Dá um Gosto ao ADN

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Misericórdias do distrito de Setúbal com consultas

Adultos sem médico de família vão ter consultas nas Misericórdias de Setúbal, Sesimbra, Montijo e Barreiro 

Quatro Misericórdias da península de Setúbal vão realizar consultas a utentes adultos sem médico de família da região, de acordo com um protocolo assinado nesta quinta-feira. O protocolo foi assinado na Santa Casa da Misericórdia de Setúbal, entre a União das Misericórdias Portuguesas  e a ARS – Administração Regional da Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, e envolve as Misericórdias de Setúbal, Montijo, Barreiro e Sesimbra. Num comunicado, a Misericórdia de Setúbal revelou que as Misericórdias vão prestar um serviço de consulta a adultos sem médico de família de zonas consideradas mais críticas, nomeadamente de Setúbal, Canha/Pegões, [no Montijo] Barreiro e Quinta do Conde.
Misericórdias reforçam apoio a doentes sem médico de família 
De acordo com Manuel Lemos, presidente da União das Misericórdias Portuguesas , o número total dos utentes que vão ser abrangidos só será quantificado quando “os sistemas informáticos estiverem ligados”, mas, no caso de Setúbal, a Santa Casa local estima que “este serviço representa a realização de cerca de 100 consultas por dia”.
“O objetivo é ajudar o Estado a atender mais pessoas, sobretudo nestas épocas em que este regista alguma dificuldade em encontrar profissionais, e sempre na procura do interesse público, que é ajudar as pessoas e assegurar que elas têm cuidados de saúde”, afirmou Manuel Lemos, citado no comunicado.
O dirigente da União das Misericórdias Portuguesas  salientou ainda que a intenção das Misericórdias “não é atender pessoas que podem ser atendidas pelo Estado”, mas “cobrir aquela parte que, neste momento, por dificuldades profissionais, o Estado não tem [possibilidades de cobrir]”.
“Temos um problema nestes dois agrupamentos de centros de saúde que são utentes que não têm médico de família e não há qualidade em saúde sem acesso fácil ao médico de família”, admitiu, por seu lado, o vice-presidente da ARS – Administração Regional da Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Luís Pinho.

Agência de Notícias com Lusa

0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010