Dá um Gosto ao ADN

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Terminal de Alcântara "vai matar" projeto no Barreiro

PSD acusa governo de "esvaziar" investimento no Terminal do Barreiro  

O presidente do PSD de Setúbal, Bruno Vitorino, afirmou que a ampliação do terminal de contentores de Alcântara "vai matar" o projeto da infraestrutura portuária planeada para o concelho do Barreiro. Bruno Vitorino, que é deputado na Assembleia da República, defendeu que a ideia de construir um terminal de contentores no Barreiro surgiu com a necessidade de expandir a capacidade portuária em Lisboa, permitindo requalificar toda a zona ribeirinha da capital e ao mesmo tempo impulsionar uma área industrial, que é património do Estado, naquele concelho da margem sul do Tejo. Em relação ao Terminal Multimodal do Barreiro, o governo estima que poderá ser concessionado em 2020, apontando ainda este ano a entrega de uma Proposta de Definição de Âmbito à Agência Portuguesa do Ambiente, que está a analisar o projeto.
PSD critica alargamento do terminal de Alcântara 


"Sempre foi claro que o terminal de contentores do Barreiro só avançaria se fosse tecnicamente viável e se existissem privados interessados. Ao duplicar a capacidade do terminal de Alcântara, juntamente com a expansão da capacidade do Porto de Setúbal, este Governo dá uma forte machadada nas pretensões da revitalização da zona ribeirinha de Lisboa e mata a viabilidade do projeto do Barreiro", afirmou Bruno Vitorino, em comunicado enviado à Lusa.
O líder da distrital de Setúbal considera que o governo "esvazia todo e qualquer interesse que grupos privados pudessem ter no Barreiro", explicando que "ninguém acredita" que, havendo capacidade em Lisboa e em Setúbal, continue a haver "quem queira suportar os custos da construção de raiz de um projeto desta dimensão no Barreiro".
"Apesar do Governo continuar a atirar areia para os olhos dos barreirenses, dizendo que o projeto avançará até 2020 e que a expansão de Alcântara não é impedimento, a verdade é que esta decisão de duplicar a capacidade em Lisboa, mata mesmo o projeto para o Barreiro", afirma.
Bruno Vitorino defendeu ainda que a mudança de local prevista para o terminal de contentores do Barreiro, aquando do estudo de impacte ambiental, foi "uma aldrabice".
"Ao avançar com uma localização (Avenida da Praia) que nunca esteve em cima da mesa, o Governo pretendeu simplesmente dividir a comunidade barreirense e colocar a própria Câmara Municipal contra a nova localização. Assim, foi a Câmara Municipal a servir de bode expiatório para travar todo o processo desde há largos meses a esta parte"", frisou o dirigente social-democrata. 

Terminal do Barreiro em 2020, diz o governo 
A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, afirmou a 7 de Dezembro que a área do terminal de Alcântara, em Lisboa, "vai continuar exatamente a mesma", aumentando apenas a capacidade daquela infraestrutura.
"Aumentar a capacidade não é obrigatoriamente aumentar o tamanho", disse Ana Paula Vitorino, quando questionada pela agência Lusa sobre a resolução aprovada em Conselho de Ministros em que é referido "um aproveitamento da frente de acostagem de 630 metros para 1.070 metros, numa área de 21 hectares, com capacidade até 640 mil TEU" (carga contentorizada).
Em relação ao Terminal Multimodal do Barreiro, o governo estima que poderá ser concessionado em 2020, apontando ainda este ano a entrega de uma Proposta de Definição de Âmbito à Agência Portuguesa do Ambiente, que está a analisar o projeto.
Numa resposta enviada à agência Lusa, o Ministério do Mar refere que o "grupo de trabalho criado pela ministra do Mar para a otimização do projeto do Terminal do Barreiro tem vindo a trabalhar regularmente, estando prevista a entrega até ao final do corrente ano na Agência Portuguesa do Ambiente de uma Proposta de Definição de Âmbito".

Agência de Notícias com Lusa




0 comentários:

Enviar um comentário

Cartão de Visita do Facebook

Anúncios

Se quiser anunciar neste site entra em contato com publicidadeadn@gmail.com
 
ADN-Agência de Notícias | por Templates e Acessórios ©2010