Freguesia do concelho" - refere uma nota de imprensa do PS do Montijo.

Joaquim Barbosa avança em Almada
Em Almada, o PS votou em Joaquim Barbosa, actualmente Provedor da Santa Casa da Misericórdia local.
Segundo a Comissão Política Concelhia do PS, a decisão de designar Joaquim Barbosa como candidato a
presidente da Câmara de Almada foi "tomada por voto secreto, tendo a proposta obtido uma larga maioria neste órgão, expressa em 43 votos a favor, 10 contra e 1 branco".
Acrescente-se que esta decisão tem, também segundo a Comissão, a anuência das Direções Distrital e Nacional do PS.
Joaquim Barbosa tem 56 anos, é casado e pai de dois filhos e atualmente é Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Almada, cargo para o qual foi reeleito recentemente, após um mandato de três anos marcado pela abertura de dois equipamentos para a infância e para os idosos (Centro Integrado “Arco Íris” na Caparica e a “Casinha” na Sobreda).
O candidato do PS à Câmara de Almada é também sócio fundador da Associação Solidariedade e Desenvolvimento do Laranjeiro.
Licenciado em Direito pela Universidade Clássica de Lisboa, e com o curso do Magistério Primário, Joaquim Barbosa iniciou a sua atividade profissional como Professor na Escola n.º 1 da Trafaria e no Centro de Bem Estar Social do Laranjeiro e integrou a Equipa de Ensino Especial de Lisboa, com funções de apoio pedagógico a alunos com deficiência motora.
O candidato exerceu diversos cargos públicos, de que se destaca ter sido Diretor do Centro de Emprego de Almada, Chefe de Gabinete do Secretário de Estado do Trabalho e Formação e Diretor Regional Adjunto de Educação de Lisboa e Vale do Tejo.
Joaquim Barbosa foi membro da Assembleia Municipal de Almada e, atualmente, é o Presidente da Mesa da Comissão Política Concelhia do PS em Almada.


Gigaloto em Sesimbra
A Comissão Política Concelhia de Sesimbra do Partido Socialista escolheu Américo Gigaloto como candidato a Presidente da Câmara, nas próximas eleições autárquicas. A candidatura de Américo Gigaloto foi votada e aprovada por uma larga maioria dos votos expressos.
"O PS está preparado para, com bom senso e criatividade, lançar novas políticas que reponham o necessário equilíbrio financeiro e façam retomar os caminhos do desenvolvimento”, sublinha o documento do PS.Américo Gigaloto foi o primeiro candidato do Partido Socialista a uma Câmara Municipal a ser eleito no distrito de Setúbal e dos primeiros ao nível nacional.
Do seu Manifesto Eleitoral destacam-se, entre outros aspetos, a preocupante situação financeira do Município de Sesimbra, o estado debilitado da economia local, o nível elevado de desemprego, os graves problemas sociais que afetam os cidadãos, as famílias, as empresas e demais instituições, os constrangimentos do setor da restauração e do turismo e as questões ligadas à pesca.
Embora o estado atual do “Concelho tenha como causa a grave crise do País, da Europa e do Mundo, o
mesmo tem vindo a ser agravado pela política desastrosa do Governo e pela intervenção da Câmara CDU/PSD, que ao querer tudo fazer criou uma situação de extremo endividamento, cuja saída implica agora uma sobrecarga de impostos locais, taxas e tarifas para as quais não existem condições”, diz o candidato.
Gigaloto diz ainda que Sesimbra “se hipotecou por longos anos o futuro do desenvolvimento sustentado e harmonioso de todo o Concelho e das suas Freguesias”.
O PS está preparado para, “com bom senso e criatividade, lançar novas políticas que reponham o necessário equilíbrio financeiro e façam retomar os caminhos do desenvolvimento”, diz Américo Gigaloto.

Manuel Borges quer ganhar Câmara da Moita 
A concelhia do PS da Moita anunciou ontem que o professor Manuel Galvoeira Borges vai ser o candidato à presidência da Câmara nas eleições autárquicas do próximo ano.
Manuel Galvoeira Borges, que é presidente da concelhia do PS da Moita desde 2010, foi eleito por unanimidade para concorrer à autarquia em 2013.
O Partido Socialista da Moita pretende eleger Manuel Borges "para mobilizar a população para um novo modelo de gestão autárquica, mais participado e partilhado por todos", refere a concelhia em comunicado enviado ao ADN.
Tem 53 anos e desde muito jovem que tem tido uma forte presença ativa no movimento associativo e na participação política local, encontrando-se há vários anos como membro da Assembleia Municipal da Moita em representação desta força política.
É casado, pai de dois jovens universitários e licenciado em Ensino de Física e Química, finalista da Licenciatura de Psicologia Social e das Organizações e Pós-Graduado em Gestão e Administração Escolar. É professor na Escola Secundária da Moita e os tempos livres que a vida profissional, familiar e a política local lhe proporcionam, ocupa-os na atividade desportiva amadora e no convívio com os muitos amigos que estima em manter.
“O Partido Socialista da Moita ao eleger Manuel Borges para liderar uma nova equipa com a qual pretende ganhar a Câmara da Moita, acredita que só “uma mudança profunda no situacionismo local existente (com quase 40 anos!), pode mobilizar a nossa população para um novo modelo de gestão autárquica, mais participado e partilhado por todos”, afirma a Comissão Concelhia.
“Detentor de um espírito aberto e simultaneamente pragmático, Manuel Borges, alicerçado numa consolidada experiência de vida, muita da qual em contacto com os jovens das nossas escolas e associações, permite ao Partido Socialista da Moita ousar o caminho para a mudança, um caminho que irá promover ‘Um novo rumo para o concelho da Moita’”, acrescenta o comunicado.

Alcochete e Palmela apostam em mulheres
O quinto candidato socialista, e para o concelho de Alcochete, é Maria Teresa Moraes Sarmento, advogada, docente universitária, e que já desempenhou o cargo de deputada na Assembleia da República, entre os anos de 2005 e 2009.
Natividade Coelho, actual vereadora da oposição na Câmara de Palmela, é o nome também já escolhido pelas estruturas socialistas para se apresentar às urnas, em Outubro do próximo ano.
Natividade Coelho admite que “o PS sempre fará melhor trabalho que a CDU à frente da câmara municipal”. A recente lei da limitação de mandatos, que impede os autarcas de se recandidatarem a mais de três mandatos seguidos na mesma edilidade, adjuvado ao resultado das passadas eleições legislativas, onde o PS ficou à frente da CDU na preferência do eleitorado, faz com que a autarca palmelense perspetive um bom resultado nas autárquicas. “O ciclo da CDU à frente da câmara municipal está prestes a acabar com a saída de Ana Teresa Vicente”, diz Natividade Coelho.
Apesar de o executivo CDU ter conquistado uma “clara maioria” nas passadas eleições autárquicas, quando garantiu cinco vereadores contra os dois socialistas, Natividade Coelho entende que “a abstenção foi muito elevada por a população estar cansada da política exercida em Palmela”.
A renúncia ao mandato autárquico de Fonseca Ferreira, antigo cabeça de lista do PS por Palmela, e a sua indisposição para se recandidatar ao cargo de presidente da autarquia em 2013, fez com que o nome da presidente das Mulheres Socialistas de Setúbal fosse o mais indicado para concorrer pelo mandato.
“O trabalho feito pelo executivo CDU no último mandato à frente da autarquia deixa muito a desejar e ficou muito aquém do expectável”, afirma Natividade Coelho, adiantando a esperança numa “mudança política na autarquia”.
O anuncio dos candidatos do PS às câmaras do Litoral Alentejano – Grândola, Alcácer do Sal, Sines e Santiago do Cacém – ainda devem ser oficializados este mês. Os candidatos a Setúbal, Seixal e Barreiro só deverão ser divulgados em Janeiro.

Paulo Jorge Oliveira 

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010