Dá um Gosto ao ADN

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Mulher detida ao entrar na prisão de Setúbal com haxixe

Mãe faz bolo com saco de haxixe lá dentro. A droga seria para o filho 

Uma mulher de 46 anos foi detida na prisão de Setúbal depois de ter entrado no estabelecimento prisional com haxixe. A droga estava oculta no meio de alimentos que levava para um dos reclusos. A Polícia Judiciária, anunciou a detenção esta terça-feira, indicando que o Departamento de Investigação Criminal de Setúbal e em articulação com o Estabelecimento Prisional de Setúbal, "identificou e deteve uma mulher com 46 anos de idade, por sobre ela recaírem fortes indícios da prática do crime de tráfico de estupefacientes". A detida foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de apresentações periódicas às autoridades. 
Mulher foi apanhada com droga a entrar na cadeia de Setúbal 

Uma mulher de 46 anos foi detida por suspeitas de tráfico de estupefacientes, após levar 25 gramas de haxixe, dentro de um bolo, ao filho que está preso no Estabelecimento Prisional de Setúbal.
No passado dia 30 de Dezembro, a mãe de um recluso levou haxixe "dentro de um saco, dentro de um bolo", disse fonte do Departamento de Investigação Criminal de Setúbal da Polícia Judiciária ao Observador. "Exteriormente não se via nada".
Devido à pouca quantia de droga, a Polícia Judiciária acredita que seria para "consumo próprio" do recluso. "Sabe-se que o filho é consumidor", explicou fonte da PJ. "25 gramas não é muito. Já apanhámos muito mais. Este produto lá dentro [nos estabelecimentos prisionais] vale muito mais do que cá fora", prosseguiu.
O Departamento de Investigação Criminal de Setúbal da Polícia Judiciária, conta  jornal Observador, encontrou a droga “dentro de um saco, dentro de um bolo”. Foi onde uma mulher levou algumas gramas de haxixe para o Estabelecimento Prisional de Setúbal, no sábado passado. “Exteriormente não se via nada”, acrescentou ainda a PJ. 
Contudo, a hipótese de tráfico de droga para comercialização do produto não é excluída. "Depende da frequência com que a mãe lá ia", referiu a mesma fonte. "O revendedor [dentro do estabelecimento prisional] dá o NIB do vendedor [fora do estabelecimento prisional] a cada um dos compradores para que estes, por sua vez, o dêem a pessoas de confiança que transferem o dinheiro para o vendedor", contou fonte da PJ ao Observador.
A mãe do recluso foi "presente a primeiro interrogatório judicial", tendo sido aplicada a "medida de coacção de apresentações periódicas às autoridades", refere um comunicado publicado esta terça-feira no site da Polícia Judiciária.

Agência de Notícias 

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010